“Capoeira é pra homen, menino e mulhé”???
03 Abr 2008

“Capoeira é pra homen, menino e mulhé”???

Conversando com: TATIANA CÂNDIDA SÃO PEDRO TOMÉ Professora de Educação física e instrutora de capoeira Como conheceu a capoeira e por que

03 Abr 2008

Conversando com:

TATIANA CÂNDIDA SÃO PEDRO TOMÉ
Professora de Educação física e instrutora de capoeira

Como conheceu a capoeira e por que decidiu treinar?

Conheci a capoeira em 1990, através do meu Professor de Educação Física, “Contramestre Jacó”, que também era professor de Capoeira, e ele, percebendo o meu interesse, me incentivou a praticá-la, pois sempre apreciei ver as rodas de Capoeira quando o seu grupo se apresentava na escola. Iniciei minha prática no ano de 1992, com o Contramestre Jacó do Grupo Candeias. Mais tarde passei a treinar com o Contramestre Guerreiro e hoje fazemos parte do Capoeira Luanda.

Qual sua relação com a capoeira?

Sou formada em Educação Física há cinco anos, pela UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS (U.E.G) e desde de 1998, trabalho com a Capoeira. A minha relação com a Capoeira vai além de uma simples prática, ela é extremamente profissional. Foram anos de trabalho, pesquisa, investimento e dedicação, que hoje me deram e me dão frutos. Atualmente desenvolvo um trabalho no SESC – FAIÇALVILLE como profissional de educação física, porém ministrando aulas de capoeira.

Como você se equilibra com todos os afazeres do seu cotidiano?

É muito complicado conseguir conciliar a vida de mãe, trabalho, estudos e praticar a Capoeira; porém não é impossível, a vida nos ensina que tudo o que desejamos com esforço conseguimos, pois é isso que tento fazer, sempre procurando executar tudo da melhor forma possível para que a balança se equilibre.
Hoje a minha dedicação à capoeira toma conta de 90% da minha vida, sou esposa de capoeirista, trabalho seis horas do meu dia com a Capoeira e ainda tenho um tempo à noite para me dedicar aos treinos.

Qual atividade você desenvolve e desenvolveu com a capoeira?

Atualmente desenvolvo um trabalho no SESC em Goiânia, onde ministro aulas de Capoeira para crianças, adolescentes e adultos. Portanto, tenho um trabalho reconhecido com um projeto que desenvolvi no Centro de Reabilitação São Paulo Apóstolo em Goiânia, com a “Capoeira para o Ensino Especial”, foram quatro anos de dedicação com alunos portadores de deficiência mental que resultou em um trabalho monográfico intitulado: “Os Benefícios da Capoeira para Portadores de Deficiência Mental”. Foi um trabalho inédito na região, que hoje infelizmente não é desenvolvido por falta de incentivo governamental.
No mês de março de 2008, em comemoração ao Mês das Mulheres, organizei no SESC a 1ª Roda Feminina do Capoeira Luanda de Goiânia, onde tivemos a presença de capoeiristas da grande Goiânia, do interior de Goiás e do Distrito Federal; constaram da programação oficina de Dança Afro, com a Professora Josy, e de Samba de Roda, com a Instrutora Ana Luíza e, claro, a tão esperada Roda.

Como sua família lida com uma mulher Capoeirista em casa?

Para minha família é tudo normal, minha mãe sempre me incentivou a correr atrás dos meus sonhos. Conheci meu marido na Capoeira, e hoje ele é o meu Contramestre, as minhas filhas (uma de oito anos e a outra de um ano e oito meses) amam a Capoeira e estão sempre junto conosco nas rodas, eventos e apresentações. A Capoeira faz parte da minha vida e da vida da minha família.

Qual a mensagem que você tem a deixar para as mulheres que praticam e queiram praticar a Capoeira:

A Capoeira Arte-luta brasileira está no sangue de cada uma de nós, ela nos transforma, ela nos dá vida e nos e nos realiza, é uma forma de expressão vital, é ânsia de liberdade, ela faz com que nós mulheres aprendamos a conquistar o nosso espaço e desfrutar dele. A Capoeira, assim como foi usada pelos negros para se libertarem, está sendo usada pelas mulheres para se emanciparem. A mulher hoje na capoeira, comanda , ensina e consegue fazer transformações no cotidiano da vida de cada um que dela se aproxima.

“Assim é a Capoeira, uma mulher enfeitada em expressão de arte, que nos educa e educa os nossos filhos para a vida”.

“Ao som do berimbau, na ginga da brincadeira
Oi batam palmas para mulher na capoeira………
Pois, a mulher na capoeira está deixando o seu recado….”

Leave a comment
Mais Artigos
comentários
Comentário

8 + dezesseis =