Blog

Fevereiro 2008

Vendo Artigos de: Fevereiro , 2008

Carnaval 2008: Bloco da Capoeira leva diversidade cultural para a avenida

O MESTRE TONHO MATÉRIA NO COMANDO DO BLOCO DA CAPOEIRA LEVA DIVERSIDADE CULTURAL PARA A AVENIDA

Bloco temático com participação da comunidade abriu o desfile de 2008

“Dança da malandragem, com muitos rituais. Brincadeira de movimentos com malícia. Na dança negra de pés no chão a agilidade da esquiva e a esperteza da fuga. E de repente, ante os olhos surpresos do adversário, o gesto rápido. O ataque fulminante. Então, prostrado, o inimigo se dá conta de que foi vítima da mandinga”. Isto é o que chamamos de capoeira, essa luta de resistência criada no recôncavo baiano pelos negros Bantos de Angola e que foi perseguida por muito e muito anos e hoje é tratada como patrimônio imaterial do Brasil e porque não dizer da Bahia. A capoeira foi proibida pela república e essa mesma república em uma outra estância lhe transforma em diversos pontos de cultura espalhados no país. Hoje, universidades, empresas particulares, academias, Industrias, canais de comunicação, etc. Vêem a capoeira como elemento de transformação social.

Duas semanas antes do carnaval, na cidade de Salvador, só se ouviam os burburinhos em todos os cantos, eram os amantes e praticantes de capoeira de varias partes do planeta que esperavam ansiosos para ver e participar do desfile do Bloco Afro Mangangá Capoeira, que saiu com o tema Capoeira e suas Culturas Aparentadas, sugerido pelo ex-superintendente do Forte da Capoeira Dr. Leal.

Para contar essa história e tantas outras, o Bloco Afro Mangangá Capoeira pilotado por Tonho Matéria, que vestido com um figurino nas cores azul e prata simbolizando Ogum criado pela figurinista Diana Moreira, apresentou uma diversidade cultural na avenida e contou com diversas alas. Com a parceria de grandes amigos como Negra Jhô que trouxe as alas das baianas com uma big fantasia com papel de café, orixás e dança afro com pinturas no corpo que foi coreografado por Liu Arrison (Ator do Filme Ó Pai Ó) e supervisionado pelo mestre de capoeira e dançarino Flecha, além do Dançarino e Coreógrafo Monza Calabar que touxe da Argentina uma saia de Iemanjá de 14 metros de diâmetro onde a rainha das águas salgadas representada pela coreógrafa e dançarina Marcela de Souza, deu a luz a todos os orixás na passarela.

A atriz Sue Ribeiro coordenou uma ala com terno de reis e folguedos nordestinos como maracatu, a burrinha, frevo e bumba meu boi que derão uma diversidade e um colorido maravilhoso ao bloco e ao desfile. Mestre Pelé do Tonel com sua indumentária luxuosíssima e com tanta exuberância, provou que a sua energia não tem limites quando se fala em malabarismo com seu tonel. A Companhia de Dança e Ritmos da Bahia do mestre João de Barro também brilhou ao levar uma ala de capoeira show.

Maculelê, puxada de rede, bonecos gigantes, além dos Ogans Paulo Tré, Tatá e Alex, do terreiro Ilê Axé Odê Tolá, do Samba de Chula do contra mestre Boca e das orquestras de berimbaus do Grupo de Capoeira Abolição sobre a regência do contramestre Bobô e do Pólo de Capoeira do Município de Lauro de Freitas sobre a regência dos mestres Saci, Regi, Boca e Coveiro com 200 pessoas tocando berimbau e uma banda percussiva com 70 homens ao comando do maestro Bira Jackson que veio vestido com um figurino simbolizando Exu, também criado por Diana Moreira. O Trio elétrico decorado por André Cunha foi coberto de palhas de mareô, ferramentas de Ogum, TVs de Plasma, laser e um canhão de chuva de confete na cor de prata.

O bloco desfilou na quinta-feira, às 20h, no Circuito Campo Grande, fazendo uma homenagem ao lendário Besouro Mangangá, ou Manoel Henrique Pereira, soldado do Exército nascido no século XIX, em Santo Amaro da Purificação, e capoeirista conhecido que, segundo a lenda, tinha poderes sobrenaturais. Na passagem do bloco no corredor da folia, o Governador da Bahia Jaques Wagner, o Secretário da Cultura Marcio Meirelles, o Secretário do Turismo Domingos Leonelli, o Coordenador do Turismo Étnico Billy Arquimimo, a Vereadora Olívia Santana, o Subsecretário para Assuntos de Descentralização Regional Ailton Ferreira, a Coordenadora de Articulação Institucional Ubiraci Matildes, a Prefeita de Lauro de Freitas Moema Gramacho, o empresário Mario Nelson e Edson da União. Todos, acompanhados do Rei Momo Clarindo Silva e da musa do carnaval não resistiram e caíram na folia. No dia 2 de fevereiro no carnaval para Iemanjá, o bloco promoveu um belíssimo arrastão junto com Carlinhos Brown e o Cortejo Afro e na quarta-feira de cinzas mais de 2 mil capoeiristas acompanharam o Arrastão da Timbalada.

O sonho de colocar a Capoeira aconteceu quando em 2002 o Carnaval homenageava as raízes e heranças africanas. Daí então o publicitário, cantor, compositor e mestre de capoeira Tonho Matéria começou a falar da capoeira como tema do Carnaval, o que só se concretizou depois de seis anos de tentativas. "Contei com a parceria do jornalista e produtor cultural Badá, do nosso Rei Momo Clarindo Silva e do ilustríssimo mestre Boa Gente, que não só ajudou pra que a capoeira fosse o tema do carnaval, como criou uma ala de dança afro para o bloco com seus alunos do Vale das Pedrinhas e com diversos estrangeiros dos países Argentina, Holanda, Canadá, Estados Unidos, Angola, Moçambique, Portugal, Itália e Espanha. A escolha do tema também contou com a parceria de vários capoeiristas que votaram pela Internet" revelou Matéria, que idealizou um megadesfile.

O Bloco da Capoeira não foi comercializado. "Os capoeiristas usaram suas próprias roupas e cada ala desenvolveu suas indumentárias", explica Matéria. "Cada Mestre ficou responsável por inscrever sua associação, que podia vir com quantos alunos quisesse", complementou.

Diversos grupos e associações de capoeira compareceram ao desfile do bloco como parceiros, são eles: Mangangá, Abolição, Topázio, Jalará, Kilombolas, Raízes da Bahia, Centro Cultural de Capoeira Angola Bonfim, Zumbi, Associação de Capoeira Mestre Bimba, Stela Mares, Esquiva, Associação de Capoeira Cobra Can, Bahia Capoeira, Alegria do Mestre Canjiquinha, Grupo de Capoeira Expressão Corporal, Filhos de Oxossi Guerreiro, Academia Regional de Itinga, Unicar, Capoeira Guerreiros, Iúna, Palmares, Kirubê, Educarte, Vadiação, Maré, Calabar, Associação de Capoeira Mestre Boa Gente, Sete Quedas, Engenho, Camugerê, Raça, Ginga Nativa Capoeira, Mundo Capoeira, Vivendo e Aprendendo, Liberdade do Negro, Barro Vermelho, Corpo e Movimento, Porto da Barra, Guerreiros da Bahia, Solares, Associação de Capoeira Pai e Filho, Pé Pro Ar, Nação Capoeira, Filhos de Oxalá, Mandela, Ganga Zumba, Centro de Cultura da Capoeira Tradicional Bahiana (Mestre Bola Sete), Grupo Cultural de Capoeira Angola Moçambique (Neco) e mestre Flecha. Além das participações especiais dos artistas Lucas Di Fiori (Olodum), Dado Brazawilly (Ex- Ara Ketu), Paulinho Feijão (Ex- Ilê Aiyê), Gal Borges (Ex- Afreketê), da Ialorixá Edenice Sant`Ana e dos mestres de capoeira Máximo, Marcos Gytauna, Nego Gato, Já Morreu, Pelé da Bomba, Boa Gente, Angola, Pele do Tonel, Zambi, Dinho, Jones, Atabaque, Rizadinha, Grandão, Raymundo Kilombolas, Dedé, Daltro, Coentro, King Kong, Lazaro, China e muito outros.

O Bloco contou com o apoio cultural do Governo do Estado da Bahia, Secretaria de Cultura e Secretaria do Turismo, Bahiatursa, Ministério do Turismo, Prefeitura Municipal de Salvador, Emtursa, Prefeitura Municipal de Lauro de Freitas, Pólo de Capoeira de Lauro de Freitas, Instituto Sol e Sol Embalagem, Guia Salvador Eventos, Revista Carnafolia, Jornal O Capoeira, Forte da Capoeira, Universidade do Estado da Bahia (Uneb), Edson da União, Olívia Santana, Bahia Gás, Zoom Imagens, Maria Comunicação, União da Capoeira de Itapoã e Federação de Capoeira da Bahia (Fecaba).

Contatos: 71- 81269333 – 32569806 site http://www.capoeiramanganga.com.br

tmmanganga@hotmail.com tonhomateria@hotmail.com

Portugal/Polonia: “Roda das Nações”

Nosso camarada Cangaceiro, que desenvolve um trabalho aqui em Portugal, acaba de lançar o seu 1º livro sobre Capoeira e a internacionalização e intercambios dentro da “Roda das Nações”, título do livro, idealizado por Ricardo Nascimento.

“Roda das Nações” é o título de um livro que reflecte o resultado de dois anos de encontros de jovens de toda a Europa, na Polónia, onde a capoeira foi uma das actividades principais desta iniciativa, apoiada pela Fundação Rodowo. A ideia para a realização deste livro partiu de Ricardo Nascimento, responsável pela secção de capoeira da Associação Estamos Juntos, que tem marcado presença nestes eventos com alguns dos seus elementos, e com o qual admite que se pretendeu “deixar uma semente, resultado do trabalho desenvolvido nestes últimos dois anos”. Abordando a modalidade como uma ferramenta e um método nos intercâmbios internacionais de jovens, Ricardo Nascimento esclarece, no entanto, que os encontros não visavam a prática da capoeira, mas sim discutir os problemas que os adolescentes europeus têm. “Poderia ter sido um livro de qualquer outra modalidade, mas foi sobre esta porque é à qual eu estou ligado”, refere o responsável que admite que a ideia para este projecto já tem alguns anos, mas que vinha sendo adiada devido á falta de recursos.

Traduzido em quatro línguas (português, inglês, russo e polaco), este livro pretende contribuir para uma melhor informação sobre a modalidade essencialmente nos países de leste participantes que têm o russo como língua materna, uma vez que, segundo Ricardo Nascimento, não têm grandes publicações relativamente à capoeira. “A maioria dos professores são provenientes do próprio país, onde não existem muitos brasileiros ligados à modalidade. Com a criação deste livro pretende-se criar assim um recurso para as aulas que qualquer instrutor pode utilizar.

O livro irá estar á venda apenas nos encontros de capoeira e é o resultado de um trabalho colectivo e de carolice, tendo sido a revisão gramatical nas diversas línguas a parte mais difícil da sua concretização, de acordo com o responsável.

Para uma primeira experiência Ricardo Nascimento considera que o balanço é “extremamente positivo”, da idealização á concepção do projecto. “Tudo o que foi proposto foi alcançado, e o livro é exemplo disso. Apesar de ser pequeno é didáctico e simples pelo que conseguiu alcançar um nível mais amplo dado os temas que abrange”, refere Ricardo Nascimento que admite, contudo, que inicialmente a ideia foi recebida com alguma renitência.

A “Roda das Nações”

Apesar de inicialmente estar previsto chamar-se Capoeira 4 All o título do livro acabou por ser “Roda das Nações” uma vez que simboliza a roda da capoeira composta por diversos país e culturas diferentes. A ideia da integração da capoeira neste encontro, que teve em 2007 a sua última edição na Polónia, era mostrar como a modalidade pode ser uma ferramenta e um método para encontros internacionais de jovens para tratar qualquer tipo de assunto.

Por: Nuno Santos Ferreira – http://www.labor.pt

ACANNE: Na volta que o mundo deu, na volta que o mundo dá…

ACANNE: Associação de Capoeira Angola Navio Negreiro, Apresenta para 2008 o Ciclo de debates, vivências e exibição de vídeos, com intuito de refletir sobre Capoeira Angola, Identidade e Globalização.

"NA VOLTA QUE O MUNDO DEU, NA VOLTA QUE O MUNDO DÁ!"
Ciclo de debates, vivências e exibição de vídeos, com intuito de refletir sobre
Capoeira Angola, Identidade e Globalização.

Apresentação:

Na certeza de que só manterão suas identidades na globalizacao aqueles e aquelas que estiverem em constante permanência com a sua cultura, a ACANNE trabalhará este ano com a idéia de aprofundar conhecimentos sobre o papel da Capoeira Angola, enquanto prática de liberdade contemporânea e guardiã de valores identitários.

Apartir de Março, sempre na última Sexta Feira de cada mês, além da nossa tradicional roda semanal de Capoeira Angola, haverá uma atividade especial que fará parte da programação do projeto: "NA VOLTA QUE O MUNDO DEU, NA VOLTA QUE O MUNDO DÁ"

Local:

ACANNE – Associação de Capoeira Angola Navio Negreiro
Rua do Sodré, 48 – bairro: Dois de Julho – Salvador – Bahia
Fones: (71) 3321-7496 / 3321-1488 / 9148-5999
Maiores informações: mestrerene@yahoo.com
ou visitando nossos sites: www.acanne.com e www.acanne.org

Espero você em nosso Quilombo!!

Um abraço,

Mestre Renê Bittencourt

Vila Velha – ES: 1º Fórum de Capoeira

 

1º Fórum de Capoeira começa nesta sexta-feira em Vila Velha

Três dias com aulões, rodas de capoeira e palestras. A programação faz parte do 1º Fórum de Capoeira de Vila Velha, que será realizado a partir desta sexta-feira (15), com a presença de mestres de capoeira de dentro e fora do Espírito Santo. As atividades vão acontecer na Tenda da Cultura e no Colégio Ateneu, em Coqueiral de Itaparica.

De acordo com o presidente da Associação de Capoeira Quilombo do Queimado, Cleber Vieira do Nascimento, o mestre Bininha, dentro das palestras serão abordados e discutidos temas como “A Capoeira do Espírito Santo” e “Ações das Secretarias de Cultura e do Ministério da Cultura”.

Confira a programação:

15/02 (sexta-feira) – 18h. Aulão de capoeira, com o mestre Buléia, de Belo Horizonte. Roda de capoeira com todos os grupos de capoeira que se apresentaram na Tenda da Cultura, nos meses de janeiro e fevereiro. Local: Tenda da Cultura (final da Orla de Itaparica, próximo à rotatória).

16/02 (sábado) – 19h. Aulão de capoeira, com o mestre Capixaba. Local: Colégio Ateneu (bairro Coqueiral de Itaparica, rua Professor Annor Silva 106 , que é a rua da UVV).

17/02 (domingo) – 10h. Encontro do Fórum de Capoeira com palestras do mestre Capixaba, de alguns secretários de cultura, parlamentares, mestre Merrinho de Caio, professor Pituca, professor Anderson.

 

 

Fonte: http://gazetaonline.globo.com/

Memorial da Capoeira Pernambucana

A CAPOEIRA LIBERTÁRIA E REVOLUCIONÁRIA

MEMORIAL DA CAPOEIRA PERNAMBUCANA

A capoeira na sua gênese, no século XIX, foi um dos elementos representativos da cultura de um espaço como o da cidade de Recife; tão diverso e mestiço sob o ponto de vista da origem e etnia de seus elementos componentes. Sua forma de expressar esta relação se deu através de uma comunicação gestual, onde os elementos deste cenário eram provenientes da interação entre as diversas categorias que criavam o tecido deste contexto cultural.

O memorial da capoeira Pernambucana, convida para seu seminário de abertura, dia 24 de fevereiro as 10 horas.
Seus coordenadores, Mestre Gil Velho e Mestre Mulatinho, apresentarão as ações e objetivos do projeto, com ensaios de capoeiragem pernambucana.

Programação

10:00 horas

Oficina: Musicalidade e comunicação gestual da capoeira Pernambucana
Mestre Gil Velho

13:00 horas

Mesa Redonda: A capoeira como regate contexto cultural do indivíduo. Mestre Gil Velho, Mestre Mulatinho e Mestre Corisco.

14:30 horas

Almoço e festa

Local: Rua Maria Digna Gameiro 237 Candeias.

Informações:

Tel: 99906174 33261221

e-mail: gilvelho@yahoo.com.br

Capoeiristas de Ubatuba conquistam medalhas no mundial

Ubatuba fez história na capoeira mundial, ao voltar com duas medalhas da seletiva brasileira e duas do primeiro campeonato mundial da modalidade, disputado na cidade de Araras nos dias 8, 9 e 10 de fevereiro, interior de São Paulo.

O torneio, disputado por mais de 90 atletas de Brasil, Estados Unidos, Espanha, Alemanha, São Tomé Príncipe, México, Canadá, Indonésia, Bélgica e Armênia, teve a participação das atletas Mariana Zemel (senior leve feminino) e Talita Aline Narciso (juvenil pesado feminino) da Academia Unidos à Liberdade (Tradição) do mestre Junior Preguiça.

Mariana conquistou o primeiro lugar na seletiva e no mundial, enquanto Talita ficou em segundo em ambas as competições. Para Mariana a conquista foi muito importante : “A capoeira em Ubatuba tem obtido grande progresso e esse resultado no mundial vai aumentar a procura pela modalidade”, disse a atleta.

O secretário de Esportes e Lazer de Ubatuba, Bittencurt Jr. parabenizou as atletas “A capoeira de Ubatuba vem conquistando bons resultados e essas conquistas no campeonato mundial vem coroar o trabalho da modalidade no município. A meta da administração do prefeito Eduardo César é continuar investindo nas modalidades esportivas praticadas no município para obter resultados de sucesso, como esse”, comentou o secretário.

Os representantes de Ubatuba fizeram questão de agradecer pessoalmente a Prefeitura de Ubatuba, por meio da Secretaria de Esportes e Lazer na tarde de segunda-feira, 11, onde foram recebidos pelo coordenador de esportes Luiz Roberto Sant’anna.

Arbitragem internacional

O mestre Junior Preguiça, que também atuou como árbitro do evento explica como as lutas são disputadas: “ Cada confronto tem dois minutos e dois árbitros avaliam harmonia, técnica, eficiência dos golpes e volume de jogo (como no boxe), concedendo notas de zero a dez para os competidores.

“Queremos agradecer ao apoio da Prefeitura de Ubatuba, que tornou possível essa conquista”, declarou Junior.

Esporte Olímpico

O objetivo da Federação Internacional de Capoeira agora, é levar o esporte a uma Olimpiada. Atualmente a capoeira tem 6 milhões de praticantes em 132 países, mas só 16 deles fazem parte da Federação Internacional. Para entrar nas Olimpíadas, é necessária a adesão de mais 24 nações. (Fonte: Assessoria de Comunicação PMU)

Fonte: http://www.pindavale.com.br

Assembléia Geral da FICA – Principais Deliberações

ASSEMBLÉIA GERAL DA FICA – PRINCIPAIS DELIBERAÇÕES

1- Aprovada por unanimidade a prestação de contas do período anterior e o regimento financeiro para 2008

2- As Federações Nacionais aprovam o reconhecimento da FICA pelo COI

3- Aprovou-se a proposta da Presidência e não será mais exigido o uso de graduação oficial para a filiação na FICA , nem em suas filiadas. As graduações serão de responsabilidades dos próprios grupos e demais entidades. Com isto abre-se a possibilidade de filiação dos grandes grupos e dos praticantes de Capoeira Angola. Com isto a FICA dá o primeiro passo para a unificação e o fortalecimento mundial da Capoeira.

4- Lançado o Plano Mundial de Capacitação Técnica, Desportiva e Cultural, que será implantado já em 2008, através de convênios com institutos educacionais.

5- A FICA realizará o Primeiro Congresso Técnico Mundial de Capoeira Contemporânea e irá inserir esta prática nas competições mundiais;

6- Aprovou-se a filiação direta na FICA nos locais onde não houver entidades filiadas ou reconhecidas. Bastará consultar por e-mail em capoeira.fica@gmail.com .

7- Somente a FICA formará árbitros estaduais, nacionais e internacionais. Nenhuma outra entidade terá tal prerrogativa.

8- Prof. Dr. Sergio Vieira foi eleito por aclamação pela quarta vez consecutiva. Vice-Presidente Geral será o Sr. E. Javier Rubierta Cuervo (Espanha). O Vice-Presidente Técnico-Desportivo: Mestre Valentim Rodolfo Mussarelli (Tim) e o Vice-Presidente Cultural (Mestre Miguel Machado).

9- Aprovada a instalação da Sede Geral da FICA na Suíça, da Sede Européia na Espanha e da Sede Executiva na Brasil.

FICA – Prof. Sergio Vieira – capoeira.fica@gmail.com

 

Crônica: A Chatice da Igualdade

A CHATICE DA IGUALDADE.
Como trabalhar as diferenças e aprender com elas.

Quem nunca viveu uma situação como esta; tu sai a procura de emprego roda, roda, roda e só encontra NÃO ou então a seguinte frase: Você é muito qualificado para o cargo; arquivaremos e seu currículo. É péssimo não é? Vamos usar esta comparação para amigos e amigas portadores de necessidades especiais que além da procura de emprego e educação; buscam atividades físicas planejadas como jogos coletivos, lutas, atividades aquáticas, danças ou qualquer outro exercício.

Enquadra-se aqui os mais diferentes aspectos em deficiência física, mental, social, cognitiva, motora, visual ou outras. Aliás, que palavra é está hein??? Deficiência!!!

Acredito que todos nós temos as nossas. Eu tenho as minhas, você não tem as suas?

Há também tanta deficiência moral e ética no mundo e estas, muitas vezes, são denominadas de “normais”. Enfim; está é uma outra história!

Voltemos à questão da inclusão. Incluir é diferente de integrar. Incluir é fazer com que este indivíduo participe da atividade, do emprego, do jogo, da educação. Integrar é somente juntá-lo ao grupo, muitas vezes desprezando a sua presença e não pensando em procedimentos para fazer com que esta pessoa faça parte do momento. Então; a questão é inclusão e não integração!

Já presenciei inúmeras vezes educadores, professores, gerentes, diretores, donos de empresa tirando o corpo fora quando é hora de “incluir” . Oferecem uma desculpa qualquer, indicam o vizinho e jogam a batata quente para o outro lado.

Certa vez uma mãe de um garoto com necessidades especiais me procurou dizendo da dificuldade em achar um local para que seu filho praticasse um esporte. Ouviu uma série de desculpas e até um encaminhamento para a medicina, tratando assim o garoto como um doente e não como uma pessoa capaz de realizar toda e qualquer tarefa, necessitando apenas de uma adaptação para isso.

Todos podem dividir os mesmo espaços e as mesmas atividades sem muitos esforços. Basta um pouco de bom senso e curiosidade por parte de educadores para saber qual necessidade devemos adaptar para cada situação que nos é colocada à prova. Cadeirantes, amputados, deficientes visuais, transtornos mentais, dificuldade de cognição não importa o título. É apenas necessário buscar a informação e proceder acolhendo e tratando sem distinção estas pessoas que nos procuram.

Muitos ainda pecam por excesso de zelo. Não por culpa própria, mas por inexperiência. Os portadores de necessidades especiais devem ser tratados como os demais. Sem mimos ou dó. Normal!O estimule e elogie, cobre e se preciso chame a atenção. Você o fará se sentir uma pessoa como outra qualquer que na verdade é o que são.

No geral eles são mais aplicados. Insistem mais na repetição do exercício ou no estudo. Não desistem fácil e raramente faltam às aulas. Possuem um compromisso enorme com a atividade ou a aula. Não é raro encontrarmos pessoas que praticam capoeira com amputação de membros inferiores ou com grave comprometimento neurológico. Mesmo assim podem sentir a energia da roda, tocar os instrumentos, cantar, bater palmas, pesquisar e nos fornecer lições que só a vida pode nos ensinar. E a presença de todos eles durante a aula, contribui com os demais que enxergam nestas pessoas a superação, e quebram certos paradigmas enraizados como o preconceito e a discriminação.

Na vida, constantemente estamos nos adaptando a diferentes situações. Caímos e levantamos, superamos crises e infelicidades. Encaramos novas realidades e mudanças. Conhecemos novos lugares e pessoas. Tudo isto pede adaptação. Um saber agir diferente e a capacidade de mudar, transformar e tocar o barco à frente. No momento que você for colocado à prova, não desista. Procure informação, leia, pesquise, mas antes de tudo traga a pessoa para junto de si. Faça-a sentir a segurança do seu trabalho e afeto no seu falar. Ache meios para ela participar de sua aula. Busque saber sim o seu estado clínico, principalmente com patologias relacionadas com o sistema cárdio-respiratório e músculo-esquelético. Mas nunca a trate como um doente. Certamente você aprenderá demais e multiplicará as suas experiências. Na era da inclusão não é necessário muito para a sua colaboração, somente tirar boas impressões das diferenças. Afinal que chato se fossemos todos iguais!

BEIJA-FLOR

*Educador em Capoeira. *Bacharel em Comunicação Social com especialização em Jornalismo. *Licenciado Pleno e Bacharel em Educação Física. Grupo Macungo de Capoeira, extensão Projeto Beija-Flor

SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP

http://bfcapoeira.vilabol.com.br

beijflor@portalcapoeira.com

Santos: Aulas de Capoeira ao ar livre no Mercado Municipal

O projeto “Capoeira Escola”, que proporciona aulas gratuitas para portadores de deficiências, crianças e adultos no Mercado Municipal, agora ocorre também ao ar livre, um sábado por mês. A próxima aula externa será no dia 23, às 17h. As outras são realizadas às quartas e sextas-feiras, das 17h às 18h, nas dependências internas do mercado.

Ainda há vagas e os interessados podem se inscrever no horário das aulas, com o professor Márcio Santos, levando um atestado médico e o RG ou Certidão de Nascimento. Este é o segundo ano do projeto, que tem o apoio da Prefeitura e objetiva auxiliar na formação física e no caráter das pessoas.

Fonte: Depto. Imprensa – Prefeitura Municipal de Santos

Programação: Capoeira Angola Cultural Centre Austrália

O Capoeira Angola Cultural Centre e uma Associação, sem fins lucrativos que desenvolve vários projetos em sydney. Tendo como carro chefe a pratica da Capoeira Angola. E utilizando esta mesma ferramenta desenvolvemos o projeto Bantu de Capoeira Angola, onde trabalhos com crianças e adolescentes Aboriginal e refugiadas na Austrália, de origem Africana e Asiáticas. Alem deste projetos estamos iniciando grupos de estudos sobre Ritualidade e a pratica da Capoeira Angola e suas influencias iniciando pela Ladja , que uma pratica similar a Capoeira, desenvolvida na Martinica, e teremos tanbem uma pequena biblioteca, que já estará funcionando na próxima semana, onde os interessados poderão vim ate o centre, e desenvolver suas leituras sobre a Cultura Afro brasileira. E importante salientar que o centro um projeto desenvolvido e mantido pela Escola de Capoeira Angola Mato, tanbem fundada pelo Mestre Roxinho no ano de 1999 em Salvador Bahia.

Hoje com 5 núcleos, entre os países Brasil, Austrália e Portugal.

O motivo desta matéria é para levarmos esta informações a todos os praticantes e admiradores desta arte, que o centro e um espaço aberto a todos independente de grupos ou estilos de Capoeira, e tanbem divulgar nossa programação do primeiro semestre deste ano. E estaremos ainda este provavelmente no més de junho Inaugurando nosso projeto social, em Salvador Bahia , no bairro de Fazenda Grande do Retiro , que sera coordenado pelo Mestre Virgílio.

Capoeira Angola Cultural Centre Austrália
Fundado em 05 de Junho de 2007
Sydney Australia
Pelo Mestre Roxinho

  • Segue nossa programação abaixo:

Program Cultural Centre:

Videos :

Saturday 16th of February Video

Video sobre Ladja dia 16 de fevereiro 17:00hs

about Ladja from Martinique at 5pm

Saturday 8th of March Video:

Video Cidade das Mulheres dia 08 de Marco 17:00hs

City of Women from Bahia Brazil at 5pm

Saturday 12th of April Video:

Video sobre o Sul da Africa 12 abril 17:00hs

Everything must come to light at 5pm

Saturday 10th of May Video:

Video Quilombo Country dia 10 Maio 5:00hs

Quilombo Country at 5pm

Informações que estamos abertos para doações de livros e vídeos sobre Capoeira Angola e Cultura Afro .

Para maiores informações sobre nosso trabalho e endereço visite nosso sites:

www.capoeira-angola.com.au
www.capoeirangola-projectbantu.com

Desde já agradeço pela ajuda de todos

Mestre Roxinho

Mob 0415 298 950
Wk 02 9340 0404 or 02 8021 4941
Skype: vamosvadiarangola
Website: www.capoeira-angola.com.au

School of Capoeira Angola Mato Rasteiro