Blog

camará

Vendo Artigos etiquetados em: camará

Frente Parlamentar da Capoeira será lançada na quarta-feira

Será lançada na quarta-feira (5), às 16 horas, a Frente Parlamentar da Capoeira. O ato de lançamento ocorrerá no Hall da Taquigrafia, com apresentação de berimbaus durante o Hino Nacional. Às 16h30, deputados falarão sobre os objetivos da frente, na sala de reuniões da Comissão Mista de Orçamento.

Às 16h50, haverá apresentação de dança Puxada de rede, uma encenação de pescadores saindo do mar. Às 17h10, haverá apresentação de Roda Tradicional da Capoeira Regional.

O presidente da frente será o deputado Márcio Marinho (PRB-BA). O vice-presidente será o deputado Flávio Bezerra (PRB-CE).

Reconhecimento

Em 2008, a Câmara aprovou o Projeto de Lei 7150/02, do deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), que reconhece a prática de capoeira como profissão. O projeto aguarda votação no Senado.

Pela proposta, o capoeirista passa a ser considerado atleta profissional, apto a ser remunerado pela participação em eventos públicos ou privados. A capoeira já é reconhecida como manifestação cultural de dança, de luta ou de outras formas de competição.

 

Autor: Agência Câmara – http://www.jusbrasil.com.br

Documentário de Carem Abreu: PAZ NO MUNDO CAMARÁ: a Capoeira Angola e a volta que o mundo dá MG

Ola amigos e colegas, com muita satisfação informamos que nosso curta documentario “PAZ NO MUNDO CAMARÁ: a Capoeira Angola e a volta que o mundo dá- Minas Gerais” iniciou sua “volta ao mundo” no circuito de mostras e festivais do Brasil.

Ele está sendo exibido hoje, quarta, dia 07/04, durante a programação da 1ª Mostra SESC de Cinema e Video Brasiliense.

Quem estiver em Brasilia poderá conferir o documentario às:

19h – Teatro Newton Rosi- SESC Ceilândia
20h – Teatro Silvio Babato- SESC Setor Comercial Sul
(Programação 1ª Mostra SESC de Cinema e Vídeo Brasiliense)

“PAZ NO MUNDO CAMARÁ: a Capoeira Angola e a volta que o mundo dá- MG” 15′, documentário, Minas Gerais

SINOPSE: A Capoeira Angola é mais do que uma série de movimentos, do que uma luta corporal. A luta da capoeira é mais social, mais histórica, mais cultural. Nesse curta metragem vários mestres angoleiros de Belo Horizonte (MG) resgatam a recente história da capoeiragem da cidade E mais: nos convidam para uma visita as danças afro e contemprânea, ao samba, ao congado, ao camdomblê e ao teatro. O que essas expressões culturais têm haver com Capoeira Angola? Veja nesse documentário que é muito mais do que uma forte vontade de valorizar toda a africanidade incrustada no jeito brasileiro de ser.

DIRETORA:CAREM ABREU
PRODUTOR:JOÃO VALADARES e JOSIANE BRAGA
PRODUTORA EXECUTIVA:CAREM ABREU

O documentario foi produzido pelos alunos capoeiristas da Oficina de Produção Audiovisual “Documentos de Si”.

“OFICINA DE PRODUÇÃO AUDIOVISUAL: DOCUMENTOS DE SI”: foram capacitados 15 angoleiros , de 14 a 35 anos, de diversas frentes de trabalho da ACESA em funções audiovisiais como roteiristas, produtores, assistente de direção, fotógrafos de cena (Still), cinegrafistas e editores. Como prática de estudo eles produziram o curta “PAZ NO MUNDO CAMARÁ: a Capoeira Angola e a volta que o mundo dá – Minas Gerais”, que compõe o documentário de 55 minutos acima mencionado. A Oficina de Produção Audiovisual “Documentos de Si” aconteceu na ATOS Central de Imagens e potencializou as atividades culturais e a utilização dos equipamentos audiovisuais do recém-inaugurado Ponto de Cultura Flor do Cascalho (Morro das Pedras), da ACESA. De setembro de 2008 a abril de 2009 eles tiveram aulas e realizaram seu primeiro curta sob o olhar de quem vivencia e pratica o tema abordado: a Capoeira Angola. Neste documentário locais como a Comunidade da Pedreira Prado Lopes, Alto Vera Cruz, Saudade, Morro da Cascalho, Bairro Nacional foram abordados sob a perspectiva cultural e social, ao contrário do viés denotativo da violência e do tráfico de drogas.

CORPO DOCENTE:
Narrativas Documentais –  ATHAIDES  BRAGA
Projeto DVD Paz: importância da pesquisa histórica na construção de um documentário – CAROLINE CÉSARI
Pesquisa histórica- DIMAS DE SOUZA
Roteiro documental-  CAREM ABREU
Direção de Produção-  MARY RODRIGUES
Fotografia e Prática Still – LUIZA VIANNA
TOM AMÂNCIO – Cinegrafista (handcam Sony)
Cinegrafista (camera HVX200- profissional) – LUCAS EMOREIRA
Edição –  CELSO LEMBI e LOURENÇO VELOSO

PROFISSIONAIS
Coordenador Técnico / Mestre de Capoeira – MESTRE JOÃO ANGOLEIRO
Produtora Executiva/Roteirista / Diretora – CAREM ABREU
Direção de Fotografia/ Cinegrafistas – LUCAS EMOREIRA e  DIOGO RAMOS
Produtor Belo Horizonte –  PEDRO VALADARES
Tecnica de Som – MILAGROS VAZQUEZ
Assistente de Coordenação / Assistente de Produção – MARILENE SANTOS

ALUNOS
Assistente de Direção –  FLAVIA SOARES
Coordenação de Produção –  JOSIANE BRAGA
Assistentes de Produção – SERGIO PEREIRA DE OLIVEIRA/ DAVIDSON FELIPE DOS SANTOS RIBEIRO
Roteiristas – CLEVES HENRIQUE DE ABREU SILVA / OTAVIO AUGUSTO CHAVES
Cinegrafistas – ANGELO AUGUSTO DE OLIVEIRA SANTOS/ CLAUDINEI SILVA SANTOS
Editores –  CARLOS RENATO /JOÃO ALVARO MORAES DE MELO
Still – JOSIANE BRAGA / JACK LUCAS MACHADO DINIZ / WARLEN MOTA  –

ENTREVISTADOS: 1-Mestre Rogério- Associação Cultural Angola Dobrada – ACAD – Santa Tereza; 2- Mestre Jurandir- Fundação Internacional de Capoeira Angola- FICA  – Bairro Bonfim; 3- Mestre Primo – Grupo Iúna  de Capoeira Angola – Bairro Saudade; 4- Mestre Leo – Grupo Meninos de Palmares  – Alto Vera Cruz; 5- Mestre Dunga – Grupo Senzala Eu Bahia – Praça Sete; 5-Mestre João –  Associação Cultural Eu Sou Angoleiro – Centro; 6- Treinél Ricardo Manaus – Flor Do Cascalho- Morro das Pedras; 7- Treinel Gino – Grupo ILÚ AIÊ – Bairro Nacional; 8- Contra Mestre Medonha  – Alto Vera Cruz; 9- Contra Mestre Renê – Grupo Camujerê – Parque Municipal; 10- Mestre Márcio Alexandre ( Dança Afro ) – Parque Municipal; 11- Junia Bertolino (Dançarina Afro) – Parque Municipal; 12- Marilene (Dança Afro) Parque Municipal; 13- Flavia Soares(Dançarina Afro) Parque Municipal; 14- Negoativo – Capoeirista e músico(Berimbrow) – Bairro Maria Goreti; 15- Mauricio Tizumba, ator interpretou Besouro de Mangangá – Praça de Santa Tereza; 16- Rui Moreira (Cia de Dança Será que) – Teatro Alterosa ; 17- Alexandre Partideiro (fez samba de roda com a capoeira) – Pedreira Prado Lopes; 18- Dona Elisa (velha guarda do samba de BH) Pedreira Prado Lopes; 19- Mestre Conga (Velha guarda do samba de BH) Pedreira Prado Lopes; 20- Candomblé de dona Efigenia – Floresta; 21- Congado – Reinado de dona Isabel – Bairro Concórdia

AGUARDEM: em agosto ESTREIA “PAZ NO MUNDO CAMARÁ: a Capoeira Angola e a volta que o mundo dá- BRASIL”

“PAZ NO MUNDO” EM NÚMEROS
Entre janeiro e março de 2009 realizamos as gravações do documentário em cinco estados: Belo Horizonte (MG), Rio de Janeiro (RJ), Salvador e Santo Amaro da Purificação (BA), Recife e  Olinda (PE) e Quilombo dos Palmares (Serra da Barriga- AL). Ao todo entrevistamos 25 mestres de capoeira angola (os mais expressivos/ importantes de cada estado);  18 mestres da cultura popular e ou agentes culturais; gravamos em 65 locações (12 BA, 25 RJ, 15 MG; 1 AL; 12 PE); Nossa equipe técnica contou com 30 profissionais e instruimos 23 alunos em nossas oficinas.


CAPOEIRA PARA ALÉM DO BESOURO

Mais do que a valorização dos golpes, da ênfase à luta, enfocada no filme “Besouro” o documentário “PAZ NO MUNDO CAMARÁ” propõe uma reflexão da capoeira para além do movimento corporal. O movimento da capoeira angola é um movimento de revolução pessoal e social. É uma luta, mas pela valorização de nossa ancestralidade, de nossas raízes e pela liberdade, realizadas nos terreiros da cultura popular em todo o Brasil.


O QUE É “PAZ NO MUNDO CAMARÁ: a Capoeira Angola e a volta que o mundo dá”

Nosso projeto consiste principalmente na produção de um documentário televisivo de 55 minutos sobre os 400 anos da Capoeira Angola no Brasil. Através de uma ampla pesquisa realizada nos estados do Rio de Janeiro, Bahia (Salvador e Recôncavo Baiano), Pernambuco (Recife e Olinda), Alagoas (Parque Nacional Quilombo dos Palmares – Serra da Barriga) e Minas Gerais, buscamos compreender como a Capoeira Angola conseguiu em menos de um século, transformar- se de uma luta praticada pela “escória social”, o primeiro crime terror dos republicanos oitocentistas, em um “instrumento de inclusão social e paz no mundo” – palavras do Ministro da Cultura Gilberto Gil, proferidas em conferência na ONU/Genebra em 2004.

O documentário televisivo “PAZ NO MUNDO CAMARÁ: a Capoeira Angola e a volta que o mundo dá”, foi idealizado pela ATOS Central de Imagens, em 2005 e desde 2007 vem sendo realizado em parceira com a Associação Cultural Eu Sou Angoleiro. Ele ficará pronto em 2010 e será veiculado no Canal Brasil, na TV América Latina (TAL), além de TVs abertas e fechadas exibidoras desse gênero, e em mais de 60 festivais e mostras de cinema no Brasil e no mundo. Serão produzidas 200 cópias desse produto cultural que poderá ser utilizado como um novo material didático, criado para subsidiar a implantação da Lei nº 10.639/03 em escolas de Minas Gerais, e também distribuído para imprensa, formadores de opinião, embaixadas e patrocinadores.

TODOS OS PRODUTOS CULTURAIS do projeto PAZ NO MUNDO CAMARÁ: a Capoeira Angola e a volta que o mundo dá”:
1- Revista “Angoleiro É o que Eu Sou!” – Edição 3;
2- reformulação do site www.eusounagoleiro. org.br/portal200 9;
3- Oficinas de Produção Audiovisual “Documentos de Si” e de “Animação e Contação de Histórias”;
4- Exposição fotográfica;
5- curta metragem 15 min: “ PAZ NO MUNDO CAMARÁ: a Capoeira Angola e a Volta que  o mundo dá- MG”;
6- documentário televiso, 55 min, “PAZ NO MUNDO CAMARÁ: a Capoeira Angola e a Volta que  o mundo dá”.

Aprovado com emendas na Câmara, Estatuto da Igualdade Racial será novamente examinado pelo Senado em 2010

Tramitando no Congresso Nacional desde maio de 2003, o projeto de lei do Senado que institui o Estatuto da Igualdade Racial (PLS 213/03) será novamente examinado pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) nos primeiros meses de 2010. Aprovado no Senado em novembro de 2005, o texto foi enviado à Câmara, onde foi acolhido, em setembro de 2009, sob a forma de substitutivo, com várias alterações ao texto original, motivo pelo qual voltou para nova análise dos senadores.

O autor do projeto original é o senador Paulo Paim (PT-RS), que já defendeu a aprovação do estatuto por diversas vezes da tribuna do Plenário do Senado. O relator, Demóstenes Torres (DEM-GO), apresentou parecer favorável, com emendas, à aprovação do projeto em dezembro do ano passado.

Entre outros pontos, o projeto de Paim institui pena de até três anos para quem praticar racismo pela internet, incentiva a contratação de negros pelas empresas e reconhece a capoeira como esporte. Resultado de mais de seis anos de discussão no Congresso, o texto aprovado na Câmara faz mudanças substanciais no projeto original. Reduz de 30% para 10% a proporção de candidatos negros que os partidos devem ter nas eleições (atualmente, só há reserva para mulheres); retira a obrigatoriedade de reserva, nos estabelecimentos públicos, de vagas para alunos negros vindos de escolas públicas na mesma proporção dessa etnia na população; e suprime a indicação “igualdade” do dispositivo que trata da contratação de atores negros em produções artísticas.

O substitutivo da Câmara define como desigualdade racial todas as situações injustificadas de diferenciação de acesso e fruição de bens, serviços e oportunidades, nas esferas pública e privada, em virtude de raça, cor, descendência, origem nacional ou étnica. Define como população negra o conjunto de pessoas que se autodeclaram pretas e pardas, conforme o quesito cor ou raça usado pelo IBGE.

O substitutivo que será apreciado pela CCJ também trata de políticas públicas e programas especiais adotados pela iniciativa privada e o Estado para a correção das desigualdades raciais e a promoção da igualdade de oportunidades. Prevê ainda acesso universal e igualitário ao Sistema Único de Saúde (SUS) para promoção, proteção e recuperação da saúde da população negra, que deverá ficar a cargo de instituições públicas federais, estaduais, distrital e municipais da administração direta e indireta. O objetivo é garantir tratamento e especialização em doenças mais comuns na raça negra, como a anemia falciforme.

A proposta determina também que seja obrigatória a disciplina que trate da história geral da África e da população negra no Brasil nos estabelecimentos de ensino fundamental e médio públicos e privados. Além disso, o Estatuto da Igualdade Racial assegura o livre exercício dos cultos religiosos de origem africana, prevendo assistência religiosa aos seus seguidores em hospitais e institui que os programas de moradia do governo deverão assegurar tratamento equitativo à população negra, devendo fazer o mesmo os bancos públicos e privados que atuam em financiamento habitacional.

Helena Daltro Pontual e Augusto Castro / Agência Senado

ALDEIA KILOMBO Século 21 lança os PRODUTOS CULTURAIS: PAZ NO MUNDO CAMARÁ: a Capoeira Angola e a volta que o mundo dá – MG

Curta metragem, revista, site e exposição fotográfica sobre a cultura popular de BH  têm lançamento no Palácio das Artes com a presença dos Mestres da Cultura Popular da cidade


AMANHÃ, SÁBADO, dia 05 de dezembro, a partir das 14h, no Palácio das Artes (Livraria Usina das Letras e sala Humberto Mauro), a ALDEIA KILOMBO Século 21, a Associação Cultural Eu Sou Angoleiro – ACESA e a ATOS Central de Imagens, realizam o lançamento dos produtos culturais “PAZ NO MUNDO CAMARÁ: a Capoeira Angola e a volta que o mundo dá- MG”.

O evento integra as atividades em comemoração à CONSCIÊNCIA NEGRA e está sendo realizado com o coletivo ALDEIA KILOMBO SÉCULO 21, composto por oito segmentos da cultura popular de BH: Capoeira Angola, Dança Afro, Reggae, Hip Hop, Samba e Religiosidades (Candombe, Candomblé, e Congado).

Essas manifestações da cultura popular de BH foram abordadas como tema/PERSONAGENS do projeto “PAZ NO MUNDO CAMARÁ: a Capoeira Angola e a volta que o mundo dá – MG” para a realização dos PRODUTOS CULTURAIS que serão lançados oficialmente no evento:

1- curta metragem “PAZ NO MUNDO CAMARÁ: a Capoeira Angola e a volta que o mundo dá – MG” (realizado pelos alunos da Oficina de Produção Audiovisual “Documentos de Si”),
2- site www.eusouangoleiro. org.br
3- edição nº 3, da Revista “Angoleiro é o que Eu Sou!” (mais de 40 reportagens com mestres da cultura popular de MG).
4- Exposição fotográfica “Documentos de Si” (Still: fotos de cenas da gravação do curta)

ALDEIA KILOMBO SÉCULO 21 – ATRAÇÕES CULTURAIS
* RODA DE CAPOEIRA ANGOLA do grupo Eu Sou Angoleiro, com a participação especial de representantes de outros grupos de capoeira angola de BH.
* RODA DE CONVERSA: tema “Cultura de Raiz é resistência ancestral”
Com a presença de mestres da cultura popular de BH

D. Isabel (Rainha Conga de MG – Guarda de Congo e Moçambique 13 de Maio)

Mestre Dunga ( precursor da Capoeira Regional em MG),

Tatetu Arabomi (Movimento Nação Bantu),

Mestre Conga (velha guarda do Samba de BH),

Carlinhos de Oxossi (Grupo Fala Tambor)

Mediador: M. João Angoleiro

* MINI APRESENTAÇÕES de Dança Afro: Companhia Primitiva de Arte Negra

“PAZ NO MUNDO” EM NÚMEROS
Entre janeiro e março de 2009 realizamos as gravações do documentário em cinco estados: Belo Horizonte (MG), Rio de Janeiro (RJ), Salvador e Santo Amaro da Purificação (BA), Recife e  Olinda (PE) e Quilombo dos Palmares (Serra da Barriga- AL). Ao todo entrevistamos 25 mestres de capoeira angola (os mais expressivos/ importantes de cada estado);  18 mestres da cultura popular e ou agentes culturais; gravamos em 65 locações (12 BA, 25 RJ, 15 MG; 1 AL; 12 PE); Nossa equipe técnica contou com 30 profissionais e instruimos 23 alunos em nossas oficinas.

CAPOEIRA PARA ALÉM DO BESOURO
Mais do que a valorização dos golpes, da ênfase à luta, enfocada no filme “Besouro” o documentário “PAZ NO MUNDO CAMARÁ” propõe uma reflexão da capoeira para além do movimento corporal. O movimento da capoeira angola é um movimento de revolução pessoal e social. É uma luta, mas pela valorização de nossa ancestralidade, de nossas raízes e pela liberdade, realizadas nos terreiros da cultura popular em todo o Brasil.
O QUE É “PAZ NO MUNDO CAMARÁ: a Capoeira Angola e a volta que o mundo dá”
Nosso projeto consiste principalmente na produção de um documentário televisivo de 55 minutos sobre os 400 anos da Capoeira Angola no Brasil. Através de uma ampla pesquisa realizada nos estados do Rio de Janeiro, Bahia (Salvador e Recôncavo Baiano), Pernambuco (Recife e Olinda), Alagoas (Parque Nacional Quilombo dos Palmares – Serra da Barriga) e Minas Gerais, buscamos compreender como a Capoeira Angola conseguiu em menos de um século, transformar- se de uma luta praticada pela “escória social”, o primeiro crime terror dos republicanos oitocentistas, em um “instrumento de inclusão social e paz no mundo” – palavras do Ministro da Cultura Gilberto Gil, proferidas em conferência na ONU/Genebra em 2004.
O documentário televisivo “PAZ NO MUNDO CAMARÁ: a Capoeira Angola e a volta que o mundo dá”, foi idealizado pela ATOS Central de Imagens, em 2005 e desde 2007 vem sendo realizado em parceira com a Associação Cultural Eu Sou Angoleiro. Ele ficará pronto em 2010 e será veiculado no Canal Brasil, na TV América Latina (TAL), além de TVs abertas e fechadas exibidoras desse gênero, e em mais de 60 festivais e mostras de cinema no Brasil e no mundo. Serão produzidas 200 cópias desse produto cultural que poderá ser utilizado como um novo material didático, criado para subsidiar a implantação da Lei nº 10.639/03 em escolas de Minas Gerais, e também distribuído para imprensa, formadores de opinião, embaixadas e patrocinadores. 

TODOS OS PRODUTOS CULTURAIS do projeto PAZ NO MUNDO CAMARÁ: a Capoeira Angola e a volta que o mundo dá”:
1- Revista “Angoleiro É o que Eu Sou!” – Edição 3;
2- reformulação do site www.eusounagoleiro. org.br/portal200 9;
3- Oficinas de Produção Audiovisual “Documentos de Si” e de “Animação e Contação de Histórias”;
4- Exposição fotográfica;
5- curta metragem 15 min: “ PAZ NO MUNDO CAMARÁ: a Capoeira Angola e a Volta que  o mundo dá- MG”;
6- documentário televiso, 55 min, “PAZ NO MUNDO CAMARÁ: a Capoeira Angola e a Volta que  o mundo dá”.

SERVIÇO
ALDEIA KILOMBO SÉCULO 21

faz o LANÇAMENTO dos produtos Culturais

“PAZ NO MUNDO CAMARÁ: a Capoeira Angola e a volta que o mundo dá- MG”

Data: 05/12/2009 – sábado
Local: Livraria Usina das Letras (Palácio das Artes) – Av. Afonso Pena, 1537, Funcionários.
Horário: 14h

ASCOM: Carem Abreu (9105-4369) 
Informações: (031) 4063-9822
www.atosimagens.com.br ou www.eusouangoleiro.org.br

Cultura para Todos

Ministro Juca Ferreria, parlamentares e artistas se unem em Ato Cultural na Câmara dos Deputados

2009 Ano da Cultura no Congresso Nacional. A opinião, fruto da quantidade de projetos que tramitam nas duas casas do Legislativo brasileiro, foi tema do pronunciamento do ministro da Cultura, Juca Ferreira, e de todos os parlamentares e artistas que participaram do Ato Cultural em prol da mobilização Vota Cultura que foi realizado na tarde dessa quarta-feira, 4 de novembro, na Câmara dos Deputados, em Brasília.

Além do ministro, o evento reuniu vários parlamentares como a deputada e presidenta da Comissão de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados, Maria do Rosário (PT-RS), o deputado José Fernando Aparecido de Oliveira (PV-MG), presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Cultura, a secretária de Cultura do Rio de Janeiro, Jandira Feghali, o presidente do Fórum Nacional dos Secretários e Dirigentes Estaduais de Cultura, Daniel Sant’Ana, além de artistas como Chico César, Nando Cordel e Falcão.

“Hoje é um dia de muita felicidade para todos nós pois vemos que o parlamento brasileiro resolveu ficar à frente do processo de institucionalização da Cultura brasileira”, afirmou o ministro que considera importante o diálogo com o Legislativo para que a Cultura seja alçada ao lugar que lhe é de direito.

Ferreira lembrou ainda que a participação do Congresso Nacional é fundamental para o trabalho do Ministério da Cultura de fomento à toda diversidade cultural do Brasil. “Quando chegamos, em 2003, o ministério funcionava como um balcão de distribuição de recurso e isso precisa mudar, para tanto, contamos com o trabalho dos deputados e senadores”. Segundo o ministro, o projeto de Reforma da Lei Rouanet, irá reparar as deformações provocadas pelo fato de o mecanismo de renúncia ser a principal forma de fomento cultural.

Jandira Feghali disse que o Ato Cultural significou uma comunhão de esforços importante para as ações empreendidas até hoje mas é preciso avançar ainda mais. “Esse encontro marca o reconhecimento que o aspecto cultural tem na vida das pessoas, mas é preciso que todos os projetos que tramitam no Congresso sejam aprovados, não basta que essas aprovações se dêem apenas nas comissões”, afirmou.

Entre os presentes à cerimônia era visível a espectativa da inclusão da Cultura no fundo financeiro do Pré-Sal. Sobre o assunto o secretário de Cultura de João Pessoa, o músico Chico César, afirmou que o Fundo do Pré-Sal “veio para adocicar a vida cultural brasileira e dos artistas nacionais”.

Audiovisual

Durante a solenidade na Câmara dos Deputados houve o lançamento do projeto Cinema da Cidade, para criação de salas de cinema em cidades com população entre 20 e 100 mil. A deputada Maria do Rosário destacou a importância da ação. “Na minha infância o cinema era a porta de entrada para o mundo, como uma janela. Precisamos resgatar esse aspecto nas pequenas cidades e dar essa oportunidade a seus moradores”.

“Estamos muito bem no que diz respeito a investimentos na produção cinematográfica. O Brasil produz em média cem filmes por ano, mas é preciso mostrar essa produção, continuamos reféns das grandes distribuidoras internacionais, isso precisa mudar. É preciso que o público veja toda nossa diversidade nas telas e para isso o aumento das salas de cinema é fundamental”, ressaltou o ministro Juca Ferreira sobre o projeto que ajudará o cinema nacional.

Também falou da compra de toda produção das extintas produtoras nacionais Atlântida e Vera Cruz pelo Ministério da Cultura. Segundo ele, essas aquisições proporcionará a disponibilização de uma parte rica da história do cinema nacional contribuindo com a preservação da memória do país.

Cinema da Cidade – O projeto faz parte do Programa de Expansão do Parque Exibidor de Cinema articulado pela Agência Nacional do Cinema do Ministério da Cultura, para estimular a instalação de salas em cidades e zonas urbanas desprovidas ou mal atendidas por esse serviço, com o objetivo de diversificar, descentralizar e expandir a possibilidade de acesso ao cinema. O programa abrange ações de financiamento, investimento e desoneração tributária. A meta é financiar, por meio de emenda parlamentar e através de convênio com as prefeituras, a construção ou recuperação de complexos de exibição em cidades de pequeno e médio porte que não contam com esse serviço. Saiba mais.

(Texto: Marcos Agostinho)
(Fotos: Rafael de Oliveira)

Comunicação SID/MinC

Telefone: (61) 2024-2379
E-mail: identidadecultural@cultura.gov.br
Site: http://www.cultura.gov.br/sid
Blog: http://blogs.cultura.gov.br/diversidade_cultural/
Twitter: http://twitter.com/diversidademinc

O Camará – Congresso Mundial de Capoeira/2009

O Camará – Congresso Mundial de Capoeira/2009, que será um evento aglutinador de praticantes da capoeira e áreas afins, provenientes de todo os continentes, no período de 31/08 a 13/09 de setembro, em Salvador e Livramento -Bahia, promovendo palestras, competições, festivais, cursos e vivências ministradas pelos maiores mestres desta arte no Brasil.

A elaboração deste congresso, é fruto da parceria estabelecida entre a Associação Cultural GUETO, Colégio Oficina, UNIJORGE e a UNIRB, que juntos darão o suporte técnico-pedagógico para realização deste evento, tendo como intuito principal o fortalecimento do elo de ligação entre a capoeira, o esporte e a Educação formal, possibilitando um maior intercâmbio entre as culturas populares e a produção científica, enfocando o trabalho com a cultura corporal em escolas, o processo de ensino-aprendizagem da capoeira, bem como suas relações no desenvolvimento histórico e social, possibilitando desta maneira a ampliação do nível de informação dos profissionais que atuam nesta área e ainda o aprimoramento técnico – desportivo dos praticantes de capoeira.

Vale a pena ressaltar, que o Camará – Congresso Mundial de Capoeira/2009, também se firma como um importante evento cultural – desportivo, que vem trazer entretenimento, informação e lazer para as cidades de Salvador, Vitoria da Conquista e Livramento de Nossa Senhora, além de proporcionar a possibilidade de mostrar as belezas naturais da capital baiana e da Chapada Diamantina, com visitas programadas aos seus pontos turísticos, estimulando o turismo e comercio da região do evento, promovendo a divulgação das cidades e de nossos patrocinadores.

Inscrições gratuitas para professores, contramestres e mestres de capoeira (acompanhando grupos a partir de 5 pessoas).

Inscrição por pessoa
Pacote Total | 3 Etapas | R$270,00

– Camisa Promocional
– Passagem ônibus- Salvador-Livramento / Livramento – Vitória da Conquista / Vitória da Conquista – Salvador
– Passeio Turí­stico em Rio de Contas
– Participação na Copa Camará
– Hospedagem 5 dias em Livramento com alimentação inclusa
– Alojamento 5 dias em Salvador
– Alojamento e alimentação 2 dias em Vitória da Conquista
– Participação em todos os cursos e oficinas do evento
– Ingresso para cerimônia de batismo em Salvador

Inscrição por oficina
Valor – R$20,00

Condições especiais para grupos a partir de 5 pessoas!

Delegações já confirmadas!

| Bogotá – Colombia
| Cali – Colombia
| Guayaquil – Equador
| Kanazawa – Japão
| Glenoble – França
| Buenos Aires – Argentina
| Caracas – Venezuela
| Manreza – Espanha
| Forte Ventura – Espanha
| Brasil 
– São Paulo
– Natal
– Rio de Janeiro
– Ceará
– Pernambuco 

Maiores Informações: www.guetocapoeira.org.br | guetocapoeira@msn.com |

Tel: 55 71 33634568 | 81092550

JOVENS CAPOEIRISTAS ENTRAM NO MUNDO AUDIOVISUAL EM BH

Nesta quinta-feira, 23/04, às 19h, no Ponto de Cultura Flor do Cascalho, Região Sul de Belo Horizonte, acontecerá  a formatura de 12 jovens capoeiristas, de diversas frentes de trabalho da Associação Cultural Eu Sou Angoleiro – Acesa – na periferia da Região Metropolitana de Belo Horizonte. Angoleiros de  Sabará, Vespasiano, Contagem e de comunidades da capital como Morro do Cascalho, Pedreira Prado Lopes e Alto Vera Cruz, participaram da Oficina de Produção Audiovisual “Documentos de Si” e farão a pré-estréia do documentário “Paz no Mundo Camará: a Capoeira Angola e a volta que o mundo dá – Minas Gerais”, um curta metragem de 25 minutos, resultado de 6 meses de suas incursões ao mundo audiovisual, que será parte integrante do documentário final de 55 minutos.
 
A solenidade contará com a presença de vários personagens do curta , bem como representantes do Ministério da Cultura, do Fundo Estadual de Cultura do Estado de Minas Gerais e da Secretaria Municipal de Educação. Além da pré-estréia do documentário “PAZ NO MUNDO CAMARÁ: a Capoeira Angola e a volta que o mundo dá –  Minas Gerais”, haverá uma exposição fotográfica das fotos de cena (Still) e uma apresentação cultural surpresa para os convidados.

MUNDO AUDIOVISUAL

Durante a Oficina, jovens entre 14 e 30 anos, vivenciaram uma nova perspectiva de atuação e capacitação em suas vidas: o cotidiano dos SETs de gravação do mundo audiovisual e todo o trabalho especializado dos bastidores das cenas como  roteiro, produção, direção, fotografia, cinegrafia e tudo que é necessário para produzir um documentário.  Eles entraram no mundo do cinema e conheceram de perto a linguagem audiovisual ao realizarem seu primeiro documentário, orientados por profissionais do mercado audiovisual mineiro.
 
A Oficina de Produção Audiovisual “Documentos de Si”  potencializou as atividades culturais e a utilização dos equipamentos audiovisuais do recém-inaugurado Ponto de Cultura Flor do Cascalho (Morro das Pedras), da ACESA, através da capacitação dos angoleiros para o mundo audiovisual. Por isso, desde setembro eles tiveram aulas, e em dezembro gravaram a etapa de MG do documentário global, sob o olhar de quem vivencia e pratica o tema abordado: a Capoeira Angola. Neste documentário locais como a Comunidade da Pedreira Prado Lopes, Alto Vera Cruz, Saudade, Morro da Cascalho, Bairro Nacional foram abordados sob a perspectiva cultural e social, ao contrário do viés denotativo da violência.
 
DOCUMENTÁRIO GLOBAL – 55 MINUTOS

Restringir a Capoeira Angola como apenas uma atividade física, não revela a sua verdadeira essência. Ao contrário do senso comum, no Brasil sua implicação é cultural, histórica, política e principalmente social, é o resultado da manutenção de 400 anos de resistência do modo de ser do negro. O projeto “PAZ NO MUNDO CAMARÁ: a Capoeira Angola e a volta que o mundo dá”, produzido pela ATOS Central de Imagens, em parceria com a Associação Cultural Eu Sou Angoleiro – Mestre João, apresenta uma perspectiva inédita sobre o assunto.

O projeto consiste em um documentário de 55 minutos que recebeu em 2008 o prêmio Capoeira Viva (do MINC, um dos 6 projetos de MG contemplados) e obteve financiamento do Fundo Estadual de Cultura de MG. O objetivo primordial é realizar uma pesquisa aprofundada na Bahia, Rio de Janeiro, Pernambuco e Minas Gerais, sobre a história da Capoeira Angola no Brasil e sua utilização como instrumento de inclusão social e paz no mundo.

Além do documentário que já tem exibição garantida no Canal Brasil e na TV América Latina, o projeto contempla ainda a realização da Oficina “Documentos de Si” e a edição da Revista “Angoleiro é o que eu Sou” e a formatação do site www.eusouangoleiro.org.br em portal.

FINANCIAMENTO E PARCERIAS
FUNDO ESTATUAL DE CULTURA MG, BDMG, SECRETARIA DE ESTADO DA CULTURA, PRÊMIO CAPOEIRA VIVA 2008, FUNDAÇÃO GREGÓRIO DE MATOS, PETROBRÁS, CENTRO CULTURAL UFMG, CANAL BRASIL, TV AMÉRICA LATINA.

REALIZAÇÃO

·        ATOS Central de Imagens
·        ACESA- ASSOCIAÇÃO CULTURAL EU SOU ANGOLEIRO – Mestre João Angoleiro

SERVIÇO
EVENTO: Formatura da Oficina Audiovisual “Documento de Si” do projeto PAZ NO MUNDO CAMARÁ: a Capoeira Angola e a volta que o mundo dá”
DIA: 23/04/2009
HORÁRIO: 19h
LOCAL: Ponto de Cultura Flor do Cascalho – (Morro do Cascalho/Morro das Pedras) Beco Marco Antônio, 250  – Grajaú – BH-MG  (próximo à Polícia Federal)

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO:
ATOS Central de Imagens – WWW.atosimagens.com.br
 

Geral – falecom@atosimagens.com.br – 4063-9822
Carem Abreu – carem@atosimagens.com.br – 9297-1582
Junia Bertolino – juniabertolino@yahoo.com.br – 9917-6762
Liliane Martins – Liliane@atosimagens.com.br – 8884-7476

CINEMA COMO INSTRUMENTO DE INCLUSÃO SOCIAL

NESTA SEMANA CAPOEIRISTAS DE BH ESTÃO GRAVANDO DOCUMENTÁRIO SOBRE A HISTÓRIA DA CAPOEIRA ANGOLA EM MG

Até domingo, dia 01 de março, 14 jovens capoeiristas da Associação Cultural Eu Sou Angoleiro (Acesa – Mestre João), oriundos de diversas vilas, favelas de BH e região metropolitana, estarão vivenciando uma nova perspectiva de atuação e capacitação em suas vidas: o cotidiano dos SETs de gravação do mundo audiovisual. É a etapa de GRAVAÇÃO da Oficina de Produção Audiovisual “Documentos de Si”, integrante do projeto “PAZ NO MUNDO CAMARÁ: a Capoeira Angola e a volta que o mundo dá”, da ACESA.

Idealizada e realizada pela ATOS Central de Imagens, a Oficina “Documentos de Si”  tem como objetivo propiciar a participação dos alunos no processo de gravação de um curta-metragem de 15 minutos. O curta é integrante do documentário televisivo “PAZ NO MUNDO CAMARÁ: a Capoeira Angola e a volta que o mundo dá”. Este filme recebeu em 2008 o prêmio Capoeira Viva (do MINC, um dos 6 projetos de MG contemplados) e obteve financiamento do Fundo Estadual de Cultura de MG. O objetivo primordial do projeto é realizar uma pesquisa aprofundada na Bahia, Rio de Janeiro, Pernambuco e Minas Gerais, sobre a história da Capoeira Angola no Brasil e sua utilização como instrumento de inclusão social e paz no mundo. O resultado dessa pesquisa será um documentário de 55min, que já tem exibição garantida no Canal Brasil e na TV América Latina, a realização da Oficina “Documentos de Si”, uma edição da Revista “Angoleiro é o que eu Sou” e a formatação do site www.eusouangoleiro.org.br

 

em portal.  Outro objetivo do projeto é, através da Oficina, potencializar as atividades culturais e a utilização dos equipamentos audiovisuais do recém inaugurado Ponto de Cultura Flor do Cascalho (Morro das Pedras), da ACESA, através da capacitação dos angoleiros para o mundo audiovisual.

{youtube}uTS0KcePBqw{/youtube}

Os alunos da Oficina de Produção Audiovisual possuem entre 14 a 30 anos e nunca tiveram experiências anteriores na área. Eles estão entrando no mundo do cinema para conhecer de perto a linguagem audiovisual e realizarem seu primeiro documentário. Por isso, desde outubro de 2008 estão aprendendo, com a orientação de profissionais que atuam no mercado audiovisual em BH, sobre roteiro, produção, direção, fotografia e tudo que é necessário teoricamente para se produzir um documentário. Nesta semana eles saíram da teoria e já colocaram as mãos na massa. Desde o último dia oito, os jovens estão gravando a etapa de MG do documentário global, sob o olhar de quem vivencia e pratica o tema abordado: a Capoeira Angola. As gravações já aconteceram em diversos pontos de Belo Horizonte, como a Comunidade da Pedreira Prado Lopes, na Sede do Grupo Meninos de Palmares, no Alto Vera Cruz e no Parque Municipal.

FINANCIAMENTO E PARCERIAS

FUNDO ESTATUAL DE CULTURA MG, BDMG, SECRETARIA DE ESTADO DA CULTURA, PRÊMIO CAPOEIRA VIVA 2008, FUNDAÇÃO GREGÓRIO DE MATOS, PETROBRÁS, CENTRO CULTURAL UFMG, CANAL BRASIL, TV AMÉRICA LATINA.

REALIZAÇÃO

ACESA- ASSOCIAÇÃO CULTURAL EU SOU ANGOLEIRO – Mestre João Angoleiro

ATOS Central de Imagens

III MOSAICO INTEGRADO DE CAPOEIRA

 

III MOSAICO INTEGRADO DE CAPOEIRA: CONSTRUINDO A UNIDADE NA DIVERSIDADE

Mais do que um sonho, o III Mosaico Integrado de Capoeira (MIC) é fruto de experiências articuladas por diversos grupos de Capoeira de Santa Catarina que ousaram realizar essa forma diferente de fazer um evento de Capoeira. A iniciativa coloca em prática – pelo terceiro ano consecutivo – a filosofia da Confraria Catarinense de Capoeira (TRIPLO-C), que é promover a integração e o intercâmbio entre praticantes de Capoeira de diversos grupos, no sentido de contribuir com o processo de democratização e socialização do conhecimento produzido em relação a esta manifestação da cultura afro-brasileira.

Participaram do III MIC os grupos Beribazu (Mestre Falcão), Camará Capoeira (Mestre K.B. Lera), Cordão de Ouro (Contra Mestre Habibis), Gunganagô (Mestre Kadu) e Irmão Capoeira (Contra Mestre Cascão). Seus integrantes já mantêm uma convivência significativa e o MIC é conseqüência direta desse convívio. A organização do evento certamente contribuiu para democratização das relações entre os grupos, abrindo possibilidades para novas formas de integração cultural.

 

III MOSAICO INTEGRADO DE CAPOEIRA

O Mosaico Integrado de Capoeira visa cumprir com seu objetivo de conclamar todos e todas capoeiras a se integrarem cada vez mais, difundir os trabalhos realizados pelas diversos grupos de Capoeira buscando contribuir para o desenvolvimento de uma consciência crítica em relação à necessidade de organização da comunidade da Capoeira. Nossas ações engajadas estão sintonizadas com experiências concretas cujas linguagens emanam de experiências em extensão e profundidade de sujeitos históricos situados no tempo e no espaço e moldam a forma como vemos e agimos no mundo, com o mundo e sobre o mundo, dando sentido às nossas vidas.

O evento iniciou com a Roda de abertura na sexta feira (14/11) à noite no Barracão da Capoeira da UFSC. No sábado pela manhã (15/11), a partir das 10h00min, aconteceu a Cerimônia de Batismo, realizada no Teatro da UFSC (Igrejinha). No mesmo local, às 19h00min foi dado prosseguimento à programação com a realização do Show Cultural e a Cerimônia de Graduação e Formatura de professores de Capoeira.

III MOSAICO INTEGRADO DE CAPOEIRAO Show Cultural do III Mosaico Integrado de Capoeira mostrou claramente como, com muita arte e manha, o que antes era motivo de sangue e castigo se transformou em Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil. Na oportunidade, além das apresentações com recursos multimidiáticos, foram encenadas algumas das diversas formas de linguagens que a Capoeira possibilita, como o Batuque, a Dança do Fogo e o Maculelê; apresentação de músicas (inéditas) de Capoeira com arranjos e instrumentos inusitados; Orquestra de Tambores; demonstração de uso de armas (facas, bengala e porretes) pelos capoeiras de outrora, e o emocionante jogo entre capoeiristas cegos.

Em seguida, a Roda de Graduação e Formatura de professores de Capoeira foi um momento de celebração ao verdadeiro espírito da Capoeira, onde o Ritmo, o Ritual e o Respeito caminhavam lado a lado com a malícia e a luta. Mestres, Contra-Mestres e Professores vindos de São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul e de toda Santa Catarina proporcionaram um espetáculo de malícia e camaradagem que jamais será esquecido.

  • Mestre Falcão – Grupo Beribazu
  • Mestre Kadu – Centro Cultural Gunganagô Capoeira
  • Mestre K.B. Lera – Centro Cultural Camará Capoeira
  • Contra Mestre Habibis – Grupo Cordão de Ouro
  • Contra Mestre Cascão – Grupo Irmão Capoeira

 

Fortaleza: CMF: Audiência Pública vai discutir a profissionalização da Capoeira

Com o propósito de discutir a profissionalização e a falta de apoio institucional para projetos relacionados à Capoeira, será realizada no Auditório Ademar Arruda, da Câmara Municipal de Fortaleza, uma Audiência Pública, no próximo dia 19, quarta-feira, às 14h30min. O requerimento foi feito pelo vereador Iraguassú Teixeira (PDT), que estará mostrando as dificuldades encontradas pelos profissionais da área.

Segundo o parlamentar, essa discussão será importante para a conscientização das autoridades em elação a profissionalização da arte. "A Capoeira conquistou o mundo por seu encanto e musicalidade. Por conseqüência, despontou no mercado de trabalho, onde tudo que é construído, é comercializado. Então, nesta audiência pretendemos discutir com os simpatizantes, instituições e a comunidade capoeirista, o tema que é de grande relevância, dada a evolução que a Capoeira tomou. Além de mobilizar a população em geral e as autoridades responsáveis, na conscientização da preservação da cultura da Capoeira e da luta pela profissionalização desta arte", afirmou Iraguassú.

Desde 1995, tramita na Câmara Federal, um projeto que visa a profissionalização. Porém o mesmo foi dado por encerrado no ano 2000. A iniciativa de regulamentar a Capoeira como profissão é do deputado federal Arnóbio Faria de Sá, de São Pulo.

Na nossa capital, a Lei Municipal n° 9.041/05, de autoria do ex-vereador, hoje deputado estadual, Ferreira Aragão, regulamentou a realização da Semana da Capoeira, comemorada entre os dias 19 e 25 de novembro. A Audiência Pública que discutirá a profissionalização da arte faz parte da programação da Semana da Capoeira.

Na Câmara Municipal de Fortaleza, a capoeira continua em pauta. No ano passado, o vereador Iraguassú Teixeira entrou com um projeto de indicação, que dispõe sobre a inclusão da capoeira na grade curricular na Rede Municipal de Ensino, entre as opções da disciplina de Educação Física nas escolas de Fortaleza. O projeto foi aprovado pela Câmara Municipal e já foi encaminhado para a prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins. Resta agora a aprovação da Prefeitura Municipal para que a Capoeira seja inclusa na grade escolar.

Assessoria de Imprensa

Maiores informações com Monalysa Alencar, pelos fones 9139-4176 e 3444-8346.