Bahia: Salvador sedia Encontro Internacional de Capoeira
28 Jan 2008

Bahia: Salvador sedia Encontro Internacional de Capoeira

Berço cultural da capoeira, Salvador sedia entre os dias 28 e 31 de janeiro, nas principais praças do Pelourinho, o IV Encontro

28 Jan 2008

Berço cultural da capoeira, Salvador sedia entre os dias 28 e 31 de janeiro, nas principais praças do Pelourinho, o IV Encontro Internacional de Capoeira – o Ginga Mundo. O evento, patrocinado pela Petrobras e organizado pelo projeto Mandinga – Associação Integrada de Educação, Artes e Esportes, reunirá representantes de vários países do mundo e já é considerado um divisor de águas na história dessa manifestação cultural. O encontro começa no Forte de Santo Antonio, dia 28, às 9h, com um café da manhã, e contará com a presença de autoridades do governo, mestres da capoeira, orquestra de berimbaus e representantes internacionais. Segundo o coordenador do Encontro, Jair Oliveira de Faria Júnior (mestre Sabiá), o evento vem fortalecendo os segmentos diferentes da capoeira, além de divulgar mais intensamente a arte no Brasil, uma vez que já ganhou reconhecimento internacional. "Já conseguimos um efeito multiplicador e o encontro será em abril na Bélgica", informa Sabiá. Um dos destaques do evento mais uma vez será o mestre de capoeira João Grande, que já conquistou o título de doutor honoris causa em Nova York pela divulgação da capoeira naquele país.

Mais de 163 países, segundo Sabiá, já desenvolvem estudos sobre a capoeira, principalmente nas universidades. Representantes do Japão, Rússia, Canadá, Suiça, Suécia, Inglaterra, Estados Unidos, entre outros países, e capoeiristas de diversos estados brasileiros, estarão se apresentando nos palcos e praças do Pelourinho. Manifestação afro-brasileira, desenvolvida por africanos escravos que viveram no Brasil, a capoeira está ajudando também a revitalizar outras lutas e danças africanas, a exemplo da Bassula – uma luta originária da Ilha de Luanda – e do moringue – luta inspirada na briga de galo e desenvolvida pelos africanos que trabalhavam nos canaviais. “O moringue estava esquecido na Ilha de Madagascar e de Reunion, mas a conquista de espaço alcançado pela capoeira ajudou a revitalizar essas e outras manifestações culturais africanas, que serão apresentadas também nesse evento”, diz Sabiá.

Estarão presentes também em Salvador os capoeiristas Lua Rasta, Cobra Mansa, Boca Rica, Neneu, Capixaba, entre outros. Uma homenagem será prestada aos capoeiristas João Grande e João Pequeno pela contribuição e serviços prestados à arte da capoeira. Serão apresentadas também as manifestações intituladas Ladja e Belé (da Martinica). O Brasil estará representado pelos grupos Berimbraw, Ganhadeiras de Itapuã, Samba de Lata, Samba Pandeiro e Viola, Maculelê de Santo Amaro, Frevo e Filhos de Gandhy. Ao longo do evento serão realizados palestras e seminários sobre a capoeira, sua história, importância cultural, social e econômica, levando em conta sua abrangência no Brasil e no mundo. Cada oficina terá a participação de aproximadamente 400 pessoas. No dia 31 será realizado o encerramento, que contará com a participação do Bando de Lua Rasta e o Afoxé Filhos de Gandhy. | O Mestre Sabiá atende pelo telefone (71) 9984-1278.

Fonte: Revista Fator – São Paulo – BR
http://www.revistafator.com.br

Leave a comment
Mais Artigos
comentários
Comentário

5 × três =