Blog

Fevereiro 2011

Vendo Artigos de: Fevereiro , 2011

Aula de capoeira resgata a cidadania

Mais de 150 crianças de diversas comunidades da Ilha, como Colônia Z-10, Guarabu, Dendê e Querosene, participam do projeto social do Grupo de Capoeira Rainha do Mar em uma pequena vila na Rua Pereira Alves, no Cocotá. Dentro da roda, ao som do berimbau e do batuque do atabaque, os pequenos aprendem valores como união, respeito, disciplina e amizade.

Mestre Ruben do Nascimento criou a oficina de capoeira há 13 anos. “Esta é a nossa maior riqueza. Ganho sorrisos em troca do meu trabalho”, frisou Mestre Ruben, que é baiano, mas mora há quase 15 anos na região. E a alegria e empolgação das crianças contagiam as famílias. Ao levar seus filhos para os treinos, as mães acabam se encantando pela arte marcial de raízes africanas. “A capoeira não tem preconceito. Acho que o ritmo e a dança mexem muito com as pessoas. Afinal, quem não gosta de uma batucada?”, indagou Mestre Ruben.

Mas ele garante que os pais dos alunos confiam em seu trabalho porque os professores cobram dedicação e aplicação na escola. “Não basta apenas se esforçar em quadra. Eles precisam ter boas notas no colégio”, destacou. Crianças a partir de cinco anos estão convidadas a participar do projeto.
Márcio Ramos, que acompanha o Mestre Ruben há 12 anos, disse que o maior presente em trabalhar com crianças carentes é ver todas brincando. Fábio Ferreira, contramestre, acrescenta: “A capoeira é um ótimo exercício para a mente. Às vezes eles estão com problemas dentro de casa e ao lutar esquecem de tudo. Capoeira é paz”.

Quando ainda morava na Bahia, Mestre Ruben foi criado sem pai e sua mãe nunca estava em casa. Com 12 anos, ele resolveu morar na rua. Por isso, ele acredita conhecer as dificuldades enfrentadas pelos pequenos e faz questão de ajudar sempre que pode. “Eu conheço a história de cada criança e sei pelo o que elas estão passando. É muito bonito ver todos deixando a energia fluir dentro da roda”, contou.
Apesar da paixão do Mestre Ruben pelo projeto, o Grupo Capoeira Rainha do Mar está com dificuldades financeiras. Muitas crianças ainda precisam de blusas e calças para brincar em quadra. Os interessados em ajudar podem ligar para Ruben no 8387-8861.

Mesmo sem dinheiro, Mestre Ruben ainda faz festa do aniversariante do mês. “Compro refrigerante, bolo e algumas balinhas para agradar as crianças. Tudo com a ajuda dos próprios integrantes do grupo”, disse. Neste sábado (26), a turma vai se apresentar a partir das 19h, no Festival de Acarajé do quiosque da baiana Rose, próximo ao Assaí.

 

Fonte: http://www.ilhanoticias.com.br/

Acusados de matar “Leo Bombeiro” vão a júri

Às 12h de hoje, duas testemunhas tinham sido ouvidas. Companheira seria a mandante para ficar com seguro

Começou, hoje, no Tribunal do Júri de Samambaia, o julgamento dos réus Ítria Lima de Carvalho Alves, Júlio Andreza Neto e Célio Juliano da Silva, acusados de concorrerem para o homicídio do bombeiro militar e mestre de capoeira Leonardo da Cunha Alves. O adolescente H.S.R., executor do crime, também será ouvido em depoimento. Antes do meio-dia de hoje, duas testemunhas tinham sido ouvidas, faltando as outras seis pessoas, além dos interrogatórios dos envolvidos. A previsão é que o julgamento se encerre somente amanhã.

Segundo denúncia do Ministério Público, no dia 28 de janeiro de 2010, à meia-noite e meia, na DF-457, QS 414, Conjunto 9, em um ponto de ônibus em frente ao Posto Texaco, sentido Taguatinga a Samambaia, a vítima e Ítria voltavam do hospital, quando o veículo em que estavam foi atingido por outro. Leonardo foi surpreendido pelo adolescente H.S.R., ao descer do carro. O menor efetuou disparos de arma de fogo, causando a morte do bombeiro.

O homicídio ocorreu por motivo torpe, pois Ítria, companheira de Leonardo, queria resgatar o seguro de vida. O crime se deu ainda mediante recurso que impossibilitou a defesa da vítima, já que o plano de sua morte consistiu em simular uma colisão entre veículos, para que a vítima descesse do carro e fosse executada.

Conforme informações do Tribunal de Justiça do DF e Territórios, Ítria Lima de Carvalho Alves concorreu para a prática delitiva, à medida que planejou o crime e contratou o adolescente para sua execução. Júlio Andreza Neto apresentou o adolescente a Ítria, Célio Juliano da Silva intermediou o contato entre Ítria e o denunciado Júlio.

 

 

Fonte: http://coletivo.maiscomunidade.com/

Guaratinguetá: Aulas gratuitas de capoeira

Guaratinguetá realiza aulas gratuitas de capoeira

Em Guaratinguetá quem quiser aprender capoeira pode se inscrever no Ginásio Municipal do Pedregulho. As aulas acontecem às terças e sextas-feiras, das 8h às 9h e, depois, das 17h às 6h da tarde.

Podem participar homens e mulheres a partir de sete anos de idade. Os interessados devem procurar o professor direto no ginásio, as aulas são gratuitas.

Associação Abadá Capoeira Ações Sociais e Cidadania

Não é de hoje que diversos grupos tem utilizado o enorme poder e penetração social da nossa arte-luta como uma poderosa ferramenta de cidadania. Por diversas vezes nosso portal publicou iniciativas louváveis e sempre bem-vindas dentro deste contexto…

Fica aqui mais duas exelentes iniciativas sob a tutela do ABADÁ CAPOEIRA, que há muito vem investindo nesta faceta da responsabilidade social, inestimável da nossa capoeira, sigam o exemplo e extrapolem o ambiente da academia… Sinta e viva a capoeira de forma mais ampla…
  • Rio Claro: Mobilização contra a dengue no Jardim Público

A iniciativa é realização conjunta do grupo Abada Capoeira, Centro de Controle de Zoonoses e Fundo Social de Solidariedade.

Mobilização contra a dengue marca a manhã deste sábado no Jardim Público de Rio Claro. Das 10 horas ao meio dia acontece apresentação que reúne capoeira, conscientização e dicas contra o mosquito transmissor da doença.

A iniciativa é realização conjunta do grupo Abada Capoeira, Centro de Controle de Zoonoses e Fundo Social de Solidariedade.

O instrutor Baiano e os alunos do Abada Capoeira, grupo que associa a capoeira à ações de cidadania, fazem apresentação desse sábado especialmente para promover as atividades anti-dengue no Jardim.

O Centro de Controle de Zoonoses estará no local com o boneco “Agente Cabeção” distribuindo folhetos informativos, exibindo amostras do ciclo do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, e fazendo esclarecimentos gerais sobre a doença.

O Fundo Social de Solidariedade também exibirá trabalhos relacionados ao tema.

Com o aumento dos casos de dengue em várias regiões do país, Rio Claro está intensificando a mobilização contra a doença, e precisa da colaboração contínua da comunidade.

Ações como colocar o lixo em locais corretos para não aumentar criadouros e eliminar os pontos de água parada, são fundamentais para a dengue não se alastrar.

 

  • Angra dos Reis: campanha “Doe Sangue, Doe Vida”

A Associação Abadá Capoeira, de Angra dos Reis, e a Federação Abadá, do Estado do Rio, com o apoio da prefeitura de Angra lançaram ontem (14), a 12ª Campanha de Sangue, “Doe Sangue, Doe Vida”. A entidade realiza o evento sempre antes do Carnaval, em razão do grande fluxo de turistas que chega à cidade para o feriado prolongado.

Os interessados devem se dirigir até o dia 25 de fevereiro, à sede do Hemocentro Municipal Costa Verde, na Rua Manoel do Rosário, 67, atrás do Hospital Codrato de Vilhena. O horário de atendimento é das 8h às 12h e das 13h às 17h. Os doadores devem ter entre 18 e 65 anos e pesar mais de 50 quilos. No ano passado mais de 300 pessoas participaram da iniciativa.

O encerramento da campanha será no dia 25, a partir das 17h, com roda de capoeira e corte de bolo.

 

Fontes:

http://diariodovale.uol.com.br/

http://jornalcidade.uol.com.br/rioclaro/

Ciência, paternidade e ação social

Dono de um currículo impressionante, Sidarta Ribeiro, do Instituto de Neurociências, tem uma personalidade instigante, além de um telentoso neurocientista e pesquisador, Sidarta é também capoeirista*…

Sidarta Ribeiro é um pai coruja. Sim, Sidarta Ribeiro, o neurocientista com mestrado, doutorado e pós-doutorado, que tem experiência na área de neuroetologia, neurobiologia molecular e neurofisiologia de multieletrodos, adora cuidar do filho, dar banho, brincar, trocar fralda. Bem, trocar fralda não é a atividade preferida como pai, mas ele jura que faz com prazer. Ernesto tem sete meses e chegou para mudar a rotina do pai. “Antes, eu dormia às 5h da manhã, agora tem dias que eu acordo neste horário”, disse. A paternidade também trouxe mudanças na forma como esse cientista obstinado vê a vida.

“Com a paternidade, eu fiquei mais tranquilo e mais nervoso. Quando você não tem filhos, você calcula os riscos no limite, e quando você tem filhos, você pensa ‘eu não posso correr riscos'”. Com os olhos brilhando e um sorriso tímido no rosto, Sidarta diz que gostaria de passar mais tempo com o filho, mas a dura rotina de trabalho o impede. “Minha rotina é acordar cedo, ficarcom a família, e depois que meu filho vai para a creche eu vou ou para a UFRN ou para o Instituto de Neurociências. Trabalho o dia todo e, às vezes, à noite também. O bom de ser cientista é que não tem horário e o ruim é que não tem horário”, brinca.

Outra paixão do neurocientista é a capoeira. Ele conta que tentou fazer capoeira em Brasília, quando tinha 21 anos, mas achou que estava velho demais para isso. Em Nova York, ele se rendeu aos encantos do esporte e acabou se tornando instrutor. Quando chegou a Natal, começou a dar aulas para crianças carentes da favela Via Sul, localizada nas proximidades do instituto. “Quando eu cheguei aqui no instituto ainda não tinha equipamentos, eu fiquei mais de um ano sem equipamento, então o que eu mais fiz foi trabalhar com essas crianças, era uma miséria horrorosa, todo mundo doente, todo mundo se xingando, uma neurose, e eu comecei a me dedicar a isso”.

A iniciativa acabou se tornando um projeto de extensão da UFRN, o Projeto Semente, que hoje envolve capoeira, música, e alcança um número maior de crianças. “A gente chama de socialização científica, não é iniciação científica, não é que o menino vai trabalhar no laboratório, mas sim usar a ciência para querer se vestir melhor, se limpar, melhorar a auto-estima, começar a perceber que ele não precisa pedir esmola. Tem algumas crianças que estão com a gente há vários anos e as melhoras são impressionantes”, relata.

Sidarta conta que as crianças têm verdadeiro fascínio por ciência, computadores e música clássica. “São coisas muito distantes da realidade deles e por isso mesmo fascina. A capoeira é muito importante para aproximar essas crianças, porque tem símbolos bem populares, de fácil reconhecimento. Mas depois em geral eles preferem o violino ao berimbau, talvez porque o violino simboliza uma outra realidade. A gente investe muito na formação do senso crítico, a ciência ajuda muito, porque na ciência você não acredita em nada a não ser que você tenha uma demonstração, então a gente está treinando os alunos a terem esse senso crítico. Mais do que ter os fatos científicos na ponta da língua, mas saber como é que você chega ao fato, como é que que você testa um fato. Vai acreditar em alguma coisa por quê? Baseado em quê? A gente trabalha isso”.

 

Fonte: http://www.diariodenatal.com.br/

* Inserção: Luciano Milani

Mestre Russo de Caxias: O Zelador

Jonas Rabelo, conhecido na capoeiragem como Mestre Russo de Caxias, iniciou-se na Capoeira em 1968. Através de amigos começou a assistir as apresentações de suas respectivas escolas de capoeiragem em eventos festivos, nos quais passou a freqüentar ativamente como jogador convidado.

Em 1972 foi apresentado ao Mestre Barbosa, com quem treinou até 1975.

No dia 3 de junho de 1973, dia do Santo Antonio, um grupo de amigos capoeiristas organizou uma roda em uma festa na comunidade da Igreja Católica Santo Antonio.

Read More

A Postura Política do Capoeira

Todo capoeirista que preza a história dessa manifestação, sabe que a capoeira tem um conteúdo político muito forte. Afinal ela surge como uma reação a uma violência a que eram submetidos os povos escravizados vindos de África, aqui no Brasil. A capoeira é antes de mais nada, uma contestação ao sistema escravagista que submetia milhões de homens e mulheres a uma cruel e desumana condição onde não só os trabalhos forçados, mas também a negação de sua cultura, sua religião, seus símbolos, seus modos de vida, era em última instância, a negação de sua própria condição de seres humanos.

Por isso a capoeira foi tão perseguida durante tantos anos. E por isso também foi preciso resistir durante muito tempo para que essa manifestação chegasse até os nossos dias, com o reconhecimento que adquiriu em nossa sociedade atual, com status de “símbolo da cultura brasileira”. Devemos isso aos bravos capoeiras do passado que souberam com suas artimanhas e estratégias, enfrentar o poder para continuar cultivando suas tradições e preservando-as com muita dignidade para as gerações futuras. Isso se constitui numa postura extremamente política.

Hoje a capoeira é muito bem vista pelas sociedades de todas as partes do mundo, e muitos são os capoeiristas que sobrevivem dessa arte. Em muitas partes do planeta, essa manifestação virou até um certo “modismo”, mobilizando milhões e milhões de praticantes de todas as faixas etárias, mas sobretudo, atingindo o público predominantemente jovem. E por ter se transformado em “modismo”, muitas vezes esse conteúdo político que está na gênese da capoeira, acaba perdendo espaço e sentido, fazendo com que ela se transforme em mera atividade voltada ao entretenimento e ao cultivo das qualidades físicas e acrobáticas. Se a prática da capoeira se restringe a esses valores, vamos estar formando somente capoeiras alienados, e nada mais !!!

 

Sabemos que a capoeira é muito mais do que isso !!!

O capoeirista que tem postura política é aquele que busca estar sempre “antenado” com o mundo que o rodeia. É aquele que busca desenvolver sua capacidade crítica diante dos fatos que atingem a sociedade da qual faz parte, assumindo uma postura de questionamento e muitas vezes até de enfrentamento, quando necessário. É aquele que não se conforma com as injustiças, com os desmandos dos poderosos, com qualquer tipo de opressão. É aquele que busca sempre se envolver nas questões sociais que o afligem, demonstrando determinação em agir no sentido da transformação dessa realidade. Se envolve em debates e busca sempre ampliar seu conhecimento sobre a situação de sua comunidade, sua cidade, seu país, de sua gente.

Os mestres e professores comprometidos com essa visão crítica que a capoeira pode proporcionar aos seus praticantes, devem estar o tempo todo estimulando isso nos seus grupos, quer seja promovendo debates sobre questões sociais, históricas, étnicas, ecológicas, de gênero, etc…quer seja participando de ações diretamente envolvidas com essas questões ao lado de seus alunos em manifestações públicas, passeatas, mobilizações, ou ainda em articulação com outros movimentos sociais, pois a capoeira é também um movimento social. E tem um potencial de ser tornar um movimento muito forte e atuante, pois agrega milhões de pessoas no mundo todo.

Talvez não tenhamos ainda uma noção muito clara sobre o poder político e de mobilização social que a capoeira possui. Por isso, se os grupos começarem a incentivar a formação política dos capoeiras (como felizmente já vem fazendo muitos grupos por aí), no sentido de atuação para a transformação da realidade que atinge nossas sociedades, com certeza a contribuição da capoeira será ainda maior no sentido de  transformar esse mundo, num mundo mais humano, justo e solidário !!!

 

Vamo simbora, camará !!!

Bonde do Samba leva alegria a Santa Teresa

RIO – O Bonde do Samba: o Bonde da Paz, primeiro eventoda pacificação no Carnaval 2011, sai na sexta-feira, 18 de fevereiro, da estação de bonde da Carioca, a partir das 16h.

Na concentração, shows de bambas com Noca da Portela, Nelson Sargento, Délcio Carvalho, Wilson Moreira, Bandeira Brasil. Ainda, Partideiros do Cacique, Dorina, Renatinho Partideiro, Gabrielzinho do Irajá, grupo Tempero Carioca, banda do Maestro Pelé, Jongo da Serrinha, rodas de capoeira, entre outros.

Às 18h, os bondes saem e fazem o bairro de Santa Teresa reviver os bailes de carnaval e as batalhas de confetes dos anos 20. Serão três bondes: o primeiro relembrando as marchinhas de carnaval, o segundo representando as grandes rodas de samba da cidade carioca e o terceiro com jongo e afoxés. O trajeto vai até ao Largo das Neves.

Após as viagens, acontecerão rodas de samba (nos largos das Neves e dos Guimarães) e de capoeira e jongo, no Largo do Curvelo.

O grande homenageado do Carnaval de 2011 será o sambista Nelson Cavaquinho pelo seu centenário de nascimento.  O desenhista Lan, amante do carnaval, cedeu a caricatura de Nelson Cavaquinho para a camiseta do Bonde do Samba 2011.

O Bonde do Samba foi criado pelo compositor Bandeira Brasil e este ano está na sua sétima edição. É um resgate dos antigos carnavais de meados dos anos 20, em que o bonde passou a desempenhar um papel de destaque no Reinado de Momo. Eram os bondes que conduziam os carnavalescos – entoando marchinhas e sambas, em meio às batalhas de confete, serpentinas e águas-de-cheiro.

Fonte: http://www.jb.com.br

Registro sedia o 1º Jogos de Verão de Capoeira

A tarde do último sábado foi marcada pela edição dos Jogos de Verão de Capoeira. Mais de 100 crianças, entre elas muitas meninas,participaram do evento voltado para a capoeira de Angola e que contou com a presença de Dierrin e a esposa Cláudia Hengler, considerados mestres da capoeira de Angola.

A prefeita Sandra Kennedy foi prestigiar o evento e destacou a importância da Inclusão social pelo esporte, principalmente com a Integração das equipes de Esporte, Assistência Social e Cultura da Prefeitura de Registro que deram todo o apoio ao evento.

Organizado pelo professor de capoeira do CRAS do Bloco B, Ednei da Silva Cruz, o Pezão, a atividade contou também com a presença de voluntários, colaboradores e com o Projeto Segundo Tempo. Na oportunidade, outros professores de capoeira também da região ressaltaram a importância do esporte e contaram um pouco da história da capoeira como as diferenças entre a capoeira de angola e a regional. Estiveram presentes os professores Judiação, da Vila Nova, Rogério, Roni e Robinho.

A Prefeitura também disponibiliza aulas de capoeira no CRAS da Vila Nova, do Jardim Paulistano, Arapongal com professores capacitados. Os interessados em participar podem entrar em contato no CRAS que atende a região da comunidade onde moram.

 

Fonte: http://diariodeiguape.com

Portugal: Acampamento Pedagógico, Intercâmbio e Treinamento de Capoeira

PEDAGÓGICO INTERCÂMBIO E TREINAMENTO DE CAPOEIRA: 17,18 E 19 Junho 2011

A nossa ideia do Acampamento Pedagógico e Intercâmbio e Treinamento de Capoeira no verão é fazer com que os alunos tenham contacto com outros mestres, alunos e professores num ambiente saudável para aprimorar suas técnicas de capoeira e aproveitar para aprender técnicas de outras modalidades. Onde a experiência vivida e a convivência em grupo são valorizadas através de regras e superação, alcançando a espiritualidade como forma de viver e estar bem consigo, com os outros e com o meio ambiente que fazemos parte.

Será um acampamento de capoeirista e não de grupo, onde todos participam e que no final do acampamento todos se sintam felizes. Não poderá ter qualquer atitude imprópria, todos mostrarão suas habilidades, técnicas e destrezas sem precisar se confrontar um com o outro, o jogo terá que ser livre e solto, tanto na ANGOLA COMO NA REGIONAL, dando oportunidade para todos os estilos de jogo e capoeirista.

Os participantes do Acampamento Pedagógico e Intercâmbio e Treinamento de Capoeira de Verão serão os alunos da capoeira e outras modalidades.

A programação terá uma relação directa com a temática escolhida: aulas de capoeira, berimbau, músicas de capoeira, corridas, ginástica. Também aproveitaremos para fazer entrega de graduações dos alunos de capoeira do grupo AGBARA e actividades recreativas. As actividades serão desenvolvidas de acordo com os grupos e faixa etária dos alunos.

O Acampamento Pedagógico e Intercâmbio e Treinamento de Capoeira de Verão estarão abertos a todos os grupos de capoeira. Os participantes deverão fazer as suas inscrições e efectuar o pagamento através do NIB: 0035 0686 00005675430 44 apresentando o comprovativo junto com a inscrição. Poderão ainda inscrever-se na hora de chegada.

 

A INSCRIÇÃO SERÁ DE 60€ COM O COMPROVATIVO BANCÁRI0 E 65€ NA HORA DE CHEGADA.

O EVENTO SERÁ NO PARQUE URBANO DE TONDELA.

 

CONCTATOS: MESTRE 917738469 /926759198 – TINTIN 913307534/968738803

BANDAS 969794151 – CONTRA-MESTRE BETÃO 961049912 – PEDRO 968097486

Coordenação do Evento

MESTRE NININHO