Bahia: Golpes da boa malandragem
22 Jan 2008

Bahia: Golpes da boa malandragem

Evento realizado no Pelourinho tenta resgatar os macetes e trejeitos típicos da capoeira angola A história da capoeira angola é tema do

22 Jan 2008

Evento realizado no Pelourinho tenta resgatar os macetes e trejeitos típicos da capoeira angola

A história da capoeira angola é tema do evento Linguagem da Malandragem iniciado ontem, no Pelourinho. O encontro, promovido pela Escola de Capoeira Angola Irmãos Gêmeos de mestre Curió, inclui oficinas programadas até quarta-feira, sempre nos mesmos horários – das 10h às 12h, e das 14h às 16h, na sede da escola, na Rua Gregório de Mattos. Com intuito de mostrar a importância da arte, mestres baianos renomados realizam, na quinta-feira, às 18h, uma mesa-redonda para uma discussão, que tem como alvo a forma mais tradicional da arte, que mistura luta e dança.

Integrante da mesa de discussões, mestre Curió, que dá nome à escola, afirma que encontros parecidos foram promovidos outras 19 vezes, sempre com o objetivo de resgatar os valores e a tradição da capoeira angola. “Aquela boa malandragem na capoeira já não é mais vista hoje em dia”, diz o mestre. Segundo Curió, a arte de raíz africana está quase desaparecendo. “Não vamos permitir que ela caia no esquecimento. Afinal, a capoeira está na nossa história e é parte do nosso passado”, lembrou Curió.

Aluna de Curió, a mestra Jararaca considera muito importante a realização de um evento deste porte. “Os macetes, os trejeitos, a verdadeira malandragem da capoeira angola está sendo esquecida”, avalia a seguidora da arte. De acordo com o atual gestor do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac) e administrador do Forte de Santo Antônio, Magno Neto, o novo projeto de gestão prevê a valorização de ações educativas, socais e culturais. “Planejamos desenvolver eventos das mais diversas linguagens e manifestações culturais e artísticas”, enfatizou Neto.

A programação continua na sexta-feira, às 18h, quando será celebrada uma missa na Igreja de São Francisco. Às 19h, os participantes farão rodas de capoeira, no Forte de Santo Antônio. No sábado, o evento será encerrado com a realização do tradicional caruru, a partir das 14h. Interessados em participar da programação devem se inscrever no local e obter mais detalhes através do telefone: 3321-0396. Outras informações sobre o Forte de Santo Antônio são através dos telefones 3117-1488 e 3117-1492, do e-mail fortesantoantonio@ipac.ba.gov.br ou pelo blog http://fortesantoantonio.blogspot.com.

Programação do evento

Hoje e amanhã: Oficinas de capoeira – das 10h às 12h e das 14h às 16h, na Escola de Mestre Curió, no Pelourinho.
Quinta-feira, às 18h, será realizada uma mesa-redonda com o tema Capoeira angola: Linguagem da malandragem.
Sexta-feira, às 19h, missa na Igreja de São Francisco, seguida de rodas de capoeira no Forte de Santo Antônio.
Sábado, às 14h, o evento será encerrado, com a realização do tradicional caruru, também no Forte de Santo Antônio.

Fonte: Correio da Bahia – Salvador, Brasil – http://www.correiodabahia.com.br

Leave a comment
Mais Artigos
comentários
Comentário

dezesseis + dezoito =