Blog

Janeiro 2007

Vendo Artigos de: Janeiro , 2007

Turismo: Capoeira integra programação de lazer nos Hotéis de Salvador

Mais uma possibilidade para a nossa "arte multifacetada"!!!
 
A capoeira pode e deve ser vista como uma grande fonte "VIVA" de possibilidades sócio-culturais.
Não é a toa que grandes redes de hotelaria começam a virar os olhos para o encanto e a beleza da capoeira.
 
Há alguns dias atrás recebi de uma colaboradora do Portal Capoeira, uma chamada que abordava o tema: IMPACTO ECONÔMICO: o quanto a CAPOEIRA gera no PIB? em um texto da Comunicação Social do MinC (Programa de Desenvolvimento da Economia da Cultura)
 
(ver textos em anexo)
 
 
Pois bem… vamos observar a capoeiragem por este prisma! 
  
Não vou desenvolver nenhuma explanação ou crítica para o tema mais sim irei tentar instigar e fomentar uma ampla e natural reflexão sobre o assunto proposto, de forma a que cada um de nós faça uma busca interior sobre o quanto a capoeira gera e movimenta a economia Formal e Informal… o quanto possibilita inclusão e cidadania… o quanto se ginga pelos quatro cantos do globo e pelos sete mares… e de que forma esta ginga representa a cultura brasileira…
As abordagens são imensas… as possibilidades infinitas… cabe a cada um de nós zelar para que este crescimento seja sustentável, positivo e representativo, de forma a preservar as raízes e tradições desta arte genuinamente brasileira, criando possibilidades e realizando sonhos…
 
Seguem os textos que chegaram até nossa redação:
 
1- IMPACTO ECONÔMICO: o quanto a CAPOEIRA gera no PIB? (Programa de Desenvolvimento da Economia da Cultura)
 
 
Construção de indicadores e estatísticas, diagnósticos, capacitação, promoção de negócios, divulgação de produtos e serviços culturais
 
Uma atividade econômica que não depende de recursos esgotáveis, não polui o meio ambiente e utiliza como insumo básico a criação e a inovação.
 
Uma atividade econômica que desenvolve produtos com alto valor agregado, altamente concentradora de mão-de-obra, gerando ocupação em todos os níveis profissionais, com salários acima da média dos demais setores.
Uma atividade que vincula o desenvolvimento econômico ao desenvolvimento social, seja pelo potencial inclusivo que abarca, como pelo aprimoramento humano inerente à produção e à fruição cultural.
 
Estas são as principais características da Economia da Cultura, atividade reconhecida em vários países, como um setor estratégico e vetor de desenvolvimento sustentável. As atividades de criação, produção, difusão e consumo de bens e serviços culturais representam hoje o setor mais dinâmico da economia mundial e tem registrado crescimento médio de 6,3% ao ano, enquanto o conjunto da economia cresce 5,7%. Estimativas do Banco Mundial apontam a cadeia produtiva da cultura como responsável por 7% do PIB (Produto Interno Bruto) do planeta.
 
*No Brasil*
 
O Ministério da Cultura vem trabalhando para construir uma agenda de desenvolvimento à Economia da Cultura e já iniciou uma série de ações com parceiros fundamentais como o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a Agência de Promoção e Exportações e Investimentos (APEX), o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).
 
Em junho de 2006, o MinC conseguiu aprovar o Programa de Desenvolvimento da Economia da Cultura (PRODEC) no Plano Plurianual do Governo Federal. Com isso, a construção de indicadores e estatísticas, diagnósticos, capacitação, promoção de negócios, divulgação de produtos e serviços culturais passam a ter orçamento próprio a partir de 2007.
 
"A Economia da Cultura tem potencial para ser um vetor de desenvolvimento do país e precisa ser entendida como setor estratégico", comentou a assessora especial do ministro Gilberto Gil e coordenadora do PRODEC, Paula Porta. A assessora citou a música brasileira como exemplo da força e extensão do mercado interno da cultura, pois 75% da música executada nas rádios e locais públicos é nacional.
 
*Sistema de Informações e Indicadores Culturais (SIIC)*
 
O IBGE divulgou, no dia 29 de novembro, o Sistema de Informações e Indicadores Culturais (SIIG), primeira sistematização das informações sobre a Economia da Cultura, realizada com base em pesquisas pré-existentes.
 
Os dados são referentes ao ano de 2003 e lançam as primeiras luzes sobre este universo até então desconhecido da economia brasileira.
 
O documento traz informações relevantes como o número de trabalhadores registrados na área da cultura – 1,055 milhão de pessoas, correspondendo a 5,7% dos empregos formais do país -, os gastos da população brasileira com cultura (ocupa o 4º lugar das despesas das famílias, atrás apenas da alimentação, habitação e transporte) e o peso da cultura na oferta de empregos por setor econômico (55,3% em serviços, 25,6% na indústria e 19% no comércio), entre outras.
 
Estes dados vão servir de subsídios para o MinC na elaboração das políticas públicas e na tomada de decisões e também devem servir de referência para empresas e realizadores da área cultural, que desejarem trabalhar com planejamento estratégico. A análise dos indicadores permitirá a identificação de oportunidades e de nichos de mercado.
 
*Conta Satélite para a Cultura*
 
O secretário de Políticas Culturais do Ministério da Cultura, Alfredo Manevy, deseja utilizar as informações da publicação para a elaboração de uma plataforma de ação conjunta com o IBGE, o Ministério do Planejamento e Banco Central, com objetivo de agregar ao Sistema de Contas do País, uma Conta Satélite da Cultura. Através deste mecanismo, que segue padrões internacionais, será possível mensurar com precisão e periodicidade, o impacto das atividades culturais na economia do país.
 
(Comunicação Social/MinC)
 

 
2- Verão 2007 no Sofitel Salvador 
  
A melhor estação do ano chegou: o Verão!
Salvador, a primeira capital do Brasil com todos os seus encantos, fascínios e magnetismo foi sempre um dos destinos mais procurados nesta estação. Muitos vão para lá em busca do sol, fonte de alegria e alto astral.
Neste momento de descansar e aproveitar as férias, fica a dúvida: aonde ir com sua família?
O Hotel Sofitel Salvador, uma ótima opção, neste ano de 2007 está trazendo uma série de novidades.
 
O hotel, sempre em constante modernização está de cara nova. São muitas as mudanças já percebidas e elogiadas por seus freqüentadores. Os famosos restaurantes Les Saveurs d’ Itapuã e Oxum receberam novos elementos decorativos que deixaram seus ambientes ainda mais agradáveis, valorizando seu requinte e sua baianidade. O restaurante Les Saveurs d’ Itapuã, onde é servido o rico café da manhã do hotel tem agora 40 lugares em sua varanda, local cativo daqueles que preferem a brisa do mar e o contato com os jardins, ao espaço original climatizado. Já o restaurante Oxum traz uma novidade para os casais: um menu especialmente criado refeições a dois. “Elle et Lui” foi elaborado pelo premiado Chef Sebastião Torres, com direito a champagne, luz de velas, música ao vivo e toda atmosfera á beira do lago, tudo para compor uma noite romântica e inesquecível.
 
O hotel também recebeu investimentos nas áreas externas, que valorizaram ainda mais a beleza de seus jardins, agora com begônias, petúnias e portulacas, espécies florais que deram mais colorido exuberância, num convite à contemplação. À noite, pode se apreciar a nova iluminação cenográfica, que a partir da utilização da técnica de luz indireta destaca fícus, cicas, arecas e coqueiros, em meio ao gramado e à piscina, agora com um tom azul, obtido por um sistema de lâmpadas tipo led, a mais moderna e ecológica tecnologia existente em iluminação. O resultado é uma atmosfera agradável e tranqüilizante, que favorece o intimismo.
 
As dunas do Abaeté, onde se localiza a propriedade do hotel, são o viveiro natural de várias espécies de pássaros, muitas vindas de longe em busca das invejáveis condições daquele ecossistema, durante a estação do verão. Espécies locais como Canários e Cardeais, raras em outras regiões do país, são comumente apreciadas enquanto se alimentam tranquilamente pelo gramado. Lindas Garças Brancas e Martins Pescadores vivem em equilíbrio com as Carpas e Tilápias do lago de Oxum, situado ao lado do restaurante de mesmo nome, cercado por frondosas árvores, onde vive um bando de Micos.
 
A baianidade está presente mais uma vez na simpatia das garçonetes, que trajadas de baianas, não se cansam de explicar aos hóspedes porque seu colar muda de cor diariamente, numa representação dos Orixás do Candomblé. Aos Sábados, ao som de muita MPB, Samba e Bossa Nova acontece uma animada e saborosa Feijoada, e aos Domingos, os berimbaus e atabaques dão o ritmo para a roda de Capoeira e Maculelê, que acontece em meio ao almoço que apresenta o melhor da culinária baiana: Moquecas, Xinxins, Vatapás e Carurus. A mesma capoeira, é ensinada aos hóspedes, em uma das atividades mais freqüentadas da programação de lazer do Verão 2007, que tem ainda como destaque as aulas de Hidro Axé, conduzidas pelos animados monitores da equipe de lazer.
 
Todas estas atrações fazem parte de dois novos produtos que o hotel está lançando: o So Fun, uma versão de 7 diárias ao preço de 6, e o So Relaxing, com check in sempre às Sextas e late check out aos Domingos.
 
Que me desculpe o nosso poeta, mas agora você vai descobrir que vale a pena passar muito mais do que uma tarde em Itapuã.
Sofitel Salvador – Bahia
www.sofitel.com.br 
Fonte Diário do Turismo: http://www.diariodoturismo.com.br/

Belém – Pará: Eleição na Federação Paraense – FEPAC

O Presidente da Federação Paraense de Capoeira – FEPAC, Mestre Nazareno, em cumprimento ao que reza o estatudo da Entidade, está colhendo candidaturas para eleição da Diretoria e Presidência, a se realizar em 03.02.07
 
A cada dois anos a FEPAC realiza suas eleições gerais.  Quando criada há 12 anos, ninguém ligava para isso.  Estes dias, porém, após anos de luta para implementar a padronização técnica, desportiva e administrativa ensinada pelo hoje Presidente da FICA, Mestre Sérgio Vieira,  e com o apoio que a FEPAC vem recebendo para realização de seus eventos, principalmente por parte da Secretaria Executiva de Esporte e Lazer do Governo do Pará, os dirigentes das entidades filiadas já mostram mais interesse no assunto.                               
 
Até o momento apresentaram-se dois candidatos presidente que são o próprio Mestre Nazareno, da Associação Rei de Capoeira, candidato à reeleição e Mestre Walcir, da Associação Senzala (de Belém, não a do Rio) concorrendo pela primeira vez.
 
Mestre Walcir seria candidato quase imbatível se não tivesse se ausentado sistematicamente das últimas reuniões  – por motivos pessoais, segundo ele mesmo informou em reunião.  Mestre Walcir tem tradição em Belém como realizador em Capoeira e diversos pólos formais e informais espalhados pelo imenso Estado do Pará.             
 
Já o Mestre Nazareno, atual Presidente – detentor da máquina – acabou de vir de Aracaju-SE, do Campeonato Brasileiro, como Chefe da Delegação Paraense, trazendo nove medalhas de ouro, 13 de prata e 11 de bronze e, ainda, segundo lugar na classificação geral das entidades participantes e terceiro lugar em conjunto. Este é o melhor resultado – em termos nominais – da FEPAC em toda sua historia de participação nos Campeonatos Brasileiros.
 
Como a FEPAC é um órgão eminentemente esportivo, Mestre Nazareno está a cavaleiro nessas questões de eleição.  Pesam contra ele apenas as prestações de contas mambembes, mas quem liga para isso na FEPAC? Nem o Mestre Walcir pode usar isto, pois, foi dito na última reunião da FEPAC (são públicas)  que sua entidade está inadimplente.  Quem não paga em dia não pode usar o argumento das contas mal ou nunca prestadas – mas, Mestre Walcir sempre quitou seus débitos financeiros junto à FEPAC, nunca deixou de pagar.  Já suas ausências, essas jamais serão pagas.

Capoeira, Dança & Teatro: África brasileira

Com coreografia de impacto e a capoeira como pano de fundo, "Quilombo" retrata na dança afro a trajetória dos escravos no Brasil
 
Nada mais natural que aliar a capoeira à dança. Movimentos que se misturam, se completam. Dentro desse pensamento, eis que surge, ainda em 2005, o espetáculo Quilombo, montado pela Associação Água de Beber, com coreografia de Wal Queiroz. O estímulo maior veio com o convite da direção do Festival Internacional de Tradições Afro-Americanas da Venezuela. Foi assim que a iniciativa tomou força e os capoeristas profissionais deram vida a dançarinos. Por 40 minutos, eles deixam as rodas e sobem ao palco para mostrar a força de uma cultura.
 
Da captura à libertação. Saudades da África ao Brasil incorporado como sua nova pátria-mãe. Os aspectos que transpassam pelos períodos existentes entre esses dois extremos são sentidos nas danças e representações de “Quilombo”. Com 12 capoeiristas atuando, dançando, tocando e cantando em diferentes quadros, o público acompanha a prisão dos escravos, a viagem no navio negreiro, a comercialização e o contato com a nova cultura. Sofrimento, dor, revolta contida.
 
No mesmo ritmo de movimentos fortes, a apresentação segue contando a formação dos quilombos, o surgimento do líder Zumbi e, finalmente, a descoberta da capoeira. Apesar de ser responsável pela origem do espetáculo, a luta aparece como um personagem secundário, mas presente, mesmo que subjetivamente, nos movimentos dos dançarinos. Nesse sentido, o coordenador da Associação Água de Beber, Robério Queiroz, o Mestre Ratto, destaca: “Essa foi uma oportunidade de diversificar a capoeira, podendo ser vista como arte, cultura, luta e dança”. Além disso, o espetáculo, ao mesmo tempo que resgata uma história, chama um novo público a conhecer, realmente, o que é a capoeira. “É uma nova forma de ver e conhecer a capoeira”, acredita Mestre Ratto.
 
Foi da capoeira que veio também o repertório que rege todos os atos. Os instrumentos que tem como função primeira guiar os capoeiristas em seus “golpes” na tradicional roda, passam agora a fazer parte fundamental do espetáculo. Nada mais original do que berimbaus e tambores marcando o compaço na percussão.
 
A descoberta
Na história de “Quilombo”, a capoeira é um dos últimos elementos a aparecer. Fato que não tira o encanto da descoberta. Ao longo dos atos de dança e teatro, principalmente quando se chega à vivência dos escravos no Brasil, os negros vão despertando para os movimentos que, em seu futuro, irão originar a luta de capoeira. Mais uma vez, entre as diferentes nuances do espetáculo, a expectativa de arrancar emoções mais fortes do público.
 
Toda essa trajetória arraigada de dor e duras conquistas foi pensada durante cerca de um ano. Em 2005, a Água de Beber, que sempre se dedicou a projetos sociais envolvendo o universo afro, através da capoeira, agora se descobre culturalmente. A idéia deu certo. No ano seguinte, em 2006, nova apresentação no Festival de Tradições Afro-Americanas na Venezuela, chegando à Fortaleza, em cartaz no Dragão do Mar e no Teatro São José. Casa cheia, público satisfeito, espetáculo aprovado.
 
Com o bom resultado da primeira empreitada, a Associação está pronta para dar continuidade ao trabalho. O novo espetáculo “Nordestinando”, segue no contexto histórico e resgata as danças folclóricas num passeio pelos ritmos de diferentes regiões. O espetáculo entre em cartaz no dia 19 no Sesc Emiliano Queiroz.
 
Desafio
 
O coreógrafo Wal Queiroz continua com o grupo em “Nordestinando”, mas dessa vez, para ele, o trabalho fluiu mais fácil. A criação da coreografia de “Quilombo”, foi um desafio para Wal. Com todas as danças basearam no jogo da capoeira, o coreógrafo mergulhou no mundo da luta em busca dos movimentos que se adequasse perfeitamente à dança.
 
“Assisti às aulas. A partir da movimentação deles fiz vivências. Peguei o código corporal deles e transformei no que eles queriam para o espetáculo”. No palco, o resultado visto é uma dança extremamente forte, na opinião de Wal Queiroz. Já para Mestre Ratto, as aulas de dança transformaram também as rodas de capoeira que ganharam na estética e no aumento do interesse dos praticantes.
 
CRISTIANE VASCONCELOS
Repórter
 
Mais informações:
"Quilombo"
12 a 14 de janeiro às 20 horas
Sesc Emiliano Queiroz
Ingressos: R$ 10,00 (inteira) R$ 5,00 (meia)
Toda a renda será revestida a comunidades atendidas pelos projetos sociais da Associação Água de Beber
 
Diário do Nordeste – Fortaleza
http://diariodonordeste.globo.com

Rio de Janeiro: Capoeira e Passeata – PAN 2007

Aproveitando a data e o importante evento esportivo, em que todos os olhos estarão virados para o Rio de Janeiro, Mestre Arerê e todo o pessoal da capoeiragem carioca, nomiadamente a turma do Circo Voador que em tempos passados foi palco de eventos marcantes dentro do universo da capoeira, convidam para participar de uma passeata em nome da capoeira.
Nós do Portal Capoeira desejamos a todos os participantes desta passeata, muito sucesso na busca do objetivo almejado e que o espirito desportivo e a cidadania prevalecam e desta forma possamos superar todos os obstáculos deste cenário de guerra urbana no Rio de janeiro, que nos é apresentado na mídia. Outro grande acontecimento que deverá estar acontecendo na mesma época e local, aproveitando as luzes da ribalta do PAN, é o Lançamento Nacional do Filme Mestre Bimba A Capoeira Iluminada, de Luiz Fernando Goulart, marcada para o PAN 2007
 
CAPOEIRA – PASSEATA – BRASIL – RIO DE JANEIRO
 
Convocação para todos os capoeiras, admiradores e simpatizantes!
 
Historicamente, as grandes lutas que o negro travou por todo o Brasil em prol de sua liberdade, têm no Rio de Janeiro um grande tambor, onde o braço do negro capoeirista aflorou bravamente, inclusive em defesa no nosso país contra invasores.
 
O mundo da capoeira parabeniza as autoridades brasileiras e em especial as do Rio de Janeiro, pela conquista do PAN 2007.
E, para organizarmos bem a participação da capoeira na abertura do PAN 2007, faremos realizar no Rio de Janeiro, uma mostra de capoeira através de uma grande passeata, onde três tópicos serão abordados por nós capoeiristas de todo o Brasil e do Mundo:
 
A) Capoeira rumo ao PAN 2007
B) A profissionalização da capoeira (como cultura, esporte e lazer)
C) Capoeira fora do sistema CONFEF/CREF (Obs.: Nós,capoeiristas, não somos contra o sistema CONFEF/CREF, apenas deixamos bem claro que temos consciência, olhos, braços e pernas próprias e nossas entidades legais tem o nosso aval).

 
P  A  S  S  E  A  T  A
 
DIA 26 DE JANEIRO DE 2007
LOCAL:  CINELÂNDIA – (RIO DE JANEIRO – CENTRO DA CIDADE)
HORA: 16:00  – CONCENTRAÇÃO
SAÍDA: 18:30H – RUMO AOS ARCOS DA LAPA
 
REUNIÃO DE ORGANIZAÇÃO
 
LOCAL: CIRCO VOADOR – ARCOS DA LAPA, RJ
DIAS:  13 E 20 DE JANEIRO
HORA: 10:00
 
 
PARTICIPE!
 
A LUTA É NOSSA!
TRAGA UMA BANDEIRA BRASILEIRA, SE POSSÍVEL!
 
Fonte Rod@ Virtual

Salvador: Mostra de Capoeira Angola “Mestre Faísca, rompendo barreiras e formando para vida”

Esta semana, Salvador irá receber Mestres de Capoeira da Bahia e do Brasil na Mostra de Capoeira Angola "Mestre Faísca, rompendo barreiras e formando para vida" , que acontece entre os dias 11 e 14, na Academia João Pequeno de Pastinha Centro Esportivo de Capoeira Angola do Rio Vermelho (AJPP-CECA-RV). Promovido pelo Mestre Faísca e alunos da AJPP-CECA-RV, discípulos direto de Mestre João Pequeno de Pastinha, o evento traz para o público: cursos, palestras, oficinas, rodas de capoeira, exposição de fotos e vídeos, que serão realizadas em diversos pontos da cidade.
O intuito é chamar atenção da população soteropolitana e brasileira para a preservação da cultura afro, através da Capoeira Angola e demais manifestações artísticas, utilizando-a como elemento de mudança sócio-educativa.
PROGRAMAÇÃO
 
11/01/2007 – Quinta-feira – ABERTURA
 
19h – Jantar de confraternização com os familiares e discípulos do C.E.C.A Rio Vermelho no Centro Histórico.
 
12/01/2007 – Sexta-feira
Local: C.E.C.A Rio Vermelho
 
9h – Oficina de Caxixi – Instrutor: Mestre João Pequeno de Pastinha.
18h – Exposição de fotos e vídeos.
20h30min – Palestra: Rompendo barreira e formando para vida. – Palestrante: Mestre Faísca
 
13/01- Sábado
Local:  Faculdade Ruy Barbosa
 
9h – Oficina de Capoeira Angola – Instrutor: Mestre Faísca.
14h – Oficina de dança (samba) – Instrutora: Kainana (professora de dança da Comunidade Negra do Curuzu).
17h – Palestra: Consciência Corporal, suas implicações para prática da Capoeira.
Palestrante: Dr. Marcelo Borges Botelho –  Quiroprático
                  Doutorando –  Luís Vitor de C. Junior – FSBA
                  Professor – Gilmar dos Santos – FSBA
 
14/01 – Domingo – ENCERRAMENTO
Local: Espaço para evento – Vale das Pedrinhas
 
10h – Abertura com apresentação do trabalho desenvolvido no C.E.C.A. Rio Vermelho e do Projeto João Capoeira Angola e Cidadania.
10h40min – Vadiação dos Mestres com os  discípulos do C.E.C.A. Rio Vermelho para entrega das carteiras.
11h30min – Vadiação dos Mestres e convidados
Finalização com Samba de Roda.
{jgxtimg src:=[http://www.portalcapoeira.com/images/stories/Capoeira/eventos/folder_reduzido.jpg] width:=[320]}
Clique na imagem para ampliar
 
Contatos: Roberta Neri (71) 8133-4332

4º Mundial Muzenza de Capoeira, Lançamento de Livros e Palestras

O Grupo Muzenza estará lançando no 4º Mundial Muzenza Aberto de Capoeira na cidade de Saquarema – RJ  os Livros:
 
1 – Os Benefícios Psicofisiológico da Capoeira – Autora Professora Criança – RJ
2 – Manual Educacional de Capoeira – Professor Fabinho – Espanha Muzenza
3 – DVD Muzenza no Mundo série 1 – Autor Mestre Burguês.
E haverá também as seguintes palestras :
 
  • Historiador Carlos Eugênio com o tema \" A Capoeira no Rio de Janeiro \".
  • Palestra com Dr. Odilon Góes com o Tema \" A Capoeira a Luz do Direito Desportivo\" ( Lei e incentivo Fiscal nº 9715/98.
Atenciosamente Conto com a Presença de todos. Mestre Burguês

www.mundialmuzenza2007.com.br

Mestre Adelmo e Curso de Emboscadas em São Paulo

As emboscadas de mestre Bimba , que aconteciam nas matas da "chapada do rio vermelho" era uma  verdadeira guerra, verdadeiro treinamento de guerrilha… o aluno que estivesse sozinho, tinha que lutar até quanto pudesse e depois  correr, saber correr, correr para o lado certo … era como se fosse uma briga de rua, só que muito pior, pois todos adversários eram exímios capoeiristas…
sabiam bater, derrubar  e ainda traziam  cassetetes à mão, cassetetes estes feitos por Bimba, de gomos de bananeira, não machucavam mais ardiam pra valer…
 
Nunca vi o mestre explicar este treino…
 
Quando perguntei o objetivo, ele apenas riu e disse: "calma Itapoan a fruta só da no tempo…"
 
César, Raimundo Itapoan, O Perfil do Mestre pg. 53; 1982 Bahia-Brasil
Acredito que a emboscada dentro de um ambiente rural, matas cercas e rios  ou valas ajuda o capoeirista amadurecer um sentimento de alerta . A surpresa da tensão emocional de adentrar num ambiente hostil sozinho e sabendo que vários outros capoeiristas estão escondidos a sua espera com cassetetes, onde seu único recurso é correr e se esquivar o que dá ao participante uma perspectiva de como o negro escravo se sentia quanto era caçado e acuado pelos capitães de mato.
 
Mestre Pastinha em sua infinita sabedoria já dizia: o "capoeirista tem que se calmo" eis um dos segredos dos benefícios da emboscada, a busca pelo controle emocional  Na roda de capoeira é um "contra" o outro , ou melhor, um pelo outro , na emboscada são vários 5,10 contra um. Agilidade, sangue frio, determinação e são exigidos ao Maximo do participante, alem é claro e toda sua capacidade cardiovascular!
 
Pois bem, boa sorte…você vai precisar.                                                                                                         
 
Mestre Adelmo
 
 
Regras:
 
Os bastões são confeccionados pelo Mestre Adelmo  seguindo regras de segurança.
 
Os botões são chamados de carinho de Bimba. Ou botões de Bimba. No final o  resultado é o mesmo.
 
Todos os integrantes são denominados de quilombolas que estão no primeiro posto chamado de Senzala (lugar de escravidão).
 
Sua finalidade é fugir da Senzala e chegar ao quilombo posto principal e destino dos homens livres.
 
Só que entre a Senzala e o quilombo existe a vala, a mata onde se da a emboscada. Os capitães de mato se escondem no caminho a espera do quilombola para então o surpreender.
 
Na emboscada não se agarra não se da golpes nem desequilibrantes (na época de mestre Bimba estes elementos existiam) para preservar a integridade física do participante.
 
A intenção maior do capitão do mato na embosca é fazer com que o quilombola desista de sua fulga e retorne a senzala.
 
Não se bate no rosto. Nos homens mira-se mais nas costas e pernas, nas mulheres  procuramos ter o cuidado de mirar mais as pernas , pois sendo de constituição mais frágil, seus braços podem ficar marcados ou ate com hematomas podendo causar constrangimentos perante a família, amigos e no trabalho.
 
Do investimento: Cada participante devera investir R$ 8.00 . Se desejar  a camiseta do evento será R$ 20.00
 
Da arrecadação: Ficara a equipe da Rabo de Arraia , a cargo da arrecadação do investimento que devera ser feito por cada um dos integrantes.
 
Da Produção: Os bastões serão feitos e supervisionados pelo mestre Adelmo. Ficaram armazenados na loja RABO DE ARRAIA ate o dia do evento.
 
Do evento: A disposição dos participantes  será organizados pela partes envolvidas e distribuídos através do ambiente a ser usado.
 
Dos participantes: As inscrições são limitadas (60 inscritos)
 
Todos deverão fazer uma previa inscrição.
 
No dia marcado todos deverão fazer o reconhecimentos do ambiente.
 
Não haverá individualismo, o trabalho em equipe é a meta principal.
 
Não haverá ressentimento, estaremos revivendo uma cultural ancestral, criada por mestre Bimba.
 
Os mestres e lideres poderão optar em passar ou não pelos caminhos da EMBSOCADA.
 
Todos participantes deveram estar  de calca jeans (de preferência) calcado ante derrapante e qualquer acessório de proteção, luva, capacetes cotovelera etc.
 
O clima do dia do evento não interferira no andamento,sol ou chuva só trarão mais elementos positivos para o evento.
Mestre Adelmo e Curso de Emboscadas em São Paulo
 
Boa sorte e viva a cultural do Brasil
 
Mestre Adelmo

Catador de papelão conquista o Campeonato Berimbau de Ouro em Sorocaba

Bruno Henrique de Oliveira mostra que o esporte ajuda a superar as suas dificuldades  
Com apenas 15 anos, Bruno de Oliveira (à direita) divide seu dia entre a escola, aulas de capoeira e coleta de recicláveis 
A mesma força e determinação que usa para recolher materiais recicláveis na rua, Bruno Henrique de Oliveira, 15 anos, usa na prática da capoeira. O garoto venceu o Campeonato Berimbau de Ouro, realizado no Ginásio Municipal de Sorocaba Dr. Gualberto Moreira, no dia 17 de dezembro. Como prêmio, ele levou uma bicicleta e medalha de participação.
 
O evento reuniu 258 crianças e adolescentes assistidas pelo projeto social da Associação Mundo Inteiro de capoeira. Eles foram divididos em oito categorias e precisaram mostrar volume de jogo, técnica e expressão corporal. Não houve contato físico entre os atletas para evitar acidentes.
 
Oliveira, que trabalha diariamente como catador, participa semanalmente das aulas do esporte na Pastoral do Menor Agente Jovem, no Jardim Ipiranga. “Ele é muito esforçado e nos deu alegria pela vitória na competição”, disse orgulhosa a monitora da Pastoral Ana Cristina da Silva.
 
Sobre o futuro, Oliveira disse que pensa em se tornar um agente jovem da Pastoral do Menor e ensinar tudo que aprendeu. “Seria uma forma de agradecer tudo estão fazendo para melhorar a minha vida, para torná-la um pouco melhor”, a firmou o capoerista.
 
Para o organizador do evento, Claudinei Siqueira, o mais importante nessa competição é mostrar que o esporte pode ajudar crianças a encontrar um novo caminho. Ele disse que a preocupação maior está em formar cidadãos de bem.
 
Uma vida de superação
A rotina de Bruno Henrique de Oliveira não é nada fácil. Ele acorda todos os dias antes das 7h e vai para a escola e à tarde participa das aulas de capoeira na Pastoral do Menor. Quando a noite começa, o garoto sai em busca de material reciclável e volta para casa às 2h. “Prefiro sempre fazer algo que possa me ajudar e a minha família do que ficar na rua”, disse o garoto, que ajuda a mãe a sustentar seis irmãos.
 
Todas as noites, ele sai de sua casa no Jardim Ipiranga e vai caminhando até o shopping Esplanada. “Saio com meu carrinho vazio e sempre volto com ele cheio”, afirmou satisfeito.
 
Projeto nas entidades
O projeto de capoeira da Associação Mundo Inteiro é executado durante todo o ano em entidades beneficentes que atendem a crianças e adolescentes carentes.
 
Ao todo, 1.500 meninos e meninas aprendem os fundamentos da capoeira em aulas ministradas por professores voluntários.
 
Eles são assistidos pelo Crami (Centro Regional de Atenção aos Maus Tratos da Infância), Caps (Centro de Assistência e Promoção Social), Pastoral do Menor e Sab Ynaíba.
 
O coordenador do trabalho, Claudinei Siqueira, disse que a participação das crianças cresce a cada ano.
 
 
Fonte: http://www.bomdiasorocaba.com.br
Carlos Oliveira/ Agência BOM DIA
(carlos.oliveira@bomdiasorocaba.com.br)