Blog

formado

Vendo Artigos etiquetados em: formado

Livro: A Magia da Capoeira

O Capoeirista e Escritor Jean C. de Andrade apresenta seu segundo livro sobre uma luta Brasileira e eficáz,um pouco da história da capoeira, luta esta que se mistura com a cultura em meio a dança com golpes desequilibrantes e traumatizantes,criada pelos escravos no Brasil em meados do século XVII.

Estou na capoeira desde 1993, de lá para cá coleciono vários títulos e campeonatos,sendo também Árbitro da Federação Sul Mineira de Capoeira, também Campeão interno da Academia Santa Isabel e Vice Campeão Mineiro de Capoeira. Hoje sou  Professor, formado por Mestre Roque da Academia Santa Isabel de Bom Repouso MG. Mestre Roque é Formado de seu Irmão, Geraldo (Mestre Gêra) da Academia Santa Isabel de São Caetano do Sul SP.

Como um trabalho social dou aulas de capoeira para crianças na Escola Municipal de Estiva MG.

A capoeira juntamente com a natação é um excelente esporte físico, pois mexe com todo corpo,é um exercício físico e tanto, além de somar disciplina e  controle emocional.Salve Capoeira!!!! — Prof. Jean C. de Andrade-

Benefícios Da Capoeira

1Maior disposição para trabalho sexo e estudos.
2-Previne contra estresse.
3-Combate o excesso e a falta de peso.
4-Aumenta a força, reflexo, equilíbrio e agilidade.
5-Fortalece o sistema muscular, respiratório e cardio- vascular.
6-Contribui para regularização do sistema digestivo.
7-Oportuniza o domínio de eficazes técnicas de defesa.
8-Desenvolve sua sensibilidade artística.
9-Atua como terapia (o poder de concentração melhora o auto
(Controle emocional)
10-Depois da natação, a capoeira é o melhor esporte, pois mexe com todo o corpo.

Simpósio Memória da Capoeira Pernambucana

Ocorreu, no dia 01/09/2012, no Auditório Prof. Paulo Rosas, da Associação dos Docentes da Universidade Federal de Pernambuco, o I Simpósio Memória da Capoeira Pernambucana: A Leitura da Realidade do Mestre Zumbi Bahia, sob a Coordenação Geral do Prof. Ms. Henrique Gerson Kohl “Tchê”-DEF-CCS-UFPE.

O evento foi realizado pela PROEXT-UFPE e teve os seguintes apoios institucionais: PROEXT-UFPE, NEFD-UFPE, ADUFEPE-UFPE e PROGRAMA CABEÇA DE ÁREA-UFPE.

Na articulação, divulgação e recepção do Mestre Zumbi Bahia, a UFPE contou com a qualitativa ajuda das seguintes referências da capoeira, dentre outras não menos importantes: Mestre Tonho Pipoca, Mestre Pirajá, Mestre Pácua, Mestre Ulisses, Mestre Peu, Mestre Grillo, Mestre Renato, Mestre Juarez, Mestre Corisco, Mestre Coloral, Mestre Nó Cego, Mestre Americano, Mestre Fefé, Mestre Lano, Mestre Cal, Mestre Eduardo, Mestre Moacir, Mestre Pequena, Mestre Joab, Mestre Grafitt, Mestre Domingos, Contramestre Radiola, Contramestre Quadrado, Contramestre Dendê, Contramestre Bola, Contramestre Lua, Contramestre Flávio, Prof. Cajú, Prof. Ricardo, Prof. Carneiro, Prof. Douglas, Prof. Muela, Prof. Praça, Monitor Pinguim, Monitor Arrepio, Monitor Mamulengo, Instª Kinha, Inst. Jean, Inst. Gato, Formado Bola, Formado Boca, Estagiário Charuto, Graduado Cajueiro, Grad. José e outros.

Henrique Gerson Kohl “Tchê”- PE

Tributo a Mestre Bimba

Presença confirmada dos mestres: Tabosa (DF), Pombo de Ouro (DF) – Formado do M. Bimba, Alegria (formado M. Bimba em Goiania), Bizorro (TO), Tambor (TO), entre outros!!!!

Local: Centro de Direitos Humanos de Palmas (C.D.H.P) – Ao lado do Quartel do Comando Geral da PM.
”CTD do AsaDelta.”

Axé!!!

AsaDelta

PROGRAMAÇÃO:

  • Mostra de Vídeos e fotos de M. Bimba
  • Aula da Sequência de Ensino do Mestre Bimba (M. Pombo de Ouro)
  • Aula da Sequência da Cintura Desprezada (M. Pombo de Ouro)
  • Aula da Sequência de Ensino do M. Bimba – adaptada em BSB década de 60 (M. Tabosa)
  • Roda Tradicional
  • Papoeira

Camaçari: Projeto Social Crianças “Cabeludas”

O Jogo (de empurra) da Capoeira em Camaçari?

No próximo dia 29 de Agosto, o Grupo de Capoeira Regional Porto da Barra estará realizando o IV Batizado e V Troca de Graduações no Projeto Social Crianças Cabeludas, na comunidade do Parque das Mangabas.

Nosso projeto já é mais que conhecido em Camaçari (e no mundo!). Desde o ano de 2006, utilizamos a Capoeira Regional do saudoso Mestre Bimba como forma de apresentar um novo viés a crianças e jovens daquela comunidade. O Crianças Cabeludas já dá sinais de muitos bons frutos, como a ida de alguns alunos para fora do país. Todavia, mais importante que qualquer possibilidade dessas crianças “viverem da capoeira” é o viverem de forma digna, justa e socialmente responsável. Isso, sem dúvida, é o que de melhor podemos ensiná-los.

Lendo algumas matérias sobre outros esportes apoiados pela gestão pública municipal, não pude me furtar a questionar-me: por que a Capoeira ainda continua “debaixo do pé do boi”, em Camaçari? Ora, não nos venham falar em apoios esporádicos, verdadeiras migalhas dadas a uma arte-luta que representa tanto o nosso país. A Capoeira é o maior legado herdado dos acorrentados trazidos do além mar. A Capoeira é negra, criada pelos pobres, que a praticavam nas senzalas e matos rasteiros das fazendas dos senhores e sinhazinhas. Será essa a razão histórica para tanto desprezo? Quero crer que não. Todavia, conheço mestres consagrados no município que têm que, praticamente, passar sua cuia na SEDEL, ou na SECULT, para poder realizar seus eventos. Outro dia, em visita a um deles, este me disse: “Crente, só consegui água mineral” – eu também! – bom, de sede não vão nos matar, rebati, num misto de sarcasmo e revolta!

Nosso pequeno evento, realizado numa comunidade carente, repleta de problemas sociais e cuja Capoeira é a única fonte de lazer, esporte e disseminação da cultura popular brasileira, não teve o apoio do chefe do executivo e seus comandados, nem tão pouco da “casa do povo”. Estes fingem nada acontecer nas Mangabas, fingem não ver a molecada no meio do asfalto, se esquivam com seus jargões ultrapassados e hipócritas, batem em minhas costas e dizem: “que trabalho bonito”, mandam seus candidatos tentarem tirar proveito da moçada que “segue em frente e segura o rojão”1. Mas ano após ano, sentimos o gosto amargo do abandono e o sangue derramado pelas feridas abertas no asfalto quente. Todos sabem disso, todos mesmo, não nos digam que não sabiam.

O Mestre Cabeludo sempre nos diz que Capoeira é resistência, que devemos lutar, protestar e nunca deixar de fazer acontecer o que acreditamos. Eis aqui, mais uma vez, o nosso protesto. Um protesto consciente, de quem nunca deixou se abater, de quem tem a Capoeira no peito e que realiza os sonhos na raça.

Receberemos cerca de 30 estrangeiros em nosso humilde evento, e mais uma vez será difícil explicar como em seus países o governo, as empresas, a sociedade organizada e as escolas abrem suas portas para receber a Capoeira brasileira, mas, contraditoriamente aqui, onde ela foi concebida, esses atores nos relegam ao esquecimento, ou melhor, como disse em outra visita a um antigo mestre camaçariense, nós só somos lembrados quando querem nos usar como “dançarinos” em seus circos políticos particulares.

A Capoeira é cultura, ou é esporte? É SEDEL, ou é SECULT? Até quando essa discussão? Até quando as migalhas? Até quando o maciço apoio será para os “esportes brancos” e importados?
É preciso agir. Nós, capoeiristas de Camaçari, já estamos saturados de discurso e fóruns que nada resolvem e que só servem para dizer: “estamos elaborando políticas públicas para isso, ou para aquilo”. Ação já!

Precisamos das escolas abertas, do apoio para os eventos, de centros especializados, de valorização dos mestres antigos, de empregabilidade para os professores dessa arte, enfim, há muitas coisas a serem feitas.

Convocamos a todos os simpatizantes, alunos, instrutores, monitores, formados, professores, contra mestres e mestres camaçarienses a não se calarem, a exporem publicamente o seu repúdio a esta gestão medíocre que pouco ou nada fazem pela Capoeira e ainda querem nos usar como fantoches.
Cansamos, senhores “dono do engenho”, já está mais que na hora de vocês nos levarem a sério.
Como diz o Mestre Otto (formado do Mestre Bimba): “o capoeirista pode até apanhar, mas jamais poderá deixar-se dominar”.

Axé, paz e luz para todos!
Salve,
Formado Crente
Caio Cultura
(Caio Marcel Simões Souza, Formado Crente, é Administrador de Empresas, formado pela Faculdade Metropolitana de Camaçari. É formado em Capoeira Regional, pelo Grupo de Capoeira Regional Porto da Barra. Atua profissionalmente como Analista Administrativo, é professor de curso técnico, em Camaçari; responsável e mantenedor do Projeto Social Crianças Cabeludas, no bairro do Parque das Mangabas, é escritor entusiasmado, além de desenvolver fortemente ações na área de cultura popular, onde quer que a estrada empoeirada o leve).
________
1 Trecho de “E Vamos a Luta”, de  Gonzaguinha.

Prof. Caio Marcel
Adm. de Empresas
(71) 8841-9199

O pulador de facas da Praça Dante

A Ginga e a sabedoria do Capoeira: Antônio Martins usa de toda a sua mandinga e carisma para sobreviver…de praça em praça e utilizando os recursos adquiridos na escola da vida e na capoeiragem o baiano é mais um “Brasileiro” lutador e criativo!!!

Luciano Milani

Antônio Martins é gente nossa. É um baiano de 56 anos que há 14 mora em Caxias do Sul. Ele é personagem da Praça Dante, onde salta por dentro de uma armação metálica rodeada de facas, em apresentações quase que diárias.

Em parceria com outros três praticantes de capoeira, que vêm de Porto Alegre, Martins se reveza com eles nos pulos arriscados, a entreter o público com um teatrinho e brincadeiras e oferecer uma pomada, que é vendida como forma de garantir retorno financeiro ao final da apresentação. A apresentação serve para divulgar e vender pomadas e ervas medicinais.

– Dinheiro não dá, mas consigo pagar as contas – confessa, rindo.

Martins foi bancário por quatro anos, antes de ir pela primeira vez a São Paulo, em 1975, para se apresentar com danças culturais, como a capoeira.

Três anos depois, com um grupo de capoeira formado, voltou à capital paulista e passou oito anos se apresentando na Praça da Sé, entre shows de capoeira e a venda de ervas medicinais e pomadas.

Depois, decidiu viajar e se apresentar sozinho em outros estados. Ele garante que, assim, conheceu as 27 capitais brasileiras. Após vagar pelo país todo, acabou se apaixonando por uma caxiense, com quem tem dois filhos, e fixou residência em Caxias.

– O que chama atenção do público é o mistério no falar, as facas, os saltos – comenta.

O show é gratuito. Eventuais colaborações do público são aceitas. O artista de rua vende plantas para chás medicinais e uma pomada, que seria feita do peixe elétrico, segundo diz ele, para fazer massagens contra o reumatismo.

Fonte: http://www.clicrbs.com.br/pioneiro/rs/home

Nota de Falecimento: Mestre Azeite

Aos amigos Capoeiristas,

Infelizmente, foi embora mais um grande amigo e um histórico capoeirista.

Faleceu hoje, MESTRE AZEITE, do Grupo Senzala, formado em 2006 por Mestre Peixinho.

Saudades de um grande amigo… Sem palavras!!!

 

Mestre Ramos

Portugal: Festival de capoeira Grupo Ginga Brasil

Programação dia 7( sexta ) a noite: 19:30 Roda de capoeira/ chegada dos participantes

Dia 8 ( sábado) manhã 10:00 Curso com mestre nenê/ 15:00 Tarde lançamento do livro Capoeira a Roda das nações.

Dia 9 (Domingo ) manhã 10:00 curso com mestre nenê/ Tarde 15:00 Batizado capoeira

Local: Pavilhão da Escola secundária nº 2 São João da Madeira

Preços: Curso/ camisa / Livro 25 euros
curso 15
Livro 10

Clique para ampliar o cartaz….

Observação : Trazer sacos de cama para dormida no pavilhão.
Contactos 933979356 / cangaceiro16@hotmail.com

Presenças confirmadas

Mestre Nenê
Mestre Chapão
Mestre Cotta
Contra Mestre Caramuru
Professor Ariranha
Professor Birita
Professor Milani
Professor Lesma
Formado Cigano
Formado Chocolate
Instrutor Leão
Instrutor Goiaba
Estagiário Faisca
Estagiário Palito

 

Lançamento do Livro: HISTÓRIA DA CAPOEIRA EM SOROCABA

Livro importantíssimo para capoeiristas, pesquisadores, folcloristas e historiadores, pois além de apresentar farta documentação (mais de 150 ilustrações) sobre capoeira e seu início em Sorocaba, traz 62 depoimentos, entre eles, de mestres consagrados da capoeira. Por exemplo, do internacional mestre Suassuna (um dos introdutores da capoeira em São Paulo), Comendador mestre Valdenor (presidente de Federação Paulista de Capoeira), mestre Damião (aluno de mestre Bimba), mestre Celso Bujão (formado da 1ª turma do Grupo “Cordão de Ouro”), mestre Jorge Melchiades (o pioneiro da capoeira em Sorocaba, aluno dos saudosos mestres Valdemar Angoleiro, Paulo Limão, Silvestre e posteriormente formado do mestre Suassuna).
 
Apresenta fatos curiosos da capoeira, como a abertura da primeira filial do Grupo “Cordão de Ouro” no interior paulista; a apresentação de capoeira no programa “Cidade contra Cidade”, de Sílvio Santos, em maio de 1970, na antiga TV Tupi, canal 4, com os mestres Suassuna, Limão, Jorge Melchiades, Anande (Almir) das Areias, entre outros; a passagem de mestre Bimba e seus alunos por São Paulo e Rio de Janeiro, em 1949, etc.
 
O livro traz também o depoimento de pessoas ilustres ligadas ao esporte, à educação, à política, ao jornalismo, à rádio, à dança, etc., que de uma maneira ou outra tiveram contato com a capoeira, como é o caso da conhecida bailarina Janice Vieira, que conheceu mestre Pastinha em sua academia na Bahia; de José Desidério, jornalista esportivo; de Cármine Graziozi, editor do jornal “Desportos” em 1949; de Clodoaldo Rodrigues Nunes, cientista político, que teve atuação marcante no movimento de esquerda na época da ditadura; de Iara Bernardi, Deputada Federal; de Hamilton Pereira, Deputado Estadual; e de briguentos da década de cinqüenta, como Humberto Del Cistia, Maurício Gagliardi, José Carlos Alves (Pixe), Antonio Galdino e Joorge Melchiades.
 

O livro discorre sobre a história da capoeira em Sorocaba desde o aparecimento de sua prática na cidade até a atualidade, com enfoque especial e prioritário aos fatos de seu início e ao pioneiro, com o fim de esclarecer entendimentos equivocados sobre a época.
 

contato: cmwellington@terra.com.br

Nota de Falecimento: Mestre Marquinhos – Brasilia capoeira

Salve camaradas…
 
Venho por meio dessa para informar triste fato acontecido com um querido amigo da maioria dos capoeiras…
Um mestre na verdadeira concepção da palavra, um ser humano acima de qualquer outra coisa , amigo verdadeiro e camarada nas rodas da vida…
Faleceu mestre Marquinhos (Brasilia capoeira) Um dos unicos formados por mestre Adilson, aconteceu em um acidente automobilistico em direção a Porto Seguro, Domingo 31/12/06.
 
Haverá uma roda em sua homenagem na torre de tv a partir das 10 hs. Não deixem de ir prestar sua homenagem.
 
Com muito pesar…
 
Mestrando Léo Bombeiro
Um pouco mais da história de Mestre Marquinhos:
 
Nascido em 21 de Julho de 1966, no Estado do Rio de Janeiro (RJ), no Bairro de Botafogo.
 
Marcus Vinicius S. Gomes veio para Brasília em 1976. Com Formação em Tecnologia em Processamento de Dados, cursando Ed. Física e atualmente Direito, trabalhou na área de processamento de dados durante 8 anos, como Analista de Sistemas Sênior, formado a Faixa Preta 2º Dan pela Confederação Brasileira de Judô, tetra CampeãoBrasiliense ( 81 a 83), Centro-Oeste (83), Campeão Brasileiro em 84 e Vice em 85/86 (Juvenil).
 
Ingressou na Capoeira em 1985, no SESC da 913 Sul, com o Mestre ADILSON. "Após percorrer diversas academias, fui ver uma roda no SESC, a convite de vários amigos que treinavam lá, quando terminou a roda tive certeza de que não poderia treinar em outro lugar, era exatamente como falavam, a melhor, incomparável".
 
Em 1989 começou a ministrar aulas em diversas academias em Brasília, em 92 no CEUB e no Colégio JK (como prática de Ed. Física), em 1993 foi convidado para representar o Brasil no Festival Mundial de Folclóre em Kiell na Alemanha, em 1994 fez uma temporada de 4 meses com show's no Teatro e TV Espanhola, em 1995 fez outra temporada de 8 meses por toda a Europa, ministrando Cursos, participando de Show's e Eventos Internacionais de Capoeira. Tendo oportunidade de fazer uma apresentação ao Comitê Olímpico Internacional (COI), onde recebeu uma carta de indicação para representar o Brasil na Olimpíada Cultural em Sidney 2000 (evento que acontece paralelo à Olimpíada oficial). Desde então participa de eventos Internacionais por toda a Europa, EUA, e América do Sul, além de eventos Nacionais.
 
Em 200 fez uma turnê pela América do sul, em 2002 fez outra turnê na Europa e Oriente Médio, em 2003 ao Chile e Peru, em 2005 New York e Cunectcut. Todas as turnês ministrando cursos e participando de eventos de capoeira.
 
Em 1998 foi graduado à MESTRE pelo MESTRE ADILSON.
 
O CENTRO CULTURAL E FOLCLÓRICO BRASÍLIA CAPOEIRA estava sob a coordenação do Mestre Marquinhos, formado pelo Mestre ADILSON.

Primeiro Seminário Projeto Capoeira Viva

dia 21 de novembro de 2006
das 13h às 18h
Auditório Apolônio de Carvalho Museu da República Rio de Janeiro
 
O Projeto CAPOEIRA VIVA, idealizado pelo Ministério da Cultura, com coordenação técnica do Museu da República e patrocínio da Petrobras, tem como objetivo a implementação de políticas públicas para a valorização e promoção da capoeira como bem constituinte do patrimônio cultural brasileiro.
 
Além das ações desenvolvidas por meio da Chamada Pública, lançada no dia 15 de agosto de 2006, que incentiva-rá projetos de pesquisa, acervos e experiências socioeducativas, o Projeto CAPOEIRA VIVA prevê a realização de 3 seminários nacionais.
 
Visando à socialização da informação, troca de conhecimentos, quantificação e qualificação das demandas próprias dessa expressão cultural, os seminá-rios têm como objetivo apontar caminhos que poderão subsidiar futuras políticas públicas para a capoeira.
SEMINÁRIO CAPOEIRA VIVA
 
13:00 Abertura
 
13:30 A FORMAÇÃO DO MESTRE, ONTEM E HOJE
 
palestrantes:
 
Mestre Camisa (José Tadeu Carneiro Cardoso) – capoeirista formado pelo Mestre Bimba. Fundador do Grupo Abadá-Capoeira. Criador do CEMB (Centro Educacional Mestre Bimba), onde se desenvolve o projeto Capoeira Ecológica.
 
Mestre Moraes (Pedro Moraes Trindade) – Mestre de Capoeira Angola e presidente fundador do Grupo de Capoeira Angola Pelourinho. Proferiu palestras sobre a musicalidade da Capoeira Angola, realizada no Mancat College – Manchester – Inglaterra, em 2005 e A diáspora africana no Brasil, realizada no Morris Brown College – Atlanta – EUA.
 
Mestre Suino (Elto Pereira de Brito) – Mestre de capoeira, desde 1980, formado pelo Mestre Passarinho.
Presidente-fundador do Grupo Candeias. Professor especialista em Educação Física Escolar da Rede Pública. Publicou os livros Fundamentos da Capoeira, Capoeira e Religião, No Caminho do Mestre, entre outros.
 
mediador:
 
Prof. Doutor Muniz Sodré – formado em Ciências Jurídicas e Sociais na Bahia, fez mestrado na Sorbonne (Sociologia da Informação), em Paris, doutorado na UFRJ (Teoria da Literatura de Massa) e pós-doutorado na Sorbonne (Sociologia, Antropologia e Lingüística). Publicou 26 livros. Atualmente é presidente da Fundação Biblioteca Nacional.
 
15:00 Debate Aberto
 
16:00 Intervalo
 
{jgxtimg src:=[http://www.portalcapoeira.com/images/stories/capoeira_viva/capoeira_viva_folder1.jpg] width:=[250]}
{jgxtimg src:=[http://www.portalcapoeira.com/images/stories/capoeira_viva/capoeira_viva_folder2.jpg] width:=[250]}
Folder
Para ampliar, clique na imagem…
Folder
Para ampliar, clique na imagem…

 

16:30 DE ARMA DA VADIAGEM A INSTRUMENTO DE EDUCAÇÃO
palestrantes:
 
Mestra Janja (Rosangela Costa Araújo) – iniciou-se no Grupo de Capoeira Angola Pelourinho com os Mestres João Grande, Moraes e Cobra Mansa. Historiadora pela UFBa, Mestre e Doutora em Educação pela USP. Em 1995 fundou o Instituto Nzinga de Estudos da Capoeira Angola e Tradições Educativas Banto no Brasil (Incab).
 
Mestre Luiz Renato (Luiz Renato Vieira) – membro do Grupo Beribazu. Mestre em Sociologia pela Universidade de Brasília e Doutor em Sociologia da Cultura pela Universidade de Brasília/Universidade de Paris I – Sorbonne. Autor do livro O jogo da capoeira: corpo e cultura popular no Brasil. Desde 1990 atua no Centro de Capoeira, um projeto comunitário da UnB. É Consultor Legislativo do Senado Federal na área de assistência social e minorias.
 
Mestre Zulu (Antonio Batista Pinto) – autodidata em Capoeira e Educação Física. Pesquisador e Mestre de Capoeira. Bacharel e Licenciado em Química. Pós-graduado em Didática e Metodologia do Ensino Superior. Publicou 19 trabalhos, dentre eles o livro Idiopráxis de Capoeira.
 
mediador:
 
Prof. Doutor Muniz Sodré
 
18:00 Debate Aberto
 
Projeto CAPOEIRA VIVA
Um programa de valorização e promoção da capoeira como bem cultural brasileiro