Blog

Musicalidade

Vendo Artigos de: Musicalidade (categoria)

Orquestra de Berimbaus do Morro do Querosene – Direção e Regência: Dinho Nascimento

Os berimbaus são cuidadosamente afinados e agrupados em naipes: berimbau gunga ou berra-boi (som grave), de centro (som médio) e o viola ou violinha (som mais agudo). O “Berimbum”, com som super-grave, é tocado com arco de violoncelo. E o “Berimbau de lata” também tocado com arco, mais parece uma rabeca.

Vozes entoam os versos das ladainhas, corridos, chulas, samba e samba-de-roda. Alguns instrumentos como o guimbarde ou trump (berimbau de boca), agogô, pandeiro, reco-reco, ganzá, triângulo, atabaque, matraca, efeitos diversos e palmas completam a sonoridade.

A Orquestra mostra a versatilidade do berimbau interpretando toques da capoeira e ritmos da música brasileira, com arranjos e regência do mestre Dinho Nascimento.

Histórico da Orquestra de Berimbaus do Morro do Querosene

A idéia de uma Orquestra de Berimbaus surgiu nos encontros informais que aconteciam na pracinha do morro, ao cair das tardes de domingo, quando Dinho Nascimento e alguns amigos se reuniam para tocar, jogar capoeira e passar seus ensinamentos aos mais jovens e outros recém-chegados.

Em 2000, Dinho Nascimento dirigiu a Orquestra de Berimbaus do Espetáculo Étnico apresentado aos presidentes dos países participantes da XIX Reunião do Conselho do Mercado Comum do Mercosul, realizado em Florianópolis (SC).

No 452º aniversário de São Paulo (em 2006), a Orquestra de Berimbaus foi regida por Aluá Nascimento, músico percussionista popular e erudito que também fez os arranjos e a escolha do repertório das apresentações no Parque D. Pedro e na Praça do Patriarca, centro da cidade.

Em 2007 a idéia ressurgiu nos cursos oferecidos pelo Projeto Treme Terra (Morro do Querosene) e a Orquestra de Berimbaus tocou nas Oficinas de Percussão do PercPan 2007, festival internacional de percussão.

Em fins de 2007 consolidou-se a formação atual. A Orquestra de Berimbaus do Morro do Querosene foi convidada a participar de um evento da Prefeitura de Santo André (SP). Pouco antes desta apresentação, em 01/11/2007, estreou no CEU Butantã, teatro da Prefeitura de São Paulo. Deste momento em diante, as apresentações se sucederam: SESC-SP (Ipiranga, Campinas, Bauru, Vila Mariana, Interlagos e Taubaté); Festival da Juventude (no Memorial da América Latina); Off-FLIP (Paralela à Feira de Literatura Internacional de Paraty – RJ) quando tocou na histórica Igreja de N.S. Rosário e de S. Benedito; na Virada Cultural 2008,  tocando no Largo do Paissandu; na marquise do MAM (Rio de Janeiro-RJ)  e no Pepsi-on-Stage (Porto Alegre-RS), participando do evento C&A Pop Music; na Casa de Cultura do Butantã (na Semana da Consciência Negra); pelo Pro-Art, em vários CEUs (Centro de Educação Unificado do Município de São Paulo); na Virada Cultural Paulista 2009, apresentando-se na cidade de São José do Rio Preto; na Casa de Cultura Tainã, Ponto de Cultura em Campinas; em Academias de Capoeira e nas festividades do Bumba Meu Boi, no Morro do Querosene.

Em dezembro de 2009, a Orquestra de Berimbaus do Morro do Querosene foi contemplada com o título “Ponto de Cultura” do Programa Mais Cultura, uma iniciativa do Ministério da Cultura em parceira com a Secretaria Estadual da Cultura.

Quase que simultaneamente, a Orquestra foi selecionada pelo Programa de Ação Cultural da Secretaria Estadual da Cultura, ProAC nº18, incentivo para gravação de disco inédito. A Orquestra já iniciou as gravações e em meados de agosto, ou mais tardar setembro, deverá estar lançando no mercado seu primeiro CD denominado “Sinfonia de Arame”.

Em janeiro/2010, a Orquestra apresentou-se no Centro Cultural da Marinha, participando de um evento de intercâmbio cultural com estudantes vindos de Dubai (Emirados Árabes). E em março, esteve em Fortaleza onde se apresentou no Centro Cultural Dragão do Mar, por ocasião da TEIA Brasil 2010.

 

Dica Portal Capoeira:

Orquestra de Berimbaus do Morro do Querosene - Direção e Regência: Dinho Nascimento

 

Existem alguns vídeos gravados ao vivo que dão uma idéia da apresentação e podem ser apreciados em:

 

{youtube}2sFkoXyNEY8{/youtube}

Berimbau Blues no PERCPAN

{youtube}p6mowQeoGPM{/youtube}

Orquestra no SESC Campinas

{youtube}ysG0zzqpLws{/youtube}

Oficina na Casa Tainá

Mestre Toni Vargas, Quadras & Corridos

Quadras & Corridos

Um dos maiores compositores da nossa capoeiragem, o Mestre e Poeta Toni Vargas, nos escreve um relato exclusivo sobre o processo de criação e elaboração de seu novo trabalho intitulado “Quadras & Corridos”, o projeto tem como objetivo fundamental homenagear o grande Manoel dos Reis Machado e sua criação e enorme contribuição para a história da Capoeira: “A Luta Regional Baiana”. Quadras & Corridos pretende mostrar aos jovens capoeiristas de forma sensível e bem fundamentada um pouco da “energia” de Seu Bimba – O GIGANTE NEGRO DA CAPOEIRA REGIONAL.

Luciano Milani

Mestre Toni Vargas, Quadras & Corridos

Luciano,

Antes de mais nada parabéns pelo trabalho que você vem realizando através do Portal da Capoeira, é muito bom que as pessoas percebam que  instrumentos tão sofisticados quanto a internet e outros recursos virtuais podem e devem ser utilizados com o propósito de construir e edificar, ajudar a capoeira e os capoeiristas para que juntos possamos evoluir em busca de um futuro melhor.

Tenho trabalhado muito em diversos projetos e no ultimo dia 12/09/2009 tive o prazer de lançar no Rio de Janeiro o CD “Quadras & Corridos” este trabalho é a culminância de um projeto que começou a aproximadamente 5 anos atrás, quando o Mestre Nenel fez o que eu costumo chamar de “provocação positiva” me perguntando por que  nunca tinha composto nada com os ritmos do pai dele .

A pergunta motivou uma “pesquisa”, as músicas foram aparecendo se organizando e finalmente fechamos o CD que foi apresentado no Rio de Janeiro com a participação do Mestre Nenel ministrando uma oficina de Capoeira Regional e uma festa que reuniu amigos e capoeiristas de diversos grupos.

Mestre Bimba na Mídia - ArquivoA “pesquisa” a que me refiro, foi nada mais que um mergulho na sonoridade e no AXÉ de “Seu Bimba” e o resultado é uma leitura humilde e bem intencionada dos ritmos de Banguela e São Bento Grande. Fazer Quadras ao invés de Ladainhas foi para mim um grande desafio. Em relação as minhas letras anteriores (geralmente grandes), as quadras são haicais, e não foi muito fácil conseguir me expressar a partir desse modelo. Devo ainda registrar que esse recurso me fez amadurecer bastante e reafirmar ainda mais (para mim mesmo), a genialidade de Manoel dos Reis Machado – Mestre Bimba

Devo ainda agradecer a meus alunos que fizeram tudo comigo, ao meu Mestre que generosamente me apoiou e a Eduardo Teixeira (Editora D+T), que acreditou e me apoiou na realização desse projeto.

AXÉ e muito obrigado

Mestre Toni Vargas


* O Lançamento do CD QUADRAS E CORRIDOS,  é a culminância de cinco anos de pesquisa sobre os ritmos de MESTRE BIMBA , com participação de MESTRE NENEL ministrando um encontro pratico/teórico sobre os Fundamentos da CAPOEIRA REGIONAL, e um bate papo com MESTRE PEIXINHO sobre a influência da Capoeira de MESTRE BIMBA na formação do GRUPO SENZALA e na Capoeira de nossos dias

http://www.mestretonivargas.com/

Minas Gerais: Grupo Memória vai lançar CD

Disco será lançado durante Encontro Cultural

O grupo de Capoeira Memória ultima os preparativos para o lançamento de seu primeiro CD. Será neste fim de semana, entre os dias 28 e 30, durante o Encontro Cultural que será realizado nas quadras cobertas da Sejuvel, à circular da Lagoa Maior. Na ocasião, segundo Mário Márcio, líder do grupo, haverá também solenidade de graduação (troca de cordas).

Para a sexta-feira, primeiro dia do evento, está programado um aulão aberto ao público, com início às 18 horas. No sábado, às 9 horas da manhã, haverá a 8ª edição da Passeata Pela Paz, que percorrerá as principais ruas do centro e encerrará na Praça Ramez Tebet, com uma roda de capoeira. O ato será encabeçado pelos cerca de 70 alunos do grupo, que estarão todos vestidos de branco, mas também será aberto à comunidade. No domingo, às 9 horas, será o lançamento do CD, nas quadras do Sesi.

HOMENAGEM

Intitulado ”Três Lagoas Canta Memória”, o CD traz 18 cantigas de capoeira inéditas, todas compostas e cantadas pelos próprios integrantes do grupo. Gravado nos estúdios da Band FM, Mário Márcio diz que o CD nasceu da vontade de valorizar os alunos. Acompanhadas por berimbau, pandeiro e atabaque, as músicas retratam Três Lagoas, Mato Grosso do Sul e a região Centro-Oeste. Composta pelo líder do grupo, o carro-chefe é a canção ”Homenagem à Minha Terra”, que fala do senador Ramez Tebet. Gravado com recursos próprios, foram feitas 500 copias, que serão divulgadas por meio de parceria empresarial. No dia do evento o disco será vendido ao valor de R$ 5.

Satisfeito com o resultado deste trabalho, Mário Marcio diz que no próximo ano deverá fazer uma nova gravação, incluindo um DVD. Para tanto, já conta com 15 músicas prontas.

Banda Terreiro de Capoeira lança CD instrumental de Capoeira

Uma fina e harmonica simbiose entre a musica instrumental e a ímpar sonoridade da capoeira, é assim que defino o trabalho de qualidade da Banda Terreiro de Capoeira.
 
Ouvi e gostei muito! Uma demosntração da potencialidade e da criatividade dos músicos-artistas-capoeiristas da escola de Mestre Cascavel.
 
Luciano Milani
A banda "Terreiro de Capoeira" nasceu da vivência musical dos seus integrantes na comunidade do Terreiro de Capoeira do Mestre Cascavel. A banda tem na sua formação base Cascavel, Guerreiro, Lince, Macaco, Flora e Kaká.
 
Mestre Cascavel é "filho" do mestre Sabu, pioneiro na prática e ensino da Capoeira em Goiás. Mestre Sabu – que vive em Goiânia – é "filho" do mestre Caiçara (falecido em 1987), mestre-capoeira responsável por uma das escolas tradicionais da capoeira da Bahia no século XX.
 
Banda Terreiro de Capoeira lança CD instrumental de CapoeiraO trabalho musical do grupo começou com oficinas e aulas de música (sem fins lucrativos, com ênfase nos instrumentos e ritmos da Capoeira) destinadas a crianças e adolescentes. 
Essas atividades incluíam conhecimentos sobre o plantio das espécies necessárias para a confecção dos instrumentos afro-brasileiros – tais como biribas (para os arcos dos berimbaus), cabaças (empregadas nos afôxés e berimbaus), junco (usado no caxixi), contas de lágrimas (para compor caxixis e chocalhos), bambus (para a fabricação de reco-recos e varetas para tocar os berimbaus), cocos (para a confecção das marácas).
 
Os componentes da banda se revezam na percussão: agogô, adjá, afôxé, pandeiro, ganzá, reco-reco – pesquisando e experimentando sons, ritmos e melodias. As músicas nascem da reunião de amigos que se divertem fazendo um som (que se pretende agradável aos ouvidos de quem curte sentir o tempo passar). A integração desses elementos com a força dos ritmos e melodias tem como resultado final a música … e fácil de ouvir.
 
A proposta do grupo é fazer música de qualidade com produção e distribuição independentes. Neste sentido, gostaríamos de contar com o apoio do Portal Capoeira, disponibilizando para download algumas faixas do cd Berimbau de Ouro em arquivos no formato MP3.
 
O CD "Berimbau de Ouro" contém 10 faixas inspiradas em ritmos e tendências afro-brasileiros e latino-americanos: "Sabu Meu Mestre" "Axé Capoeira" e "Suassuna" são composições do Cascavel; "Hora de Lutar" é uma parceria de Cascavel e José de Souza Melo, o “Ás de Ouro”, também “filho” do Mestre Sabu. "Caiçara" é uma composição do Mestre Cascavel sobre temas tradicionais da capoeira. "A morte do Capoeira" – melodia do folclore da capoeira recolhida no recôncavo baiano pela professora Emilia Biancardi Ferreira na década de 60 – já teve versões de sucesso gravadas pelo Mestre Suassuna e pelo Mestre Onias.
 
A "Iuna" e o "São Bento do Mestre Bimba" são “toques” tradicionais (padrões ritmo-melodicos, cada um deles associado a um tipo de jogo com características próprias).
O "São Bento do Mestre Bimba" é um toque criado pelo mestre Bimba especialmente para um tipo de jogo rápido e ofensivo – que se tornou também a principal característica do estilo de capoeira criado por esse mestre que dirigiu uma escola de capoeira que se tornou conhecida em todo o mundo.
A "Cavalaria" é um toque de “aviso”. No passado os cultos e as danças dos terreiros de candomblé eram proibidos e sofriam perseguições policiais rigorosas. Na Bahia, até a década de 30, os esquadrões de cavalaria eram a força policial encarregada da repressão às manifestações da cultura negra – e a capoeira oferecia a reação possível. Este toque – também chamado de
"Aviso" – entrou para a história da Capoeira com o nome de Cavalaria. O "Samba de Angola" é o ritmo que simboliza a descontração dos câmaras do Terreiro nas rodas de samba.
 
O Cd Berimbau de Ouro pode ser adquirido  (R$11+correios)
pelo e-mail: terreirodecapoeira@hotmail.com
 
Obrigado pela atenção!
Professor Guerreiro
 
Saudações!
 
Gostaríamos de contar com a sua ajuda divulgando o nosso CD de música instrumental – "Berimbau de Ouro" – inspirado nos toques e temas da Capoeira.

Dança do Quilombo dos Palmares

Esta é a mais antiga canção conhecida no Brasil. Data de fins do século XVII (décadas de 1680, 1690) e é atribuída a membros do Quilombo dos Palmares. A letra foi extraída de um antigo disco 78 rpm da violeira nordestina Stefana de Macedo, gravado em Outubro de 1929.
Quilombos eram locais onde os escravos africanos refugiavam-se. Eram espécie de vilas formadas de escravos fugidos, aos quais mais tarde somaram-se vários tipos de personagens marginalizados pela sociedade da época. Várias cidades no Brasil são originárias de quilombos formados no período colonial e imperial.
Palmares é uma região localizada no interior do estado de Alagoas. O quilombo aqui mencionado foi arrasado pelo bandeirante Domingos Jorge Velho, em 1696. Mais tarde, surgiu a vila, depois atual cidade de Palmares no mesmo local.
 
Dança do Quilombo dos Palmares
 
Refrão:
 
Folga nego, branco não vem cá
Se vié, pau há de levá
 
I
Sinhô já tá drumindo
Nego qué é batucá
Nego tá se divertindo
De minhã vai trabaiá (2x)
 
II
Nego geme todo dia,
Nego panha de sangrá
Dando quase seis da noite
Panha nego a batucá (2x)
 
III
As corrente tão batendo,
As brieta chocaiando
Sangue vivo tá corando,
E nego tá batucando (2x)
 
IV
Nego rachou o pé,
De tanto sapatiá
Tão cantando, tão gemendo,
Nego qué é batucá (2x)
 
V
Quando rompe a madrugada
Geme tudo nos açoite
Nego pega nas enxada
E o batuque é só de noite (2x)
 
http://cifrantiga2.blogspot.com/2006/11/dana-do-quilombo-dos-palmares.html

Crônica: Criativa como CAPOEIRA

Capoeira Confiante Construindo Com Carinho!!!

Camarada Capoeira.
 
Costumamos caminhar contra crises, contratempos, complicações, confluências, constrangimentos, contrariedades. Contudo colocamos capricho, carinho, conquistas, companheirismo, conhecimento, consciência, cooperação, contribuição como cuidados com capoeirandos. Convictos, conversamos com controle consertando costumeiros confrontos. Capacitamos constantemente consciências consternadas. Criamos contatos confiáveis consolidados com compaixão, carisma, conduta. Como capoeiras; cambamos, caímos, cometemos criancices, covardias, comodidades. Contudo, consternados…calamos!
 
Conscientes, combatemos controvérsias convivendo com constância, coragem, consonância. Contornamos catástrofes completamente coerentes com “caminhos caquéticos”. Continuamos confiando! Construímos castelos confiando, clamando camaradagem. Costumeiramente colocamos cara, coragem, carreira, conquistas como calço. Cambaleamos cordialmente, concluindo confusos como calar-se, camuflar-se consegue comprometer caminhos consistentes. Corremos como campeões canalizando correntes coesas. Conhecemos colegas, compadres, comadres, crioulos, caucasianos, cooperadores, cafajestes, crucificados, crianças, cretinos, caiporas, caipiras, convencidos, conterrâneos, corporativistas, companheiros, credores.
 
 
Curamos crueldades colocando como contrapartida capacidades corrompidas. Criamos confiança, confluência, condolência; conscientizando cabeças cansadas. Corrupiamos com cautela conhecendo calmamente capoeiras corretos, contrários, contemporâneos, classificados, calculistas, companheiros, coroados, corruptos, capacitados. Clamamos companheiros construindo calabouços completamente camuflados congregando cambadas. Como convulsões, castelos caem contrariando confiança, companheirismo, camaradagem. Com cadência, continuamos capoeirando, confiantes como caciques cobertos com cocares coloridos. Comparamos capoeira constantemente com caminhos congruentes. Caminhos condutores com capacidades completamente concretas. Capazes categoricamente, com classe cardeal. Capoeira cai, contorna, continua conduzindo canais compatíveis. Capoeiramos, capoeirastes, capoeirás!
 
Continuamos como costumeiramente corrigindo cabeças confusas. Com cabeçadas conseguimos cambar capoeiristas. Compreensíveis, concluímos: cambamos como caxinguelês. Com cutiladas conquistamos cargos. Contudo criamos cobras.
 
Calma! Capoeiras clamam camaradagem. Compartilham companheirismos, confraternizações, contatos. Concluo confirmando com clareza: Capoeira congrega, constrói, cativa, comove, carrega confiança, cautela, companhia; compromissos, camaradagens. Capoeira caminha comigo, contigo, conosco, convosco!
 
Cordialmente
 
Capoeira Comum.
 
Colega capoeira, comente com C.
 
Professor Beija-Flor
 
http://bfcapoeira.vilabol.com.br
 
Nota: Em homenagem ao poeta GOG, inspirador e criativo.
 

Com criatividade, cabeça e coração o camarada Beija Flor, contribui com esta crônica… Gingando com C de CAPOEIRA, CORAÇÃO, COMPANHEIRISMO, CAMARADAGEM E CIDADADANIA.

Guarujá- SP: Prof. Montanha e o 3º CD do Grupo Canto e Magia

Em seu mais recente trabalho musical , "Músicas de Capoeira Vol. 3", o Professor Montanha conta com as participações especiais de M. Ricardo (SP), Presidente de Fundador do Grupo Canto e Magia de Capoeira e M. Pinatti (SP) Grupo São Bento Pequeno.
 
Entre músicas inéditas e tradicionais na Capoeira, podemos encontrar também
um House Remix (Angola), tocada em um encontro de DJ’s Latinos (Ibiza -Espanha – 2005)
 
Destaque para a valorização de um dos grandes ícones da Capoeira Paulista, Djamir Pinatti,  a qualidade musical do CD e a boa voz do Professor Montanha.

Fica ai a dica para a sua coleção. Para comprar o CD, clique aqui.
 
Músicas

1 – Depoimento e Ladainha – M. Pinatti
2 – Aidê – M. Pinatti
3 – Angola me chama – Profº Montanha
4 – Flor da Bahia – Prof º Montanha -:- {mmp3}Flor_da_Bahia.mp3{/mmp3}
5 – Bahia manda seu axé – Prof º Montanha
6 – Canarinho da Alemanha – Prof º Montanha
7 – Vem jogar mais eu – Prof º Montanha
8 – Senhor São Bento – Prof º Montanha
9 – Lembra do barro vermelho – Prof º Montanha
10 – Santo Antônio protetor – Prof º Montanha
11 – Bem miudinho – Prof º Montanha
12 – Se arrasta no chão – Prof º Montanha
13 – Lailê – M. Ricardo
14 – Quando o Gunga me chama -M. Ricardo
15 – Nego Nagô – Prof º Montanha
16 – Capoeira Canto e Magia – Prof º Montanha
17 – Dor do Capoeira – Prof º Montanha
18 – Batida do Gunga – Prof º Montanha
19 – Menina mandingueira – Prof º Montanha (Montanha)
20 –
Capoeira na beira do mar – Prof º Montanha
21 – Auê Pinatti – M. Pinatti – (C.M. Arraia – RJ)
22 – Depoimento M. Ricardo
23 –
Faixa Extra – Flor da Bahia – Prof º Montanha
       Versão: REMIX HOUSE – By Dj Allyson Roberth

 
Estamos disponibilizando duas (2) faixas do CD para voce ouvir e conhecer o trabalho deste grande camarada:

Read More