4º Brasil Synchro Open: Dueto Brasileiro mostra sua “CAPOEIRA”
23 Jun 2015

4º Brasil Synchro Open: Dueto Brasileiro mostra sua “CAPOEIRA”

NADO SINCRONIZADO: DUETO BRASILEIRO MOSTRA SUA CAPOEIRA E UCRÂNIA FAZ HISTÓRIA COM DUETO MISTO Rio de Janeiro/RJ – Ginga, aús e pontapés. Os movimentos típicos de

23 Jun 2015

NADO SINCRONIZADO: DUETO BRASILEIRO MOSTRA SUA CAPOEIRA E UCRÂNIA FAZ HISTÓRIA COM DUETO MISTO

Rio de Janeiro/RJ – Ginga, aús e pontapés. Os movimentos típicos de capoeira foram parar na água na rotina técnica que dueto brasileiro de nado sincronizado Luisa Borges e Maria Eduarda Micucci apresentou nesta sexta-feira, 10/04, no 4º Brasil Synchro Open.

Esta é uma das coreografias que estão sendo trabalhadas para os Jogos Olímpicos Rio 2016, que acontecerão no mesmo palco do Synchro Open: O Parque Aquático Maria Lenk. A competição conta com nove países além do Brasil e entre eles a Ucrânia trouxe uma novidade: o dueto misto de Oleksandra Sabada e Anton Timofeyev. Os dois voltam à piscina no domingo e já entraram para a história como a primeira dupla mista a se apresentar oficialmente no país. Nove países além do Brasil disputa o Synchro Open, que vai até domingo, 12/04 (ver programa no final).

A dupla espanhola de Paula Klamburg e Ona Carbonell venceu a prova de dueto técnico com uma instigante e criativa coreografia baseada em eletrônica. As medalhistas de prata dos Jogos Olímpicos de Londres 2012 somaram 88.489 pontos. Segundo Ona, esta é rotina que será apresentada no Mundial dos Esportes Aquáticos de Kazan. A Ucrânia da dupla Lolita Ananasova e Anna Voloshyna sempre na luta com o primeiro pelotão de potências do nado sincronizado ficou muito próxima, com 88.2350. As jovens chinesas gêmeas Qianyi e Liuyi Wang, em preparação para assumirem o posto de principal dueto do país, obtiveram 87.3220 e ficaram com o bronze. A dupla brasileira foi quarta colocada, com 81.0087.

A coreografia brasileira foi apresentada pela primeira vez nos campeonatos abertos da Alemanha e da França. Os testes valeram, pois a técnica canadense Julie Sauvé, baseada no que foi apresentado na Europa, já mudou radicalmente a rotina.

– Essa coreografia é o nosso rascunho. Até 2016 ainda vai mudar muita coisa e vai melhorar muito mais – disse Luisa.

As provas são divididas em rotina técnica e livre. A coreografia técnica do dueto já foi definida, apresentada e está sendo aperfeiçoada. No entanto, a rotina livre ainda é segredo para o público.

– Essa rotina técnica a gente colocou bem mais difícil, mais rápida. Vamos mudar com certeza muita coisa. A coreografia livre é surpresa. Só no Pan! – brincou Duda Micucci, confirmando que o tema livre de 2016 será mostrado nos Jogos Pan-Americanos de Toronto, em julho.

A manhã teve também a rotina livre combinada (Combo), prova em que na mesma coreografia acontecem momentos de solo, dueto e equipe. A Ucrânia (90.367), Brasil (84.9333) e seleção brasileira júnior (77.400) foram ouro, prata e bronze. A disputa contou também com os times do CIEL, da Parabíba (62.600) e da Universidade Técnica do Paraná (58.100). A equipe brasileira entrou com o tema “faroeste” e foi composta por Maria Bruno, Pamela Nogueira, Juliana Damico, Beatriz e Bianca Feres, Lara Teixeira, Sabrine Lowe, Maria Clara Coutinho, Priscila Japiassu, Giovana Stephan, Luisa Borges e Maria Eduarda Miccuci. A técnica Maura Xavier fez sua avaliação da estreia da competição.

– A nossa avaliação é boa! As meninas mostraram progresso e as notas aumentaram, tanto no dueto quanto no combo. Tivemos boas nadadas. O dueto alcançou as metas que delimitamos, mas nós queremos sempre mais. Já recebemos elogios das outras seleções e o reconhecimento de evolução também é muito importante. Apesar de não ser um dos nossos principais objetivos (por fazer parte do programa olímpico) o combo se apresentou muito bem, mesmo com a ausência de Lorena Molinos, por lesão, na última semana, as meninas se recuperaram a fizeram uma bela apresentação – Maura Xavier

Dueto Misto: Uma prova que veio para ficar – Grande novidade da competição, o atleta Anton Timofeyev não parou de posar para fotos com as novas fãs e de dar entrevistas. Ele volta à piscina no domingo, onde se apresentará com Oleksandra na prova de dueto livre. Natural de Kharkov, com 26 anos e casado, Anton vai competir no Mundial de Kazan, estreia da prova em um Mundial da Federação Internacional de Natação. Ele afirmou que a esposa sempre o apoiou muito e que está seguro de uma medalha na competição na Rússia.

– Achei que a decisão da FINA em incluir a prova foi certa, pois o dueto misto é um bonito esporte. A apresentação pode ser um show. Eu treinava a natação da equipe de nado sincronizado e então comecei a praticar e a repetir os movimentos delas sem muitas pretensões. Treinei nado sincronizado de 2002 até 2007, depois parei e agora estou treinando outra vez há apenas três meses. Meu técnico me chamou quando se tornou oficial. Acho que vamos ganhar uma medalha em Kazan. Vamos competir com Rússia, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Turquia. Estes são os países que sei que estarão lá. Será histórico – disse.

O Brazil Synchro Open é realizado com recursos dos Correios – Patrocinador Oficial dos Desportos Aquáticos Brasileiros, e ainda do Bradesco/Lei de Incentivo Fiscal, Lei Agnelo/Piva – Governo Federal – Ministério do Esporte, Speedo, Sadia e Universidade Estácio de Sá. 

4º Brazil Synchro Open – 10 a 12/04 – Programação

10/04 – 18h10 – Solo Técnico

11/04 – 09h15 – Equipe Técnica – 12h15 – Solo Livre

12/04 – 09h15 – Dueto Livre – 12h15 – Equipe Livre

 


Matéria sugerida por Nélia Azevedo
http://www.cbda.org.br – Eliana Alves/ Souza Santos/ Mariana de Sá

Leave a comment
Mais Artigos
comentários
Comentário

13 + 8 =