Blog

inserção

Vendo Artigos etiquetados em: inserção

Projeto João e Maria Capoeira Angola e Cidadania

 

Acontece nesse domingo, dia 16 de dezembro, o encerramento do projeto social João e Maria Capoeira Angola e Cidadania – edição 2007, às 10h, na sede da Ong João Pequeno de Pastinha (Ong JPP), localizada na Rua Raimundo Vianna, Rio Vermelho. Promovido pelo Centro Esportivo de Capoeira Angola do Rio Vermelho (Ceca), a festa de encerramento do projeto João e Maria Capoeira Angola e Cidadania comemora mais um ano de atividades desenvolvidas para as crianças e adolescentes carentes, residentes no Nordeste de Amaralina. Durante o ano de 2007, mais de 70 jovens tiveram acesso a cursos gratuitos de Capoeira Angola, Inglês, Grupo de Estudo, Percussão, Informática, Flauta e Cine-CECA – sessões de cinema com filmes educativos e discussões ao final.

 

A programação do evento inclui apresentações simultâneas dando uma mostra do que foi apreendido durante os cursos. Além disso, Mestre Faísca, coordenador do projeto e responsável pela realização de trabalhos sociais na comunidade do Nordeste de Amaralina, também fará uma explanação sobre os resultados obtidos durante esses anos de atuação junto à conscientização social dessas crianças e adolescentes. Essa iniciativa também tem como objetivo proporcionar aos jovens possibilidades de inclusão social, dando-lhes ferramentas para superarem a desigualdade de oportunidades ao procurarem à inserção no mercado de trabalho.

Sobre o Projeto João e Maria Capoeira Angola e Cidadania

O projeto João e Maria Capoeira Angola e Cidadania encontra-se sem apoio financeiro de instituições publicas ou privadas, sendo, assim, mantido com recursos próprios. Na busca de alternativas, o Projeto João e Maria destina-se a crianças e adolescentes da comunidade do Nordeste de Amaralina e adjacência e tem como proposta: promover a inserção social destes jovens através da prática da Capoeira Angola e da Educação Cidadã, realizando ações associadas do apreender Capoeira Angola aliadas a discussões temáticas sobre Educação e Cidadania, de forma a possibilitar uma visão crítica da realidade e seu entorno.

 

Aliado à capacitação profissional busca-se com o projeto remediar o caos social da região, trazendo aos educandos a importância em se envolverem em ações edificantes. A marginalidade arrasta grande parte da juventude das periferias urbanas da cidade, resultado decorrente da desilusão quanto a melhores condições de vida. A educação deficiente limita os horizontes, realidade esta que o projeto busca modificar com as diversas ações educacionais realizadas. Vale ressaltar, por fim, que todo o trabalho é realizado por voluntários, não tendo a instituição nenhum parceiro que dê suporte financeiro às atividades citadas.

 

Projeto João e Maria Capoeira Angola e Cidadania

Contatos: Roberta Neri – 8133-4332

Várzea Grande: Portadores de necessidades especiais jogam capoeira na Olimpíada Inclusiva

Durante a disputa da III Olimpíada Inclusiva, iniciada nesta terça-feira (21.08) em Várzea Grande, o público terá a oportunidade de presenciar que limitação física e mental é superada com muito esforço e dedicação. Inserida no projeto do governo Federal, o ‘Esporte e Lazer da Cidade’, a capoeira vem sendo utilizada como mecanismo de combate ao ócio em portadores de necessidades especiais, principalmente para quem tem síndrome de Down.
 
Na Olimpíada Inclusiva, evento realizado pela secretaria municipal de Educação e Cultura, os alunos da Escola Municipal “Antônio Salústio Areias”, localizada no bairro 15 de Maio, vão competir jogando capoeira. Responsável por esse novo método de inserção social e de atividade física aos deficientes de Várzea Grande, o mestre Masca comemora os resultados surgidos em pouco tempo de aula.
 
“Tem aluno que chegou com muita dificuldade de locomoção, agora, quase dois meses de aula pós-adesão à capoeira, já tem apresentado melhora em seu andar. É algo recompensador e que me motiva ainda mais a trabalhar nesse projeto. Eu vejo a capoeira não só como uma cultura afro-brasileira, mas como instrumento para a saúde física de milhares de pessoas”, ressalta o mestre.
 
O mestre Masca está gostando tanto de dar aula a um público especial que decidiu ampliar as aulas. Agora, além da Escola “Antônio Salústio Areias”, ele desenvolve também aula de capoeira para 37 alunos deficientes físicos no Centro de Habilitação Profissional (CHP) “Professora Célia Rodrigues”, localizado próximo ao cemitério municipal de Várzea Grande.
 
O coordenador do projeto ‘Esporte e Lazer da Cidade’ do núcleo Centro de Várzea Grande, Márcio Roberto, frisa que a procura pelas aulas de capoeiras aos deficientes têm sido grande e bem aceita pelas famílias dos alunos. De acordo com ele, o projeto do governo Federal em parceria com a prefeitura de Várzea Grande foi criado justamente como instrumento de inserção social, por meio de atividades desportivas em municípios e bairros carentes Brasil afora.
 
Fonte: O Documento – Várzea Grande, MT – http://www.odocumento.com.br