Blog

abreu

Vendo Artigos etiquetados em: abreu

Frede Abreu: O Grande pesquisador da Capoeira

Todos aqueles que amam a capoeira e se interessam em conhecê-la mais a fundo, suas histórias, seus personagens, os fatos importantes, enfim, todos aqueles que buscam compreender melhor essa rica manifestação da cultura afro-brasileira, devem muito àquele que foi um dos maiores, senão o maior pesquisador da capoeira de todos os tempos: Frederico José de Abreu, ou simplesmente Frede Abreu, como era conhecido no meio.

Frede Abreu não está mais entre nós, partiu pras “terras de Aruanda” em julho de 2013, mas deixou como legado uma obra importantíssima, através dos muitos livros, artigos, crônicas e textos que escreveu, além de um enorme e rico acervo organizado por ele composto de documentos, livros, fotografias, filmes, revistas, jornais, etc., que pode ser considerado o maior acervo sobre capoeira existente.

Mas o mais importante, é que Frede sempre foi um sujeito muito generoso. Ele sempre abriu as portas de sua casa – onde todo esse acervo era guardado – pra qualquer um que desejasse pesquisar e se aprofundar no conhecimento sobre a capoeira. Ele sempre acolheu de forma muito amável todos que o procuravam: pesquisadores, estudantes, capoeiristas, historiadores, e contribuiu de forma efetiva para a maior parte de toda a pesquisa produzida sobre capoeira no Brasil e também no exterior. É muito difícil encontrar algum livro, artigo, documentário, tese de mestrado ou doutorado sobre capoeira no qual ele não seja citado ou não tenha colaborado de alguma forma.

Frede viajou por todo o Brasil e também para o exterior, onde sempre era convidado a participar de eventos, conferências, seminários, palestras ou simples “bate-papos” sobre capoeira. E fazia isso sempre com muita boa vontade, prazer, simpatia e bom humor que caracterizavam esse baiano que nunca se recusou a dividir o seu amplo conhecimento sobre a nobre arte da capoeiragem, quando era requisitado, por quem quer que fosse.

Mas a contribuição de Frede Abreu para a capoeira vai ainda mais além: ele foi um dos responsáveis pelo retorno do mestre João Pequeno à capoeira. João tinha se afastado  da capoeira no início da década de 1980, depois da morte de Pastinha, e se dedicava a vender legumes e verduras numa barraca na Feira de São Joaquim, junto com sua esposa, a querida  “Mãezinha” como é conhecida por todos. Frede então articulou a volta de João, e foi o responsável pela organização da sua academia, que foi instalada no Forte Santo Antonio além Carmo, e se constituiu como o centro de todo o movimento de recuperação da capoeira angola, que nessa época passava por um momento difícil, num processo de franca decadência. Pela academia e sob a liderança de João Pequeno, passaram todos os mestres que foram importantes para o movimento de renovação e revigoramento da capoeira angola, desse período histórico em diante.

Há alguns anos, Frede conseguiu apoio do governo federal para enfim organizar o seu vasto acervo, criando o Instituto Jair Moura que durante algum tempo funcionou no bairro do Garcia em Salvador. Mas esse apoio não teve continuidade e todo o acervo voltou para a sua casa, num quarto onde tudo continua a ser guardado com muito zelo pela sua família.

Esperamos que as autoridades se sensibilizem com a importância da preservação e organização desse verdadeiro tesouro sobre a memória da capoeira que Frede reuniu com  tanto carinho e dedicação, durante tantos anos, e está ameaçado de se degradar pela falta de um local adequado sob a orientação de profissionais especializados.

Frede se foi, mas seu sorriso franco, seu fino senso de humor, sua disponibilidade e generosidade, seu carisma como ser humano e seus inestimáveis serviços prestados à capoeira ficarão eternizados entre todos aqueles que valorizam a memória social de um país que sofre de “esquecimento crônico”, como é o caso do Brasil.

Um axé meu amigo, onde quer que você esteja !

Manuscritos de Mestre Pastinha trazem a Sabedoria dos Velhos Mestres da Capoeira

MANUSCRITOS DE MESTRE PASTINHA TRAZEM A SABEDORIA DOS VELHOS MESTRES DA CAPOEIRA

Mestre Pastinha deixou manuscritos onde reflete sobre questões relacionadas não só a capoeira, mas também sobre a vida. A série manuscritos, organizado pelo historiador Frede Abreu traz dois livros: Improviso de PastinhaMestre Pastinha: Como eu penso? Despeitados?, este último realizado junto com Greg Downey. Os dois livros têm tradução em inglês, levando a sabedoria do mestre pelo mundo a fora.

O nome Improviso de Pastinha foi escolhido pelo próprio mestre ao receber do discípulo João Grande uma caderneta para escrever ladainhas e corridas. Segundo João Grande esses escritos foram feitos nas décadas de 50 e 60. No verão de 2007, o Instituto Jair Moreira recebeu a autorização de João Grande para publicação dos improvisos do Mestre Pastinha, “um acervo artístico muito rico para quem deseja conhecer coisas temporais e atemporais da capoeira”, escreve Frede Abreu na apresentação. O livro traz os improvisos originais, com a letra do mestre.

Tendo como origem documentos guardados por Emília Biancardi, Mestre Pastinha: Como eu Penso? Despeitados? traz depoimento inédito do Mestre Pastinha. Mais uma vez, a sabedoria do velho mestre é mostrada para o mundo da capoeira com esse manuscrito, que está no livro com o texto original, sem “correção”. O livro também traz os comentários de Frede Abreu, que destaca alguns pontos presentes nas reflexões do mestre como religiosidade, desabafos, e conceitos, lições, precauções e bons exemplos sobre a capoeira.

Os livros são uma realização do Acervo Frede Abreu de Capoeira e apoio da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia. Mais informações no e-mail elzinhadeabreu@gmail.com.

Sobre o autor – Frede Abreu foi um estudioso da capoeira, criando um acervo com mais de 40 mil títulos, entre livros, recortes de jornais, revistas, CDs, fotos e vídeos sobre capoeira e a cultura afrobrasileira. Também foi fundador do Instituto Jair Moura, membro fundador da Academia de Capoeira Angola de João Pequeno de Pastinha, e da Fundação Mestre Bimba.

Nota de Falecimento: Frede Abreu

Morreu hoje o Professor Frede Abreu, aos 66 anos, em Salvador, vítima de Hepatite C

Considerado por muitos o maior estudioso de capoeira do mundo, morreu ontem o pesquisador Frederico José de Abreu, 66 anos, que faria aniversário amanhã, faleceu hoje no Hospital Portugês. Autor dos principais livros sobre capoeira do país.

A memória dos principais mestres de capoeira da Bahia deve a ele, que nas últimas décadas se tornou referência internacional. Fundador do Instituto Jair Moura, Frede tinha um acervo com mais de 40 mil títulos, entre livros, recortes de jornais, revistas, CDs, fotos e vídeos. A partir de documentos e jornais antigos, Frede construiu obras obras importantes como Capoeiras: Bahia Século XIX, Bimba é Bamba: capoeira no ringue, Pastinha, Cobrinha Verde, Mestre Canjiquinha, o Barracão do Mestre Waldemar, Macaco Beleza e o Massacre do Tabuão… Mesmo doente nos últimos meses, Frede não parou de produzir. Tinha pelo menos três livros editados para ser lançado:  Manuscritos do Mestre Pastinha, Como Eu Penso (Livro de poesias de Pastinha), além de Mestre Najé, o capoeirista que Lutou até a Morte.

Trabalhou no projeto Axé, ajudou financeiramente e intelectualmente mestre João Pequeno, Fundação Mestre Bimba, Projeto Mandinga e diversos outros grupos…

Frede foi consultor do inventário que tombou a capoeira como patrimônio cultural do Brasil, em 2008.

Ultimamente, trabalhava na biblioteca do Instituto Mauá, no Pelourinho… Frede lutava havia um ano contra uma hepatite C. Ontem, não resistiu a uma infecção generalizada.

O corpo será cremado amanhã (sexta) no Cemitério Jardim da Saudade, as 13hs.

 

O Legado e a Obra de um dos mais carismaticos personagens da nossa capoeiragem... Mestre Frede

Compilação da Imagem: Vinícius Heime

Amigos lamentam a morte de Fred Abreu

  • Hélio, morador do Rio Vermelho:

“A Capoeira perde um grande capoeirista, o amigo Fred Abreu. Um capoeirista pertencente a todos os grupos e a elite da grande roda das idéias. Um pesquisador, escritor, amigo, orientador, detentor de um grande acervo de Capoeira, sempre de bom humor e acolhendo com seu dialogo amigo brasileiros e estrangeiros. Fred entre tantas homenagens pertence ao QUADRO DE HONRA DA FUNDAÇÃO MESTRE BIMBA, homenagem recebida no último dia 7/7/2013. Mas, a grande homenagem é pertencer ao coração de cada capoeirista por ser um homem de bem. Uma perda imensurável para a Capoeira.”

 

 

  • Vinicius Heime, Professor e Discipulo de Gladson

 

Fez sua passagem hoje o Mestre Frede Abreu, um dos mais atuantes ativistas, pesquisador, estudioso e escritor da Capoeira. Autor de uma vasta obra sobre temas diversos relacionados à Capoeira, todas escritas com muita competência e dedicação! Idealizador e gestor do maior acervo (com mais de 40 mil títulos) em livros, jornais, revistas e documentos relacionados à Capoeira. 

Entre suas obras estão os livros Bahia Século XIX, Bimba é Bamba: Capoeira no Ringue, Pastinha, Cobrinha Verde, Mestre Canjiquinha, O Barracão do Mestre Waldemar, Macaco Beleza e o Massacre do Tabuão, entre outros. Participou de diversos projetos relacionados à Capoeira! 

O seu legado estará sempre vivo como exemplo de dedicação, de valorização, de zelo e de amor pela Capoeira, sua história e seus atores! Que Mestre Bimba, Pastinha, Canjiquinha, Ezequiel e tantos outros lhe recebam de braços abertos numa grande Roda lá no céu! Axé e Luz!

 

  • Luciano Milani, Editor do Portal Capoeira:

Pesquisador incansável, e confesso, um dos pilares motores do meu trabalho, Frede nunca irá deixar de estar presente em todas as rodas, encontros e onde quer que a nossa capoeira se fizer presente…

Frede era uma destas pessoas que fazia tanta pela nossa capoeiragem… fazia sem olhar a quem… fazia pelo simples e mais lindo dos motivos… fazia apenas por que tinha um coração enorme de capoeirista… repleto de vontade de compartilhar suas preciosidades… era capaz de abrir as portas de sua casa de forma apaixonada podia passar horas falando sobre a nossa cultura, nossa arte…

Foi assim que conheci Frede e me deslumbrei com o seu acervo, sua generosidade, a sua paixão e pluralidade por todas as manifestações da cultura popular….

 

  • Pedro Abib, Professor, Pesquisador e Colunista do Portal Capoeira:

O grande FREDE ABREU nos deixou na tarde de ontem. Tristeza enorme !!!

Um dos maiores conhecedores da nobre arte da capoeiragem…mas acima de tudo, um homem generoso, que a todos acolhia e ajudava. Minha dívida com ele é enorme !!!

Um ser humano daqueles que deixam marcas que não se apagarão jamais na sua passagem pela terra. Fique em paz, aí nas terras de Aruanda !!!!

 

Nós do Portal Capoeira prestamos a nossa homenagem assim como as mais sinceras condolências a todos os amigos e principalmente a família Abreu…. por esta perda.

Espaço Cultural realiza ECCO Capoeira 2008

O Espaço Cultural Contemporâneo (ECCO), em Brasília, realiza no momento a temporada Olhares Afrocontemporâneos – Diversidade e Cultura Negra. O ECCO possui áreas livres em seu corpo físico de 550 m2 e 400m2, onde são adaptados auditórios, classes, oficinas e áreas para danças, práticas lúdicas diversas.

Considerando o registro patrimonial recente da Capoeira, a direção do ECCO decidiu celebrar essa classificação cultural com o evento “Ecco Capoeira 2008: Cultura e Pernada, o Tombamento”, que acontece na capital federal, nos dias 22 e 23 de outubro. A atividade será coordenada pelo mestre de capoeira Cláudio Danadinho.

O encontro terá palestras e uma roda de capoeira, com a presença de representantes do Iphan, dos pesquisadores Fred Abreu, Carlos Eugênio Líbano Soares e J. Bamberg (Mestre Angoleiro), além de expoentes capoeira brasileira, como os mestres Lua Rasta e Nenel.. Haverá distribuirá certificados e camisetas aos participantes. A inscrição deve ser acompanhada da doação de 1 kg de alimento não perecível ou 1 agasalho.

O Ecco funciona no SCN quadra 3 bloco C loja 5, próximo ao Shopping Liberty Mall. Informações: 3327 2027, ramais 20, 29 e 31.

(*) O autor é jornalista e colunista deste site.

O ABC da Capoeira Angola – Os Manuscritos de Mestre Noronha

Mais uma excelente novidade para toda a comunidade capoeirística!!!
 
Um documento histórico de grande valor!!!
 
Preparamos uma versão em PDF do Livro: "O ABC DA CAPOEIRA ANGOLA – OS MANUSCRITOS DE MESTRE NORONHA", este livro nos foi enviado pelo incansável Mestre Decanio, uma das mais fantásticas figuras da Capoeira que defende a democratização da informação… para o mestre, boa informação é aquela que é transmitida…
 
O Livro originalmente foi enviado ao Mestre Decanio pelo escritor, historiador e pesquisador Fred Abreu que conseguiu publicar os manuscritos de Noronha, com o apoio do Governo do Distrito Federal, Programa Nacional de Capoeira/Projeto Capoeira Arte e Oficio, DEFER e CIDOCA/DF
 
Fica a dica de uma ótima e importante leitura, aproveite!!!
 
Agradecimentos especias:
 
Fred Abreu, Angelo Augusto Decanio Filho, Bruno "Teimosia" e A Família de Daniel Coutinho o Mestre Noronha, que autorizou esta publicação.
 
Programa Nacional de Capoeira/Projeto Capoeira Arte e Oficio – DEFER – CIDOCA/DF
 
"É um documento emocionante por que demonstra a sede que nosso povo tem manter e propagar a tradição provando que têm consciência de um povo sem tradição é uma arvore sem raiz… qualquer abalo destrói… como venho dizendo há anos…"
Desejando muita saúde, felicidade e  axé!
   Decanio

 

 
Visite a seção de "DOWNLOADS DA CAPOEIRA" e confira as novidades:
 

Frede Abreu, historiador

Frede Abreu, historiador, no filme “MESTRE BIMBA, A CAPOEIRA ILUMINADA”
 
sobre o “Marketing” pessoal de Bimba :

“Mestre Bimba surpreende a sociedade, com um outro tipo de comportamento. O que era a expectativa da sociedade em torno de um capoeirista, ele contraria. Ele aparece como um homem direito, como um homem sério.”


Casa da Mandinga – capoeira: a liga mundial da camaradagem

IÊÊ… 
 
Este informe, na verdade, é um boletim da Casa da Mandinga previsto para circular mensalmente dando conta das atividades e projetos por ela realizados, com os quais quer ser identificada no ambiente da capoeira. É um canal de aproximação para atrair parceiros, trocar idéia e convidar iguais e diferentes para a realização de ações conjuntas como sugere e pede esse tempo da capoeira
 
BARRACÃO DE WALDEMAR

Está sendo concluído a oficina de instrumentos musicais da Mandinga que levará o nome de Barracão de Waldemar, que será destinado à produção, uso e venda de berimbaus, bem como a cursos e pesquisas sobre os instrumentos utilizados na capoeira, abrigando até um pequeno museu sobre o berimbau. No dia 30, o Barracão recebeu a visita do capoeirista francês e pesquisador Pol Briand que no momento desenvolve estudos relacionados ao berimbau
 
EVENTO NA MANDINGA
 
Foi realizado, na sede da Mandinga, de 24 a 27 do corrente, um evento que contou com oficinas dos mestres De Mola, Capixaba, Valmir, João Pequeno, Lua Rasta, Sabiá, além do Samba-de-Roda com Nalvinha, da oficina de berimbau com Cristal, da Dança Afro com Sambadeira e da mostra de capoeira angola com Zoinho e de regional com Fininho e Bira da Fundação Mestre Bimba. O evento foi finalizado com o primeiro batizado da Associação de Capoeira Ginga Mundo contando com a presença de mestres como Medicina, Orelha, Marinheiro, Zambi e membros de vários grupos de capoeira de Salvador, do Brasil e do mundo. Destaque para a presença de mestre Olavo que comandou a bateria
 
PROJETO “MANDINGUERÊ”

O Projeto Mandinguerê é um projeto sócio-educativo de capoeira conveniado com a Secretaria de Educação da Prefeitura Municipal de Salvador destinado a crianças de 4 a 11 anos de três escolas municipais da Regional Centro. O projeto está oferecendo, além das aulas de capoeira, aulas de samba-de-roda com Nalvinha, filha do Mestre Bimba, uma das preservadoras da tradição do samba-de-roda e do samba de pandeiro e viola originário do Recôncavo Baiano. O projeto está dimensionado para atender 200 crianças e já está contando com 140 crianças matriculadas no seu primeiro mês de funcionamento .
 
A LIBERDADE É A DOÇURA DA VIDA

No dia 12, na Praça da Piedade, dentro de um evento comemorativo da Guerra dos Búzios, as crianças do Mandinguerê” apresentaram-se com a capoeira e o samba-de-roda.
 
PRESENÇA NO 1º BATIZADO DO GINGA MUNDO

Chamou a atenção dos presentes, na abertura do evento, a exibição das crianças do Mandinguerê” com a capoeira e o samba-de-roda
 
MUDANÇAS NA MANDINGA

Neste mês de agosto se deu prosseguimento às ações que foram pensadas para modificar o funcionamento da Mandinga. Em função disso foram realizadas várias reuniões com os professores e graduados e membros da administração.
 
NOVAS AÇÕES

Mutirão para recuperação da sede da ONG Mandinga; implantação de um novo sistema administrativo e contratação de mais funcionários; criação de um colegiado para estruturar e acompanhar o funcionamento da ONG; regularização e cadastramento dos alunos; melhorias no alojamento que teve neste ano um considerável aumento da clientela.
 
INSTITUTO JAIR MOURA

Duas salas da sede da Mandinga estão sendo destinadas para abrigar o Instituto Jair Moura, constituído com base no acervo multimídia com mais de vinte mil títulos de Frede Abreu. Embora ainda não esteja estabelecido, o instituto prestou alguns serviços na Casa da Mandinga como palestras sobre o Batuque e sobre o Danmié (Ladja), mostras de vídeo, apoio a pesquisadores e colaboração na produção do filme “Tem Mandinga em Manhattam”. Neste mês, foi lançado o último livro de Frederico José de Abreu, “Capoeiras – Bahia, Século XIX, vol 1”, que se encontra à venda na Casa da Mandinga e em outros locais (Instituto Mauá, Fundação Mestre Bimba e Atelier de Mestre Lua Rasta . Palestra realizada para os alunos da matéria Capoeira, do Prof. Dr. Pedro Abib, da Faculdade de Educação da UFBA, ministrada por Frederico José de Abreu.
 
INTERCâmbio cultural

Foram realizadas palestras e apresentações para: estudantes da Universidade de Boston, no dia 9; para estudantes americanos trazidos pelo ACBEU (Associação Cultural Brasil-Estados Unidos), no dia 15; e estudantes afro-americanos da Dade Foundation, no dia 20.
 
MANDINGA EM RECIFE

Fomos convidados e estaremos nos apresentando com a Orquestra de Berimbaus para a abertura de um simpósio de ONGs, em Recife, no dia 14 de setembro
 
PROJETO “VADEIA MENINO VADEIA”

Este é o nome do Projeto da Mandinga que foi aprovado como Ponto de Cultura da Capoeira pelo Ministério da Cultura que deverá ser implantado no início do mês de setembro. O projeto é destinado a 120 adolescentes que serão beneficiados com aulas de capoeira, samba-de-roda, inclusão digital, noções de ecologia e cidadania
 
para SETEMBRO

Batizado de Lampreia em Nova Iorque e exibição para alunos americanos do ACBEU
 
 
EXPEDIENTE:

ONG PROJETO MANDINGA ASSOCIAÇÃO INTEGRADA DE EDUCAÇÃO ARTES E ESPORTES-CASA DA MANDINGA

Rua com José Alves Ferreira, 160, Garcia, salvador, ba, 40100-010

ongmandinga@hotmail.com

responsáveis pelo boletim:

JAIR OLIVEIRA DE FARIA JR (SABIÁ), FREDERICO JOSÉ DE ABREU, MARCELO DE CASTRO (CRISTAL) e MARCOS DAL Bello (teatro).