Blog

Maio 2006

Vendo Artigos de: Maio , 2006

Nota de Falecimento Carlos Gonçalves

Informo com pesar o falecimento do Jornalista CARLOS GONÇALVES, ex-capoeirista, foi aluno do Mestre Valdenor e fundador do jornal "ABCAPOEIRA – a voz do capoeirista", ferrenho defensor das causas da capoeira, ocorrido no dia 27/05/06 devido a um infarto do miocárdio.
 
Agradeço carinhosamente se puderem divulgar.
Grata,
Celina Gonçalves (irmã)
Tel. (11) 6919-7113/6115-9081


HOMENAGEM DA MESTRA CIGANA AO AMIGO CARLOS

"DESPEDIDA, DESPEDIDA
FAZ CHORAR MEU CORAÇÃO
COMO É TRISTE A PARTIDA
DE UM AMIGO,  DE UM IRMÃO.
EU NÃO TROQUEI MEU AMIGO
PELO OURO DE SALOMÃO
RIQUEZA SE VAI UM DIA
CARLOS ESTEVE SEMPRE À MÃO.
NAS HORAS DE ALEGRIA
NOS DIA DE SOLIDÃO
É HORA DE DESPEDIDA
LEVE TODA MINHA GRATIDÃO, CAMARADA"

IÊ, É HORA É HORA
IÊ, CHEGOU A HORA
DE VOCÊ IR EMBORA
IÊ, PARTA COM DEUS
IÊ! E NOSSA SENHORA

Mestra Cigana e filiados da FCERJ/ FNC do Br

Araraquara: IQ/UNESP ensina a arte secular da Capoeira

Continuando com a crescente inclusão da capoeira no ambiente formal de ensino, agora é a vez do Instituto de Química da UNESP entrar na roda, sob a batuta do mestre Gilson Alves de Almeida.
Foram abertas 40 vagas e as vivências são realizadas aos sábados nas dependências do Daws, das quais 20 já estão ocupadas não apenas pelos alunos do IQ, mas atendendo também à comunidade vizinha, o que demosntra a preocupação em não segmentar ou coibir a participação da comunidade no projeto.
 
Pra que é de Araraquara – SP e região fica aqui a dica…
Luciano Milani

O Diretório Acadêmico Waldemar Safiotti (Daws), do Instituto de Química da UNESP, campus de Araraquara, em parceria com a Prefeitura Municipal abriu, 18 de maio, inscrições para aulas de capoeira, uma das atividades oferecidas pelo projeto de Oficinas Culturais, implantado na cidade desde 2002.
 
Oficinas Culturais são espaços que oferecem aos interessados atividades de caráter prático, com o objetivo de proporcionar oportunidades de novos conhecimentos e novas perspectivas. Isso é conseguido com a experimentação e o contato com os mais diversos tipos de linguagens, técnicas e idéias, possibilitando, assim, a formação de público e profissionais para o setor cultural.
 
No IQ, as vivências são realizadas aos sábados, ministradas pelo mestre Gilson Alves de Almeida, nas dependências do Daws. "Há uma preocupação em apresentar a capoeira aos alunos de forma integral. Eles aprendem tanto os movimentos característicos, quanto a sua história e fundamentos. Temas como cultura, arte, política, direitos e discriminação racial são discutidos, com interesse, pelos alunos durante a oficina", comenta o mestre.
 
Não há custo para os participantes. Os recursos para a manutenção do material e o salário dos monitores são repassados pela prefeitura. "Embora as pessoas não paguem pelas oficinas, elas não são gratuitas. É um serviço público, e como tal, um direito. São os impostos sendo convertidos em benefícios para a população", ressalta Gilson.
 
A capoeira é uma manifestação da cultura popular brasileira que reúne características particulares. Misto de luta, jogo e dança, ao som de instrumentos musicais (berimbau, pandeiro e atabaque), palmas e cânticos, ela é também uma forma de autodefesa e treinamento físico, destacando-se entre as modalidades desportivas por ser a única originalmente brasileira e fundamentada em nossas tradições culturais. "Uma roda de capoeira é uma filosofia de vida. Lá, assim como na vida, você toma uma rasteira e cai. Mas não pode ficar caído! Tem que se levantar e continuar jogando", diz.
 
"O objetivo de trazer a capoeira para a Universidade é a disseminação dessa filosofia. É o triunfo de uma cultura genuinamente brasileira que foi discriminada e marginalizada, por ter vindo das classes mais pobres, mas que hoje é aceita pela sociedade tornando-se um importante veículo de transformação cultural e social", lembra Gilson.
 
Foram abertas 40 vagas das quais 20 já estão ocupadas não apenas pelos alunos do IQ, mas atendendo também à comunidade vizinha. Os interessados em participar das vivências devem fazer sua inscrição no Daws, que fica na rua Francisco Degni, s/n, no bairro Quitandinha. O mestre Gilson também ensina sua arte a outros 300 alunos, no Centro Cultural de Capoeira Aracoara, que fica na rua Arcângelo Nigro 59, em Araraquara.
 
Fonte: UNESP 

Dois grandes acontecimentos capoeirísticos marcam a região Norte do Brasil

Dois grandes acontecimentos capoeirísticos marcam a região Norte do Brasil nos próximos meses. São eles: I Semana de Capoeira da Amazônia e III   Encontro Internacional Ecológico de Capoeira do Amazonas.
Ambos os eventos tratam de questões importantes para a nossa capoeira, o primeiro irá descutir as praticas culturais e os saberes no contexto das politicas publicas (fica aqui o comentário sobre um outro importante evento, o SENECA, que aconteceu no Sul do País, onde também foi abordado o tema "Políticas Publicas.) O segundo evento, sobre a supervisão de Mestre Squisito, irá tratar de assuntos importantes, tais como a "capoeira, o eco-turismo e a ecologia" inseridos em uma região de infinitas possibilidades onde a capoeira vem crescendo e as autoridades governamentais começam a abrir o olho para esta multifacetada arte…
 
Vale a pena conferir as progamações e propostas. com especial atenção ao evento sob a supervisão de Mestre Squisito
Luciano Milani

I Semana de Capoeira da Amazônia
 

De 03 a 10 de junho, acontece em Belém, a I Semana de Capoeira da Amazônia, que terá três momentos: palestras teóricas, mini-cursos e oficinas práticas. As atividades serão realizadas no Ginásio da UEPA (Universidade do Estado do Pará). As palestras trarão a antropóloga Leila Melo, que discutirá os saberes através das práticas culturais, além dela, a antropóloga Lígia Simonian falará sobre cultura, artes e saberes locais no contexto das políticas públicas.
 
Os mini-cursos divididos em três partes abordarão a história e historiografia da capoeira no Brasil e serão ministrados pelos professores Augusto Leal e Leila Melo, da UFPA (Universidade Federal do Pará). Nas oficinas, haverão aulas de ritmos e percussão, princípios da capoeira de Angola, além aulas de instrumentos como berimbau, atabaque e pandeiro.
 
Mais informações pelos telefones 8111 6142 ou 8113 1006.
 
Você pode concorrer a convites para a Semana de Capoeira, é só clicar no link abaixo:
http://www.orm.com.br/promocoes
 

Cidade Velha - Belem III   Encontro Internacional Ecológico de Capoeira do Amazonas
 
Iº. Eco-Capoeira do Amazonas
 
Programação:
 
 Quinta-feira – 17 Agosto de 2006
 
 18:00 – Reunião com a Coordenação e Assembléia Geral com os atletas de Manaus
 
 21:00 – Roda de recepção dos convidado de delegações de outros Estados e países
 
 22:30 – Jantar com os convidados
 
Sexta-feira – 18 agosto de 2006
 
 07:30   Café Regional
 
 09:00   Entrevista coletiva com os convidados.
 
 10:40   Excursão para Presidente Figueiredo.
 
 12:30   Almoço com a secretária de turismo.
 
 14:00   Visita ao refúgio Sacura-Mirá, do Mestre Gato.
 
 14:30   Palestra sobre a capoeira como conscientização ambiental e eco turismo na Amazônia.
 
 19:40   Jantar e reunião com o prefeito e autoridades representantes do estado e Município e capoeira.
 
 23:00   Retorno para Manaus.
 
Sábado – 19 agosto de 2006
 
 08:30   Iª. Conferência sobre o eco capoeira no Amazonas
 
Abertura com a leitura da programação e apresentação dos convidados, autoridades e entidades de classes representativas e esportivas, culturais sociais, ong’s  e entidades governamentais.
 
 09:00   Palestra com o Mestre Marreta – de Amsterdã – Holanda.
            Tema: Projeto Eco-turístico Brasil-Holanda.
 
 09:55   Palestra com a Secretaria de Turismo Dra.Arminda Mendonça
            Tema: O turismo e a capoeira.
 
 10:30   Palestra do Secretario de Esporte
            Tema: A capoeira como desporto.
 
 11:10   Palestra de especialista fonoaudiólogo
            Tema: Educação verbal.
 
 12:30   Intervalo para o almoço.
 
 13:30   Palestra com Mestres da Bahia
            Tema: Salvador: a Meca da capoeira.(Água de Beber)
 
 14:30   Palestra com o presidente da confederação brasileira de capoeira
            Tema: A  capoeira no Brasil e no mundo.
 
 15:00   Palestra com o mestre Umói de Souza – Portugal.
            Tema: Convívio Brasil-Portugal e projetos sociais com a capoeira em países de língua portuguesa.
 
 15:45   Palestra com desembargador – am
            Tema: respeito a integridade física.
 
 16:30   Lançamento do filme Bimba, a Capoeira Iluminada, de Luis Fernando Goulart
            Sobre a vida do Mestre Bimba (longa metragem) – www.mestrebimbaofilme.com.br
 
 18:30   Batizado de capoeira
 
 20:00   Jantar para os convidados
 
 21:30   Viagem para o município de Novo Airão (200 km selva a dentro).
 
Domingo – 20 de agosto de 2006
 
 07:30   Café regional com o Prefeito do Município, Autoridades e convidados.
 
 08:50   Batizado.
 
 11:20   Visita a pontos turísticos do município
 
 13:00   Almoço
 
 15:30   Retorno a Manaus.
 
 18:00   Roda de confraternização no Capoeiródromo na Ponta Negra
 
 
Obs: A programação poderá sofrer alterações e ajustes
 

CAPOEIRA: Origem e Significado do Vocábulo

Matéria retirada do Jornal do Capoeira, www.capoeira.jex.com.br
Mantendo a colaboração e a parceria estabelecida entre estes dois meios de comunicação, o Portal Capoeira selecionou uma matéria interessante… vale a pena conhecer… e refletir…
Luciano Milani

Esta crônica foi a primeira enviada pelo Capoeira-Pesquisador Raphael Pereira Moreno, de São Carlos-SP. Na verdade é ela que inaugura a série “Toques de Capoeira”, que o autor, gentilmente, estará enviando para nosso “Jornal do CAPOEIRA”.
Do minidicionário de língua portuguesa Aurélio Buarque de Holanda Ferreira:

ca.po.ei.ra.1
s. f. 1. Gaiola grande onde se criam e alojam capões e outras aves domésticas. 2. O conjunto das aves domésticas.
ca.po.ei.ra.2
Bras. s. f. 1. Terreno onde o mato foi roçado e/ou queimado para cultivo da terra, ou outro fim. 2. Jogo atlético individual, com um sistema de ataque e defesa. * S2g. 3. Quem o pratica.
Do dicionário eletrônico Michaelis:

ca.po.ei.ra.1
s. f. 1 Mato de pequeno porte que nasceu nas derrubadas da mata virgem. 2. Esp. Jogo atlético de ataque e defesa.
ca.po.ei.ra.2
s. f .2. Jacá para transportar galinhas.

José de Alencar, primeiro estudioso a analisar a palavra CAPOEIRA, em 1865, propôs para a origem do vocábulo o tupi CAA-APUAM-ERA, traduzido por ilha de mato já cortado. A composição da palavra ainda não foi totalmente esclarecida existindo diversas possibilidades para a montagem do vocábulo. Seguindo na proposta de origem em um vocábulo tupi-guarani, as opções mais aceitas pelos pesquisadores são CAÁPUÊRA e COÓPUERA.
Analisando CAÁPUERA, origem proposta em 1880 por Macedo Soares, nas palavras portuguesas de origem guarani, a sílaba CÁ, do guarani CAÁ, significa coisa de mato, planta, floresta virgem ou erva. Enquanto que o adjetivo PUÊRA significa a expressão do pretérito, que quer dizer o que foi, não existe mais. Portanto, pode-se aceitar como significado para a palavra capoeira mato extinto.
Tomando como partida a palavra COÓPUERA,onde COÓ significa roça, a palavra CAPOEIRA tem como significado roça abandonada. Para quem defende essa segunda versão, a palavra passaria de coópuera para capoeira, como evolução natural, assim como já aconteceu com outras palavras.
Também se atribui a palavra CAPOEIRA ao nome popular de uma ave (Opontoohorus Capueira, Soix), também conhecida por URU ou URU-DO-NORDESTE. É uma ave que vive no chão, muito semelhante ao faisão e CAPOEIRAS também eram chamados os caçadores desta ave. Em outro sentido para capoeira, Macedo Soares nos conta que os moleques ou pastores que vigiavam gado, para chamarem uns aos outros e também ao gado, reproduziam o canto da capoeira (URU) assobiando. Dessa forma o moleque que tinha essa missão era chamado capoeira.
Hoje em dia, existem mais de 25 definições para a palavra capoeira, porém na grande maioria, com significados em algum tipo de mato ou ave.
Aqui também podemos abrir um espaço para uma outra face interessante dessse assunto, que são as diferentes formas faladas ou escritas, já com a intenção de designar a arte da Capoeira. Em registros do início do século passado e em alguns nem tão antigos (anos 60) encontramos as formas CAPUEIRA, CAPUERA, CAPOERA e CAPOEIREIRO designando o jogo ou os praticantes. CAPOEIRAGEM é outra forma bastante utilizada, principalmente ao analisar os registros do Rio de Janeiro antigo.
Com a origem e o significado morfológico da palavra CAPOEIRA não completamente resolvidos, porém em parte entendidos, podemos começar a analisar a ligação entre o nome tupi-guarani e o nosso “jogo de pernas pro ar”.
Ainda que existam pesquisadores que relacionem o jogo da capoeira que nós conhecemos com o comportamento ciumento da ave protegendo seu território, de todas as definições já apresentadas por folcloristas e estudiosos, acredito que duas podem realmente nos levar a origem do nome dessa nossa luta-dança-esporte-música afro-brasileira.
Na primeira delas, os negros escravos, durante suas horas de folga (que de fato eram muito poucas) se reuniam num local de mato rasteiro, já cortado, onde realizavam suas danças, resquícios de um passado livre na África. Danças inofensivas aos olhares dos ioiôs, iaiás e feitores. Nesse ritual, os negros camuflaram um treinamento de luta, e mais do que isso, mantiveram uma ligação entre o processo de aculturação – os horrores na senzala – imposto pela escravidão e as manifestações culturais nativas de seus  povos.
Na segunda, os negros escravos ou forros levavam gaiolas de aves para serem vendidas nos portos e mercados, e enquanto estes não abriam suas portas, os negros se divertiam numa brincadeira de pernadas e cabeçadas.
Neste momento chegamos a um conflito histórico e muito discutido pelos capoeiras e historiadores. Se seguirmos a primeira ligação, onde o negro escravo na senzala se utilizava da dança como um treinamento camuflado visando a liberdade, acabamos por definir o surgimento da capoeira como um fenômeno estritamente rural que foi se expandindo até atingir as cidades. Em contrapartida, adotando a explicação das brincadeiras nos portos, chegamos a um surgimento urbano da capoeira.
Há também quem diga que na origem da capoeira existiu forte influência indígena… mas é inegável a presença dos valores africanos nos rituais… porém, essa discussão já é assunto para um próximo texto! (ler: Brasil ou África: onde nasceu a capoeira?)
Sagu ” raphaelmoreno@yahoo.com.br
São Carlos – 20/09/2004
Fontes consultadas:
1. Waldeloir Rego. “Capoeira Angola: um ensaio sócio-etnográfico”, Ed. Itapoan, Salvador, 1968.
2. Aurélio Buarque de Holanda Ferreira. Mini dicionário da língua brasileira Escolar.
3. Michaelis. Dicionário eletrônico.
4. Alceu Maynard Araújo. “Folclore Nacional”, 1967.
Aproveite e consulte o Dicionário da Capoeira, uma ferramenta interativa com vocábulos pertencentes ao mundo da capoeira

Lapinha – Lagoa Santa/MG: Mestre João Pequeno & III Encontro Cultura de Raiz

Muito mais do que um encontro de "capoeiras" o III Encontro Cultura de Raiz – “Lapinha – Museu Vivo no Mês da Abolição” vem com uma proposta de revalorização e resgate cultural e ambiental, tendo como enfaze  a capoeira cidadã, como diria Mestre Decanio: "A capoeira é uma escola de cidadania"… (Cito trecho da matéria: "…enfatiza o caráter educativo da Capoeira Angola enquanto elemento de ligação e identificação da criança, jovem ou adulto com o seu meio, consigo mesmo e com os outros.)
 Luciano Milani

III Encontro Cultura de Raiz – “Lapinha – Museu Vivo no Mês da Abolição” da Associação Cultural “Eu Sou Angoleiro”. 
 
A Associação Cultural “EU SOU ANGOLEIRO” (Belo  Horizonte) , fundada pelo Mestre João Bosco Alves, há quinze anos, vem somar-se ao grupo IRMANDADE DOS ATORES DA PÂNDEGA, há sete anos (Lagoa Santa), formado por atores, dançarinos  e capoeiristas da cidade, no intuito de proporcionar à comunidade local e aos visitantes da Lapinha lazer, entretenimento e cultura.  Para  isto, promoverá III Encontro Cultura de Raiz – “Lapinha, Museu Vivo no Mês da Abolição – ,  em  Lagoa  Santa,  nos  dias 26, 27 e 28 de maio de 2006 apresentando   diversas  oficinas, palestras discutindo a  importância  do patrimônio   Material (Gruta  da  Lapinha) e  imaterial (grupos  culturais) e  a  importância  da  Capoeira  Angola, contando com a presença do ícone na tradição Angola, Mestre João Pequeno, no seminário “Menino quem foi seu Mestre?”
 
NOS DIAS 26, 27 E 28/05 SERÃO TRÊS DIAS DE INTERVENÇÕES CULTURAIS COM DIVERSAS ATIVIDADES E CUJA ABERTURA SERÁ NA PRAÇA DR. LUND, PRINCIPAL PRAÇA DA CIDADE ÀS 18:00H, DIA 26/05 (SEXTA-FEIRA) ABERTURA COM A RODA DE CAPOEIRA ANGOLA E APRESENTAÇÕES CULTURAIS: SHOWS DE SAMBA CANÇÃO, LÉO MARQUES(CANDOMBE DE MATO DO TIÇÃO) BANDA THC DE REGGAE COM PARTICIPAÇÃO ESPECIAL DO MESTRE RAS CIRO LIMA (SALVADOR/BA), COMPANHIA PRIMITIVA DE ARTE NEGRA.S NOS DIAS 27 E 28/05 AS ATIVIDADES ACONTECEM NA  LAPINHA  A  PARTIR  DAS  8:00H E ACONTECERAM DIVERSOS SHOWS E OFICINAS.
 
A proposta do projeto “Lapinha, Museu Vivo”  busca o reconhecimento e a valorização do patrimônio material que é a Gruta da Lapinha em conjunto com os saberes culturais da comunidade da Lapinha em Lagoa Santa/MG, que constituem patrimônio imaterial. O Museu Vivo 2005 enfatiza o caráter educativo da Capoeira Angola enquanto elemento de ligação e identificação da criança, jovem ou adulto com o seu meio, consigo mesmo e com os outros.
 
O EVENTO OFERECE ESTRUTURA DE  CAMPING  E   A  TAXA  PARA  PARTICIPAR  DO  EVENTO  NOS  TRÊS DIAS É DE R$ 35,00  PARA  CAPOEIRISTAS  E  OS  INTERESSADOS. ESSA TAXA INCLUI  OFICINAS, ALIMENTAÇÃO, CAMPING PARA  MONTAR  A  BARRACA E  UMA   CAMISA.
 
MESTRE JOÃO PEQUENO /ACADEMIA DE JOÃO PEQUENO DE PASTINHA (Salvador/BA)
 
João Pereira dos Santos é baiano e aos 89 anos é um dos discípulos mais antigo de Mestre Pastinha em atividade atualmente na Capoeira Angola. Ele é o tronco maior da capoeira de onde brotam todos os galhos, folhas, frutos e sementes da capoeiragem mundial. Representa o senhor da estrada baixa (jogo no chão), da humildade, herdeiro direto dos ensinamentos de Mestre pastinha e do ex-escravo angolano Benedito, pai de todos na roda de capoeira.Criada em 02 de maio de 1982 a Academia de João Pequeno de Pastinha foi um marco para difusão e ensinamentos da linha do Mestre Pastinha, representando luta, tradição, memória e resistência. Conquistada a partir da demanda histórica da população baiana, influenciando mais tarde na reativação do Centro Esportivo de Capoeira Angola criado por Pastinha em 1955. João pequeno permanece com atividades há mais de 20 anos no Forte de Santo Antônio. Em Minas, recebeu em 2003 da Universidade federal de Uberlândia o título de Doutor Honoris Causa, devido a preservação e ensinamento da Capoeira Angola no Brasil e no mundo.
 
SERVIÇO:
III Encontro Cultura de Raiz – “Lapinha – Museu Vivo no Mês da Abolição” da Associação Cultural “Eu Sou Angoleiro”
26, 27 e 28/05 – LAGOA SANTA/MG
26/05 -Abertura será na Praça Dr. Lund, principal praça da cidade às 18:00H
27 e 28/05 As atividades acontecem na  Lapinha  a  partir  das  8:00H. 
 
Inscrições  e  Informações
 
SEDE DA ASSOCIAÇÃO CULTURAL EU SOU ANGOLEIRO – Rua da Bahia, 570 – 12 andar – Centro – Belo Horizonte/MG 
       INFORMAÇÕES:
 
Ana Cecília Assis (31) 91720909/ (31) 3681 3354
Sandra Vilela (31) 9952 7672
Escritório (31) 3681 1113
irmandadedapandega@hotmail.com  
 
Assessoria de comunicação :
Júnia  Bertolino (31) 9917-6762
Carem Abreu 031-97516869
Luan Gomide (031- 9639-2615).
 
Fonte: Rod@ Virtual – Mestre Jeronimo

Novos documentos na seção de downloads da capoeira

Estamos disponibilizando, na seção de downloads da capoeira, dois importantes artigos que abordam o universo da capoeiragem dentro do meio acadêmico.
Ambos os artigos foram objetos de Mestrados em importantes universidades brasileiras.
 
Como todo "bom capoeirista", tem de ter sede de conhecimento… vontade de apreender e conhecer todas as facetas desta nossa "arte – luta – cultura"
 
Fica aqui nossa sugestão de leitura:
 
(Palavras-chave: capoeira, força de reação do solo, biomecânica.) 
 
* Allan Brennecke (USP)
Universidade de São Paulo, Escola de Educação Física e Esporte
Laboratório de Biomecânica
Av. Prof. Mello Moraes, 65
05508-900 – São Paulo – SP – BRASIL
 
(Palavras-chave: Capoeira; Identidade Étnico-Cultural; Práxis Pedagógica) 

Isabele Pires Santos (UESB)
beuca@uesb.br

Este trabalho é parte integrante da dissertação de mestrado. desenvolvida na Universidade do Estado da Bahia/UNEB

A Capoeira, o Destino, a Amizade e a Vida…

Muito mais do que "grupos"… muito mais do que "camaradas"… a CAPOEIRA tem este poder… de agregar… de somar… em sua mais simples faceta ou na mais complexa explicação… a capoeira é unica… é cidadania… é companheirismo… é AMOR.
Abaixo tres pequenos textos que refletem esta união fraternal inerente da capoeiragem…

Luciano Milani


"Prezado Milani,
Começo parabenizando pelo excelente trabalho, mas hoje os nossos "refletores" vão para o grande amigo e grande capoerista Mestre Jaime de Mar Grande, pela passagem dos seus cinquenta anos!!!
O Mestre Jaime é uma destas pessoas que qualquer pessoa celebra o privilégio de ter como amigo, e qualquer capoeirista comprometido com realeza das relações, toma-o para si como sendo também seu mestre. Ele é mestre de muitos que como eu comemora junto com a cidade de São Paulo a sorte de vivenciarmos esta possibilidade de abraçá-lo neste momento.
Parabéns "meu" mestre! Obrigada por sua amizade e sabedoria.
 
Janja, Poloca, Paulinha, Haroldo, Piter, Daniel, Denis, Manô, Bruna, Diogo, Kathrin, Roberto, Valdir, Xiquinho, criançada e demais amigos do Grupo Nzinga de Capoeira Angola."
 
bjs
Janja


Grupo Nzinga de Capoeira AngolaDizem que o destino de todos já está traçado,

Grupo Nzinga de Capoeira AngolaDizem que o destino de todos já está traçado,

Assim sendo agradecemos a quem traçou esse destino,
Que fez esta união, este encontro único entre um irmãos, muito mais que um Amigo…
 
Nós do Grupo Negaça Capoeira Angola desejamos que esta data se repita por muitos outros outonos.
Mestre Jaime muitas Felicidades e muitos anos de vida.
 
Grupo Negaça Capoeira Angola



É engraçado como a capoeira tem o poder de convergir, de tocar as pessoas em seu intimo…

Sentimos isso na roda, quando estamos envoltos pela musicalidade, pelo transe e ancestralidade do ritual…

Sentimos isso na vadiação ou no jogo ligeiro… não importa se é Angola ou Regional…

O que importa é ser Capoeira!!!

Sentimos a magia da capoeira quando entendemos que são preciso duas pessoas para ela poder existir… sozinho eu não poderia “jogar” capoeira…

Quando vemos a alegria no rosto do camarada, na simbiose de movimentos, na dança de guerreiros… na tradição, na convergência entre “velho” e “novo”, na tradução da sabedoria em luta de e para a liberdade…

Existe um respeito entre os companheiros… existe uma permuta entre a Arte e a Luta…

A capoeira reflete a vida… as experiências, os aprendizados, a amizade, a traição, a entrega, a inveja, a discórdia e o amor… fazem parte da nossa arte.

A maturidade vem com o tempo… assim é na vida e assim é na capoeira…

A “Roda de Capoeira” tem o seu significado… ela representa o MUNDO…

E este dá muitas voltas…

O que fica pra sempre são as histórias… as vivências, as lições e os tombos que tomamos neste “jogo da vida”…   !? Ginga… dela nasce toda a capoeira…

A malícia e a mandinga são companheiras do capoeirista…
 
Bom Capoeirista não é aquele que “Joga Bem” mais sim aquele que a “Vive Bem”
 
O verdadeiro capoeirista é um semeador… um cultivador… e um eterno aluno… que esta aberto para aprender todos os dias com convicção e humildade…
 
 
Axé!
 
Salve a Capoeira, a Amizade e a Vida…

Salve Mestre Jaime… Um verdadeiro CAPOEIRISTA… um verdadeiro AMIGO…

Luciano Milani

Portal Capoeira

Portal Capoeira: Fonte oficial de informação do Google Notícias

O Portal Capoeira foi recentemente seleccionado para participar no projecto Google Notícias e destaca-se como projeto  dinâmico e democrático na classe de meios de comunicação online a marcar presença no serviço noticioso do conhecido motor de busca na Internet.
 
As principais informações e notícias do nosso site surgem agora ao lado de notícias colhidas em mais de 200 agências noticiosas e media online, participantes do Google News.
 
A escolha do Google deve-se a critérios como a credibilidade da informação produzida, o volume de actualizações diárias e a permanente cobertura editorial e análise dos temas relacionados com o setor das notícias e informações (esportiva e cultural),  em nosso caso em especial temos a CAPOEIRA como principal "target" de conteúdo e nossa principal fonte de pesquisa e trabalho.
 
O Google Notícias apresenta num inovador conceito de cobertura de notícias. Permite a pesquisa em informação compilada por mais de 200 fontes de notícias em português, actualizadas a cada 15 minutos.
 
Os resultados da pesquisa são compilados em exclusivo por algoritmos de computador, sem qualquer necessidade de envolvimento humano no processo. As fontes de notícias são seleccionadas independentemente de quaisquer critérios ideológicos, políticos ou outros, o que possibilita ao utilizador aceder a uma multiplicidade de abordagens sobre um mesmo tema, e resulta num acréscimo de informação para o público interessado em serviços desta natureza.
 
As notícias encontram-se disponíveis no sítio do Google >> Canal Google Notícias em  http://news.google.com, sendo possível criar uma página personalizada de acordo com o perfil traçado pelo utilizador ou receber por e-mail informação actualizada sobre os temas seleccionados. (Utilize a palavra chave para pesquisa: Capoeira)
 
Nós do Portal Capoeira agradecemos a confiança e a audiência que os nossos amigos e leitores nos confiam e entendemos que este é mais um passo, mais um processo de crescimento e renovação do nosso espaço virtual da capoeira.
 
Um grande axé a todos que direta ou indiretamente participaram e continuam participando do Projeto Portal Capoeira.
Capoeiristicamente
 
Luciano Milani

Cultura: Mestre Moraes & 25 anos do Ilê Asipá

Mestre Moraes, um dos principais expoentes da Capoeira Angola, que ao longo dos anos vem se destacando de forma ímpar na preservação da essência da "capoeira mãe" e na preocupação com a ancestralidade do ritual que envolve a Capoeira de Angola, foi o convidado especial da festa cultural e religiosa em homenagem aos 25 anos do Ilê Asipá, onde afirmou que "Enquanto manifestação de matriz africana, a capoeira é regida pelo princípio ancestral. É nos antigos mestres que nos espelhamos para manter viva essa tradição”.
Mestre Moraes é O coordenador do Grupo de Capoeira Angola Pelourinho (GCAP)
Luciano Milani


DVD registra história dos  25 anos do Ilê Asipá
Salvador – Os 25 anos de trajetória da Sociedade Religiosa e Cultural Ilê Asipá serão registrados em um DVD que teve projeto aprovado pelo Ministério da Cultura, através da Lei Rouanet. A gravação das imagens foi feita durante o evento que comemorou o aniversário da casa, entre os dias 19 e 21 de maio. A programação incluiu uma exposição de 300 fotografias – com curadoria de Denisson de Oliveira – que são um registro histórico das mais de duas décadas do espaço, localizado no bairro de Piatã, em Salvador, e fundado pelo Alapini Deoscóredes Maximiliano dos Santos, o Mestre Didi.
 
Outros destaques foram o concerto da cantora soprano dramática Inaycira Falcão dos Santos e o seminário sobre Ancestralidade Existencial – coordenado pela antropóloga Juana Elbein dos Santos – e com a participação de pesquisadores da Bahia e de outros estados, além do artista plástico Emanuel Araújo. Todas as palestras foram transcritas e serão editadas para posterior divulgação.
 
Capoeira – Uma roda de capoeira comandada pelo Mestre Moraes deu a largada para o último dia do evento que comemorou os 25 anos da Sociedade Religiosa e Cultural Ilê Asipá. O coordenador do Grupo de Capoeira Angola Pelourinho destacou a ligação da capoeira com a ancestralidade.
 
“Enquanto manifestação de matriz africana, a capoeira é regida pelo princípio ancestral. É nos antigos mestres que nos espelhamos para manter viva essa tradição”, afirmou Pedro Moraes Trindade, o Mestre Moraes.
 
A noite teve ainda a exibição dos filmes Panteão da Terra e O Emocional Lúcido, ambos produzidos pela Sociedade de Estudos da Cultura Negra no Brasil, a SECNEB, e dirigidos pela antropóloga Juana Elbein dos Santos. “Essas obras tentam suprir a falta de um material que substitua com dignidade e profundidade a tradição de matriz africana no Brasil”, destacou o pesquisador Marco Aurélio Luz, mediador do debate realizado após a exibição do material audiovisual.
 

Homenagem aos 50 anos de Mestre Jaime de Mar Grande

24 de Maio é dia de festa… dia de comemorar os 50 anos de Mestre Jaime de mar Grande!!!
 
Tive a oportunidade de conhecer Mestre Jaime pessoalmente em Abril de 2006 na minha visita ao Brasil, dono de uma simpatia natural e de uma tranquilidade que contagia, mestre Jaime cativa e conquista a todos em sua volta pela energia positiva…
 
Um dos momentos que mais marcaram a nossa vivência foi sem dúvida a roda no Barracão de mestre Cavaco, na zona Norte de SP, onde pude ouvir uma lição de sabedoria que mestre Jaime aprendeu com seu mestre e fez questão de retransmitir a todos os presentes… reforçando a boa pratica de que boa informação é aquela que é transmitida… e no final desta roda, num gesto de pura humildade e companheirismo, fez questão de salientar, valorizar e homenagear o trabalho que está sendo feito por toda a equipe e camaradas do Portal Capoeira. Fiquei sem palavras e muito admirado… e naquele momento percebi o tamanho do M com que se escreve Mestre Jaime de Mar Grande.
 
Homenagem aos 50 anos de Mestre Jaime de Mar GrandeMestre Jaime de Mar Grande é um legítimo representante da  Capoeira Angola da Ilha de Itaparica – BA, uma Capoeira Angola de Raiz, de Tradição e de Fundamento, Mestre Jaime aprendeu com Mestre Paulo dos Anjos, que por sua vez foi discípulo de Mestre Canjiquinha.
 
O primeiro contato de Jaime com a Angola de Mestre Paulo foi em Mar Grande, costa leste de Itaparica, no ano de 1965, quando Paulo dos Anjos mudou-se por um tempo de Salvador para a Ilha, e ali passou a ensinar "seus meninos".
 
De lá para cá muita coisa mudou na capoeira como um todo, mas mestre Jaime sempre praticou e preservou o que seu mestre lhe ensinou e confiou.
 
Para o Mestre Jaime existe uma enorme relevancia entre os aspectos naturais e uma simbiose entre os elementos que fazem parte da fabricação do Berimbau, muito antes do artesão começar a fabrica-lo: A forma, o clima, o local de origem da madeira, a preocupação ambiental, a energia de quem colheu a matéria prima, são apenas alguns dos aspectos importantes para que o instrumento possa ecoar… ele também chama a atenção para a presença na capoeira de todos os elementos da natureza: “a madeira e a cabaça (representando a mata), o aço, presente na corda do berimbau, o cobre e/ou pedra no dobrão que encostado de leve, com força, ou não encostando no arame, faz variar as notas musicais (representando os minerais), o couro utilizado no atabaque e nos pandeiros (representando os animais), a própria música (representando o ar) (…)”.
 
Mestre Jaime foi também um dos grandes responsáveis pela reintegração do falecido Mestre Gerson Quadrado a Capoeira, valorizando sempre a tradição e o respeito aos mais sábios e experientes…
 
Homenagem aos 50 anos de Mestre Jaime de Mar Grande
 
Um grande abraço meu AMIGO, que este meio século se repita pois a capoeira só tem a ganhar!!!
Muita paz, saúde e felicidade… Sucesso em sua caminhada!!!
 
Luciano Milani – Portal Capoeira