Itabuna/BA: Festival “Educando pela Capoeira” agita fim de semana
19 Ago 2006

 Itabuna/BA: Festival “Educando pela Capoeira” agita fim de semana

O V Festival "Educando pela Capoeira" teve início ontem e vai até o domingo (20) com uma programação variada de cursos ministrados

19 Ago 2006
O V Festival "Educando pela Capoeira" teve início ontem e vai até o domingo (20) com uma programação variada de cursos ministrados por professores e mestres de renome nacional e internacional, rodas, palestras e oficinas de instrumentos musicais usados na capoeira e danças afro. O evento é organizado pelo Centro de Treinamento e Estudos da Capoeiragem (CTE Capoeiragem) de Itabuna e Coaraci, sob a coordenação dos professores Dila-Ho e Sam.

Durante o evento também acontecerá um intercâmbio com alunos, professores e mestres que praticam e ministram aulas no exterior. Segundo o professor Dila-Ho, este intercâmbio é de suma importância para que os atletas de outros países possam aprender e também demonstrar novas técnicas no aprendizado da capoeira. É essencial também para que os atletas brasileiros possam também ver o alto nível do atual estágio da capoeira no exterior.

Batizado e troca de cordéis

Amanhã às 14:00h acontecerá o batizado e troca de cordéis dos alunos do CTE Capoeiragem de Itabuna e Coaraci no Espaço Cultural Josué Brandão. No mesmo dia também serão batizados os alunos do Projeto Social Capoerança, desenvolvido pelo professor Dila-Ho e com os instrutores Kibão e Isabel de Coaraci.

Esse trabalho voluntário com a capoeira e manifestações afro-descendentes visa buscar, através dessa arte e luta genuinamente brasileira, uma esperança de um futuro melhor para as crianças e adolescentes que fazem parte deste projeto, pois a capoeira é um dos melhores veículos de socialização existentes.

Professor Dila-Ho diz que não entende como a capoeira, sendo a maior divulgadora da cultura brasileira e língua portuguesa, ainda pode ser tão discriminada em nosso país. "Para se ter uma idéia, a realização de um evento desse tipo só é possível graças à ajuda de alguns amigos e dos próprios alunos, pois nós não temos uma política de apoio, seja ela social, cultural ou esportiva", diz ele.

O professor cita ainda festas que contam com mais apoio que o esporte. "Em nossa região, as empresas e o poder público estão mais preocupados em patrocinar as chamadas Festas de Camisas, onde proliferam o consumo de bebidas e drogas entre nossos jovens. É por isso que todos os anos centenas de profissionais da capoeira estão indo morar no exterior, onde ela, a nossa grande arte-luta, vem crescendo a cada dia e tendo o reconhecimento por parte da sociedade e dos governos de mais de 170 países onde ela hoje é lecionada. Assim, mais uma vez, estamos vendo mais uma das nossas grandes riquezas indo embora", lamenta o professor que finaliza em seguida. "É realmente uma pena, pois sabemos que a maior riqueza e o alicerce para se formar uma grande nação é sua cultura e educação".
 

FEMININO

Abertura do Interbairros feminino é no domingo

O Campeonato Interbairros feminino tem a sua abertura no domingo (20), quando jogam São Lourenço e Antique. A partida acontece no campo do São Lourenço e começa às 10 horas. As duas equipes estão no grupo A.

A arbitragem do jogo ficará por conta de Sebastião Felipe Santiago, filiado à Associação Árbitros de Futebol de Itabuna (AAFI). De acordo com Rosa Menezes, não haverá auxiliares (bandeirinhas) durante o torneio.

A competição conta com a participação de seis equipes divididas igualmente em dois grupos. O Antique é o outro representante do grupo A, enquanto Fátima, Monte Cristo e Santa Inês compõem a chave B. A rodada será completada no dia 27. Fátima e Santa Inês jogam a partir das 10 horas no campo dos Canecos (mando do Fátima), e o Antique, mandante, recebe o Novo Horizonte no campo do Santa Inês às 14 horas.

Contra-senso

Professor Dila-Ho diz que não entende como a capoeira, sendo a maior divulgadora da cultura brasileira e língua portuguesa, ainda pode ser tão discriminada em nosso país. "Para se ter uma idéia, a realização de um evento desse tipo só é possível graças à ajuda de alguns amigos e dos próprios alunos, pois nós não temos uma política de apoio, seja ela social, cultural ou esportiva", diz ele.

O professor cita ainda festas que contam com mais apoio que o esporte. "Em nossa região, as empresas e o poder público estão mais preocupados em patrocinar as chamadas Festas de Camisas, onde proliferam o consumo de bebidas e drogas entre nossos jovens. É por isso que todos os anos centenas de profissionais da capoeira estão indo morar no exterior, onde ela, a nossa grande arte-luta, vem crescendo a cada dia e tendo o reconhecimento por parte da sociedade e dos governos de mais de 170 países onde ela hoje é lecionada. Assim, mais uma vez, estamos vendo mais uma das nossas grandes riquezas indo embora", lamenta o professor que finaliza em seguida. "É realmente uma pena, pois sabemos que a maior riqueza e o alicerce para se formar uma grande nação é sua cultura e educação".

Fonte: http://agora-online.com.br

Leave a comment
Mais Artigos
comentários
Comentário

twenty − 2 =