ELE GINGA QUE NEM BRASILEIRO!”: TRANSNACIONALIZAÇÃO CULTURAL E A NEGOCIAÇÃO DOS ESPAÇOS DE SUBJETIVIDADE NA ALEMANHA
31 Dez 2018

ELE GINGA QUE NEM BRASILEIRO!”: TRANSNACIONALIZAÇÃO CULTURAL E A NEGOCIAÇÃO DOS ESPAÇOS DE SUBJETIVIDADE NA ALEMANHA

Version 1 Download 110 Total Views 173 Stock ∞ File Size 1.28 MB File Type Create Date 31 Dezembro, 2018 Last Updated

31 Dez 2018
ELE GINGA QUE NEM BRASILEIRO!”: TRANSNACIONALIZAÇÃO CULTURAL E A NEGOCIAÇÃO DOS ESPAÇOS DE SUBJETIVIDADE NA ALEMANHA

Version1
Download110
Total Views173
Stock
File Size1.28 MB
File Typepdf
Create Date31 Dezembro, 2018
Last Updated31 Dezembro, 2018
Download

“ELE GINGA QUE NEM BRASILEIRO!”: TRANSNACIONALIZAÇÃO CULTURAL E A NEGOCIAÇÃO DOS ESPAÇOS DE SUBJETIVIDADE NA ALEMANHA

 

RESUMO:

O artigo visa contribuir com o debate sobre o processo de transnacionalização cultural na contemporaneidade, como também a produção de identidade e as subjetividades deles possíveis, utilizando como foco o universo da capoeira e o seu deslocamento para a Alemanha. Movimento que teve início na década de 1970, com as apresentações de capoeira na Europa e Estados Unidos, influenciando os rumos desta prática cultural.

O desafio deste artigo é lançar mão das experiências dos capoeiristas em seus processos de reconstrução de si e dos discursos sobre a capoeira, porém sem perder de vista as forças hegemônicas que atuam e impõem as “regras do jogo”. Dentro de uma visão interdisciplinar, foi priorizada uma abordagem qualitativa, tendo o método etnográfico como base metodológica de onde os tópicos mais significativos emergiriam como “fios” a serem puxados e aprofundados. Sendo assim, foi considerado como ponto fundamental os discursos dos próprios sujeitos da pesquisa, dos nossos diálogos e da minha experiência de campo de onde as disciplinas como Antropologia, História e Estudos das Migrações serviriam como suporte epistemológico para uma melhor contextualização das experiências vividas e significados produzidos, ou seja, para melhor dar conta dos lugares de fala apresentados.

Os resultados da minha pesquisa apontam a uma exaustão do conceito de nação para definir identidades e culturas na contemporaneidade. Baseado em minha experiência e análise, defendo também que os alicerces do universo da capoeira são estabelecidos e legitimados como um espaço relacional de negociação simbólica “in Between”. Ao mesmo tempo me apropriei do termo “Capoeiragem” para denominar um modus operandi que seria o aspecto fundante do universo da capoeira que paradoxalmente, por seu posicionamento de fronteira, produz e mistura culturas.

Palavras-chave: Antropologia. Migrações Contemporâneas. Capoeira. Capoeiragem.
In between. Subjetividades.

 

Autor: Fabio Araujo Fernandes

Leave a comment
Mais Artigos
comentários
Comentário

nove − 6 =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: