Ilê de Bamba realiza batizado de capoeira e ritual de cordas neste domingo
11 Dez 2009

Ilê de Bamba realiza batizado de capoeira e ritual de cordas neste domingo

O Centro Cultural Ilê de Bamba se prepara para um ‘batizado’ de capoeira entre os seus alunos. O ritual, que também inclui

11 Dez 2009

O Centro Cultural Ilê de Bamba se prepara para um ‘batizado’ de capoeira entre os seus alunos. O ritual, que também inclui a ‘passagem de corda’, acontece anualmente entre os membros da entidade. No domingo, dia 13 de dezembro, mais de 40 alunos farão parte do evento. O 1º Festival de Capoeira – Batizado e Troca de Corda terá início às 13 horas e será aberto à comunidade.

Desde que o grupo existe, anualmente é realizado um ‘batizado’, ou ‘passagem de corda’ entre os integrantes do Ilê de Bamba. Na capoeira, esse ritual representa que o aluno ‘progrediu’, como passar de ano na escola, por exemplo.

“Eu acho que a corda não é o que faz o capoeirista, mas ela é um símbolo de que a gente evoluiu”, explica o capoeirista Ruly Lino Laurentino (foto), que pratica capoeira há quase dois anos.

A capoeira, assim como algumas artes marciais, possui o ritual da passagem de corda como uma ‘aprovação’ para seus alunos. Segundo o professor de capoeira do grupo Ilê de Bamba, Marcelo Aparecido de Barros, há um número oficial de cordas na capoeira, que muda de acordo com a capacidade do aluno.

“Nós não seguimos o modelo da federação. Preferi acrescentar um número maior de cordas, para dar mais tempo ao aluno”.

Conforme o tempo de aprendizagem, ou a melhora no desempenho do capoeirista, a corda, que é amarrada ao uniforme usado na luta, é trocada por uma corda de outra cor. Assim como existe o judoca “faixa preta”, na capoeira há a corda que representa a maior posição, que no caso, é a branca.

“A capoeira não é como o karatê, que você aprende os movimentos e troca de faixa. O ritual de trocar a corda é uma prova de que você adquiriu ali uma experiência de vida”, afirma o aluno Gilmar Henrique Rodrigues, que pratica capoeira há 10 anos, e trocará de corda este ano.

Este ano, cerca de 40 alunos participam do ritual do batizado. “Primeiro o aluno é batizado, o ritual da troca de cordas vem depois. Apenas os mestres têm direito de batizar os novatos”, diz Marcelo.

O evento será realizado no dia 13 de dezembro, no teatro PAX, a partir das 13 horas. Toda a comunidade está convidada a assistir.

Fonte: http://www.portalcomunitario.jor.br

Por: Camila Stuelp, Hortênsia Franco e Lígia Tesser

Leave a comment
Mais Artigos
comentários
Comentário

20 + 2 =