Blog

gerais

Vendo Artigos etiquetados em: gerais

Livro: Entre a Vadiagem e a Academia

Entre a Vadiagem e a Academia – O Local e o Global na Capoeira de Belo Horizonte

Resumo ampliado

O livro adota a noção de mestiçagem no Brasil sob um ponto de vista que considera mais do que uma evidência empírica, demonstrando-a como valor constituído e constituinte de um repertório da capoeira acessível por meio da memória. Para isto, considera as “tradições inventadas” (HOBSBAWN; RANGER, 1984) na capoeira como reflexos das relações raciais no Brasil, apresentando a capoeira na cidade de Belo Horizonte (Minas Gerais) como estudo de caso. A discussão desenvolvida no livro também aborda o Turismo como articulador de relações entre as culturas, entendendo que as ressignificações simbólicas das culturas são influenciadas, mesmo que não sendo exclusivamente, pelo Turismo. O livro pretende demonstrar a capoeira na cidade de Belo Horizonte como estudo de caso para identificar a concepção de ‘afro-brasileiro’ e do afro-descendente na identidade local. A argumentação é embasada em pesquisa realizada pela autora para obtenção do título de especialista em Estudos Africanos e Afro-Brasileiros na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, em 2007. A pesquisa teve enfoque qualitativo, utilizando para coleta de dados a pesquisa de campo, a realização de entrevistas do tipo pessoal/formal/estruturada com mestres e alunos capoeiristas de dois grupos de capoeira: Fundação Internacional de Capoeira Angola (FICA) que se identificava como sendo de capoeira angola e Grupo Bantus Capoeira (GBC) que se identificava como sendo de capoeira regional/contemporânea na cidade de Belo Horizonte. Ambos os grupos mantinham fortes relações com o Turismo. Também foram utilizados formulários de entrevistas para coleta de dados com capoeiristas turistas brasileiros e estrangeiros que tiveram contato com a capoeira em Belo Horizonte, observação sistemática de rodas de capoeira da cidade, pesquisa bibliográfica e no acervo do Museu da Capoeira (idealizado e coordenado pelo Mestre Noventa) e entrevistas com os mestres Toninho Cavalieri (tido como principal precursor da capoeira em Belo Horizonte) e Primo (Grupo Iúna de Capoeira Angola). Partindo dos resultados da pesquisa, o livro aborda a percepção dos capoeiristas sobre o que seriam as características peculiares à capoeira local, bem como as concepções sobre as relações raciais e de gênero na capoeira da cidade. Aponta, também, a percepção dos capoeiristas sobre a influência do Turismo e do mercado global na capoeira local enfatizando as relações e ressignificações simbólicas que esta influência acarreta para o capoeirista turista e o capoeirista residente, demonstrando como a viagem torna-se um valor importante para os capoeiristas em Belo Horizonte e, como a viagem ao exterior para dar aulas de capoeira é um ideal profissional dos capoeiristas locais, inclusive como forma de busca pela independência econômica. Essa concepção de valorização da viagem aumenta a partir da interação destes capoeiristas através dos meios de comunicação de massa globais, as trocas culturais advindas do Turismo e de sua participação na indústria cultural mundial. Neste processo, os objetivos e buscas dos capoeiristas na prática da capoeira modificam-se, influenciando e sendo influenciados a partir das trocas culturais, ampliando as percepções sobre a cultura afro-brasileira e as percepções do afro-descendente em nível local e global.

Mini-currículo autora

Patrícia Campos Luce é turismóloga de formação (Centro Universitário Newton Paiva), especialista em Estudos Africanos e Afro-Brasileiros (PUC/MG) e Mestre em Lazer (UFMG). Capoeirista há 9 anos, desenvolve pesquisas enfocando a prática da capoeira desde sua graduação em Turismo. Trabalhou na Superintendência de Interiorização da Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais desenvolvendo projetos culturais relacionados à cultura afro-brasileira no interior do Estado de Minas Gerais. É sócio fundador do Instituto Brasileiro de Turismólogos, tendo atuado na comissão científica desta instituição focando pesquisas relacionadas ao turismo e cultura. Atualmente é doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Antropologia da Universidade Federal da Bahia residindo em Salvador e desenvolvendo pesquisas em diálogo com as áreas da Antropologia da Técnica, da Prática, do Corpo e da Performance tendo a capoeira como principal objeto de estudo.

Livro aborda pesquisa em BH sobre capoeira

O livro adota a noção de mestiçagem no Brasil sob um ponto de vista que considera mais do que uma evidência empírica, demonstrando-a como valor constituído e constituinte de um repertório da capoeira acessível por meio da memória. Para isto, considera as “tradições inventadas” (HOBSBAWN; RANGER, 1984) na capoeira como reflexos das relações raciais no Brasil, apresentando a capoeira na cidade de Belo Horizonte (Minas Gerais) como estudo de caso.

A discussão desenvolvida no livro também aborda o Turismo como articulador de relações entre as culturas, entendendo que as ressignificações simbólicas das culturas são influenciadas, mesmo que não sendo exclusivamente, pelo Turismo. O livro pretende demonstrar a capoeira na cidade de Belo Horizonte como estudo de caso para identificar a concepção de ‘afro-brasileiro’ e do afro-descendente na identidade local.

A argumentação é embasada em pesquisa realizada pela autora para obtenção do título de especialista em Estudos Africanos e Afro-Brasileiros na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, em 2007. A pesquisa teve enfoque qualitativo, utilizando para coleta de dados a pesquisa de campo, a realização de entrevistas do tipo pessoal/formal/estruturada com mestres e alunos capoeiristas de dois grupos de capoeira: Fundação Internacional de Capoeira Angola (FICA) que se identificava como sendo de capoeira angola e Grupo Bantus Capoeira (GBC) que se identificava como sendo de capoeira regional/contemporânea na cidade de Belo Horizonte. Ambos os grupos mantinham fortes relações com o Turismo.

Também foram utilizados formulários de entrevistas para coleta de dados com capoeiristas turistas brasileiros e estrangeiros que tiveram contato com a capoeira em Belo Horizonte, observação sistemática de rodas de capoeira da cidade, pesquisa bibliográfica e no acervo do Museu da Capoeira (idealizado e coordenado pelo Mestre Noventa) e entrevistas com os mestres Toninho Cavalieri (tido como principal precursor da capoeira em Belo Horizonte) e Primo (Grupo Iúna de Capoeira Angola).

Partindo dos resultados da pesquisa, o livro aborda a percepção dos capoeiristas sobre o que seriam as características peculiares à capoeira local, bem como as concepções sobre as relações raciais e de gênero na capoeira da cidade. Aponta, também, a percepção dos capoeiristas sobre a influência do Turismo e do mercado global na capoeira local enfatizando as relações e ressignificações simbólicas que esta influência acarreta para o capoeirista turista e o capoeirista residente, demonstrando como a viagem torna-se um valor importante para os capoeiristas em Belo Horizonte e, como a viagem ao exterior para dar aulas de capoeira é um ideal profissional dos capoeiristas locais, inclusive como forma de busca pela independência econômica.

Essa concepção de valorização da viagem aumenta a partir da interação destes capoeiristas através dos meios de comunicação de massa globais, as trocas culturais advindas do Turismo e de sua participação na indústria cultural mundial. Neste processo, os objetivos e buscas dos capoeiristas na prática da capoeira modificam-se, influenciando e sendo influenciados a partir das trocas culturais, ampliando as percepções sobre a cultura afro-brasileira e as percepções do afro-descendente em nível local e global.

 

Mini-currículo autora

Patrícia Campos Luce é turismóloga de formação (Centro Universitário Newton Paiva), especialista em Estudos Africanos e Afro-Brasileiros (PUC/MG) e Mestre em Lazer (UFMG). Capoeirista há 9 anos, desenvolve pesquisas enfocando a prática da capoeira desde sua graduação em Turismo. Trabalhou na Superintendência de Interiorização da Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais desenvolvendo projetos culturais relacionados à cultura afro-brasileira no interior do Estado de Minas Gerais. É sócio fundador do Instituto Brasileiro de Turismólogos, tendo atuado na comissão científica desta instituição focando pesquisas relacionadas ao turismo e cultura.

Atualmente é doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Antropologia da Universidade Federal da Bahia residindo em Salvador e desenvolvendo pesquisas em diálogo com as áreas da Antropologia da Técnica, da Prática, do Corpo e da Performance tendo a capoeira como principal objeto de estudo.

Patrícia Campos Luce (Pimenta)
Doutoranda em Antropologia Ufba
(71) 92008809

 

Curta sobre cultura afrobrasileira faz avant premiere em encontro de Capoeira Angola

“ANGOLA: Capoeira Ancestral” 

O curta metragem “ANGOLA: Capoeira Ancestral” terá sua avant premiere na próxima quinta-feira, dia 07 de abril, às 13h, durante o 3º Encontro Nacional de Capoeira Angola. Ele será reexibido na sexta-feira, dia 08, no mesmo horário. O encontro, que acontece entre 5 e 9 de abril, na Funarte, com entrada franca, é realizado pelo Grupo Iuna de Capoeira Angola, com os recursos do Fundo Municipal de Cultura. Com rodas, palestras, seminários, oficinas de Capoeira Angola e mostras de filmes, o evento vem sendo realizado desde 1999 e tornou-se referência para a comunidade capoeirística de Minas Gerais.  Nesse ano serão homenageados os mestres Cavalieri, Boca e Dunga e vindos diretamente de Santo Amaro da Purificação, Recôncavo Baiano, os mestres Felipe e Ivan, e Mestre Lua, de Salvador. Confira a programação completa em http://grupoiuna.blogspot.com/.


SINOPSE: Apertem os cintos! Vamos embarcar numa viagem para o passado. O nosso passado, o do povo brasileiro e da capoeira angola. Um passado bem antigo, de bem mais de 400 anos atrás, quando começaram a chegar ao brasil os primeiros negros africanos. Visitaremos a áfrica antiga, as fazendas de cana da bahia, o quilombo do palmares, zumbi e o rei ganga zumba em alagoas. O trabalho duro nos portos de recife. No recôncavo baiano conheceremos o besouro de macangá, o samba e política das vilas e favelas no rio de janeiro, com suas “maltas” de capoeiristas. Veremos que o governo do brasil republicano teve medo da organização do negro liberto e por isso fez da capoeira um crime. E veremos, principalmente, que o povo negro é lindo! Que nossa liberdade não tem amarras, nem fronteiras. Ainda mais quando se sabe valorizar a sua cultura e a sua herança ancestral.


DESTAQUE: CRIANÇAS PRODUZIRAM A ANIMAÇÃO


O documentário é um dos oito produtos culturais do DVD “PAZ NO MUNDO CAMARÁ: a Capoeira Angola e a volta que o mundo dá”, co-produzido pela Associação Cultural Eu Sou Angoleiro e ATOS Central de Imagens. “ANGOLA: Capoeira Ancestral” é resultado da Oficina de Animação e Contação de Histórias, da qual participaram dez crianças do programa Escola Integrada da E. M. Hugo Werneck (comunidade do Morro do Cascalho, bairro Morro Alto, Belo Horizonte, MG). Eles foram selecionados para ajudar a construir uma parte da narrativa do documentário “PAZ NO MUNDO CAMARÁ: a Capoeira Angola e volta que o mundo dá” e criaram cenas que remontam 400 anos da Capoeira no Brasil. A oficina atuou como uma ferramenta de resgate dessas memórias não registradas e um instrumento de interação e reflexão social. O projeto tem o patrocínio do Prêmio Capoeira Viva, Governo de Minas, Fundo Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais, BDMG, Petrobrás e Governo Federal; foi desenvolvido em parceria com o Ponto de Cultura Flor do Cascalho e a Casa Civil da Presidência da República; com o apoio do Pão de Queijo Notícias, Instituto Caribé e Gegê Produções.


PRÉ-LANÇAMENTO do DVD “PAZ NO MUNDO CAMARÁ: a Capoeira Angola e a volta que o mundo dá”


A avant premier do curta “ANGOLA: Capoeira Ancestral” integra as atividades de pré-lançamento do DVD “PAZ NO MUNDO CAMARÁ: a Capoeira Angola e a volta que o mundo dá”. Ele é o resultado de seis anos de trabalho e envolvimento da comunidade capoeirística angoleira de cinco estados brasileiros.

PAZ NO MUNDO CAMARÁ em números:
6 anos de produção;
Mais de 40 profissionais envolvidos;
5 estados pesquisados;
58 locações (15 MG, 25 RJ, 12 BA, 5 PE, 1 AL);
51 entrevistados: 25 mestres de capoeira angola;
18 mestres da cultura popular/agentes culturais;
8 pesquisadores;
25 alunos tiveram contato com o mundo audiovisual

Com 35% das verbas reais Realizamos 70% de nossos objetivos. 

Conteúdo do DVD:http://paznomundocamara.blogspot.com/

EDIÇÃO LIMITADA. Faça logo sua reserva:falecom@atosimagens.com.br

CONTEÚDO DO DVD: 
8 PRODUTOS CULTURAIS

VIDEOS:

1) “PAZ NO MUNDO CAMARÁ: a Capoeira Angola e a volta que o mundo dá” Documentario televisivo (52 minutos, Brasil: RJ, BA, PE, AL e MG); 
2) “PAZ NO MUNDO CAMARÁ: a Capoeira Angola e a volta que o mundo dá- Minas Gerais”, Curta metragem (19 minutos, Minas Gerais) – produzido pelos alunos da Oficina de Produção Audiovisual “Documentos de Si”;
3) Making Off da Oficina de Produção Audiovisual “Documentos de Si”– 13 capoeiristas capacitados em Audiovisual – 4 min;

{youtube}2TaQL9i5Wo0{7youtube}

FOTOS: 

4) Fotos de Cena (Still) no Brasil;
5) Referências Pesquisa Histórica;
6) Pesquisa iconográfica Arquivo Nacional; 

TEXTOS

7) Revista Angoleiro é o que Eu Sou!;
8) Encarte- Resumo da Pesquisa in loco em MG, BA, RJ, PE e AL sobre a capoeira angola no Brasil.

Conheça os outros sete produtos culturais do projeto:http://paznomundocamara.blogspot.com/

Esse projeto recebeu o Prêmio Capoeira Viva e possui patrocínio do Fundo Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais, BDMG, Governo de Minas, Petrobrás e Governo Federal. Foi desenvolvido em parceria com o Ponto de Cultura Flor do Cascalho e a Casa Civil da Presidência da República e possui apoio do Pão de Queijo Notícias, Instituto Caribé e Gegê Produções.

SERVIÇO


EVENTO:  Avant premiere do curta metragem “ANGOLA: Capoeira Ancestral” durante o 3º Encontro Nacional de Capoeira Angola

DATA: 7 e 8 de abril de 2011

HORÁRIO: 13h

LOCAL: FUNARTE,  R. Januária, 68, Floresta / BH/MG

INFORMAÇÕES: (31) 3483-5301 / 4063-9822

LINKS: http://paznomundocamara.blogspot.com/
www.atosimagens.com.br
www.eusouangoleiro.org.br
http://grupoiuna.blogspot.com/

MG: Ginga Itaúna 2010

Itaúna é um município brasileiro do estado de Minas Gerais. Localiza-se a uma altitude de 880 metros. Sua população estimada em 2004 era de 82 232 habitantes e é considerada uma cidade pólo de porte médio. Possui uma área de 497,38 km, está a 76 km de Belo Horizonte e integra o Colar Metropolitano da Região Metropolitana de Belo Horizonte, tendo como atividades econômicas principais a siderurgia/metalurgia, textil, autopeças, significativa produção agropecuária e amplo setor de serviços. Possui uma área de influência compreendida pelos seguintes municípios: Bonfim, Carmópolis de Minas, Crucilândia, Itaguara, Itatiaiuçu, Juatuba, Mateus Leme, Passa Tempo, Piedade dos Gerais, Piracema e Rio Manso, municípios pertencentes às mesorregiões Metropolitana de BH e Oeste de Minas.

O município está classificado em 12º lugar no ranking do índice de desenvolvimento humano de Minas Gerais de um total de 853 municípios e na posição 196 no ranking nacional. É servido pelas rodovias estaduais MG-050 e MG-431 e pela Ferrovia Centro Atlântica. A Universidade de Itaúna é das mais conceituadas do interior brasileiro, com inúmeros cursos de graduação e pós-graduação. A cidade possui três teatros e vários pontos turísticos como: Barragem do Benfica, Cachoeira da “Cachoeirinha”, Capela do Rosário, Igreja Matriz de Sant’ana, Morro do Bonfim, Estância Hidromineral Água Mineral Viva, Gruta da Nossa Senhora de Itaúna, Museu Municipal Francisco Manoel Franco e Campus Verde da Universidade de Itaúna.

 

CONVITE GINGA ITAUNA:

Em meio a artistas, poetas tocadores e cantadores faremos nossa festa, que a 08 anos acontece na cidade de Itaúna – Minas Gerais, (Pedra Negra), a GINGA – ESCOLA DE CULTURA POPULAR CAPOEIRA coordenada pelo Cantador e que tem como professores, o Japão e o Bruce-lee, teve um sonho certa vez, agregar em uma mesma festa tudo de bom que o Brasil tem!!! A Arte o AXE o mistério e o entusiasmo do negro principalmente, que em tudo vê solução, sejamos um pouco assim!

Quem mais nos ajuda e ajudou até o momento neste sonho é o Paulo Roberto Ferreira Leal o – CEBOLINHA. Nosso Coordenador e Supervisor que nos ensina que Aquele que é humilde será exaltado! Temos como grande exemplo de vida e de pessoa humana, o Mestre Paulão – Paulo Roberto Ribeiro obrigado e estes dois!!! Sempre nos incentivando.

Mas como poderíamos nos esquecer do Fuinha – Pequeno jogador e grande homem, traga sua viola cara!!!!! Será bem vinda e muito útil!!! Ensaie o Menino da Porteira!!!!! Traga a Malu para ela dá um Show como sempre!! A Folgadinha nosso Exemplo de capoeirista e futura Mestra!!!!!! Traga o DVD do Homem, 50 de ensino da capoeira O Grande NEGO!!! O ATIVO- com seu swing aprendido com o Waldemar e com o Wilian o Douglas, e seu PORRADA será que dá porrada mesmo? Nossa não quero nem ver?! Vai ser grande assim pra lá!!!! Com a cara e o coração do Mussum AXE Luiz Gonzada!!! O Rei da capoeira de Rua!!! Tem também o Gaio – homem letrado como diz o Alan!!!! Cordelista – imortal – nosso mestre também!!! Atabaqueiro!!! E o Super 90 isso mesmo NOVENTA!!! Articulador!!! Ajuntador!!! Arquivista e motorista profissional!!!! O Cavalieri nosso padrinho, pai, e eterno paraninfo AXE GRÃO!!!! Tem também o Ket – Lutador amigo e coração de menino! O Berimbau Ecologico que tem sua idéia muita bem difundida agora nas gerais!!! Ainda temos o MINEIRO exemplo de Mestre com os instrumentos, se não bastasse o berimbau agora é a vez das VIOLAÇA mistura de viola com CABAÇA! Tem o Lobisomem nossa camarado do Rio de Janeiro, aluno do Homem, poeta – ator grande cantador AXE pra você! Traga os cordéis os CDs etc.

Tem o Zé Paulo grande instrumentista da capoeira!!!! AXE a TURMA ANTIGA DA GINGA mais esperada não há!!! GINGA O FENOMENO CULTURAL DA DECADA DE 80…… Todo mundo os que estão na ativa ai!! e os que estão na ativa escondidos: QUEM É CAPOEIRA SEMPRE O SERÁ! MACACO – KK- GODÓ – MATIOLI – PINTOR- AGOSTINHO – DUDU – LUCENA – DR – AUGUSTO – ZÉ MARIA – SERGINHO – MAMADEIRA – VIVIANE – AFONSINHO – ETC ETC ETC!!!

Nossos homenageados deste ano: Mestre MARRECO – Grande professor e divulgador da capoeira. E um exemplo de Mestre com sua humildade que nos fascina Mestre ZÉ ANTONIO de Guaratinguetá – Cordão de Ouro quem não se cansa de homenagear seu e mestre nosso mestre SUASSUNA…

 

Nos dias 10 a 13 de junho faremos nossa festa e contamos com todos vocês mestres, professores, companheiros e principalmente amigos exemplos, Deus guie todos vocês!!!!!!!

 

DE ANTE MÃO OBRIGADO E TODOS MESMO!!!!

PROGRAMAÇÃO:

 

* Dia: 10 de junho na academia – ZELIA DE PAULA MACHADO AS 19:00 AULAS ADULTO E INFANTIL – ZELIA DE PAULA MACHADO – Rua Antônio Corradi, 14 Centro – Itaúna – MG  Tel: (37) 3241-3091.

* Dia 11 de junho na PRAÇA PRINCIPAL DE ITAÚNA – MATRIZ AS 19h00min AULÃO E RODA DE ABERTURA

* DIA 12 de junho parte da manhã as 08h00min aulas com convidados.

LOCAL: COMUNIDADE DE CACHOEIRINHA – ZONA RURAL DE ITAÚNA

Aulas com – WALDEMIR – 2 DE OURO

MESTRE MARRECO

MESTRE DUDU

MESTRE ZÉ PAULO

MESTRE ZÉ ANTONIO

MESTRE NEGAATIVO

MESTRE GAIO

MESTRE MINEIRO

MESTRE 90

MESTRE PAULÃO

CONTRA MESTRE CEBOLINHA

CONTRA MESTRE FUINHA

PROFESSOR KET

PROFESSORES E AMIGOS CONVIDADOS

AS 12h00min ALMOÇO NO RESTAURANTE MONTANHAS DE MINAS

AS 13h00min VISITA A CACHOEIRA DE CACHOEIRINHA.

 

Cachoeira “Cachoeirinha”: Com sua beleza natural, quedas de água, formação de poços e de grutas, a Cachoeira da Cachoeirinha – zona rural de Itaúna – está localizada a aproximadamente 18 km do centro da cidade. A Cachoeira pertence, hoje, ao município e um projeto vai ser elaborado para o aproveitamento como área de turismo e lazer, de forma sustentável.

 

Na parte da tarde as 14h00min

LOCAL: No CAIC BAIRRO – MORADA NOVA R. Vó Almira, 358 – B. Morada Nova – 3241-4409

 

Aulas com a Mestraiada toda e Bate Papo com os convidados para troca de Experiências.

 

AS: 18h00min RODA NA PRAÇA DA PRAINHA – FINAL DA AVENIDA JOVE SOARES.

 

* Dia 13 batizado na parte da manhã as 08h30min

 

LOCAL: SILVIO DE MATOS. – AO LADO DA CAMARA MUNICIPAL.

Temos como parceiros a Prefeitura de Itaúna, a secretaria de Educação e Cultura SEMEC, as empresas: TECITA – BORDAMAX – BRASIL MINAS – LAVE MINAS – SOLDAGERAIS – HOTEL PONTO CHIC e a TRIGOS PADARIA.

E como apoiadores:

O GUSTAVO BEZZI – Fotografo – USINA DE SONHOS – CEEV – Centro de Equitação e Equoterápia dos Vales – Restaurante – MONTANHAS DE MINAS.

 

E O MOVIMENTO TAMO JUNTO CAPOEIRA:

 

Nossa idéia a juntar todos nossos amigos e companheiros para uma boa roda de capoeira e um bom Bate papo.

 

Cordão de Ouro: Contramestre: Fuinha – Professores: Cebolinha- Folgadinha, Neguinho e Formiga do Pantera o Marcinho Munrrá, Minhoca e galera toda. Contramestre Lú Pimenta: Professores: Buda e Beto Tucano.

Guará-Capoeira (Cordão de Ouro) Mestre Zé Antonio – Tatu e equipe.

Ogunhê Capoeira- Professores Ket e Divino e equipe

Capoeira Raízes – Mestre Zé Paulo – Professores Leandro (lele) e Cabeçote.

Berimbau Ecologico – Marco.

Ginga – Itambacuri – Mestre Paulão e Contramestre Quincão

Ginga Especial – Contra Mestre Cebolinha Instrutores Cobra Verde e 2 de Ouro.

Capoeira UNIDA VOLTA AO MUNDO: MESTRE CAVALIERI – GAIO – 90 – MINEIRO.

 

OBS: Os Teles de contato são:

 

Cantador: 33-88014913

31-93381307

31-88139378

Japão: 91027938

Bruce-Lee: 88180005

Na parte da manhã no sábado é na Zona Rural mas todos da cidade sabem para que lado fica a Comunidade de Cachoeirinha no centro comunitario. Ok, pois tem lugares lá que não tem sinal de Celular, qualquer coisa liguem antes para combinarmos de encontrar em algum lugar.

 

AXE!!!!!!

JOVENS CAPOEIRISTAS ENTRAM NO MUNDO AUDIOVISUAL EM BH

Nesta quinta-feira, 23/04, às 19h, no Ponto de Cultura Flor do Cascalho, Região Sul de Belo Horizonte, acontecerá  a formatura de 12 jovens capoeiristas, de diversas frentes de trabalho da Associação Cultural Eu Sou Angoleiro – Acesa – na periferia da Região Metropolitana de Belo Horizonte. Angoleiros de  Sabará, Vespasiano, Contagem e de comunidades da capital como Morro do Cascalho, Pedreira Prado Lopes e Alto Vera Cruz, participaram da Oficina de Produção Audiovisual “Documentos de Si” e farão a pré-estréia do documentário “Paz no Mundo Camará: a Capoeira Angola e a volta que o mundo dá – Minas Gerais”, um curta metragem de 25 minutos, resultado de 6 meses de suas incursões ao mundo audiovisual, que será parte integrante do documentário final de 55 minutos.
 
A solenidade contará com a presença de vários personagens do curta , bem como representantes do Ministério da Cultura, do Fundo Estadual de Cultura do Estado de Minas Gerais e da Secretaria Municipal de Educação. Além da pré-estréia do documentário “PAZ NO MUNDO CAMARÁ: a Capoeira Angola e a volta que o mundo dá –  Minas Gerais”, haverá uma exposição fotográfica das fotos de cena (Still) e uma apresentação cultural surpresa para os convidados.

MUNDO AUDIOVISUAL

Durante a Oficina, jovens entre 14 e 30 anos, vivenciaram uma nova perspectiva de atuação e capacitação em suas vidas: o cotidiano dos SETs de gravação do mundo audiovisual e todo o trabalho especializado dos bastidores das cenas como  roteiro, produção, direção, fotografia, cinegrafia e tudo que é necessário para produzir um documentário.  Eles entraram no mundo do cinema e conheceram de perto a linguagem audiovisual ao realizarem seu primeiro documentário, orientados por profissionais do mercado audiovisual mineiro.
 
A Oficina de Produção Audiovisual “Documentos de Si”  potencializou as atividades culturais e a utilização dos equipamentos audiovisuais do recém-inaugurado Ponto de Cultura Flor do Cascalho (Morro das Pedras), da ACESA, através da capacitação dos angoleiros para o mundo audiovisual. Por isso, desde setembro eles tiveram aulas, e em dezembro gravaram a etapa de MG do documentário global, sob o olhar de quem vivencia e pratica o tema abordado: a Capoeira Angola. Neste documentário locais como a Comunidade da Pedreira Prado Lopes, Alto Vera Cruz, Saudade, Morro da Cascalho, Bairro Nacional foram abordados sob a perspectiva cultural e social, ao contrário do viés denotativo da violência.
 
DOCUMENTÁRIO GLOBAL – 55 MINUTOS

Restringir a Capoeira Angola como apenas uma atividade física, não revela a sua verdadeira essência. Ao contrário do senso comum, no Brasil sua implicação é cultural, histórica, política e principalmente social, é o resultado da manutenção de 400 anos de resistência do modo de ser do negro. O projeto “PAZ NO MUNDO CAMARÁ: a Capoeira Angola e a volta que o mundo dá”, produzido pela ATOS Central de Imagens, em parceria com a Associação Cultural Eu Sou Angoleiro – Mestre João, apresenta uma perspectiva inédita sobre o assunto.

O projeto consiste em um documentário de 55 minutos que recebeu em 2008 o prêmio Capoeira Viva (do MINC, um dos 6 projetos de MG contemplados) e obteve financiamento do Fundo Estadual de Cultura de MG. O objetivo primordial é realizar uma pesquisa aprofundada na Bahia, Rio de Janeiro, Pernambuco e Minas Gerais, sobre a história da Capoeira Angola no Brasil e sua utilização como instrumento de inclusão social e paz no mundo.

Além do documentário que já tem exibição garantida no Canal Brasil e na TV América Latina, o projeto contempla ainda a realização da Oficina “Documentos de Si” e a edição da Revista “Angoleiro é o que eu Sou” e a formatação do site www.eusouangoleiro.org.br em portal.

FINANCIAMENTO E PARCERIAS
FUNDO ESTATUAL DE CULTURA MG, BDMG, SECRETARIA DE ESTADO DA CULTURA, PRÊMIO CAPOEIRA VIVA 2008, FUNDAÇÃO GREGÓRIO DE MATOS, PETROBRÁS, CENTRO CULTURAL UFMG, CANAL BRASIL, TV AMÉRICA LATINA.

REALIZAÇÃO

·        ATOS Central de Imagens
·        ACESA- ASSOCIAÇÃO CULTURAL EU SOU ANGOLEIRO – Mestre João Angoleiro

SERVIÇO
EVENTO: Formatura da Oficina Audiovisual “Documento de Si” do projeto PAZ NO MUNDO CAMARÁ: a Capoeira Angola e a volta que o mundo dá”
DIA: 23/04/2009
HORÁRIO: 19h
LOCAL: Ponto de Cultura Flor do Cascalho – (Morro do Cascalho/Morro das Pedras) Beco Marco Antônio, 250  – Grajaú – BH-MG  (próximo à Polícia Federal)

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO:
ATOS Central de Imagens – WWW.atosimagens.com.br
 

Geral – falecom@atosimagens.com.br – 4063-9822
Carem Abreu – carem@atosimagens.com.br – 9297-1582
Junia Bertolino – juniabertolino@yahoo.com.br – 9917-6762
Liliane Martins – Liliane@atosimagens.com.br – 8884-7476

Lançamento do centenário de Ataulfo Alves – 1909 – 2009

Com muito samba e alegria, a capital mineira lançou ontem, no dia nacional do samba, o centenário do intérprete e compositor, Ataulfo Alves, uma noite a altura deste saudoso sambista.

O lançamento aconteceu no Palácio das Artes com lindas atrações. As 18h30min o projeto Terças Poéticas realizou uma apresentação fundamentada na história do homenageado, seguida de poesias, cantos e interpretações, logo após, no Teatro João Ceschiatti, os convidados participaram de uma solenidade para a apresentação da programação de 2009 e lançamento do site www.ataulfoalves100anos.com.br.

O ponto alto da noite ficou por conta do show de Ataulfo Alves Jr com o grupo Copo lagoinha, o publico presente foi ao delírio com as canções, o coro ecoava durante apresentação, os rostos das pessoas estavam estampados de sorrisos, todos embalados ao som dos sucessos do Mestre, realmente foi emocionante. Em seguida, para fechar a noite, foi oferecido um coquetel nos Jardins.

Estiveram presentes: Paulo Brant, secretário de cultura de Minas, Sergio Resende, Prefeito de Miraí além de 15 pessoas representando a cidade, Paulo Rogério representando a Energisa, Vereador Arnaldo Godoy, Aída Ferrari Chefe da Representação Regional do Ministério da Cultura em MG, José Amaro Guimarães de Siqueira – Gerente de Comunicação da TV Globo Minas, José Emilio Afonso Assessor Político do Vice Governador de Minas, Jorge Carlos Borges de Souza, Diretor da Associação Comercial de Minas, José Dias Coelho Neto, Gerente do Escritório da Anatel em Minas Gerais, Valeria Marques Assessora da Diretoria dos Correios em Minas Gerais, o Radialista Acir Antão, Gervásio Horta, Mirian Lott da Funarte, toda a diretoria da FCS, além dos amigos que foram prestigiar a festa.

Confiram a programação no site do centenário.

www.ataulfoalves100anos.com.br

Fundação Palmares participa de Encontro Quilombola

O diretor do Departamento de Proteção do Patrimônio Afro-brasileiro (DPA) da Fundação Cultural Palmares, Maurício Reis, participa durante toda a semana do III Encontro das Comunidades Quilombolas de Minas Gerais.

O evento tem o objetivo de discutir a situação dos quilombolas no Estado, as políticas de apoio aos quilombos, informar as populações tradicionais sobre alguns de seus direitos, bem como, ouvir as necessidades e anseios das populações remanescentes de escravos.

O diretor da DPA aproveita a ocasião para distribuir a algumas das comunidades mineiras presentes, as certidões de autoreconhecimento como comunidades remanescentes de quilombo.

Os quilombos autoreconhecidos que receberão as certidões são:

Fazenda Sertãozinho; Buieié; Comunidade Negra de Quilombo; Mocó dos pretos; Gravata; Chacrinha dos Pretos; Água Limpa de Baixo, Água Limpa de Cima; Comunidade Quilombolas; Brejo Grande; Dr. Campolina; Ferreiras; Moça Santa; Bebedouro; Alto Caititu; Catito do Meio; Boa Morte e Muzambinho.

O Encontro será realizado entre os dias 27 e 30 deste mês, no Sesc de Contagem. Entre os temas discutidos, estão: A importância da organização da comunidade quilombola para a busca de seus direitos; Políticas públicas e Direitos Humanos das Comunidades quilombolas: problemas, reivindicações, possibilidades e instrumentos institucionais e jurídicos; Política social de segurança alimentar em comunidades quilombolas; Política Ambiental e conflitos fundiários: a relação entre o meio ambiente e os direitos das comunidades quilombolas; A Federação N’Golo e a luta por melhores condições de representatividade das comunidades quilombolas;

Durante o evento serão apresentados o filme Quilombo (1984), dirigido por Cacá Diegues e roteiro baseado nos livros Ganga Zumba, de João Felício dos Santos, e Palmares, de Décio de Freitas; e o documentário Comunidades Quilombolas de Minas Gerais no séc. XXI. Também será lança a cartilha Quilombos de Minas: Manual de Orientação Jurídica para a Criação de Associações Quilombolas.

Assessoria de Comunicação
Inês Ulhôa – assessora de imprensa (9966-8898) ines.ulhoa@palmares.gov.br
Jacqueline Freitas – jacqueline.freitas@palmares.gov.br
Marília Matias de Oliveira – marilia.oliveira@palmares.gov.br
Marcus Bennett – marcus.bennett@palmares.gov.br
Telefones: (61) 3424-0164/ 0165/ 0166
wwww.palmares.gov.br

MG: Mestre Museu & Homenagem Municipal

De Minas gerais, nos chega a informação, através do camarada, Professor Gelol, que Mestre Museu acaba de receber uma grande homenagem da Camara Municipal de Belo Horizonte.

"Mestre Museu vem divulgando e trabalho em prol da capoeira,e após anos e anos de batalha com os projetos sociais em agromerados e recuperando vários jovens do mundo do crime e das drogas, ele recebeu uma homenagem da camara municipal de Belo Horizonte no dia 17 de setembro de 2007 do então presidente Dr Totó Teixeira, pelos serviços prestados as comunidades carentes.Ele foi o unico capoeirista ate hoje na Cidade de Belo Horizonte que ganhou esse premio de CIdadão honorário na Capital Mineira.Após essa homenagem Mestre Museu fez um grande mundial no qual ele formou vários capoeiristas e batizou muitas crianças dos projetos sociais."

Professor Gelol – Fundação Internacional Capoeira Artes das Gerais – F.I.C.A.G

Aproveitamos ainda para divulgar o próximo evento da Família Fundação Internacional Capoeira Artes das Gerais – F.I.C.A.G:

Mestre Museu

Campo Grande – MS: Cinema – Maré Capoeira

Cinemarco e Cinemoreninhas terão sessão de cinema

Campo Grande (MS) – Neste domingo (2/3), a Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul promove mais uma sessão de cinema no Cinemarco e no Cine Moreninhas, os mais novos pontos de difusão audiovisual de Campo Grande. No Cinemarco, localizado no Museu de Arte Contemporânea de MS (Marco), a exibição será às 15 horas, e no Cine Moreninhas, localizado no Centro Comunitário das Moreninhas I e II, a sessão é às 18h30. A entrada é gratuita.

O CineMarco vai exibir o filme “Terra Estrangeira”, dirigido por Daniela Thomas e Walter Salles, o mesmo diretor de Central do Brasil. Terra Estrangeira conta a historia de Paco, um jovem estudante paulista que vê com o confisco do dinheiro do governo Collor e a morte de sua mãe o fim do sonho de ser ator. Decide sair do país e, para isso, aceita levar um objeto contrabandeado para Lisboa. Lá conhece Alex (Fernanda Torres) e se envolve numa trama policial surpreendente e apaixonante. O filme foi premiado nos festivais de Sundance, Paris, Bergamo, Bruges, Rotterdam, Londres, San Francisco e San Sebastian.

Já o Cine Moreninhas vai apresentar quatro filmes de curta-metragem infantis, em uma seleção na verdade capaz de agradar qualquer idade. São histórias que vêm do Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Paraná, cada uma com seu sotaque e suas particularidades culturais.

“Maré Capoeira” é narrado pelo garoto Maré, começando com uma roda de capoeira que se torna o centro da narrativa. O curta mistura a história da família de Maré, uma linhagem de capoeiristas, e sua amizade com a menina Tatuí, que também participa da roda, com preciosas informações sobre a origem e a história da capoeira no Brasil.

“Caçadores de Saci” brinca com a lenda brasileira do Saci Pererê, em uma divertida história que se passa no interior de Minas Gerais. O saci, ou melhor, cinco deles, infernizam a vida da família de um pequeno lugarejo na roça, fazendo o feijão queimar, o milho da pipoca não estourar, o café ficar salgado… A família resolve contratar um famoso caçador de sacis e todos partem, sob suas ordens, para a caçada bem-sucedida. “Dona Cristina Perdeu a Memória” aborda as dificuldades que uma pessoa idosa enfrenta quando começa a ter problemas de memória.

Fonte: Última Hora – Campo Grande

 

 

Taubaté – Encontro visa fortalecer a arte capoeira

A Academia N’Golo Brasil realiza, neste final de semana, o 2º ENCAT (Encontro de Capoeira em Taubaté). O objetivo é difundir e fortalecer a cultura e a tradição relacionada à arte criada por escravos africanos, trabalhadores das fazendas do País na época do Império. O evento também contará com batizado e troca de graduação entre os participantes da modalidade.
 
 
Para o encontro, foram convidadas academias de Taubaté e região, Minas Gerais, Rio de Janeiro e da capital paulista. Entre as presenças confirmadas estão o mestrando Gilmar (Minas Gerais), professor Sabiá (Pindamonhangaba) e mestre Chaminé (Rio de Janeiro), nomes de destaque na preservação das raízes afro-brasileiras, além dos atletas Regiane de Cássia, Fábio Laurentino e Berenalva da Silva, campeões dos Jogos Regionais de Ubatuba, representando Taubaté.
 
 
O instrutor Fábio Laurentino da Silva, mais conhecido como ‘Mação’, acredita que o 2º ENCAT contribuirá também para fortalecer o setor turístico da cidade. "O encontro servirá também para fomentar o turismo local, uma vez que está atraindo participantes de várias partes do País. Eles vêm participar e acabam freqüentando o comércio e as atrações turísticas de Taubaté", destaca Mação.
 
 
Ele acredita que a reunião de capoeiristas deve superar a participação da primeira edição. Em 2005, estiveram presentes mais de 300 adeptos da prática esportiva.
 
 
Durante o ENCAT haverá também oficinas de capoeira angola, jogo de navalha e benguela (ritmo de capoeira contemporâneo). Outra atração será a homenagem ao Olodum, a ser realizada pela Banda de Percussão Odoyá, nos intervalos. O instrutor Mação conta que devem ser apresentadas as músicas mais antigas do grupo baiano. "São musicas que abordam assuntos como racismo e a educação no País", fala.
 
O 2º ENCAT acontece no dia 3, das 20 às 22 h, dia 4 das 14 às 18 h e, dia 5, das 9 às 13 h, na sede social do Esporte Clube Taubaté, localizada na Avenida Benjamin Constant, nº10, no Jardim das Nações, ao lado do estádio ‘Joaquinzão’. A entrada é franca. Os organizadores pedem a quem puder, colaborar com 01 kg de alimento não-perecível (exceto sal), que será destinado às entidades assistenciais do município.

 

 
Mais informações podem ser obtidas através dos telefones: (12) 9114-0793, professor Lazarini, (12) 9103-1042, instrutor Fábio Mação e (12) 9134-6784, com graduada Regiane de Cássia (Soneca)

Diário de Taubaté – http://www.diariotaubate.com.br