Blog

filosofia

Vendo Artigos etiquetados em: filosofia

ENCAMUZENZA

O Grupo Muzenza, sempre buscando formas de trabalhar a Capoeira, de uma forma abrangente, inova, mais uma vez. Nos dias 27 e 28/01/2013, acontecerá o 1º ENCONTRO DE PROFESSORES E ACADÊMICOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA, PEDAGOGOS, PSICÓLOGOS, PSICOPEDAGOGOS E HISTORIADORES QUE TRABALHAM COM A CAPOEIRA, o ENCAMUZENZA.

O tema desta primeira edição será: “A CAPOEIRA ONTEM, HOJE E SEMPRE”…

O objetivo é fomentar a pesquisa e os debates sobre a história, desenvolvimento e o futuro de nossa Arte/Luta, através da intersecção entre o “saber acadêmico” e o “saber popular”. Haverá a apresentação de Temas-Livres sobre a Arte/Luta, nas diversas áreas do conhecimento, além de palestras e mesas-redondas com Mestres renomados, tais como: Luiz Renato Vieira, Gladson, Falcão, Beija flor,Gegê,e o Historiador Carlos Eugênio Líbano Soares. A coordenação do evento ficará a cargo dos Mestres Carson Siega e Sérgio Souza – Sanhaço.

A supervisão, será do Mestre Burguês.

 

Mais informações: encamuzenza@gmail.com

 

O Grupo Muzenza


O Grupo Muzenza de Capoeira, foi fundado em 5 de maio de 1972, na cidade do Rio de Janeiro, tendo como seu fundador, Paulo Sérgio da Silva (Mestre Paulão), oriundo do grupo Capoarte de Obaluaê, do Mestre Mintirinha (Luís Américo da Silva).

Em outubro de 1975, chega a Curitiba – Paraná – Mestre Burguês (Antônio Carlos de Menezes), que depois de lecionar nos bairros do Méier e Madureira, no Rio de Janeiro, decide fundar mais um núcleo do Grupo Muzenza no Sul do Brasil, implantando e desenvolvendo uma metodologia e uma filosofia própria, voltada para as raízes da capoeira, tendo introduzido essa modalidade em clubes, quartéis, escolas, academias, comunidades carentes e comunidades negras.

Mais de 15.000 alunos, já passaram pelo Grupo Muzenza de Curitiba, e hoje o Grupo se faz presente em 26 estados brasileiros, e 35 países, buscando sempre os fundamentos e as raízes da capoeira através de muita pesquisa.

Desde 1975, o Grupo passou a ser presidido pelo Mestre Burguês.

A proposta do Grupo Muzenza, é desenvolver um trabalho de capoeira, essencialmente como arte – luta, mas dando condições aos praticantes de se identificarem com os outros vários seguimentos que existem na capoeira.Dessa forma, o Grupo Muzenza apresenta uma proposta pedagógica que engloba a capoeira como: luta, arte, ritmo, poesia, cultura, desporto, profissão e filosofia de vida. Permitindo que cada aluno se identifique com uma dessas vertentes.

Todavia, a principal proposta do grupo Muzenza é a capoeira como luta, o desenvolvimento de uma metodologia e filosofia própria, nunca esquecendo de buscar as raízes da capoeira através de muita pesquisa, procurando preservar, a Capoeira Angola e Regional, bem como o respeito e valorização ao verdadeiro Mestre.

Pastinha: Filosofia e Poesia

Em homenagem à Vicente Ferreira Pastinha, o Portal Capoeira exalta o Mestre, propondo a toda comunidade capoeirística o “VIVA  PASTINHA”.

Um mês dedicado a Vida e Obra deste Grande Homem e Mestre de Capoeira.
Dia 05 de Abril, Mestre Pastinha iria completar 121 anos, se estivesse “fisicamente vivo”…

Deixo-vos com a excelente crônica do Grande Amigo e Colaborador do Portal, Pedro Abib.

Luciano Milani

PASTINHA: FILOSOFIA E POESIA

A história do Brasil é recheada de fatos e personagens surpreendentes. Alguns desses impressionam pela força de sua personalidade, pela dimensão de seus atos, pela sabedoria de suas palavras e pela importância de seu legado.

Estou falando de Vicente Ferreira Pastinha – o Mestre Pastinha. Mulato franzino, filho de um comerciante espanhol e uma negra vendedora de acarajé, tornou-se um dos símbolos mais importantes não só da capoeira, mas de toda cultura afro-brasileira.

Nascido no dia 5 de abril de 1889 em Salvador, Pastinha conta que aprendeu capoeira ainda menino, com um ex-escravo chamado Benedito, que frequentemente via Pastinha apanhando de um menino mais velho, na rua, em frente à sua casa. O velho escravo então chamou o menino Pastinha e disse que ia lhe ensinar uma coisa, e que ele nunca mais ia apanhar desse menino. Foi assim que Pastinha se iniciou nas artes da capoeiragem.

Aos 12 anos, Pastinha entrou para a Marinha e chegou a ensinar capoeira por lá. Depois disso, mesmo trabalhando em diversas profissões como engraxate, vendedor de jornal e na construção civil, o seu envolvimento com a capoeira não diminuía. Porém, Pastinha ficou sumido por um bom tempo, cerca de 20 anos, e desse período não se tem nenhuma notícia sobre ele. Ele só reaparece já no início dos anos 40, quando então é apresentado ao guarda civil Amorzinho, e assume o Centro Esportivo de Capoeira Angola, que o tornou famoso. Foi lá que ele construiu os alicerces que serviram de base para a constituição da capoeira angola nos moldes que conhecemos nos dias de hoje.

Pastinha assumiu um papel de destaque na capoeira por possuir uma grande capacidade de liderança e, sobretudo, por conseguir elaborar toda uma filosofia em torno dessa manifestação, que foi capaz de elevar a capoeira do lugar de onde se encontrava – a marginalidade e a contravenção – para tornar-se um dos mais importantes símbolos da cultura nacional. Os seus manuscritos, organizados com muito carinho pelo mestre Decânio e posteriormente publicados, são um legado para as futuras gerações e constituem-se como um verdadeiro tratado de filosofia humanista, além do seu caráter profundamente poético.

A capoeira espalhou-se pelos quatro cantos do planeta, e mestre Pastinha é reconhecido no mundo inteiro por ter sido um dos nomes mais importantes na luta pela preservação de uma cultura que foi historicamente perseguida e violentada, mas que hoje goza de um enorme prestígio, onde quer que um berimbau soe seus acordes. Devemos isso a ele. Salve Mestre Pastinha – o Guardião da Capoeira Angola !!!

Pedro Abib (Pedrão de João Pequeno) é professor da Universidade Federal da Bahia, músico e capoeirista, formado pelo mestre João Pequeno de Pastinha. Publicou os livros “Capoeira Angola, Cultura Popular e o Jogo dos Saberes na Roda”(2005) e “Mestres e Capoeiras Famosos da Bahia”(2009). Realizou os documentários “O Velho Capoeirista” (1999) e “Memórias do Recôncavo: Besouro e outros Capoeiras” (2008).


Coluna: “Crônicas da Capoeiragem” por Pedro Abib

Mais um envolvente texto da Coluna Crônicas da Capoeiragem, sob a tutela do nosso grande camarada e parceiro, Pedro Abib, enfocando histórias, casos, experiências, opiniões, críticas, enfim, um texto de uma lauda sobre o universo da capoeiragem.

Associação Brasileira de Capoeira Regional “Mestre Bimba”

Criada a Associação Brasileira de Capoeira Regional “Mestre Bimba”

Proposta é fortalecer a filosofia de Mestre Bimba (criador da capoeira regional)

Fundada em Limeira, em 30 de agosto, a Associação Brasileira de Capoeira Regional “Mestre Bimba” (ABCR) surge como uma proposta em fortalecer, divulgar e propagar a filosofia do criador da capoeira regional, mestre Bimba.

A associação foi criada em uma assembléia realizada na sede do Centro de Aprendizado Metódico e Prático de Limeira (CAMPL) tendo como seus componentes o presidente Paulo César Junqueira Hadich, o advogado Marcos Aurélio Magalhães Faria Junior e a secretária Kelly Chinelatto Silveira.

Nesta assembléia foi eleita a diretoria executiva da ABCR Mestre Bimba para o primeiro mandato. A composição é a seguinte:

 

Presidente: Paulo Henrique de Oliveira (Professor Caverna)

Vice-presidente: César Antônio Parro (Fala Mansa)

1º Tesoureiro: Tupanema Terini

2ºTesoureiro: Jessé Magalhães Matias

1ºSecretário: Silvana Duarte Cavicchioli

2ºSecretário: Marcos Antônio Magalhães Junior

 

Consultivo:

1ºTitular: Renato da Silva Santos (Coca Cola)

2ºTitular Vanessa Peruck

3ºTitular Fabiano Caviquio

1ºSuplente Renan Balloni Rabelo

 

Fiscal:

1ºTitular Claudia R. dos Santos Prestes

2ºTitular Renan Neres de Campos Oliveira

3ºTitular Francisco Grazieldo da Silva Souza

1ºSuplente Ricardo Cavicchioli.

 

A Associação de Capoeira Regional irá funcionar com o suporte da escola de capoeira Filhos de Bimba e da Fundação Mestre Bimba que têm o apoio de Mestre Nenel e seus discípulos. “Nosso objetivo é somar o que é de nosso conhecimento a todos os amantes da Capoeira Reginal”, afirmou o professor Caverna, presidente da ABCR.

A associação foi fundada com trinta sócios, representantes das cidades de Limeira, São José do Rio Preto, Bady Bassitt, São Caetano do Sul, Ribeirão Preto e São Paulo.

Interessados em se associar a ABCR Mestre Bimba ou obter outras informações, devem entrar em contato com o Professor Caverna pelo telefone: (19) 9745-0953

 

Carta do Presidente da ABCR – Mestre Bimba

Você!

Sendo um Associado da ABCR – Mestre Bimba, estará fazendo parte de uma das mais fortes obras mundiais: A Filosofia Da Capoeira Regional.

Assim Contribuirá para a Perpetuação, Divulgação e Expansão do legado Cultural do Mestre Bimba.

O Sócio Contribuinte terá um suporte Metodológico, podendo com isso interar-se de recursos fantásticos, baseados na criação do Mestre Bimba! Abrindo caminhos para uma das metas da ABCR, a de conquistar espaços ainda não acessíveis ao mundo da Capoeira, Nossa Cultura!

Acreditando na seriedade de ser Regional, é que convido você, para ser parte integrante da Família ABCR – Mestre Bimba.

Ser Regional é uma Filosofia de Vida

Viver é saber Direcionar o seu caminho!

Paulo Henrique de Oliveira

Professor Caverna

Presidente da ABCR – Mestre Bimba

 

Para Mais Informações visite: http://abcrmbimba.blogspot.com/

Semana comemorativa dos 10 anos do Centro Cultural Aprendizes

O Centro Cultural Aprendizes foi criado em Fevereiro de 2000, por seu fundador, Márcio Jeová Neumann – Mestre King, na cidade do Rio de Janeiro.

O grupo tem como objetivo direto, difundir a capoeira como filosofia de seu trabalho, seja buscando o desenvolvimento do nível técnico, teórico e didático-pedagógico da capoeira como arte, luta, cultura, profissão e filosofia de vida, visando resgatar a valorização dos verdadeiros Mestres antigos, como autênticos representantes da manifestação cultural genuinamente brasileira.

Programação do Evento de 10 anos do CCA – Março/2010

Este evento acontecerá a partir do dia 1º de março, na AABB Tijuca – Rua Haddock Lobo, 227 – Tijuca, Rio de Janeiro/RJ, Brasil.
Será um Batizado e Troca de cordas, além de estarmos comemorando os 10 anos de fundação do Centro Cultural Aprendizes.

2ª feira (01/03/2010)
Roda de abertura – 19:30 – Av. 28 de Setembro – em frente ao Planeta do Chopp.

3ª feira (02/03/2010)

Roda na Quinta da Boa Vista – 09:00
Aulão com Mestre Burguês – 20:00 – Academia

4ª feira (03/03/2010)

Aulão com o Mestre King – 20:00 – Academia

5ª feira (04/03/2010)

Roda em Caxias – 17:30

6ª feira (05/03/2010)

Trilha na floresta da Tijuca (horário a ser confirmado)
Treino e bate-papo com os mestres e convidados – 20:00 – Academia
Roda aberta nos Arcos da Lapa – 22:30

Sábado (06/03/2010)

Roda no Largo do Machado – 09:00
Entrega de cordas e formatura – 13h / 17h – AABB – Rua Haddock Lobo, 227 – Tijuca / RJ

Domingo (07/03/2010)

Encerramento

Para maiores informações, favor entrar em contato com os telefones: (21) 2567-4147 ou (21) 8289-4852.

Email: capoeiraaprendizes@yahoo.com.br

Mestre King
Centro Cultural Aprendizes.

Editora Record e Portal sorteiam obras de Nestor Capoeira

O Portal Capoeira fechou uma parceria com a área de Marketing do grupo Editorial Record. Por meio delas, serão disponibilizadas obras do Nestor Capoeira, lançadas pela Record: “O pequeno manual do jogador”, publicado em 1998 e hoje em sua 8ª edição; e “A Balada de Noivo-da-Vida e Veneno-da-Madrugada”.

Durante a campanha, os parceiros sortearão 10 exemplares de cada um desses livros. Nestor é doutorando em Comunicação Social e foi iniciado na capoeira pelo Mestre Leopoldina, um dos grandes nomes da capoeira fluminense, falecido recentemente. Em 1969, recebeu a graduação máxima do grupo Senzala. Além de dedicar-se ao ensino da capoeira. O capoeirista é compositor e ator. Estrelou o filme “Cordão de ouro”, quando exibiu sua perícia nas telas. Estreou na literatura capoeirística, com o clássico “Capoeira, os fundamentos da malícia”. Por curiosidade, esse primeiro livro foi publicado primeiramente no exterior, antes de chegar ao Brasil. É de sua lavra, ainda, “Capoeira, o galo já cantou”.

A vasta produção literária de Nestor está nos Estados Unidos, com as obras “The little capoeira book” (Berkeley: North Atlantic Books, 1995), “Capoeira, roots of the dance-fight-game” (Berkeley: NAB, 2001), “Capoeira, the streetsmart song” (Berkeley: NAB, 2005); na França, com “Le petit manuel du jouer de capoeira” (Paris: Budo/L’Eveil, 2003), na Dinamarca, com BORGHALL, J. Capoeira, kampdans og livsfilosofi fra Brasilien. (Odense (Odense Universitetsforlag, 1997); na Holanda com “Capoeira, een handboek voor speeler” (Holand: Elmar, 2003); na Alemanha, com “Capoeira, Kampfkunst und Tanz aus Brasilien” (Berlim: Weinmann, 1999) e na Polônia, com “Capoeira” (Wroclaw: Purana, 2005).

{wmv}Nestor_Capoeira{/wmv}

Veja, aqui, uma pequena sinopse da obras dessa campanha promocional:

“O pequeno manual do jogador”:

É o segundo livro de técnicas lançado por Nestor pela Editora Record. Consciente da importância de passar seu conhecimento a novas gerações de capoeiristas, Nestor coloca a filosofia e a técnica da capoeira ao alcance de todos.
Nesta obra, o autor apresenta uma visão ampla da história, do ritual, da música e da filosofia do jogo da capoeira, além de um método prático de ensino ilustrado por mais de 300 desenhos e um capítulo dedicado ao ensino das crianças, trabalho pioneiro do autor.

“A Balada de Noivo-da-Vida e Veneno-da-Madrugada”

Este romance empolgante e bem brasileiro marca a estréia de Nestor no terreno da ficção. Na virada dos anos 70, o jovem carioca Toninho Ventania começar a jogar capoeira, mesmo contra a vontade de seus pais. Aprende não apenas uma forma de luta, mas uma nova filosofia e maneira de viver que o mete em aventuras inacreditáveis.

Circula pela noite, nos morros, no submundo, na alta sociedade. E faz amizade com dois mestres da capoeira: Noivo-da-Vida e Veneno-da-Madrugada. Os três se envolvem em crimes, conspirações internacionais e na introdução dessa arte afro-brasileira no exterior.
Com linguagem coloquial e ao mesmo tempo inteligente e instigante, o livro mistura sexo, drogas, violência, política e berimbau. E misticismo, pois a capoeira de seus personagens não é só luta, mas, também, a extremidade visível da cultura afro-brasileira que se envereda por terreiros de macumba, quadras de escola de samba e, é claro, todos os cantos da Bahia, de onde vem o principal personagem.

Serviço:

* o autor é jornalista, colunista do Portal Capoeira e autor do Dicionário de Capoeira (3a. edição revista e ampliada, 2008) e editor da revista Capoeira em Evidência.

II Festival Internacional da Capoeira no Mindelo

Perto de quinhentos capoeiristas são esperados na segunda edição do festival internacional de capoeira da Academia Liberdade Expressão, evento que decorre de hoje a 2 de Dezembro, na cidade do Mindelo.
A abertura do festival acontece na Rua de Lisboa, com um espectáculo de ritmo e expressão corporal envolvendo centenas de capoeiristas ao longo da avenida. “O espectáculo vai contar a história da escravatura. Vamos colocar em evidência as diversas facetas da capoeira: o lado cultural, a dança, a luta… A capoeira é uma cultura homogénea mas, quando se expõe, torna-se heterogénea”, explica Xexéu.
 
Para este encontro internacional, a Academia já assegurou a presença do Mestre China, Mestre Jó, Professor Boca d’Peixe, Professor Jurado, Professor Adílio e de um instrutor que virá de Portugal. Paralelamente, a organização conta com um número expressivo de alunos que virão de determinados países europeus, especialmente das Canárias e da Espanha. Os convidados chegaram a S. Vicente ontem e logo nessa noite houve uma Roda do Galo, que se prolongou pela madrugada dentro.
 
“A expectativa é que este encontro sirva para a troca de informação e de experiência. Existe a minha filosofia, a filosofia dos outros e a verdadeira. É necessária a troca de ideias e ninguém deve ter medo de ser questionado”, defende Carlos Xexéu.
 
O programa do festival inclui actividades ao ar livre, destinadas à comunidade, e outras internas, viradas somente para os capoeiristas. Em princípio, uma centena de alunos será baptizada durante o evento e outros cento e cinquenta vão fazer a troca de graduação. Segundo Xexéu, o evento vai envolver workshops, rodas, palestras além de uma noite dedicada à cultura negra presente em Cabo Verde. A Academia vai ainda aproveitar o festival para lançar um DVD, colocar à venda os primeiros postais fotográficos da capoeira cabo-verdiana e inaugurar o site da associação Liberdade Expressão.
 
A Semana online – Portugal – http://www.asemana.cv

APARECIDA – Criança Feliz e Abadá tira meninos da rua

Uma parceria entre a Prefeitura de Aparecida e o grupo de capoeira Abadá tem mudado a vida de dezenas de crianças e adolescentes no município. Eles fazem parte do Projeto Criança Feliz desenvolvido em várias modalidade esportivas. Os garotos da capoeira ocupam os ginásio da Vila Brasília todas as tardes para treinar.
 
Thiago da Silva Santos,15, é aluno do estagiário Maiko Barbosa, que atualmente está no grupo Abadá, e conta que encontrou na capoeira uma forma de se livrar do mundo das drogas e da marginalidade. “Antes eu pertencia a um caminho tortuoso, era muito nervoso e hoje encontrei na capoeira uma maneira de ver o mundo de outra forma, promovendo o respeito às pessoas e a paz entre todos”, garante Thiago.
Segundo Maiko, o fato de sua turma está ligado a filosofia do grupo Abadá, traz vantagens aos alunos.
  

“Procuramos sempre enfocar o esporte como uma maneira de educar para a vida, conta Maiko.
As aulas podem ser ministradas para pessoas de sete a 70 anos. No caso das crianças e adolescente a exigência é estar freqüentando regularmente a sala de aula. Este mês acontece o batizado da primeira turma.