2012 – um novo ciclo para a ACANNE
10 Fev 2012

2012 – um novo ciclo para a ACANNE

O Ano de 2012 não significou o fim dos tempos, como pregavam alguns alarmistas, mas sim o início de um novo ciclo,

10 Fev 2012

O Ano de 2012 não significou o fim dos tempos, como pregavam alguns alarmistas, mas sim o início de um novo ciclo, uma nova era de acontecimentos e transformações. Para a Associação de Capoeira Angola Navio Negreiro, que completou 25 anos em 2011, trata-se de um momento especial de consolidação das bases e colheitas das sementes há tanto plantadas. Gravamos nosso primeiro CD e estamos preparando um DVD que será lançado em breve.
Já no primeiro mês do ano, depois de participar da Festa da Capoeira dos Angoleiros do Sertão, em Feira de Santana, e do Festival dos Angoleiros do Mar, em Barra Grande, fomos para o Permangola, em Valença. O evento acontece no Kilombo Tenondê, onde o Mestre Cobrinha realiza experiências de permacultura, agroecologia e construções sustentáveis. Ali percebemos uma séria tentativa de concretização de um ideal quilombista. Uma convivência harmônica com a natureza, um estudo aprofundado da terra, das plantas e dos animais, de modo que o próprio ciclo de cada planta e os resíduos deixados por cada animal (incluindo nós) devolvem ao solo os nutrientes que lhe foram tirados, fertilizando-o e garantindo uma forte vitalidade em constante renovação. A vida moderna, em grandes cidades, com seu tempo corrido e seus alimentos industrializados envoltos em embalagens descartáveis, nos afasta desta conexão com a natureza, que na visão de mundo afrobrasileira representa o sagrado. A força divina está presente em cada um de nós, como parte da natureza que nos cerca. Mas é possível construir pequenos quilombos urbanos, e fortalecer essa conexão no cotidiano.  Na ACANNE, cultivamos uma pequena horta orgânica, que é adubada com as cascas das frutas que compartilhamos ao final de cada roda, nas noites de sexta-feira. Este é um ritual importante para nosso pequeno quilombo: cada capoeirista traz algumas frutas e fazemos uma breve confraternização  após a capoeira, a fim de nos conhecermos e sintonizarmos melhor. 

Na volta de Valença, alcançamos o 16º Encontro de Capoeira Mestre Paulo dos Anjos. Iniciativa dos Mestre Renê, Jorge Satélite e Jaime de Mar Grande, no início da década de 80, o evento continua acontecendo e constitui um importante espaço de reencontro dos discípulos do saudoso Mestre (que não tive oportunidade de conhecer em vida). A edição atual foi produzida pelo camarada João “Meu Jovem”, irmão do Mestre Satélite e importante mobilizador cultural da comunidade negra. Para os discípulos mais jovens da ACANNE (como eu e Cachorrão), foi uma oportunidade de reencontrar os mestres Satélite e Jaime, e conhecer os lendários mestres Amâncio, Tonho e Jorge Encruzilhada. Roda perigosa, com uma capoeira dura! Em Março, realizaremos um evento com a participação do Mestre Jorge Satélite, responsável por trazer nosso Mestre Renê para a capoeira. Será uma oportunidade de vivenciar outro antigo discípulo do Mestre Paulo dos Anjos e sua metodologia de ensino tradicional. Um fortalecimento da linhagem de Paulo dos Anjos, Canjiquinha e Aberrê. Como cantava o Mestre Paulo: “vamos jogar capoeira, vamos tocar berimbau… ontem o mestre falou, quem não jogar certo vai cair no pau!”.

Neste início de fevereiro aproveitamos para pedir a proteção de nossa mãe Iemanjá, e nosso Pai Pequeno, Augusto, preparou um balaio com as oferendas do grupo. A festa do 2 de fevereiro é a única grande festa de largo de Salvador que não tem origem em uma comemoração católica. Depois de depositar o balaio na Colônia de Pesca do Rio Vermelho, vadiamos na roda do camarada Sapoti (onde reencontramos Mestre Cláudio) e fomos para a sede do grupo Nzinga. Lá, além dos três anfitriões (Janja, Paulinha e Poloca), encontramos os mestres Caboré, Boca do Rio e Pepeu.  Durante a roda, foram formados dois contramestres e um treinel. É o processo natural de renovação da capoeira angola: a fila anda e novas referências vão se consolidando. Depois da capoeira, samba de roda puxado pelo Mestre Renê e feijoada!
No final de semana, mais capoeira. Mestre D’Nei organizou sua feijoada pra Ogum na sede do Grupo Gingarte, na Cidade Nova, com a presença dos mestres Um Por Um, Pelé, Angola, Zé Rasta e outros. Mais capoeira, samba de roda e feijoada.

A vida segue, e o ano apenas começou. Em 2012 se ampliaram os horários de treino do grupo (de segunda a quinta, de 19:00 às 20:30). As rodas continuam abertas à participação de todos capoeiristas que queiram vadiar nas noites de sexta-feira, a partir das 19h. Pedimos a cada convidado que traga frutas para compartilhar. Em breve, divulgaremos o evento de Março. 

Esperamos sua presença.

Axé!!!

Paulo Magalhães (“Sem Terra”) – aluno da ACANNE, jornalista e mestre em ciências sociais

Paulo A. Magalhães Fº
(71) 8741-1251 / 9273-7765

Leave a comment
Mais Artigos
comentários
Comentário

5 × five =