Blog

desenvolvida

Vendo Artigos etiquetados em: desenvolvida

ACADA: Reeducando através da Capoeira

CONVITE ESPECIAL

Associação de Capoeira Arte e Dança Afro – Acada, têm a honra de convidar Senhor(a)para conhecer o Projeto Conhecendo a Escola na P1 no dia 16 de julho de 2010.

O Projeto Conhecendo a Escola tem por finalidade, mostrar aos reeducandos desta unidade o que acontece na Escola, entre o projeto de teatro, capoeira, CDI e os ensinos: Alfabetização, Fundamental e Médio. E também o encerramento do 1º semestre das atividades escolares.

Cada atividade desenvolvida na escola terá seu espaço para a apresentação, o foco principal é apresentar aos reeducandos, a nova peça de teatro desenvolvida na unidade que aborda o tema DST/AIDS, A Chegada de Marculino ao Purgatório. As atividades terão a apresentação da história da capoeira e de oficinas de capoeira, o CDI e a Escola apresentarão o que fora desenvolvido nesse semestre, através de murais como uma exposição de artes, e também com a apresentação do projeto com os monitores e alunos que estejam a fim de apresentar seus trabalhos, e por fim a peça de teatro. Assim poderemos atingir o objetivo de mostrar como funciona a escola o que é desenvolvido na mesma despertando interesses nos reeducandos para participarem da escola.

CRONOGRAMA:

9h30: Roda de Capoeira

11h30: Almoço.

13h00: CDI, ESCOLA.

13h30: Teatro: A Chegada de Marculino ao purgatório. (DST/AIDS)

.

* Obs Por Favor enviar o Nome completo e Rg Até Dia 8 de julho para participar

 

MARCÃO ACADA CAMPINAS CAPOEIRACADA: capoeiracada@hotmail.com

Pernambuco: Capoeira reintegra crianças e adolescentes especiais

Uma ação desenvolvida por grupos de Pernambuco está conseguindo reintegrar crianças e adolescentes especiais através da capoeira, que mistura dança, luta, música, cultura popular. Mas que também tem outra função muito importante. Desenvolvida no Brasil por escravos africanos e seus descendentes, é caracterizada por golpes e movimentos ágeis e complexos, utilizando os pés, as mãos, a cabeça, os joelhos, cotovelos, elementos ginástico-acrobáticos.

Além de um grupo da Universidade Católica de Pernambuco, a Unicap,  a  Associação de Assistência à Criança Deficiente, AACD do Recife, também está desenvolvendo um trabalho voluntário com a capoeira, fazendo a diferença no tratamento com crianças. Veja tudo isso aqui.

Fonte: http://pe360graus.globo.com/

Rondônia: Capoeiristas realizam encontro beneficiente

PORTO VELHO – Mais de 150 capoeiristas participaram do 1º Encontro de Capoeira de Rondônia. O objetivo foi arrecadar alimentos para ajudar crianças carentes em Rolim de Moura. Ao som do berimbau os participantes se revezavam na roda. No final da apresentação todos lutaram entre si.

O grupo memória capoeira chegou há pouco tempo em Rolim de Moura, e vem conquistando adeptos. Alguns alunos já passaram pela troca de cordão, uma espécie de ‘graduação’ que reconhece o progresso de cada aluno. A atividade independe de idade e sexo.

Herança africana

A capoeira é uma mistura de esporte, luta, dança, cultura popular e música, caracterizada por movimentos ágeis que exigem habilidade. Foi desenvolvida por escravos africanos trazidos ao Brasil, e se caracteriza por movimentos ágeis e complicados, feitos com frequência junto ao chão ou de cabeça para baixo, tendo por vezes uma forte componente ginástico-acrobático.

http://portalamazonia.globo.com/

     
Fonte: ESPORTE/RO – RC 

Brasilia: Câmara faz homenagem à capoterapia

Aproveitando a ocasião da II Conferência Brasileira de Capoterapia, realizada em Brasília, a Comissão de Direitos Humanos, Cidadania, Ética e Decoro Parlamentar da Câmara Legislativa realizou, nesta manhã, sessão solene em homenagem a essa terapia fundamentada nos princípios da capoeira.
A capoterapia utiliza elementos da capoeira adaptados para pessoas da terceira idade, respeitando as condições físicas e características psicológicas próprias dessa faixa etária, com ênfase nos abraços e cantorias entre os participantes. Essa metodologia foi criada e vem sendo desenvolvida pelo Mestre Gilvam, instrutor de capoeira e presidente da Associação Brasileira de Capoterapia e da Associação de Capoeira Ladainha.
 
De acordo com a deputada Erika Kokay (PT), a capoterapia é uma atividade que deve ser apoiada oficialmente, devido aos "ganhos inquestionáveis que traz para os idosos. Já ouvi depoimentos de pessoas que praticam a capoterapia e agora têm mais gosto pela vida, relatando, inclusive, a melhora de dores de cabeça, reumatismos, disposição física e principalmente a melhora da auto-estima e da inibição", afirma.
 
Para o idealizador da terapia, Mestre Gilvam, somente agora o trabalho é devidamente reconhecido pelo Poder Público. "Há mais de 20 anos que procuramos apoio e somente no governo Lula fomos ouvidos e, mais importante, conseguimos firmar parceria com o Ministério do Esporte", comemora Gilvam. "Também estamos contentes por ajudar os nossos capoeiristas, que em muitos casos precisavam sair do País para sobreviver de sua arte", acrescenta.
Serviço:
 
Oficina Aberta de Capoterapia. Brasília/DF
 
100 vagas gratuitas A Associação Brasileira de Capoterapia oferece 100 vagas gratuitas de Capoterapia DIAS: todas as quartas-feiras de 9 às 10h LOCAL: Universidade Católica de Brasília Bl. "G" Tag. Sul CLIENTELA: acima de 50 anos PROF.º: Mestre Gilvan O QUE É CAPOTERAPIA? É uma terapia utilizando elementos da capoeira adaptada para pessoas da terceira idade, respeitando a condição física, as potencialidades, os limites e as características psicológicas individuais da clientela. A metodologia da Capoterapia foi criada e vem sendo desenvolvida pelo mestre em capoeira Gilvan Alves de Andrade, baseado na experiência, estudos , congressos, oficinas e fóruns sobre a modalidade esportiva, onde a equipe de instrutores é aperfeiçoada. "Saúde não é tudo, mas tudo não é nada sem saúde. (Schopenhaver) Associção Brasileira de Capoterapia
 
Associação de Capoeira Ladainha e Associação Brasileira de Capoterapia –  Av. Hélio Prates, QNL 30, Conjunto A, Lotes 31/33, Taguatinga Norte.
Telefones: 3475-2511 / 3475-2160
E-mail: ladainha.capoeira@globo.com
Site: www.capoterapia.com

A ORIGEM DA CAPOEIRA DA BAHIA SEGUNDO MESTRE NORONHA

O trecho abaixo reproduzido (escaneado) dos manuscritos de Noronha confirma a nossa versão da origem do jogo da capoeira ou, como preferimos chamar, da capoeira da Bahia

Transliteração datilográfica:

…"PORQUER E NOSSO PREVILEGIO. ACAPOEIRA VEIO DA AFRICA TRAZIDA PELLO AFRICANO TODOS NOIS SABEMOS DISCO POREM NÏ ERA EDUCADA QUEM EDUCOR ELLA FAMOS NOIS BAHIANO PARA SUA DEFEISA PESSOAL QUE ESTAR NOIUS MEIOS ÇOCIAL PORQUE É O ESPORTE MAIS ATRAENTE DO MUNDO"…

Versão em linguagem corrente

"Porque é nosso privilégio. A capoeira veio da África, trazida pelos africanos; todos nós sabemos disto; porém não era educada. Quem educou ela fomos nós, os baianos para sua defesa pessoal, que está no meio social, por que é o esporte mais atraente do mundo"…

Comentários

Apesar da baixa escolaridade, Noronha, era inteligente, observador e arguto, como a maioria dos mestres e capoeiristas de sua época, observando, analisando, deduzindo e concluindo a propósito da sua grande paixão, a capoeira.
Inserido em ambiente de cultura predominantemente oral, repetia a tradição, sem deixar de indagar a credibilidade das informações, cotejando-as com sua experiência pessoal e tentando inclui-las no contesto da época.

A tradição oral brasileira associava, naquela época, a capoeira aos africanos, especialmente angolanos, por ser praticada pelas classes populares, especialmente portuários e marítimos, constituída em sua grande maioria por africanos, seus descendentes (puros ou mestiços), indígenas e brancos pobres, aculturados ou boêmios; porém o Mestre Noronha percebeu que os componentes locais que lhe emprestavam um cunho regional, nitidamente distinto das manifestações angolanas.
Assim é que, apesar de a reconhece-la como fundamentada em elementos originalmente africanos, a capoeira é orgulhosamente encarada pelo Mestre como desenvolvida pelos baianos nos seus aspectos mais nobres, aqueles que lhe dão conteúdo educacional, social e permitem aplicações práticas (aptidão física, defesa pessoal, terapêutica) e lhe emprestam identidade própria.

Concorda portanto, o Mestre com tese por nós desenvolvida no início dos anos quarenta, da origem reconcaveana da capoeira.