Blog

gilvan

Vendo Artigos etiquetados em: gilvan

Dourados: II Encontro Nacional de Capoeira

O II Encontro Nacional de Capoeira, que acontece neste final de semana na cidade não terá apenas um cronograma de graduação, roda de capoeira e batizado. Uma das sensações e até então novidade para os capoeirista e até para a comunidade, será a terapia do abraço.
Um dos nomes de grande aceitação no meio dos capoeirista, o Mestre Gilvan, de Brasília/DF estará presente neste encontro. Mestre Gilvan é o criador da Capoterapia, um sucesso em Brasília e que está sendo realizado em Dourados pelo Formado "Montanha" que traz o Encontro para Dourados.
 
A Capoterapia é uma nova dinâmica voltado para a terceira idade. É a capoeira adaptada para este setor. E desde que começou a trabalhar a Capoterapia, muitos idosos tem participado.
 
A abertura oficial do II Encontro Nacional de Capoeira, será neste Sábado, às 18h na Escola Estadual Floriano Viegas Machado. Porém, às 15h, os capoeiristas se reúnem no Parque do Ipês onde apresentam uma roda livre. Às 19h30, acontece a Terapia do Abraço em seguida acontece o batizado e troca de graduação.
 
No domingo, às 8h30 começa o torneio até o final da tarde onde acontece o encerramento e entrega de premiação.
Encontro terá terapia do abraço 
Criador da Capoterapia, Mestre Gilvam, de Brasília, vai estar participando do Encontro Nacional de Capoeira 
Fonte: O Progresso – http://www.progresso.com.br

16º. ENCA EM BRASÍLIA Novos horizontes para Capoeira

A capital federal, palco de eventos nacionais e internacionais, sediou o 16º. ENCA – Encontro Nacional de Capoeira. O evento foi promovido pela Associação de Capoeira Ladainha, presidido pelo Mestre Gilvan Alves Andrade, capoeirista há 20 anos, que, em parceria com o Ministério do Esporte e Governo do Distrito Federal, mobilizou cerca de 2.500 capoeiristas entre mestres, contra-mestres e convidados.
 
O ENCA, que já é tradição entre os capoeiristas brasileiros, atraiu delegações do Piauí, Rondônia, Minas Gerais, Mato Grosso, Ceará e Goiás, estados com maior participação no evento, cujo maior mérito, segundo informa o Mestre Gilvan, é a confraternização entre os amantes da Capoeira e o 24 Horas de Capoeira, evento-síntese do ENCA no qual, por 24 horas ininterruptas, soou o som dos Berinbaus, Atabaques e Caxixis marcando a roda de Capoeira no palco da rodoviária de Brasília, por onde passam diariamente, 600 mil pessoas.
 
Convidados do mundo artístico, político, social e cultural visitaram o evento na rodoviária de Brasília para receber homenagem da Ladainha, por serviços prestados em prol da cultura brasileira representada pela Capoeira. O ex-ministro do esporte, Agnelo Queiroz e o ex-governador do Distrito Federal, Benedito Domingos, os deputados Wasny de Roure e Érika Kokay, apoiadores do evento, foram aplaudidos pelos capoeiristas e agraciados com o Mérito Ladainha. Também esteve no palco da rodoviária o atual secretário de esportes João Guisone; Fredo, candidato a deputado federal e Risomar Carvalho, candidato a deputado distrital. O arquiteto José do Egito, criador do projeto Taguapark foi outro que visitou o 24 Horas de Capoeira e, impressionado com a habilidade dos capoeiristas, comentou: “Eles desafiam a lei da gravidade com o próprio corpo.”
 
HISTÓRICO – O ENCA teve sua primeira edição em 1990 cuja maior motivação, segundo explica o criador, Mestre Gilvan, era mostrar às autoridades locais e nacionais e à sociedade, que a Capoeira poderia ser um excelente instrumento de socialização e inclusão social e econômica. O fato de ser esporte, luta, dança e arte, torna a Capoeira atraente a todos – independentemente de idade, condição social, cor ou raça. “A Capoeira brasileira é o esporte com o menor custo-benefício. Para sua prática bastam apenas um espaço pequeno, um Berimbau e disposição para jogar, não exigindo infra-estrutura, equipamentos ou qualquer recurso que demande investimento.” Explica Mestre Gilvan destacando que a Capoeira brasileira é praticada atualmente em 150 países, o que contribui para a promoção da imagem positiva do Brasil no exterior e atrai turistas interessados em conhecer as raízes brasileiras além, claro, de abrir aos mestres capoeiristas, as portas do mercado de trabalho no exterior.
 
Gilvan Andrade explica que ao criar o ENCA, tinha em mente ajudar o Brasil a conhecer melhor a Capoeira, demonstrar que sua prática era viável a todos e sensibilizar os governos a investir na divulgação e na promoção da Capoeira até torná-la um esporte acessível a todos que quisessem praticá-la. Graças ao ENCA, Gilvan explica que hoje a Capoeira tornou-se conhecida e admirada em escala nunca antes vista com a participação no evento, de mestres, contra-mestres, estudantes de educação física e praticantes de rua.
 
O resultado, hoje, é visível. O deputado petista Wasny de Roure, a pedido do Mestre Gilvan, levou a Capoeira para a Câmara dos Deputados e para o Senado Federal onde os parlamentares receberam capoeiristas em sessões plenárias e viram, de perto, a luta e seus benefícios para a saúde dos praticantes. Imediatamente, após as plenárias da Capoeira, o Ministério do Esporte entendeu que a Capoeira teria que constar na pauta das suas atividades e, acatando a solicitação coletiva dos capoeiristas, incluiu-a no Programa Segundo Tempo, possibilitando a 300 mil crianças aprender Capoeira, conhecer a cultura brasileira e os códigos dessa luta-referência nacional. Outros órgãos do Governo Federal, entre estes a Petrobrás, Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil, Ministérios da Saúde, Cultura, Turismo e Educação adotaram nas suas atividades, a Capoeira como atividade capaz de ajudar nos programas sociais desenvolvidos por eles.
 
Com os resultados positivos proporcionados pela Capoeira, o Ministério do Esporte incluiu nos seus programas, a Capoterapia para atender à 3ª. Idade, parcela significativa da população brasileira que exige investimentos altíssimos em políticas de saúde, cujos os resultados estão longe do ideal. A Capoterapia – prática que mistura atividade física com práticas lúdicas, nascida da Capoeira e criada pelo Mestre Gilvan – foi desenvolvida para beneficiar exclusivamente aos mais vividos. Os resultados foram tão satisfatórios que a Capoterapia passou a integrar a pauta do Ministério do Esporte e, voltada para os idosos, ajudou o Ministério do Esporte a atender, conforme está no Estatuto do Idoso, a parcela menos favorecida pelo governo com políticas públicas de saúde.
 
PROGRAMA VIDA SAUDÁVEL – Graças à Capoterapia, o Ministério do Esporte encontrou a alternativa ideal para atender idosos conforme determina o Estatuto do Idoso, na sua necessidade de praticar esportes compatíveis com sua condição física. A Capoterapia, praticada há oito anos no Distrito Federal com resultados excelentes para idosos de até 75 anos, foi incorporada ao Programa Vida Saudável. Voltado para idosos, este programa tem na Capoterapia sua maior referência e será estendido a milhares de pessoas idosas no Brasil, gerando trabalho e renda para centenas de profissionais capoeiristas..
 
MERCADO DE TRABALHO PARA CAPOEIRISTA – A partir da inserção da Capoterapia no Programa Vida Saudável, surge para os profissionais capoeiristas, um novo mercado de trabalho em todos os Estados brasileiros. As estatísticas mostram que a idade média do brasileiro aumentou de 60 para 66 anos obrigando os governos municipais, estaduais e federal a investirem mais dinheiro nas ações públicas previstas no Estatuto do Idoso. De olho nesse mercado, a Associação Brasileira de Capoterapia oferece cursos para capoeiristas interessados em atuar como capoterapeutas habilitados para atuar com a 3ª. Idade. É um amplo mercado de trabalho para profissionais da capoeira. “Basta assimilar os conhecimentos e técnicas próprias da Capoterapia, organizar turmas e ganhar dinheiro com a Capoterapia.” Declara Mestre Gilvan, o criador da mais nova modalidade derivada da Capoeira: a Capoterapia.
 
O EVENTO – O Encontro Nacional de Capoeira também serve de laboratório para estudantes universitários pesquisar junto ao público presente na Rodoviária de Brasília, o que representa a Capoeira para o esporte e para a cultura brasileira. A imagem da Capoeira nem sempre é positiva junto ao público. Isso ocorre justamente porque a mídia sempre foca a Capoeira de forma tendenciosa com reflexos sobre a opinião popular. Ao tomar conhecimento das origens da Capoeira o público se emociona e muda rapidamente de opinião. A Capoeira é luta mas é também tradição e cultura e, por usar elementos da cultura africana, emociona a quem assiste uma roda de Capoeira. Foram estas as principais contribuições do 16o. ENCA. Ao mostrar na Rodoviária de Brasília esta arte genuinamente brasileira, o ENCA foi vitrine para a promoção de uma luta que também é esporte e terapia para idosos, crianças, jovens e adultos. No dia seguinte ao evento, milhares de pessoas interessadas em conhecer e praticar Capoeira, telefonaram para a Secretaria Nacional do ENCA para se informar sobre os locais, no Distrito Federal, onde se poderia aprender Capoeira. A exposição da Capoeira desperta nas pessoas o interesse por sua prática e estimula a expansão de escolas, centros e clínicas especializadas em Capoeira. Justifica o idealizador, Mestre Gilvan, que antecipa o convite a todos os amantes da Capoeira espalhados pelo Brasil e pelo exterior, para, em 2007, participar o 17º. ENCA e contribuir para a consolidação do evento no calendário nacional de eventos voltados para a promoção da Capoeira que, mais que um esporte, é uma opção de vida na qual se preserva a história dos antepassados, o respeito ao ser humano e à natureza e exalta valores como solidariedade, reciprocidade e liberdade.
 
MESTRES DA CAPOEIRA – Nascida da necessidade dos escravos fugitivos das senzalas se defenderem dos seus perseguidores, a Capoeira foi estigmatizada durante muitos anos já que alguns dos golpes eram mortais. Proibida sua prática, a Capoeira foi por anos, condenada como prática de gente vadia, sem ocupação e sem profissão definida.
Graças aos Mestres Bimba e Pastinha, a Capoeira foi promovida à condição de luta, dança e arte. Foram eles que ordenaram, através de publicações ilustradas e comentadas, a prática da Capoeira, inicialmente como luta de rua, depois como arte e dança e posteriormente incorporada pelas academias até ser levada para a Europa e América do Norte, de onde foi difundida para outros países até ser focada pelo cinema em filmes de lutas e artes marciais. Graças aos mestres pioneiros, hoje a Capoeira é celebrizada e praticada em 150 países nos cinco continentes.
 
A CAPOEIRA SOCIAL – Desde sempre a Capoeira foi instrumento de socialização e inclusão dos menos favorecidos economicamente. E, ao contrário do que a maioria pensa, a Capoeira como atividade econômica, não tem dado aos seus mestres, o devido retorno financeiro. A prova é a história de vida de alguns dos mais conhecidos mestres que nunca obtiveram lucros significativos ensinando Capoeira. Os maiores mestres, Bimba e Pastinha, morreram pobres, mesmo tendo promovido a Capoeira ao nível de luta nacional.
 
Atualmente um dos maiores e mais respeitados Mestres de Capoeira, Mestre Sabú, conhecidíssimo em Goiás e na Bahia, passa por dificuldades financeiras e enfrenta uma situação dificílima não dispondo de recursos financeiros para cuidar da saúde. Durante toda a vida, Mestre Sabú atuou voluntariamente atendendo meninos e meninas de rua em Goiânia. Num depoimento para o Documentário Mestres da Capoeira, realizado pela Associação de Capoeira Ladainha, emocionado, Mestre Sabú pediu socorro aos capoeiristas de todo o Brasil, para ajudá-lo com qualquer quantia em dinheiro, que lhe possibilite pagar uma operação na perna esquerda, atacada por problemas de circulação, resultado do estresse – doença que ataca o sistema nervoso e provoca danos ao corpo.
 
Mestre Sabú se emocionou ao contar sua trajetória de vida tirando das ruas de Goiânia, adolescentes em situação de risco social proporcionando a eles, acesso a informação e formação profissional abrindo-lhes perspectiva de vida, de ascensão social e econômica. Agora, já com a idade avançada, o velho mestre tem que recorrer à ajuda humanitária para cuidar da saúde, já que o governo o abandonou à própria sorte, negando a ele um tratamento justo para preservar sua saúde.
 
Para contribuir com o Mestre Sabú, deposite qualquer quantia na conta 70.006 – 1 Bradesco, em nome de MANOEL PIO DE SALES – O Mestre Sabú. Infelizmente é assim que o Brasil trata seus mestres. E, cabe a nós, que amamos e respeitamos a Capoeira, ajudá-lo nesse momento.
 
 
Leão Hamaral. Jornalista – 0xx61-8464.1820

CAPOTERAPIA na 3ª Idade: 400 Vagas Gratuitas

A CAPOTERAPIA é uma terapia utilizando o lúdico da capoeira, idealizado pelo Mestre Gilvan. Devido ao sedentarismo dos grandes centros, aliado às doenças cardiovasculares e respiratórias, ser o grande responsável pela mortalidade entre os mais vividos. Doenças como a arteriosclerose e a artrite, entre outras, podem ser evitadas, ou mesmo tratadas, a partir da prática orientada de exercícios físicos.
A prática de esportes, com ênfase nos seus aspectos terapêuticos e de estímulo à prática socializante, tem se revelado como um poderoso instrumento para proporcionar o bem estar físico e espiritual e a própria felicidade aos idosos, num momento tão particular de suas vidas, onde o convívio familiar lhes impõe um certo isolamento natural. A capoeira, em particular, trabalhada na perspectiva de respeitar as condições físicas próprias da terceira idade, pode se converter num eficaz meio de valorização da vida social dos idosos, fazendo do seu ambiente um pólo catalisador e irradiador de cidadania.
 
TURMAS ATUANTES
Segunda-Feira Centro de Saúde n.º 05 Ceilãndia norte 08:00
Segunda-Feira Clube de aguas Lindas 09:30 h
Terça-feira Paradão Ass. dos Idosos 09:30 h
Quarta-feira Centro de Saúde n.º 02 Pça do Bicalho 07:30 h
Quarta-feira Faculdade Católica Tag. Bloco G 09:00 h
Quinta-feira Corpo de Bombeiros de Ceilândia 08:00 h
Sexta-feira Bernado saião Mnorte Tag 07:30 h
 
Venha conhecer a arte que encanta o mundo com o Mestre Gilvan!
MAIORES INFORMAÇÕES: Mestre Gilvan
061 99622511 4752511
Imal: ladainha.capoeira@globo.com
http://www.flogao.com.br/ladainha

Capoeira cidadã

 

Ricardo Mourão, 17 anos, conta que era bagunceiro demais. ?… Eu ficava brigando o dia inteiro na rua… Sempre tinha reclamação lá em casa, minha mãe brigava comigo… Eu não tinha nada pra fazer!?

Ao passar pela porta da Associação de Capoeira Ladainha, a ladainha da rua, a vida cheia de erros, tudo fica para trás. Weverton Couto, 11 anos, é um bom exemplo: ?depois de começar a fazer capoeira eu aprendi que não é na porrada que se resolve tudo… É na conversa?, conta o garoto.

Arte, luta ou esporte? A capoeira é tudo isso e mais um pouco. Música, força, ginga… Tudo muito sedutor para quem não tinha um objetivo. De acordo com o mestre Gilvan, a capoeira como instrumento pedagógico é contagiante. ?Cada criança que entra aqui, não tem vontade de sair… Nós colocamos na escola, o comportamento do aluno melhora…?

Em 14 anos, mais de 15 mil alunos já passaram pelas oficinas. Paulo Henrique, 23 anos, começou aos nove. Hoje, participa do projeto como instrutor de capoeira. ?Pra mim, isso aqui é tudo. Coisa melhor não tem?, confessa.

Atualmente, 300 crianças e adolescentes aprendem capoeira de graça. Cada um contribui como pode. O galpão funciona no quintal da casa de mestre Gilvan. Os uniformes foram doados e as aulas são dadas por ex-alunos.

Edílson Lima é um ex-aluno que para se formar precisou dar aulas de graça durante o estágio. Caso contrário, nada de diploma. Ele gostou tanto da experiência que depois de formado, continua ajudando. ?A gente faz um bem à sociedade. Tira a criança de onde ela estava aprontando e, com a capoeira, mostra o outro lado da vida?.

A idéia é ensinar outras crianças, mas falta estrutura. A meta é ambiciosa: passar de 300 para duas mil jovens até o final do ano. O projeto ?Gingando para o Futuro? está à procura de parcerias com empresários. Com 15 reais por mês, dá para adotar um aluno. Quem quiser participar, pode entrar em contato pelo telefone 475-2511.

Imagens: Romildo Gomes

http://dftv.globo.com/

Mestre Gilvan e o projeto: “Gingando para o Futuro”

A Associação de Capoeira Ladainha, oferece a comunidade
  • 400 vagas gratuitas de Capoeira e Capoterapia
  • 200 vagas para IDADE: 07 a 21 anos
  • 200 VAGAS  40 a 90 anos Capoterapia
A capoeira é uma modalidade social, cultural, educativa e desportiva, de grande mobilização e êxito comprovado, como confirmam os registros das experiências que temos.
 O Projeto Iniciar Capoeira desenvolve a socialização da criança e do adolescente através da prática da capoeira, que é utilizada como esporte, cultura, arte, é altamente disciplinar e de caráter psicoterapêutico, com excelentes resultados.
 A clientela inclui jovens de comunidades carentes, geralmente privados de uma estrutura familiar sadia. Muitos apresentam distúrbios de personalidade, como agressividade, rebeldia, indisciplina na escola, baixa rendimento e apatia nos estudos. Grande parte dessas crianças e adolescentes são meninos de rua que se evadiram da família ou foram abandonados. Outros mergulham no submundo do crime e do consumo de drogas.
 Para tirá-los das ruas é preciso desenvolver trabalhos de prevenção, prepará-los e reintegrá-los à sociedade, garantindo-lhes um futuro melhor. Para isso é preciso muito trabalho, dedicação e serenidade. É necessário superar os métodos ortodoxos, que já não atendem mais às expectativas do trabalho social conseqüente.
 
Read More

Mestre Gilvan e o Projeto “Gingando para o Futuro”

A Associação de Capoeira Ladainha, oferece a comunidade
  • 400 vagas gratuitas de Capoeira e Capoterapia
  • 200 vagas para IDADE: 07 a 21 anos
  • 200 VAGAS  40 a 90 anos Capoterapia
 
A capoeira é uma modalidade social, cultural, educativa e desportiva, de grande mobilização e êxito comprovado, como confirmam os registros das experiências que temos.
O Projeto Iniciar Capoeira desenvolve a socialização da criança e do adolescente através da prática da capoeira, que é utilizada como esporte, cultura, arte, é altamente disciplinar e de caráter psicoterapêutico, com excelentes resultados.
 A clientela inclui jovens de comunidades carentes, geralmente privados de uma estrutura familiar sadia. Muitos apresentam distúrbios de personalidade, como agressividade, rebeldia, indisciplina na escola, baixa rendimento e apatia nos estudos. Grande parte dessas crianças e adolescentes são meninos de rua que se evadiram da família ou foram abandonados. Outros mergulham no submundo do crime e do consumo de drogas.
 Para tirá-los das ruas é preciso desenvolver trabalhos de prevenção, prepará-los e reintegrá-los à sociedade, garantindo-lhes um futuro melhor. Para isso é preciso muito trabalho, dedicação e serenidade. É necessário superar os métodos ortodoxos, que já não atendem mais às expectativas do trabalho social conseqüente.
 
Read More

1ª Encontro Ladainha de Capoeira BH

No dia 20 de agosto 2005
acontecerá o batizado e Entrega de Cordas da Associação Ladainha de Belo Horizonte, mestres de toda região estão Convidados;
 
Com surpevisão de Mestre Gilvan
 
Mestres Covidados
Tayson Mandinga Mineira
Buleia arte Quilombo
Carioca
Mirim
Jiboia Capoeira Gerais
Mão Branca Capoeira Gerais
Ray Oficina da Capoeira
Museu Arte das Gerais
Jaiminho Arte das Gerais
Niltinho Porto de Minas
Porrada Porto de Minas
Paulo Pintor Bantus Capoeira
Armando Senzala
Augustinho Ginga Capoieira
Tucano Cordão de ouro
 
Todos os Mestres Contra Mestres Professores estão convidados mande sua confimação para entra nessa lista
 
Realização: Associação de Capoeira Ladainha
Mestrando Cafunga BH
Mestre Gilvan
 
ladainha.capoeira@globo.com

1ª Conferência Brasileira de Capoterapia

Mestre Gilvan  


 
1ª Conferência Brasileira de Capoterapia
 
Distrito Federal e entorno
Dias 10 a 14 de agosto 2005
 
Associação de capoeira ladainha
Mestre Gilvan
 
Contato: 55  061 34752511 ou celular 99622511

Para os interasados envie um Email para: ladainha.capoeira@globo.com

para receber a  programação

Homenagem ao aniversário do Mestre Gilvan

Quero falar várias coisas, sobre alguém muito especial. Advinha onde ele anda? Deve estar dentro do peito de cada aluno ou caminha pelo ar de quem já ouviu falar. Quem sabe? Pode até estar aqui do lado, bem mais perto do que pensamos, a força persistente de um coração jovem e uma mente segura no que faz, sempre deixando em nossos caminhos a grande lição de vida.
Certo dia, tentaram podar seus momentos, idéias e projetos, até duvidarão de sua capacidade, queriam desviar o seu destino, mostrando que a melhor solução seria cruzar os braços para as nossas crianças, jovens e 3ª idade, que são massacradas diante da sociedade feita de pedras.
Mas esse coração cheio de Deus resistiu, mostrou que há esperança, que há vida em tudo que se toca com amor e determinação.
Essa cara séria com esse sorriso de menino, quantas vezes de pé, erguido, sem ter medo de tentar, certo que sua jornada será longa, mas renovam-se as esperanças em cada dia que se plantam flores e espinhos.
Nós do Projeto Iniciar Capoeira, fruto de sua amizade, dessa prova de amor… Agradecemos, MESTRE por você ser nosso pai, nossa mãe e nosso amigo na hora que precisamos de ti… Obrigado, por ser você esta pessoa especial que tivemos o prazer de te conhecer.
 
Sabemos que tudo o que é bom, não dura para sempre, mas sabemos que o que é bom, dura o suficiente para tornar-se INESQUECIVEL.
MESTRE GILVAN, você será sempre uma pessoa inesquecível em nossas vidas!
 
Este texto foi feito em homenagem ao aniversário do Mestre Gilvan por todos aqueles que fazem parte da família Ladainha e será comemorado dia 10/05 às 9 h na sede da Associação de Capoeira Ladainha, QNL 30 Conjunto “A” Lotes 31/33 Taguatinga Norte (Av. Hélio Prates).

Sonia de Andrade / DF

Confederação Brasileira de Capoeira

CBC TEM NOME PRESIDENTE

No auditório do Ministério do Esporte em Brasília dia 12 de Janeiro as 16h, tomou posse da Presidência da Confederação Brasileira de Capoeira, o Sr. Gersonilto Heleno de Sousa, conhecido na capoeira como Mestre Neguinho e também Presidente da Associação de Capoeira Novos Baianos.

A assembléia se deu nos dias 11 e 12 e contou com representantes de várias federações, ligas e associações e que apostaram em um futuro promissor desta entidade nesta nova gestão. Ficou definido os seguintes cargos:

Vice-presidente Planejamento Ricardo de Amapá; Vice-presidente Cultura Augusto Januário da Bahia; Vice-presidente Administração Ely Carvalho de Goiás; Os demais cargos serão constituídos posteriormente. O atual presidente promete abrir a CBC para todos os praticantes de capoeira do país e criar uma nova política de adesão à entidade, com intuito de somatizar e consolidar a família capoeira.

Gilvan Alves de Andrade – Ms. Gilvan/DF

Assessoria de Comunicação
Brasília 12 de fevereiro 2005