13 Jul 2007

Abadá e Mestre Cobra em Cabo Verde

Abada recebe mestre "Cobra" em Cabo Verde   A Associação Abada Capoeira de Cabo Verde, que é filiada na maior associação de capoeira do

13 Jul 2007
Abada recebe mestre "Cobra" em Cabo Verde  
 
A Associação Abada Capoeira de Cabo Verde, que é filiada na maior associação de capoeira do mundo com mais de 60 mil praticantes em 33 países e ainda representantes em todos os estados brasileiros, realiza até ao próximo dia 16 de Julho um festival de capoeira, com a presença de mestres e professores internacionais, pelas ilhas. É assim que depois de Santiago, Sal e Santo Antão, São Vicente prepara-se para receber a partir de hoje, sexta-feira, 13, três professores de capoeira brasileiros, sendo que um deles reside actualmente em Portugal e um mestre de capoeira conhecido no meio por “Cobra”.
 
A vinda desses especialistas brasileiros de capoeira a Cabo Verde para participar no festival internacional de verão da Abada, que marca o arranque da campanha contra a violência, é a acção mais visível desta actividade que terá a duração de um ano. “Estivemos 10 dias na ilha de Santiago, dois dias no Sal e dois dias em Santo Antão. A partir de hoje, sexta-feira, 13, vamos estar em São Vicente, ilha onde iremos realizar uma seria de actividades até a próxima segunda-feira, data do término do festival”, explica António Marques, ou melhor ‘Patcha’, responsável do Abada em Cabo Verde.
 
Esta campanha contra a violência, de acordo com o professor de Abada Pacha, vem na sequência de uma campanha idêntica realizada em 2006, nessa ocasião a favor da água. Esta campanha arrancou em princípios de Junho com a distribuição de folhetos em escolas do Ensino Básico Integrado de São Vicente e foi levado às principais ilhas do país, com a realização de actividades nas ilhas de Santiago, Sal, Santo Antão e São Vicente. “Estamos a passar uma mensagem muito educativa. Em simultâneo, estamos a distribuir folhetos com informações sobre as formas de combater a violência, a conversar com as crianças e, claro, a utilizar a capoeira para passar a nossa mensagem de paz e amor”.
 
Esta mensagem, mesmo depois do término do festival internacional de capoeira, indica Pacha, está presente em todas as actividades realizadas pelas diversas filiais da Abada Capoeira ao longo do ano de 2007. Pacha destaca ainda o facto de, nesta altura, o país estar a ser procurado com regularidade por grandes empreendimentos turísticos que vêm a Cabo Verde sobretudo por causa da tranquilidade que essas ilhas oferecem.
 
Foi com esse propósito que, em cada uma das ilhas visitadas, o Abada Capoeira realizou uma série de localizadas com a presença de capoeiristas nacionais e dos convidados especiais, os três professores de capoeira e do mestre Cobra, que se encontram em Cabo Verde. “Sabemos do impacto da capoeira, sobretudo entre os jovens e estamos a utilizá-la como chamariz”, admite este responsável, que aproveita para informar que todo esse trabalho do Abada está a ser desenvolvido em parceria com a Comissão Nacional dos Direitos Humanos e Cidadania (CNDHC) e dos órgãos de comunicação social.
 
 
Constânça de Pina
A Semana online
http://www.asemana.cv

Leave a comment
Mais Artigos
comentários
Comentário

13 + 19 =