Blog

colégio

Vendo Artigos etiquetados em: colégio

Grupo “Capoeira Vip” convida cuiabanos para evento no colégio Presidente Médici

Fim de tarde. Pessoas saindo do trabalho, trânsito frenético, pontos de ônibus lotados, a cidade iluminada apenas pelos postes de luz. E em frente ao Colégio Presidente Médici, um tipo de rotina peculiar se desenvolve por volta deste horário.

Jovens, adultos, senhores, todos em frente à construção histórica andam de um lado para o outro ou ficam em rodas e grupos, seja esperando o transporte público, indo para casa, matando o tempo até uma apresentação ou participando do que podemos chamar de festa particular no posto do outro lado da rua. Mas no espaço redondo próximo a estrutura metálica precária que usamos como ponto de ônibus, um grupo com calças brancas, tocando berimbau, faz um tipo de dança, um tipo de luta, uma confraternização.

É o grupo “Capoeira Vip”, que em roda e cantando, praticam os movimentos harmônicos e sincronizados da capoeira. O que começou como uma arte própria dos descendentes de escravo agora convida a todos, independente de cor, classe ou ascendência para a sétima edição do “Fest Capoeira Vip”.

Neste sábado (23), com a presença de mestres que alcançaram a fama internacional, como Moreno e Juju, o grupo fará apresentações durante o dia todo, começando às 8h, no mesmo colégio onde praticam a capoeira. O evento também inclui oficinas sobre movimento e musicalidade da capoeira.

No período da tarde, com início às 15 horas, haverá show de maculelê, dança afro, dobradinha de berimbau com viola de cocho, roda de apresentações dos mestres de capoeira, formaturas e batizados.

O organizador do festival, professor Visk, acredita que a capoeira é uma arte que forma cidadãos e que hoje alcança todas as classes sociais. “Os festivais proporcionam maior credibilidade aos participantes da arte capoeira, mostrando ao público o passado, o presente e o futuro”, destaca.

A origem da capoeira

No século XVII, era costume dos povos pastores do sul da atual Angola, na África, comemorar a iniciação das jovens à vida adulta com uma cerimônia chamada n’golo (que significa “zebra” nalíngua quimbunda). 

Dentro da cerimônia, os homens disputavam uma competição de luta animada pelo toque de atabaques em que ganhava quem conseguisse encostar o pé na cabeça do adversário. O vencedor tinha o direito de escolher, sem ter de pagar o dote, uma noiva entre as jovens que estavam sendo iniciadas à vida adulta. 

Com a chegada dos invasores portugueses e a escravização dos povos africanos, esta modalidade de luta foi trazida, através do porto de Benguela, para a América, especialmente para o Brasil, onde se fixou a maior parte dos escravos africanos trazidos à América.
No Brasil, assim como no restante da América, os escravos africanos eram submetidos a um regime de trabalho forçado. Eram também forçados à adoção da língua portuguesa e da religião católica.

Como expressão da revolta contra o tratamento violento a que eram submetidos, os escravos passaram a praticar a luta tradicional do sul de Angola nos terrenos de mata mais rala conhecidos como “capoeiras” (termo que vem do tupi kapu’era, que significa “mata que foi”, se referindo aos trechos de mata que eram queimados ou cortados para abrir terreno para as plantações dos índios).

A capoeira ainda é motivo de controvérsia entre os estudiosos de sua história, sobretudo no que se refere ao período compreendido entre o seu surgimento e o início do século XIX, quando aparecem os primeiros registros confiáveis com descrições sobre sua prática.

Serviço

Fest Capoeira Vip
Local: Colégio Presidente Médici
Horário: A partir das 8h
Data: Sábado (23)
Entrada: 3Kg de alimentos não perecíveis.

 

http://www.olhardireto.com.br

Capoeira: o esporte da mente, do corpo, da alma e do coração

Se o papel da escola é educar e os princípios ultrapassam a sala de aula e envolvem respeito e coleguismo, tudo através de aulas de capoeira, os alunos do mestre Lindomar Nascimento Saraiva, que ensina o jogo no Colégio Hermann Spethmann, de Criciúma, estão no caminho certo para serem cidadãos do bem.

Eles ainda são bem pequenos. Mas a agilidade é de gente grande. São aprendizes com um sonho em comum, jogar capoeira. “É até difícil resumir os benefícios que a capoeira traz. O esporte desenvolve a habilidade motora, a elasticidade e ajuda a manter o equilíbrio, é preciso misturar atenção, habilidade, agilidade e ginga, pois acima de tudo, a capoeira é uma dança. Faz bem para a saúde, para o corpo e também para a mente e o coração”, explica Saraiva, que pertence ao Grupo Senzala. “Além da dança, nós ensinamos também princípios. O respeito é fundamental, seja ele na escola com os colegas, na aula de capoeira, ou em casa. O que eles aprendem aqui acaba refletindo no cotidiano de cada um”.

Enquanto os alunos praticam os primeiro passos, pais e mães acompanham de fora, orgulhosos, o desempenho dos esportistas. José Anselmo é o pai do Cristopher, de quatro anos, que pratica capoeira desde o ano passado. “A vontade de jogar partiu dele. Logo nos primeiros dias percebemos uma diferença no comportamento que ele tinha em casa. Incrivelmente ele melhorou o senso de disciplina e organização. Dou total apoio para que ele siga adiante. A prática do esporte é importante para o desenvolvimento dele, é fundamental para manter uma boa saúde”, atesta Anselmo. “Acho que ficou uma união perfeita, aquilo que eu e a mãe dele passamos em casa se junta ao que ele aprende aqui e assim ele cresce um cidadão com um caráter melhor”, complementa o pai.

A capoeira – A capoeira é um dos mais antigos esportes brasileiros, surgiu quando o país ainda era colônia de Portugal. Foram os escravos que criaram. Eles eram proibidos de lutar pelos seus senhores. Sendo assim, criaram uma espécie de “dança lutada”. Foi a maneira encontrada por eles de tornar os sofridos dias mais divertidos. Os negros vindos da África eram muito festeiros e gostavam de dança. Com a capoeira não esqueciam suas raízes e ainda cuidavam do corpo. Foi proibida no país por muito tempo, hoje é tradição no Brasil e conhecida no mundo todo. Sem música, não existe jogo, não existe dança e não existe capoeira. O som que acompanha o esporte é tocado no berimbau, um instrumento de corda de origem angolana que é considerado por alguns como um instrumento sagrado. Ele é reverenciado no início de cada luta e comanda o ritmo e o estilo de jogo. O berimbau vem ainda acompanhado do pandeiro e, muitas vezes, do atabaque. Sem contar nas palmas dos jogadores que ajudam no clima do jogo.

Saiba mais – Em Criciúma as aulas do Grupo Senzala são oferecidas pelo Colégio Hermann Spethmann, no Centro da cidade. É uma das atividades extracurriculares oferecidas pela escola. Podem frequentar as aulas os alunos da escola e a comunidade. Informações podem ser obtidas no colégio, ou ainda pelo telefone (48) 3437-8037

Colaboração: Ioton Neto/Comunicação Colégio Hermann Spethmann

http://www.engeplus.com.br

Festival Nacional de Capoeira em Joinville

Evento segue até sábado no Colégio Bom Jesus/Ielusc

O festival ocorre nas duas sedes do Colégio Bom Jesus/Ielusc. Às 19 horas, a instrutora Karlinha, do Beribazu, ministra uma oficina infantil. Nesta terça, no mesmo horário, é a vez do professor Britha e da instrutora Carol, do Grupo Quilombo Arte Joinville, levar a capoeira para as crianças. 

A partir da quarta-feira, as oficinas são exclusivamente para adultos, com Fumaça, membro do Grupo Candeias Joinville. O capoeirista Lélo, convidado de Florianópolis, encerra o ciclo de oficinas na sexta-feira.

O coordenador do Beribazu de Joinville, Francisco Ezídio do Nascimento, afirma que as práticas conduzidas por profissionais convidados é voltada para o aprimoramento dos capoeiristas e para aqueles que querem iniciar no esporte tombado como patrimônio imaterial da cultura brasileira. 

— Para os professores, o festival será uma reciclagem. Já para os alunos é um conhecimento a mais —, justifica.

Além dos oito grupos de capoeira de Joinville, também participam o Braço do Norte e Florianópolis.

O evento conta ainda com uma palestra do mestre Zulu, fundador do Grupo Beribazu no Brasil e na Inglaterra e Argentina. No encontro, o profissional vai falar sobre o ensino da capoeira nas escolas, mostrando a importância pedagógica da prática.

A programação encerra-se com apresentações dos grupos participantes, graduação – troca de corda – e batizado de capoeira para os praticantes que vão pegar a primeira corda. 

Para se inscrever nas oficinas, é preciso pagar taxa de R$ 10. A renda será destinada à compra de uniformes e instrumentos para o grupo joinvilense.

 

Fonte: http://www.clicrbs.com.br/diariocatarinense/

Aconteceu: 14 anos de Associação Brasileira de Capoeira Nação Dom Bosco

Dia 26 de abril de 2008, ocorreu o aniversário de 14 anos de Associação Brasileira de Capoeira Nação, no Colégio Dom Bosco em Porto Alegre.

O evento foi organizado pelo Mestrando Paulo Grande, e estiveram presentes seus alunos do colégio Dom Bosco, Maria Auxiliadora, Migrantes, dos projetos sociais Escola Aberta, na Vila Dique e o pessoal do Educandário São Luís, Além de pais e outros convidados. Como Padre Lino da Congregação Salesiana, que prestigiou o evento e ressaltou a importância do trabalho da capoeira na formação e trajetória no desenvolvimento dos alunos no colégio.

Também comemorando 14 anos de capoeira, estiveram presentes os Graduados Cabeleira e Coelho, que começaram com Mestrando Paulo Grande no mês de Abril de 1994 no próprio Dom Bosco.

{youtube}skpaIWdUoVY{/youtube}

A festa foi muito bonita e a empolgante os recém chegados trouxeram alegria e grandes promessas a Capoeira Nação.

Depois de uma roda muito descontraída, a comemoração foi na sala onde são feitos os treinos de capoeira com direito a bolo de aniversário, refrigerantes e muitos sorrisos!

Parabéns ao mestrando Paulo Grande pelo bonito trabalho no colégio Dom Bosco, aos Graduados Cabeleira e Coelho e as crianças que se divertiram e vivenciaram a capoeira!

Axé Nação…

Vila Velha – ES: 1º Fórum de Capoeira

 

1º Fórum de Capoeira começa nesta sexta-feira em Vila Velha

Três dias com aulões, rodas de capoeira e palestras. A programação faz parte do 1º Fórum de Capoeira de Vila Velha, que será realizado a partir desta sexta-feira (15), com a presença de mestres de capoeira de dentro e fora do Espírito Santo. As atividades vão acontecer na Tenda da Cultura e no Colégio Ateneu, em Coqueiral de Itaparica.

De acordo com o presidente da Associação de Capoeira Quilombo do Queimado, Cleber Vieira do Nascimento, o mestre Bininha, dentro das palestras serão abordados e discutidos temas como “A Capoeira do Espírito Santo” e “Ações das Secretarias de Cultura e do Ministério da Cultura”.

Confira a programação:

15/02 (sexta-feira) – 18h. Aulão de capoeira, com o mestre Buléia, de Belo Horizonte. Roda de capoeira com todos os grupos de capoeira que se apresentaram na Tenda da Cultura, nos meses de janeiro e fevereiro. Local: Tenda da Cultura (final da Orla de Itaparica, próximo à rotatória).

16/02 (sábado) – 19h. Aulão de capoeira, com o mestre Capixaba. Local: Colégio Ateneu (bairro Coqueiral de Itaparica, rua Professor Annor Silva 106 , que é a rua da UVV).

17/02 (domingo) – 10h. Encontro do Fórum de Capoeira com palestras do mestre Capixaba, de alguns secretários de cultura, parlamentares, mestre Merrinho de Caio, professor Pituca, professor Anderson.

 

 

Fonte: http://gazetaonline.globo.com/

Professor Busca Longe, de Pindamonhangaba para o Mundo…

Do interior de São Paulo para o mundo… O camarada Busca Longe, membro do Grupo de Capoeira Muzenza, vem se destacando no meio da capoeiragem, levando seu trabalho e sua capoeira para outras partes do globo, exaltando a nossa cultura e a nossa arte-luta.

Professor leva a capoeira pelo mundo

Em junho deste ano, Júlio César Farias, 31 anos, professor de capoeira do Colégio Novo Rumo, em Guarulhos, conhecido por Busca Longe, representou o Brasil em Taiwan, junto a outros sete capoeiristas

O apelido – que ganhou de um amigo de Pindamonhangaba – graças à flexibilidade dos movimentos largos – passou a ter outra conotação. "Fui divulgar a nossa arte para outras culturas pelo mundo. Além de ‘buscar longe, eu fui levar também", conta. Além de Taiwan, na China, o grupo passou por Joanesburgo, na África do Sul, e Hong Kong.

Busca Longe começou na capoeira em 1990, depois que foi convidado por um amigo, ainda em Pindamonhangaba onde nasceu, para assistir uma aula. Nunca mais abandonou a arte. Neste ano, foi destaque do Mundial de Capoeira, no Rio de Janeiro, quando ficou entre os cincos melhores. Entre as conquistas, está um campeonato interestadual, realizado em Presidente Prudente, no interior de São Paulo.

Arte criada pelos escravos africanos no Brasil, a capoeira é encarada como jogo que se disputa com a pessoa e não contra. "A capoeira foi criada pelos escravos como forma de expressar a ânsia por liberdade. Eles precisavam se defender dos opressores. Praticavam dentro de seus abrigos, sem que os senhores de engenho desconfiassem. Criaram uma luta com estilo de dança".

"Meu projeto em Guarulhos já tem 12 anos. Venho me especializando e trabalhando na atividade infantil. Como professor, encontrei muitas barreiras, já que algumas pessoas pensam que a capoeira é uma luta, que a criança vai se machucar. Mas não é isso. Para atuar no ensino infantil, você deve se especializar com cursos, palestras, workshops", conta.

No Colégio Novo Rumo, escola que considera excelente, Busca Longe encontra o local ideal para difundir sua cultura. "Tenho total apoio do colégio, dos parceiros de trabalho e dos alunos. Todo final de ano, realizo o batizado da capoeira. É uma festa, com mestres e professores. E simboliza a iniciação ao universo dessa arte", afirma.

Além de ensinar capoeira, Busca Longe também é artesão. Confecciona e vende instrumentos para capoeira, como o berimbau, angola e reco-reco. Tem clientes em vários países como Inglaterra, França e Itália, entre outros.

Benefícios

Busca Longe O professor destaca vários benefícios da prática da capoeira, como maior vigor físico, e disposição ao trabalho, para os adultos. Já as crianças são beneficiadas com as qualidades psicomotoras, a lateralidade (o lado esquerdo e o direito) e a coordenação motora. Ele cita que a capoeira está inserida na grade curricular das escolas municipais, estaduais, particulares e universidades. "Dá noções de cidadania, cultura, e história. No ensino fundamental, trabalha a formação do caráter, as qualidades psicomotoras da criança. Também impõe limites, já que a criança tem regras de conduta. E o melhor de tudo, elas aprendem de forma lúdica e prazerosa, já que – antes de mais nada – a capoeira é uma arte.

Fonte: Guarulhos Web – http://guarulhosweb.locaweb.com.br
Simara Souza/GuarulhosWeb – Fotos: arquivo pessoal

Leia mais sobre o Professor Busca Longe

Agenda – Goiás: “Vive Capoeira” começa hoje

A 10ª edição do Goiás Vive Capoeira tem início hoje, às 18 horas, no Clube Jaó. A previsão é de que cerca de 350 capoeiristas de Goiás, Distrito Federal, Bahia, Mato Grosso e São Paulo participem do evento, que tem apoio da Agência Goiana de Esporte e Lazer (Agel) e da Federação de Capoeira do Estado de Goiás. 
A organização é do contra-mestre Santiago Pereira Gomes, o contra-mestre Lacraia.
 
A programação do encontro, a partir das 18 horas todos os dias, prevê para hoje  torneio infantil, até 12 anos; sexta-feira, apresentação do Colégio Ciem (antigo Porto Seguro), as duas atividades com entrada franca. Sábado haverá abertura oficial do Torneio Olinverno, do Clube Jaó, com apresentação da entidade Terra Fértil, entrega de cordas.
 
O ingresso corresponde a um quilo de alimento não perecível.

CAPOEIRANDO 2007

CAPOEIRANDO 2007 Em Arraial do Cabo, o paraíso das praias do Rio de Janeiro, a antiga vila de pescadores, com todas suas belezas naturais.
 
Em Arraial o Cabo, além das aulas de CAPOEIRA, CAPOEIRA REGIONAL e ANGOLA.
 
Diferentes mestres, como de costume, as noites cariocas serão quentes e agitadas com luaus na Praia Grande e o samba da rapaziada. Em Arraial do Cabo ainda teremos passeios de barco pelas prainhas do Pontal do Atalaia, Gruta Azul, Praia da Marinha e Praia do Forno mais exposição de fotos de capoeira da Pimpa.
 

Varíos mestres do grupo Senzala e de outros grupos para estar passando toda a experiencia adquirida em varios anos de convivio com a nossa Capoeira.

Chegada (arrival): 17/01/07
Seminários (classes): 17 a 20/01/07
Encerramento (ends): 21/01/07
 
Locais:
Seminários – Colégio CIEP da Prainha;
Palestras – Centro Cultural da Prefeitura;
Rodas na Praça da Rodoviária 19h.
Classes: Dias 17 – 16h, 18 e 19 – 10 às 14h
Sábado 20/1 – 10 às 18h!
 
Capoeira Angola
Capoeira Regional
Maculelê
Percussão
Dança Afrobrasileira
 
Para se inscrever no CAPOEIRANDO 2007 – http://www.capoeirando.com.br

Ceará: Alunos e vizinhos do Colégio Filgueiras Lima aprendem capoeira

Alunos e vizinhos do Colégio Filgueiras Lima aprendem capoeira
 
40 crianças de 10 a 17 anos recebem aulas de história da capoeira e outros temas até instrução sobre diferentes modalidades, como maculelê e angola.Quarenta crianças e adolescentes, alunos do Colégio Municipal Filgueiras Lima e moradores do entorno da escola, têm uma atividade especial todos os fins de tarde, de segunda a sexta-feira. São aulas do Projeto Viver Capoeira, da Associação Palmares de Capoeira e Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Município (SDE). As aulas são dadas na quadra do colégio, que fica na Avenida dos Expedicionários, 3910, Jardim América.
 
Os alunos, de 10 a 17 anos, têm uma atividade diferente a cada dia da semana: de aulas teóricas de história da capoeira e outros temas até instrução sobre diferentes modalidades, como maculelê e angola. Uma vez por semana, a turma faz uma roda de capoeira, onde põe em prática as movimentações e os golpes aprendidos.
 
As atividades esportivo-pedagógicas oferecem às crianças e aos adolescentes mais que um espaço de lazer, mas também ocupação de tempo que dificulte o aliciamento da infância e da juventude da comunidade para práticas ilícitas. O projeto Viver Capoeira ainda incentiva os estudos, ao determinar que a participação dos alunos só aconteça com a aprovação do aluno no colégio.
 
 
http://verdesmares.globo.com
O Portal Verdes Mares faz parte do Sistema Verdes Mares de Comunicação e tem como principal objetivo a cobertura jornalística do Ceará.