RJ: Kina Mutembua e Orquestra de Berimbaus faz show gratuito na UERJ
17 Ago 2007

RJ: Kina Mutembua e Orquestra de Berimbaus faz show gratuito na UERJ

Espetáculo Coisas Nossas é apresentado para estudantes da rede pública do Rio.   A celebração da garra, ritmo e musicalidade afro-brasileira. Assim

17 Ago 2007
Espetáculo Coisas Nossas é apresentado para estudantes da rede pública do Rio.
 
A celebração da garra, ritmo e musicalidade afro-brasileira. Assim é o musical Coisas Nossas, apresentado pelo grupo Kina Mutembua e Orquestra de Berimbaus, da Ação Comunitária do Brasil/RJ (ACB/RJ). E a próxima apresentação do grupo será uma ação beneficente, pois no dia 17/08, às 14h, o espetáculo Coisas Nossas será apresentado gratuitamente no Teatro da UERJ Odylo Costa Filho para estudantes da rede pública do Rio.
 
Marcante pela sua interatividade, Coisas Nossas envolve a platéia em um rito de simbolismos e alegria. O show, criado durante o intercâmbio com artistas do Ballet Nacional de Ruanda em 2006, foi renovado e traz além de composições próprias do grupo, música em dialeto Banto, típico da África.
 
Todo o repertório é um resgate às perolas da música nacional como é o caso de Brasil Pandeiro de Assis Valente, um dos hinos do samba na década de 1940 e da famosa canção Alguém Me Avisou, de D. Ivone Lara. Ao lado destes sucessos, nomes como Ivan Lins e Clara Nunes. O detalhe está na interpretação das músicas que são levadas a toques de berimbau e percussão.
 
Sob a direção do coreógrafo Charles Nelson, autoridade em dança afro-brasileira, o espetáculo é composto por números que unem Dança Contemporânea, Capoeira, Maculelê e Samba de Roda. Coisas Nossas aposta na mistura de manifestações populares que deu origem ao povo brasileiro. Por toda essa brasilianidade, o espetáculo Coisas Nossas, criado a partir da experiência no Fórum Cultural Mundial 2006 marcou presença na primeira edição do Fashion Rio/2007.
 
Kina Mutembua e Orquestra de Berimbaus – Composto por jovens de 11 a 22 anos, o Kina Mutembua resulta do trabalho sócio-cultural da ACB/RJ, nas favelas da Maré e Cidade Alta, em Cordovil. Com um nome que significa "Dançando Com o Vento" na língua quicongo da etnia banto, o grupo conta no seu currículo com apresentações no exterior e em diversos eventos culturais. Além da geração de renda, o trabalho contribui para o amadurecimento profissional dos integrantes.
 
A partir dos resultados deste trabalho, surge a Orquestra de Berimbaus da ACB/RJ que tem como proposta mesclar o ritmo tradicional da capoeira com música popular brasileira e ritmos africanos. O grupo tem aprimorado suas técnicas com aulas de preparação musical com Mestre Berg (mestre de capoeira e doutorando em Cultura Popular), Luiza Marmelo (Jongo da Serrinha) preparadora vocal e de percussão com o músico Alexandre Pires.
 
Coisas Nossas na UERJ, dia 17/08/2007, às 14h, Teatro Odylo Costa Filho – UERJ, Rua São Francisco Xavier, 524, Maracanã – Rio de Janeiro (RJ).Preço: Entrada gratuita
 
Fonte: Revista Fator – Sao Paulo – http://www.revistafator.com.br

Leave a comment
Mais Artigos
comentários
Comentário

3 × two =