Blog

Junho 2009

Vendo Artigos de: Junho , 2009

I° SEMINÁRIO INTEGRADO DE CAPOEIRA EM PORTO ALEGRE

FOI UM MEGA EVENTO O I° SEMINÁRIO INTEGRADO DE CAPOEIRA EM PORTO ALEGRE.

Dia 20 de junho de 2009 marcará para sempre a história da Capoeira no Rio Grande do Sul. Com a participação das principais escolas, associações e grupos gaúchos, realizou-se no Plenarinho da Câmara de Vereadores de Porto Alegre, o I Seminário Integrado de Capoeira do Rio Grande do Sul. Sob a coordenação da Federação Riograndense de Capoeira (filiada à Federação Internacional de Capoeira), presidida pelo Mestre Gavião, o evento reuniu autoridades na área da cultura popular brasileira, além de mais de 200 capoeiristas, entre mestres, professores e alunos.

Os objetivos do evento – valorização dos mestres de Capoeira; afirmação dos valores e dos fundamentos da capoeira perante à sociedade; integração dos capoeiristas das diferentes entidades e troca de experiências entre os participantes – foram alcançados com êxito.

A Federação Riograndense de Capoeira agradece todos participantes que fizeram deste evento o maior encontro da Capoeira gaúcha das últimas décadas e convida seus filiados à participar das discussões da formação do Centro de Pesquisa da Capoeira do Rio Grande do Sul.

Este Centro de Pesquisa será referência nacional nas pesquisas realizadas sobre a Capoeira no Brasil. Participe conosco da construção desta nova realidade da Capoeira gaúcha, filie-se à Federação Riograndense de Capoeira!

Participaram do evento capoeiristas da cidades: Caxias do Sul, Esteio, Gravataí, Santo Ângelo, Teotônia, Panambi, Uruguaiana, São Leopoldo, Sapucaia do Sul, Canoas, Eldorado do Sul, Cachoeira do Sul, Viamão, Rio Grande, São Sepé e Lajeado.

 

Att,

Mestre Gavião,

Presidente da Federação Riograndense de Capoeira,

Liga Regional de Capoeira RS

Filiada à Federação Internacional de Capoeira. 

 

abraço!

cordialmente,

Mario Humberto Morocini de Azambuja Junior

Cientista Político

História: Certidão de nascimento de Mestre Pastinha

Depois de uma certa polêmica com relação ao verdadeiro nome de Mestre Pastinha, nosso querido amigo, parceiro e um dos mentores deste Portal, Mestre Decanio, nos brindou com um documento de raro valor histórico: A Certidão de nascimento de Mestre Pastinha., documento este que veio iluminar o assunto… A confusão e a demora em corrigir um artigo publicado em nosso portal em 2007 que falava diretamente sobre o grande mestre Pastinha, foi agravada pela referência ao nome do mestre na consagrada Enciclopédia Online a Wikipédia – (http://pt.wikipedia.org) cujo artigo principal com o nome do mestre, fazia referencia a JOAQUIM VICENTE FERREIRA PASTINHA.

Depois de alguma pesquisa com mestres diretamente ligados a história e tradição da Capoeira Angola, assim como discipulos e conhecedores da vida e da obra de mestre pastinha, conseguimos uma prova irrefutável do verdadeiro nome de Mestre Pastinha. Aproveitamos o documento de raro valor histórico para compartilhar e corigir a sua referência na Wikipédia.

Para baixar a Certidão de nascimento de Mestre Pastinha, visite nossa seção de Downloads da Capoeira.

 

Vicente Ferreira pastinha (Mestre Pastinha), nascido em 1889 dizia não ter aprendido a Capoeira em escola, mas “com a sorte”. Afinal, foi o destino o responsável pela iniciação do pequeno Pastinha no jogo, ainda garoto. Em depoimento prestado no ano de 1967, no ‘Museu da Imagem e do Som’, Mestre Pastinha relatou a história da sua vida: “Quando eu tinha uns dez anos – eu era franzininho – um outro menino mais taludo do que eu tornou-se meu rival. Era só eu sair para a rua – ir na venda fazer compra, por exemplo – e a gente se pegava em briga. Só sei que acabava apanhando dele, sempre. Então eu ia chorar escondido de vergonha e de tristeza.” A vida iria dar ao moleque Pastinha a oportunidade de um aprendizado que marcaria todos os anos da sua longa existência.

“Um dia, da janela de sua casa, um velho africano assistiu a uma briga da gente. Vem cá, meu filho, ele me disse, vendo que eu chorava de raiva depois de apanhar. Você não pode com ele, sabe, porque ele é maior e tem mais idade. O tempo que você perde empinando raia vem aqui no meu cazuá que vou lhe ensinar coisa de muita valia. Foi isso que o velho me disse e eu fui”. Começou então a formação do mestre que dedicaria sua vida à transferência do legado da Cultura Africana a muitas gerações. Segundo ele, a partir deste momento, o aprendizado se dava a cada dia, até que aprendeu tudo. Além das técnicas, muito mais lhe foi ensinado por Benedito, o africano seu professor. “Ele costumava dizer: não provoque, menino, vai botando devagarinho ele sabedor do que você sabe (…). Na última vez que o menino me atacou fiz ele sabedor com um só golpe do que eu era capaz. E acabou-se meu rival, o menino ficou até meu amigo de admiração e respeito.”

Foi na atividade do ensino da Capoeira que Pastinha se distinguiu. Ao longo dos anos, a competência maior foi demonstrada no seu talento como pensador sobre o jogo da Capoeira e na capacidade de comunicar-se. Os conceitos do mestre Pastinha formaram seguidores em todo Brasil. A originalidade do método de ensino, a prática do jogo enquanto expressão artística formaram uma escola que privilegia o trabalho físico e mental para que o talento se expanda em criatividade. Foi o maior propagador da Capoeira Angola, modalidade “tradicional” do esporte no Brasil.

 

* A Certidão de nascimento de Mestre Pastinha foi partilhada pelo nosso querido amigo e um dos mentores do Portal Capoeira, mestre Decanio.

Um grande abraço repleto de um desejo de paz, saúde e prosperidade para este grande ser humano.

Visite: http://capoeiradabahia.portalcapoeira.com

Projeto kizomba uma iniciativa do povo de terreiro

O que é realizado no projeto cultural kizomba.

O Projeto kizomba visa atuar junto a Crianças e Adolescentes e idosos da Comunidade e seu entorno no reforço à auto-estima, através do fortalecimento da identidade destes, através da educação, formação cidadã e conscientização de seu papel social, político e econômico. O Projeto kizomba na realidade já acontece de forma precária devido às poucas condições econômicas da comunidade, atendemos cerca de 100 crianças, adolescentes e idosos, na orientação sócio cultural, onde os mesmos aprendem sobre a história e a cultura afro-brasileira, através de oficinas de dança afro,canto, capoeira, samba de roda, maculelê e percução. Estes jovens são recebidos na comunidade que busca através deste trabalho retira-los das ruas e, portanto dos perigos das drogas, da marginalidade. Muitos pais deixam suas crianças no período em que precisam trabalhar e muitos destes acabam se tornando presas fáceis para a marginalidade e tráfico de drogas, principalmente em comunidades como a nossa próximas de vilas e favelas e, portanto, da precariedade de   benefícios sociais. Ainda temos os idosos que facilmente são esquecidos pelas famílias, quando não mais fazem parte da cadeia econômica, vários destes tem buscado a Associação como forma de entretenimento e de alento.

{youtube}p9Anv-JeMPs{/youtube}

Justificativa

Todo este trabalho foi reconhecido recentemente pela Fundação Cultural Palmares, órgão do Ministério da Cultura, que atendendo a solicitação da comunidade que se auto define como remanescente de quilombo foi publicado pelo Diário da União o reconhecimento da comunidade Manzo Ngunzo Kaiango como comunidade remanescente de Quilombo, o primeiro com estas características no Estado de Minas Gerais.  

Nossa Meta

Buscar parceiros e colaboradores para o Projeto CULTURAL KIZOMBA, que reconhecem sua importância e acreditam que poderá desenvolver e crescer em suas propostas, além é claro, a possibilidade de oferecer aos jovens e adolescentes de nossa comunidade resultados positivos no aprendizado e na sua formação cidadã. Acreditamos que não basta investir, se não tivermos condições para tal. Por isso, seu apoio torna-se fundamental para nosso prosseguimento e avanço

Nosso objetivo

Para atingir tal objetivo, todo ano é realizado um evento cultural onde fazemos mostra de todo nosso trabalho junto a comunidade e convidados teremos um publico esperado de 250 pessoas onde serviremos café da manha e almoço para todos. O evento acontecera de 09as 15; 00hs no mês 07 de 2009.

 Iniciamos uma de nossas metas, buscando sua colaboração através de doações, Nós sabemos que essa meta é de grande importância para trazer impactos positivo para nossa comunidade e agradeceríamos muito o seu apoio.

Sua contribuição, será de grande ajuda para que esse evento possa acontecer.

E Para agradecer sua contribuição, colocamo-nos à disposição para divulgar o nome da empresa doadora em nossos eventos e materiais.

Agradecemos por ter lido esta carta e conhecido nosso projeto, e esperamos que você considere nosso pedido de doação.

Se tiver qualquer perguntam, ou precisar de mais informações, sinta-se à vontade para enviar um e-mail projetoculturalkizomba@hotmail.com ou entre em contato pessoalmente tel:31 32835986

 

ASS: CASSIA CRISTINA DA SILVA  

Associação Quilombola Manzo Ngunzo Kaiango

07.981.042/0001-08

Rua São Tiago, 216

Santa Efigenia- Belo Horizonte – MG

CEP-30.260-500 Tel. 3283.5986

RS: Semana Municipal de Capoeira

FEDERAÇÃO GAÚCHA DE CAPOEIRA – Entidade Estadual de Administração Desportiva – Fundada em 19 de julho de 1994      

Filiada à Confederação Brasileira de Capoeira – Vinculada ao Comitê Olímpico Brasileiro

TRADIÇÃO EM POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A CAPOEIRA INFORMA:

 
A Semana Municipal de Capoeira é uma conquista da comunidade capoeirística organizada de Porto Alegre. A Federação Gaúcha de Capoeira preocupada com a garantia da execução de políticas públicas voltadas para o fomento e desenvolvimento da capoeira idealizou a lei que criou esta Semana de Capoeira.

Cabem a nós, capoeiristas, participar e efetivar esta construção garantida em lei.

A nossa participação nas decisões, principalmente nos temas a serem abordados e nas pessoas a serem convidadas para este evento, irá beneficiar na qualidade de nossos trabalhos.

Todos ganham com esta participação, os profissionais da capoeira e as comunidades atendidas.

Sabemos que a divulgação através de e-mail não irá atingir toda a comunidade da capoeira, portanto solicito a todos que divulguem amplamente em seus grupos, escolas e colegas de capoeiragem.
 
PARTICIPEM!!!!!!
 
MESTRE FAROL
 

FEDERAÇÃO GAÚCHA DE CAPOEIRA
Entidade Estadual de Administração Desportiva
Filiada à Confederação Brasileira de Capoeira
Vinculada ao Comitê Olímpico Brasileiro
Presidente Mestre Farol
(051) 8421-0103

SP – Curso: Capoeira Um Instrumento Psicomotor para a Cidadania

Olá Amigos,

É com orgulho que os convidamos para participar do Curso Capoeira Um Instrumento Psicomotor para a Cidadania,  que será ministrado pelo Mestre Gladson e pelo Professor Vinicius durante o VI Encontro Internacional de Esporte e Atividade Física no dia 22 de Julho de 2009 (quarta-feira), das 18:00 às 22:00h.

Este Curso será mais uma oportunidade de nos encontrarmos para trocar informações e experiências relacionadas ao mundo da Capoeira e aos seus aspectos culturais, educacionais e pedagógicos.

O Encontro Internacional de Esporte e Atividade Física é organizado pela Editora Phorte e é um dos mais importantes eventos da área e serão oferecidos mais de 70 cursos com especialistas do Brasil e do Exterior. Vale a pena participar! E a Capoeira muito orgulhosamente estará representada, mostrando todo o seu valor e diferencial.

Maiores informações sobre conteúdos e formas de inscrição podem ser obtidas no site oficial do evento www .encontrophorte . com .br

Neste curso, abordaremos, entre outros, os seguintes conteúdos:

  • – Estratégias Pedagógicas para o Ensino da Capoeira
  • – Aspectos filosóficos da Capoeira
  • – A Capoeira em Escolas, Clubes, Academias, Universidades e Projetos Sociais.
  • – Programas extracurriculares de Capoeira: como aumentar e manter o número de alunos.
  • – O lúdico da Capoeira: Jogos recreativos adaptados à Capoeira
  • – Capoeira e Relacionamento Humano: Dinâmica de grupo e integração social
  • – Capoeira como instrumento Psicomotor para a Cidadania
  • – Materiais pedagógicos para aulas de Capoeira

Participem! E ajudem a divulgar!

Mestre Gladson

Professor Vinicius Heine

Espanha: Projeto Reeducando a Capoeira

REEDUCANDO A CAPOEIRA
 

Este projeto nasce da colaboração do Mestre Madeira (Capoeira Movimento e Expressão) com a Fundação Ser, Esta Fundação dedica-se a ajudar a pessoas com incapacidade intelectual, e há vários meses o Mestre colabora com eles como voluntário.

 

Desde o princípio tanto os alunos como o Mestre conectaram de maneira muito especial e isso ajudou a que as classes sejam mais amenas e produtivas.

Os alunos conhecem e executam os movimentos básicos da capoeira e acompanham com as palmas e o coro as músicas que vão aprendendo, e inclusive os que podem, pesquisam sobre a capoeira e lhe trazem textos e desenhos para que o Mestre os veja.

 

 

Espanha: Projeto Reeducando a Capoeira

 

 

Eles mesmos reconhecem que a capoeira lhes ajudou a ser mais flexíveis, mais expressivos, mas, sobretudo, a confiar em sua própria capacidade de aprender e ter mais confiança em si mesmo.

 

Por todo isso, o Mestre, o Grupo Movimento e Expressão e a Fundação Ser quiseram lhes dar o reconhecimento que eles se merecem como alunos iniciantes, preparando um batizado onde receberão a sua 1º corda.

 

É por isso pelo que elegemos o titulo de Reeducando a Capoeira, porque através dela e tudo o que a envolve (esporte, música, cultura etc.) todos os que fazemos parte deste projeto aprendemos que na roda de capoeira todos somos iguais.

 

Todos os que vocês queiram estão convidados a participar neste evento do domingo 28 de Junho.

 

Muito obrigado

“CAPOEIRAGEM” no I Festival de Filmes Etnográficos de Recife

A CAPOEIRAGEM DE UM MESTRE E O SEU BANDO ANUNCIADOR recebe a “Mensão honrosa” no I Festival de Filmes Etnográficos de Recife.
 
{youtube}HemTX6TRxXM{/youtube}
 
O júri decidiu conceder uma menção honrosa a este filme, pela sua radicalidade em mostrar uma tradição, a capoeira, uma manifestação cultural em processo de transformação e reinvenção, sendo o próprio personagem principal o seu agente transformador.
 
Para contar essa história o filme emprega diversos registros, como trechos de filmes de ficção, depoimentos, fotografias e reportagens, numa montagem bem elaborada e em sintonia com a música.
 
O DVD JÀ ESTA A VENDA PELO PREÇO DE R$ 30.00 COM LEGENDAS EM INGLÊS E ESPANHOL.
 
Entra em contato: (71) 3322-6750 ou atelierlua@hotmail.com
 

Gabão: Libreville – Apresentações do Raízes do Brasil

Grupo de capoeiristas brasileiros promovem diversas atividades na capital do Gabão

Integrantes do Centro Cultural de Capoeira Raízes do Brasil realizaram diferentes atividades, entre os dias 23 e 26 de maio de 2009, na cidade de Libreville. O grupo é composto por: Ralil Salomão (Mestre Ralil), Carey Million (Guru), George Fredson (Touro), André Costa (Foca), Nagi Ahmad (Nagi) e Rogério do Nascimento (Bocão).

No dia 23, os capoeiristas representaram o Brasil na XVIII Noite de Artes Marciais da Gabão. O maculelê também foi mostrado. As lutas com bastões, facas e navalhas no pé revelaram aspectos marciais que se encontram nas origens da capoeira. Outras modalidades marciais de diversos continentes e de grupos locais integraram evento. A noite contou com público significativo.

A praia, próxima ao Hotel Tropicana, foi palco para a segunda apresentação do Raízes (24/05). O público, formado em sua maioria por jovens, interagiu com a performance, apesar de Libreville não possuir grupos de capoeira. Mostras informais da modalidade, em espaços públicos, também fizeram parte do roteiro do grupo, na segunda-feira, dia 25.

Como última atividade, os capoeiristas visitaram a Escola Piloto São-Tomense, única escola primária local em que o ensino é conduzido em língua portuguesa. Os integrantes fizeram apresentações de capoeira e maculelê e mostraram às crianças vários movimentos de animais. As crianças reagiram positivamente, aprendendo alguns fundamentos da capoeira.  O mestre Ralil presenteou a escola com um berimbau e orientou os estudantes como tocá-lo.

O Diretor do Museu de Artes e Tradições do Gabão também recebeu um berimbau e afirmou que a instituição possui um exemplar do instrumento em seu acervo. Todas as atividades desenvolvidas pelo Raízes tiveram grande repercussão e difundiram a modalidade como importante traço da cultura brasileira.

Fonte: http://www.dc.mre.gov.br/

Macau: O Brasil que não vende

Capoeira é a última novidade. No que toca à cultura brasileira, Macau tem alguma variedade. Há restaurantes, futebol, jiu-jitsu, música e entretenimento. No entanto, a comunidade continua insatisfeita. Por estes lados, ao contrário da China Continental, a marca Brasil não é sinónimo de sucesso garantido.

A avaliação é feita por Jane Martins, uma das fundadoras da Associação Casa do Brasil em Macau, criada no princípio deste ano: “Já estou em Macau há 24 anos. Começou a ouvir-se mais música brasileira, de cinema não há nada e existe uma grande falta de literatura. Não sinto que tenha havido um grande progresso”, diz.

Para Jane Martins, a marca Brasil está mais consolidada na China Continental, devido às relações comerciais entre os dois países. Mesmo assim, o comércio predomina sobre a cultura. E em Macau? “O público chinês local só gosta do futebol e da comida. Não ligam para a cultura”, lamenta.
No território, a fórmula canarinha só funciona em alguns sectores. Nos outros, há que improvisar e apostar em diferentes vertentes.

No que toca à gastronomia, primeiro estranha-se e depois entranha-se. Existem três restaurantes da especialidade na RAEM. O primeiro a abrir foi o Churrascão, em 2006. “Nota-se que as pessoas conhecem cada vez mais o conceito brasileiro. A marca é rentável”, sublinha o gerente e proprietário, Eric Peres.

“Para os estrangeiros, vende sempre bem. Não é preciso gastar muito em marketing. Para o cliente chinês, é preciso explicar primeiro”, acrescenta a sub-gerente do restaurante Fogo Samba, Thais Pinheiro. O segredo para atrair a clientela chinesa e asiática, continua, é “quebrar o gelo” da primeira impressão.

Na área da comida rápida, Josecler decorou o seu espaço “Brazilian Hot Dog” com as cores da bandeira do seu país. O efeito é o desejado: “Chama a atenção, porque é o Brasil”. Hoje, diz ter uma clientela fixa.
A mesma táctica foi aplicada na sua escola de futebol. Na International School, estabelecimento de ensino com quem tem uma parceria, “uso o meu nome associado ao Brasil. O futebol brasileiro é apreciado, é ‘top level’ e isso facilita muito”, reconhece o ex-futebolista.

O samba não chega

Do lado do desporto, cada modalidade vale por si. A origem não tem impacto comercial. Criada em 2007, a Associação de Jiu-jitsu Brasileiro de Macau funciona por “passa palavra” e está a “crescer devagarinho”, à custa de uma turma flutuante composta essencialmente por expatriados.
“Não posso dizer [que esse crescimento] se deva ao facto de ser brasileiro. É mais pela arte marcial que, hoje em dia, é considerada uma das mais eficazes do mundo para defesa pessoal”, aponta o vice-presidente da organização, Tiago Afonso.
Ainda a dar os primeiros passos em Macau, no ginásio Universal Yoga, o mestre de capoeira Edy Murphin (ver texto nesta página) também não se fia na marca Brasil. “Não ponho só a marca Brasil, vendo a marca capoeira e o desporto. Passo a mensagem: fez muito bem para mim e também vai fazer para você”, afirma.

E, através da prática desportiva, comercializa cultura. “Faço os asiáticos se abraçarem. Coloco um pouco desse nosso jeito e acabam pegando. Os alunos não só aprendem capoeira e defesa pessoal, mas também o português e a música”, assegura.
Sem motivos para lamentos está o proprietário do grupo Dança Brasil. O negócio iniciado em 2003 vai de vento em popa e nem a crise financeira afecta as solicitações deste grupo que tem presença marcada no Festival Internacional de Artes de Pequim.

Wallas Silva conquistou o sucesso à custa de adaptação e aculturação. As “fantasias”, por exemplo, são mais fechadas do que o habitual.
A par disso, é “preciso variar”. Ao samba e às danças brasileiras, o Dança Brasil acrescentou hip hop, Bollywood, jazz, cancan, entre outros. “Deixei de me concentrar tanto no Brasil, mudei para vários tipos de entretenimento e senti uma mudança na resposta do cliente”, conclui.

 
Fonte. http://www.hojemacau.com

Capoeirista de Rio Claro fica entre os melhores de São Paulo

Baianinho encerrou a participação na 9ª edição dos Jogos Paulistas de Capoeira, promovida pela Abadá Capoeira, na 8ª colocação

O Centro de Cultura e Lazer (CCL), na cidade de Americana, foi palco de muita capoeira no último fim de semana. A 9ª edição dos Jogos Paulistas, promovida pela Abadá Capoeira, contou com a presença de mais de duas mil pessoas.

Participaram do evento capoeiristas de mais de 40 cidades do estado de São Paulo e, representando a cidade de Rio Claro, o instrutor Baiano (Agnaldo Lima da Silva, 30). Baiano, capoeirista há 15 anos, ficou entre os 8 melhores do estado dentre os 214 capoeiristas inscritos.

Para prestigiar o evento, vieram representantes de vários estados brasileiros (Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Distrito Federal, Goiás, Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro, Minas Gerais). Esteve presente também José Tadeu Carneiro, o Mestre Camisa, do Rio de Janeiro, um dos fundadores da Abadá Capoeira.
A Abadá (Associação Brasileira de Apoio e Desenvolvimento da Arte – Capoeira) é a mais nova escola de capoeira de Rio Claro. Com a abertura da Abadá no município, Rio Claro passa a integrar o grupo que tem mais de 40 centros de ensino da arte no estado de São Paulo.

A subsede de Rio Claro está instalada na Academia Impacto, à Rua 14, 3.290, no Alto do Santana, e responde a Americana, onde fica a sede da Abadá Capoeira do interior do Estado de São Paulo. As aulas são ministradas pelo professor Baianinho todas às terças e quintas-feiras das 20h às 21h. Ele também ministra aulas na Academia Ramom Lemos – Rua 6 entre Avenidas 18 e 20.