03 Ago 2006

3 de Agosto: Dia do Capoeirista – Matéria I

Em homenagem ao DIA DO CAPOEIRISTA e ao mesmo tempo em sensibilização ao contexto atual (guerras, violência, falta de solidariedade…) o Portal Capoeira

03 Ago 2006
Em homenagem ao DIA DO CAPOEIRISTA e ao mesmo tempo em sensibilização ao contexto atual (guerras, violência, falta de solidariedade…) o Portal Capoeira estará publicando durante o dia de hoje algumas matérias e reflexões sobre o “NOSSO DIA”, esperando que os nossos leitores e visitantes, capoeiristas ou não, busquem um melhor entendimento sobre o SER CAPOEIRISTA… e o porquê desta data?!
Luciano Milani
08/2006

No Dia do Capoeirista, nesta quinta (3), praticantes aliam tradição e modernidade

Para escapar da escravidão, se libertar dos castigos e fugir dos capitães de mato, os escravos brasileiros de séculos atrás reuniam-se na senzala e treinavam. Para que ninguém percebesse os golpes certeiros, disfarçavam a luta que praticavam em dança e, assim, enganavam feitores. Foi assim que nasceu a capoeira, no Brasil Colônia.

Centenas de anos depois, a prática ainda persiste, embora sem as mesmas razões libertárias. Nesta quinta-feira (3/8), Dia Nacional do Capoeirista, os praticantes desta arte não aprendem mais como escapar dos trabalhos forçados, mas sim lições que lhes servem para o corpo e para a mente.
Segundo Amaro Caetano de Souza, o mestre Amaro, da Academia Marinheiro, de Suzano, as aulas de capoeira hoje são ricas e os ensinamentos vão além da defesa pessoal. “É importante que, dentro da capoeira, as pessoas aprendam a ser cidadãos de bem, além de bons atletas”, disse.
O mestre baiano, que vive em São Paulo desde 1978, é apaixonado pela arte dos escravos e respeita as raízes desta mescla de esporte, arte marcial e dança. No entanto, acredita que a arte se modernizou e os treinos precisam acompanhar estas mudanças. “É importante investirmos na capoeira e os praticantes devem aprender a cultura, a história desta arte, mas precisam também ter técnica, preparo físico e noções
de cidadania”, comentou.
Para ele, é importante ainda investir no alongamento, para garantir movimentos que dão beleza à arte. Há poucas décadas, uma academia de capoeira era freqüentada majoritariamente por homens. Agora, as mulheres formam um público forte da capoeira e vão para os treinos acompanhando os maridos e levando filhos e amigas. “A capoeira é um ótimo exercício físico. Muita gente prefere a capoeira a freqüentar uma academia, porque tem mais benefícios à saúde. E sensação depois da aula é de completo bem-estar”,disse o mestre.
A roda de capoeira

A roda de capoeira é o momento em que os capoeiristas encontram-se para colocar em prática o que aprenderam nas aulas. Sentados em círculo, os alunos batem palmas acompanhando o ritmo do berimbau, principal instrumento para a prática da capoeira, e respondendo o “coro” (música cantada pelos mestres ou alunos mais graduados).
Na capoeira, o respeito é de extrema importância. Os mestres e alunos mais velhos ensinam aos mais jovens e inexperientes os golpes, as saídas e as “manhas” da capoeira, enquanto jogam dentro da roda.
História

Presente no mercado de escravos e nas senzalas, a capoeira sempre foi uma atividade de rua. Passou a ser praticada em academias a partir de 1932, quando Manuel dos Reis Machado, o Mestre Bimba, abriu a primeira academia de capoeira em Salvador. A partir daí, ele passou a organizar o ensino como capoeira Regional Baiana. Resistindo à opressão e até o seu quase desaparecimento por completo, a capoeira chega aos dias de hoje com a sua força característica, porém mais erudita e praticada em todo o mundo, unindo movimento de corpo e música numa manifestação brasileira de dança, jogo e arte-luta com raízes africanas.

Leave a comment
Mais Artigos
comentários
Comentário

four × two =