Prefeitura de Santos utiliza capoeira como método de inclusão social
06 Dez 2006

Prefeitura de Santos utiliza capoeira como método de inclusão social

A Prefeitura de Santos vem utilizando a capoeira como método de inclusão social de moradores de áreas carentes e portadores de deficiência.

06 Dez 2006

A Prefeitura de Santos vem utilizando a capoeira como método de inclusão social de moradores de áreas carentes e portadores de deficiência. O trabalho, uma iniciativa da Seção de Assuntos Comunitários da Região Central Histórica (Sascom –RCH), da Secretaria de Governo (SGO), é desenvolvido há três meses pela Associação Capoeira Escola, aos sábados, das 14 às 16 horas, na área de eventos do Mercado Municipal (Praça Iguatemi Martins, Vila Nova).
 
De acordo com o professor Márcio Rodrigues dos Santos, o método utilizado por sua equipe de instrutores procura dar sentido educacional ao esporte, desmistificando-o como luta praticada por marginais. Atualmente o grupo é formado por 30 alunos, sem restrições de idade, sexo ou deficiência física.
 
Entre os praticantes estão também portadores de déficit de aprendizado, triplegia, paralisia cerebral, autista e portadores das síndromes de Down e de X frágil. O professor é praticante de capoeira há 15 anos e foi discípulo dos mestres Sombra e Parada. Interessados em participar podem ir diretamente ao local no horário das aulas ou obter mais informações pelo tel: 9772-0996 ou pelo site www.capoeira.escola.com
 
Como surgiu – Segundo Márcio, a capoeira surgiu como luta de arte marcial para defesa e sobrevivência dos escravos africanos que, na ânsia de liberdade, se refugiavam na comunidades denominadas quilombos. Durante a fuga, se deitavam em áreas, onde a vegetação era formada por um tipo de mato chamado capão ou capoeira, à espera de seus perseguidores, os capitães-do-mato. No confronto, os negros desferiam golpes como cabeçadas e coices, inviabilizando suas capturas.
 
No retorno às fazendas, os capitães-do-mato relatavam que era difícil prender os “negros da capoeira”. Após a libertação dos escravos veio a Proclamação da República e os negros continuaram excluídos na nova sociedade em formação.
 
Para sobreviver, passaram a roubar com os golpes da capoeira e, os mais espertos, introduziram os instrumentos musicais (berimbau, atabaque e pandeiro) para disfarçar de dança a luta por eles praticada. Por volta de 1938, no governo de Getúlio Vargas, a capoeira conquistou caraterísticas de esporte pelas mãos do Mestre Bimba, que criou uma indumentária, graduação e metodologia de aulas.
 
Fonte: http://www.clicklitoral.com.br

Leave a comment
Mais Artigos
comentários
Comentário

ten − 7 =