Crônica: Capoeira, um caminho para a vitória pessoal
15 Fev 2007

Crônica: Capoeira, um caminho para a vitória pessoal

Todos nós trazemos "marcas" emocionas, advindas de nossas experiências corpóreas. Na jogo da capoeira, estas vivências ajudam a moldar a nossa personalidade

15 Fev 2007

Todos nós trazemos "marcas" emocionas, advindas de nossas experiências corpóreas. Na jogo da capoeira, estas vivências ajudam a moldar a nossa personalidade e a desenvolver nossas emoções. É através de desafios, fantasias, aventuras e competições que conhecemos a tão almejada vitória ou a frustrante derrota, duas vertentes da qual vivenciamos a cada "volta ao mundo" e que é responsável pela formação da nossa poderosa representação mental.

O jogo da capoeira alimenta as nossas emoções, proporcionando a mente uma idéia viva e concreta de conquista, quando conseguimos dar um salto, fazer uma parada de mão ou quando simplesmente jogamos capoeira, desenvolvemos soberanamente um verdadeiro êxtase de crença em nossa capacidade de realização e habilidade, assim impregnamos em nossa mente e materializamos, através do corpo físico, alicerces emocionais para o sucesso e a vitória. Porém não devemos esquecer o outro lado, onde fracassos e derrotas também ficam gravados. A derrota se bem administrada pode ser o nosso trampolim para a vitória, já que é através dela que podemos perceber e refletir sobre as nossas dificuldades e assim trabalhar para que elas sejam sanadas e nossos objetivos sejam alcançados. Assim estaremos encontrando soluções para que a tão gratificante e almejada vitória seja alcançada.
 
Tudo que vivenciamos no jogo da capoeira fica arquivado em nossa mente. Podemos utilizar este arquivo a qualquer momento, percebendo as experiências vitoriosas que obtivemos através das conquistas obtidas pelo corpo durante a prática da capoeira. Estas vivências com certeza alimentam e reforçam a nossa capacidade de acreditar em nós mesmos e são transferidas para outros contextos como trabalho, escola, família etc. Se eu consigo me esquivar de uma meia lua de compasso em alta velocidade, fica fácil se esquivar de pessoas mal intencionadas ou de qualquer forma de opressão que venha anular a nossa capacidade de conquista, se eu canto e me expresso na roda de capoeira, fica fácil falar em público e transmitir minhas idéias, se eu coopero com meu parceiro de jogo eu coopero nas minhas relações pessoais, se eu perder o emprego, não irrei ficar depressivo e desistir dos meus objetivos, pois aprendemos que levar uma rasteira pode parecer uma derrota, mais ensina a grandeza de cair sem se machucar e a levantar com elegância e continuar o jogo.
                             
Além disso, a riqueza de movimentos da capoeira, é de relevante importância para o desenvolvimento da nossa inteligência, durante o jogo adquirimos o conhecimento de espaço, tempo, distância, visão espacial e agilidade de raciocínio. Para conseguirmos realizar todas estas façanhas, exigimos mais do nosso cérebro, resultando na dilatação e ampliação da nossa mente.
 
Como isto acontece: nós capoeiristas somos privilegiados, já que a capoeira é um dos poucos “esportes” considerados individual e coletivo ao mesmo tempo, recebendo os benefícios de ambos. A Capoeira como prática individual fornece a crença e a perseverança, gerada através da luta solitária e pela busca da auto-superação, assim é reforçada a capacidade de acreditar em si. Esta capacidade é materializada para o plano emocional, fazendo com que venhamos a apreender a lidar com os problemas de nossas vidas e a resolvê-los da melhor maneira possível. Como prática coletiva a capoeira é extremamente eficaz para a integração social, uma roda de capoeira é uma aula de sociedade, onde existem regras, e leis. Todos se revezam em suas funções, em quanto uns cantam outros batem palmas, outros jogam ou tocam, assim nos submetemos a um grupo, a um ritual e desta forma nos aprimoramos como ser social
 
Dento deste contexto o mestre de capoeira deve perceber e valorizar o talento individual de cada um. Promovendo, estimulando e reforçando cada conquista obtida pelo aluno, por menor que seja. A prática do elogio faz com que o aluno reconheça que uma pequena evolução, é uma grande vitória. Enfim, é durante muitas “voltas ao mundo”, e jogando com diversos capoeiristas que construiremos o nosso caráter e desenvolveremos a nossa personalidade.
 
Devemos apenas tomar cuidado para que a capoeira não se torne uma vilã, sendo responsável pela construção de homens sem valores, e sem o sentido intrínseco de educação. E pior, fazer com que ela deixe de ser sinônimo de alegria, festa, saúde, brincadeira e poesia, visando apenas à competição e a vitória a qualquer custo. Portanto, a capoeira deve se tornar um meio para que venhamos a explorar o extraordinário potencial humano que existe em cada um de nós.
 
Um grande Axé a todos.

Professor Renato e DavidRenato Bendazzoli é Professor de CAPOEIRA do Grupo Mar de Itapuã, iniciou nos mistérios dessa arte, em 1994, com MESTRE PEQUENO, vindo a se formar, em 1998. Em 1999 começou a lecionar, em 2003 se formou em Educação física. Durante todos esses anos de dedicação a capoeira, à atividade física e ao esporte, atendeu a muitos alunos, colocando em prática meu método de ensino, que utiliza o corpo como ferramenta para o desenvolvimento físico, intelectual e emocional. Assim, procura implementar o potencial de cada pessoa que passa por suas mãos. Atualmente, leciona capoeira em colégios, academias e treinamento individual.
Contato:
renato.prof@uol.com.br

Leave a comment
Mais Artigos
comentários
Comentário

fifteen + eighteen =