Blog

Janeiro 2008

Vendo Artigos de: Janeiro , 2008

Entrevista Mestre Suino

Elto Pereira de Brito, Mestre Suino, presidente fundador do Grupo Candeias, em entrevista exclusiva ao Portal Capoeira realizada em Lisboa durante o 10º Festival Internacional de Capoeira do Grupo Alto Astral (Contra-mestre Marco Antonio).

Para ouvir a entrevista com o Mestre Suino, clique aqui.

Breve Histórico do Grupo Candeias:

SEU INICIO
O Grupo Candeias nasceu no clube SESC do setor Universitário, aqui mesmo em Goiânia, em 1977. Seu primeiro professor foi Carlos Antônio (Carlinhos Chuchu), e seu primeiro nome: “Grupo de Capoeira Anglo-Regional”. Seus primeiros alunos foram comerciários e filhos de comerciários, pessoas pobres, oriundas dos bairros de classe baixa.

Read More

FICA – EDITAL DE CONVOCAÇÃO

O Presidente da Federação Internacional de Capoeira, no uso de suas atribuições estatutárias, convoca a todos os Presidentes de Federações Nacionais e Estaduais e de Entidades de Prática Desportiva, a comparecerem em Assembléia Geral Ordinária a ser realizada no dia 08 de fevereiro de 2008, a ser realizada no Ginásio Municipal de Esportes Nelson Rueger, Centro, Araras, São Paulo, Brasil. A reunião ocorrerá em primeira chamada às 18:00 h e na forma estatutária, às 18:30 h em segunda chamada, e deliberará sobre as seguintes Ordens do Dia:

1- Prestação de Contas;

2- Reforma Estatutária para o atendimento de diretrizes do Comitê Olímpico Internacional;

3- Deliberação sobre ajustes no Código Desportivo Internacional de Capoeira para o estabelecimento do currículo mínimo e de critérios para a formação e o aprimoramento de árbitros e treinadores desportivos; reestruturação do Conselho Superior de Mestres; definição de critérios desportivos e competitivos da “Capoeira Contemporânea”; definição do uniforme de inverno;

4- Eleição de Presidente e Vice-Presidente, cinco Vice-presidentes Continentais, um Vice-Presidente Técnico, um Vice-Presidente Administrativo e Financeiro, três Conselheiros Fiscais e dois suplentes, um Procurador e nove auditores da Corte Internacional de Justiça Desportiva;

5- Deliberação sobre a implantação da sede geral da FICA na Suíça, da sede européia na Espanha e da sede executiva no Brasil;

6- Estabelecimento do plano quadrienal de atividades da FICA;

7- Deliberações sobre o Primeiro Campeonato Mundial Oficial de Capoeira e a filiação da FICA às entidades desportivas internacionais.

Somente terão direito de voto as entidades que estiverem devidamente filiadas e em dia com seus direitos institucionais.
 

Guarulhos, SP, Brasil, 07 de janeiro de 2008.
 

Prof. Sergio Luiz de Souza Vieira – Ph.D.

Presidente

Tangará teve uma grande conquista em 2007. Ser adotado pelo Criança Esperança

Uma grande vitória para Tangará da Serra no ano de 2007 foi a conquista da Capoeira, que conseguiu através de um projeto ser adotado pelo Criança Esperança. Esse projeto trabalha com cerca de 80 pessoas, entre elas crianças, jovens e adolescentes.

A capoeira está mudando a vida dos alunos da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Tangará da Serra. As aulas, do projeto ‘Capoeira na Escola’ são ministradas gratuitamente pelo instrutor Willian de Campos Martins, na capoeira conhecido como instrutor Máquina. Esta iniciativa mudou a vida de muitas crianças conta com o incentivo do Criança Esperança, que se mantém de doações, financia projetos voltados à promoção dos direitos e à melhoria da qualidade de vida de crianças, adolescentes e jovens.

Através do Criança Esperança o projeto tangaraense contou com a disponibilidade de R$ 22 mil para trabalhar durante o finalizado ano. O instrutor informa que com o repasse do valor foi possível adquirir todos os equipamentos necessários e uniformes para que os alunos pudessem continuar praticando o esporte.

Willian explica que o Projeto ‘Capoeira na Escola’ visa interagir os alunos da Apae na prática da capoeira. “O projeto foi elaborado no ano de 2006 e teve algumas mudanças na parte pedagógica antes de ser encaminhado ao Criança Esperança”, declara Willian, salientando ainda que outra grande conquista da Capoeira, foi em relação a matéria vinculada no Jornal da Globo, transmitido em rede Nacional e internacional. “Em Mato Grosso só existe somente dois projetos apoiados pelo Criança Esperança, o nosso e um projeto de Cuiabá” declara, finalizando que a presidência da escola avaliaram o projeto como positivo, tanto para a escola quanto para a sociedade.

CRITÉRIO – Segundo ele, a comissão organizadora avaliou os objetivos do projeto como também os resultados das aulas práticas. “Todas as apresentações dos alunos da Apae foram registradas e encaminhadas ao Criança Esperança”, informa o instrutor, salientando que “a Apae foi a única escola em Tangará que abraçou o projeto e aprovou a idéia de aulas de capoeira na escola”.

PROJETO – O instrutor informa que já enviou novamente o projeto para que possa ser aprovado, e para a Capoeira contar com o recurso também neste ano de 2008.

RECURSOS – Com relação ao investimento do recurso, o instrutor informou que foi possível atender aproximadamente 100 alunos na Apae, totalmente uniformizados. Ele conta que no momento recebem aulas cerca de 80 crianças.

Segundo ele, o dinheiro servirá para a compra de instrumentos, uniformes completos, aparelhos de TV, DVD e som, como CDs e DVDs de capoeira, livros e remuneração de mais quatro monitores para auxiliar nas aulas. “No decorrer do ano, aconteceu sempre uma prestação de contas à Unesco, informando onde o valor está sendo investido. Sem contar que no final do ano a comissão esteve no município para fazer um balanço das atividades”, informou Willian.

CONQUISTA – Esta conquista de apoio ao projeto é um ganho importante, pelo fato de que o nome do Grupo Capoeira Vip também é reconhecido. “É uma realização pessoal em ver estes alunos uniformizados adequadamente. Somos o segundo no Estado beneficiado com o Criança Esperança o que para nós é uma imensa satisfação”, orgulha-se Willian, dizendo que “a aprovação do projeto mostra que a capoeira não é somente dança e arte, mas também profissionalismo”.

SAIBA MAIS – Os projetos que o Criança Esperança elabora todos os anos e que ajuda milhares de crianças no mundo inteiro, são voltados à promoção dos direitos e à melhoria de qualidade de vida de crianças, adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade social. Prova de que ele realmente funciona, e todos recursos adquiridos com doações através de ligações e depósitos em contas bancárias, se revertem no auxílio de projetos.

Fonte: Diário da Serra – Tangará da Serra – MT – BR – http://www.diariodaserra.inf.br

Proposta limita atuação dos conselhos de Educação Física

Tramita na Câmara o Projeto de Lei 1371/07, da deputada Alice Portugal (PCdoB-BA), que impede o conselho federal (Confef) e os conselhos estaduais de Educação Física de fiscalizar as academias de dança, artes marciais, capoeira, ioga e pilates, bem como os profissionais que atuam nessas áreas.

A proposta altera a Lei 9.696/98, que regulamentou a profissão de Educação Física e criou os conselhos. De acordo com a deputada, a lei não define claramente o campo de atuação desse profissional, o que tem levado os conselhos a submeterem atividades como ioga, dança e capoeira à fiscalização prevista na lei. Para os conselhos, essas atividades só podem ser exercidas por quem possui o registro profissional.

"O projeto pretende por fim às interpretações conflitantes que estão sendo dadas à lei", destaca a deputada. Segundo ela, o Ministério Público já vem promovendo ações judiciais contra os conselhos que insistem em fiscalizar as academias e os profissionais de dança e artes marciais, entre outras atividades.

Espaço próprio
Alice Portugal reconhece a importância do profissional de Educação Física, mas defende que ele tem atuações específicas, que não se confundem com manifestações culturais, artísticas e de expressão corporal, próprias da dança, da capoeira, da ioga e do pilates. "A lei não autoriza o Confef a intervir em outras áreas de expressão artístico-cultural, espaços há muito consagrados pela ação e memória dos diferentes grupos formadores da sociedade brasileira", resume a parlamentar.

O projeto é similar ao substitutivo que ela apresentou em 2004 ao PL 7370/02, do ex-deputado Fleury, que tratava do mesmo assunto. Como esse projeto foi arquivado no final da legislatura passada, Alice Portugal decidiu reapresentá-lo, na forma do seu parecer.

Tramitação
O projeto será analisado em caráter conclusivo pelas comissões de Educação e Cultura; de Turismo e Desporto; de Trabalho, de Administração e Serviço Público; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Íntegra da proposta: – PL-1371/2007

 

Fonte: Agência Câmara

Reportagem – Janary Júnior
Edição – Marcos Rossi

Agência Câmara
Tel. (61) 3216.1851/3216.1852
Fax. (61) 3216.1856
E-mail:agencia@camara.gov.br

http://www2.camara.gov.br

Bahia: Mestres capoeiristas reclamam de falta de prestígio

Considerada "presente de grego", homenagem da prefeitura no Carnaval sequer terá decoração específica

Um presente de grego. É desta forma que os mestres capoeiristas vêem a homenagem à capoeira que será feita pela prefeitura durante o Carnaval 2008. Até o presente momento, não está prevista decoração específica nos circuitos da festa momesca, que tem início marcado para 31 de janeiro. A Empresa de Turismo de Salvador (Emtursa) alega falta de recursos e de tempo hábil para que haja realização de concurso público de projeto de decoração nem dotação orçamentária para pagá-lo.

Banners espalhados por toda a cidade à semelhança da exposição Salvador negro amor, do fotógrafo Sérgio Guerra. Neles estariam fotos dos sábios capoeiristas que marcaram seu nome na história desta arte. Instalações que lembrassem os principais golpes de capoeira. Maior divulgação nos meios da comunicação sobre o tema receberiam as honras neste ano. Era assim que Jaime Martins dos Santos, mais conhecido como mestre Curió, 71 anos, espera ver a cidade a poucos dias do início do Carnaval. Ficou na frustração. “É um desrespeito muito grande com a capoeira. Uma homenagem de mentira”.

A escolha da capoeira como tema a ser homenageado no reinado de Momo foi feita através da internet, por decisão do Conselho do Carnaval. Os votos dos internautas foram ratificados na solenidade dos festejos em dezembro. Na oportunidade, foram divulgados como os símbolos da festa os mestres João Pequeno e doutor Decanio. Eles são, respectivamente, discípulos dos dois maiores ícones da mistura de arte marcial, dança e filosofia trazida à Bahia pelos escravos africanos: mestres Pastinha (capoeira angola) e Bimba (capoeira regional).

Mas nem os símbolos da festa sabem como desempenharão seus papéis durante o reinado de Momo. “Eu já telefonei para a Emtursa para saber como vai ser, se vai ter desfile, se a gente vai se apresentar e eles não souberam me responder. Eu nem posso falar mais algo sobre que eu não tenho informação alguma”, diz Angelo Augusto Decanio Filho, o mestre doutor Decanio. Médico e professor aposentado da Escola Bahiana de Medicina, ele é considerado o mais velho aluno ainda vivo de mestre Bimba. Completa oito décadas e meia de vida em fevereiro. “É muita desorganização”, critica.

Mestre DecanioMorador de uma modesta casa no bairro de Fazenda Coutos III, mestre João Pequeno também espera junto com sua família por maiores informações sobre sua participação. “Eles nos convidaram, mas há detalhes que não foram acertados”, diz a neta de João Pequeno, a também capoeirista, Cristina Miranda, a “Nani”. Ela afirmou ao Correio da Bahia que, se seu avô não receber cachê, ele não irá aparecer na quinta-feira de Carnaval (dia 31), no Campo Grande, quando está prevista a saída do bloco da capoeira, o Mangagá. “Um mestre de capoeira tem que ser respeitado, porque também é um artista. Há toda uma estrutura que nós temos que montar quando ele se desloca. Ele leva o nome da Bahia a todo lugar que vai. Todo ano, vêm dezenas de alunos do exterior só para conhecê-lo”. Doutor honoris causa por uma universidade mineira, João Pequeno completou 90 anos no mês de dezembro. Convidada para a festa, nenhum representante da Emtursa compareceu.

Filho do saudoso mestre Bimba, Manoel Nascimento Machado, o mestre Nenel, 47, não chega a ficar surpreso com este fato. Ele ainda acredita que algo pode ser feito para lembrar que a capoeira é a homenageada deste Carnaval. “Enquanto no exterior nós somos reverenciados, aqui na Bahia, berço da capoeira, ainda há este ranço”.

Descaso – “A Emtursa deu uma rasteira na capoeira. Do jeito que está sendo feito está muito pouco”, ironiza o historiador Jaime Sodré. Para ele, o órgão municipal deveria criar uma comissão especial para estabelecer de fato como serão feitas as homenagens aos mestres capoeiristas no Carnaval. Para Gilson Fernandes, mestre Lua Rasta, 57, falta senso de classe entre os capoeiristas para evitar esta “rasteira”. “Se a gente não ficasse com tanta picuinha, este tipo de coisa não aconteceria. O culpado somos nós mesmos”.

“Um turista que chegue a Salvador não vai saber que a capoeira vai ser homenageada no Carnaval. Nós que lutamos por isso e não fomos nem chamados para opinar”, reclama o produtor cultural Geraldo Badá. Durante quatro anos, ele enviou propostas à Emtursa para que a arte fosse tema da folia soteropolitana. Mas quando finalmente foi atendido, se vê frustrado.

Badá critica ainda o que chama de falta de apoio do poder público para os blocos independentes que também prestarão homenagens à capoeira no circuito carnavalesco. O único a ser beneficiado seria o Mangangá, capitaneado pelo cantor e compositor, e também mestre de capoeira, Tonho Matéria. “O bloco do Tonho Matéria não poderia ser o único até este tipo de apoio”.

De modo sutil, Tonho Matéria contesta Badá. Ele afirma que o Mangangá está orçado em R$230 mil e deste valor ele teria conseguido R$15 mil junto à Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (Secult). E a Emtursa teria pago o aluguel do trio elétrico, algo em torno de R$35 mil. Para bancar o resto, ele estaria correndo atrás de patrocínio de empresários.

 
***
 

Emtursa alega falta de recursos

O presidente do Conselho do Carnaval, Reginaldo Santos, afirmou que um projeto de decoração foi encomendado à Associação de Artistas Plásticos da Bahia. Mas foi considerado inviável, já que a Emtursa alegou incapacidade de bancar os cerca de R$1,5 milhão exigidos para que ele fosse levado a cabo.

Santos declara que outras alternativas foram pensadas, mas esbarraram no mesmo motivo: a falta de recursos financeiros. “Nós ficamos frustrados com o fato de não ter decoração. Queríamos que a cidade ficasse linda para o Carnaval, mas não há como contrapor uma alegação como esta da Emtursa”. Segundo o presidente do conselho, uma das alternativas para o próximo ano é as entidades entrarem com projetos através das leis de incentivo cultural para assegurar que outros carnavais tenham a decoração garantida.

Por sua vez, o presidente da Emtursa, Misael Tavares, afirmou que não houve tempo hábil para seleção pública de um projeto e nem dotação orçamentária que a decoração fosse realizada. “Eu também gostaria que a cidade estivesse toda decorada com a capoeira, mas nós estamos lidando com o dinheiro público. Eu não poderia aprovar um projeto de mais um R$1 milhão sem orçamento para tanto e sem fazer um concurso público”. Mesmo assim, Tavares considera que a capoeira terá visibilidade durante o Carnaval, já que o bloco Mangagá vai sair no circuito. “Nós não podemos agradar a todos os segmentos dos capoeiristas”.

Ligada à Secult, a diretoria do Pelourinho Cultural informou que a decoração de Carnaval no Centro Histórico, que terá obviamente motivos de capoeira, ficará a cargo do estado. Ela será feita pelo cenógrafo Euro Pires. A previsão é que esteja pronta até o dia 27, quatro dias antes da festa.

Depoimentos de mestres

“Tudo que é em prol da capoeira recebe meu apoio, mas é preciso que seja muito bem-feito. E eu não estou vendo isto acontecer. Deveria ter painéis na cidade contando a história da capoeira e dos mestres mais antigos”.
Mestre Boca Rica, 71 anos

“Sinceramente, eu acho que é uma forma de racismo, de discriminação. Uma total falta de respeito com a cultura afrodescendente. Alunos meus de vários países estão vindo para cá justamente porque a capoeira é o tema do Carnaval”.
Mestre Boa Gente, 62

“É uma espécie de homenagem torta. Não é assim que deveria ser feito. A capoeira não é apenas só uma luta. É toda uma filosofia de vida que precisa ser tratada com todo o cuidado”.
Mestre Moa do Katendê, 54

“Nós estamos cansados de tapinhas nas costas. Cansados de vermos a capoeira ser usada por quem não merece. Nós somos bem tratados em qualquer lugar, mas aqui ainda há este preconceito contra a capoeira”.
Mestre Gildo Alfinete, 68

“Qual a preocupação que as autoridades têm com os mestres? Que apoio nos dão nos nossos projetos sociais? A gente faz um trabalho numa escola estadual e tem de esperar meses para receber o pagamento. O que eles vão fazer no Carnaval é usar o nome da capoeira e não homenageá-la”.
Mestre Curió, 71

 

Fonte: Flávio Costa
Correio da Bahia – Salvador – Brasil
http://www.correiodabahia.com.br

Jogos e Passatempos: Puzzles da Capoeira

Uma novidade para desafiar as suas capacidades…

Fantásticos Puzzles (Quebra-Cabeça), envolvendo o universo da capoeiragem para o capoeirista se divertir e “vadiar” nesta roda!

Experimente, junte as peças, saia no aú e complete este jogo…

 

Puzzle 1: Velha Garda

{photopuzzle}/images/puzzle/joaopequeno_pele.jpg{/photopuzzle}

Puzzle 2: Berimbaus (Foto Rui Takeguma)

{photopuzzle}http://www.portalcapoeira.com/images/puzzle/berimbaus.jpg{/photopuzzle}

Puzzle 3: Capoeira (Foto Luciano Milani)

{photopuzzle}http://www.portalcapoeira.com/images/puzzle/baiano.jpg{/photopuzzle}

DVD Mestre Bimba a Capoeira Iluminada

MESTRE BIMBA – A Capoeira Iluminada

A vida de Manuel dos Reis Machado, o MESTRE BIMBA (1899-1974), que iluminou a prática da capoeira, tornando-se o seu mais conhecido e admirado nome em todo mundo.

Uma história com muita capoeira, contada por alguns dos seus mais importantes alunos, seus familiares e pelos que se dedicaram a estudar sua genial personalidade.

DVD Mestre Bimba a Capoeira Iluminada

The life of Manuel dos Reis Machado, known as MESTRE BIMBA (1899-1974). The master that enlightened the art of capoeira, becoming the most known and admired name of it’s practice around the world.

History and stories of capoeira, told by his most important disciples, his family and by the ones who devoted studying his genius personality.

(DVD + Poster)

Legendas: Portuguese, English and French.

 

EXTRAS

01 Uma Visita ao Mestre Decanio
02 Uma auyla completa de Bimba, por seu filho Mestre Nenel
03 Como se faz um berimbau, por Mestre Nenel
04 Novos "causos" da Academia de Bimba
05 Rodas depois das filmagens

Créditos

Roteiro: Luiz Carlos Maciel
Fotografia: Rivaldo "doddy" Agostinho
Pesquisa: Antônio Venancio
Montagem: Daniel Nobre
Sonorização e Mixagem: Fernando Ariani
Direção de Produção: Didado Azambuja
Direção: Luiz Fernando Goulart

UMA REALIZAÇÃO BISCOITO FINO
Direção Geral: Kati Almeida Braga
Direção Artística: Olivia Hime
Gerente de Produto: Martinho Filho
Assitente de Produção: Luciene Caruso

Ministério da Cultura entrega prêmio Culturas Populares 2007

BRASÍLIA – O primeiro dia de 2008 é especialmente de festa para os grupos de cultura popular espalhados pelo Brasil. É que na segunda-feira foi o último dia para o Ministério da Cultura pagar os R$ 10 mil de cada iniciativa vencedora do Prêmio Culturas Populares 2007.

Dessa vez, o prêmio homenageou Mestre Duda por causa das comemorações dos 100 anos de frevo em Pernambuco. Ao todo, foram 260 premiados, divididos em 3 categorias: mestres e grupos tradicionais, iniciativas de governos (prefeituras e governos estaduais) e iniciativas da sociedade civil organizada.

O principal objetivo do prêmio é ajudar os grupos de culturas populares a se manterem e estimular as prefeituras para que realizem festivais para difundir as tradições populares. Temos hoje uma necessidade de difundir e divulgar essas culturas. A maioria dessas manifestações tem alguma ligação com a parte religiosa, com promessas, com as festas. Outras são brincadeiras só para fruição dessas comunidades, disse o gerente da secretaria da identidade e da diversidade cultural do Ministério da Cultura, Américo Córdola, em entrevista ao programa Revista Brasil, da Rádio Nacional.

Segundo ele, além de valorizar o folclore e as tradições populares, a secretaria também está fazendo um registro da diversidade lingüística do Brasil.

Informações sobre o Prêmio Culturas Populares 2007: (61) 3316-2117.

Informações à imprensa: (61) 3316-2129.

Maestro Duda ou mestre Duda, o José Ursicino da Silva, nasceu em Goiana interior de Pernambuco, em 23 de dezembro de 1935. Aos oito anos começou a estudar música, aos dez já era integrante da banda Saboeira e logo escrevia sua primeira composição, o frevo Furacão. Dali podia-se prever o que se tornaria Duda um dos maiores regentes, compositores, arranjadores e instrumentista de todos os tempos e do frevo em especial. Gênio da composição e arranjo, como ampla formação chegou a tocar Oboé na Orquestra de Recife, mas seu múltiplo talento o levou a experimentar de tudo. Formou várias bandas de frevo que invariavelmente eram eleitas nos carnavais como as melhores do ano.

A carreira é repleta de sucessos e de grandes parcerias: Para o teatro músicou, "Um Americano no Recife" como direção de Graça Melo e outras peças dirigidas por Lúcio Mauro e Wilson Valença. Foi chefe do departamento de música da TV Jornal do Commercio e depois contratado da TV Bandeirantes em São Paulo. Compositor de choros gravados por Severino Araújo e Oscar Miliani, sambas gravados por Jamelão, músicas para Quinteto de Sopros e Quinteto de Metais, banda e orquestra, recebeu o prêmio de melhor arranjo de música popular brasileira em 1980, em concurso promovido pela Globo, Shell e Associação Brasileira de Produtores de Discos.

Nota de Falecimento: Mestre Vermelho Boxer

É com pesar que comunico a morte do Mestre Vermelho Boxer (Cecílio de Jesus Calheiros) ocorrida no dia 30/12/2007 na cidade de Manaus- Amazonas, em decorrência de um ataque esquêmico cerebral.

Mestre Vermelho Boxer nasceu em Maragogipe – Bahia (Recôncavo baiano) em 15/05/1949, sendo figura de destaque nas rodas de capoeira de rua de Salvador-Bahia, nas décadas de 70 e 80.

No Estado do Amazonas desempenhou um importante papel na implantação e divulgação da Capoeira Tradicional Bahiana.

A comunidade de capoeira do amazonas despediu-se do Mestre Vermelho com lágrimas, roda de capoeira e cantando os sambas que ele gostava.

Descanse em paz

Mestre KK Bonates

Na Madrugada Dia 30 de Dezembro A Capoeiragem Amazonense/Baiana e Brasileira perde Um Grande conhecedor da Arte da Malandragem Baiana.
Com todas as honras de Grande Mestre, foi enterrado no dia 30/12/2007 no cemiterio do tarumã em Manaus /Amazonas/Brasil o MESTRE VERMELHO BOXER QUE NOS DEIXA COM A LEMBRAÇA DE SUAS MALICIAS E MANDINGAS QUE A BAHIA LHE ENSINOU.

Salve axé

Mestre Camisafurada – berimcamisafurada@ig.com.br