Blog

fazendo

Vendo Artigos etiquetados em: fazendo

A Evolução da Capoeira no Mundo

A Evolução da Capoeira no Mundo: Caminhos de “esterilização” da arte para “fertilização” do negocio

O reconhecimento da capoeira na atualidade se depara com seu mais difícil paradigma, pois a mesma precisa conviver com um processo de transformação que, na maioria das vezes, só justifica-se por parâmetros que negligenciam princípios de ancestralidade, oralidade, aprender fazendo, dentre outros, que são encarados por seus praticantes como ultrapassados e/ou utilizados unicamente nos discursos eloqüentes dos “tiranos comandantes“ disfarçados de mestres. Neste sentido, nos propomos a refletir sobre algumas questões que tentarão nos aproximar de alternativas para dialogarmos com a tão famigerada “evolução“ da capoeira, apelidada em nosso tempo equivocadamente de Capoeira Contemporânea.

Inicialmente quero tratar especificamente da terminologia, que já de inicio apresenta-se erroneamente, pois faz referencia, considerando a grande maioria de capoeiras de senso comum, a um estilo que se distanciaria da Angola e da Regional, propondo uma mescla dos dois estilos anteriores, mesmo convivendo no mesmo período histórico, ou seja, representando uma pretensa evolução técnica e etc. Assim, se desta forma for encarada, seu nome correto talvez devesse ser Capoeira Futuro, Avançada, Espacial…..  Sei la….  E não Contemporânea, pois isso representa algo que convive em mesmo período.

Um outro ponto contraditório apresenta-se quando definimos esta nova capoeira “moderna“ como algo inusitado, futurístico, pois sua própria origem esteve sempre atrelada no discurso de que a mesma foi forjada a luz da Angola e da Regional baiana e sendo assim, o correto seria dizer que a mesma simplesmente tentou juntar o que vivia separado, fato que representaria uma grande incoerência, pois sabemos que quando investigamos a capoeiragem mais detalhadamente e criticamente, percebemos que o trabalho capitaneado por Bimba e por Pastinha possuíam muito mais semelhanças do que diferenças, pois os mesmos foram fruto da historia de um determinado local em um tempo especifico.

Sobre a técnica desta capoeira evoluída, o que temos visto são conseqüências desastrosas, considerando o grande numero de lesões, a violência com pouca belicosidade e ainda as atrocidades com relação à biomecânica dos movimentos, pois estes alem de não respeitarem os limites articulares e fisiológicos, ainda propõem uma pratica completamente distanciada da estética ancestral da capoeira, visto que os capoeiras deste estilo “evoluído“ mais se aproximam de ginastas ou acrobatas de circo com pretensões de luta, transformando o jogo em um espetáculo grotesco, pois não conseguem fazer bem nem a ginástica nem tão pouco a luta.

A musicalidade na capoeira tem papel fundamental, pois dela se desencadeia boa parte do processo “ritualístico”, ou seja, é a partir da musicalidade que os movimentos são executados, os instrumentos são tocados e as cantigas entoadas, contudo atualmente nos grupos intitulados de Capoeira Contemporânea, observamos uma linearidade melódica que não contempla as variantes ancestrais africanas, com letras ceifadas de seu conteúdo para reflexão, que já não cumprem tão bem o papel da oralidade e sua documentação da historia humana por contos e cantigas. Assim temos percebido que os instrumentos e as cantigas pouco a pouco tem perdido sua função ritual na roda, pois os praticantes alem de não valorizarem e desenvolverem esta parte do aprendizado, não conseguem decodificar a influencia da musicalidade na pratica, negligenciando o papel fundamental desta no desenvolvimento da roda.

A ladainha não arrepia mais, o cantador não se emociona, as cantigas não tratam do universo simbólico da capoeiragem e ainda a forma de cantar tem sido “plastificada“ e embalada para vender, criando um exercito de cantadores “copias de alguém famoso“, e se não bastasse isso, as pessoas ainda não conseguem perceber que o mesmo acontece por toda parte no modo de produção capitalista, pois todos querem parecer com os modelos vendidos pela mídia, idiotizados pela propaganda e aumentando o lucro dos “grupos produto“, como um grande Big Mac vendido na esquina de qualquer grande centro.

Em relação aos aspectos filosóficos, temos nosso maior abismo, basta observar os bonecos de vídeo game que representam os capoeiras, sempre musculosos, com movimentos robóticos, com uma negritude estereotipada, e ainda com golpes previsíveis e não característicos, negando os fundamentos difundidos pelos antigos mestres da Bahia.

Soma-se também a este conflito simbólico uma serie de situações organizacionais nos grupos de capoeira, aproximando-os administrativamente de empresas e distanciando cada vez mais das praticas humanas e necessidades da capoeiragem em sua trajetória, pois os mestres se transformaram em patrões, as rodas em shows, o conhecimento em produto de venda, as pessoas em números de matricula e sua filosofia em trabalhos acadêmicos de pessoas que nunca sujaram as mãos fazendo Au…..

Lamentável, mas esta tem sido a realidade que tenho encontrado em muitas partes do mundo em nossas viagens com a capoeira, e para piorar, se não bastasse tudo isso, tenho percebido, com o passar dos anos, que os poucos cabelos que ainda me restam estão ficando brancos e que a grande parte dos capoeiras acreditam que nossa arte esta em seu curso natural, como se alguma força alienígena controlasse estas mudanças, não sendo necessário refletir sobre as mesmas e só segui-las.

Quero propor com estas palavras, que não são verdades absolutas e sim um desabafo ingênuo de um capoeira da Bahia, que existem sim alternativas e estas estão ao alcance de todos aqueles que investigarem a matriz ancestral da capoeira e seus representantes mais antigos, observando a forma como jogam, sua fala, como lidam com os instrumentos, seus códigos filosóficos e acima de tudo como vivem, mesmo não fazendo parte do espetáculo futurístico da Capoeira Contemporânea.

Sugiro uma busca na década de trinta e seus princípios metodológicos para trato com a Educação Física, pois la encontraremos as bases desta dita capoeira evoluída, comprovando que a mesma não possui nada de moderno e sim uma adaptação mal feita para na atualidade atender as demandas do capital, considerando a dicotomia corpo/mente e o processo de adestramento pelas seqüências de ensino idiotizantes, atrofiando o senso critico e favorecendo o negocio dos mega grupos e seus mestrões.

Despeço-me pedindo força ao Grande Arquiteto do Universo e perdão pela possibilidade de minhas palavras ofenderem camaradas ainda não despertos para as armadilhas desta capoeira mercadorizada, espetacularizada e muito distante das necessidades de aprendizado para evolução da humanidade.

“Pedras no caminho? Guardo todas, um dia vou construir um castelo…”
Nemo Nox

Jean Adriano Barros da Silva
www.guetocapoeira.org.br
Tel: 55 71 8109 2550 / 3363 4568 / 3366 4214
75 9168 7534 / 75 3634 2653
Bahia – Brasil

Pesquisa sobre Capoeira

Buscando colaborar e fomentar os estudos e pesquisas que envolvem a nossa capoeiragem e todas as suas manifestações correlatas, o Portal Capoeira, se coloca ao lado de todos os pesquisadores, docentes e profissionais envolvidos neste contexto e deste modo, nosso camarada Diogo Marinho, nos apresenta sua pesquisa e pede nossa ajuda para poder completar este importante trabalho.

Luciano Milani

 

PESQUISA SOBRE CAPOEIRA

Saudações Capoeiras!

Estamos pesquisando a capoeira em quatro capitais do Brasil: Florianópolis (SC), Curitiba (PR), Rio de Janeiro (RJ) e Salvador (BA), este trabalho irá compor uma dissertação para o mestrado em Patrimônio Cultural e Sociedade da UNIVILLE.
Necessitamos de um grande número de participantes para que a pesquisa tenha validade, para tanto, pedimos para que praticantes de capoeira, de ambos os sexos, maiores de 18 anos, de qualquer grupo/associação/estilo e de qualquer graduação/nível de capoeira destas capitais, participem.

O objetivo desta pesquisa é identificar as representações sociais sobre a capoeira através de seus agentes (Mestres, Contra-Mestres, Prof.º e alunos). Basta enviar seu e-mail para diogomarinho_ef@yahoo.com.br , que lhe enviaremos o formulário de pesquisa e maiores informações.

Por favor, colaborem! Estou fazendo a minha parte, estudando e defendo a capoeira no meio acadêmico, faça você também a sua! Muito obrigado,

AXÉ!

Diogo Marinho – (Mestrando em Patrimônio Cultural e Sociedade/ pesquisador)

Para acompanhar a pesquisa ou entrar em contato, acesse as redes sociais:

http://www.orkut.com.br/Profile?uid=8170367735573038901&mt=2

http://www.youtube.com/watch?v=inoRkwJ-zEk

http://www.facebook.com/event.php?eid=165488306839403

http://twitter.com/#!/diogomarinhocap

http://pesquisadorcapoeira.blogspot.com/2011/02/pesquisa-sobre-capoeira-representacoes.html

Capoeira que vence a deficiência

Morador do Morro dos Macacos, em Vila Isabel, Sebastião Silva Gabriel, de 30 anos, conhecido por todos como Tião, acaba de entrar para o elenco oficial do Unicirco Marcos Frota, que se apresenta até dezembro na Quinta da Boa Vista. O artista, que tem paralisia cerebral e cadeirante, faz parte do grupo de capoeiristas acrobáticos do circo.

O convite veio após Marcos Frota ver Tião jogando capoeira. O próprio ator e empresário o chamou. Vencer as limitações impostas pela deficiência é a especialidade de Tião. Ele estudou em escola comum, terminou o ensino médio e chegou a prestar vestibular. Como não passou, está fazendo curso para tentar a prova novamente:

— Quero cursar Serviço Social, mas não sei como ficam as coisas agora que integro a equipe do circo. Tenho que ver minha agenda.

Ciente de que é um exemplo de vitória e inclusão social da pessoa com deficiência, Tião explica de maneira simples como conseguiu vencer na vida.

— O segredo é não pensar, só viver. Se pensar na dificuldade, a pessoa não consegue nada — afirma.

 

Fonte: http://oglobo.globo.com/rio/bairros/

Professor de capoeira é preso fazendo sexo com aluna de 10 anos

ABUSO: Foi com enorme repulsa que recebemos a notícia da prisão em flagrante do Mestre de Capoeira, Ailton Leonardo da Silva (Mestre Careca), de 54 anos, por crime de carater sexual contra uma de suas alunas com apenas 10 anos de idade

Fica a matéria retirada do conceituado Jornal do Estado do Rio de Janeiro: O Globo (Ver texto original) para que nossa comunidade reflita e comente sobre o terrível acontecimento que infelizmente acontece em nossa sociedade não só nas academias de capoeira mais em todos os lugares imagináveis, até nos menos suspeitos…

Luciano Milani

Professor de capoeira é preso fazendo sexo com aluna de 10 anos (O Globo)

RIO – Um professor de capoeira foi preso na noite desta sexta-feira ao ser flagrado fazendo sexo com uma de suas alunas, de apenas 10 anos, dentro do carro, na Avenida Meriti, em Vicente de Carvalho, na Zona Norte. Ailton Leonardo da Silva, de 54 anos, foi abordado por policiais do 16 BPM (Olaria) no momento em que a criança praticava sexo oral.

Segundo o delegado Felipe Curi, que registrou o caso na 22 DP (Benfica), o professor dá aulas de capoeira no condomínio da vítima, também em Vicente de Carvalho. Ele convidou a menina para ir a uma lanchonete e, no caminho, começou a aliciá-la. Pressionada, a menor concordou em praticar sexo oral.

Ailton responderá pelo crime de estupro de vulnerável (antigo atentado ao pudor) e, se condenado, ficará de oito a 15 anos na cadeia.

Fonte: http://oglobo.globo.com

Pernambuco: Capoeira reintegra crianças e adolescentes especiais

Uma ação desenvolvida por grupos de Pernambuco está conseguindo reintegrar crianças e adolescentes especiais através da capoeira, que mistura dança, luta, música, cultura popular. Mas que também tem outra função muito importante. Desenvolvida no Brasil por escravos africanos e seus descendentes, é caracterizada por golpes e movimentos ágeis e complexos, utilizando os pés, as mãos, a cabeça, os joelhos, cotovelos, elementos ginástico-acrobáticos.

Além de um grupo da Universidade Católica de Pernambuco, a Unicap,  a  Associação de Assistência à Criança Deficiente, AACD do Recife, também está desenvolvendo um trabalho voluntário com a capoeira, fazendo a diferença no tratamento com crianças. Veja tudo isso aqui.

Fonte: http://pe360graus.globo.com/

Bahia: Criança também pode entrar na roda

Professores trocaram de posição durante a oficina de metodologia da capoeira infantil, realizada, terça-feira, por Jorge Luiz de Freitas, o mestre Piriquito. Graduados do Brasil e do exterior foram alunos por um dia durante o curso realizado no anexo do Forte Santo Antônio. O evento faz parte da programação do Festival Internacional da Arte Capoeira na Bahia.
 
Na aula, mais de 60 professores aprenderam métodos de ensino adequados para as crianças. A capoeira é uma atividade vista com certa desconfiança pelos pais, por usar golpes que podem ser violentos, e, por esse motivo, todos os movimentos são adaptados para crianças. Dos 3 aos 6 anos, os alunos recebem instruções especiais e, a partir dessa idade, os exercícios já são os mesmos dos adultos, só mudando a didática.
 
O professor Jorge Luiz lembrou da importância de fazer com que as crianças não apenas reproduzam os movimentos, mas que passem a entender o que estão fazendo. Como exemplo, citou um golpe que nenhum dos professores que participavam do curso sabiam dizer a origem e o motivo do nome. “A criança que brinca por brincar está reproduzindo. Isso qualquer macaquinho faz. Eles fazem e ganham prêmios como bananas. Nós somos diferentes, não reproduzimos, nós construímos. O nosso prêmio é a sabedoria, é saber o que se está fazendo”, considera.
 
Fonte: A Tarde On Line – Salvador, BA – http://www.atarde.com.br

Capoeira sem fronteiras…

Em uma destas voltas ao mundo na Rod@ Digital, encontrei um video sugerido por  um amigo cujo título por sí só já fala tudo… (Capoeira, vivendo sem barreiras) porém é preciso assistir ao video para sentir a verdadeira força e a emoção da superação, da alegria de viver… da CAPOEIRA…
 
Dentro deste espírito fica a sugestão do video: Capoeira, vivendo sem barreiras e para uma maior compreensão deste tema temos uma seção totalmente dedicada a Capoeira sem Fronteiras, a Capoeira para Portadores de Necessidades Especiais.
 
Abaixo a matéria que deu ínicio a esta seção em Fevereiro de 2006.
 
Meus agradecimentos a todos que lutam e trabalham com estas fantasticas pessoas…

 

Aqueles que conhecem a capoeira, sabem do que ela é capaz. A capoeira é jogo, luta, dança, brincadeira e filosofia.
Como diz Mestre Paulo, “… capoeira é o único esporte que tem a sua própria música. É a única luta em que o homem luta com a mulher e o velho com a criança”. Além disso, como diz Mestre Mão Branca, “… os opostos se atraem, o rico e o pobre, o preto e o branco”.
 
Não só eu, mas muitos outros capoeiristas acreditam que a capoeira é mágica, e a sua maior magia esta na brincadeira de forma lúdica e principalmente pelo seu processo de inclusão.
 
Read More

CAPOTERAPIA 800 vagas gratuitas

> Capoeira adaptada para a 3ª idade, nos Centros de Saúde de Ceilândia e Taguatinga
 
> O QUE É CAPOTERAPIA
 
> C A P O T E R A P I A n a 3ª I d a d e
 
> A CAPOTERAPIA é uma terapia utilizando o lúdico da capoeira, idealizado pelo Mestre Gilvan.
Devido ao sedentarismo dos grandes centros, aliado às doenças cardiovasculares e respiratórias, ser o grande responsável pela mortalidade entre os mais vividos. Doenças como a arteriosclerose e a artrite, entre outras, podem ser evitadas, ou mesmo tratadas, a partir da prática orientada de exercícios físicos.
 
> A prática de esportes, com ênfase nos seus aspectos terapêuticos e de estímulo à prática socializante, tem se revelado como um poderoso instrumento para proporcionar o bem estar físico e espiritual e a própria felicidade aos idosos, num momento tão particular de suas vidas, onde o convívio familiar lhes impõe um certo isolamento natural. A capoeira, em particular, trabalhada na perspectiva de respeitar as condições físicas próprias da terceira idade, pode se converter num eficaz meio de valorização da vida social dos idosos, fazendo do seu ambiente um pólo catalisador e irradiador de cidadania.
 
> TURMAS ATUANTES
 
> Segunda-Feira Centro de Saúde n.º 05 Ceilãndia norte 08:00
> Segunda-Feira Clube de aguas Lindas 09:30 h
> Terça-feira Paradão Ass. dos Idosos 08:00 h
> Quarta-feira Centro de Saúde n.º 02 Pça do Bicalho 07:30 h
> Quarta-feira Faculdade Católica Tag. Bloco G 09:00 h
> Quinta-feira Praça do berimbau QNL 28/30  08:00 h
> Quinta-feira Corpo de Bombeiros de Ceilândia 09:30 h
> Sexta-feira Bernado saião M norte Tag 07:30 h
> Venha conhecer a arte que encanta o mundo com o Mestre Gilvan!
Read More

TRANÇA – Fazendo Arte Afro-Brasileira

TRANÇA – Fazendo Arte Afro-Brasileira 

data: domingo, 12 de junho de 2005
hora: 09:00
local: NEGAÇA – Casa da Arte Afro-Brasileira
cidade: Curitiba
 

    
10 de junho (SEXTA-FEIRA)
9h às 12h Oficina de Percussão Livre
Alcione Alves (Belo Horizonte-MG)
15h às 18h Oficina de Dança Afro
João Bosco (Companhia Primitiva de Arte Negra, Belo Horizonte-MG)
19h àS 22h Roda de Capoeira Angola
Comemoração dos 5 anos da Associação Angola Dobrada de Curitiba
 
11 de junho (SÁBADO)
9h às 12h Oficina de Capoeira Angola
Mestre Índio (Associação de Capoeira Angola Dobrada, Belo Horizonte-MG)
12h30 às 14h30 Furdunço: Gastronomia Afro-Brasileira
Prato do dia: Quibebe (abóbora com carne-seca, acompanha arroz) R$7,00
Música: Marcelo Oliveira e Tomás Álvarez
15h às 19h Oficina de Samba e Batucada
Graciliano Zambonin (baterista, Ctba), Leandro Teixeira (percussioniasta, Ctba) e Índio (presidente do bloco "Vai na Rolha Quem Quer", Ctba)
20h30 Bate-Papo com os oficineiros e convidados no Beto Batata
Rua Professor Brandão 678, Alto da XV
 
12 de junho (DOMINGO)
9h30 às 11h30 Oficina de Capoeira Angola para crianças
Contra-Mestre Serginho (Meninos de Arembepe, Caraguatatuba-SP)
11h às 16h Roda de Capoeira Angola no Largo da Ordem
A partir das 18h Festa: Tambor de Crioula
Tião Carvalho (Grupo Cupuaçu, Centro de Pesquisa em Danças Brasileiras, São Paulo-SP) e Forró com grupo Jangada Ligeira
Após às 21h será cobrada a entrada de R$3,00
Local: Rua Dep.Fernando Ferrari 309, Bom Retiro
*Mostra Permanente: Exposição Paraná Vivo da fotógrafa Socorro Araújo.
 
LOCAL: NEGAÇA – CASA DA ARTE AFRO-BRASILEIRA
RUA IAPÓ 540. REBOUÇAS
PRÓXIMO AO TEATRO PAIOL
INFORMAÇÕES: (41) 3022-6427 / 9116-7512 / 8415-0706
ENTRADA FRANCA!!!