Blog

matriz

Vendo Artigos etiquetados em: matriz

O Sabor do Saber Ancestral 2011

O Sabor do Saber Ancestral 2011 – Sob o olhar da mandinga

O Sabor do Saber Ancestral surgiu a partir de uma feijoada de obrigação religiosa, consagrada anualmente a Ogum. Realizada desde os primórdios do grupo, a feijoada gradualmente transformou-se em um evento que abrange uma semana de oficinas, rodas, palestras, exibição filmes e vivências, tendo como fio condutor a relação entre a ancestralidade, a cultura, as lutas e valores civilizatórios de matriz africana.

Este ano, o tema do evento será “Sob o olhar da mandinga”. A palavra mandinga é uma herança dos mandinka, povo africano islamizado descendente do Império Mali, conhecido no Brasil por suas práticas místicas/religiosas (o uso de versos do alcorão em bolsinhas amarradas ao peito originou os atuais patuás). O termo passou a significar popularmente, feitiço, magia. Na capoeira, mandinga não significa apenas a malícia, o engodo, a capacidade de ludibriar o camarada com o corpo, mas remete ao lado oculto da capoeiragem. Ao segredo, aos cuidados e preceitos para com o corpo, à ligação com as religiões de matriz africana, à capacidade sutil de manipular energias. Sob o olhar da mandinga é um convite à vivência e reflexão desse místico universo cultural afro-brasileiro, uma degustação d’O Sabor do Saber Ancestral.

 

O Sabor do Saber Ancestral 2011 Sob o olhar da mandinga

ACANNE: 25 anos de resistência!

Esse evento é também um marco de comemoração dos 25 anos da Acanne, um dos grupos de capoeira angola mais antigos da Bahia. A Acanne foi fundada em 1986, na Fazenda Grande do Retiro, em Salvador, pelo Mestre Renê Bitencourt. Discípulo do saudoso Mestre Paulo dos Anjos, herdeiro da linhagem de Canjiquinha e Aberrê, Renê destacou-se como um dos protagonistas na articulação política da capoeira angola nas décadas de 80 e 90, ajudando a conceber e organizar os históricos Encontros Mestre Paulo dos Anjos, em Mar Grande, Itaparica, além do movimento Capoeira Solidária, em Salvador.

A Acanne foi responsável pela criação de uma coluna semanal de capoeira no jornal A Tarde, entre 1987 e 1993, que divulgava eventos da capoeiragem de toda a cidade. Em 1987, liderou o processo de criação da ABCA – Associação Brasileira de Capoeira Angola, e a partir da década de 90 organizou os lendários Encontros dos Guardiões da Capoeira Angola da Bahia, reunindo a velha-guarda dessa rica manifestação cultural afro-brasileira.

Por volta de 2000 o grupo mudou-se para a atual sede no Largo 2 de Julho, mantendo uma base na Fazenda Grande, onde realiza atividades de arte-educação com crianças e adolescentes. A Acanne também mantém núcleos em Porto Alegre, Erexim e Passo Fundo (RS); Poços de Caldas (MG); Tunapuna (Trinidad e Tobago); Phoenix (EUA) e Paris (França). Em Salvador, o grupo realiza anualmente dois eventos principais: O Sabor do Saber Ancestral e o Pra Contar Certo Tem Que Ver de Perto, um ciclo de vivências, palestras e oficinas que acontecem no mês de Julho visando trazer capoeiristas de todo o mundo pra conhecer os mestres antigos em seu ambiente cultural, incentivando a permanência destes na Bahia.

 

 

“QUANDO A CAPOEIRA NÃO PERDE RAIZ ELA INTROJETA LIÇÕES, FAZ MESTRES E DEIXA LEGADO”

MESTRE RENÊ BITENCOURT

Tatuí terá “Semana da Consciência Negra”

A cidade de Tatuí terá uma semana de atividades em comemoração a Consciência Negra, entre os dias 15 e 22 de novembro, com dança, música e exposição, organizadas pela Secretaria Municipal de Cultura, Turismo, Esporte, Lazer e Juventude e pelo Conselho Municipal de Desenvolvimento de Participação da Comunidade Negra de Tatuí.
A abertura da programação será no dia 15 de novembro, com a “Missa Afro”, às 19 horas, na Igreja Matriz Nossa Senhora da Conceição, com a participação do Grupo de Consciência Negra de Boituva. Já às 20h30, do mesmo dia, um encontro de confraternização terá o “Grupo de Dança Raízes”, coordenado por Micheli Rolim, no Centro Cultural, na Praça Martinho Guedes, 12. Todos os eventos terão entrada gratuita.
No dia 17 de novembro, a semana segue com “Festival de Capoeira”, com o “Grupo de Capoeira Regional de Tietê, coordenado pelo Mestre Jones, às 20 horas, na Praça da Matriz. Entre as atrações haverá maculelê, samba de roda, luta com facão, acrobacias e percussão.
O “Coro de Mulheres Negras de Sorocaba” será apresenta no Centro Cultural, na Praça Martinho Guedes, 12, a partir das 20 horas, no dia 18 de novembro. Já no dia 19 de novembro, a partir das 19 horas, o Centro Cultural recebe um leque de atrações com a exposição “Consciência Negra”, de Carmelina Monteiro, Carlota Franco, Mesquita e APAE. Haverá ainda performance do “Grupo de Dança Raízes” e da “Banda Ternura Senna Tatuí”.
No dia 20 de novembro, às 19 horas, acontece um bate papo no Café Cultural (Praça Martinho Guedes, 12), com o tema “O Negro e o Mercado de Trabalho”. O debate será coordenado pela mestra em Ciências Sociais pela PUC-SP, Francisca Silva. Haverá também participação do “Grupo de Dança Raízes”.
O Projeto “Música na Praça” terá uma edição especial no dia 21 de novembro, a partir das 11 horas, na Praça da Matriz, com a “Big Band Jovem do Conservatório de Tatuí” e o “Grupo de Dança Raízes”.
O encerramento será no dia 22 de novembro, no Centro Cultural, às 10 horas, com o “Grupo de Capoeira Mundo Inteiro” que fará um encontro de capoeiristas e troca de cordão dos alunos.
Fonte: http://itu.com.br

MG: Capoeiristas levam ginga à Praça da Matriz

Aconteceu no último final de semana o 1º Encontro internacional de capoeira na Praça da Matriz. O animador e radialista João Froes revela que o evento contou com a participação de capoeiristas não apenas do Brasil mas de outros países como, por exemplo, Japão, Alemanha e Coréia do Norte.

Afirma ainda que o evento alcançou o objetivo no tocante ao de uma competição esportiva, mas, sobretudo, social uma vez que houve a interação dos povos ali representados.

De acordo com João Froes a realização das apresentações de capoeira também tem como objetivo a divulgação de uma arte bastante difundida no Brasil e que naturalmente já faz parte da cultura do povo brasileiro. Frisa ainda ter sido fundamental a escolha da praça Matriz durante a feira de artesanato uma vez que as famílias que tradicionalmente frequentam este local aos domingos teve a oportunidade de socializar com uma dança verdadeiramente artística.

COMPETIÇÃO

O mestre Lagartixa, do grupo Geração capoeira, um dos organizadores do evento também enaltece a realização da referida competição e agradece o apoio de todos os colaboradores na realização da competição. Salienta ser relevante este tipo de apresentação em praça pública uma vez que além do alcance social é uma maneira de popularizar ainda mais a arte da capoeira.

Capoeirada: Cordão de Ouro & Capoeira Feminina

Um evento feminino chamado Capoeirada, do Grupo Cordão de Ouro, vem tomando força no Brasil. Esta iniciativa é uma grande conquista de algumas capoeiristas do grupo como a Maria Patrimônio, a Instrutora Morgana, a Instrutora Claudinha, Janaína e a Viviane.

Capoeirada

Por causa da dedicação delas à cada ano que passa o evento fica mais forte e ajuda na transformação e destaque das mulheres na história da Cordão de Ouro. Com engajamento, prestatividade e companheirismo elas encontram nos homens grandes parceiros para a realização de um evento onde as mulheres podem se reunir e discutir pontos importantes da participação feminina na capoeira. A programação deste ano contará com dança afro, ritmos brasileiros, aulão e apresentações de maculelê, dança guerreira, dança afro, workshop de Capoeira Angola, rodas e para finalizar samba de roda.

O evento será realizado no dia 30/08/2008 no Ginásio do CEU Cidade Dutra na Avenida Interlagos com supervisão do Mestre Suassuna e organização das mulheres da Cordão de Ouro Matriz.

Para maiores informações é só ligar para: 55 (XX) 11 3223-5357 na matriz da Cordão de Ouro e falar com Morgana.

 

Maira Hora

Cel: (11) 9630 7900
Tel: (11) 5548 3060
 

Cultura: Mestre Moraes & 25 anos do Ilê Asipá

Mestre Moraes, um dos principais expoentes da Capoeira Angola, que ao longo dos anos vem se destacando de forma ímpar na preservação da essência da "capoeira mãe" e na preocupação com a ancestralidade do ritual que envolve a Capoeira de Angola, foi o convidado especial da festa cultural e religiosa em homenagem aos 25 anos do Ilê Asipá, onde afirmou que "Enquanto manifestação de matriz africana, a capoeira é regida pelo princípio ancestral. É nos antigos mestres que nos espelhamos para manter viva essa tradição”.
Mestre Moraes é O coordenador do Grupo de Capoeira Angola Pelourinho (GCAP)
Luciano Milani


DVD registra história dos  25 anos do Ilê Asipá
Salvador – Os 25 anos de trajetória da Sociedade Religiosa e Cultural Ilê Asipá serão registrados em um DVD que teve projeto aprovado pelo Ministério da Cultura, através da Lei Rouanet. A gravação das imagens foi feita durante o evento que comemorou o aniversário da casa, entre os dias 19 e 21 de maio. A programação incluiu uma exposição de 300 fotografias – com curadoria de Denisson de Oliveira – que são um registro histórico das mais de duas décadas do espaço, localizado no bairro de Piatã, em Salvador, e fundado pelo Alapini Deoscóredes Maximiliano dos Santos, o Mestre Didi.
 
Outros destaques foram o concerto da cantora soprano dramática Inaycira Falcão dos Santos e o seminário sobre Ancestralidade Existencial – coordenado pela antropóloga Juana Elbein dos Santos – e com a participação de pesquisadores da Bahia e de outros estados, além do artista plástico Emanuel Araújo. Todas as palestras foram transcritas e serão editadas para posterior divulgação.
 
Capoeira – Uma roda de capoeira comandada pelo Mestre Moraes deu a largada para o último dia do evento que comemorou os 25 anos da Sociedade Religiosa e Cultural Ilê Asipá. O coordenador do Grupo de Capoeira Angola Pelourinho destacou a ligação da capoeira com a ancestralidade.
 
“Enquanto manifestação de matriz africana, a capoeira é regida pelo princípio ancestral. É nos antigos mestres que nos espelhamos para manter viva essa tradição”, afirmou Pedro Moraes Trindade, o Mestre Moraes.
 
A noite teve ainda a exibição dos filmes Panteão da Terra e O Emocional Lúcido, ambos produzidos pela Sociedade de Estudos da Cultura Negra no Brasil, a SECNEB, e dirigidos pela antropóloga Juana Elbein dos Santos. “Essas obras tentam suprir a falta de um material que substitua com dignidade e profundidade a tradição de matriz africana no Brasil”, destacou o pesquisador Marco Aurélio Luz, mediador do debate realizado após a exibição do material audiovisual.
 

Mestre Ananias: 81 voltas ao mundo

Caros amigos,

Venha brincar, se divertir, distrair e vadiar a Capoeira e o Samba de Roda na "Vila dos Vinténs" no aniversário do Mestre Ananias.

 

São 81 ANOS de vida e mais de 50 anos em São Paulo e nós paulistanos temos a chance de comemorar junto a esse grande Mestre baiano, o que simboliza a presença e continuidade sociocultural de matriz africana no Brasil, a Capoeira e o Samba de Roda. 

 

Dia 13 de dezembro de 2005 (TERÇA) a partir das 19h. Até 22:30hs 5,00 (Homem e Mulher), após 10,00M e 15,00H. Mandem seus nomes para a lista de desconto no 5,00M e 10H[email protected]

Vila Cultural Itaim " Rua Henrique Chamma, 20 Itaim

 

Um grande abraço

 

O Samba do Recôncavo Baiano acaba de ser declarado pela UNESCO como Patrimônio Imaterial e Oral da Humanidade, assim o "Samba Sem Vintém" tem a honra de receber a presença do representante que há muito contribui para nossa capital. Salve Mestre Ananias!!!

 

Rodrigo Bruno Lima

 

Uirapuru Assessoria Cultural

www.uirapurubr.com.br

 

Fonte: Jornal do Capoeira – www.capoeira.jex.com.br