Blog

futuro

Vendo Artigos etiquetados em: futuro

A Capoeira em Debate?

“O Capoeira, sempre de bom coração
Louva em oração, aquilo que tem amor.
Sempre louva a liberdade, a luta contra a escravidão
Mas o que é não ter correntes numa vida sem paixão”

Desde que aqui chegou o primeiro navio negreiro, houve resistências por parte dos negros trazidos da África. Desde o primeiro o dia, o primeiro momento o negro africano lutou pra se libertar. Luta cruenta e cruel, sem armas na sua defesa, perseguido como animal, só lhes restava a reação fisica, corporal. Usar suas mãos e pernas, cabeças, troncos e membros como arma na sua luta diária pela sobrevivência e na busca pela liberdade.

Assim surgiu a Capoeira. Os negros foram levados para quase todas as partes do mundo e em nenhum lugar surgiu tal arte marcial. Foi aqui onde ela nasceu e só aqui que ela adquiriu este conteúdo libertário e progressista. A história da luta pela liberdade do negro. Pelo fim da escravidão e pelo fim da opressão em todo o periodo colonial e depois até o surgimento da República, sua consolidação, passando pelo Estado Novo, é a história da Capoeira. Sua participação em vários episódios das lutas que ocorreram em nosso país tiveram destaques. Claro que na sua grande maioria foram tratadas pelos historiadores oficiais ou não, sempre de forma marginal e subliminar.

Mas estava lá ela, na guerra do Paraguai, na revolta da vacina, no surgimento da Guarda Negra. Nas revoltas do Maranhão, Pará, Pernambuco e Bahia. Nas maltas e nas resistências nas ruas do Rio de Janeiro, seja como capital federal ou seja como grande centro cultural e histórico do nosso país.

Foi criminalizada com o nascimento da República, incompreendida foi marginalizada. Entendida foi tratada com preconceito. Foi chamada de ginástica brasileira e cantada em versos e prosas. 

Presença marcante na literatura progressista checou a ser tratada como mero foclore por alguns “iluminados”. Mas a Capoeira permanece sendo um instrumento de luta que transformada em esporte tem um imenso potencial incluidor. Como cultura é parte indissoluvel do estudo e da busca do conhecimento da nossa identidade. Como elemento de composição da nação brasileira reclama seu lugar por merecimento.

Hoje busca, através de seus lideres hoje, bem mais maduros e consciente, ter o respaldo de uma lei, cujo projeto trâmita no Congresso Nacional em sua fase final.

E o que trata este PL que é motivo de polêmica e resistência de alguns? O Projeto de Lei 33/09 trata justamente de garantir em lei o direito, já apontado, corretamente no Estatuto da Igualdade Racial, sancionado pelo então Presidente Luis Inacio Lula da Silva.

O direito a que me refiro é de qualquer brasileiro poder praticar com plena liberdade a Capoeira seja ela como esporte, cultura, apresentação artistica ou uma mera vadiação. O Estado deve garantir o direito a quem quiser se profissionalizar com sua prática. Aquele que assim o quiser deverá ter este direito garantido por lei. Ainda o PL em trâmitação busca garantir o financiamento de forma democrática e regular das atividades sociais que a Capoeira e só ela, se permite fazer.

A Capoeira é um poderoso instrumento de inclusão social. Seu carater multifacetário permite que ela estimule, oriente e eduque a formação de cidadãos e cidadãs.

Incluir a Capoeira nas escolas como parte do curriculo escolar só será possível em sua plenitude quando tivermos profissionais preparados e capacitados em condições de dar aulas. É isso que prega o PL, é isso que permite o projeto.

Assim sendo cabe a Comunidade se organizar e lutar para que tal objetivo seja alcançado. Cabe a Comunidade dos Capoeiras assumir seu papel de protagonista do processo e depurar-se dos que infelizmente não acreditam no futuro.

A coexistência pacifica e harmoniosa que hoje impera entre as varias correntes que atuam na Capoeira no Brasil é a base que nos permite sonhar e ter convicção num futuro em que a exemplo do que ocorre em vários outros países do mundo, possamos ver em cada escola do nosso país, nossos filhos e netos descobrindo e aprendendo a nossa história. Entendendo e sabendo que vivemos momentos terrivéis e que a nossa luta é contra a opressão sobre nossa história, nosso passado e para que no nosso futuro, nunca mais, ninguém seja cativo de ninguém. Que ninguém seja prejudicado ou descriminado por ser diferente. Que a cor da pele não seja referência de carater e nem de indole!

Isso é o que prega e o que pensa os organizadores do 3° Congresso Nacional Unitário de Capoeira!

Axé!!

* Presidente Associação Brasil Angola (AABA); Diretor do Centro Cultural Africano (CCA); Coordenador do Congresso Nacional de Capoeira (CNC)

 

Fonte: http://www.vermelho.org.br/

Buriti dos Montes: Profeesor de Capoeira realiza Palestra Sobre Drogas

O Professor de Capoeira Décio, realizou Neste último dia 07/11 uma palestra não só com os alunos da capoeira, como também alguns alunos das unidades de ensino do município, houve explicações sobre o uso indevido das drogas, suas conseqüências ao usar e seus efeitos com o uso excessivo de tais substancias. Assim mostrando para cada criança e adolescente os perigos dessa epidemia que tanto esta acabando com nossa juventude. “Esse trabalho foi simples mais muito gratificante, pois o conhecimento desde cedo sobre tal assunto é proveitoso para um futuro próximo, e nisso nossos jovens possam saber e jamais ingressar neste mundo sombrio.” Disse o professor.

 

Fonte: http://180graus.com

Rio Capoeira 2011 – 1º Forum Internacional de Capoeira

Capoeira tenta mudar regras para se transformar em esporte olímpico: Em fórum realizado no Rio de Janeiro, mestre afirma que mudança é essencial para que a luta ‘não fique para trás’ na busca por patrocínios

Quando inventaram a capoeira os escravos brasileiros não podiam imaginar até onde ela iria chegar. O que inicialmente surgiu de uma necessidade de libertação transformando o corpo em arma se tornou uma arte praticada em 150 países. Mas, hoje, os praticantes enfrentam o desafio de organizar o esporte para que ele seja reconhecido como modalidade olímpica. Uma mudança fundamental para o futuro da luta segundo o mestre Beto Simas (assista ao vídeo).

– Se nós não tivermos a organização de sermos um esporte olímpico a gente fica para trás. Hoje, todo mundo está patrocinando os esportes olímpicos.

No Rio de Janeiro, o Fórum Internacional de Capoeira reuniu representantes de diferentes países para discutir como a arte pode ser modificada a fim de participar das Olimpíadas. O mestre Djamir Pinatti explica os objetivos do encontro.

– Esse fórum serve para tentar uma união psicológica da classe, para tentar resolver todas essas questões problemáticas e variáveis da capoeira.

As alternativas são competições com contato físico ou como apresentação individual através de avaliação da técnica feita por um júri, como na ginástica olímpica.

– A gente só não pode perder a essência porque se não fica limitado, não fica a arte da capoeira – diz Simas.

A discussão sobre novos parâmetros para capoeira surge também de uma preocupação com o futuro de jovens atletas, como Gabriel Maia, de 9 anos, que revela praticar a arte há bastante tempo.

– Quando a minha mãe estava grávida ela tocava berimbau e eu já chutava a barriga dela.

 

  • Com o intuito de fortalecer e divulgar a capoeira como uma das maiores manifestações culturais do Brasil, o evento aconteceu de 13 a 17 de julho.

 

Fontes: http://sportv.globo.com

Mestre Camisa recebe título de Doutor Honoris Causa

A Universidade Federal de Uberlândia entregou , em 5 de maio de 2011, o diploma de DOUTOR HONORIS CAUSA a José Tadeu Carneiro Cardoso, o Mestre Camisa.

Para homenagear meu mestre e registrar seu reconhecimento como DOUTOR também pelos poetas populares da LITERATURA DE CORDEL, escrevi este pequeno poema intitulado “NA ARTE DA CAPOEIRA MESTRE CAMISA É DOUTOR”

 

NA ARTE DA CAPOEIRA MESTRE CAMISA É DOUTOR
Autor: Victor Alvim (Lobisomem)

Nesse mundo em que vivemos
É difícil imaginar
Por mais que nos esforcemos
É impossível vislumbrar
As surpresas que Deus guarda
Pro futuro revelar

Na década de 50
No interior da Bahia
O povo de Jacobina
Jamais imaginaria
O destino de mais uma
Criança que ali nascia

Dona Edésia sua mãe
Também não imaginava
O futuro de seu filho
Que no ventre carregava
E os caminhos que o destino
Para ele reservava

Nem tampouco seu Lindolfo
Seu pai podia prever
As estradas que seu filho
Viria a percorrer
E a bela história de vida
Que ele iria escrever

Nem Mari-inha a parteira
Não tinha a real noção
Da responsabilidade
E da divina missão
Que ajudava a vir ao mundo
Tão importante varão

Igualmente não sabia
E jamais faria tino
O próprio José Tadeu
Qual seria o seu destino
Pois brincar era a única
Preocupação do menino

Mas brincar é coisa séria
Foi assim na brincadeira
Que o menino Tadeu
Conheceu a capoeira
Dando seus primeiros passos
Pra uma caminhada inteira

Seu irmão Camisa Roxa
Que muito lhe ensinou
Duvido que àquele tempo
Sequer ele imaginou
Que o seu irmão mais novo
Chegaria onde chegou

E nem mesmo o Doutor Bimba
Como todo o seu reinado
Não acredito que ao menos
Houvesse desconfiado
Que aquele aluno menino
Herdasse seu doutorado

Mas a capoeira foi
Uma espécie de semente
Plantada no coração
De uma criança inocente
Encontrando solo fértil
E brotando lentamente

O menino foi crescendo
O tempo ia passando
Junto dele também ia
Sempre lhe acompanhando
O amor a capoeira
Cada vez mais aumentando

Todo tempo que podia
Estava em treinamento
A arte da capoeira
Carregava em sentimento
Pra onde quer que ele fosse
A levava em pensamento

Na fazenda, na escola
E nas horas de lazer
Quanto mais ele aprendia
Mais queria aprender
E os mestres desta arte
Gostava de conhecer

Deus então o colocou
Nas mãos de um professor
Muito mais que especial
Mais que mestre, um doutor
Manoel dos Reis Machado
Seu guia orientador

E a semente capoeira
Plantada no coração
Daquele jovem baiano
Recebeu a proteção
Regada por Mestre Bimba
Junto a sua plantação

Com sol quente ou chuva forte
Brisa mansa ou ventania
Tudo é vontade divina
Como o vento que um dia
Levou o mestre e o menino
Para longe da Bahia
No vestibular da vida

Passou com pouca idade
Agora o mundo seria
Sua universidade
Calouro inexperiente
Novato na faculdade
Estudante dedicado

Muito atento as lições
No trote do preconceito
Passou por humilhações
Sempre de cabeça erguida
Buscou suas soluções

Convivendo entre estudantes
De áreas convencionais
Medicina, arquitetura
E ciências sociais
Entre outras respeitadas
Carreiras profissionais

Foi cercado por pessoas
Com curso superior
Estudava a capoeira
Por ela tinha amor
E decidiu: – Nesta arte
Um dia vou ser doutor!

E em todas as matérias
Gostava de estudar
A história da capoeira
Muitas formas de treinar
Sua musicalidade
Compor, tocar e cantar

Aprendeu a ensinar
E criou seu próprio jeito
Convivendo entre os bambas
Foi tratado com respeito
Procurando agir certo
E fazer tudo bem feito

E o aluno se tornou
Um professor dedicado
Continuou estudando
Sem ficar acomodado
Tornando-se um grande mestre
Cada vez mais respeitado

E o Mestre Camisa hoje
É uma árvore sagrada
Com sua raiz bem forte
Por toda a Terra espalhada
Sua madeira é de lei
Sua sombra abençoada

Que tem galhos muito fortes
E dá frutos aos milhões
Suas folhas se renovam
Por diversas gerações
Suas flores mais bonitas
Se eternizam em canções

Semente que Deus criou
Ele eternizará
O Jardineiro Sagrado
Da árvore cuidará
Na história da capoeira
Meu mestre é um baobá

Em mais de quarenta anos
Estudando sem parar
Todo tempo a enfrentar
Os preconceitos tiranos
Sofrendo com desenganos
Resistindo com vigor
Com fé, trabalho e amor
À cultura brasileira
NA ARTE DA CAPOEIRA
MESTRE CAMISA É DOUTOR

Viajando o mundo inteiro
Divulgando a nossa arte
Ensinando em toda parte
Do Brasil e do estrangeiro
É um orgulho brasileiro
Exaltando o valor
Desse povo sofredor
Honrando a nossa bandeira
NA ARTE DA CAPOEIRA
MESTRE CAMISA É DOUTOR

Muitos mestres e doutores
De várias modalidades
Grandes universidades
Solicitam-lhe favores
Enaltecem seus valores
Tratando lhe com louvor
Elogiam seu labor
Por nossa Terra inteira
NA ARTE DA CAPOEIRA
MESTRE CAMISA É DOUTOR

Luiz Gonzaga no baião
No choro foi Pixinguinha
No Candomblé Menininha
No cangaço Lampião
Zumbi contra a escravidão
Pelé como jogador
Tiradentes foi senhor
Da inconfidência mineira
NA ARTE DA CAPOEIRA
MESTRE CAMISA É DOUTOR

Gandhi na sabedoria
Garrincha foi no driblar
Jesus Cristo em perdoar
Castro Alves na poesia
Freud em psicologia
Deus é como o Criador
Grande Otelo como ator
Cartola foi da Mangueira
NA ARTE DA CAPOEIRA
MESTRE CAMISA É DOUTOR

As forças da natureza
Doutoras em perfeição
O mar em imensidão
As florestas em beleza
O céu doutor em grandeza
Em sutileza é a flor
Sol e fogo em calor
Em água é a cachoeira
NA ARTE DA CAPOEIRA
MESTRE CAMISA É DOUTOR

Rio de Janeiro, 05 de maio de 2011
Autor: Victor Alvim (Lobisomem)

Projeto Capoeristas do Bem reúne crianças de Mãe Luiza

No bairro de Mãe Luiza, crianças estão aprendendo valores importantes, como disciplina e respeito pelo próximo, através das aulas de capoeira realizadas pela organização não-governamental Casa do Bem. Fundado há oito meses, o grupo de pequenos capoeiristas celebrou, na tarde deste sábado, na Escola Estadual Dinarte Mariz, a troca de cordão, uma mudança de nível no aprendizado dessa dança/luta, herança de nossas raízes negras.

O grupo Capoeiristas do Bem, como é chamado, possui atualmente 26 integrantes, na faixa de 8 a 12 anos. As aulas acontecem três vezes por semana, à tarde, e além de capoeira é ensinado também maculelê, samba de roda, noções de música e fabricação de instrumentos. “Esse trabalho é importante pois temos que mudar a imagem que a sociedade natalense tem de Mãe Luiza. Nosso trabalho aqui é ajudar essas crianças a darem importância ao futuro”, diz o mestre Josenilson “Petinha” , coordenador do projeto.

Pais, amigos e parentes dos capoeiristas-mirins foram prestigiar o evento, formando uma pequena platéia. Fotografando os passos dos filhos estava a auxiliar de cozinha Grace Silva Nascimento, mãe de Lucas, 7 anos, e de Bruno, 8. “É melhor eles estarem aqui do que na rua aprendendo o que não presta”, comenta, visivelmente orgulhosa.

O evento contou com a participação de capoeiristas experientes, que se apresentaram para os alunos do projeto e para os demais presentes, dando um verdadeiro show de técnica e agilidade. No pátio da escola soava berimbau, tambores e cantos.

O presidente da Casa do Bem, jornalista Flávio Rezende esclarece que as aulas de capoeira estão sendo realizadas na Escola Estaual Dinarte Mariz até que a construção da sede própria da ONG seja concluída. “Quando estiver pronta todas as nossas atividades serão transferidas para lá.” Os Capoeiristas do Futuro se apresentam amanhã à noite no Teatro Alberto Maranhão.

 

Fonte: Tribuna do Norte – http://tribunadonorte.com.br

Para saber mais: www.casadobem.org.br.

Raízes do Brasil realiza IX Batizado de Capoeira em Luzilândia.

Grupo de capoeira faz batizado e integra alunos ao projeto "Esporte para o Futuro"

O grupo Raízes do Brasil realizou no início da noite de sábado, o IX Batizado de Capoeira em Luzilândia, no Ginásio Dr. Vilarinho, envolvendo alunos dos projetos "Corpo Ativo", de São Bernardo (MA) e "Esporte para o Futuro". O batizado também fez parte da programação de aniversário de Luzilândia. A Associação Cultural de Capoeira do Piauí, Raízes do Brasil, realizou ontem, 8, no ginásio de esportes Dr. José Vilarinho, em Luzilândia, o IX Batizado de Capoeira, que teve a coordenação do professor Mucuim e do mestre Tucano.

O evento, que também fez parte da programação de aniversário da cidade, em seus 118 anos, reuniu, além das dezenas de alunos atendidos pelo projeto "Esporte para o Futuro", desenvolvido pela municipalidade, várias pessoas da sociedade. O Portal Luzilândia.com foi convidado para o evento que iniciou logo no início da noite, com a apresentação do projeto e dos resultados que a capoeira vem apresentando em Luzilândia, pelo professor Mucuim, acompanhado da palavra da prefeita Janaínna Marques.

A capoeira é e continuará sendo uma das ferramentas de inclusão e revolução cultural e esportivas de jovens e adultos, estejam em situação de risco ou na vulnerabilidade. Uma comitiva especial de Teresina veio para o batizado dos alunos luzilandenses.

O Grupo Raízes do Brasil tem como filosofia contribuir para a formação de valores humanos éticos, baseados no respeito, na socialização e na liberdade. Tentamos despertar em nossos capoeiristas uma visão ampla do universo em que a capoeira está inserida, priorizando a conscientização nos aspectos da defesa da natureza; valorização da cultura brasileira e integração social.

O maior objetivo de qualquer capoeirista, dentro de qualquer capoeirista, dentro de qualquer grupo de capoeira é chegar a ser um mestre de capoeira. No grupo Raízes do Brasil não é diferente. Toda graduação do grupo caminha para esse objetivo. Contudo, para ser um mestre de capoeira no Raízes do Brasil é preciso muito mais do que força, malícia, flexibilidade, gingado ou qualquer outro talento.

Tanto o grupo quanto o projeto "Esporte para o Futuro", da administração municipal, tem como grande objetivo a valorização do ser humano, do indivíduo, do aluno, desde iniciante até graduado, e a capoeira ajudará a atingir esse objetivo.

O desenvolvimento da arte da capoeira, por meio de profissionalização do capoeirista; elevação do nível técnico e teórico no ensino da capoeira, bem como sua utilização como recurso pedagógico, artístico e/ou cultural.

Consideramos a capoeira a expressão viva da liberdade de um povo, uma arte ancestral que deve ser praticada com reverência e merece respeito e atenção. Preservar seus valores é uma de nossas metas. Nosso trabalho aponta para a necessidade de valorizar o ser humano e o capoeirista.

 

Fonte. http://www.tvcanal13.com.br

Foto: Antonio Neto

NA RODA COM A MULHER – Entrevista com Lilia Benvenuto Lima (Criança)

NA RODA COM A MULHER – Entrevista com Lilia Benvenuto Lima (Criança)
A cada dia que passa as mulheres estão conquistando mais espaço. Seja na roda da vida. Uma prova disso é Lilia Benvenuto Lima, conhecida no universo capoerístico como Criança. Seu primeiro contato com a Capoeira aconteceu aos 14 anos, em Niteroi, Rio de janeiro, local onde nasceu e crou-se. O som evovente do berimbau que vinha de uma Academia próxima a sua casa, cada vez mais a atraía e contagiava. Na primeira oportunidade que teve fez uma aula e daí em diante não parou mais.Hoje, aos 25 anos, Criança é corda azul (instrutora) do Grupo Muzenza e esposa do Mestre Burguês. Atualmente, desenvolve um trabalho com Capoeira em uma pré-escola, na Academia Muzenza e Personal Training.
 
Seus planos são de continuar trabalhando em prol da Capoeira para uma melhor organização.
 
Conheça um pouco mais sobre essa incrível personalidade na entrevista que a Revista Praticando Capoeira realizou:
 
P. Capoeira: Como você vê a mulher hoje na Capoeira?
A mulher procurou primeiramente a Capoeira pela sua beleza lúdica, da influência do musicalidade e o fascínio do movimentos. Hoje encontramos nessa nobre arte uma forma de nos expressar, aproveitando da riqueza dos movimentos para manter um tônus muscular alcançando uma beleza corporal maior próxima do ideal. A mulher também esta aproveitando a facilidade de educar através dos movimentos da capoeira, trabalhando em projetos infantis, deficientes visuais, deficientes auditivos e outros.
 
P. Capoeira: O que está faltando para melhorar a Capoeira feminina?
Organização da própria mulher em criar condições para se desenvolver como capoeirista. Tais como encontros femininos, debates, palestras, etc…
 
P. Capoeira: Como está a Capoeira femenina no Sul do país?
A mulher começa tomar o seu espaço dentro da Capoeira do Sul pela própia necessidade da vida social femenina, o pensamento voltado para que “todos somos iguais independente do sexo”. Sabemos que nesse esporte em especial, valeu-se por muito tempo “o machismo”, hoje já mais moderado pela conquista do espaço feminino.
 
P. Capoeira: Além de você, têm outras mulheres que se destacam no grupo Muzenza ?
O Grupo Muzenza sempre teve grande participação feminina. Hoje encontramos não só as brasileiras se destacando dentro do grupo. As “Gringas” como são chamadas as estrangeiras, començam a mostrar que são boas capoeristas.
 
P. Capoeira: O fato de ser esposa do Mestre Burguês influencia a sua Capoeira?
Tento não deixar influenciar na Capoeira a fato de eu ser esposa de um dos maiores Mestres de Capoeira (Mestre Burguês).
 
P. Capoeira: Fale um pouco sobre o Mestre Burguês.
Um Homen simples com personalidade forte, determinado que retribui o que a Capoeira lhe deu através do seu trabalho.
 
P. Capoeira: Qual o futuro da mulher na Capoeira?
O futuro da mulher na Capoeira eira é sem dúvida de igualdade, principalmente pela importância feminina em eventos, campeonatos… e abrindo ainda um novo campo que seria a aceitação da mulher como instrutora, professora e mestra de Capoeira.
 

Fortaleza: Ginga e musicalidade na Praia do Futuro

Fim de tarde na praia com muita ginga e musicalidade. Na tarde de ontem, foi lançada a Associação Capoeira Mundi, com uma roda de capoeiristas na Praia do Futuro. O evento despertou a atenção de pessoas de diferentes idades e profissões. No centro de tanto interesse, uma arte marcial genuinamente brasileira, mas que já ganhou o mundo

Débora Dias

RODA DE capoeira na Praia do Futuro uniu diferentes idades, profissões e até nacionalidades(Foto: Alex Costa)

[23 Janeiro 04h31min 2006]

O som deu o chamado, com pandeiro, atabaque e berimbau. Foi seguido dos movimentos, alguns rasteiros, outros com o corpo no ar. A combinação foi inevitável para atrair a atenção de quem passava pela barraca Marulho, na Praia do Futuro, no fim da tarde de ontem. A pequena Júlia Lemos, de 11 meses, se concentrava no espetáculo. Tanto quanto o venezuelano Luiz Angel Picón, que parou as vendas de artesanato para prestigiar o evento. A roda de capoeira realizada no local uniu diferentes idades, profissões e até nacionalidades.

”A capoeira tem uma integração social fantástica e é genuinamente brasileira”, destacou o capoeirista há 29 anos e educador físico Fernando Araújo, conhecido como Dingo. A roda marcou o lançamento da Associação Capoeira Mundi, fundada para difusão do esporte. Dingo observa que a capoeira é um patrimônio brasileiro exportado para outros países. ”Tecnicamente nós a dominamos. Mas ela não está mais nos limites do País, ganhou o mundo. É nossa cultura, mas fascina a todos”, diz.

”Minha filha está vidrada e eu acho lindo. O ritmo, a dança, a energia que a gente sente”, conta a mãe de Júlia, a instrumentalista cirúrgica Isabela Lemos. A família dela foi aproveitar o fim de tarde na praia e encontrou um programa diferente. ”A capoeira oferece bons exercícios para o corpo, disciplina e mostra a cultura brasileira”, aponta o artesão Luiz Picón, que está no Brasil há um mês. Ele conta que conheceu o esporte na Venezuela e desde então procurou aprender mais sobre essa mistura de dança e arte marcial.

Dingo explica que a capoeira é uma só, mas jogada de várias formas. Há três estilos, o regional, que é mais rápido, benguela e angola, com ritmos mais lentos. ”O capoeirista completo tem que dominar os três estilos”, afirma. Entre os movimentos de defesa e ataque, meia-lua, martelo, esquiva, quixada e armada. Durante a roda, foi feita ainda uma apresentação de maculelê, uma dança com influências afro-indígena, em que são utilizados bastões de madeira.

O professor lembra que há 20 anos, a capoeira era marginalizada pela sociedade. Hoje, já é ensinada inclusive em escolas. ”Faz parte do nosso povo. Queremos que mais brasileiros despertem o interesse por ela. A capoeira é desnuda de preconceitos. Une pobres, ricos, pretos e brancos. São todos capoeiristas”. Mais do que observar, ele faz o convite para todos praticarem capoeira.

SERVIÇO
Associação Capoeira Mundi
Rua Jovino Guedes, 67, Aldeota
Telefone: 3221.1131
 

http://www.noolhar.com/opovo/fortaleza/558941.html

Mestre Gilvan e o projeto: “Gingando para o Futuro”

A Associação de Capoeira Ladainha, oferece a comunidade
  • 400 vagas gratuitas de Capoeira e Capoterapia
  • 200 vagas para IDADE: 07 a 21 anos
  • 200 VAGAS  40 a 90 anos Capoterapia
A capoeira é uma modalidade social, cultural, educativa e desportiva, de grande mobilização e êxito comprovado, como confirmam os registros das experiências que temos.
 O Projeto Iniciar Capoeira desenvolve a socialização da criança e do adolescente através da prática da capoeira, que é utilizada como esporte, cultura, arte, é altamente disciplinar e de caráter psicoterapêutico, com excelentes resultados.
 A clientela inclui jovens de comunidades carentes, geralmente privados de uma estrutura familiar sadia. Muitos apresentam distúrbios de personalidade, como agressividade, rebeldia, indisciplina na escola, baixa rendimento e apatia nos estudos. Grande parte dessas crianças e adolescentes são meninos de rua que se evadiram da família ou foram abandonados. Outros mergulham no submundo do crime e do consumo de drogas.
 Para tirá-los das ruas é preciso desenvolver trabalhos de prevenção, prepará-los e reintegrá-los à sociedade, garantindo-lhes um futuro melhor. Para isso é preciso muito trabalho, dedicação e serenidade. É necessário superar os métodos ortodoxos, que já não atendem mais às expectativas do trabalho social conseqüente.
 
Read More

Mestre Gilvan e o Projeto “Gingando para o Futuro”

A Associação de Capoeira Ladainha, oferece a comunidade
  • 400 vagas gratuitas de Capoeira e Capoterapia
  • 200 vagas para IDADE: 07 a 21 anos
  • 200 VAGAS  40 a 90 anos Capoterapia
 
A capoeira é uma modalidade social, cultural, educativa e desportiva, de grande mobilização e êxito comprovado, como confirmam os registros das experiências que temos.
O Projeto Iniciar Capoeira desenvolve a socialização da criança e do adolescente através da prática da capoeira, que é utilizada como esporte, cultura, arte, é altamente disciplinar e de caráter psicoterapêutico, com excelentes resultados.
 A clientela inclui jovens de comunidades carentes, geralmente privados de uma estrutura familiar sadia. Muitos apresentam distúrbios de personalidade, como agressividade, rebeldia, indisciplina na escola, baixa rendimento e apatia nos estudos. Grande parte dessas crianças e adolescentes são meninos de rua que se evadiram da família ou foram abandonados. Outros mergulham no submundo do crime e do consumo de drogas.
 Para tirá-los das ruas é preciso desenvolver trabalhos de prevenção, prepará-los e reintegrá-los à sociedade, garantindo-lhes um futuro melhor. Para isso é preciso muito trabalho, dedicação e serenidade. É necessário superar os métodos ortodoxos, que já não atendem mais às expectativas do trabalho social conseqüente.
 
Read More