Blog

Maio 2009

Vendo Artigos de: Maio , 2009

Nota de Falecimento: Mestre Osvaldo de Souza

Aos 30 dias do mes de maio de 2009, morre na cidade de Goiânia o Mestre Osvaldo de Souza, depois de lutar contra um cancer que iniciou na próstata e se generalizou por todo o corpo.

Mestre Osvaldo, foi quem trouxe para Goiânia na década de 70 o Mestre Bimba, e era considerado por muitos alunos do Mestre como traidor mas, por outros como aquele que alavancou as frontreiras da capoeira Regional um dos pioneiros da Capoeira em Goiás o Mestre escreveu livros e formou muitos capoeiristas, deixando assim uma lacuna na Capoeira de Goiàs.

Fica aqui os votos de gratidão Mestre, por tudo que fez pela Capoeira de Goiás.

Axé Mestre!!!

Capoeira Luanda
C/Mestre Apache
C/Mestre Guerreiro

Lançamento do Livro: A política da capoeiragem

A Editora da Universidade Federal da Bahia fará seu próximo lançamento em Ilhéus-BA. O livro A política da capoeiragem :  a história social da capoeira e do boi-bumbá no Pará republicano (1888-1906), escrito por Luiz Augusto Pinheiro Leal, retrata a história da capoeiragem  durante a república no Brasil. O evento será realizado no Auditório Jorge Amado, na terça feira, dia 02 de junho, às 18:30h.

 

A política da capoeiragem: a história social da capoeira e do boi-bumbá no Pará republicano (1888-1906)

 

Luiz Augusto Pinheiro Leal

ISBN 978-85-232-0482-2

Editora: UFBA

237 p

 

 

A obra faz um relato sobre capoeira no Brasil no início do século XX . Tem como foco a região do Pará, onde a capoeira tem peculiaridaes diferentes da região da Bahia e do Rio de Janeiro. O livro é dividido em três capítulos e mostra a relação da capoeira com o Boi-bumbá e a capangagem política. Revela, também, a participação da capoeiragem na implantação da República no Brasil e as campanhas repressivas à capoeira e à “vagabundagem” na cidade de Belém. No fim da obra encontra-se uma lista com os capoeiristas do Pará antes da década de 70,  assim como, um elucidário com termos característicos do lugar e da época  citada.

” Ao mesmo tempo , a capoeira é transformada na competente pena de Luiz Augusto em uma janela para se observar a história dessa classe trabalhadora. Neste e em outros aspectos, é especialmente criativo o uso que ele consegue fazer da literatura como fonte para a história que narra.”

João José Reis

O quê: Lançamento do livro A política da capoeiragem :  a história social da capoeira e do boi-bumbá no Pará republicano (1888-1906, escrito por Luiz Augusto Pinheiro Leal

Quando: 02 de junho, terça-feira.

Onde: Auditório Jorge Amado – UESC

Ilhéus-BA

Horário: 18:30 horas

Att,
Esther Paola
Assessoria de Comunicação
EDUFBA (71) 32836163
www.edufba.ufba.br

Qualidade de vida que vem pelos trilhos

O som do pandeiro e do berimbau e o bater de palmas sincronizado pode representar apenas uma animada reunião de roda de capoeira, mas para um grupo de 35 crianças de seis a 12 anos, que moram no Bairro Passagem, em Tubarão, significa o começo um futuro promissor e distante dos problemas sociais na comunidade.

No Projeto Tração, idealizado pela Ferrovia Tereza Cristina, as crianças recebem uma alternativa de lazer que agrega dança e cultura.

As propostas são oferecer o aprendizado de uma cultura interessante e deixar as crianças longe dos problemas. Escolhemos esse bairro porque os trilhos passam perto – explicou a técnica em gestão social da empresa Fernanda Ramos.

A aula inaugural de dança e capoeira reuniu, no centro social do bairro, as crianças, pais e professores. Como o projeto foi iniciado em outubro para os ensinamentos práticos, os pequenos estudantes deram uma boa demonstração de afinidade com a capoeira.

A gente tem que lutar e se esforçar, mas também respeitar as outras pessoas da roda – ensinou Sara Stefani, 10 anos.

De acordo com o professor Frank Ribeiro Medeiros, as aulas de capoeira serão úteis para a formação moral das crianças beneficiadas:

A capoeira transmite valores para a formação de uma pessoa de bem.

As 35 crianças beneficiadas estudam na Escola de Educação Básica Martinho Guizzo. Pelo menos 15 vagas estão abertas para estudantes do bairro. Além da capoeira e da dança, também são trabalhadas a destinação correta ou reciclagem do lixo e noções de segurança em torno da ferrovia.

Fonte: http://www.clicrbs.com.br/

Capoeira do Acre no Peru

Grupo chama a atenção de turistas de vários lugares do mundo durante Semana da Amazônia Brasileira em Cusco mostrando o esporte como ferramenta para integração

Não foram somente debates, seminários, exposições e rodadas de negócios que promovem o intercâmbio entre brasileiros e peruanos durante a Semana da Amazônia Brasileira, realizada em Cusco pelo Governo do Acre. O esporte também é uma ferramenta importante como incentivo à integração e esteve presente na agenda de atividades. Desde a última segunda-feira, 25, o Grupo Cordão de Ouro realiza apresentações e oficinas na Praça Regocijo, no centro da cidade peruana.

A altitude não ajuda muito os atletas. O ar rarefeito típico das regiões altas, pesa e diminui a pressão da atmosfera, causando grande dificuldade de respiração. A sensação de cansaço e falta de ar é grande. Mas não foi suficiente para tirar a disposição e a alegria típica de uma roda de capoeira.

O Mestre Francisco Alexandre, conhecido como Xandão, está à frente do grupo que durante essa semana apresenta um pouco da riqueza desse esporte tipicamente brasileiro. A capoeira, segundo ele, sempre atrai a atenção de pessoas do mundo todo por seu ritmo e gingado. “Hoje estamos com unidades do grupo também aqui no Peru, abrindo turmas aqui, porque há um interesse grande pelo esporte”, afirmou.

Para o professor, participar da Semana da Amazônia Brasileira em Cusco foi um momento importante, e a capoeira contribuiu para o objetivo de promover a integração. Prova disso foram as rodas, sempre no fim da tarde, que reuniram pessoas de diferentes nacionalidades, seja para jogar ou simplesmente assistir batendo palmas. E depois da apresentação, quem quisesse, ainda podia participar da oficina de capoeira realizada na praça mesmo, ao ar livre. “O Governo do Estado está de parabéns pela iniciativa, e o esporte é sem dúvida um importante instrumento de integração. Apesar do cansaço, a gente não consegue ficar muito tempo na roda, mas isso não tira nossa satisfação e alegria em participar”.

A turista Sophia Laurant veio da França para passear em Cusco e não resistiu a uma parada na roda de capoeira. “Conheço muitos brasileiros na França que praticam o esporte. Por isso já conheço o esporte. Eu acho um esporte bonito porque é uma luta que mistura dança, e tem uns passos diferentes”.

O brasileiro Celso Bess mora em Cusco onde é professor de português. Ele disse que já esperava esse momento de integração entre os moradores dos dois países. “Não tem como não acontecer. E a partir de agora esse movimento vai acontecer muito mais rapidamente com a abertura da estrada no próximo ano e com iniciativas como essa, de promoção de conhecimento entre brasileiros e peruanos. Eu não conheço o Acre, mas com certeza irei em breve”, disse o professor após ter participado da roda. “Até eu que já estou acostumado com a altitude me cansei. Mas foi divertido”. 

* Pessoas de diferentes nacionalidades participaram da roda em praça pública (Foto: Sérgio Vale/Secom)

Fonte:  Agência de Notícias do Acre – http://www.agencia.ac.gov.br/

Salvador: PROJETO “CINEMA, CAPOEIRA E SAMBA”

PROJETO “CINEMA, CAPOEIRA E SAMBA”

TODA ÚLTIMA SEXTA DO MÊS – ACADEMIA DO MESTRE JOÃO PEQUENO DE PASTINHA

 

 

Próxima Sexta (dia 29) – às 19 horas na ACADEMIA DO MESTRE JOÃO PEQUENO DE PASTINHA, localizada no Forte da Capoeira: 

 

Os filmes (curtas) que serão exibidos:

“Vadiação”

 

Em seguida uma RODA DE SAMBA TRADICIONAL comandada pelo GRUPO BOTEQUIM no bar do Geovani – em frente ao Forte

 

COMPAREÇAM !!!

 

 

Serviço:

Projeto “CINEMA, CAPOEIRA E SAMBA”

Local: Forte da Capoeira (Largo Santo Antonio Além Carmo – proximo ao Pelourinho)

Data: 29/05/09

Horário: 19 horas

Gratuito

 

Informações: 

3285-3292 (Enio ) / 8115-9235 (Zoinho)

Aniversário de Mestre Brasília, 67 voltas ao mundo e muita capoeira…

Antônio Cardoso Andrade, Mestre Brasília, nascido em 29-05-1942, é também um dos pioneiros da Capoeira paulista. Aprendeu com mestre Canjiquinha, de quem foi discípulo e amigo dedicado.

Veio para São Paulo, gostou, acabou ficando. Praticava capoeira na antiga CMTC, com mestre Melo, e na academia do mestre Zé de Freitas, no Brás. Conheceu então mestre Suassuna, e juntos fundaram uma academia, a “Cordão de Ouro”, que viria a se tornar no pólo principal da Capoeira paulista. Joga com extrema elegância e habilidade.

Atualmente, Mestre Brasilia está ministrando suas aulas no Galpão do Circo, R. Girassol, 323, Vila Madalena, SP. É vice-presidente cultural da Federação de Capoeira do Estado de São Paulo, entidade filiada à Confederação Brasileira de Capoeira e à Federação Internacional de Capoeira; atualmente, é presidente do Conselho Superior de Mestres – seção São Paulo.

O Portal Capoeira presta esta singela homenagem a um dos precursores da capoeira em São Paulo e deseja muita paz, saúde e muita capoeiragem para este grande mestre!!!

Fica aqui também um abraço especial pois gostaria de deixar registrado o quanto é importante para mim ter tido em meu batizado… + – 1988/89 na Escola Paulista de Medicina em SP, sob a organização dos Mestres Flavinho Tucano e Dal, CDO a presença ilustre de Mestre Brasilia, por quem tive a honra de ser batizado… ainda lembro como se fosse hoje: Terno branco… sapato branco… chapeu branco… a elegancia e o bom gosto de um grande mestre…

Felicidades Mestre Brasilia!!!

Homenagem Portal Capoeira
Luciano Milani
Portal Capoeira

Capoeira recebe homenagem em selo postal

Os Correios lançam nesta segunda-feira (25), às 20h, no Teatro Castro Alves, em Salvador, selo em homenagem à roda de capoeira e ao ofício dos mestres dessa importante manifestação popular, tornada Patrimônio Imaterial do Brasil em 15 de julho de 2008. A cerimônia de lançamento será realizada em meio às comemorações do Dia da África e contará com a participação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva; do presidente do Senegal, Abdoulaye Wade; do Ministro da Cultura, Juca Ferreira; do governador da Bahia, Jaques Wagner, e do presidente dos Correios, Carlos Henrique Custódio.

Durante o evento, será lançado oficialmente o III FESMAN – Festival Mundial das Artes Negras, uma realização do governo do Senegal, previsto para ocorrer de 1º a 14 de dezembro deste ano, na cidade de Dakar. O objetivo do festival é intensificar a valorização das artes negras no cenário mundial e a unificação dos países africanos e diáspora. O Brasil participa como convidado de honra e é o responsável por articular os demais países da América Latina. Para celebrar o lançamento do III FESMAN, será apresentado um espetáculo, que contará com a presença de diversos artistas: os brasileiros Gilberto Gil, Carlinhos Brown e Margareth Menezes e o grupo musical senegalês Les Frères Guissé, entre outros.

O selo lançado pelos Correios focaliza a obra ”Vadiação”, da série Jogo de Capoeira, do artista Carybé (1911-1997). A imagem mostra uma típica roda de capoeira e suas figuras tradicionais: os jogadores e os instrumentistas em ação, assistidos, informalmente, pelo povo em descontração e simplicidade. Os tons fortes realçam o clima festivo.

A tiragem é de 10 milhões e 200 mil selos, a R$ 0,65 cada. As peças filatélicas podem ser adquiridas nas agências e na loja virtual dos Correios (www.correios.com.br/correiosonline).

Com esta emissão filatélica, os Correios buscam ressaltar os valores nacionais e sua importância no contexto sociocultural do Brasil, ao mesmo tempo em que divulgam aspectos da expressiva cultura africana presente na comunidade brasileira.

Sobre a capoeira

De origem remota e controversa, a capoeira fincou suas raízes no Brasil, onde criou mitos e lendas, inclusive na resistência contra a opressão escravocrata. Perseguida e marginalizada por quase trezentos anos, era praticada às escondidas, sendo considerada apenas mais uma obscura tradição dos negros.

Hoje, a capoeira é parte do cenário brasileiro, envolvendo em sua prática grande abrangência de expressão, ao reunir várias linguagens artísticas. Além disso, sua vinculação com a Antropologia e com a História reforça o seu papel social e colabora na educação de importantes segmentos da população brasileira.

Presente em todos os estados do Brasil e em mais de 150 países, a capoeira tem variações regionais e locais a partir de suas modalidades mais conhecidas: capoeira de Angola e capoeira regional. Nesse aspecto, assume expressões fundamentais da nossa cultura, nas quais o povo brasileiro se reconhece. A manifestação testemunha o quanto o brasileiro consegue redimensionar as adversidades em práticas positivas de beleza incontestável.

 

Fonte: http://www.correios.com.br

Joel Alves
Fortaleza – Ceará

Salvador sedia lançamento do III Fesman no Brasil

Solenidade no dia 25/5 vai ter a presença do presidente Lula e do presidente do Senegal, Abdoulaye Wade.
A cidade de Salvador, Bahia, foi escolhida para o lançamento do III Festival Mundial de Artes Negras no Brasil. O evento será realizado no dia 25 de maio, data em que se comemora o Dia da Libertação da África, instituída pela ONU, em 1972. A data simboliza a luta e o combate dos povos do continente africano pela sua independência e emancipação e representa a memória coletiva dos seus povos e o objetivo comum de unidade e solidariedade na luta para o desenvolvimento econômico do continente.

A solenidade de abertura será no Teatro Castro Alves e terá a presença do presidente Lula, do presidente Abdoulaye Wade, do Senegal, dos ministros da Cultura dos dois países e de diversas autoridades. Serão apresentados shows de artistas, como Margareth Menezes, Carlinhos Brown e Gilberto Gil, entre outros.

O tema para este III Festival é “O Renascimento Africano”. Este encontro das culturas e das artes dos povos negros da África, da Europa e da América traçará um amplo painel da influência das tradições, costumes e religiosidade dos povos negros hoje. Será realizado em Dacar, de 1 a 14 de dezembro deste ano. Alguns nomes já estão confirmados, como a cantora Cesária Évora, os instrumentistas Manu Dibango e Salif Keita, o ex-presidente da África do Sul, Nelson Mandela, entre outros.

A responsabilidade da organização artística e cultural da participação do Brasil no Fesman é da Fundação Cultural Palmares, que, em breve, divulga edital com as regras da seleção. A FCP está realizando reuniões nas principais capitais do país com a intenção de mobilizar os artistas para a apresentação de propostas que ajudarão a difundir a participação da cultura negra brasileira no mundo.

O Brasil é o país homenageado nesta edição do festival. Em seguida ao lançamento do III Fesman, serão realizadas uma série de atividades para comemorar a Semana da África em Salvador. Os eventos estarão distribuídos durante toda a semana de 25 a 31 de maio, como exibição de filmes, palestras e shows, a exemplo do Cortejo dos Blocos Afros, no dia 25, às 18h, na praça de Campo Grande.

Assessoria de Comunicação
Inês Ulhôa – assessora de imprensa (9966-8898) ines.ulhoa@palmares.gov.br
Jacqueline Freitas – jacqueline.freitas@palmares.gov.br
Marcus Bennett – marcus.bennett@palmares.gov.br
Telefones: (61) 3424-0164/ 0165/ 0166
www.palmares.gov.br

João Pessoa: Semana Zumbi de Cultura é realizada no Centro Histórico

Capoeira, coco de roda, ciranda, maculelê e maracatu são algumas opções da 1ª Semana Zumbi de Cultura, que acontece até esta sexta-feira (15), no Ateliê Multicultural Elionai Gomes, localizado na Ladeira da Borborema, nº 101, Centro Histórico da Capital. O evento, que objetiva o fomento e a divulgação da Cultura Popular de matriz africana, conta com apoio da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), por intermédio da Fundação Cultural (Funjope).

Benedito dos Santos é coordenador do Grupo Zumbi de Cultura Popular. Para ele, a parceria entre a gestão municipal e os grupos envolvidos é estratégica para a realização do evento. “Um exemplo é que o Casarão 34 abriu espaço para a oficina de capoeira, que é um importante instrumento de socialização e educação através da arte, além de outros apoios por parte da Funjope”, lembrou. “A parceria é uma verdadeira demonstração de que o poder público tem esta preocupação em abrir espaços para a cultura popular”, acrescentou.

A programação teve inicio na segunda-feira (11). Além das apresentações folclóricas, o evento inclui ainda palestras, debates, mostras de vídeo e oficinas de cerâmica, capoeira, teatro e de penteados afros. A 1ª Semana Zumbi de Cultura tem enfoque específico na capoeira.

O encerramento da programação acontece nesta sexta-feira (15), a partir das 9h. À noite, a partir das 19h, acontece a apresentação dos resultados das oficinas e entrega dos certificados. Na ocasião, também haverá manifestações culturais, com batucadas dos grupos Badauê, Grupo Angola Comunidade, Berimbau Viola, Afro Nagô e Angola Palmares. Também serão oferecidas iguarias da culinária afro indígena, como doces, africaxé e uma pequena recepção a base de frutas.

1ª Semana Zumbi de Cultura – Trata-se de uma ação coletiva junto aos jovens, crianças e adultos do bairro do Varadouro e de comunidades circunvizinhas. A iniciativa é considerada de extrema importância como contribuição para políticas eficazes sócio-educativas nas escolas, envolvendo professores, alunos e funcionários.

O evento possibilita ainda a formação e integração dos estudantes e da comunidade envolvida, promovendo um intercâmbio entre a arte e a educação. A Semana Cultural possibilita a preservação do interesse pela Cultura Popular, através da introdução de ritmos, crenças, lendas e costumes da herança cultural africana. Mais informações pelos telefones 3218-9668 e 8822-4866.

Fonte: http://www.joaopessoa.pb.gov.br