Blog

Novembro 2007

Vendo Artigos de: Novembro , 2007

Florianópolis é sede do 2º mengalhos de capoeira

Nos dias 30 de novembro e 01 e 02 de dezembro, será realizado o 2º Mangalhos de Capoeira, em Florianópolis, que consolidará o processo de integração praticado pela Confraria Catarinense de Capoeira, Núcleo MOVER/CED/UFSC, Casa da Criança e do Adolescente do Morro do Mocotó – ACAM e Centro de Educação Complementar – CEC Itacorubi/Morro do Quilombo e diversos grupos de Capoeira de Santa Catarina e Paraná.

O 2º Mangalhos de Capoeira mobilizará significativo número de praticantes de capoeira, educadores, pesquisadores, crianças das comunidades empobrecidas e contribuirá para democratização das relações entre grupos, abrindo possibilidades para novas formas de integração sócio-político-cultural.

O Mangalhos de Capoeira prevê uma participação de aproximadamente 150 pessoas e contará ainda com a participação de vários capoeiristas de Santa Catarina, Paraná e de outros estados. Como é o caso do Mestre Corisco fundador e líder do Grupo de Capoeira Chapéu de Couro. “É atualmente o grupo mais antigo ainda em atividade Recife Pernambuco“, lembra professor Bruno. O mestre Corisco é responsável pelas atividades de capoeira na UNICAP (Universidade Católica de Pernambuco) “O mestre Corisco se propõe a contribuir com a disseminação da capoeira, como manifestação de raízes populares e uma prática de educação não formal dentro do espaço acadêmico”, explica.

Fonte: http://correiodailha.com.br

 

Programação:

30 de novembro: Apresentação de Capoeira
Local: Praça em frente a Assembléia Legislativa.
Horário: das 14h às 16h.
Grupo: Comunidade do Morro do Mocotó
1 de dezembro: Apresentação de Capoeira
Local: Centro de Educação Complementar – CEC – Itacorubi
Horário: 9h às 12h.
Grupo: Itacorubi
2 de dezembro: Apresentação de Capoeira
Local: Morro do Quilombo
Horário: das 14h às 16h.
Grupo: Comunicade do Morro do Quilombo

Dezembro: Homenagem aos 90 anos de Mestre João Pequeno de Pastinha

Em Homenagem aos 90 anos de mestre João Pequeno e aos 75 anos dedicados a capoeiragem, o Portal Capoeira propõem: Dezembro: Homenagem aos 90 anos de Mestre João Pequeno de Pastinha.

Selecionamos diversas matérias e artigos relacionados com o Grande Mestre e disponibilizamos uma lista para voce ler e conhecer mais sobre este ícone da capoeira.

Outra dica interessante é visitar a CapoWiki e ler a Biografia do Mestre João Pequeno.

 

Uma homenagem aos noventa anos de vida e setenta e cinco anos de capoeira do "Grande" Mestre João Pequeno de Pastinha Noventa anos não é brincadeira,…
29 de novembro de 2007

 

2. Minc destina R$1,2 milhão para projetos de capoeira
(Capoeira/Notícias – Atualidades)
Ministério da Cultura lança edital, homenageia João Pequeno e anuncia bienal na Bahia O Ministério da Cultura (Minc) lançou, ontem pela manhã, o novo …
10 de outubro de 2007

 

1º FESTIVAL DE CAPOEIRA ANGOLA Academia de Capoeira Angola de Mestre João Pequeno de Pastinha Temos o enorme prazer de convidar a toda a comunidade capoeiristica para este evento …
15 de julho de 2007

 

4. Filme homenageia Mestre João Pequeno
(Capoeira/Notícias – Atualidades)
O mestre baiano, doutor em capoeira angola pela UFU, tem história recontada Mestre João Pequeno é baiano de nascença. Foi em Salvador que aprendeu tudo o que sabe …
26 de janeiro de 2007

 

5. Menino, quem foi teu mestre?
(Capoeira/Semana Decanio)
…a Sete, Itapoan e Canelão. A meninada do Projeto Camaradinhas, a alegria de Pangolim. Visitas ao Mestre João Pequeno, as conversas entre Decanio e ele. Vozes mansas falando de casos bravos, sabedoria …
10 de fevereiro de 2006

 

… filme é dividido em três momentos: a história da capoeira, com relatos dos mestres antigos, entre eles João Grande e João Pequeno, este ainda residente no Brasil; o fluxo ou ida dos capoeiristas para…
25 de janeiro de 2006

 

7. Andre Luiz Lacé Lopes: ATLAS – Capoeiragem
(Capoeira/Publicações e Artigos)
…re capoeira foi publicado posteriormente sobre a sigla ODC. 1908 Ano da primeira edição de RIO, João do (João Paulo Barreto). A alma encantadora das ruas. Rio de Janeiro: Secretaria Municipal …
10 de janeiro de 2006

 

… ainda do lundu; as músicas do esquenta-mulher e dos barbeiros; a literatura oral negra do ciclo do Pai João, das cantigas de ninar e dos adágios populares; a escultura, como a estatuária fantástica, …
12 de dezembro de 2005

 

9. História da Capoeira no Brasil
(Capoeira/Publicações e Artigos)
…ernador de Pernambuco socorreu-o tarde demais, apenas a tempo de executar sumariamente os conspiradores João Mulato, Canhongo e Gaspar. Os sobreviventes da triste experiência da secessão de Palmares f…
10 de novembro de 2005

 

10. Livro : Pedro Abib
(Capoeira/Publicações e Artigos)
…mento será realizado também o debate "Os Saberes da Capoeira Angola" com a presença do Mestre João Pequeno de Pastinha, do pesquisador Frede Abreu e do autor do livro em tela. Neste t…
02 de novembro de 2005

 

…kl Sperber, coordenadora do LUME e o aprendizado cotidiano com mestre Jogo de Dentro formado por mestre João Pequeno de Pastinha iluminaram o caminho. A op…
09 de outubro de 2005

 

12. DOCUMENTARIO MANDINGA EM MANHATTAN
(Capoeira/Notícias – Atualidades)
PROJETO E ROTEIRO DE LUCIA CORREIA LIMA (ALUNA DE JOÃO PEQUENO) E DIREÇÃO DE LAZARO FARIA COM CONSULTORIA DE MESTRE COBRINHA DE MORAES SERÁ LANÇADO EM PHILADELFIA 18,19 E 20 DE OUTUBRO MESTRE JOÃO
21 de setembro de 2005

 

…dinga, de 24 a 27 do corrente, um evento que contou com oficinas dos mestres De Mola, Capixaba, Valmir, João Pequeno, Lua Rasta, Sabiá, além do Samba-de-Roda com Nalvinha, da oficina de berimbau com C…
19 de setembro de 2005

 

… 1983. Como percussionista, acompanhou e participou de gravações de renomados artistas tais como João Donato, Tom Zé, Pena Branca & Xavantinho, Renato Teixeira, Zé Ketti, Walter Franco, Ine…
18 de agosto de 2005

 

…stre Pastinha, e a "Capoeira de Hoje" Mestre Bola Sete: Tem uma frase de Mestre João Pequeno que sintetiza tudo isso… ele diz o seguinte: "A capoeira Antiga era menos ag…
31 de julho de 2005

 

16. Cronologia de documentos históricos
(Capoeira/Curiosidades)
…;Os namoros no Rio", a luxuosa revista publica um artigo sobre a capoeira, ilustrado por Kalixto. João do Rio, "Presepes", 1907 (in A Alma encantadora das ruas, Rio de Janeiro:Garnier…
16 de julho de 2005

 

17. Mestre Jogo de Dentro
(Capoeira/Mestres)
…de 1965. Ingressou na Capoeira Angola em 1982, no Forte Santo Antônio (Salvador – BA) na Academia do M. João Pequeno de Pastinha. Depois de um ano foi batizado pelo M. João Grande, de quem recebeu o a…
05 de julho de 2005

 

18. Livro sobre Capoeira Angola
(Capoeira/Publicações e Artigos)
…ecém-lançado, versando sobre Capoeira Angola & Cultura Popular, de autoria de Pedro Abib (Pedrão de João Pequeno de Pastinha). Capoeira Angola: cultura popular e o jogo dos saberes n…
22 de junho de 2005

 

19. A Nova História
(Capoeira/Capoeira Mulheres)
…m? O quê nos leva à capoeira são os mesmos motivos que levaram os homens. Mais uma vez citarei o Mestre João Pequeno: “As mulheres tinham um corpo humano, assim como o dos homens e sentem a mesma cois…
11 de abril de 2005

 

20. A FASCINANTE ANGOLA… de PASTINHA À MORAES
(Capoeira/Publicações e Artigos)
…ca foi dada como prática em extinção). Claro, nomes como Cobrinha Verde, Waldemar de Corta Braço, João Grande, João Pequeno, Caiçara, Canjiquinha, Gato Preto, Paulo dos Anjos, Curió e tantos out…
06 de abril de 2005

 

21. A saga do Negro Capoeira
(Capoeira/Publicações e Artigos)
…amba e Porto da Barra), Mestre Dendê (Mus-e e Oficina da Capoeira), Participou de um vídeo sobre Mestre João Pequeno a convite do Mestre Barba Branca. Fez um clip no Pelourinho Cantando "D…
31 de março de 2005

 

22. Ministério da Cultura destina R$1,85 milhão à capoeira
(Capoeira/Notícias – Atualidades)
…res Boca Rica, Boinha, Brandão, Cafuné, Curió, Decânio, Diogo, Geni, Gerson, Quadrado, Gigante, Itapuã, João Pequeno, José Bonitinho, Lua de Bobó, Marinheiro, Moraes, Nenel, Olavo, Pelé da Bomba, Virg…
31 de março de 2005

 

23. Entrevista com Mestre Brasília
(Capoeira/Publicações e Artigos)
…dar salto mortal na roda de capoeira, bonito, mas engrenado, um dentro do movimento do outro. Vi também João Grande e João Pequeno jogando no chão, e não era essa Angola que hoje o pessoal diz: ”isso …
25 de fevereiro de 2005

 

24. As três Estrelas de Angola
(Capoeira/Publicações e Artigos)
…de Pastinha e seus principais seguidores, desde logo aprendi a admirar o jogo expressivo dos dois "Joãos", diferenciados em "Grande" e "Pequeno’ em paralelo físico, apesar de …
21 de fevereiro de 2005

 

25. Entrevista Contra Mestre Janja
(Capoeira/Capoeira Mulheres)
…ela USP, onde atualmente realiza seu doutorado. "Se você pensar a geração de Mestre João Grande, de Mestre João Pequeno, de Mestre Curió, eles não tiveram acesso às formas oficiais…
14 de fevereiro de 2005

 

26. Livro:Mestre João Pequeno Uma Vida de Capoeira
(Capoeira/Publicações e Artigos)
… Rio Claro pela leitura, sugestões e críticas. O livro nada mais é, que os manuscritos que uma aluna de João Pequeno fez, ouvindo o mestre. Meu trabalho foi organizá-lo. A vontade do mestre João Peque…
11 de fevereiro de 2005

 

27. Livros
(Capoeira/Publicações e Artigos)
É luta, é dança, é Capoeira Mestre João Pequeno – Uma vida de Capoeira Capoeira Angola na Bahia A balada do noivo-da-vida e veneno da madrugada Roberto Freire Revista Liberdade Luiz Augusto N
24 de janeiro de 2005

 

28. Graduação
(Capoeira/Publicações e Artigos)
…apoeirista sempre é chamado por um apelido que é dado na roda. Foi assim que ficaram famosos os mestres João Gande, João Pequeno, Cobrinha Verde, Camisa e Canjiquinha. Esse nome de guerra é dado gera…
11 de janeiro de 2005

 

29. Mestre João Pequeno
(Capoeira/Mestres)
Mestre João Pequeno João Pereira dos Santos, aluno de mestre Gilvenson e depois discípulo de Mestre Pastinha, de quem se tornou continuador. Integrou em 1966 a delegação brasileira no Premier Festiv
23 de dezembro de 2004

 

30. Os cânticos
(Capoeira/Musicalidade)
…capoeira com o surgimento das academias, entre 1930 e 1940. Segundo depoimentos de velhos Mestres, como João Grande e João Pequeno, antigamente dava-se mais enfâse ao som dos instrumentos da capoeira …
31 de outubro de 2004

 

Muito mais do que um encontro de "capoeiras" o III Encontro Cultura de Raiz – “Lapinha – Museu Vivo no Mês da Abolição” vem com uma proposta de revaloriza&cce
26 de maio de 2006

 

32. Programação do II Encontro de Capoeira Angola
(Arquivado/Capoeira/Eventos – Agenda)
Grupo João Pequeno de Pastinha em Campinas-SP 07/07 a 10/07 de 2005 07/07 (quinta) 18:00h – 21:00h: Coquetel e confraternização com os Mestres participantes – Roda 08/07 (sexta) 10:00h –
05 de julho de 2005

 

33. 15º ENCA – Encontro Nacional de Capoeira
(Arquivado/Capoeira/Eventos – Agenda)
…inkas Samuca Burguês Cavalo Pavão Peixinho Moreno Muambeiro Sapo PIAUÍ Albino Maisena Esquerdinha Grilo João Raimundo Cícero OBS.: Todos os Mestres ou C/Mestres estarão automaticamen…
28 de maio de 2005

 

34. Semana Mestre Pastinha
(Arquivado/Capoeira/Eventos – Agenda)
Academia de Mestre João Pequeno promove semana comemorativa em homenagem à Mestre Pastinha Academia João Pequeno de Pastinha Centro Esportivo de Capoeira Angola Direção: Mestre João Pequeno &nb
05 de abril de 2005

 

35. Encontro Internacional de Capoeira Angola
(Arquivado/Capoeira/Eventos – Agenda)
Academia João Pequeno de Pastinha promoverá evento em Julho de 2005 Encontro Internacional de Capoeira Angola Grupo de Capoeira Angola João Pequeno de Pastinha Roda com os Mestres da Bahia
15 de março de 2005

 

36. Mestre João Pequeno comemora 87 anos
(Arquivado/Capoeira/Notícias – Atualidades)
João Pequeno: "Vou passar à vida eterna jogando capoeira" "Ainda faço uma demonstração se precisar", desafia um dos mais importantes discípulos de mestre Pastinha e ícone da capoe
29 de janeiro de 2005

 

37. Academia de João Pequeno de Pastinha CECA
(Diretório de Academias Portal Capoeira)
espero que esteja a gosto de todos . SEJAM BEM VINDOS Academia de João Pequeno de Pastinnha Centro Esportivo de Capoeira Angola
11 de outubro de 2007

 

38. Grupo de Capoeira Malta Nagoa
(Diretório de Academias Portal Capoeira)
…Treinel desde de 1996. Recebi a essa graduação na academia do Mestre Pé de Chumbo na presença de Mestre João Pequeno, Mestre Ciro, Mestre Fernando, meu Professor Guimes e toda a galera que estava pres…
04 de agosto de 2007

 

39. Academia de João Pequeno de Pastinha – Centro Esportivo de Capoeira Angola – Rio Vermelho
(Bookmarks:Galeria de Sites Portal Capoeira / Recomendados pelos usuários)
A Academia de João Pequeno de Pastinha – Centro Esportivo de Capoeira Angola/ Rio Vermelho é uma Organização Não Governamental, sem fins lucrativos, cujo diretor-pre
04 de novembro de 2007

Uma homenagem aos noventa anos de vida e setenta e cinco anos de capoeira do “Mestre João Pequeno”

Uma homenagem aos noventa anos de vida e setenta e cinco anos de capoeira do "Grande" Mestre João Pequeno de Pastinha

Noventa anos não é brincadeira, é história…

Em 27 de dezembro 1917 nasceu em Araci no interior da Bahia João Pereira do Santos, filho de Maria Clemença de Jesus, ceramista e descendente de índio e de Maximiliano Pereira dos Santos cuja profissão era vaqueiro na Fazenda Vargem do Canto na Região de Queimadas. Aos quinze anos (em 1933) fugiu da seca a pé, indo até Alagoinhas seguindo depois para Mata de São João onde permaneceu dez anos e trabalhou na plantação de cana de açúcar como chamador de boi, então conheceu Juvêncio na Fazenda são Pedro, que era ferreiro e capoeirista, foi aí que conheceu a capoeira.

Aos 25 anos, mudou-se para Salvador, onde trabalhou como condutor (cobrador) de bondes e na construção civil como servente de pedreiro, pedreiro, chegando a ser mestre de obras. Foi na construção civil que conheceu Cândido que lhe apresentou o mestre Barbosa que era um carregador do largo dois de julho, Barbosa dava os treinos, juntava um grupo de amigos e nos finais de semana ia nas rodas de Cobrinha Verde no Chame-chame.

Inscreveu-se no Centro Esportivo de Capoeira Angola, que era uma congregação de capoeiristas coordenada pelo Mestre Pastinha.

Desde então, João Pereira passou a acompanhar o mestre Pastinha que logo ofereceu-lhe o cargo de treinel, isso foi por media de 1945, algum tempo depois João Pereira tornou-se então João Pequeno.

No final da década de sessenta quando Pastinha não podia mais ensinar passou a capoeira para João pequeno dizendo: “João, você toma conta disto, porque eu vou morrer mas morro somente o corpo, e em espírito eu vivo, enquanto houver Capoeira o meu nome não desaparecerá”.

Na academia do Mestre Pastinha, João Pequeno ensinou capoeira a todos os outros grandes capoeiristas que dali se originaram e mais tarde tornaram-se grandes Mestres, entre eles João Grande, que tornou-se seu Grande parceiro de jogo, Morais e Curió.

Foi aconselhado pelo Mestre Pastinha a trabalhar menos e dedicar-se mais a capoeira. Embora pensasse que não passaria dos 50 anos percebeu que viveria bem mais ao completar tal idade.

Tendo que enfrentar a dureza da cidade grande João Pequeno também foi feirante, e carvoeiro chegou a ser conhecido como João do carvão, residiu no Garcia, e num barraco próximo ao Dique do Tororó.

Sua primeira esposa faleceu, mas, um tempo depois conheceu Dona Mãezinha no Pelourinho, nos tempos de ouro da academia de seu Pastinha, constituíram família, e com muito esforço construíram uma casa em fazenda Coutos, Lá no subúrbio, bem longe do Centro onde foram morar e receber visitas de capoeiristas de várias partes do mundo.

Para João Pequeno o capoeirista deve ser uma pessoa educada “uma boa arvore para dar bons frutos”. Para quem a capoeira é muito boa não só para o corpo que se mantém flexível e jovem, mas também para desenvolver a mente e até mesmo servir como terapia, alem de ser usada de várias formas, trabalhada como a terra, pode-se até tirar o alimento dela.

João Pequeno vê a capoeira como um processo de desenvolvimento do indivíduo, uma luta criada pelo fraco para enfrentar o forte, mas também uma dança, cuja qual ninguém deve machucar o par com quem dança, defende a idéia que o bom capoeirista sabe parar o pé para não machucar o adversário.

Algum tempo após a morte do mestre Pastinha, em 1981, o mestre João Pequeno reabre o Centro Esportivo de Capoeira Angola no Forte Santo Antônio Alem do Carmo(1982), onde constitui a nova base de resistência, onde a capoeira angola despontaria-se para o mundo, embora encontrando várias dificuldades para manutenção de sua academia, conseguiu formar alguns mestres e um vasto numero de discípulos.

Na década de noventa houve várias tentativas por parte do governo do estado em desocupar o forte Santo Antônio para fins de reforma e modificação do uso do forte, paradoxalmente em um período também em que foi amplamente homenageado recebendo o titulo de cidadão da cidade de Salvador pela câmara municipal de vereadores, Doutor Honoris Causa pela universidade de Uberlândia, e Comendador de Cultura da República pelo Presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
Mestre João Pequeno ”É uma doce pessoa” é o que afirmam todos que tem a oportunidade de conhecer o Mestre João Pequeno, cuja simplicidade, a espontaneidade e o carisma seduz a todos que vão até o Forte Santo Antonio conferir suas rodas, é um bricalhão, mas que também não deixa de dar uma baquetada nos que se exaltam e esquecem dos fundamentos da brincadeira e da dança.

A festa anual comemorativa de seu aniversário é um verdadeiro evento espontâneo da capoeira, onde se realiza uma grande roda,com a participação de vários mestres e membros da comunidade capoerana.

Alem de ser de impressionar a todos que tem a oportunidade de vê-lo jogar com a sua excelentíssima capoeira e mandigagem, João Pequeno destaca-se como educador na capoeira, uma autoridade maior na capoeiragem de seu tempo, um referencial de luta e de vida em defesa da nobre arte afrodescendente.

Bibliografia:
Santos, João Pereira dos. Mestre João Pequeno, Uma vida de Capoeira.

Leias Mais…

SEMINÁRIO:

90 Voltas ao Mundo de Capoeira e Sociedade.

Programação:

Nos finais de semana do mês de dezembro, dias 1, 7, 15, 22 serão promovidas atividades que evidenciem a importância da capoeira na cultura brasileira, e sua expansão por todos os continentes, pontuando a contribuição do Mestre João Pequeno de Pastinha neste fenômeno histórico cultural brasileiro. Culminando com a tradicional roda de capoeira e os parabéns no dia 27 do mesmo mês, em homenagem ao seu aniversário.

1º final de semana, dia 1° de dezembro de 2007.

As mulheres homenageiam João Pequeno, falando de nascimento “O natal de João”:

13:00 – Abertura da exposição Fotográfica em homenagem aos 90 anos de vida e 75 anos de capoeira de João Pequeno de Pastinha. De 1º de dezembro de 2007 a 30 de janeiro de 2008.

13:15 as 14:00 – Banda Didá canta Hino Nacional e outras canções.

14:00 as 14:20 – Recital performático com o grupo Importúnio Poético – Nascimento;

14:20 – Homenagem a Srª. Edelzuita, popularmente Dona Mãezinha, esposa do mestre João Pequeno – Uma heroína ao lado de um herói a mais de quarenta anos.

14:25 as 16:00 – Seminário:

Tema: Gênero e capoeira, a mulher na capoeiragem nos tempos passado e atual.

Compondo a mesa Janja Araujo, Adriana Albert Dias e Christian Zonzon.

Mediadora – -Janja Araújo – Mestra em história

14:25 as 15:00 – expositora –Adriana Albert – Mestra em história.
15:00 as 15:30 – expositora – Christian Zonzon – Mestra em sociologia.
15:30 as 16:00 – aberto a questionamentos e esclarecimentos da platéia.

16:00 as 17:00 Roda de Mulheres – 90 voltas ao mundo de João.

17:15 as 18:00 – Alice de Sanayá – Canções para ninar o Menino João Pequeno;
19:00 Tradicional roda de capoeira – sob o comando do mestre João Pequeno

2º final de semana, dia 7 de dezembro de 2007.

13:00 as 15:00 – Workshop de sons e ritmos da berimbau ( Aranha e Nani).

15:00 as 17:00 – Seminário

Tema: Diversidade Cultural

Composição da mesa: Jorge Conceição, Pedro Abib, Sérgio Guedes.

Mediador: Jorge Conceição
15:00 as 15:40 – expositor – Pedro Abib. – Doutor em História,
15:40 as 16:00 – intervenção da platéia
16:00 as 16:40 – expositor – Sérgio Guedes.
16:40 as 17:00 – intervenção da platéia

17:15 as 18:00 – Apresentação do Grupo de Samba Botequim.

19:00 Tradicional roda de capoeira – sob o comando do mestre João Pequeno.

3º final de semana, dia 15 de dezembro de 2007.

13:00 as 15:00 – Workshop de toque e arranjos com o pandeiro.
Músico Naoya Sawada.

15:00 as 17:00 – Seminário

Tema: Capoeira, economia e turismo étnico
Composição da mesa: Luiz Vitor, Billy Arquimimo, Mestre Moraes.

Mediador: Luiz Vitor Castro:
15:00 as 15:40 – Billy Arquimimo – ( Secretaria de Turismo étnico).

15:40 as 16:00 – Aberto a questionamentos e esclarecimentos.

16:00 as 16:40 – Mestre Moraes (Grupo GCAP- Grupo de Capoeira Angola Pelourinho).

16:40 as 17:00 – Aberto a questionamentos e esclarecimentos.

*Exibição do Filme cultural.
19:00 Tradicional roda de capoeira – sob o comando do mestre João Pequeno.

4º final de semana, dia 22 de dezembro de 2007.

13:00 as 15:00 – Workshop de confecção de caxixi- Com os professores Aranha e Zoinho.

Tema:
Onde está o capoeira e a capoeira:

Composição da mesa: representações da academia e dos núcleos de formados do Mestre João Pequeno:
Academia de AJPP- CECA – Forte Santo Antonio, Núcleo de Pernambués – Mestre Ciro, Núcleo do Rio Vermelho – Mestre Faísca.

14:00 as 14:40 – Nas revoltas e lutas Nacionais, *Enfatizando na Independência da Bahia;- AJPP

14:40 as 15:00 – Questionamentos e esclarecimentos

15:00 as 15:40 – Nas festas e manifestações populares nacionais. – década de 30 a 60. –
Núcleo de Pernambués

15:40 as 16:00 – Questionamentos e esclarecimentos.

16:00 as 17:40 – Na ascensão social do negro (afro descendente).- Núcleo do Rio Vermelho

17:40 as 18:00 – Questionamentos e esclarecimentos

185:00 – Mostra de sons e ritmos do resultado do Workshop.

19:00 Tradicional roda de capoeira – sob o comando do mestre João Pequeno.

27 de dezembro Aniversário do Mestre João Pequeno.

15:00 15:10 – Abertura – Noventa Voltas ao mundo de capoeira e mandinga – Na trilha do Cobra Mansa que rasteja pelo chão, esse mestre João.

Compondo a mesa João Pequeno, Aranha (Isac Damasceno), Zoinho (Everaldo) Cristiane Miranda (Nani).

15:10 as 15:20 – Exposição dos objetos da oficina de reciclagem (todos os educandos envolvidos no processo de formação de todas as oficinas). Responsável: Nildes Sena / Elaboração – toda a equipe pedagógica.

15:20 – 16:00 – Poesia – (crianças, adolescentes e jovens) – Recital performático – Criação coletiva. _ Direção: Lutigarde Oliveira – Célia Alves.

16:00 as 30 Teatro – (adolescentes e jovens) Nasceu pra ser Doutor – Texto e Direção: Nildes Sena/ Coreografia Alexandre Moraes; Figurino: Nildes/Alexandre.

16:30 as 17:00 – Mostra de Sons e ritmos de berimbau: (Adolescentes) – Direção e concepção Isac Damasceno (Aranha) e Cristiane Miranda (Nani)

17:00 as 17:40 – Capoeira angola – roda com as crianças – Educadores Everaldo (Zoinho), Marcos (Grito), Marcos Manoel (Marquinhos) e Benilton.

17:40 as 18:00
Samba de roda (crianças e adolescentes) Responsáveis: Alexandre Moraes e Lucilene Assis. Realização de toda a equipe pedagógica.

18:00 – Tradicional roda de capoeira.
Parabéns para você.- partir o bolo e confraternizar.

Contatos:
Nildes Sena // Zoinho(Everaldo)
71- 33262366 // 71 -99255830.
71 33230708 – AJPP – CECA.

Mestre Ras Ciro Lima (BA)
Tel de Contato : publico 71 34315161.

Bahia: Carnaval 2008 será lançado na próxima segunda-feira

Tendo um dos mais preciosos bens culturais da Bahia, a capoeira, como grande homenageada e uma convidada muito especial, Iemanjá, o Carnaval de Salvador será oficialmente lançado na próxima segunda-feira, dia 3 de dezembro. Será às 17h no Blue Tree Towrs, hotel localizado no Rio Vermelho, palco da festa para a Rainha das Águas que em 2008 cai num sábado de Carnaval. O prefeito João Henrique o o presidente da Emtursa – Empresa de Turismo S/A, Misael Tavares, vão anunciar as muitas novidades para a maior festa de participação popuilar do planeta.

A abertura do Carnaval, por exemplo, acontece no Campo da Pronaica, em Cajazeiras, onde serão entregues as chaves dfa cidade ao Rei Momo, rainha e princesas. A grande novidade para 2008 será a incorporação da festa de Iemanjá com a folia. Nesse sentido, o músico, compositor e cantor Carlinhos Brown está empenhado na concepção artística desse momento que será organizado sem interferir nas homenagens à Rainha do Mar, Odoiá!

O Carnaval 2008 de Salvador marca ainda a mudança no processo de captação de recursos que este ano foi entregue, através de licitação pública, a um pool de agências comandadas pelo publicitário Nizan Guanaes. Nesse sentido, todas as quatro cotas máster de patrocínio já foram negociadas – Schincariol, Vivo, Banco Itaú e Ponto Frio. Outras empresas também participarão com patrocínios menores, contemplando as mais diversas programações da festa, como a folia nos bairros.

Dentro do tema "O coração mundo bate aqui"., a capoeira foi escolhida pelo público em votação pela da internet, como homenageado, o que já foi homologado pelo Conselho do Carnaval, atendendo postulação de artistas e produtores culturais de Salvador, a exemplo de Geraldo Badá, Tonho Matéria, Mestre Boa Gente e Clarindo Silva, dentre outros. Sairá da capoeira o símbolo do Carnaval 2008 que será anunciado mais adiante.

Redação Carnasite

CAPOEIRA EM ARTE, MÚSICA E HISTÓRIA – CAPOEIRAGEM 2007

De 26/11 à 02/12 de dezembro,  no Recreio e Vargem Grande, Rio de Janeiro, acontecerá o CAPOEIRAGEM 2007, evento da A.C.D. Tamanduá Capoeira.

Durante o encontro, que tem como objetivo disseminar a arte e a cultura da capoeira, acontecerão aulões, oficinas de percussão, samba de roda, sequencia de bimba, palestras com historiador e mestres, rodas de capoeira, samba de roda, batizado e troca de corda.

Ilustres capoeiristas estarão presentes no evento: Mestre Zena (GO), Mestre Paraná (RJ), Mestre Jaime de Mar Grande (BA), Mestre Pintor (BH), Mestre Morena (RJ), Mestre Ponciano (SP), Mestre Ciro (BA), Mestre Zé Carlos (SP), entre outros.

Mais informações:

(21) 9819-9733 ou tamanduacapoeira@yahoo.com.br

www tamanduacapoeira.zip.net

Simone Humel
(21) 9819-9733

Capoeiristas baianas participam da campanha internacional

Mestra Janja fez a chamada: O Coletivo mandinga de Mulher convida para a roda de capoeira que integra a programação baiana da campanha mundial "16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres"

Campanha 16 Dias de Ativismo na agenda de seminário do Mercosul

A Campanha 16 Dias de Ativismo será tema do seminário I Encontro de Cidades Integradas do Mercosul, realizado de 25 a 30 de novembro, em Santa Maria, RS. O evento, promovido pela Associação Brasileira dos Municípios (ABM) em parceria com a Prefeitura Municipal, Câmara de Vereadores de Santa Maria e o Instituto Latinoamerica reúne lideranças dos três níveis de governo, representantes de ONGs, universidades, entidades públicas e privadas de atuação no Mercosul.
 
No dia 27, terça-feira, às 18h30, a Campanha 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres será apresentada e divulgada aos integrantes do seminário por Marlene Libardoni, diretora executiva da AGENDE e coordenadora da Campanha.
 
Ministra Matilde Ribeiro, da SEPPIR; Maria Elvira Ferreira – Relações Internacionais do Fórum de Mulheres do Mercosul –Brasil; José do Carmo Garcia, presidente da ABM; Ana Falú – UNIFEM são alguns dos participantes do seminário. O evento terá palestras como “Resgatando a História do Mercosul sob a Ótica de Gênero”, “Educação, Desenvolvimento e Igualdade: Ações Nacionais, Regionais e Locais” e “A Promoção da Igualdade Racial no Mercosul”.
 
O I Encontro de Cidades Integradas do Mercosul conta com o apoio de organizações como OEI, RITLA, IBNT, MERCOCIDADES, FNP, SEBRAE, IBAM, PETROBRAS, REDEDOM, Fórum de Mulheres do Mercosul, ministérios das Cidades, Educação, Cultura, Justiça, Defesa e do Desenvolvimento Agrário, GOVBR e CILAM. Também apóiam o evento diversas associações estaduais de municípios do Brasil e dos países do Mercosul, como também a Secretaria de Assuntos Federativos e de Relações Institucionais da Presidência da República.
 
A programação inclui debates de questões importantes para o futuro do Mercosul, além de realizações de atividades culturais, oficinas temáticas e mesas-redondas. Todas as atividades serão gratuitas e as inscrições, bem como a programação, estão disponíveis no site www.abm.org.br. Mais informações nos telefones: (61) 3226.9520/3226.9530 ou pelo e-mail: secretaria@abm.org.br

Comunidade & Capoeira: Os contrastes de um bairro-cidade

Em um complexo emaranhado de contextos e realidades sociais, Cajazeiras, que tem uma população superior à de Feira de Santana – segunda cidade mais populosa da Bahia – e o local é conhecido como o maior conjunto habitacional da América Latina, a capoeira caminha lado a lado com o social, ajudando a educar e ocupar os jovens habitantes do conjunto… como nos ensina um grande Mestre de Capoeira: "A Capoeira é uma escola de Cidadania".

Luciano Milani

 

Os contrastes de um bairro-cidade

Cajazeiras é praticamente uma cidade dentro de Salvador. São mais de 670 mil habitantes dispostos entre as 11 Cajazeiras e as quatro Fazendas Grandes . A população é superior à de Feira de Santana – segunda cidade mais populosa da Bahia – e o local é conhecido como o maior conjunto habitacional da América Latina. São incontáveis setores, quadras e blocos capazes de confundir até mesmo os moradores mais antigos. A região também se confunde com localidades como Águas Claras e Boca da Mata, devido à proximidade geográfica.

Sua construção começou em 1982, no governo de João Durval Carneiro (1983-1987), apesar de a pedra fundamental ter sido colocada no governo de Antonio Carlos Magalhães (1979-1983). As terras, antes ocupadas por três grandes fazendas: Jaguaripe de Cima, Fazenda Cajazeiras, Fazenda Boa União e Chácara Nogueira, foram desapropriadas para dar lugar ao Projeto Urbanístico Integrado de Cajazeiras. Foram erguidas 18.523 habitações populares.

Hoje, quem chega ao bairro se depara com uma grande quantidade de igrejas, estabelecimentos comerciais (supermercados, faculdade, shopping, lanchonetes, lojas de autopeças, hospitais, etc.) e, também, com muitas invasões espalhadas por vales e encostas ao redor dos conjuntos habitacionais. Para o responsável pela Administração Regional (AR XIV), José Miguel dos Santos, essas ocupações “são um sofrimento para Salvador”, pois são construídas sem qualquer ordenamento do solo e contribuem para aumentar consideravelmente o problema de saneamento básico no bairro.

ALEGRIA – Moradora do conjunto habitacional de Fazenda Grande I, Setor III, desde 1985, Telma Rita Salgueiro não enfrenta essa dificuldade. Apesar de reclamar do atendimento nos postos de saúde e da questão do transporte para outras áreas da cidade, ela revela: “Conseguir a casa própria foi a melhor alegria da minha vida”. Hoje, o apartamento de dois quartos funciona também como local de trabalho. É na pequena cozinha que Telma prepara variados doces, tortas, salgados e refeições para atender às encomendas diárias.

Se na quadra onde Telma mora a tranqüilidade comanda, a alguns metros, agitação é palavra de ordem. É na Fazenda Grande I que está localizado o Campo da Pronaica, o maior de Cajazeiras e sede oficial de eventos do bairro, como o Carnaval do bairro, o Cajazeiras Metal Fest III – que reuniu bandas locais de rock’n’roll –, a Parada Gay de Cajazeiras, feiras beneficentes, entre outros.

Além dos eventos culturais na Pronaica, os campos de futebol também se apresentam como opções de lazer para diferentes faixas etárias. Apesar dos vários campos espalhados pelo bairro, o estudante Paulo de Tarso Costa de Jesus, 14, reivindica: “O que mais queria aqui era um campo só pra gente, sem precisar disputar o espaço com os coroas”.

COMUNIDADE – Outro destaque do local é a articulação comunitária. Hoje, o bairro conta com 32 entidades filiadas à União das Associações de Moradores e Entidades Representativas das Cajazeiras e Adjacências, sob a presidência de Evanir de Araújo, 52. Segundo ele, o bairro abriga mais de 100 grupos de capoeira. Mestre Antônio, 45, está à frente de um deles, o Capoeira Zumbi Guerreiro. Aproximadamente 30 meninos e meninas, com idades entre 6 e 20 anos, participam do grupo, cujos treinos e rodas acontecem nas salas do Colégio Estadual Edvaldo Brandão Correia, em Cajazeiras IV. “A capoeira tira a gurizada das drogas”, destacou o mestre.

O capoeirista Anailton Correia, 20, concordou: “A capoeira é cultura, é arte e dá uma ocupação para os jovens não ficarem nas ruas”. Para o jovem, o que falta é reconhecimento, por parte da comunidade, da importância da capoeira para o desenvolvimento das crianças e dos adolescentes.

De acordo com Luiz Carlos Pinto, presidente da Associação de Moradores de Cajazeiras IV (Amcaj IV), o apoio da comunidade também é fundamental para fortalecer os projetos sociais executados em Cajazeiras. Um exemplo é o programa Escola Informática e Cidadania, que, de acordo com Evanir de Araújo, já capacitou mais de 400 jovens este ano. “Os alunos que podem contribuem com R$ 10”, disse Araújo.

Outro projeto que contribui para a melhoria das condições de vida dos moradores de Cajazeiras é a unidade da Fundação Bradesco, implantada no bairro há 22 anos. Segundo a diretora Jane Eachimenco, 11.837 jovens e adultos já se formaram nos cursos profissionalizantes da entidade; 3.301 estudantes, nas turmas de ensinos fundamental e médio; e 184 alunos em cursos técnicos.

Fernando Vivas / Agência A Tarde – http://www.atarde.com.br

O Herói de Damião – A Descoberta da Capoeira

Em livro, garoto procura um herói da sua cor e encontra os mestres de capoeira

Aos sete anos de idade, o menino Damião resolve brincar de herói, vestindo capa, cinto e chuteira. Mas, ao invés de ficar feliz, ele se sente contrariado, pois sente que para ser igual ao herói tem que ficar desbotado. “Não tem herói da minha cor?”, esbraveja.

Essa é a história do livro “O Herói de Damião – A Descoberta da Capoeira”. O personagem principal é um garoto negro que sai pelo mundo atrás de uma figura heróica com a qual possa se identificar. Essa andança acaba dando certo: Damião encontra lutadores de capoeira, o gingado inventado por negros para se defender no século 16.

Envolvido pela brincadeira, Damião começa a ensaiar passos dessa luta que parece dança. O leitor que acompanhar a saga também poderá se encantar com a capoeira e arriscar movientos como ginga, cócoras e arpão, ensinados passo a passo ao longo do livro. Depois de entrar para o esporte, Damião ainda sai todo corajoso e acaba percebendo que, não importa a cor, todas as pessoas podem ser heróis.

Na história, Damião procura um herói negro como eleO Herói de Damião – A Descoberta da Capoeira

Texto de Iza Lotito
Ilustrações de Paulo Ito
Editora Girafinha
R$ 30

Mais informações: UOL Crianças

* DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA

* VOCÊ CONHECE O MUSEU AFRO BRASIL?

* DEZ CURIOSIDADES

Fonte: UOL Crianças – http://criancas.uol.com.br

Umuarama celebra a igualdade racial

Mesa de discussões, apresentações culturais e palestras sobre racismo marcaram as discussões sobre a consciência negra em Umuarama

Umuarama e toda a Nação brasileira comemoram hoje o Dia da Consciência Negra, que é dedicado à reflexão sobre a inserção do negro na sociedade brasileira. Diversas atividades alusivas ao dia foram e estão sendo realizadas no município, entre mesa de discussões, apresentações culturais, palestras e outras. As atividades serão encerradas na quarta-feira com a eleição da Miss Beleza Negra.

Hoje, em comemoração ao O Dia da Consciência Negra será realizada apresentação de escolas de samba e capoeira na Praça Miguel Rossafa, além de comemorar o dia da consciência a data marca a morte de Zumbi dos Palmares, falecido há 312 anos.

Porém, o dia dos grandes debates foi ontem, com uma palestra sobre o racismo na sociedade e no espaço escolar. A palestra foi ministrada por Luiz Carlos Paixão da Rocha, secretário de Políticas Sociais da APP Sindicato e coordenador do coletivo da Igualdade Racial. Após a palestra os presentes realizaram um debate sobre o racismo.

Segundo a professora Maria Madalena Lopes de Lima, o racismo é algo que está embutido na consciência das pessoas e ainda vai precisar de muito tempo para isso mudar. “Quando estamos lecionando observamos formas de racismo vindo dos alunos, mas não é culpa deles. Como uma piadinha sobre negros, que os pais fazem em casa e isso vai se transformando em algo normal para as crianças”, disse Madalena.

A professora ressaltou que quando fala que trabalha em uma escola, logo a pessoa pergunta se é zeladora ou cozinheira. “Não estou desmerecendo a classe das zeladoras ou cozinheira, que fazem grande trabalho nas escolas, mas porque uma mulher negra não pode ser uma professora?”, indagou Madalena.

No período, às 13h30, o presidente do Conselho Estadual de Educação, Romeu Gomes de Miranda, explanou sobre a Lei 10.639-03 e sobre a Deliberação 04/06, que tratam sobre o ensino da cultura negra na formação da História do Brasil. E às 19h, apresentações artistas músicas, danças e capoeira finalizaram o dia de debates.

As comemorações serão finalizadas no dia 21, com a escolha da mulher negra mais bela, com o concurso Miss Beleza Negra, no Centro Cultural Schubert, às 20h. Estão participando do concurso 12 lindas mulheres que no final apenas uma irá representa a beleza da raça negra de Umuarama e região.

Fonte: Umuarama Ilustrado – http://www.ilustrado.com.br/

Pernanbuco: Dia da Consciência Negra é comemorado com festa

Esta terça-feira, 20 de novembro, está repleta de manifestações culturais e políticas para marcar o Dia Nacional da Consciência Negra. A data é alusiva à morte do líder da resistência a escravidão no Brasil, Zumbi dos Palmares. No Recife, a programação começa cedo, partir das 7h, com uma roda de Samba com Jorge Ribas na entrada principal do prédio sede da Prefeitura do Recife, no Cais do Apolo.

No museu Casa do Carnaval, no Pátio de São Pedro, continua exposição especial ao Mês da Consciência Negra, das 9h às 17h. Um dos destaques do dia é a 3ª Caminhada das Escolas Municipais do Recife com a participação de mil e quinhentos estudantes, com o intuito de promover a igualdade racial. A concentração para a passeata acontece às 15h no Parque 13 de Maio, com destino ao Pátio da Igreja Nossa Senhora do Carmo, na avenida Dantas Barreto.

No mesmo horário da saída da caminhada, o Pátio Nossa Senhora do Carmo, centro do Recife, recebe mostra de vídeo, debate, oficina de cabelo afro, exposições e distribuição de material de divulgação e apresentações de grupos culturais, além do Afoxé Oyá Alaxé. Ainda dentro das comemorações, haverá a entrega do título de cidadã recifense à escritora Inaldete Pinheiro, e da comenda José Mariano ao advogado Edvaldo Ramos. O evento acontece na Câmara Municipal do Recife, às 16h30.

À noite, haverá uma Terça Negra especial, a partir das 19h30. Se apresentam no palco montado no Pátio de São Pedro o grupo de música de câmara Korin Orissá e sacerdotisas das religiões afro-brasileiras; Grupo de Samba Reggae Obá Nidje; Grupo Raízes do Quilombo Xeré com a rede estadual de religião afro-brasileira; Afoxé Ylê de Egba Batukaje e o Afoxé Alafin Oyó.No local também haverá desfile de tranças e bijuterias afro.:

Olinda – Em Olinda, o Dia Nacional da Consciência Negra vai ser comemorado com a 2ª Marcha pela Libertação do Povo Negro. O evento acontece às 15h, com concentração na Praça 12 de Março, no Bairro Novo e tem o apoio do Movimento Negro unificado e da União de Negros pela Igualdade (Unegro).

Com o tema Construindo um projeto político para o povo negro pernambucano, a caminhada deve reunir cerca de 500 pessoas que percorrerão as ruas do Sítio Histórico. O trajeto inclui o Mercado da Ribeira, o Palácio dos Governadores (sede da Prefeitura) e termina na Câmara Municipal de Vereadores, onde haverá uma solenidade especial.

Em Abreu e Lima, a data será comemorada na Praça de São José, no centro da cidade, com festa a partir das 18h. Participam das comemorações o grupo de capoeira Dantos, Escola de Capoeira Mestre Del Bruto, Maracatu Estrela de Ouro de Olinda e grupo B-Boys. O acesso é gratuito.

Fonte: Redação do PERNAMBUCO.COM – http://www.pernambuco.com