Blog

discussões

Vendo Artigos etiquetados em: discussões

Documento Final: I Seminário Baiano de Proposições de Políticas Públicas para a Capoeira

Prezados

Encaminhamos anexo o documento final, como resultado das sistematizações do I Seminário Baiano de Proposições de Políticas Públicas para a Capoeira, realizado nos dias 11 e 12 de dezembro de 2010, no Forte da Capoeira, na cidade de Salvador.

Esse seminário contou com a representação de 59 grupos e associações de capoeira de todo o estado da Bahia, além de pesquisadores e lideranças comunitárias entre outros demais interessados.

Esperamos que esse documento possa ser uma referência no sentido de contribuir com as discussões encaminhadas pelo IPHAN através do Pró-Capoeira, durante o seminário final previsto para acontecer em Salvador no ano de 2011.

Pedro Abib

Comissão Organizadora do Seminário

Alagoanos ressaltam importância da participação no FSM e Conneb

A participação de homens e mulheres de Alagoas no Fórum Social Mundial (FSM) e no Congresso de Negros e Negras do Brasil (Conneb), entre os dias 27 de janeiro e 1° de fevereiro foi marcada por discussões que fortaleceram os movimentos sociais do Estado. O ônibus que levou a comitiva alagoana para Belém do Pará reuniu representantes da ONG Anajô, da Marcha Mundial das Mulheres (MMM), do Movimento dos sem terra (MST), da Comissão de jornalistas pela igualdade racial (Cojira/AL), do Movimento Nacional de Meninos e Meninas de Rua, sindicalistas, entre outros, que vieram de vários municípios.
 
A coordenadora da MMM no Estado, Andréia Malta Brandão destacou a representação feminina no FSM, dizendo que todos os movimentos sociais que estiveram presentes buscam alternativas para construir um mundo melhor e que a Marcha não luta apenas pelo feminismo e sim, apóia outras causas, como o fim do neoliberalismo e do patriarcalismo, que segundo ela são bases do capitalismo, que exclui as pessoas.
 
“Reunimos cerca de 300 mulheres neste FSM e promovemos passeatas a favor da Palestina e do aborto, além de trocarmos experiências com companheiras de outros países, como Congo, França, Canadá, Argentina e Equador. Enquanto existir uma divisão sexual do trabalho não teremos liberdade e buscamos também apóio para as mulheres do Congo, que vivem submissas, são estupradas e mortas, durante a exploração dos recursos naturais daquele país. Vamos fortalecer as discussões em Alagoas, porque em 2010 a MMM vai realizar uma grande caminhada por São Paulo e Rio de Janeiro”, contou Andréia.
Segundo Maria Madalena da Silva – que foi delegada no Conneb e que faz parte da direção da ong Anajô – existe a necessidade do movimento negro alagoano realizar mais encontros, fortalecendo uma representação nacional, apesar de existir o Fórum de Entidades Negras de Alagoas (Fenal). “Foram indicados 10 delegados para o congresso em Belém, mas apenas 4 participaram. No Estado existem cerca de 50 entidades negras, mas em eventos nacionais sentimos um isolamento e precisamos sair dos guetos, principalmente porque representamos o berço dos quilombolas. Temos que realizar uma reunião com o Fenal para expor a situação”, lamentou.
O professor Jorge Luís Riscado, que coordena o projeto Afroatitude, da Universidade Federal de Alagoas disse que sua experiência nas comunidades quilombolas serviu para entender a importância do congresso. “Nas comunidades de Palmeira dos Índios e Batalha as pessoas moram em casas de taipa afastadas da cidade, por isso falta educação e saúde. É preciso disseminar e fortalecer essa discussão e no Conneb isso foi possível”.
Delegados alagoanos no Conneb: Maria Madalena (Anajô), Jorge Riscado (Afroatitude/Ufal) e Noelma Sandra (Unegro)
Já o Conneb, realizado simultaneamente ao fórum, contou com a participação de 250 delegados de entidades negras de todo o país, como a União dos Negros pela Igualdade (Unegro), o Movimento Negro Unificado (MNU), os Agentes de Pastoral Negros (Apns), o Conselho Nacional de Entidades Negras (Conen), entre outras. O próximo encontro será no Rio Grande do Sul, entre os meses de junho e julho deste ano.
FSM – dados gerais
A 8° edição do Fórum Social Mundial (FSM) reuniu 133 mil participantes de 142 países, entre eles 4.500 comunicadores credenciados, dos quais dois mil eram jornalistas, os mil artistas que se apresentaram em atos culturais e mais de 10 mil que trabalharam na organização, alimentação e em outros serviços, contando ainda com a presença de 1.900 indígenas de 190 etnias e 1.400 quilombolas (afrodescendentes de comunidades tradicionais), que levaram para o evento discussões e celebrações próprias. A próxima edição será em 2011, no continente africano.
 
Texto e fotos: Emanuelle Oliveira
Jornalista e integrante da Cojira-AL 

Projeto João e Maria Capoeira Angola e Cidadania

 

Acontece nesse domingo, dia 16 de dezembro, o encerramento do projeto social João e Maria Capoeira Angola e Cidadania – edição 2007, às 10h, na sede da Ong João Pequeno de Pastinha (Ong JPP), localizada na Rua Raimundo Vianna, Rio Vermelho. Promovido pelo Centro Esportivo de Capoeira Angola do Rio Vermelho (Ceca), a festa de encerramento do projeto João e Maria Capoeira Angola e Cidadania comemora mais um ano de atividades desenvolvidas para as crianças e adolescentes carentes, residentes no Nordeste de Amaralina. Durante o ano de 2007, mais de 70 jovens tiveram acesso a cursos gratuitos de Capoeira Angola, Inglês, Grupo de Estudo, Percussão, Informática, Flauta e Cine-CECA – sessões de cinema com filmes educativos e discussões ao final.

 

A programação do evento inclui apresentações simultâneas dando uma mostra do que foi apreendido durante os cursos. Além disso, Mestre Faísca, coordenador do projeto e responsável pela realização de trabalhos sociais na comunidade do Nordeste de Amaralina, também fará uma explanação sobre os resultados obtidos durante esses anos de atuação junto à conscientização social dessas crianças e adolescentes. Essa iniciativa também tem como objetivo proporcionar aos jovens possibilidades de inclusão social, dando-lhes ferramentas para superarem a desigualdade de oportunidades ao procurarem à inserção no mercado de trabalho.

Sobre o Projeto João e Maria Capoeira Angola e Cidadania

O projeto João e Maria Capoeira Angola e Cidadania encontra-se sem apoio financeiro de instituições publicas ou privadas, sendo, assim, mantido com recursos próprios. Na busca de alternativas, o Projeto João e Maria destina-se a crianças e adolescentes da comunidade do Nordeste de Amaralina e adjacência e tem como proposta: promover a inserção social destes jovens através da prática da Capoeira Angola e da Educação Cidadã, realizando ações associadas do apreender Capoeira Angola aliadas a discussões temáticas sobre Educação e Cidadania, de forma a possibilitar uma visão crítica da realidade e seu entorno.

 

Aliado à capacitação profissional busca-se com o projeto remediar o caos social da região, trazendo aos educandos a importância em se envolverem em ações edificantes. A marginalidade arrasta grande parte da juventude das periferias urbanas da cidade, resultado decorrente da desilusão quanto a melhores condições de vida. A educação deficiente limita os horizontes, realidade esta que o projeto busca modificar com as diversas ações educacionais realizadas. Vale ressaltar, por fim, que todo o trabalho é realizado por voluntários, não tendo a instituição nenhum parceiro que dê suporte financeiro às atividades citadas.

 

Projeto João e Maria Capoeira Angola e Cidadania

Contatos: Roberta Neri – 8133-4332

Umuarama celebra a igualdade racial

Mesa de discussões, apresentações culturais e palestras sobre racismo marcaram as discussões sobre a consciência negra em Umuarama

Umuarama e toda a Nação brasileira comemoram hoje o Dia da Consciência Negra, que é dedicado à reflexão sobre a inserção do negro na sociedade brasileira. Diversas atividades alusivas ao dia foram e estão sendo realizadas no município, entre mesa de discussões, apresentações culturais, palestras e outras. As atividades serão encerradas na quarta-feira com a eleição da Miss Beleza Negra.

Hoje, em comemoração ao O Dia da Consciência Negra será realizada apresentação de escolas de samba e capoeira na Praça Miguel Rossafa, além de comemorar o dia da consciência a data marca a morte de Zumbi dos Palmares, falecido há 312 anos.

Porém, o dia dos grandes debates foi ontem, com uma palestra sobre o racismo na sociedade e no espaço escolar. A palestra foi ministrada por Luiz Carlos Paixão da Rocha, secretário de Políticas Sociais da APP Sindicato e coordenador do coletivo da Igualdade Racial. Após a palestra os presentes realizaram um debate sobre o racismo.

Segundo a professora Maria Madalena Lopes de Lima, o racismo é algo que está embutido na consciência das pessoas e ainda vai precisar de muito tempo para isso mudar. “Quando estamos lecionando observamos formas de racismo vindo dos alunos, mas não é culpa deles. Como uma piadinha sobre negros, que os pais fazem em casa e isso vai se transformando em algo normal para as crianças”, disse Madalena.

A professora ressaltou que quando fala que trabalha em uma escola, logo a pessoa pergunta se é zeladora ou cozinheira. “Não estou desmerecendo a classe das zeladoras ou cozinheira, que fazem grande trabalho nas escolas, mas porque uma mulher negra não pode ser uma professora?”, indagou Madalena.

No período, às 13h30, o presidente do Conselho Estadual de Educação, Romeu Gomes de Miranda, explanou sobre a Lei 10.639-03 e sobre a Deliberação 04/06, que tratam sobre o ensino da cultura negra na formação da História do Brasil. E às 19h, apresentações artistas músicas, danças e capoeira finalizaram o dia de debates.

As comemorações serão finalizadas no dia 21, com a escolha da mulher negra mais bela, com o concurso Miss Beleza Negra, no Centro Cultural Schubert, às 20h. Estão participando do concurso 12 lindas mulheres que no final apenas uma irá representa a beleza da raça negra de Umuarama e região.

Fonte: Umuarama Ilustrado – http://www.ilustrado.com.br/

Encontro Europeu de Angoleiras

O primeiro "Encontro Europeu de Angoleiras" será realizado na pasco de 2006, na Cidade de Colônia, a Alemanha 
 

Jornal do Capoeira – www.capoeira.jex.com.br
Edição 52 – de 4/dez a 10/dez de 2005


Cresce no mundo todo, dia a dia,  o fascínio pela Capoeira, especialmente pela chamada Capoeira Angola, cada vez mais entendida e admirada, em grande parte pelo  excelente trabalho que as "angoleiras" vem realizando pelo mundo afora.
 
Não por coincidência, portanto, vem crescendo também os movimentos e as organizações comandadas por mulheres  capoeirísticas. Mais uma comprovação que a Capoeira, embora fascinante, está dentro da sociedade, pois, não apenas dentro da capoeira a mulher, pouco a pouco, vai assumindo posições de comando.
 
A história registra a presença de mulheres guerreiras na capoeira. Sem muita precisão mais registra. Mas, o que mais registra é a presença da mulher em posições subalternas, por exemplo, ajudando no coro das cantorias. Na maioria das vezes, entretanto, imperando apenas na cozinha…
 
A situação atual, como todos podem facilmente verificar, está bem diferente, com a mulher assumindo postos de comando, dentro e fora da capoeiragem. Na maioria dos casos com grande eficiência, como já se pode comprovar dentro do Mundo da Capoeira.
 
Isto é muito bom, não fazendo nenhum sentido negar esta nova realidade do mundo.
 
Ombreada ao homem, a mulher capoeira passou a militar também, impondo-se no cenário, nas rodas e nas discussões dos  temas nucleares dessa Arte Afro-Brasileira.
 
Até bem pouco tempo isto era inconcebível.
 
Aliás, a bem da verdade, esta inclusão feminina em si, tornou-se um dos principais temas nucleares das discussões capoeirísticas. Especialmente fora do Brasil,  onde as discussões são mais livres, menos preconceituosas, menos dogmáticas, bairristas  ou mercantis.
 
Um bom exemplo de organização da mulher capoeirista é o trabalho heróico do Grupo Nzinga que tem à frente as jovens mestras Janja & Paulinha, bem assessoradas pelo também jovem mestre Poloca. Fruto da participação totalmente ativista destas mestras foi criada há algum tempo a Rede Angoleira de Mulheres-RAM. Volto a ressaltar, mulheres são de RAM – read access memory – e homens são de ROM – read only memory –  assim aprendi em minha pós-graduação em Ciência da Computação!

Nova Seção!!! A Capoeira Iluminada

Estamos inaugurando uma seção, em parceria com Luiz Fernando Goulart, realizador do Filme : MESTRE BIMBA A CAPOEIRA ILUMINADA, que considero muito especial…
 
Esta seção será dedicada ao filme, aos membros da equipe técnica, aos participantes do filme…  aos grandes mestres… e a todos os capoeiristas que em breve poderão assistir a este fantástico filme…
 
Iremos contar causos, histórias e depoimentos que aconteceram durante as filmagens deste longametragem…
 
 
Também teremos a disposição do visitante uma galeria de fotos, com frames do próprio filme!!!
 
Outra novidade é a apresentação em primeira mão de pequenos  trailers do filme!!!
 
Mestre BimbaDentro de alguns dias estaremos abrindo um fórum de discussões que terá como principal finalidade discutir tudo relacionado ao filme de Luiz Fernando Goulart.
 
Venha conhecer um pouco mais sobre este fantástico lançamento do cinema nacional, dedicado a nossa Capoeira Iluminada!!!
Luiz Fernado Goulart: lgoulart@rio.com.br
Read More