Blog

Janeiro 2005

Vendo Artigos de: Janeiro , 2005

Samba de Roda

SAMBA DE RODA


É uma expressão musical, coreográfica, poética e festiva das mais importantes e significativas da cultura brasileira. Exerceu influência no samba carioca e, até hoje, é uma das referências do samba nacional.



O samba de roda teve início por volta de 1860, como manifestação da cultura dos africanos que vieram para o Brasil. De acordo com pesquisas históricas, o Samba de Roda foi uma das bases de formação do samba carioca.


A manifestação está dividida em dois grupos característicos: o samba chula e samba corrido. No primeiro, os participantes não sambam enquanto os cantores gritam a chula – uma forma de poesia. A dança só tem início após a declamação, quando uma pessoa por vez samba de roda no meio da roda ao som dos instrumentos e de palmas. Já no samba corrido, todos sambam enquanto dois solistas e o coral se alternam no canto.


O samba de roda está ligado ao culto aos orixás e caboclos, à capoeira e à comida de azeite. A cultura portuguesa está também presente na manifestação cultural por meio da viola, do pandeiro e da língua utilizada nas canções.

Foi considerado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) como patrimônio imaterial. O ritmo e dança teve sua candidatura ao Livro do Tombo (que registra os patrimônios protegidos pelo IPHAN) lançada em 4 de outubro de 2004, e, depois de ampla pesquisa a respeito de sua história, o samba de roda foi finalmente registrado como patrimônio imaterial em 25 de novembro de 2005, status que traz muitos benefícios para a cultura popular e, sobretudo, para a cultura do Recôncavo Baiano, berço do samba de roda.


Na Capoeira:


O Samba de Roda, como o próprio nome diz, se caracteriza por uma roda em que as mulheres, e também os homens, começam a sambar de tal forma, que todos os capoeiristas presentes acabam entrando no samba. As rodas são sempre animadas e cheias de alto astral e nelas, as mulheres mostram toda sua sensualidade de uma maneira graciosa. Geralmente, o Samba de roda começa após o encerramento das rodas de capoeira gerando a descontração de todos.

 

Curiosidades:

Em alguns terreiros de samba de candomblé como o da Mãe Alice (na Bahia), o Samba de Roda pode ser visto e apreciado na sua forma mais tradicional. As famosas baianas da Mãe Alice como Nita, Edinha, Marinalva, Joselita, entre outras, fizeram parte da chamada TURMA DE BIMBA, nos anos 50 e 60.

A orquestra do samba de roda é composta por pandeiro, violão, chocalho e prato de cozinha arranhado por uma faca.


Samba é uma palavra provavelmente procedente do quimbundo semba e significa umbigda, empregada para designar uma dança de roda popular no Brasil. Músicas essas dançadas pelos escravos e que desenvolveram-se-se em uma área que vai desde o Maranhão até São Paulo. Receberam, em cada Estado brasileiro, um nome diferente e um jeito diferente de ser tocadas. Dos nomes e das ramificações desse ritmo africano temos hoje o tambor de crioula no Maranhão; o bambelô no Rio Grande do Norte; o coco, o milindo, o piaui e o samba no Ceará e na Paraíba; o coco de parelha trocada, o coco solto, o troca parelha ou coco trocado, o virado e o coco em fileira em Pernambuco; o samba de roda e o batebaú na Bahia; o jongo, o samba-lenço, o samba-rural e o samba de roda em São Paulo; o caxambú, o jongo, o samba e o partido alto no Rio.

 

 

Desde 1870, o cruzamento de influências entre o lundu (origem africana), a polca, a habanera, o maxixe e o tango começou a produzir um tipo de música que tendia ritmicamente para o samba. Há muitas variantes de samba por todo o Brasil.


O samba paulista é famoso pela dança de solista em centro de roda e tem como instrumentos as violas, os adufes, os pandeiros. No Rio de Janeiro o samba era inicialmente dança de roda entre os habitantes dos morros. Foi daí que nasceu o samba urbano carioca, espalhado hoje por todo o Brasil, e que tem como instrumentos padrão o tamborim, o violão, o pandeiro, o cavaquinho, a cuíca, o surdo, as caixas etc.

 

OUTRAS INFORMAÇÕES E VIDEOS SOBRE SAMBA DE RODA:

 

Em Santiago do Iguape, a jovem Riane conta sobre o surgimento dos grupos de samba de roda na comunidade. Um relato sensível e afetuoso sobre uma das manifestações culturais mais importantes do Recôncavo.

Documentário realizado na disciplina Montagem e Edição 2 – Curso de Cinema e Audiovisual – UFRB

A UNESCO,em novembro de 2005, consagrou o Samba de Roda do Recôncavo Baiano como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade.

Este documentário, muito antes de emitir conceitos para explicar um fenômeno,pretende prestar uma modesta homenagem a todas as pessoas que,no pleno exercício da sua brasilidade,são os verdadeiros
responsáveis por essa conquista.

Mestre João Pequeno comemora 87 anos

João Pequeno: "Vou passar à vida eterna jogando capoeira"

"Ainda faço uma demonstração se precisar", desafia um dos mais importantes discípulos de mestre Pastinha e ícone da capoeira angola em Salvador. Aos 87 anos, João Pereira dos Santos, o João Pequeno de Pastinha, foi alvo de uma homenagem prestada ontem no Forte de Santo Antônio (onde tem sua academia), pela passagem de seu aniversário. Organizada por seus alunos e amigos, a homenagem contou com uma roda de mestres e um banquete de frutas e bolos.
Nascido em 1917, João Pequeno conheceu desde cedo a arte que o transformaria em lenda viva. "Sou de uma família de valentões, sempre quis ser um valentão", diverte-se. "Ainda menino, ouvi falar de uma luta que derrubava o adversário sem precisar pegar nele. Foi assim que me aproximei da capoeira". Nem as orações da mãe o afastaram da paixão. Quando ela morreu, o valentão virou um "sentimental". "Passei a chorar por tudo e por nada", lembra.
Foi aos 13 anos que João Pequeno teve o primeiro contato com uma roda de capoeira em Mata de São João, município próximo à sua terra natal, Araci. Morou em várias cidades do interior até vir parar em Salvador. Na década de 30, participava da roda de capoeira do famoso Cobrinha Verde, no Chame-Chame. A essa altura conheceu Pastinha, na Praça da Sé, e passou a freqüentar a roda do grande mestre no Bigode, em Brotas. "Ele morreu somente no corpo. Enquanto houver capoeira, ele vive, e o nome dele não desaparece", profetiza.

Correio da Bahia 28/12/2004
Agradecimento ao Daniel da Comunidade Capoeira Angola – Orkut

{mos_sb_discuss:11}

BitTorrent

BitTorrent

BitTorrent causou uma revolução na maneira de distribuir arquivos na Internet. Antes invariavelmente surgia um problema de infra-estrutura e custos para quem precisava distribuir grandes arquivos para uma grande quantidade de pessoas, como uma distribuição Linux ou um jogo novo, pois para isso é necessário poderosos servidores e um grande consumo de banda, o que dificulta esse tipo de distribuição.

Com o BitTorrent no entanto, essa distribuição é compartilhada com todos os interessados, quanto mais pessoas estiverem interessadas em um determinado arquivo, melhor será a distribuição, pois cada um compartilha o que tem com os outros, mesmo que o download não esteja completo, tornando a oferta e velocidade do download cada vez maior, exatamente o contrário do aconteceria no método tradicional de servidores centralizados. Por isso é cada vez mais comum encontrar links torrent nas páginas de download. Então vou tentar explicar um pouco dessa tecnologia e como utilizá-la.

Como já disse, os arquivos são distribuídos na Internet por meio de arquivos com a extensão .torrent que servem de guia para o download, ele contém informações sobre qual arquivo copiar, onde o arquivo está (tracker) e o código que permite verificar a integridade de seu arquivo. O tracker serve como um balcão de informações para os downloads, ele mesmo não compartilha nada, apenas informa onde estão os computadores que estão compartilhando o arquivo que você deseja.

Para iniciar a distribuição do arquivo é necessário um seed (semente), alguém que tenha o arquivo completo e seja o ponto inicial dos downloads, assim que mais pessoas comecem a fazer o download elas também começam a ajudar o seed na distribuição, e com o tempo o seed já não é mais necessário.

Para instalar não há segredo, pode-se encontrar diversos clientes de BitTorrent aqui no Superdownloads, tanto para Windows como para Linux, no Linux ainda pode-se utilizar os gerenciadores de pacotes como o apt-get ou urpmi.

Iniciando o download

No Windows, depois de instalado o cliente, basta fazer o download do arquivo .torrent para a pasta onde você deseja que o programa seja salvo, quando você abrir este arquivo ele já irá iniciar o download do programa propriamente dito. Enquanto você estiver com esse janela aberta, você está conectado à rede do BitTorrent, por isso é importante que você mantenha a janela aberta mesmo após ter concluído o download, assim você estará cooperando com outras pessoas que também estejam fazendo o download desse arquivo.

No Linux o processo é bastante semelhante quando você utiliza um navegador que já associa arquivos .torrent com o seu cliente de BitTorrent, o Mozilla por exemplo já vem pronto para isso, mas também nada impede que você mesmo faça a associação em seu navegador favorito. Também é possível iniciar o download por linha de comando, utilizando o btdownloadcurses por exemplo, basta o comando "btdownloadcurses –url" mais o endereço do arquivo torrent, ex:

btdownloadcurses –url http://www.qqendereço.com.br/arquivo.torrent

Caso você já tenha copiado o arquivo torrent para o HD, basta ir até a pasta onde ele está e digitar "btdownloadcurses arquivo.torrent" para iniciar o download. Pode haver alguma diferença utilizando outros clientes, mas é basicamente isso.

Se houver algum problema, e você tiver que interromper algum download, basta salvar o arquivo no mesmo local onde foi salvo pela última vez que o programa se encarrega de detectar que já foi iniciado o download e continua de onde parou.

Para limitar a taxa de upload (e consequentemente a taxa download) é só adicionar o parâmetro " –max_upload_rate X" na linha de comando, onde X é o valor em Kb de upload permitido. Pode ser útil se você precisar utilizar a Internet enquanto faz seus downloads, pois dependendo da disponibilidade do arquivo o BitTorrent pode consumir toda sua banda, ex:

btdownloadcurses –max_upload_rate 5 –url http://www.qqendereço.com.br/arquivo.torrent

Sempre lembrando que o btdownloadcurses pode ser substituido por qualquer outro cliente que você esteja utilizando e que aceite comandos por linha de comando.

Junto com Firewalls

O BitTorrent utiliza uma porta livre entre as portas 6881 e 6889 para que o tracker possa fazer pedidos para que o seu computador compartilhe o arquivo com os outros interessados. Caso você tenha essas portas fechadas ou esteja atrás de um firewall impedindo a conexão, seus downloads serão lentos pois o BitTorrent utiliza um sistema de compensação, sendo que a quantidade de dados que você pode fazer o download está intimamente ligado a quantidade de dados que você faz de upload (envia para os outros). Portanto, para um melhor desempenho é importante manter essas portas ou parte delas abertas.

No Windows normalmente o seu firewall irá pedir sua autorização para que o BitTorrent acesse a Internet na sua primeira utilização. Caso isso não ocorra, abra manualmente as portas no seu firewall, para isso consulte o manual ou o arquivo de ajuda. O que você precisa saber é que será necessário abrir pelo menos uma das portas externas entre 6881 e 6889 (TCP).

No Linux, utilizando o iptables, pode-se utilizar a seguinte regra:

iptables -A INPUT -p tcp –destination-port 6881:6889 -j ACCEPT

Utilizando em rede local com conexão compartilhada você pode fazer o redirecionamento de portas, nos Windows 98 e Me, pode-se utilizar o ICS Configuration (http://superdownloads.ubbi.com.br/download/i21458.html), nos Windows XP e 2000 já é possível fazer pelo próprio sistema através do Painel de Controle, qualquer dúvida procure na ajuda do Windows, basta redirecionar as portas 6881 até 6889 para o IP da máquina que você for utilizar. Ou no Linux, utilizando o iptables:

iptables -t nat -A PREROUTING -i ppp0 -p tcp –dport 6881:6889 -j DNAT –to-dest 192.168.0.2
iptables -A FORWARD -p tcp -i ppp0 –dport 6881:6889 -d 192.168.0.2 -j ACCEPT
iptables -t nat -A PREROUTING -i ppp0 -p udp –dport 6881:6889 -j DNAT –to-dest 192.168.0.2
iptables -A FORWARD -p udp -i ppp0 –dport 6881:6889 -d 192.168.0.2 -j ACCEPT

Sendo que o IP 192.168.0.2 você deve substituir pelo IP da máquina que irá receber os pedidos. Evidentemente nesse exemplo todas as portas foram redirecionadas, portanto a máquina que está compartilhando a rede não poderá receber pedidos, caso queira utilizar também nessa máquina, deixe algumas portas livres para ela e faça o redirecionamento de menos portas, ex: 6884:6889, assim as portas entre 6881 e 6883 ficarão disponíveis.

Também é possível utilizar o BitTorrent em mais de um computador na rede local, basta dividir as portas entre os computadores, porém o número de computadores que poderão utilizar o BitTorrent fica restrito ao número de portas que ele utiliza, ou seja, no máximo nove computadores, exemplo no iptables (deixando as portas 6881:6883 para máquina que está compartilhando):

iptables -t nat -A PREROUTING -i ppp0 -p tcp –dport 6884:6886 -j DNAT –to-dest 192.168.0.2
iptables -A FORWARD -p tcp -i ppp0 –dport 6884:6886 -d 192.168.0.2 -j ACCEPT
iptables -t nat -A PREROUTING -i ppp0 -p udp –dport 6884:6886 -j DNAT –to-dest 192.168.0.2
iptables -A FORWARD -p udp -i ppp0 –dport 6884:6886 -d 192.168.0.2 -j ACCEPT

iptables -t nat -A PREROUTING -i ppp0 -p tcp –dport 6887:6889 -j DNAT –to-dest 192.168.0.3
iptables -A FORWARD -p tcp -i ppp0 –dport 6887:6889 -d 192.168.0.3 -j ACCEPT
iptables -t nat -A PREROUTING -i ppp0 -p udp –dport 6887:6889 -j DNAT –to-dest 192.168.0.3
iptables -A FORWARD -p udp -i ppp0 –dport 6887:6889 -d 192.168.0.3 -j ACCEPT

E é basicamente isso, com essas informações já é possível instalar, configurar e iniciar seus downloads. Caso queira se aprofundar mais, na página do BitTorrent você poderá achar informações mais específicas.

Links relacionados:

  • Clique aqui para visitar o site do BitTorrent.
  • Clique aqui para visualizar os programas relacionados em Windows.
  • Clique aqui para visualizar os programas relacionados em Linux.

Evitando golpes na Internet

  • Evitando golpes na Internet

    Por Tecnociencia



    Trabalho como gerente em um departamento de compras e já faz uns três anos que efetuo compras pela internet, no inicio fui enganado algumas vezes. Com o tempo e o amargo aprendizado, acabei elaborando uma série de rotinas para prevenir nosso departamento contra os golpistas. A primeira coisa que efetuei foi buscar o máximo de informação sobre o assunto. Depois elaborei um perfil dos golpes e parti para a prevenção. Gostaria de compartilhar com os membros da comunidade minha vivencia e as observações conforme abaixo:

    Normalmente existem dois tipos de problemas encontrados na comercialização pela internet. O primeiro e mais sério são os golpistas, (pessoas especializadas em lesar o consumidor) O segundo e igualmente sério são os comerciantes inexperientes que acabam calculando erroneamente seus negócios e não conseguem muitas vezes entregar um produto e nem devolver o dinheiro pago. Montar um site ou até mesmo uma loja na internet possui um custo muito baixo e até mesmo gratuito em algumas vezes. Esta característica tecnológica que possui vantagens inquestionáveis para a evolução cultural também acaba sendo um forte atrativo para pessoas inexperientes em gerenciamento ou administração comercial, estas pessoas ao montarem seus negócios gerenciados erroneamente acabam lesando o consumidor não intencionalmente e sim forçado pelo erro de gestão.

    Já o golpista é um individuo que trabalha sem se preocupar com a lei e quando especializado consegue comprovar e convencer aos seus "clientes" sobre a seriedade e honestidade do trabalho ou produto ofertado. Em ambos os casos o prejuízo acaba quase sempre no bolso do consumidor e a imagem de uma ferramenta fantástica como a internet é abalada pelo mau uso.

    É simples evitar este problema e garantir sucesso nas negociações pela rede, basta apenas algum cuidado.

    1. Verifique se o domínio é comercial ou gratuito. Se o domínio for comercial verifique o endereço da empresa e os contatos, examine também o tempo em que o site está no ar. (Normalmente empresas quebram no primeiro e segundo ano por erro de administração)
    2. Utilize algum buscador para obter informações sobre a empresa e veja se existem comentários nos fóruns e listas de discussão.
    3. Se a empresa oferecer serviços gratuitos use os mesmos para testar o nível de atendimento e idoneidade.
    4. No site da Receita Federal é possível verificar a situação de uma empresa pelo CNPJ e saber se ela esta apta para o comercio ou se existem problemas. (Normalmente golpistas não se preocupam com a lei ou burocracias governamentais)
    5. Se a empresa é nova e não dispõe de serviços gratuitos ou o domínio não é comercial (provedor gratuito), procure efetuar compras com valores baixos, só para testar a qualidade e credibilidade. É melhor ser lesado em R$ 10,00 do que em R$ 100,00.

    Mesmo que a empresa tenha uma credibilidade inquestionável fique atento para NUNCA fornecer dados importantes por e-mail. Semana passada recebi um e-mail do banco do Brasil solicitando que eu efetuasse um acesso em minha conta para completar um cadastro. Examinei o e-mail e o suposto link para acessar minha conta apontava para um provedor fora do país. (Fique atento: Nenhum banco solicita informações por e-mail). Este é um exemplo de golpistas especializados usando "emprestado" a credibilidade de um banco para lesar o consumidor.

    Lembre-se:
    A internet não é a mesma coisa que o comercio convencional, O alicerce da internet é o RELACIONAMENTO e a regra geral pode ser resumida em uma única frase "NUNCA COMPRE DE ESTRANHOS". Se a empresa que você pretende negociar não possui uma área de relacionamento e atividades para futuros ou possíveis clientes onde seja possível gerar certa "amizade" antes de negociar então esta empresa não esta de acordo com os fundamentos da internet.

    Observe que mesmo na compra de um software a primeira coisa que ocorre é o download de uma demonstração do aplicativo para que o usuário não compre algo desconhecido.

    Quem assina esta matéria é Alfeu Narciso.

Brasil sedia fórum de software livre

Brasil sedia fórum de software livre em junho
IDG Now!
O Brasil vai sediar o VI Fórum Internacional de Software Livre, evento que acontecerá no início junho, em Porto Alegre.

O anúncio sobre o evento, que levará o nome de FISL 6.0, foi feito na quinta-feira (27/01) pelo Projeto Software Livre Brasil.

Estiveram no lançamento representantes do governo como o presidente o Instituto Nacional de Tecnologia da Informação, Sérgio Amadeu, o presidente da Radiobrás, Eugênio Bucci e o Secretário Executivo do Ministério da Educação, Fernando Haddad, entre outros.

Em sua apresentação, Sérgio Amadeu ressaltou a importância do fórum para o movimento software livre. O presidente do ITI destacou também que sua participação e de sua equipe no evento realizado em 2002 foi decisiva para a instalação do GNU/Linux no projeto de inclusão digital da capital paulista.

Eugênio Bucci comentou a migração da Radiobrás para o código aberto e Fernando Haddad comentou detalhes do uso do software livre no Ministério da Educação.

IDG Now!

Músicas de Capoeira

 
Depois de uma pesquisa que fiz na internet, buscando músicas sobre Capoeira, consegui agrupar + de 100 músicas sobre o tema!

Este documento esta disponivel para download em nosso site na seção de Donwloads.

Se quiser ter s sua música publicada em nossa rádio, entre em contato atraves do seguinte endereço: mail@portalcapoeiras.com

 

* As musicas contidas neste documento (.pdf) são em sua maioria de domínio público.

Para baixar outras músicas e mídias para começar a cantar, Clique aqui.

 

 

 

Luciano Milani editor do Portal Capoeira, vive em Portugal é contramestre e pesquisador

Estudo Sobre Toques de Berimbau

  • Estudo Sobre Toques de Berimbau
Francisco Ferreira Filho Diniz
Professor de Educação Física
O berimbau é um instrumento que foi adotado pelos capoeiristas como o principal regente da orquestra da capoeira. Antigamente o atabaque era quem ditava o ritmo.
Estamos pesquisando os toques abaixo relacionados procurando associá-los ao jogo correspondente conforme descrição de Mestres, através de literaturas aqui citadas, (ver bibliografia) bem como através de entrevistas.
ANGOLA- Toque lento e cadenciado. Serve para jogo rente ao chão, lento e malicioso (Revista Praticando Capoeira, ano I, n.º 03).
BANGUELA- Jogo de dentro com faca – segundo Carybé em citação de Nestor Capoeira no livro: Os fundamentos da Malícia, ed. Record, pág. 119.
SÃO BENTO PEQUENO – Também chamado de "ANGOLA INVERTIDA" – Toque para um jogo amistoso, muito técnico (Revista Praticando Capoeira, ano I, n.º 04).
SÃO BENTO GRANDE  DE  ANGOLA –
SANTA MARIA –
APANHA LARANJA NO CHÃO TICO-TICO – toque para o jogo de apresentação em que os capoeiristas apanham dinheiro no chão com a boca (Revista Praticando Capoeira, ano I – n º 02, pág. 07).
AVISO – Toque para denunciar a presença do senhor de engenho, capitão do mato ou capataz (Revista Praticando Capoeira, ano I – n º. 02, pág. 07). Segundo dizem os capoeiristas mais antigos, servia para avisar aos escravos da presença do feitor ou capitão-do-mato (Mestre Bola Sete, em: Capoeira Angola na Bahia, pág. 66, ed. Pallas, RJ, 1997).
CAVALARIA – toque que imita o trotar do cavalo, avisando que há polícia nas proximidades. Esse toque foi criado por volta de 1920 para avisar a chegada da cavalaria de "Pedrito", um temido delegado de polícia que perseguia os capoeiristas (Revista Praticando Capoeira, ano I – n º 02, pág. 07). Antigamente servia para avisar aos capoeiristas, da presença da Cavalaria da Guarda Nacional (Mestre Bola Sete, em: Capoeira Angola na Bahia, pág. 66, ed. Pallas, RJ, 1997).
Capoeira Regional
Os toques de Regional inicialmente eram acompanhados por uma bateria inconstante que se apresentava de acordo com a decisão do Mestre Bimba, podendo conter um, dois ou três berimbaus. Tempos depois por sugestão de Decânio, a charanga resumiu-se a um berimbau e dois pandeiros.
AMAZONAS – criação de Bimba, era dificílimo de acompanhar tal a riqueza de ritmos, a sutileza das variações melódicas; poucos capoeiristas conseguiam obedecer aos seus comandos, mais raros ainda os que conseguiam executá-lo no berimbau.
Amazonas é um toque festivo para saudar mestres e visitantes. É chamado de hino da capoeira (Revista Praticando Capoeira, ano I, n.º 05).
BANGUELINHA – Jogo de dentro, colado, corpo a corpo, treinamento para defesa de arma branca.
BANGUELA – Jogo de dentro, colado, corpo a corpo, treinamento para defesa de arma branca.
Benguela – Toque para jogo compassado, curtido, malicioso e floreado (Revista Praticando Capoeira, ano I, n.º 05).
CAVALARIA – Jogo duro, pesado, violento.
IDALINA – jogo alto, solto, manhoso, rico em movimentos.
Idalina – Apresentação de jogo com facas, facões, porretes (Revista Universo Capoeira, ano I, n.º 03, agosto/99).
Idalina – Toque para jogo de navalha (Revista Praticando Capoeira, ano I, n.º 03).
IÚNA -Jogo baixo, manhoso, sagaz, ardiloso, coreográfico, exibicionista; retorno ao estado lúdico.
Iúna – Só para formados e mestres com movimentos de balões (Revista Universo Capoeira, ano n.º 03, agosto/99).
SANTA MARIA – Toque simples, porém rápido; permite jogo solto e alto aceitando bastante floreio.
Santa Maria – Jogo com navalhas (Revista Universo Capoeira, ano n.º 03, agosto/99).
SÃO BENTO GRANDE DE REGIONAL – Jogo ao estilo regional: forte, rápido, mais para violência que para exibicionismo; viril sem perder a malícia.
SÃO BENTO PEQUENO DE REGIONAL – São Bento Grande às avessas; um jogo mais suave, corpo a corpo, aceitando mais deslocamentos e malícia.
NOTA: As explicações feitas aqui, dos toques que estão SUBLINHADOS e em ITÁLICO, referentes a Capoeira Regional foram retiradas do livro de Ângelo Decânio: A Herança de Mestre Bimba, págs. 183 e 184.
Read More

O Capoeira – Camille Adorno

O Capoeira

1ª edição: 1998 Editora Araguaia Brasília/DF

Nota do Autor
O Capoeira é um livro baseado em fatos verídicos, mas que estão tratados sem se limitar à estrita realidade dos episódios. Alguns personagens são a fusão de três ou quatro outros, reunindo comportamentos, ações e situações diversas, na busca de uma síntese. Nomes e lugares foram alterados visando preservar a identidade das pessoas que vivenciaram esta história.

©Copyright by Camille Adorno
Caixa Postal 95 Fone/Fax (062) 2531689
CEP 74001-970 Goiânia – G0
camilleadorno@starmedia.com

Para baixar e ler O Capoeira, clique aqui

Luta Regional Bahiana do Mestre Bimba

A Verdadeira história da criação da Luta Regional Bahiana do Mestre Bimba:

Por: Esdras Magalhães dos Santos – Mestre Damião

Tenho comparecido a algumas exibições e encontros de Capoeira e, em contato com alguns capoeiristas, sempre ouço um comentário de que a Luta Regional do Mestre Bimba teve a sua origem influenciada pelo método do antigo e ilustre capoeirista do Rio de Janeiro ANNIBAL BURLAMAQUI (ZUMA).

Intrigado com a referida informação, passei a investigá-la incessantemente. Por sorte, chegou-me às mãos a Revista MUNDO CAPOEIRA Nº. 1, ANO I, maio de 1999. Nela, como se pode verificar no ANEXO 1 ao presente trabalho, encontra-se uma entrevista atribuída ao Professor Sérgio Luiz de Souza Vieira, Presidente da Confederação Brasileira de Capoeira, sob o título “NEM SÓ DE BIMBA É A REGIONAL”.

No texto da referida entrevista estão contidas inverdades e considerações absurdas que desejo refutar, na qualidade de antigo aluno do Mestre Bimba, na década de 1940 (46, 47 e 48), tendo com ele convivido bem de perto e como tal me familiarizado com a estória e história da criação de sua Luta Regional.

Assim sendo, irei comentar as referidas invencionices assacadas contra a memória de MANOEL DOS REIS MACHADO (Mestre Bimba), na ordem em que se segue: ……….

Para baixar e ler esta publicação em sua íntegra clique aqui.

Read More

Livros


É luta, é dança, é Capoeira


Mestre João Pequeno – Uma vida de Capoeira


Capoeira Angola na Bahia


A balada do noivo-da-vida e veneno da madrugada

Roberto Freire
Revista Liberdade

Luiz Augusto Normanha Lima
2000

Mestre Bola Sete
2001

Nestor Capoeira
1997


Bimba, Pastinha, Besouro de Manganga…


O barracão do mestre Waldemar


Bimba o perfil do mestre


Feijoada no Paraíso: a Saga de Besouro, o Capoeira

A.Liberac
2002

Fred Abreu
2003

Mestre Itapoan
Raimundo A. de Almeida
1982

Marco Carvalho
2002

Read More