Blog

Outubro 2007

Vendo Artigos de: Outubro , 2007

A MORTE DA FIGURA PÚBLICA MESTRE LEOPOLDINA

Faleceu o Mestre de capoeira Leopoldina ás 16:30h do dia 17/10/2007, na cidade de São José dos Campos/SP, Brasil[1].
 
Abro a caixa de e-mails e lá está a notícia encaminhada por meu amigo Pedro[2].
Morreu o Mestre Leopoldina.

É de sentir o falecimento de uma figura dessas… Leopoldina, embora não tenha qualquer ligação direta com a "nossa" capoeira da Bahia, é seguramente dos últimos representantes (no Rio, acho que o mais emblemático) de um certo "ser" capoeirístico, de uma certa maneira de tocar a vida típica da "fina flor" da malandragem dos tempos de outrora (na Bahia ou no Rio). E é uma pena que a conveniência política me impeça de arrolar outros exemplos vivos na Bahia, que é meu território… [3]

Leopoldina era o símbolo acabado de uma "delicadeza já perdida"[4] ou de uma "malandragem provinciana", poética; malandragem vaidosa, elegante e criativa. Um conceito, portanto, contingencial de "malandro". E é por essa via que posso compreender o quanto orgânicas, intuitivas e legítimas tinham de ser as tão propaladas "negaças", "mandingas", "manhas" e “malícias”[5] que, pela capoeira, nossos ancestrais (categoricamente representados por figuras como Leopoldina) legaram uma perspectiva de mundo, uma maneira de driblar – com elegância e originalidade – carências materiais tão aparentes para nós, míopes repetidores dos inócuos, sabidos e ressabidos discursos sociais.
 
Trata-se, pois, de atentar para aquilo que subjaz, que está por trás, porque no que toca a miséria e abandono sofridos por Cartola, Pastinha ou Waldemar, muito já sabemos e pouco agimos[6]. É quando jogar capoeira, levar um samba, vestir-se de branco impecável ou cumprir suas obrigações transcendentes engendra dignidade na pessoa humana. É disso que não nos apercebemos e é isso que morre, não tão lentamente quanto possa parecer, quando morre um Leopoldina. Dignificar-se pelo seu modo de ser e proceder é tão importante quanto a dignidade humana de que nos falam os jornais e revistas, dignidade enfaticamente material. São direitos humanos que “dignificam” com padrões pré-moldados e classificam por índices econômicos, mas excluem o único sustentáculo efetivo daquilo que faz dos Leopoldinas da vida Mestres de verdade: a capacidade de aplicar a sabedoria de um povo a um instrumental artístico-cultural que se renova criativa e ludicamente com riqueza intrínseca inabalada[7]. Leopoldina não era mestre de capoeira porque tinha muitos alunos. Também não o era porque dominou as técnicas[8] sofisticadas. Era mestre porque fez capoeira como extensão do seu modelo de viver e ver as coisas, matriz de uma cultura que não busquei quando me matriculei na academia; mas com a qual, a partir das primeiras experiências naquela coletividade, pude me identificar e inebriar. O olhar mágico de capoeirista que estava me tornando levou-me a rever preconceitos e aprender com aqueles que infelizmente não compreenderão estas linhas, mas que insisto em chamar de Mestres e assisti-los com atenção. Mas não por humildade e sim em razão da esperteza malandra que eles mesmos me ensinam. Malandragem “que já não é normal”[9], que já se esvai antes mesmo de contagiar, deixando-nos carentes de certas sutilezas não apenas romanticamente bonitas, mas talvez enormemente relevantes para a chance de nos fazer melhor. E quando perdemos isso declinamos também de uma maneira historicamente capoeirística de sermos felizes. Felizes na simplicidade digna que nos leva a repensar a importância[10] dos mega-batizados, dos grupos colossais ou das aparições na TV. É isso que representa a morte do Mestre Leopoldina: a perda de algo que parece afixado ao tempo passado, estéreo, sem continuidade ou proliferação, mas desesperadamente essencial.
 
MALANDRAGEM[11]
 

Antigamente,
Tudo era diferente,
No Rio a gente era gente,
Que beleza de lugar,
Ali na Lapa ,
Tinha toda a malandragem,
Do Samba e da capoeira,
Vale a pena recordar,
A malandragem,
Não era como hoje em dia,
Havia mais poesia,
No jeito de malandrar,
O bom malandro,
De branco era boa praça,
Cantava e fazia graça,
Era um tipo popular,
Mas respeitado,
Porque bom da capoeira,
Derrubava de rasteira,
Sem nem mesmo se sujar,
E de noitinha,
Embaixo dos lampiões,
Lindas moças ruquiões
Olhavam onde passar,
Lá pelos arcos,
Desenhando de beleza,
O céu que a mãe natureza
Reservou pra esse lugar,
O céu que a mãe natureza
Reservou pra esse lugar,
O céu que a mãe natureza
Reservou pra esse lugar,
O céu que a mãe natureza
Reservou pra esse lugar,
Ê viva meu Deus
Iê viva meu Deus camará
Iê que me ajudou
Iê quem me ajudou camará
Iê viva meu Mestre
Iê viva meu Mestre camará

 

 
 

Esforço-me para acreditar naquilo que, certa ocasião, na Gamboa de Baixo[12], depois de ter “mordido uma cachaçinha”[13] com o M. Bola Sete, disse-me o mesmo amigo Pedro (do e-mail) – que curiosamente é professor, doutor, documentarista, intelectual e sei lá mais o quê: “Sempre haverá uma resistência. Por mais que a aculturação dominadora se apresente com toda a sua força, toda sua sedução, setores continuarão desenvolvendo maneiras e maneiras originais e ricas, de preservar sua identidade, de ser (existir)”. Esforço-me… muito esforço.

Benício Golfinho tem 24 anos, é branquelo, flácido, católico, não conheceu Leopoldina pessoalmente, não tem nenhum compromisso científico, trabalha com roupa social e nunca morou no subúrbio (nem dos ricos nem dos pobres). Mas agradece ao mundo descortinado pela capoeira e capoeiristas por cada segundo que joga nas rodas de rua, por ter aprendido a respeitar o samba como algo musicalmente fantástico, por cada ida ao terreiro (sem exotismo racista no olhar), por andar gingando, por não ver a “nega do balaio grande” como depósito de esperma, por negacear com o cotidiano e por todos os momentos de pura felicidade que desfrutou longe dos seus colegas e perto de seus amigos, malandramente.

 

[1] http://www.capoeirajogoatletico.com/blog/?p=627

[2] Decididamente a coincidência é só no nome, porque ele não parece com o amigo de Raulzito.

[3] Sim, porque a vontade é de dizer “Vão! Corram e procurem, façam documentários, escrevam livros sobre essa gente, ‘o tempo urge’!”

[4] Expressão aproveitada do vídeo “O País da Delicadeza Perdida” (Chico Buarque)

[5] “A capoeira é mandinga, é manha, é malícia (…)” (Pastinha)

[6] Ajamos, portanto.

[7] É evidente que louvar nostalgicamente a representavidade de tal cultura – personificada na figura pública do Mestre – não significa rejeitar os avanços da atualidade. Significa alertar que tais avanços não devem implicar na extinção absoluta daquilo que nos é mais sagrado: nossa tradição. Treinemos nas academias, mas não pensemos que para aprender capoeira só levantar bem as pernas basta.

[8] Aliás, o conceito de “técnica” na capoeira deveria ser mais estudado pelos pesquisadores, porque foi indubitavelmente com esteio nela e em suas mutações que toda a estética capoeirística foi se desenvolvendo, enquanto a capoeiragem fazia suas migrações (da clandestinidade para o Mercado Modelo dos gringos, do cais para a rua, do preto para o branco, da rua para os Balés Folclóricos, da rua para a academia, do Brasil para o mundo, do mundo para o Brasil, do Brasil multicultural para a africanidade resgatada etc).

[9] Trecho da música “Homenagem ao Malandro”, de Chico Buarque: “Eu fui a Lapa e perdi a viagem / que aquela malandragem não existe mais / Agora já não é normal o que dá de malandro regular, profissional / (…) Mas o malandro para valer, não espalha / aposentou a navalha, tem mulher e filho e tralha e tal / Dizem as más línguas que ele até trabalha / Mora lá longe chacoalha, no trem da central”

[10] “Importância” no sentido de imprescindibilidade, não de rejeição com algo em si negativo, mas apenas desnecessário.

[11] Ladainha cantada por M. Peixinho no dicos do Centro Cultural Senzala.

[12] Bairro (ou pequena comunidade) de Salvador-BA.

[13] Expressão por ele cunhada no mesmo dia.

Bahia: Sarau, Orquestra de Berimbau e Capoeira na Casa Cor

Neste sábado, 20, acontece um "Sarau Literário" na Casa Cor Bahia 2007, que este ano acontece na Associação Atlética, na Barra. O sarau terá a participação de alunos da Escola Lucinda de Poesia Viva, da atriz e poeta Elisa Lucinda. O encontro será realizado a partir das 19h, no Espaço Café Literário, da designer Tessa Tironi, juntamente com a galeria de livro. Mais informações pelo telefone 3353-0051.

No domingo, 21, no espaço Agra/Abyara do evento acontece a apresentação da Sunday Lounge Party. O espetáculo fica por conta da Orquestra de Berimbau e Capoeira do Projeto Axé, às 16h.

Os Ingressos da Casa Cor custam R$20 (preço único) e dão acesso às apresentações. Maiores informações no site do evento.

Fonte: http://www.atarde.com.br

Regional do MinC faz oficina sobre prêmio Capoeria Viva 2007

Na próxima segunda-feira (22), das 13h às 17h, a Regional Nordeste do Ministério da Cultura (MinC) realiza, gratuitamente, no Forte das Cinco Pontas, no Recife, uma oficina de capacitação e estímulo à participação no prêmio Capoeira Viva 2007, edital da Secretaria da Diversidade e Identidade Cultural (SID). O Capoeira Viva visa premiar indivíduos, organizações e instituições sem fins lucrativos cujo foco seja a promoção da capoeira como patrimônio da diversidade cultural brasileira.

O valor total da premiação será de até R$ 1, 2 milhão, a ser distribuído de acordo com os critérios estabelecidos pela comissão de avaliação (edital disponível na página www.cultura.gov.br).

O Secretário-Executivo do MinC, Juca Ferreira, explica que a política atual para o setor busca promover e valorizar a arte sem deixar de priorizar o apoio às atividades dos mestres de capoeira. "Este já é o nosso quarto edital voltado para a área. Todos eles com o mesmo objetivo: fortalecer, patrocinar, fomentar e reconhecer por meio dessa política de apoio, a importância da capoeira", afirma.

VIDEOCONFERÊNCIA
Na próxima terça-feira (30), das 14h às 18h, acontece uma videoconferência de explanação do Prêmio Capoeira Viva 2007 nas salas do Banco do Nordeste (BNB) em todas as capitais no Nordeste e em Brasília. A coordenação local será feita por Mauro Lira, da Regional Nordeste MinC. Outras Informações pelo tel. (81) 3224.5562.

Fonte: http://pe360graus.globo.com/

Portugal: Capoeira Beija-Flor & 1ª Gala GOLDNUTRITION

No passado dia 14 de Outubro a capoeira recebeu um mérito e reconhecimento muito especial, pela primeira vez a marca de suplementos nutricionais GOLDNUTRITION® atribuiu um prémio de Distinção Colectiva, por trabalho desportivo e social a um grupo de capoeira, mais propriamente ao grupo Capoeira Beija-Flor
 
Actualmente as grandes marcas e empresas ainda não olham para a capoeira como um desporto de investimento lucrativo, sendo assim reconhecimentos como este são de valorizar e de servir como um exemplo de que a capoeira é um caminho a seguir!
 
Aqui segue a notícia que relata os acontecimentos desse dia, para mais informações www.capoeirabeijaflor.com .
 
Beija-Flor, brilhou e voou ainda mais alto na 1ª Gala GoldNutrition!!

 No passado dia 14 de Outubro, a GoldNutrition realizou a sua primeira Gala onde o grupo Capoeira Beija-Flor® teve a honra de participar!

Como nós sabemos, o grupo Capoeira Beija-Flor® e a GoldNutrition caminham lado a lado já há algum tempo numa jornada em busca de melhores condições para os nossos desportistas e no incentivo do crescimento do desporto nacional!

Por isso, o nosso Professor António Oliveira não pode deixar de presentear a 1ª Gala GoldNutrition com mais um glorioso momento Beija-Flor®!!!

Pelas 13h, após uma noite de pré-preparos para a apresentação, onde todos os detalhes foram acertados, os nossos beija-flores reuniram-se à porta do Olivais Shopping Center. Adultos, crianças e jovens todos se mostraram animados e ansiosos pela noite que os esperava. Daí, seguiram rumo ao Casino Estoril, onde o grupo Capoeira Beija-Flor® teria a honra de pisar um dos mais conhecidos e conceituados palcos Portugueses! O palco do Salão Preto e Prata onde já passaram artistas de renome nacional e internacional!

Ao chegarmos deu-se início aos ensaios:

O som era ajustado para cada instrumento, as luzes adequadas aos diferentes cenários, as coreografias e alguns movimentos de capoeira a serem realizados na apresentação eram revistos, as vozes e os instrumentos eram afinados e o todo o material era devidamente tratado!

A hora da apresentação aproximava-se e, juntamente, a ansiedade crescia dentro de cada um de nós! Nos camarins, enquanto uns se iam arranjando para a grande noite, outros iam trocando ideias, aqueciam ou jogavam um pouco de capoeira.

As crianças não conseguiam conter a excitação, do momento que as esperava!

Tudo estava pronto, cenário, luzes, som, instrumentos, e os nossos desportistas devidamente vestidos e aquecidos!!

Por trás das cortinas começava-se a ouvir o murmúrio dos convidados que começavam a encher o salão. Foi, então, feita uma pequena introdução à apresentação e ao Professor Brancão.

Abrem-se as cortinas… os atabaques rufam, o surdo acompanha com as suas batidas precisas, começa-se a ouvir a batida vibrante dos paus de maculelê e os nossos guerreiros Beija-flor invadem o palco!

 "Certo dia na cabana um guerreiro, foi atacado por uma tribo para valer, pegou dois paus, deu aú, salto mortal e gritou pula menino que sou eu maculelê!"

Os movimentos eloquentes, o cenário elaborado, o som perfeito, hipnotizava o público que se mostrava mais cativado a cada batida dos paus!

O movimento, a graça e o lado teatral estavam presentes em cada passo dos nossos guerreiros cada minuto parecia ainda mais vibrante. A entrada dos facões em cena deu um brilho especial e mágico à apresentação! As faíscas libertas a cada batida iluminavam e enfeitavam o palco de uma maneira diferente e agreste retratando o lado mais forte do maculelê!

O atabaque, que tinha marcado o início da apresentação de maculelê, encerra-a também arrancando do público repleto de campeões, atletas portugueses e entidades desportivas do mais alto nível, palmas, sorrisos e a expressão de incrível admiração!

Mas o espectáculo estava longe de acabar, poucos minutos depois das cortinas fecharem, voltam a abrir mas desta vez para retratar um cenário ainda mais encantador: envolvendo o público numa junção perfeita entre o canto e o som da viola, o jogo da capoeira expressa-se de forma leve e solene, deixando passar uma imagem de beleza, de amizade e de serenidade.

Num bonito jogo onde a capoeira se exibe na sua forma mais pura e onde se vê a beleza do jogo em duas diferentes gerações, um jogo onde o encaixe dos corpos é perfeito e onde todos que assistem se arrepiam dos pés à cabeça!

Mas ainda tínhamos mais surpresas preparadas!

Poucos minutos depois as cortinas voltam a abrir. Desta vez para dar início à já tradicional roda de capoeira!

Portugal: Capoeira Beija-FlorO Professor Brancão solta a voz e repica o berimbau dando início à roda de benguela, entre um movimento e outro os mais novos dão um encanto especial à roda, os movimentos leves e o jogo rasteiro característico deste toque flui naturalmente! O público presente não consegue conter os sorrisos e a admiração pela proeza dos nossos capoeiras!

O toque sobe e o jogo alto inicia-se. As queixadas e as armadas soltam-se velozmente e com  precisão. Os movimentos de floreio retiram do público expressões de admiração que atingem o auge quando o Professor Brancão entra na roda para dar show, mostrando todo o seu domínio sobre a arte da capoeira!!! O jogo continua cada vez mais rápido e cada vez com mais axé! A bateria está no seu melhor transmitindo toda aquela energia para o público presente!

O show de solo inicia-se com os mortais e fliques a dominarem o cenário, surpreendendo todos os presentes que pareciam não acreditar naquilo que os seus olhos viam!!

No final, o Professor Brancão mais uma vez conseguiu passar um pouco da sua filosofia através de uma música à qual o público deu uma atenção especial à letra, podendo levar consigo um pouquinho dos valores do grupo Capoeira Beija-Flor®!!

Foi uma apresentação linda, o público adorou e os nossos Beija-Flores mostraram-se felizes por poderem mais uma vez fazer parte destes grandes momentos que são os momentos Beija-Flor®!!!

Mas a festa ainda continuava! Após estar tudo arrumado e todos de banho tomado e adequadamente vestidos, os beija-flores juntaram-se à gala, onde foram deliciados com um magnífico jantar que primava pelo requinte e pelo bom gosto!

A conversa decorria animadamente, as sessões de fotos já nossas tradicionais não poderiam também faltar!! A alegria era mesmo geral e o orgulho pelo trabalho previamente realizado também!

Durante o jantar deu-se início à entrega dos prémios onde os melhores atletas, as melhores equipas ao longo deste ano, as melhores carreiras foram prestigiados pelos seus feitos…

Após ter sido entregue o prémio de Distinção Individual ao campeão mundial Nelson Évora,  quando já só faltava o último prémio para entregar, vem a grande surpresa da noite: O grupo Capoeira Beija-Flor® recebe o prémio DISTINÇÃO COLECTIVA!!!

Foi impossível esconder a alegria: o sorriso e a felicidade do nosso professor Brancão era o maior prémio que nós, seus alunos, poderíamos ter! O nosso distinto premiado professor Brancão subiu ao palco para receber o prémio mais esperado da noite, seguido pelos alunos, de onde unidos, fizeram sentir cheios de orgulho um caloroso "AXÉ BEIJA-FLOR®!"

Todos estes anos o professor António Oliveira tem vivido em prol dos outros, dedicando-se ao desporto, aos seus alunos e mesmo àqueles que não lhe são próximos, colocando-os à frente de tudo, fazendo deles os seus próprios interesses!!!

Ele começou a construir sozinho a nossa casa, o nosso ninho, a nossa família Beija-Flor®! E, aparecessem as adversidades que aparecessem, nunca desistiu de nós, mostrou-se mais que um professor, mostrou-se um amigo e mostrou-se um pai para TODOS mesmo para aqueles que já têm um!

É um Homem humilde que faz o seu trabalho sem pisar ninguém, um profissional exemplar que está sempre em busca da qualidade e não da quantidade!

UM HOMEM ESPECIAL!!!

Este prémio foi apenas uma pequena parte do que ainda está para vir, apenas uma pequena parte do que o nosso Professor Brancão merece!

A noite continuou a decorrer com um sorriso de felicidade estampado no rosto de cada beija- flor, todos parabenizamos o nosso professor pela conquista, que mais uma vez mostrou a sua humildade dizendo "este prémio é nosso!".

Logo em seguida deu-se início ao espectáculo FOUR que esteve no seu melhor, mostrando a beleza da dança e da ginástica num cenário místico de natureza e eloquência!

Mesmo depois de um dia tão cansativo o nosso professor ainda ficou a conversar connosco até tarde num convívio que se não fosse o dia de trabalho e estudo que nos esperava a todos, teria seguido até não acabar mais!

Com esta noite magnífica, o grupo Capoeira Beija-Flor chegou onde nenhum grupo de capoeira em Portugal chegou. Com este prémio, o trabalho do nosso professor foi finalmente reconhecido pela comunidade desportiva em Portugal e posto ao lado das entidades desportivas federadas de mais alto nível.

Mais uma vez, só podemos agradecer ao nosso Professor por tudo que ele faz por nós, por toda a dedicação e por toda a paciência!

Aos nossos Beija-Flores fica aqui um exemplo a seguir, fica aqui um exemplo de que a capoeira pode ser muito mais que um desporto, pode ser a nossa vida, da qual podemos viver e crescer como profissionais e como seres humanos! Basta sermos dedicados, humildes e batalhadores!!!

À GoldNutrition, os nossos parabéns pela gala que esteve à altura da grande marca que é a GoldNutrition! Agradecemos também pelo reconhecimento prestado ao trabalho desportivo e social do nosso Professor Brancão e esperamos para breve mais um momento como este!

Os nossos parabéns, também, a todos os grandes atletas e amantes do desporto presentes nesta noite que, tal como o Professor Brancão, também dedicam a sua vida ao desporto com grande investimento pessoal e profissional.

São José dos Campos: Luta Olímpica e Capoeira conquistam 10 medalhas

Jogos Abertos: Luta Olímpica e Capoeira conquistam 10 medalhas

A delegação joseense começou com o pé direito no primeiro dia de competições com a conquista de dez medalhas e dois troféus nas modalidades de luta olímpica e capoeira.

Destaque do primeiro dia foi a grande conquista de medalhas pela equipe de Luta Olímpica. Alem das nove medalhas, sendo uma de ouro, três de prata e cinco de bronze a equipe de luta olímpica masculina sagrou-se vice-campeã no geral masculina e quinta colocada no feminino.

A campeã da modalidade no masculino foi a cidade de São Bernardo do Campo com o total de 39,5 pontos e São José dos Campos ficando com o vice com o total de 39 pontos.

O ouro foi conquistado pelo atleta Cláudio Calasans Camargo Jr. (categoria 74 kg), as pratas por Roberto Abreu (120 kg) e Milton Carlos Nascimento (55 kg) e os bronzes com Alexandre Santos (96 kg) e Francisco Paulo (66 kg) no masculino. A equipe feminina garantiu uma prata com Márcia Evangelista (72 kg) e três bronzes com Mariana Campos (67 kg), Ana Paula Ribeiro (55 kg) e Aline Alkmin (51 kg).

Todas as finais disputadas foram contra adversários fortes no masculino. Cláudio Calasans foi o destaque por derrotar dois atletas que fizeram parte da seleção no Pan-americano do Rio. Ele derrotou Felipe Macedo na semifinal (medalha de bronze no Pan) e sagrou-se campeão contra Renato Roma (pentacampeão brasileiro e integrante da seleção no pan), detalhe que o atleta é judoca e não lutador. Já Roberto Abreu, enfrentou na final Diego Bolonha que também é integrante da seleção brasileira. No feminino Márcia não conseguiu superar Aline Ferreira da Silva que é apenas a vice-campeã mundial júnior da modalidade.

Capoeira – As competições de capoeira também terminaram ontem com a conquista de uma medalha para a equipe feminina, que conseguiu o terceiro lugar do pódio na classificação geral feminina. Daniela Pinto da Cunha, da categoria médio, conquistou a medalha de bronze. Já a equipe masculina, que ficou em oitavo lugar em 2006, subiu dois degraus com a sexta colocação no geral final.

Estréias – No coletivo, a equipe de basquete e handebol feminino mais a modalidade de damas venceram seus primeiros adversários. No basquete a vitória foi sobre Franca com o placar de 51 x 39, o handebol venceu Santo Antonio da Alegria por 41 x 11 e a dama venceu Mauá por 18 x 2. As competições de ginástica rítmica tiveram início hoje com as provas de cordas e mãos livres no individual, nesta quinta acontece à prova de conjunto três arcos e duas bolas para então serem conhecidas as campeãs da modalidade.

Nesta quinta-feira estréiam em Praia Grande as modalidades de ciclismo, bocha, judô, handebol e basquetebol masculino.

Acompanhe as notícias de São José nos Jogos Abertos, aqui:
http://www.sjc.sp.gov.br/sel/2007_jogosabertos

Nota de Falecimento: Mestre Leopoldina

 

Mestre Leopoldina, faleceu no dia de hoje (17/10/2007), ás 16:30h na cidade de São José dos Campos-SP.

 

Nossos mais profundos e sinceros sentimentos a todos os familiares e amigos do Mestre Leopoldina, que com certeza deixará saudades em nossa capoeiragem, pois acabou de dar a sua "Volta ao Mundo"…

 

Fica com Deus Mestre… e com todos os camaradas que já estão te esperando para "Vadiar" ai no céu…

Com certeza é mais uma importante peça deste mundo de meu Deus que irá deixar muita saudade para a Capoeira carioca, do Brasil e do Mundo.

Mestre Leolpoldina, descanse em PAZ…

 

Da Rod@ Virtual, através do Mestre Jeronimo chega a triste notícia de que o Grande Mestre Leopoldina, está passando por um momento muito delicado e que seu estado de saúde é bastante delicado.

Desejamos do fundo do coração e com toda a energia que a capoeira pode manifestar e dissiminar as melhoras ao mestre da "fina flor da malandragem" e muita força para os familiares e amigos mais próximos… nesta etapa complicada e tortuosa da estrada da vida…

usem os comentários para fazer uma corrente de energia positiva e boas vibrações para a melhora do nosso LEO – Mestre Leopoldina.

Luciano Milani


 

Olá, Mestre Jerônimo, sei que o senhor tem contato com muitos capoeirista e divulga diverssos assuntos sobre a capoeira, gostaria que se possível o senhor divulgasse uma notícia que é muito importante, não sei o senhor sabe mas o Mestre Leopoldina está muito mal de saúde já fazem 02 meses, ele está internado em um hospital em São José dos Campos, ficou praticamente um mês na UTI, ele sofreu um derrame e está com uma discompensação de diabetes, hoje ele não está andando nem falando, o quadro clínico dele esta semana piorou um dos rins parou e perdeu visão de um olho, quem quiser saber infomrações sobre ele ligue para (12) 39131188, fale com o Mestre Zé Carlos – Tinta-Forte ou com a filha do Mestre Leopoldina a Sandra que estão cuidando dele aqui na cidade de São José dos Campos SP.

Obrigada!

Daniela Cunha

 

 


 

Tive a honra de conhecer o inesquecível Mestre Leopoldina em meu primeiro contato com a capoeira, quando produzi o filme de Antonio Carlos da Fontoura, CORDÃO DE OURO. Ali estavam alguns dos maiores nomes da capoeira de hoje mas houve um, que foi com quem mais me relacionei, por pura simpatia e facilidade de comunicação, pela parte dele, que foi justamente o Mestre Leopoldina. Me lembro muito das nossas conversas sobre a vida e a capoeira, embora desta última eu nada soubesse e da primeira, hoje entendo que nada sabia. Foi meu primeiro encontro com um Mestre de capoeira e por isso ouso dizer, embora não pratique essa linda arte, que Mestre Leopoldina foi meu mestre. Foi ele quem primeiro me falou de capoeira, em um filme que eu havia entrado a pedido de um amigo e que hoje me orgulho de ter estado nele. Mais tarde conheci Bimba, o que muito me emocionou. Mas o conheci apenas pela voz dos corações e mentes que haviam sido tocados por ele. Com Leopoldina foi diferente. Por isso, no dia que o meu filme MESTRE BIMBA, A CAPOEIRA ILUMINADA estava estreando, no FESTIVAL DO RIO, foi uma visão maravilhosa para mim, do palco, ver chegando na platéia o meu Mestre, graças a Deus a tempo de eu poder vê-lo e homenageá-lo. Agora sim, a sessão podia começar. MESTRE LEOPOLDINA, que você tenha muita força para superar essas difíceis horas. Queremos tê-lo de volta às rodas mas, se esse não for o seu destino, saiba que o que você fez aqui na terra não será esquecido. Todos teremos para sempre um pouco de você que ficou no CORDÃO DE OURO e no lindo filme da ROSE LACRETTA. Mas a sua maior parte estará nos corações de todos os capoeiristas, também para sempre.


Um forte abraço, meu Mestre


Luiz Fernando Goulart

 


 

 

Assim como o amigo rogo para que o mestre, por quem nutro profunda admiração, tenha força neste difícil momento. E que as forças superiores possam auxiliá-lo e orientá-lo.

 
 

Saudade/RJ


Pessoal,

Acabei de ligar pro BR, falei com o Mestre Ze carlos, (12) 39131188, ele me relatou que o estado do Mestre Leopoldina eh final, esta nas ultimas.

Espero que o Mestre melhore, mas, se esta sofrendo, que Oxala o tenhaem bom tempo.

Sarava meu amigo, Leo, Mestre Leopoldina, obrigado pela tua Vida, a Capuera!

Axe’ pra quem fica, Axe’ pra quem vai!

Mestre Jeronimo

O Mestre Leopoldina, faleceu no dia de hoje (17/10/2007), ás 16:30h na cidade de São José dos Campos-SP.

 

 

Aconteceu Macaé /RJ: I ENFECAP MACAENSE

Aconteceu nos dia 27,29 e 30 de setembro em Macaé /RJ o I ENFECAP MACAENSE

I encontro feminino de capoeira, com cursos, palestras, coquetel e música ao vivo para a mulherada e muita capoeira.

Teve também o I jogos Feminino de capoeira.

Compareceram ao evento os grupos: Abada capoeira, Chapéu de couro, Elite carioca, SBC, Cruzeiro do Sul, Capoeira Brasil, Eu Capoeira, Raízes de Aruanda, Beira do Cais, elite Brasil Capoeira, Angonal Capoeira, Gicap.

Classificação nos jogos

Categoria A

1º Clara (Bebê) SBC – Sistema brasileiro de capoeira
2º Gisele (Beterraba) Capoeira Brasil
3º Tamires SBC – Sistema brasileiro de capoeira

Categoria B

1º Vanessa Santiago – Escola de capoeira Beira do cais
2º Eloísa – Escola de capoeira Beira do cais
3º Índia – Afroart-Brasil Capoeira

Categoria Graduadas

1º Andressa( De miojo) Afroart-Brasil Capoeira
2º Vanessa ( Merendinha) Afroart-Brasil Capoeira
3º Arisca Elite carioca capoeira

Categoria Monitoras/Instrutoras e Professora

1º Professora KIKI – Afroart-Brasil Capoeira
2º Monitora Trakina – Gicap
3º Instrutora Preguiça Elite Carioca capoeira
4º Instrutora Daniele Leite – Angonal capoeira

Mestres Presentes

Mestre lingüiça Capoeira Brasil /RJ
Mestre Montana Cruzeiro do sul/RJ
Mestre Jackson
Mestre Tão Eu capoeira /RJ
Mestre Sambureco – Sistema brasileiro de capoeira

I ENFECAP MACAENSE

Contramestres

Bahia Sistema brasileiro de capoeira
Corisco Elite Carioca

Professores/instrutores/monitores/graduados

KIKI – Afroart-brasil
capoeiraPreto – Afroart-brasil capoeira
Ordack – Afroart-brasil capoeira
Batmam – Escola de capoeira Beira do cais
Buchudo – Escola de capoeira Beira do cais
Pit Boy – Eu capoeira
Ninja – Afroart-brasil capoeira
Mais novo – Afroart-brasil capoeira
Kong – Elite Carioca capoeira
Nego – Sistema Brasileiro de capoeira
Pacato – Afroart-brasil capoeira
Q.humano – Afroart-brasil capoeira
De- miojo – Afroart-brasil capoeira
Bolado – Afroart-brasil capoeira
Campeiro – Afroart-brasil capoeira
Bacum – Afroart-brasil capoeira
Arisca – Elite carioca capoeira
Preguiça – Elite Carioca capoeira
Papel –
Angélica
Trakina – Gicap
Big boy – Afroart-brasil capoeira
Merendinha – Afroart-brasil capoeira
PC – Escola de capoeira Beira do cais
Topete – Escola de capoeira Beira do cais

Patrocínio
Sindtob

Apoio Corporativo
Petrobrás

Organização: Prpfª KIKI
Supervisão: Mestre Grande
Realização :Afroart-Brasil Capoeira
Visite :
www.afroartbrasilcapoeira.com.br
E-mail Afroartbrasilcapoeira@hotmail.com
Orkut : Afroart-Brasil

Nota de Falecimento: Mestre Pernambuco

Nação Capoeira,

Repassando mensagem consternada de mestre Mintirinha, com pesar, informamos o falecimento do mestre Pernambuco, Marco Antônio Domingues Galvão, acometido de um aneurisma cerebral.

Conforme notícia veiculada em 20 de setembro de 2007, no Capoeira Jogo Atletico e no Portal Capoeira, mestre Pernambuco estava internado no Hospital Geral de Bonsucesso, no Rio de Janeiro/RJ, Brasil – leito 01, quarto 414.

O corpo de mestre Pernambuco será inumado hoje, sexta-feira, 12 de outubro de 2007, às 15:00h, no Cemitério de Inhaúma, no Rio de Janeiro/RJ, Brasil .

Tristes saudações pela perda,

Iê capoeira!!!

Cabo Verde: Mestre carlos Xexeu e Festival Internacional de Capoeira

Cabo Verde acolhe Festival Internacional de Capoeira

Cerca de 500 capoeirist as de Cabo Verde, do Brasil, da Espanha e da Alemanha participam de 12 a 17 de Outubro na ilha cabo-verdiana de São Vicente no III Festival Internacional de Capoeira.

 

O festival, uma iniciativa da academia de capoeira Liberdade de Expressão do mestre brasileiro Carlos Xexeu, visa a troca de experiências entre os capoeiristas.

Durante o evento serão realizadas mesas redondas para debate dos fundamentos da capoeira, projectados filmes sobre a modalidade e organizadas palestras e rodas de rua.

 
Com a presença de mestres brasileiros, a capoeira vem ganhando expressão em Cabo Verde onde já existem diversas escolas desta disciplina que mistura desporto, luta, dança, cultura popular, música e brincadeira.
 
A capoeira é uma expressão cultural desenvolvida por escravos africanos e pelos seus descendentes, sobretudo de Angola, levados ao Brasil.