Blog

Julho 2016

Vendo Artigos de: Julho , 2016

Nota de Falecimento: Mestre Ananias

Mestre Ananias é a síntese da herança africana do povo brasileiro. Viveu a Capoeira, o Samba e o Candomblé sem dissociá-los, esclarecendo no seu comportamento questões sobre a ancestralidade do nosso povo. 

Fica a homenagem de toda a equipe do Portal Capoeira a esta figura ímpar, temperamento forte e um incondicional amor por toda a cultura “Afro-Brasileira”… Mestre Ananias, ícone da resistência e da luta pela valorização da Capoeira, tem sido o Guardião das Rodas de domingo na Praça da República em São Paulo… Foi lá que eu o conheci, através do amigo Caco Véio, na década de 90 e guardo comigo a imagem deste guerreiro e de sua alva e cativante figura… Falar da Capoeira em São Paulo sem falar em Ananias Ferreira é como tentar juntar óleo e aguá…

Luciano Milani – Editor – Portal Capoeira

 

O Velório do Mestre Ananias será na Bela Vista, Casa Mestre Ananias (Rua Conselheiro Ramalho, 939) a partir das 8h da manhã. O corpo será velado até as 14h. O enterro em Itaquera no cemitério Carmosina Rua Serra de São Domingos n 1.597 ponto de Referência o atacadão da Jacu Pêssego.


 

Mestre Ananias

Ao pensar em Mestre Ananias, precisamos compreender que seu legado transpassa os parâmetros e doutrinas estabelecidas na Cultura da Capoeira nas últimas décadas. A estruturação da Capoeira em São Paulo foi conduzida por capoeiras baianos, porém em uma realidade sócio-cultural que segue uma trilha diferente, cheia de segredos a serem desvendados.

OBRA VIVA, DURADOURA

Bahia…
Ananias Ferreira nasceu em 1924 em São Félix (BA), nesta região que vivencia a força e influência africana em solo brasileiro e que oferece a Capoeira, o Samba e o Candomblé como alicerces formadores da nossa cultura. Sua infância, portanto, foi brincar e compartilhar esse universo, uma realidade cheia de contrastes em relação ao que vivemos hoje. Em suas lembranças, Ananias fala de um senhor que tocava berimbau de imbé, ou cipó caboclo, o Mestre Juvêncio, também de seus companheiros de roda: os irmãos Toy e Roxinho, Caial, Estevão, João de Zazá, Café e Vito. Ele lembra também de Inácio do Cavaquinho (que fazia samba com seu pai) e da roda de capoeira que armavam na venda do Seu Mané da Viola em Muritiba na rua do “Caga à Toa” (hehe).

Ainda muito jovem, Ananias trabalhou na lavoura de cana e nas indústrias de fumo, quando decidiu ir a Salvador em busca de melhores condições de vida. Na capital baiana, morou nos bairros do Engenho Velho de Brotas, Curuzu e Liberdade, onde é acolhido por um dos grandes mestres da Capoeira, Valdemar da Liberdade. Aí teve sua maior influência e passa a ser responsável pela bateria junto a Bugalho, Zacarias e Mucungê. Nessa época de formação da Capoeira (que se apresenta hoje) conviveu com grandes nomes como Mestres Pastinha, Nagé, Onça Preta, Noronha, Dorival (irmão de Mestre Valdemar), Traíra, Cobrinha Verde, Canjiquinha – de quem recebeu seu diploma – e tantos outros. Foi ali no Corta-Braço (assim é conhecida a região onde se localizava o Barracão do Mestre Valdemar) que os produtores Wilson e Sérgio Maia buscaram Mestre Ananias, Evaristo, Félix e algumas baianas para trabalhar na cena teatral paulistana…

 

São Paulo, 1953…

Junto a Plínio Marcos e Solano Trindade na cena teatral paulistana, Ananias contribuiu para dar visibilidade à riqueza do patrimônio espiritual e estético do Negro brasileiro. Sacudiu os teatros paulistanos (Municipal, Arena, São Pedro, TAIB, São Paulo Chic, entre outros) com os sambistas Geraldo Filme, Toniquinho Batuqueiro, Zeca da Casa Verde, Talismã, Jangada, Silvio Modesto, João Valente, João Sem Medo e outros batuqueiros. Atuou na peça Balbina de Iansã, em 1970, e em Jesus Homem, em 1980 (ambas de autoria de Plínio Marcos. Esteve no elenco da primeira encenação de O Pagador de Promessas (dirigida no TBC por Flávio Rangel em 1960) e teve participação na trilha sonora da filmagem deste enredo, em cartaz nos cinemas dois anos após. Também participou dos filmes Brasil do Nosso Brasil(produzido por Xangô), Fronteira do Inferno e Ravina (de Anita Castelane) e fez gravações com Jair Rodrigues, entre outros.

Pioneiro entre os capoeiristas a estabelecer residência na terra da garoa, Mestre Ananias está hoje em plena atividade e é enorme influência para gerações na tradição da Capoeira Paulistana e o representante do Samba de Roda do Recôncavo Baiano na capital.

Neste mais de meio século, conviveu com grandes capoeiristas baianos que viveram e passaram por São Paulo, como Zé de Freitas, Limão, Valdemar (do Martinelli), Hermógenes, Gilvan, Silvestre, Paulo Gomes, Suassuna, Brasília, Joel e muitos outros.

Ananias Ferreira é uma figura emblemática da cultura afro-brasileira, que ao longo de uma vida extensa ─ com tenacidade e carisma ─ mantém viva a mais pura ancestralidade no moderno coração da maior cidade do Brasil.

É o representante mais significativo entre os criadores de uma instituição que se mantém há mais de meio século: a roda de capoeira dominical da Praça da República em São Paulo. Uma autêntica ágora, espaço de resistência, de confronto e diálogo dos talentos e dos estilos mais diversos, e também de aprendizagem. Poucos capoeiristas na cidade de São Paulo não conheceram de perto esta roda ou estiveram cientes da oportunidade de entrar livremente nela. Esta instituição é a emanação do carisma de uma pessoa, Mestre Ananias, cujo axé inscreve esta vitalidade coletiva num lugar altamente simbólico, compatibilizando a liberdade informal da rua com a urbanidade dos costumes.

A AFRICANIDADE NA GESTUALIDADE E NA VOZ : A TRANSMISSÃO DA HERANÇA AFRICANA ATRAVÉS DA ARTE
Cada vez mais escassos hoje entre os expoentes reconhecidos da cultura afro-brasileira são aqueles que portam no seu corpo as marcas gestuais, as posturas, as inflexões vocais que denotam a origem cultural africana. Aquilo que se tentou resgatar através do exemplo do reconhecimento tão tardio de uma Clementina de Jesus ainda está vivo em poucos redutos do Brasil, entre os quais o manancial que irrigou musicalmente o país com o Samba de Roda – hoje Patrimônio da Humanidade na categoria de expressões orais e imateriais: o Recôncavo da Bahia, onde o Mestre nasceu e se criou.

Tanto na roda de capoeira, na ginga e na mandinga, como na entonação e nas síncopes do canto, do pandeiro, do atabaque, nos passos inesperados do samba dançado, tudo aquilo que suscitava nas anotações de campo de Mário de Andrade julgamentos entusiastas e de admiração, está sendo transmitido pelo exemplo vivo do Mestre. Sabemos da importância do registro de vivências que se tornarão modelos clássicos para as gerações vindouras.

 

REGISTROS DOCUMENTAIS

Somente aos 80 anos Mestre Ananias gravou o primeiro cd de capoeira como protagonista, junto a seus discípulos formados no início da década de 90 e que vivem sua rotina diária. Aos 83 anos, lançou com o grupo Garoa do Recôncavo seu primeiro cd de Samba de Roda. Em 2009, foi um dos mestres selecionados para o registro no documentário Cantador de Chula (de Marcelo Rabello) como o único sambador convidado que não reside na região do Recôncavo.

No ano de 1979, participou da gravação do LP de Mestre Joel e também esteve presente em gravações amadoras de outros grupos de capoeira no decorrer de sua carreira.

 

Site Oficial

 

Contatos

Minhoca

Email: info@uirapurubr.com.br  –  Fone: 11 3926 0676

Endereço: Rua Conselheiro Ramalho, 939 – Bela Vista  CEP 01325-001 – São Paulo / SP

Grupo Senzala de Capoeira realiza o Intercambio Cultural Roda Mundo Capoeira

 

Intercambio Cultural Roda Mundo Capoeira é idealizado pelo Grupo Senzala de Capoeira e acontece em Copacabana.

 

Evento conta com a participação de atletas nacionais e internacionais e realiza aulas de capoeira, percussão e outras atividades em Copacabana

 

Nos dias 21, 22 e 23 de julho o Grupo Senzala de Capoeira realiza o Intercambio Cultural Roda Mundo Capoeira em Copacabana. O evento reúne atletas de todo Brasil e de países como Austrália, Itália, Estados Unidos, Canadá, França, Suiça, Espanha, Suécia, Portugal, Colômbia, Chile, além de importantes Mestres da Cultura Popular.

 

O evento acontece na Orla de Copacabana, no Copaleme e Colégio Estadual Infante Dom Henrique. Entre as atividades estão rodas e aulas de capoeira, além de oficinas de percussão, música e de história Afro e dos Orixás.

 

“Nosso objetivo é promover uma troca de experiências entre os atletas de fora e os daqui. Aqui eles podem interagir e ver de perto a malemolência e o gingado brasileiro. Com esse intercambio queremos mostrar que a capoeira é mais do que um jogo, é uma cultura que herdamos dos escravos e que lutamos pra manter viva”, conclui Mestre Ramos.

 

 

SERVIÇO

Intercambio Cultural Roda Mundo Capoeira – Grátis

Data: De 20 a 23 de julho

Locais:

– Orla da Praia de Copabana

 

 

– Copaleme Praia Clube

Endereço: Ladeira Ary Barroso, 1 – Leme, Rio de Janeiro – RJ

 

– Colégio Estadual Infante Dom Henrique

Endereço: Rua Belfort Roxo, 433 – Copacabana, Rio de Janeiro – RJ

 

 

PROGRAMAÇÃO

 

 

21/07 – Quinta-feira

15h às 18h- Aulas com os Mestres (Local: Copaleme)

18h – Musicalidade – M. Toni (Local: Copaleme)

Vivência com os Mestres Felipe, Levi e Itamar (Local: Copaleme)

19h – Aulão de Percussão com Márcio Barra Vento (Local: Praia de Copacabana – em frente ao Sindicato do Chopp do Leme)

20h – Roda na Praia – (Local: Praia de Copacabana – em frente ao Sindicato do Chopp do Leme)

 

22/07 – Sexta-feira

9h às 12h – Aulas com os mestres (Local: Copaleme)

12h – Rodas de atividades com os mestres (Local: Copaleme)

15h às 18h – Aulas com os mestres (Local: Copaleme)

18h ás 19h – Vivência Musical com os Mestres Suassuna, Brasília e Toni Vargas (Local: Copaleme)

19h às 20h – Mostra de Músicas e Talentos (Local: Copaleme)

Lançamento do Livro – Professor Liberac (Local: Copaleme)

20h às 22h – Roda e Happy Hour no Bar do Chicão

 

23/07 – Sábado

9h às 12h – Aulas com os Mestres (Local: Colégio Infante Dom Henrique)

12h às 13h – Rodas nas Praias (Diversos pontos)

15h às 16h30 – Aulão de Afro e História dos Orixás e Lançamento do CD – É Caminhador (Local: Colégio Infante Dom Henrique)

16h30 às 17h30 – Apresentação cultural Afro e Puxada de Rede (Local: Colégio Infante Dom Henrique)

18h às 20h – Entrega dos Cordas Marrons e Formatura (Local: Colégio Infante Dom Henrique)

20h às 23h – Festa de Encerramento no Bar do Chicão

 

Informação para imprensa

LEAD Comunicação

Tel: (21) 2222-9450 / 99348-9189 / leadcom@terra.com.br

Nani joga capoeira em apresentação no Valencia

Apresentado com pompas pelo Valencia, o português Nani mostrou que não é bom só no futebol. Campeão europeu com a seleção portuguesa, Nani tirou onda na capoeira e levou os mais de 12 mil torcedores ao delírio. O camisa 17 foi contratado junto ao Fenerbahçe por R$ 31 milhões.

Na roda com Nani o amigo Veneno e a granda Capoeira Daniela Santos (Mascarada), aluna do CCCB do grande parceiro e colaborador deste site o Contra Mestre Careca.

 

 

Fonte: http://www.msn.com/pt-br/esportes

Comemoração dos 30 anos de Capoeiragem do Mestre Caramuru e do Contramestre Milani

 

Comemoração dos 30 anos de Capoeiragem do Mestre Caramuru e do Contramestre Milani

 

Convívio, Workshops e Roda de Capoeira em comemoração aos 30 anos de “caminhada” do Mestre Caramuru (Renivaldo Caramuru Pdb) e do Contra Mestre Milani (Luciano Milani)

Julho/2016 – Porto

 

 

Mestre Caramuru - (Foto Nélia Azevedo)

 

CAMINHADA:

Renivaldo Rodrigues de Jesus, Mestre Caramuru, nasceu em 1974. Deu seus primeiros passos na Capoeira no ano de 1984, na cidade baiana de Itajuipe. Em 1990, com apenas 16 anos, Caramuru partiu para a capital, Salvador, para trabalhar. Lá, começou a treinar com o Mestre Cabeudo, que, na época, ensinava na Praia do Porto da Barra e mantinha um trabalho de capoeira no bairro de Nazaré. Caramuru treinou por mais de um mês, porém parou de ir às aulas, pois não tinha dinheiro para pagar a mensalidade.
.
Certo dia, Cabeludo o viu na rua, treinando e perguntou porque ele havia parado de ir as aulas. Após explicar os motivos, Cabeludo lhe disse que retornasse aos treinos, pois não havia dinheiro que pagasse ter uma pessoa com tanto desejo e força de vontade de aprender a Capoeira. E assim o Mestre Caramuru retoma seus treinos no Grupo Porto da Barra.
.
Em 1996, Caramuru, já graduado Instrutor, retornou para a sua cidade natal, Aurelino Leal, onde passou a ensinar a Capoeira para seus irmãos e outras crianças da cidade.
.
Em 2003, seu irmão, Professor Baterista, o leva para Espanha, em seguida para Portugal, onde se estabelece e até os dias atuais mantém um forte trabalho de capoeira na cidade do Porto.
.
Mestre Caramuru é considerado um dos mais fiéis discípulos do Mestre Cabeludo e dos ensinamentos do Mestre Bimba e do Mestre Vermelho 27. Sua seriedade o tornou extremamente conhecido e admirado em Portugal e na Europa.
.
Além da filial do Porto, o Mestre Caramuru ainda mantém sua antiga filial na cidade de Aurelino Leal, e outra na cidade de Ubaitaba/BA.

 

Contramestre Milani - (Foto Nélia Azevedo)

 

CAMINHADA:

Luciano Milani: Contramestre, Pesquisador, Editor e criador do Portal Capoeira – www.portalcapoeira.com

Iniciou na Capoeira no ano de 1984. Seu primeiro Mestre foi Silvestre Grupo Capoeira Vera Cruz (discípulo de Mestre Caiçara).

Em 1986 fez parte do Grupo Cordão de Ouro sob a tutela do Mestre Flavinho Tucano, tendo como paraninfo o grande Mestre Brasília.

No início dos anos 90 ingressou na Casa de Capoeira de Malungos, convivendo com grandes Capoeiras, dentre eles, Pedro Miguel, Baiano, Gué, Lelo, Gia, os irmãos Ulisses e Flavinho Guaiamum, Peixe-Crú e Tucano Preto.

Em 1996 passou a integrar o grupo Guerreiros do Abaeté de Mestre Chumbinho, onde se formou Professor.

Em 2004 cria o Grupo Capoeira Mogadouro em Portugal, e inicia o Portal Capoeira www.portalcapoeira.com

Em 2013 é formado Contra Mestre de Capoeira.

Em 2016 passa a fazer parte do Grupo “Arte Nossa Capoeira” do Mestre Pernalonga.

 

* Fotos e Design – Nélia Azevedo

Paulinho ”Capoeira” enfrenta Herbert “Índio” por cinturão interino do Jungle

Luta, válida pelo título dos galos, ocorre no dia 16 de julho, em São Paulo, na edição 89 da franquia amazonense

O Jungle Fight 89 será realizado no dia 16 de julho, em São Paulo. A primeira luta confirmada para esta edição vale nada mais nada menos que o cinturão interino dos galos – o título linear da categoria pertence, desde o dia 30 de abril, a Naldo Silva. O amazonense Paulinho ”Capoeira” vai enfrentar o brasiliense Herbert ”Índio”.

– Essa luta vai ser muito boa. Ambos vêm de resultados positivos e estão preparados para o combate – disse o presidente da franquia, Walid Ismail., que não confirmou nenhuma outra luta no evento.

Ismail tem toda razão. O lutador baré venceu as últimas quatro lutas que disputou. Todas pelo Jungle Fight. No entanto, a última vez que subiu ao octógono foi em setembro de 2015, quando ele venceu Nildo ”Katchau” por decisão dividida. No cartel, ele tem cinco vitórias e quatro derrotas como lutador profissional.

Já Herbert ”Índio” é o adversário a ser batido. Com apenas 22 anos, o brasiliense tem 10 lutas na carreiras, sendo três válidas pelo o evento de MMA mais tradicional da América Latina. Até o momento, nenhuma derrota. E tem mais: todas suas vitórias foram por nocaute ou finalização. Apenas duas passaram do primeiro round. A última vez que subiu no octógono, coincidentemente, foi contra Nildo ”Katchau”. Ele finalizou o rival no terceiro round.

 

Fonte: http://globoesporte.globo.com/