Volta Redonda: Primeiro Festival de Capoeira e Cultura Popular
15 Abr 2010

Volta Redonda: Primeiro Festival de Capoeira e Cultura Popular

A cidade de Volta Redonda sedia, neste fim de semana, o primeiro Festival de Capoeira e Cultura Popular da região. A primeira

15 Abr 2010

A cidade de Volta Redonda sedia, neste fim de semana, o primeiro Festival de Capoeira e Cultura Popular da região. A primeira parte do evento, que acontece hoje e amanhã, é voltada apenas a instrutores e professores de capoeira. No sábado, dia 17, e domingo, dia 18, a população de Volta Redonda e das cidades da região poderão conhecer mais sobre a capoeira, o Jongo, o Maculelê e outros ritmos africanos, ligados diretamente à cultura brasileira.

O evento foi organizado por Luiz Paulo Faria, o Instrutor Grande Volta, sob a supervisão do Abadá-Capoeira (Associação Brasileira de Apoio e Desenvolvimento da Arte-Capoeira). Volta, como é mais conhecido, explicou os objetivo e a importância desse tipo de evento, na região. Ele é o representante da instituição em Volta Redonda.

– O objetivo desses festivais é divulgar a cultura brasileira através da capoeira. Eles acontecem no mundo todo e não apenas no Brasil. Fui a um deles no Rio e achei interessante trazer para Volta Redonda, porque traz um olhar mais profundo sobre as artes africanas. As pessoas passam a pensar a capoeira de um jeito menos amador e mais profissional – comentou Grande Volta.

O pensamento de Volta, lembra a filosofia da Abadá-Capoeira, cujo um dos preceitos é a importância do preparo técnico e da profissionalização da capoeira. Por isso, a primeira parte do evento ser voltada apenas a profissionais.

– Hoje e amanhã, às 19h, realizamos um curso com Mestre Camisa, que é o presidente fundador da Abadá-Capoeira. O evento tem como público alvo, os instrutores e os professores da nossa região – adianta.

Ele comenta ainda que instrutores e professores não desempenham a mesma função dentro da capoeira. Ela impõe uma hierarquia que leva em conta, principalmente, o conteúdo técnico de cada profissional. Eles começam como iniciantes, podem tornar-se alunos, instrutores, contramestres ou professores e, por fim, mestres.

A graduação é indicada por meio das cores do cordão do capoeirista. Segundo a Federação Brasileira de Capoeira, os cordões variam na seguinte ordem: verde; verde e amarelo; amarelo; amarelo e azul; azul; verde, amarelo e azul; branco e verde; branco e amarelo; branco e azul; e a graduação máxima é o branco, que é de utilização apenas dos mestres.

A segunda parte do evento começa neste sábado, dia 17, às 19h, quando acontecerá um show cultural, no Memorial Zumbi com apresentações de Jongo, Dança do Coco, Maculelê, Samba de Roda, Show de Capoeira e Capoeira Ecológica. A escolha do local, não foi aleatória.

– Quis fazer no Memorial porque ele é do formato de um berimbau. Além disso, ele é um grande marco na cultura de nossa cidade e tem o nome de um grande líder de nossa história: Zumbi – lembrou. O evento contará também com a presença da Orquestra de Berimbaus do Mestre Camisa.

Convidado Especial

Tão comentado e elogiado por Volta durante conversas, Mestre Camisa não é apenas o fundador da Abadá-Capoeira. José Tadeu Carneiro Cardoso, seu verdadeiro nome, nasceu em 1956, na Bahia, e se formou na capoeira aos 13 anos. Por acreditar que a luta não poderia ser apenas amadora, mudou-se para o Rio de Janeiro, aos 16, buscando o aprendizado técnico.

Devido a seu conhecimento e ao tempo que dedica à arte – está na capoeira há mais de 40 anos -, Camisa é um dos grandes responsáveis por disseminar o esporte para mais de 60 países, através de sua associação.

– Como ensina o próprio Mestre Camisa, o objetivo da Abadá-Capoeira é o aprimoramento da arte cultural brasileira. Fazemos laboratórios e pesquisas para as apresentações, que por sua vez, ajudam na preservação e divulgação da Capoeira. Pela filial de Volta Redonda já passaram mais de mil alunos – conta Grande Volta.

Para fechar o evento, no domingo, às 9h, haverá um “aulão” de capoeira na Praça Brasil, também aberto ao público.

O evento – que espera ter um público de três mil pessoas no final de semana – tem apoio da prefeitura de Volta Redonda, Coordenadoria de Juventude e Facerj (Federação Abadá Capoeira do Estado do Rio de Janeiro).

Programação

15 e 16 de Abril – 19h – Curso com Mestre Camisa (apenas para instrutores ou professores)

17 de Abril – 19h – Show Cultural – no Memorial Zumbi

18 de Abril – 9h – * Aulão de Capoeira

* Jongo

* Dança do Coco

* Maculelê

* Samba de Roda

* Show de Capoeira

* Capoeira Ecológica

Organização: Instrutor Grande Volta

Supervisão: Mestre Camisa

 

Fonte: http://www.diariodovale.com.br

Leave a comment
Mais Artigos
comentários
Comentário

14 + 13 =