Blog

évora

Vendo Artigos etiquetados em: évora

Évora, um novo capítulo na Capoeira. O verdadeiro encontro de Bambas!

Évora, um novo capítulo na Capoeira. O verdadeiro encontro de Bambas!

Um novo tempo… ou o resgate dos velhos tempos??!!

Após minha participação no último Nosso Encontro em Évora, incrível cidade medieval portuguesa, tombada e conservada com seu ancião estilo urbano, mantendo inclusive seus muros tradicionais da época, em setembro último (2017), me recolhi na expectativa de relatar o que vi e vivi naqueles dias que ali estive. Era um impasse que me colocava num dilema: ou o que eu vi estava completamente fora da realidade da capoeira atual, ou nós, lato senso da capoeira, estamos equivocados em algum ponto!

Pensei, pensei e repensei…!
O que está errado com a nossa Capoeira…!?
Évora, me trouxe uma felicidade e, ao mesmo tempo, uma angústia…!
Me fez perceber que estamos fazendo uma coisa errada, des-encaminhando nossa capoeira para rumos equivocados e provavelmente sem volta!

Mas demorei muito procurando a maneira certa de falar sobre isso…!
Não quero briga com nossos milhões de felizes jogadores de perna, hoje chamados de capoeiristas, espalhados pelos quatro cantos do Brasil, como também mundo afora!
Não quero criticar ninguém!

Quero apenas ser sincero e se possível útil a essa Arte Secular que abracei e que me abrigou em seu seio generoso de verdades, de mandingas e de tanta energia!

Estava ali, vendo aquela roda cheia de estrangeiros, em plena Praça do Giraldo, Centro de Évora, onde uma centena de pessoas disputavam, tanto a oportunidade de se expressar naquela roda, ou simplesmente assistir e se deleitar, com os jogos que iam acontecendo, contagiando a todos com sua beleza e, principalmente, com a emoção que despertavam…!

Emoções fortes rolaram…
Quedas incríveis…!
Entradas perfeitas e saídas competentes… no tempo milimetricamente certos…!
Havia algo que eu não via há longo tempo. E nem me considero tão antigo assim!
Havia um equilíbrio, uma verdade de roda e uma aceitação diferenciada pelo prejuízo que alguém levava durante os jogos!

Onde andaria esse espírito de jogo… que ninguém interrompe quando o jogo flui…?
Onde estariam esses nossos bambas de capoeira, que aceitam quando tomam um prejuízo e não se tornam – como se tornou comum – agressivos…!!?
Onde estariam nossas rodas de capoeira em que todos vibram com os jogos, mas não tentam desprezar quem levou desvantagem?

Eram muitas perguntas que me vinham.

Mas faltava uma questão básica:
o que havia de estranho em nossas rodas de capoeira desde o início da Capoeira Regional de Mestre Bimba, e essa realidade que estamos vendo proliferar nas nossas rodas…!!??

 

 

Algumas luas depois de minhas inquietações, eu finalmente entendi o que estava errado:

  • Estamos traindo a causa primeira que Mestre Bimba viu na capoeira, a da objetividade… do jogo efetivo… o jogo de resultado… o fim da capoeira estéril, falsa, sem força e sem expressão… vendida em qualquer esquina do planeta hoje… sem disciplina e sem profissionalismo!

Pois a verdade é que estamos vendo prosperar uma capoeira sem graça!
Estamos misturando nossa necessidade de nos expressar, de nosmostrar nas rodas, de uma forma tão sem sentido, que a maioria dos jogos não dura nem o tempo mínimo para acontecer alguma coisa: alguém já corre e compra…!! É como se a gente quisesse dizer: eu não jogo, mas não deixo ninguém jogar!!!!

Convenhamos…! Precisamos rever isso. Antes que seja tarde!!

Temos excelentes atletas na capoeira…!
Temos excelentes capoeiristas, mas esses que tem essa competência não têm oportunidade de fazer um jogo bonito… alguém compra em poucos segundos seu jogo!!

O que Évora me mostrou foi mais de uma centena de pessoas educadas, capazes de abrir mão de seu próprio ego, para assistir um bom jogo, reunidas num mesmo evento…!!

Vi mestres criativos e organizados, que não interrompiam um jogo bonito, que sabiam a diferença entre um jogo comum e um especial, cheio de magia, de efetividade e, para mim o melhor, o gol no jogo…! o resultado… ou pelo menos momentos de grande vibração…!!

O que vi também foi uma razão para estarmos perdendo tantos bons capoeiras para outras artes-marciais: não estamos permitindo que ninguém desenvolva um bom jogo de capoeira! Esses jogos são fundamentais para desenvolvermos nossa capacidade de obter resultados no nosso aprendizado!!

Também acontece que, ao apagarmos o brilho dos jogos de nossa capoeira, nos tornamos sem graça para a platéia. Jogamos para uma plateia alheia que vê uma roda de capoeira e a compara com todos os outros esportes radicas.

Quem não estiver me entendendo, prestem atenção nas rodas que acontecem pelos quatro cantos: nenhum jogo dura mais de 5 segundos… quando muito!!! Aí eu me pergunto: como vamos desenvolver nossa Arte se ninguém tem tempo suficiente para se manifestar…!? Sem poder fazer acontecer um jogo de decisão,  um jogo bonito??

Infelizmente estamos a cada dia perdendo o brilho de nossa Arte. E enquanto não revertermos essa situação a capoeira estará caminhando somente para o seu extermínio enquanto Arte e esvaziada de seus maiores conhecimentos: a Arte da Sobrevivência no meio de uma situação difícil…!

Depois de alguns meses em que estive naquela atmosfera de bambas do povo, sem estrelas, apenas capoeiristas de brilho, como deve ser, ainda sinto os ecos daqueles momentos e percebo que esse evento (2017) não foi um acidente. Isso se acumulou nos anos que Évora vem se tradicionalizando entre os que ali se refugiam, que se encontram e confraternizam em emoções e alegrias pulsantes, mesmo para os nossos capoeiristas europeus, tão serenos e racionais, eles também apreciam – quem não o faz!! – uma roda bonita, um jogo bonito, uma volta do mundo mandingada… uma boa Capoeira, sem sobrenomes… sem ninguém dominando os momentos da roda, a cantoria, os jogos, um verdadeiro celeiro de bambas, anônimos, só preocupados com uma única e exclusiva coisa: que a Capoeira possa descer ali, na milagrosa transcedência dos desiguais, dos diferentes, dos distintos, dos graduados e não graduados, transmutação de uma energia que se torna a verdadeira chama que todos buscamos para nossa arte, em paz, mas em seu pulsar mais sagrado, mais relutante contra essa hegemonia estéril que está tentando anular nossos fundamentos, transformando-os em regras estereotipadas, medidas pela espessura dos bíceps ou dos abdômens perfeitos…!

A roda é o lugar do mais fraco encontrar sua afirmação e sua emancipação enquanto ser igual, enquanto o portador da divina chama de Filho de Deus, que tantos pregam, mas tão poucos sabem o verdadeiro significado, na prática!

Roda também é o lugar do Mestre se encontrar em sua dimensão de respeito ao próximo, aos ancestrais, se conectar na dimensão mais profunda de sua alma. Receber a concessão do sagrado para encontrar sua entidade interior (como dizia o Mestre Decânio) e se manifestar no espaço comum de todas as almas e consciências.

Por isso tudo é que só posso afirmar, depois de contabilizar todos os prós e contras, verificar a efervescência de tantos eventos, cada um clamando por ser o melhor dos melhores, que o Nosso Encontro de Évora é uma dessas tradições que tem muito para ensinar a todos quantos tem a humildade de aprender.

Por isso que só nos resta panfletar essa rica experiência de todos quantos ali já percorreram:
Viva nossa Capoeira de verdade!!

Viva os capoeiristas que não estão permitindo que suas rodas se tornem estéreis e sem nenhum realismo!!

Viva Évora e sua capoeira de bambas de verdade!!!

 

IMG_20130912_203133.jpg IMG_20130914_194421.jpg IMG_20130914_192812.JPG IMG_20130914_182034.jpg IMG_20130915_120704.jpg IMG_20130915_115934.jpg

 


Évora: o Nosso Reencontro 2013

Nosso Reencontro

Évora 2013

Oficina Internacional de Capoeira
Local: Piscinas Municipais de Évora
Data: 12, 13, 14 e 15 de Setembro de 2013

 

 

 

Nosso Reencontro – Carta de Apresentação

Caros companheiros, mestres, contramestres, professores, alunos,
em 2009 fechamos um ciclo de dez anos do Nosso Encontro na linda cidade portuguesa de Évora.
Durante 2010 e 2011 a equipe organizadora esteve fazendo uma reflexão de como poderíamos manter o Nosso Encontro face as duras realidades patrocinadas pela crise econômica mundial.

Bom, em 2012 chegamos a conclusão de que poderíamos voltar a realizar o Nosso Encontro se adaptássemos um pouco certos detalhes importantes para a organização… O Nosso Reencontro foi mais uma vez um sucesso!!!

Então, com um “cheiro” de desafio no ar, convidamos a todos os participantes que estiveram conosco durante onze anos, a nos reencontrar, mais uma vez, em Évora numa edição especial do Nosso Reencontro 2013.

O evento vem de encontro ao desejo de muitos capoeiras que, independente da escola, estilo ou “bandeiras”, fizeram das oficinas internacionais de capoeira em Évora um local onde se praticou a boa capoeiragem, norteada por uma camaradagem flagrante e onde muitos começaram adolescentes e concluíram os onze anos como adultos.

Muitos que iam como alunos participantes foram nos últimos encontros, já portando suas graduações e estatutos de professores. Muitos se encontraram durante o evento e constituíram família e hoje já tem filhos, os quais, também convidamos para estar presentes.

Nos onze anos do nosso encontro, se praticou, acima de tudo, o resgate da capoeiragem antiga que não necessitava de rótulos e logótipos. Se produziu momentos que nos transportaram a tempos remotos onde o bom capoeira se apresentava através da sua expressão de jogo e através da sua interação com a própria roda, demonstrando sua competência pela ação e não pela fantasia de um uniforme.

A organização, sempre incógnita pela ausência dos seus nomes em cartazes e camisetas, chama mais uma vez todos vocês que, efetivamente, produziram o Nosso Encontro para realizar, em Setembro próximo, o Nosso Reencontro de Évora.

As informações pertinentes ao evento poderão ser encontradas nos seguintes sites:

http://portalcapoeira.com
http://nossoreencontro.portalcapoeira.com
http://www.facebook.com/groups/441609419187571/

Vamos fazer desse Reencontro um momento de exautação a nossa arte capoeira.
Nos vemos por la,
Forte axé pra todos,

Mestre Umoi.

{youtube}g8etMS4imOk{/youtube}

 

Depoimentos

“Encontros como esse, permitem um interessante diálogo e uma rica convivência entre os participantes, e mais do que isso, permite uma conscientização cada vez maior sobre a importância de se conhecer a capoeira com mais profundidade, de se respeitar sua diversidade, de compreender e valorizar as tradições dessa arte, sem ignorar as transformações pelas quais a capoeira também passa, pois capoeira é cultura e como tudo que é cultura, é dinâmico e se transforma constantemente. Por isso vale aqui lembrar novamente as sábias palavras de Saramago: “…defender o lugar do passado, sem negar o presente“.”

(Pedro Abib)


“A meu ver este encontro foi direcionado àqueles que realmente sempre acreditaram neste evento, que em 4 dias vê-se a União entre grupos como nunca se vê… e àqueles que se tornam curiosos de tanto ouvirem bem do “Nosso Encontro”. Este evento foi realmente mágico porque se viu bons capoeiras, com sorrisos e abraços, bons jogos, muito conhecimento e…Não há encontro como este. Palavras para quê? Posso dizer isto de boca cheia porque sou a aluna que nunca faltou a um evento de Évora desde 2000.”

(Iara Tiago)

“A cidade de Évora, cercada por uma beleza medieval e ao mesmo tempo contemporânea, é um lugar convidativo e hospitaleiro, de clima agradavel que se transformava durante os tres dias do “Nosso Encontro” na CASA DA CAPOEIRA.

“uma experiência fantástica e uma grande honra poder estar com pessoas que tem trabalhado com afinco e com o coração pela nossa arte capoeira e acima de tudo uma grande satisfação ter reencontrado grandes irmãos e conquistado novos amigos…”
Um encontro de PAZ e UNIÃO e muita capoeira!!! É assim que defino o “NOSSO ENCONTRO””

(Luciano Milani)

Évora: o Nosso Reencontro 2012

O Mestre Umoi foi um dos primeiros capoeiristas brasileiros a aportar em terras lusas para ensinar a capoeira. Nos tempos idos dos finais da década de oitenta a capoeira estava ainda em fase de implantação no continente europeu e em Portugal em plena gestação. Trabalhar com capoeira não era tarefa fácil, quase sempre o nome capoeira, em Portugal, era confundido com criação de galinhas e pouco ou nada se sabia sobre a nossa arte afro-brasileira.

Em finais da década de noventa surge um dos maiores e mais importantes encontros de capoeira de Portugal e da Europa, O nosso Encontro. Idealizado pelo mestre Umoi, o encontro era resultado da sua vivência fora do Brasi, e da ideia que lhe havia sido dada pelo Mestre Beija-Flor, um dos seus primeiros parceiros feitos nas incursões pela Europa. Foi assim que no ano 2000 surgiu O Nosso Encontro, num momento de grande eclosão da capoeira em toda Europa e em particular em Portugal, onde o grupo União na Capoeira, liderado pelo mestre Umoi, possuía sua principal inserção.

O encontro de Évora, como ficou carinhosamente denominado por muitos dos que ali passaram, preenchia uma importante lacuna na capoeira de Portugal que vinha crescendo em número de grupos e praticantes e se inseria num calendário europeu de eventos ao mais elevado nível. Por sua importância, o encontro de Évora começou a fazer parte do calendário europeu com eventos tais como O Encontro de Páscoa organizado na Holanda pelo Mestre Samara e o Summermeeting organizado na Alemanha pelo mestre Paulo Sequeira, bem mais antigos que o Nosso Encontro.

Para ser ter uma ideia da sua importância, em Portugal, era comum nos meses de verão nas conversas entre os capoeiristas, perguntar-se: E então pá!  Esse ano vais a Évora? Qualquer praticante em Portugal sabia que Évora era um momento mágico, especial, que se podia jogar com qualquer um independente da graduação ou grupo, tendo a certeza de que seria respeitado, que iria divertir-se com a capoeira, fazer amigos e restabelecer as energias para o ano seguinte. Poderia mesmo acontecer que, grupos que eventualmente possuíssem rivalidades, deixassem de lado as suas desavenças e de ambas as barricadas se fizessem alianças de amizade, e até de amor, uma vez que muitos casais ali se formaram.

O encontro, que teve em início no ano 2000, durou até o ano de 2009 e esteve parado durante dois anos. A parada, segundo os seus organizadores, deveu-se ao contexto de declínio no número de alunos, aos elevados custos que comportavam a presença de um corpo crescente de mestres, Contra Mestres e professores, mas também ao grau de dedicação intensa e voluntária que envolvia um grande esforço pessoal.

Por ocasião da sua décima edição, Pedro Abib, músico, capoerista, cineasta e professor universitário que esteve presente no ano de 2009, dedicou no site Portal Capoeira uma bela crónica onde ressaltou aspetos valiosos do Nosso Encontro tais como a diversidade, o respeito as tradições e a acomodação as mudanças que concernem a qualquer prática cultural.

 

Mesmo no contexto de crise e dificuldades Mestre Umoi e seus colaboradores lançaram mãos a reorganização do Encontro de Évora que correu entre os dias 13 e 16 de Setembro de 2012. Iara Tiago, aluno do Mestre e também uma das integrantes da organização, conta-nos com entusiasmo que participou em todas as edições do encontro :

A meu ver este encontro foi direcionado àqueles que realmente sempre acreditaram neste evento, que em 4 dias vê-se a União entre grupos como nunca se vê… e àqueles que se tornam curiosos de tanto ouvirem bem do “Nosso Encontro”. Este evento foi realmente mágico porque se viu bons capoeiras, com sorrisos e abraços, bons jogos, muito conhecimento e…Não há encontro como este. Palavras para quê? Posso dizer isto de boca cheia porque sou a aluna que nunca faltou a um evento de Évora desde 2000.” (Iara Tiago)

Quando lhe perguntei qual tinha sido para ela o melhor encontro, ela respondeu-me que o primeiro, por toda novidade que ele representava, mas também o último deste ano e que não havia como os separar. Perguntei lhe também sobre algum momento especial do evento, Iara Tiago destacou o jogo entre o Mestre Gêge e o professor Careca:

“Porque se vê dois tipos de capoeira completamente diferentes, e se notou realmente a mandinga nesse jogo. É bom ver que – nunca se esquecendo da corda que se traz na cintura – um professor mostrar, na sua pura manha e com todo o respeito, o jogo que tem a oferecer ao mestre. O mestre aceitando e percebendo o respeito, responde em “igual moeda” e assim se desenvolveu um jogo fechado mas lindo aos olhos de quem via. Os sorrisos e os avisos de quem vacilou seguidos de mais sorrisos num jogo de mestre com professor, é raro de se ver. Foi um bom jogo” (Iara Tiago).

 

No Reencontro de 2012 consta–se que participaram cerca de 76 praticantes e inúmeros grupos, entre os quais: Grupo União na Capoeira, Capoeira União, Grupo Internacional Raiz, Muzenza, Lagoa da Saudade, Gingarte, Arte Pura, Berimbau de Ouro, Centro Cultural Capoeira Baiana (Professor Careca), Nossa Filosofia, Reliquia Espinho Reimoso (prof. Fantasma), Grupo Amazonas da croácia, Arte Nossa Capoeira, Arte Polular, Porto da Barra e Grupo Terreiro.

Esperamos que sempre seja possível reedita-lo ao longo do tempo e ver gerações de capoeiristas cresceram no Nosso Encontro.

Salve o Mestre Umoi, Salve O Nosso Encontro, até para o ano.

 

Homepage

Évora – PT: Nosso Reencontro

Caro capoeira, mestre, contramestre ou professor,

se aproxima a data do nosso reencontro de Évora. Será nos dias 13, 14, 15 e 16 de Setembro e a ideia é fazer dessa data, um momento dedicado à capoeiragem que une, de forma não tendenciosa, as diferentes correntes existentes na arte da Capoeira.

Esse ano, teremos a presença do jornalista e escritor Mano Lima que estará, junto com o professor Luciano Milani, fazendo a cobertura jornalística do evento e lançando seu mais novo livro “Eu, Você e a Capoeira”. O Jornalista Mano Lima é o idealizador e escritor do Dicionário da Capoeira, já em segunda edição.

O mestre Ousado também estará presente lançando o livro que fala da sua trajetória na capoeira. O mestre Ousado, hoje, vive e trabalha em Singapura.

Teremos a participação de muitos capoeiristas do Leste Europeu, Europa Central, além dos já habituais participantes vindos de países mais próximos a Portugal. Contaremos também com uma delegação do Brasil dos Estados de São Paulo, Goiás e da nossa capital Brasília.

De Portugal, esperamos receber um número significativo que já abraça e encara o Nosso Encontro, como um evento feito por e para todos nós, sem a defesa de nenhuma estampa que simboliza alguma entidade.

Estamos reunindo esforços para termos, também, uma representação cabo-verdiana e angolana no nosso Reencontro.

Temos a confirmação, pra esse ano, de dois representantes asiáticos vindos de Singapura e de Macau. Isso será muito importante na medida em que teremos, unidos pela capoeira, representantes das Américas (Brasil e Canadá), Africa (Angola e Cabo Verde), Europa e Ásia.

Peço a você que realize a divulgação junto aos seus alunos e demais conhecidos capoeiristas, informando-lhes o endereço de inscrição online que dou à seguir: www.nossoreencontro.portalcapoeira.com


Com um abraço amigo, me despeço e fico na expectativa do nosso reencontro.
Umoi Souza

Évora, O Nosso Encontro

Foi com muito prazer que participei nos últimos dias 11, 12 e 13 de setembro, na bela cidade de Évora, na região do Alentejo em Portugal, de um encontro de capoeira muito peculiar e também muito especial. Não por caso, esse evento foi batizado de “Nosso Encontro” e chegou agora à sua décima edição.

São 10 anos de uma idéia que surgiu do Mestre Beija-Flor e tornada realidade através da competência e esforço do nosso querido Mestre Umoi, no qual mestres, contra-mestres, professores, alunos ou simplesmente “capoeiras” de Portugal e de vários países da Europa, se reúnem num local belíssimo, para se confraternizarem, trocarem idéias e experiências, jogar muita capoeira – de todos os estilos e matrizes – fazer samba e enfim, recarregar suas baterias para continuar na luta cotidiana pela preservação e valorização da capoeira, na qual todos ali estão firmemente envolvidos.

Évora é uma cidade muito antiga, com registros no século II D.C., provavelmente fundada pelos Celtas e depois conquistada pelos Romanos, que deixaram ali belíssimas marcas da sua civilização como o Templo de Diana, a Grande Muralha que protege a cidade ou o imponente Aqueduto. Posteriormente foi tomada pelos Mouros e depois reconquistada pelos Cristãos no século XII. A cidade tem algo de especial e logo na chegada, o visitante percebe uma certa “magia” no ar, o que levou o grande escritor português José Saramago a dizer que “…Evora é principalmente um estado de espírito, aquele estado de espírito que, ao longo da sua história, a fez defender quase sempre o lugar do passado sem negar ao presente”.

E é nesse belo e mágico lugar, que todos os anos acontece o “Nosso Encontro”, que além dos mestres que há muitos anos são responsáveis pela disseminação da capoeira em terras européias, teve como convidado especial o Mestre Plínio do Grupo “Angoleiros Sim Sinhô” de São Paulo, que fez uma palestra muito envolvente e esclarecedora, principalmente para os praticantes de outros estilos, sobre o universo da capoeira angola, suas tradições e peculiaridades. E demonstrou também suas habilidades de um bom sambista, entoando pérolas do Samba-de-Roda do Recôncavo Baiano, enquanto tocava o seu pandeiro, regado com aquela boa “espremidinha”, na qual tive o prazer de acompanhá-lo.

Encontros como esse, permitem um interessante diálogo e uma rica convivência entre os participantes, e mais do que isso, permite uma conscientização cada vez maior sobre a importância de se conhecer a capoeira com mais profundidade, de se respeitar sua diversidade, de compreender e valorizar as tradições dessa arte, sem ignorar as transformações pelas quais a capoeira também passa, pois capoeira é cultura e como tudo que é cultura, é dinâmico e se transforma constantemente. Por isso vale aqui lembrar novamente as sábias palavras de Saramago: “…defender o lugar do passado, sem negar o presente“.

Fica aí  a sugestão: em 2010, vamos todos à Évora !!!

Coluna: “Crônicas da Capoeiragem” por Pedro Abib

Mais um envolvente texto da Coluna Crônicas da Capoeiragem, sob a tutela do nosso grande camarada e parceiro, Pedro Abib, enfocando histórias, casos, experiências, opiniões, críticas, enfim, um texto de uma lauda sobre o universo da capoeiragem.

Évora: Mestre Umoi, Capoeira & “Nosso Encontro”

Nome do evento: VIII Oficina Internacional de Capoeira – Évora 2007 – “Nosso Encontro”

Data: 07, 08 e 09 de Setembro de 2007

Local: Piscinas Municipais de Évora

Convidado palestrante: Mestre Beija-Flor – Capoeira Paname – Paris

A OFICINA INTERNACIONAL DE CAPOEIRA, um fantástico encontro repleto de muita energia positiva, carinhosamente batizado de “Nosso Encontro”, acontece pelo oitavo ano consecutivo em Évora, região do Alentejo Português, para o qual tive a honra de ser convidado pela segunda vez para atuar como responsável pela comunicação social e é claro capoeirar bastante, é um deste acontecimentos únicos que marcam a nossa caminhada dentro do universo da capoeiragem…

A cidade de Évora, cercada por uma beleza medieval e ao mesmo tempo contemporânea, é um lugar convidativo e hospitaleiro, de clima agradavel que irá se transformar durante os tres dias do “Nosso Encontro” na CASA DA CAPOEIRA.

“uma experiência fantástica e uma grande honra poder estar com pessoas que tem trabalhado com afinco e com o coração pela nossa arte capoeira e acima de tudo uma grande satisfação ter reencontrado grandes irmãos e conquistado novos amigos…”
Um encontro de PAZ e UNIÃO e muita CAPOEIRA!!! É assim que defino o “NOSSO ENCONTRO”

Acesse o site do evento e garanta a sua participação: www.nossoencontro.net

Luciano Milani

Mestre Umoi Souza, Grupo União na Capoeira, coordenador e mentor da Oficina Internacional de Capoeira, convida a toda a comunidade capoeirística para a oitava edição deste grandioso acontecimento.
“Caros capoeiristas,
Axé a todos vocês.
Pelo oitavo ano consecutivo venho anunciar que nos preparamos para mais uma jornada de três dias de capoeira em Évora.
O Nosso Encontro, antes de ser um evento, é um conceito que tentamos partilhar com a capoeiragem que aparece para uma vadiação.
Não temos convidados. Temos o espaço aberto para a promoção da capoeiragem e do capoeirista aluno, professor, contramestre ou mestre.
Estes últimos são as grandes estrelas que fazem brilhar o nosso encontro. Integram um quadro de profissionais que durante o evento divide com todos nós seu conhecimento teórico-prático nos domínios da capoeiragem e dignifica o capoeirista menos experiente presente em momentos de formação, devidamente organizados pelos três dias.
Évora 2006: Mestre UmoiSendo assim, o nosso encontro não se torna um evento destinado a um mestre especial, a um grupo seleto de participantes ou a um seguimento de capoeira. Mas promove espaços onde capoeiristas de várias correntes possam se sentir à vontade para se expressar sob um clima de camaradagem e respeito recíprocos.
Nossas regras de participação são bem simples e fáceis de serem seguidas, pois fazem parte do cotidiano de todo cidadão equilibrado física e emocionalmente.
Na esperança de poder conhecer novos capoeiras e rever bons amigos, fica o desejo de um bom encontro para todos nós.
Axé.”
Umoi Souza
Coordenador

Aconteceu: VII Oficina Internacional de Capoeira – Évora 2006

O ano de 2006 tem sido um ano muito especial para nós do Portal Capoeira. O trabalho vem crescendo, a audiência aumentando e na garupa a responsabilidade e a consciência de que a coerência e a seriedade devem estar sempre presentes em nossas pautas…
 
A cada dia que passa estamos recebendo mais e mais visitas… os e-mails não param de chegar e diversas pessoas assinam o nosso livro de visitas para agradecer e elogiar o nosso trabalho…
 
Estamos firmando novas parcerias e angariando preciosos colaboradores para a nossa equipe…
 
Em Abril estive no Brasil onde tive a oportunidade de me fazer presente em diversos eventos, rodas e bate papos… Visitei ícones da Capoeira, garimpei material de qualidade para ser disponibilizado em nosso site e revi velhos amigos…
 
Mais um dos momentos mais especiais deste ano foi ter sido convidado para participar da VII Oficina Internacional de Capoeira, em Évora, Portugal. Tive dúvidas até a última semana… mais confesso que tal fato me deixava triste… seria preciso viabilizar muitas coisas para que esta viagem até Évora pudesse dar certo… conciliar trabalho, férias, filho… e capoeira… mais não podia deixar de lado um convite tão especial, feito por Mestre Umoi Souza, Grupo União na Capoeira, o grande responsável e mentor deste fantástico encontro, que carinhosamente foi batizado de "Nosso Encontro", que aconteceu pelo sétimo ano consecutivo em Évora, região do Alentejo Português, do qual tive a honra de participar como convidado e responsável pela comunicação social.
 
Tudo pronto, malas feitas, família reunida e lá vamos nós… Gisele, Lucca e Luciano com destino a Évora, cinco horas e meia de viagem separavam Mogadouro das terras mágicas de Évora, que durante os três dias do Encontro foi sem dúvida a CASA DA CAPOEIRA!!!
 
Mais de trinta profissionais da capoeira estavam reunidos e envolvidos dentro da mais puro espírito de camaradagem e união…
 
Uma coisa linda de ver e sentir…
 
Durante os três dias do evento estiveram presentes mais de 180 alunos das mais diversas nacionalidades, mais naquele instante, naquele ambiente isso nada importava… pois todos eram cidadãos do MUNDO… todos eram capoeiristas e falavam uma única língua: A da amizade e união…
 
{jgxtimg src:=[http://www.portalcapoeira.com/images/zoom/evora2006/viewsize/IMG_5056.jpg] width:=[150]}
Mestre Umoi cercado
de muito axé…
{jgxtimg src:=[http://www.portalcapoeira.com/images/zoom/evora2006/viewsize/IMG_5118.jpg] width:=[150]}
Os participantes no
Parque de Campismo…
{jgxtimg src:=[http://www.portalcapoeira.com/images/zoom/evora2006/viewsize/IMG_5130.jpg] width:=[150]}
Mestre Tucas, Careca, Milani,
Lucca, Mestre Nilson e filha

Clique para ampliar as imagens…
 
Um dos momentos mais produtivos do encontro foi a reunião de professores, contra mestres e mestres de Capoeira, onde todos tiveram a oportunidade de estar cara a cara em um franco e democrático bate papo onde diversos temas foram abordados, deixando no ar diversas reflexões positivas.
 
Para mim foi uma experiência fantástica e uma grande honra poder estar com pessoas que tem trabalhado com afinco e com o coração pela nossa arte capoeira e acima de tudo uma grande satisfação ter reencontrado grandes irmãos e conquistado novos amigos…
 
{jgxtimg src:=[http://www.portalcapoeira.com/images/zoom/evora2006/viewsize/IMG_5015.jpg] width:=[125]}
Mestre Saulo,
um grande ser humano…
{jgxtimg src:=[http://www.portalcapoeira.com/images/zoom/evora2006/viewsize/IMG_5062.jpg] width:=[125]}
Milani, cm. Pernalonga,
Gisele e Lucca
{jgxtimg src:=[http://www.portalcapoeira.com/images/zoom/evora2006/viewsize/IMG_5168.jpg] width:=[125]}
Roda de Capoeira
Coisa linda…

Clique para ampliar as imagens…

 
Vale ainda salientar a forma comprometida e a garra dos alunos participantes e seu notório amor pela capoeira!!!
 
Um encontro de PAZ e UNIÃO e muita CAPOEIRA!!! É assim que defino o "NOSSO ENCONTRO"
 
Um grande abraço a todos os participantes, membros da organização, e todas as pessoas que estiveram presentes em Évora!!!
 
Até o ano que vem….

 

Luciano Milani, Gisele e Lucca

{jgmedia file:=[http://www.portalcapoeira.com/images/zoom/Videos/2_Evora_2006.wmv] width:=[368] height:=[288] autostart:=[false]}
Roda Boa… Mestre Umoi e Mestre Nilson vadiando…
na bateria: Mestres Beija Flor, Pernalonga e Mestre Batata


Para ver mais fotos da VII Oficina Internacional de Capoeira – Évora 2006, clique aqui

 
DADOS ESTATÍSTICOS DA VII OFICINA INTERNACIONAL DE CAPOEIRA – ÉVORA 2006
 
1. Grupos de Capoeira participantes: 34
 
2. Alunos inscritos:
 
– Alemães…………..17
– Noruegueses……..11
– Finlandeses……….02
– Espanhóis…………31
– Canadianos……….01
– Brasileiros…………03
– Húngaros…………..01
– Ingleses…………….06
– Suecos……………..01
– Portugueses………108
 
– Total……………………181
 
Obs.:  103 masculinos 
            78 femininos
 
Participantes não pagantes:
 
3. Coordenação…………………7
4. Convidados…………………37
 
     Total………………………….40
 
Obs.: 36 masculinos
            4 femininos
 
Total de participantes……..221
 
Obs.: 139 masculinos
            82 femininos
{jgmedia file:=[http://www.portalcapoeira.com/images/zoom/Videos/1_Evora_2006.wmv] width:=[368] height:=[288] autostart:=[false]}
Roda Évora
 

Portugal: Mestre Umoi – VII Oficina Internacional de Capoeira

O mes de Setembro está sendo marcado por vários eventos relevantes para a comunidade capoeirística e um destes grandes e bem organizados eventos é sem dúvida o "Nosso Encontro", forma carinhosa como foi batizado o evento organizado pelo Mestre Umoi, Grupo União na Capoeira, que neste ano está em sua sétima edição.

A oficina Internacional de Capoeira acontece em Évora, uma região linda de Portugal que nesta época do ano tem um clima bastante quente, a boa notícia é que o evento ocorre nas piscinas municipais de Évora (um santo remédio para o verão Europeu) e toda a infraestrutura e acomodações são de ótima qualidade.

Este ano o evento terá vários convidados e presenças especiais, alguns de meus grandes camaradas, capoeiristas sérios e competentes estarão por lá,  faça como eu (à convite de Mestre Umoi, um grande parceiro, estarei presente neste evento), venha conferir este evento e investir em sua formação dentro da capoeiragem!!!

Luciano Milani


VII Oficina Internacional de Capoeira – Évora 2006 – “Nosso Encontro” 

Data: 08, 09 e 10 de Setembro de 2006

Local: Piscinas Municipais de Évora

 

Informações gerais do programa: http://www.grupouniao.com
 Quatro níveis para se inscrever: Iniciante, Intermediário I, Intermediário II e Avançado. 48 horas de Aulas divididas em módulos de 1(uma) hora por sessão; 24 horas de Roda divididas pelos três dias que decorrem o encontro sendo 2(duas) Rodas por dia para cada nível no mesmo horário não impedindo de, durante os módulos de aulas, o responsável, também, fazer roda em seu horário de aula.

    Programa:

    HorárioSextaSábadoDomingoobservações
    09:00 – 10:00Aulas 4 níveis   
    10:00 – 11:00Aulas 4 níveisAulas 4 níveisAulas 4 níveis 
    11:00 – 12:00Aulas 4 níveisAulas 4 níveisAulas 4 níveis 
     
    12:00 – 13:00
     
    Quatro Rodas
     
    Quatro Rodas
     
    Quatro Rodas
    Um mestre coordenador para cada uma das quatro Rodas
    13:00 – 14:00    
    14:00 – 15:00    
    15:00 – 16:00    
     
    16:00 – 17:00
     
    Aulas 4 níveis
     
    Aulas 4 níveis
     
    Aulas 4 níveis
    Um mestre coordenador para cada uma das quatro Rodas
     
    17:00 – 18:00
     
    Quatro Rodas
     
    Quatro Rodas
     
    Dança Africana
    Um mestre coordenador para cada uma das quatro Rodas
     
    18:00 – 19:00
      Roda final de mestres e agradecimentos 
    19:00 – 20:00Reunião de M. C.M. e Prof. See you next year… 
    20:00 – 21:00    
    21:00 – 22:00Roda P.GiraldoSurpresa,  Palestra e Festa  
    22:00 – 23:00    

    É muito importante que sejam observados os devidos cuidados com limpeza do local de acampamento, silêncio a partir das 22:00 e cuidados com fogo ou cigarros acesos. 

VI oficina internacional – évora 2005

Companheiros capoeiristas,

Finalmente, tá chegando o Nosso Encontro.

Me alegro mais uma vez em lançar o desafio de mais uma oficina.

Nos dias 09. 10 e 11 de Setembro estaremos realizando nosso sexto encontro nas piscinas municipais de Évora e vocês, que fazem esse encontro ser efectivamente o "nosso", ficam, desde já, intimados a juntarem- se a nós mais uma vez.

Como falei na minha carta passada, eu considero o Nosso Encontro, uma homenagem que todos juntos prestamos à capoeira praticada em Portugal e um espaço onde os grupos em Portugal se juntam, confraternizam e passam um bom tempo, um bom final de semana, dão e recebem, trocam conhecimentos, saindo todos, alunos, professores, contramestres e mestres mais realizados enquanto capoeiristas que somos.

Teremos nossa, já conhecida, Roda na Praça do Giraldo, aulas de capoeira ao lado das piscinas, aulas de danças, vendas de materiais de capoeira, muita animação, festa no Sábado à noite, cine-capoeira, muitas rodas e nossa conversa final onde poderemos ouvir e conversar com os mestres, contramestres e professores presentes.

Read More