Blog

Outubro 2015

Vendo Artigos de: Outubro , 2015

CAPOEIRA ARTE OU LUTA?

Capoeira, arte ou luta? Eis a questão.

Se toda luta é uma arte marcial, podemos afirmar que sim, a capoeira é uma luta, com componentes artísticos e lúdicos que a compõem com estruturas tão dinâmicas e versáteis, que vai do trabalho físico, ao comportamental e emocional, atingindo a sua máxima com a peculiaridade de trabalhar a psicomotricidade com a musicalidade e instrumentalização, proporcionando um aproveitamento global do individuo.

Claro que para a população que não conhece o contexto histórico desta luta que é a capoeira, isso de misturar movimentações de habilidade e destreza física com acrobacias, pode descaracterizar a eficiência da mesma como arte de ataque e defesa. O que podemos brevemente esclarecer que este mito está correlacionado as raízes do surgimento da capoeira, que nasceu da opressão e subjugação de um povo, que pela ânsia de conseguir seu bem, mas precioso à liberdade, se viu obrigado a buscar armas para lutar contra esta força opressora que foi a escravidão no Brasil colonial.

Atenção, utilizamos a palavra “armas”, artificio que os negros escravos não dispunham para conquistar a liberdade, fazendo surgir a necessidade histórica da criação de quase todas as artes marciais, de utilizar o corpo como ferramenta para a conquista do objetivo, que unida a uma motivação vital, fez dela, uma arma de defesa e ataque eficiente. E como todo caminho para a evolução é um caminho de pedras, a capoeira não foge dessa regra, sofrendo até os dias de hoje o estigma do seu berço das senzalas, fazendo com que por muito tempo no Brasil a sociedade recriminasse os praticantes de capoeira como “malandros” ou “ralé” nome dado vulgarmente a pessoas de baixo poder aquisitivo e cultural.

Por isso a importância de difundir trabalhos sérios que tem o objetivo de borrar esta visão negativa e apresenta-la como uma força muito maior que técnicas de defesa e ataque, a deixar atuar como um veículo de inserção social, que ensina respeito e amor ao próximo, disciplina e educação que fortalece a autoestima, desenvolvendo capacidades motoras, de raciocínio logico, inteligências e competências emocionais, estimulando o ser humano de uma forma global.

 

Grupo Muzenza: Capoeira em Braga – Portugal

Eu Fabio Jordao (Mestre Fabinho Muzenza), aproveito a oportunidade concedida pelo Portal Capoeira para oficializar a minha chegada à cidade de Braga e toda região norte de Portugal, representando o grupo muzenza de Capoeira, com o objetivo de cumprir com os projetos do nosso grupo, impulsionando ainda más o fomento da capoeira em toda esta região, trazendo grandes eventos.

Convidamos a todos os capoeiristas e simpatizantes a prestigiarem e participarem com o seu grãozinho de areia, no dia 13 de novembro de 2015 da roda organizada pelo Mestre Fabinho, com a intenção de unir forças e confraternizar com os praticantes de todos os grupos, demostrando cordialidade e respeito, marcando o principio do trabalho a ser desenvolvido em Braga e região, sendo todos bem vindos.

Os interessados em conhecer um pouco, mas do grupo muzenza e praticar aulas, nos encontramos em:

  • Junta de Freguesia de Nogueiró;
  • Junta de Freguesia de Moure;
  • Ginásio Máximo (Arcozelo-Barcelos)

Tel.+34 617844004 Mestre Fabinho

 

Informação sobre o responsável das aulas em Braga.

 

-Professor de Ed Fisica e especializado em Ed.Fisica infantil, formado no ano de 2.000 pela 

Unimar (Universidade de Marilia São Paulo ).

-Mestre do Grupo Muzenza

-Afiliado na Super Liga Brasileira de Capoeira.

-Presidente da Asociacion Cultural Galega-Brasileira Etnias.

-Presidente da Federacion Galega de Capoeira .

– Autor do livro  “Manual Pedagogico de Capoeira”.

-Vice Campeao Mundial de Capoeira  do Grupo Muzenza no ano de 2000 (Brasil).

-Vice Campeao Europeu  de capoeira Muzenza ano de 2012 (Italia).

-Organizador de vários eventos  na cidade de Vigo e região  ESP.

-Menbro da comissão organizadora  dos Campeonatos  Europeos do Grupo Muzenza .

-Membro da comissão organizadora dos Campeonatos Mundiais  do Grupo Muzenza.

Nota de Falecimento: Mestre Gildo Alfinete

Gildo Lemos Couto (Mestre Gildo Alfinete), nascido no bairro de Tororó, em Salvador, iniciou-se na capoeira aos 18 anos com Mestre Pastinha, na Joana Angélica, e passou a treinar com o mesmo no Pelourinho. Participou de diversas viagens com o Mestre Pastinha: Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Porto Alegre e no Festival Mundial de Artes Negras (Dakar – Senegal). Participou da refundação da ABCA na década de 1990 e foi um dos grandes responsáveis pela cessão da sede que a Associação ocupa hoje.

Guardião de um dos maiores acervos existente sobre Mestre Pastinha e o Centro Esportivo de Capoeira Angola.

Mestre Gildo Alfinete (Gildo Lemos Couto *16/01/1940 +12/10/2015)

ABCA

A Associação Brasileira de Capoeira Angola tem o pesar de comunicar a toda a comunidade da capoeira o falecimento do seu Presidente do Conselho de Mestres, o já saudoso Mestre Gildo Alfinete. O sepultamento será a partir das 16:00 de hoje, 12 de outubro, no Jardim da Saudade, em Brotas.

Pedimos a todos que venham de branco para realizarmos a tradicional roda de capoeira angola, como certamente desejaria nosso querido Mestre Gildo, em sua celebração de passagem ao honroso plano dos ancestrais.

 

{youtube}Iu6N70LyWsk{/youtube}

 

Mestre Gildo Alfinete (Gildo Lemos Couto *16/01/1940 +12/10/2015)

Batizado de Capooeira em Terras Minhotas

Alunos de capoeira recebem nova graduação

A turma de alunos de capoeira, com as aulas a decorrer no Pavilhão da escola EB1/JI de Pias, recebeu novos cintos. A cerimónia aconteceu na manhã do último domingo, com a presença de vários “mestres” da arte *.

“Este é o nosso evento anual para troca de graduações” explicava Miguel Fonseca.

Há dois anos iniciou as aulas de Capoeira em Pias e desde essa altura os alunos foram aumentando. Agora vai abrir uma turma de adultos, a funcionar às terças e quintas, na EPRAMI, a partir das 19h00. Em Pias continua com a turma das crianças às quartas, às 18h30, e aos sábados de manhã.

Gustavo tem 12 anos e faz capoeira desde o início das aulas. O “Sartanejo” conta que “fiz amigos e aprendi algumas técnicas e golpes”. Teresa, de 10 anos, apesar de estar envergonhada a falar, explica que foi incentivada pelo pai a frequentar as aulas, mas que gosta. Com 11 anos, Eva revela o gosto por “jogar” [designação dada à representação que fazem em roda].

Lembrando que “ajuda na defesa” caso alguém queira fazer-lhe mau. O “Sorriso” é o Gonçalo, que veio desde o início das aulas. A razão é apresentada: “Achei o desporto fixe e proporcionava-me mais prática de exercício e além disso gosto da música”. Afonso tem 9 anos e gosta das técnicas e movimentos.

A Associação de Capoeira Lagoa da saudade, do Porto, é parceira do grupo monçanense. Em cada sessão de substituição e entrega dos cintos marcam presença, trazendo os berimbaus, os pandeiros e os atabaques. Para além da troca de cinto, os alunos são batizados, sendo-lhes atribuídos os nomes consoante os seus comportamentos e/ou características.

O “mestre Barão” salientava que “a capoeira ajuda em tudo”. Desmistificando: “A capoeira não é dar saltos mortais. É não violência”. Os 20 alunos, crianças e jovens, receberam os cintos de diferentes cores e os que ainda não tinham nome foram batizados pelo “mestre Barão”.

Pagina do Jornal - A Terra Minhota

Miguel Fonseca salienta que “a capoeira acaba por ser a expressão de cada um”. Defendendo que “quando jogamos, jogamos de igual para igual. E na roda mostramos que somos todos iguais. O jogo da capoeira é mais do que uma luta. É uma filosofia de vida”. É, segundo o responsável, o “respeito pela igualdade e espírito de grupo”.

 

Fonte: A Terra Minhota – Monção – PT – Cidália Rodrigues – aterraminhota@gmail.com

 

  • * Além do Mestre, Professores, Monitores e Alunos do Grupo Lagoa da Saudade, também estiveram presentes os convidados: Contra Mestre Careca e Contra Mestre Milani.

Capoeira é tema de reportagem especial da Rádio Senado

O que é a capoeira? Uma luta? Uma dança? Um esporte? Ou quem sabe seja uma brincadeira. Talvez a capoeira seja um pouco de tudo isso. O que podemos afirmar é que a capoeira é uma forma de resistência, uma forma de expressão cultural. É, acima de tudo, história brasileira.

A Capoeira consegue unir dois aspectos importantes para a construção da cidadania: a formação cultural e a socialização.

São esses aspectos que vão ser apresentados na Reportagem Especial “Capoeira: Cultura e Ação Social”. Você vai acompanhar entrevistas com mestres de Capoeira, professores da educação básica e dos centros de ensino especial do Distrito Federal, crianças e pais, todos mostrando a importância da Capoeira na formação da cidadania. O Especial conta ainda com a participação do Senador Otto Alencar, do PSD da Bahia, que já foi capoeirista.

A Reportagem Especial “Capoeira: Cultura e Ação Social”, do jornalista Rodrigo Resende, será apresentada nesta sexta-feira, às 18h, com reapresentação no sábado às 10h e domingo às 17h, horário de Brasília. O programa também pode ser ouvido pela internet no site: www.senado.leg.br/radio.

 

A Rádio Senado transmite sua programação para Brasília e regiões vizinhas na frequência de 91,7 MHz e para outras nove capitais: Cuiabá (102,5 MHz), Fortaleza (103,3 MHz), João Pessoa (106,5 MHz), Manaus (106,9 MHz), Natal (106,9 MHz), Rio Branco (100,9 MHz), Teresina (104,5 MHz), Macapá (93,9 MHz) e São Luís (96,9 MHz). Os programas da Rádio Senado são distribuídos para mais de 2 mil emissoras no país por meio da RadioAgência, e podem ser acessados no endereço www.senado.leg.br/radio.

 

Rodrigo de Castro Resende – rodrigoc@senado.leg.br