Blog

arrepiado

Vendo Artigos etiquetados em: arrepiado

Batizado Arrepiado Capoeira Cordão de Ouro Acre

A capoeira na Apae – Ac, nasceu de um programa da Secretaria de Esporte do Estado, mas só durou um ano. Desde então atendo os alunos especiais de forma voluntária. Durante seis mêses do ano, o projeto ganha um incentivo da Prefeitura de Rio Branco, através da Lei Municipal de  Incentivo à Cultura, mas para isso escrevo um projeto com todas as exigências do edital.

Esse ano vamos trazer o Mestre Brasília. Ele nunca veio ao Acre, está muito ancioso. O Professor Espirrinho já veio 3 vezes (com essa).

O legal deste ano é que o evento caiu na mesma data da Consciência Negra, que também é bem difundida pelas entidades do movimento e apoiadas pela Prefeitura e Estado. Com certeza vai ser um grande evento!

A capoeira na APAE tem um foco diferente, mais específico. Por ser multidisciplinar e multicultural, a modalidade se relaciona bem com os alunos, que se expressam sempre de maneira sincera e bem expontâneas. Isso mostra que com eles não se brinca, mas oportuniza-se as formas de brincar, com a ludicidade própria da capoeira. Vemos que a cada dia suas limitações viram possibilidades, da forma que bem entenderem e antes, suas “classificações”, viram qualificações.
Temos então um leque, extenso e variado de formas de trabalho através da prática da capoeira, com seus rituais, cantos e códigos. O batizado é o ponto alto do trabalho, um momento de confraternização. Colocam em evidência tudo o que conseguiram aprender durante o ano de treinamento. Toda sociedade vem prestigiar, eles dão entrevistas, tiram fotos, brincam, jogam, cantam, são vistos e isso para eles faz com se sintam incluídos, mesmo que por um dia, pois sabemos que a realidade é bem diferente.

Mesmo assim vale a pena, pois damos um alição de superação, uma verdadeira inspiração para uma maior valorização da vida.
Esse é o meu trabalho, minha vida. Não faço outra coisa a não ser trabalhar com projetos (especiais e crianças em risco social). Se não tenho apoio, trabalho mesmo assim. Tenho 28 anos e 20 de capoeira, faço parte da família Cordão de Ouro.

Um grande abraço.

Axé

Everton Silva Leodegário
CM. Arrepiado
Rio Branco-Acre

Programação do Evento CDO CM. Arrepiado – Acre
(Supervisão Mestre Suassuna CDO-SP)

Dias 20 e 21 de novembro

V – Batizado e Troca de Cordas “Capoeira na APAE – AC”.
I – Batizado “Academia CDO CM. Arrepiado”
I – Batizado de Capoeira “Espaço Cultural Neném Sombra”

Presença confirmada do Mestre Brasília, um dos renomados Mestres que fundaram o Grupo Cordão de Ouro!

E Instrutor Espirrinho, de São Paulo.

Programação

Dia 20 de novembro (sexta-feira)
Escola APAE-AC (Conj. Esperança)
Hora: 9h Cerimônia de entrega de instrumentos e uniformes.
Roda e mesa de frutas

Mercado Velho
Hora: 18h  Em homenagem ao Dia Nacional da Consciência Negra a Academia CDO CM. Arrepiado fará uma programação Especial em parceria com entidades ligadas ao movimento Negro de Rio Branco.

Aulão, Roda e muito AXÉ!

Dia 21 de novembro (sábado)
Usina de Arte  
Hora: 17h
V – Batizado e Troca de Cordas “Capoeira na APAE – AC”.
I – Batizado “Academia CDO CM. Arrepiado”
I – Batizado de Capoeira “Espaço Cultural Neném Sombra”
Rodas, palestras e muito mais!

Contatos:
9977-4990
arrepiadocdoacre@hotmail.com

Apoio:
Lei Municipal de Incentivo a Cultura – FGB

Patrocínio:
Banco do Brasil
Hotel João Paulo
ABRASEL

Acre: Cordão de Ouro & Apae: 80 alunos entram na roda

Batizado de Ouro – Capoeira na Apae: 80 alunos entram na roda

Na próxima sexta-feira , 07, acontece o II Batizado de Capoeira na Apae. Participarão da cerimônia 80 alunos do projeto Capoeira na Apae, realizado pelo Grupo Cordão de Ouro, financiado pela Lei Municipal de Incentivo à Cultura, da Fundação Garibaldi Brasil. A cerimônia vai acontecer a partir das 8 horas, realizada pelo Contra-Mestre Arrepiado, sob a supervisão dos Mestres Xandão e Suassuna. Na oportunidade, será feita a entrega de 60 uniformes, além de apresentação de Maculelê e Miudinho. O batizado contará com instrutores, professores, contra-mestres e mestres de todos os grupos representantes da Liga Acreana de Capoeira.

De acordo com o Contra-Mestre Arrepiado, o batizado de capoeira é uma festa tradicional que solidifica, incentiva e garante a continuidade dos seus praticantes. “Além de proporcionar momentos de lazer e confraternização em uma festa voltada para os valores de igualdade, no intercâmbio de todos os capoeiristas”, completa.

Capoeira da Apae – O projeto teve início em 2005, por meio da gerência de projetos especiais da Secretaria de Esportes. No ano seguinte, o grupo Cordão de Ouro deu continuidade ao projeto através da Lei Estadual de Incentivo ao Esporte. Este ano, seis meses de atividades, mais instrumentos e 60 uniformes foram garantidos por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura. “A capoeira é uma das mais ricas manifestações da cultura brasileira, promove através dos seus cantos, rituais e códigos o entendimento crítico das relações sociais construídas historicamente pelo homem”, explica Arrepiado.

Cultura social, artística e esportiva – É por meio da capoeira que o Contra-Mestre Arrepiado tem realizado diversos projetos com crianças e adolescentes. O capoeirista desenvolve atividades no Calçadão da Gameleira, numa iniciativa que já dura há três anos. O seu trabalho também está incluído neste mesmo período no programa Clube do Talento, da Secretaria Municipal de Cidadania e Assistência Social, com atividades de capoeira na Baixada da Sobral. “Estes alunos estão incluídos no VI Batizado de Capoeira do Grupo Cordão de Ouro, que vai acontecer no dia 15”, diz o capoeirista. Mais informações: 99944185.

Giselle Lucena
Assessoria/FGB

Agência de Notícias do Acre – http://www.agenciadenoticias.ac.gov.br

Grupo Capoeira Raça: Quarenta anos de ensino do Mestre Medicina

Grupo Raça avalia fim de semana de capoeira:

Os organizadores comentaram o evento 40 anos de ensino do mestre Medicina, que aconteceu no último fim de semana, no GTC

O mestre Luís Medicina, a personalidade homenageada no evento, mora em Muritiba, mas é natural de Itabuna, já Mestre Suassuna, natural de Itabuna, mora em São Paulo mas também veio prestigiar a cidade
 
Quarenta anos de ensino do Mestre Medicina. Esse foi o nome do evento, organizado pelo Grupo Capoeira Raça, no último fim de semana (sexta e sábado), no Grapiúna Tênis Clube, em Itabuna, para homenagear Luís Rocha, mais conhecido como mestre Medicina, fundador do Grupo Raça. Ele, juntamente com outros nomes conhecidos internacionalmente, participou do evento, avaliado como excelente pelos organizadores.
 
Com 45 anos na prática da capoeira, o mestre Medicina é natural de Itabuna e hoje vive em Muritiba, no Recôncavo baiano. Reinaldo Ramos, mais conhecido como mestre Suassuna, também itabunense e que hoje mora em São Paulo, foi outro a marcar presença no evento. Entre os principais nomes da capoeira da cidade, foi sentida a ausência de Valdecir Alcântara, o mestre Magrelo, que mora na Itália e não pôde vir para a cidade.
 
O que ocorreu
 
Mestre Luís MedicinaOs contra mestres Ninja, Risadinha, Arrepiado e Vovô, coordenadores do grupo na região, ficaram à frente na organização do evento. Os dois últimos comentaram. "Na sexta-feira (21), foram batizadas 110 crianças. No sábado (22), não tenho certeza. Acho que umas 140. Sei que, no total, quase 300 crianças foram batizadas", diz o mestre Arrepiado. "Contra mestres também foram formados", salienta Vovô.
 
Ambos frisaram ainda que crianças da periferia também participaram do encontro. "Crianças dos bairros São Pedro, Califórnia, Ferradas e Urbis 4 estiveram presentes lá. Faz parte de nosso trabalho social", lembra Arrepiado, que prossegue. "Crianças com síndrome de down também participaram. Foi muito bom". 
 
Superou as expectativas
 
A empolgação dos dois organizadores que comentaram o evento passa pela parte social, de acordo com eles. "A socialização no evento foi muito forte, e muito importante para o sucesso do mesmo", afirma Arrepiado. Trabalham com núcleos, com trabalhos sociais, e é gratificante quando somos reconhecidos". Por fim, o próprio Arrepiado resumiu. "Foi muito bom, superou as expectativas".
 
Fonte: Agora – Itabuna,BA – http://www.agora-online.com.br

Itabuna: VII Encontro de Capoeira Escolar

O contramestre "Arrepiado" e o professor "Vovó", membros do grupo Raça de Capoeira, intensificam as atividades em seus respectivos projetos sociais nas escolas públicas estaduais e municipais de Itabuna. Esse processo visa à preparação para o VII Encontro de Capoeira Escolar, com Troca de Cordéis, evento que acontece nos dias 10 e 11 de novembro.
O contramestre Arrepiado, responsável pelo Projeto Capoeirinha Raça nos bairros São Pedro e Califórnia, diz que cresce cada vez mais o número de crianças que praticam o esporte. Já o professor "Vovô", que coordena a Associação Arte e Cultura Raça na Urbis IV, lembra ainda que todo final de semana há um encontro, com oficinas de diversas modalidades de capoeira.
{jgquote}Membros do grupo Raça de Capoeira dão ênfase as atividades sociais visando ao VII Encontro de Capoeira Escolar, que acontece em novembro{/jgquote}
Eles dizem que a idéia é divulgar o esporte e atingir um público cada vez maior e difundir ainda mais a capoeira. Além disso, ambos fazem questão de salientar ainda que os jovens desses projetos evitam o mundo das drogas. Há ainda o projeto Folclore e Capoeira na Escola, desenvolvido pela Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC), que também segue a linha de inclusão social.
 
Como participar
 
Para fazer parte de algum desses projetos, os estudantes devem estar matriculados em alguma escola pública, municipal ou estadual. Arrepiado diz que, comprovada essa parte, os alunos iniciam a prática da capoeira. "Mas, para que continuem, devem trazer periodicamente boletim e freqüência escolares", completa. Dessa maneira, os professores de capoeira acompanham os estudos do aluno e, caso haja algum problema, dentro ou fora da roda de capoeira, os pais são imediatamente informados.
Os interessados em participar podem dirigir-se à sede da FICC, localizada na praça Tiradentes, próximo à Catedral de São José. Para o projeto Folclore e Capoeira na Escola, devem entrar em contato com os membros do grupo Raça através dos telefones (73): 9993-6824 (Arrepiado) ou 3616-1098 (Vovô).
Fonte: Agora Online – Itabuna/BA – http://agora-online.com.br