Várzea Grande: Portadores de necessidades especiais jogam capoeira na Olimpíada Inclusiva
22 Ago 2007

Várzea Grande: Portadores de necessidades especiais jogam capoeira na Olimpíada Inclusiva

Durante a disputa da III Olimpíada Inclusiva, iniciada nesta terça-feira (21.08) em Várzea Grande, o público terá a oportunidade de presenciar que

22 Ago 2007
Durante a disputa da III Olimpíada Inclusiva, iniciada nesta terça-feira (21.08) em Várzea Grande, o público terá a oportunidade de presenciar que limitação física e mental é superada com muito esforço e dedicação. Inserida no projeto do governo Federal, o ‘Esporte e Lazer da Cidade’, a capoeira vem sendo utilizada como mecanismo de combate ao ócio em portadores de necessidades especiais, principalmente para quem tem síndrome de Down.
 
Na Olimpíada Inclusiva, evento realizado pela secretaria municipal de Educação e Cultura, os alunos da Escola Municipal “Antônio Salústio Areias”, localizada no bairro 15 de Maio, vão competir jogando capoeira. Responsável por esse novo método de inserção social e de atividade física aos deficientes de Várzea Grande, o mestre Masca comemora os resultados surgidos em pouco tempo de aula.
 
“Tem aluno que chegou com muita dificuldade de locomoção, agora, quase dois meses de aula pós-adesão à capoeira, já tem apresentado melhora em seu andar. É algo recompensador e que me motiva ainda mais a trabalhar nesse projeto. Eu vejo a capoeira não só como uma cultura afro-brasileira, mas como instrumento para a saúde física de milhares de pessoas”, ressalta o mestre.
 
O mestre Masca está gostando tanto de dar aula a um público especial que decidiu ampliar as aulas. Agora, além da Escola “Antônio Salústio Areias”, ele desenvolve também aula de capoeira para 37 alunos deficientes físicos no Centro de Habilitação Profissional (CHP) “Professora Célia Rodrigues”, localizado próximo ao cemitério municipal de Várzea Grande.
 
O coordenador do projeto ‘Esporte e Lazer da Cidade’ do núcleo Centro de Várzea Grande, Márcio Roberto, frisa que a procura pelas aulas de capoeiras aos deficientes têm sido grande e bem aceita pelas famílias dos alunos. De acordo com ele, o projeto do governo Federal em parceria com a prefeitura de Várzea Grande foi criado justamente como instrumento de inserção social, por meio de atividades desportivas em municípios e bairros carentes Brasil afora.
 
Fonte: O Documento – Várzea Grande, MT – http://www.odocumento.com.br

Leave a comment
Mais Artigos
comentários
Comentário

six − 5 =