Bahia: Criança também pode entrar na roda
22 Ago 2007

Bahia: Criança também pode entrar na roda

Professores trocaram de posição durante a oficina de metodologia da capoeira infantil, realizada, terça-feira, por Jorge Luiz de Freitas, o mestre Piriquito.

22 Ago 2007
Professores trocaram de posição durante a oficina de metodologia da capoeira infantil, realizada, terça-feira, por Jorge Luiz de Freitas, o mestre Piriquito. Graduados do Brasil e do exterior foram alunos por um dia durante o curso realizado no anexo do Forte Santo Antônio. O evento faz parte da programação do Festival Internacional da Arte Capoeira na Bahia.
 
Na aula, mais de 60 professores aprenderam métodos de ensino adequados para as crianças. A capoeira é uma atividade vista com certa desconfiança pelos pais, por usar golpes que podem ser violentos, e, por esse motivo, todos os movimentos são adaptados para crianças. Dos 3 aos 6 anos, os alunos recebem instruções especiais e, a partir dessa idade, os exercícios já são os mesmos dos adultos, só mudando a didática.
 
O professor Jorge Luiz lembrou da importância de fazer com que as crianças não apenas reproduzam os movimentos, mas que passem a entender o que estão fazendo. Como exemplo, citou um golpe que nenhum dos professores que participavam do curso sabiam dizer a origem e o motivo do nome. “A criança que brinca por brincar está reproduzindo. Isso qualquer macaquinho faz. Eles fazem e ganham prêmios como bananas. Nós somos diferentes, não reproduzimos, nós construímos. O nosso prêmio é a sabedoria, é saber o que se está fazendo”, considera.
 
Fonte: A Tarde On Line – Salvador, BA – http://www.atarde.com.br

Leave a comment
Mais Artigos
comentários
Comentário

two × three =