Blog

Agosto 2008

Vendo Artigos de: Agosto , 2008

ZUMBIMBA 2008

Mestre Nenel, os amigos da Turma de Bimba, Forte da Capoeira e todo pessoal da Filhos de Bimba, convidam os leitores e amigos do Portal Capoeira para mais um fantástico evento: ZUMBIMBA 2008, que irá acontecer na Bahia em Novembro deste ano, em comemoração ao aniversário de Mestre Bimba

Programação:

Apresentações: Capoerê,Turma de Bimba, Iúna, Dança Filhos de Bimba,Tijubinas, Samba Chula, Rodas Cursos.Homenagem ao Regional do Ano, Entrega de Certificados (curso e avaliação), Formatura 2008, Roda em homenagem ao aniversário do Bimba.

Apoio:

Fundação Mestre Bimba
Turma de Bimba
Forte da Capoeira
Realização:
Filhos de Bimba Escola de Capoeira

Informações:

(71) 3322-5082 / 9165 4008 / 9127-7923

fumebi@gmail.com – menenel@gmail.com – aionara@hotmail.com

Data
Local
Horário
Atividade
20/nov.
Quinta-feira
 
Forte da Capoeira
09h00m
 
10h00m
12h00m
14h00m
17h00m
18h00m
 
19h00m
Abertura: Roda de Boas Vindas.
Curso
Intervalo para o almoço
Curso
Intervalo (Lanche).
Apresentação do Projeto Capoerê
Apresentação da Turma de Bimba
Iúna
21/nov.
Sexta-feira
Forte da Capoeira
10h00m
12h00m
14h00m
17h00m
18h00m
 
18h15m
19h15m
 
 
19h30m
Curso .
Intervalo para o almoço
Curso
Intervalo (Lanche)
Apresentação de Dança Filhos de Bimba
Apresentação das Tijubinas
Regional do Ano

Entrega de Certificados (curso e avaliação)

Samba Chula
22/nov.
Sábado
 
 
10h00m
Formatura 2008.
23/nov.
Domingo
Praça Mestre Bimba
10h00m

Roda em homenagem ao aniversário do Bimba.

Primeiro Seminário Cultural de Capoeira do Espírito Santo

Primeiro Seminário Cultural de Capoeira do Espírito Santo, realizado no dia 09/08/2008, promovido pela Secretaria da Cultura do Espírito Santo e que contou com a presença do Prof. Dr. Sergio Luiz de Souza Vieira, antrópólogo e Presidente da Federação Internacional de Capoeira e do Prof. Dr. Luiz Renato Vieira, sociólogo e assessor técnico do Senado Federal, além dos mestres: Cabral, Luiz Paulo, Capixaba, Bert e Fábio.

Ressaltamos que o processo de reconhecimento da Capoeira como patrimônio cultural imaterial brasileiro, promovido pelo IPHAN teve início em 19/05/2004 e foi arquivado em 22/10/2004 em função do encaminhamento não atender a legislação vigente. Tal processo foi reaberto no dia 23/02/2006 ocasião em que foi juntada a Tese de Doutorado em Antropologia: Da Capoeira: Como Patrimônio Cultural – PUC/SP, 2004, de autoria do Prof. Sergio Vieira. O mesmo também encaminhou para o IPHAN o relatório de conclusão de seu Pós-Poutorado em Administração (Gestão Socioambiental) FEA/USP denominado: Preservação das Espécies Vegetais para a Confecção de Berimbaus no Brasil, o qual é o mais completo estudo sobre madeiras utilizadas na fabricação de berimbaus.

Primeiro Seminário Cultural de Capoeira do Espírito SantoPrimeiro Seminário Cultural de Capoeira do Espírito Santo

 

I SEMINÁRIO CULTURAL DE CAPOEIRA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

TEMA: A POLÍTICA CULTURAL DA CAPOEIRA NO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO:

REALIDADES E POSSIBILIDADES

Local: Centro de Educação Física e Desportos da Universidade Federal do Espírito Santo

Avenida Fernando Ferrari s/n. Goiabeiras – Vitória / ES.

Data: 9 DE AGOSTO DE 2008 (SÁBADO)

Horário: 12h30 às 18h

PROGRAMAÇÃO:

 

12h30 Cadastro SECULT – Cadastro oficial dos Grupos de Capoeira e seus respectivos Mestres e Professores.
13h Abertura – Secretaria de Estado da Cultura.
13h15

13h15

13h40

14h20

Mesa de debate – Capoeira como Patrimônio Cultural

Ana Teles da Silva – IPHAN, Antropóloga, Técnica de Ciências Sociais.

Prof. Mestre Sergio Vieira – Pós-Doutor em Administração (Gestão Socioambiental) – FEA/USP, Doutor em Antropologia – PUC/SP, Mestre em Antropologia – PUC/SP, Especialista em Educação Física Infantil – UNIFIG, Especialista em Ginástica de Academia – UNIFIG, Professor de Educação Física – UNIFIG, Presidente da Federação Internacional de Capoeira – FICA

Mestre Luiz Renato Vieira – Doutor em Sociologia da Cultura e Consultor Legislativo do Senado Federal, na área de Assistência Social e Minorias(atua nas áreas de políticas sociais, minorias e direitos humanos).

15:00 Intervalo
15h20

15h30

16h00

16h30

Mesa de debate – Políticas públicas para a Capoeira no Espírito Santo: Realidades e Possibilidades.

Coordenadora: Christiane Wigneron Gimenes – Subsecretária de Estado de Patrimônio Cultural

Mestre Rogério Medeiros (Mestre Capixaba) – Mestre de Capoeira do Grupo A CAPOEIRA;

Mestre Luiz Paulo – Mestre de Capoeira: – A capoeira no Espírito Santo

Professor Aminthas Loureiro Júnior – Mestre em Economia / Consultor: Elementos constitutivos da Carta de Vitória.

17h00 Plenária Final:

  • Apresentação da “Carta de Vitória” – A Capoeira no Espírito Santo.
  • Políticas Públicas da Capoeira e mobilização sócio-política dos Capoeiras.
18h Encerramento do Evento.

 

Federação Internacional de Capoeira

Bahia: 30 capoeiristas recebem certificado de “capoeirista-educador”

No próximo dia 03 de setembro, às 15h, será realizado no Forte de Santo Antônio Além do Carmo o encerramento da turma João Pequeno de Pastinha e aula inaugural da 2ª turma do curso "Capoeira – Educação para a Paz". Durante o evento 30 capoeiristas receberão o certificado de "capoeirista-educador".

Iniciativa da Superintendência da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SECULT), o curso se insere na ação de aplicação da Lei Federal Nº. 11.645/2008, que institui a obrigatoriedade do tema "História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena" no currículo oficial da rede de ensino no Brasil.

Durante 45 dias, os alunos participaram de 27 módulos que incluíram aulas de direitos humanos, educação das relações étnico-raciais, elaboração de projetos, aspectos históricos da violência racial e de gênero, arte e resistência negra na Bahia e outros conteúdos que aproximaram o caráter dialógico e inclusivo da capoeira, as vivências pedagógicas colaborativas a exemplo do "círculo de cultura", metodologia desenvolvida pelo educador Paulo Freire.

O curso "Capoeira – Educação para a Paz" será uma ação permanente do Forte de Santo Antônio Além do Carmo. O forte fica localizado na Praça Barão do Triunfo, mais conhecida como Largo de Santo Antônio, no bairro de Santo Antônio Além do Carmo – Centro Histórico de Salvador, e é o mais novo espaço administrado pelo Instituto de Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (IPAC), autarquia da Secult.

Geovan Adorno Bantu
Assessoria de projetos
do Forte de Santo Antônio Além do Carmo
(71) 8721-9265/3117-1492/3241-4695
msn: eueeumesmo_2@hotmail.com

Bahia: Capoeira é tema de espetáculo nos Alagados

Pensa Capoeira no Alagados é o nome do espetáculo que mescla música, teatro de rua, artesanato, maculelê e capoeira e será mostrado, no dia 31 de agost, às 10 horas, no fim de linha do Uruguai.

Com a participação de cem artistas, entre crianças e adultos, a apresentação é fruto de uma parceria entre o Instituto Cultural Brasil Itália Europa (ICBIE), com sede na Ribeira, e a entidade Filhos do Sol Nascente, que fica nos Alagados.

O espetáculo será gratuito para levar um pouco de arte e cultura às famílias que ainda vivem nas palafitas.

Fonte: http://www.atarde.com.br/

Jogos “paraolímpicos” agitam a Serra

Distante do recente celeiro esportivo potencializado pelas olimpíadas de Pequim, na China, acontece a segunda edição dos "Jogos Paraolímpicos da Serra". Mais de 280 portadores de necessidades especiais se encontram para a disputa. O evento tem inicio nesta terça-feira (26) e vai até quinta-feira (28). As competições são realizadas na Associação Banestes de Vitória (ABV), no Bairro São Diogo, na Serra.

Os atletas ‘paraolímpicos’ participam dos jogos nas modalidades natação, futsal, atletismo, dança e capoeira. Nem todos são esportes olímpicos, mas a idéia é "democratizar as oportunidades de acesso para além do contexto dos jogos", diz a organizadora do evento Jovana Moreira.

Participam dos jogos representantes da Associação de Pais e Excepcionais (APAE) – da Serra, Vitória e Cariacia -, da Pestalozzi da Serra e de Vila Velha, da Escola Estadual de Educação Oral e Auditivo, escolas da rede municipal da Serra e União de Cegos Dom Pedro II (Unicep).

Além das atividades esportivas, a turma da Unicep também prepara uma apresentação especial. A partir desta terça-feira (26) iniciam-se as competições da natação e do futsal. Na quarta-feira (27) os ‘paraolímpicos’ disputam as provas do atletismo e na quinta (28) acontecem as apresentações de dança e capoeira.

Em todos os dias de competições os atletas também têm direito à refeições, com lanche e almoço. Bem alimentados, os esforços ficam voltados para o esporte. Superação e exemplo de vida marcam os Jogos Paraolímpicos da Serra.

Fonte: http://gazetaonline.globo.com/

Raízes do Brasil promove Semana Cultural Brasil/Venezuela

O grupo de capoeira Raízes do Brasil deu início neste domingo, 24, a Semana Cultural Brasil/Venezuela. A solenidade de abertura ocorreu no Espaço Multicultural do SESC, Centro.

Durante toda semana cerca de 100 integrantes do grupo e mais 25 capoeiristas da Venezuela, vão participar de diversas atividades envolvendo a cultura afro-brasileira.
A solenidade de abertura, realizada ontem, contou com a presença do coral do SESC e a da cantora Kárissi Blós, que cantou o Hino Nacional.

O organizador do evento, Dagoberto Luis, o Caimbé, informou que durante toda semana os capoeiristas vão participar de oficinas e aulas de capoeira. As oficinas acontecerão a partir das 16 horas no Espaço Multiuso do SESC. Já as aulas de capoeira ocorrerão das 19 às 21 horas na quadra de esportes da escola Monteiro Lobato.

No último dia do evento, 29 de agosto, os organizadores do evento estão programando um grande festival de capoeira aberto ao público, na quadra da escola Monteiro Lobato. Caimbé explicou que neste festival serão feitas apresentações de músicas, rodas de capoeira e apresentação da dança do fogo.

Para realizar o evento, os capoeiristas contam com o apoio do Governo do Estado, Setrabes, SESC, Adivir, Porto Tur, Rede Tropical, Dry Car e Jacaré Auto Peças.

Entrevista: Mestre Mintirinha

Mestre Mintirinha – Luiz Américo da Silva – Grupo Terra o estilo Barravento.

Nascido aos 28 de agosto de 1950, desde os seis anos de idade praticando capoeira, teve como mestre o angoleiro Oswaldo Lisboa dos Santos, Mestre Paraná, excelente tocador de berimbau, que lhe passou os dotes musicais para o berimbau e também para o atabaque. Aos dezesseis anos já ministrava aulas de capoeira na academia do mestre Mário dos Santos, no Jacarezinho, Rio de Janeiro/RJ. Fundou o grupo Kapoarte de Obaluaê, Muzenza, Esporte Nacional (mais tarde Cruzeiro do Sul) e, atualmente, dirige o grupo Terra, em Olaria, Rio de Janeiro/RJ.

Constituído de excepcional forma física e dotado de uma velocidade extraordinária, uniu uma à outra e, na capoeira, com movimentos rápidos e viris, quase sem gingar – tal é o imediato entrelaçar de um golpe ao outro, a um toque rápido de berimbau e atabaque – o estilo Barravento (v. MARINHO, p.34) mostra seu poderio e beleza nas muitas rodas de capoeira que os seus alunos participam.

Read More

Fantástica tradição que se renova

Folcloristas estão sempre de olho vivo no andar da carruagem que carrega as manifestações culturais de seu povo. Eles protestam quando vêem pedaços desse legado caindo no brutal caminho do esquecimento ou do preconceito.

Neste 22 de agosto, quando se comemora nacionalmente o Dia do Folclore, mais importante do que se inteirar das atividades programadas para a data, é refletir que, apesar dos avanços tecnológicos e das transformações sociais, preservar a tradição é uma maneira de não deixar a história se perder.

Na Bahia, terra de todos os ritos e mitos, as manifestações folclóricas que ostentam a riqueza do imaginário popular são representadas pela capoeira (há um mês tombada como Patrimônio Imaterial Brasileiro), rodas de samba, puxadas de mastro, ternos de reis e bumba-meu-boi.

A etnomusicóloga baiana e autoridade em folclore, Emília Biancardi, puxa o cordão dos descontentes. "Todos nós folcloristas, incluindo (o pernambucano) Roberto Benjamim, achamos que, apesar do atual movimento em torno da valorização das tradições, a prática não condiz com a falação".

Para ela, pesquisadora do repertório musical afro-baiano e pioneira em levar essas manifestações para palcos

do mundo inteiro, a volta da Caminhada Axé, por exemplo, seria um ganho cultural para o estado.

“Para fazer valer a proposta do atual governo baiano de resgatar as manifestações tradicionais, é preciso que se invista na formação escolar voltada para a nossa história, para as nossas origens", sugere a pesquisadora, autora do livro Raízes Musicais da Bahia.

Falar de folclore sem se reportar a Luis da Câmara Cascudo (1898-1986) é o mesmo que ignorar figuras fantásticas da cultura brasileira, como o saci-pererê, a curupira, a mula-sem-cabeça e o boitatá.

Mas é bom lembrar que, como a cultura é dinâmica e está sempre se modificando, o folclore é tradição que se renova e ganha elementos novos ao longo do tempo e de um lugar para o outro.

Folclore, enquanto manifestações culturais e artísticas de um povo, é entendido por Mario Souto Maior, no seu Dicionário de Folcloristas Brasileiros, “o conjunto de costumes, crenças, tradições, lendas, provérbios, danças e canções transmitidos de geração em geração”.

História – A palavra folclore é de origem inglesa: folk (povo) e lore (saber) e significa sabedoria popular. Foi empregada pela primeira vez, em 1846, pelo arqueólogo inglês William John Thoms, para substituir a expressão “Antigüidades Populares". Em 1965, foi instituído o 22 de agosto no Brasil como o Dia do Folclore.

Algumas manifestações folclóricas são de caráter nacional (carnaval, futebol) e outras, regional (boi-bumbá, no Amazonas; Maracatu, em Pernambuco, Farra do Boi, em Santa Catarina, etc).

PROGRAMAÇÃO

Escola de Dança da Funceb – Dentre as comemorações pelo Dia do Folclore, destaque para o cortejo formado por cerca de 350 alunos do curso preparatório da Escola de Dança da Fundação Cultural do Estado, dirigida por Clécia Queiroz. Pelo segundo ano, eles desfilarão pelo Centro Histórico, amanhã, a partir das 15 horas, partindo de sua sede (Pelourinho) à Praça Pedro Arcanjo.

Pelourinho Cultural – Já o programa da Secretaria de Cultura da Bahia aposta no projeto Literatura entre as Ruas. O evento, cuja proposta é resgatar e valorizar a cultura popular através do teatro, artes plásticas, literatura, dança e música, teve quarta, 20, e prossegue até sexta, 22, no Largo Tereza Batista, das 10 às 20 horas, com acesso gratuito ao público. O projeto explora a literatura de cordel por meio de oficinas de xilogravura, teatro e construção de poesia popular. Haverá também feira de livros, palestras, apresentações teatral e musical, além da exposição Cordel reformado.

Mestre Bigodinho – Ainda dentro da programação folclórica, atenção para o Tributo ao Mestre Bigodinho, o Raimundo Santana, ainda na ativa , aos 79 anos. O projeto, organizado pelos mestres Lua Rasta e Ivan, tem abertura amanhã, às 10 horas, na Faculdade de Educação da Ufba (Canela), onde cerca de 20 crianças capoeiristas de Santo Amaro serão recebidas por mestres de capoeira. Em seguida, às 15 horas, o grupo visita o Centro Histórico e participam de oficinas e roda de capoeira.

Cirandando Brasil
– As crianças da Oscip – Sons do bem, através do projeto Cirandando Brasil – Memória da Brincadeira, da cantora Nairzinha, apresentam o que estão aprendendo em música, literatura, capoeira, dança, brincadeiras, folclore de origem africana, indígena e portuguesa. O evento acontece das 8h30 às 11h e das 14 às 16h30 na Escola Estadual Anísio Teixeira (Ladeira do Paiva, 40, Caixa D´Água).

Balé Folclórico da Bahia – Única companhia de dança folclórica profissional do país, o Balé Folclórico da Bahia completa no mês em se comemora o Dia do Folclore 20 anos de atividades. O grupo criado por Walson Botelho e Ninho Reis irá apresentar um espetáculo especial. No Teatro Castro Alves, neste domingo, às 20 horas, quando reviverá no palco duas décadas de dedicação às manifestações populares, representadas através da dança e da música.

Fonte: http://www.atarde.com.br/

Audiência Pública: Projeto de Lei Regulamenta a profissão Mestre de Capoeira

CONVITE – AUDIÊNCIA PÚBLICA PROJETO DE LEI REGULAMENTA A PROFISSÃO MESTRE DE CAPOEIRA

Temos a honra de formular o presente convite para apresentação do Projeto de Lei que dispõe sobre a regulamentação da Profissão de Capoeirista e dá outras providências. Projeto de Lei de autoria Dep. Federal Carlos Zarattini (que está em tramitação no Congresso Nacional). A Audiência Pública acontecerá na Assembléia Legislativa de São Paulo, (Auditório Teotônio Vilela) no próximo dia 21 de Agosto, às 19 horas.

  • AABA – Associação de Amizade Brasil Angola
  • Abracap – Associação Brasileira de Capoeira
  • Associação Brasileira de Capoeira Angola
  • CIC – Confederação Internacional de Capoeira
  • Congresso Nacional de Capoeira
  • Deputado Estadual José Candido
  • Deputado Federal Dr. Carlos Zarattini
  • FBC – Federação Brasileira de Capoeira
  • FPC – Federação Paulista de Capoeira
  • Grupo Abada de Capoeira
  • Superliga Brasileira de Capoeira


Por favor, confirmar presença nos seguintes telefones:

(11) 3227- 2822 – 3227 2828 – (11) 4437-1071 / 8672-0332 – NEI

Inscrições: Projetos Criança Esperança em 2009

No dia 15 de agosto, iniciou-se as inscrições para seleção dos projetos a serem apoiados pelo Criança Esperança em 2009. As entidades interessadas em receber apoio devem ler atentamente as instruções da convocatória e enviar sua inscrição até o dia 30 de setembro, em formulário próprio, disponível no site

http://criancaesperanca.globo.com/CEsperanca/upload/Convocatoria2008.zip

Poderão candidatar-se organizações da sociedade civil sem fins lucrativos que apresentem projetos com o objetivo principal de promover a inclusão social, o empoderamento e o desenvolvimento humano e social e a educação inclusiva de grupos vulneráveis por meio de ações de educação, cultura, comunicação e informação, esporte e meio ambiente.

A organização proponente deve ainda preencher os seguintes quesitos:

– Ser legalmente constituída no país (possuir personalidade jurídica);

– Ter no mínimo dois anos de fundação e atuação;

– Possuir experiência na área temática proposta;

– Estar inscrita no Conselho Municipal e/ou Estadual e/ou Nacional de sua área de atuação (Conselhos de Assistência Social, Conselhos dos Direitos da Criança e do Adolescente, Conselhos de Educação, Conselhos de Saúde);

– Apresentar contrapartida para o desenvolvimento do projeto.

Serão apoiados com recursos do Criança Esperança projetos desenvolvidos em, pelo menos, uma das seguintes áreas temáticas:

– Educação, especialmente "educação para todos" e educação preventiva para HIV/AIDS;

– Educação para o desenvolvimento sustentável;

– Inclusão social;

– Alfabetização funcional;

– Cultura como um instrumento de inclusão social;

– Acesso de jovens à informação, ao conhecimento, e também ao uso de novas tecnologias;

– Crianças e jovens em situação de vulnerabilidade.

E que tenham como público alvo, pelo menos, um dos seguintes grupos:

– Crianças, adolescentes e/ou jovens em situação de pobreza e/ou vulnerabilidade e risco social;

– Crianças, adolescentes e/ou jovens de minorias raciais (afro-descendentes e indígenas);

– Crianças, adolescentes e/ou jovens em situação de rua;

– Crianças, adolescentes e /ou jovens vivendo com HIV/Aids;

– Crianças, adolescentes e/ou jovens em projetos de prevenção e/ou reabilitação do uso de drogas;

– Crianças, adolescentes e/ou jovens vítimas de violência e/ou abuso sexual e/ou doméstico;

– Crianças, adolescentes e/ou jovens com deficiência;

– Crianças, adolescentes e/ou jovens do gênero feminino em situação de vulnerabilidade pessoal e social.

Poderão concorrer projetos que solicitem financiamento ao Criança Esperança de até R$ 150.000 (cento e cinqüenta mil reais) para um período de 12 (doze) meses.

Projetos de valor superior a R$ 150.000 poderão ser aceitos, desde que o excedente a esse valor seja proveniente de outras fontes.

O financiamento desse excedente deve estar assegurado junto a outras fontes, sendo obrigatória a sua comprovação no caso de eventual seleção pelo Criança Esperança.

Cabe destacar, conforme edital, não serão financiadas despesas com:

– A realização de edificações, qualquer tipo de obras ou benfeitorias e/ou reformas de estruturas físicas;

– O pagamento de taxas de gestão/administração ou provisões;

– O pagamento de juros ou multas de qualquer espécie.

A aplicação dos recursos deve ser direcionada prioritariamente para a realização de atividades-fim (a exemplo de oficinas, cursos, treinamentos, capacitações etc.) e/ou aquisição de equipamentos e bens permanentes (a exemplo de livros, DVDs, instrumentos musicais, de informática etc.).

Não serão financiados projetos cujos recursos estejam majoritariamente empregados para o pagamento de recursos humanos e/ou alimentação.

Mais informações www.criancaesperanca.com.br

Andrey Felipe Sgorla
Sociólogo
blog.: andreysgorla.wordpress.com
Cel.: (51) 9848.7767
e-mail: afsgorla@gmail.com