Blog

mostrando

Vendo Artigos etiquetados em: mostrando

Aconteceu: Encontro Cultural Capoeira Angola Brasil

O Evento ocorreu  com muita energia muito aprendizado, agradecemos a todos pela participação, mesmo aqueles que não estavam presente Obrigado…

Mestre Felipe 83 anos com muita disposição de fazer capoeira mostrando sua persistencia e resistencia da continuação da Capoeira. Obrigado MESTRE FELIPE.

Mestre Nô com seus 65 anos com  uma grande vivencia na arte da capoeira nos deixou  sua sabedoria das rodas da ” Capoeira na roda e na vida”OBRIGADO MESTRE NÔ

Mestre Braulino com seus 57 anos de idade mostrando sua Capoeira No Jogo, No Ritmo e no Canto demonstrando sua simplicidade de ser CAPOEIRA “Simplesmente   SER Capoeira” OBRIGADO MESTRE BRAULINO

Mestre Heitor com sua personalidade e responsabilidade na Capoeira e na Vida OBRIGADO MESTRE EITOR

Mestre Alfredo mesmo com sua  maneira de ser ausente e acompanhar tudo sem compromisso, tambem contrubuiu deixando o evento com mais vida e deixando os convidados bem a vontade OBRIGADO MESTRE ALFREDO

 

Gingando contra a enchente em Atibaia

A Associação Herança Cultural Capoeira, representada pelo instrutor Willian Dourado, promoveu neste sábado, 17, um “Aulão de Capoeira Beneficente”, na Praça da Matriz, em prol das famílias atingidas pelas ultimas enchentes ocorridas em Atibaia.

Mais de 150 kg de alimentos arrecadados foram entregues diretamente às famílias que estão abrigadas na quadra de esportes da da escola Walter Engrácia, em Caetetuba.

“Agradeço a todos que compareceram e fizeram suas doações, mostrando que a ação de solidariedade pode sim vencer todos obstáculos por maior que ele seja”, afirmou o Instrutor William Dourado.

Fonte: Atibaia News (www.atibaianews.com.br)

Capoeira uma Cultura de Ação Sócio- Educacional

Este projeto tem como objetivo principal a Criação/Fundação do Centro Cultural Irmão Capoeira, para que não seja algo em beneficio próprio mas para toda uma comunidade. Afinal capoeira é cultura e não só "ginga", Mostrar também a comunidade que através da capoeira nossas crianças, adolescentes e adultos, possam exercer sua cidadania como pessoas de bem, junto com disciplina, educação e acima de tudo motivação. Motivar para que acreditem e tenham metas em suas vidas, que nada em nossas vidas vem do nada e sim de muito esforço e luta e muitas mãos dadas por um único propósito, fazendo através da Capoeira muitos projetos sociais, enfim… dar-lhes um bom exemplo de vida e direcionamento. Afinal CULTURA não se ensina, mas se transmite de um para o outro. Hoje uma das grandes lutas da capoeira é não deixar de lado o RITUAL, o RITMO, a EDUCAÇÃO e o RESPEITO. “O surfe, quando deixou de ser apenas um comportamento cultural nascido dos nativos do Havaí e da Austrália, pelo menos conseguiu preservar alguma coisa do comportamental (que muitas vezes nós mesmos confundimos com cultura). E hoje a cultura surf está implantada até em lugares que jamais viram uma praia”¹ e é exatamente isso que queremos que aconteça com a cultura Capoeira, gingando aprendendo e dando lição para o povo e pelo povo, servindo para evoluir, produzindo, colaborando, esclarecendo e educando com Respeito, Humildade & Sabedoria. Que seja bom, agradável, mas que nos identifique na multidão, que represente um modelo de vida e que nos traga bem-estar. Mostrando que a Capoeira é cultura comportamental, vivencial e Socio-Educacional, sendo nas mãos do mestre e contra-mestre um recurso pedagógico para a contribuição de valores humanos e étnicos, baseados no respeito, na socialização e liberdade, valorizando a cultura brasileira.

Abaixo segue as funções que o Centro Cultural exercerá:

1- Proporcionar a crianças e adolescentes (carentes) a prática da Capoeira mostrando que a capoeira é todo um conjunto de ações e pensamentos culturais e educacionais direcionados ao bem do próximo.

2- Incentivar os estudos: Verificando a avaliação semestral do colégio em cada aluno estuda, estando este sob pena de ficar sem participar das atividades do grupo se não tiver um bom desempenho escolar, podendo voltar somente após a certificação de que este tenha melhorado seu rendimento escolar.

3- Promover eventos de responsabilidade social, envolvendo-se em campanhas coletivas como ações de mobilização sócio-educacional e Campanhas:

 

Centro Cultural Irmão Capoeira
Clique para ampliar as imagens

Irmão Sem Fome: promovendo a arrecadação de alimentos não perecíveis para doar a quem precisar

Agasalhe um irmão: promovendo a arrecadação de roupas, sapatos, cobertor, etc…para doação nas entidades carentes ou a quem necessita;

Você Lembrou de Mim – Onde o Grupo se disponibilizará a ir em um asilo e proporcionar a felicidade daqueles que um dia lutaram muito em sua vida. Fazer uma apresentação de capoeira e levar doações.

Teatro nas Escolas – Onde o grupo apresentará uma peça teatral mostrando através da capoeira a história da vinda dos negros e a escravidão no Brasil, resgatará a nossa cultura popular entre outros.

Faça uma Criança Sorrir – promovendo arrecadação de brinquedos para doar as crianças carentes no dia das crianças;

Mulher na Roda – onde as mulheres terão um dia somente para elas, participando de uma roda de capoeira, aprendendo alguns passos dessa arte. Buscar apoio de profissionais estéticos e o equilíbrio entre corpo e mente.

Mãe Exemplo de Vida – Promovendo no mês das mães concursos culturais para que elas participem, elegendo e premiando as participantes, apresentação de capoeira e homenagem as mães.

Um dia de Leitura – Arrecadando livros para todas as idades, para que se tenha uma biblioteca e livro ao alcance de todos, incentivando e promovendo o gosto pela leitura;

Natal solidário – Promovendo arrecadação de brinquedos para as crianças e cesta básica para as famílias necessitadas, apresentação de capoeira e teatro;

Melhor Idade – promovendo aos idosos um dia de exercícios físicos e relaxamento para um corpo saudável e mais cheio de vida.

Promover a Participação de nossos alunos em eventos culturais, fazendo apresentações de capoeira, levando o nome do Grupo a vários lugares e difundindo cada vez mais essa arte/cultura chamada capoeira.

Promover o Batizado do Grupo Irmão Capoeira como um evento cultural, obtendo-se as trocas de cordas, e integração entre famílias e sociedade em si.

– Promover futuramente aulas de dança, musica, teatro e profissionalização.

-Colaborar com os poderes públicos, dando sugestões, participando de eventos, comissões e auxiliando nos eventos Culturais.

Ainda estamos pedido apoio, e digo, não nos referimos a apoio financeiro (claro que bem vindo quando chega) mas nos referimos principalmente ao apoio moral, de incentivo para que nenhum de nós esmoreça e desista deste objetivo tão lindo, outro tipo de apoio é a aquisição de materiais como berimbau, pandeiro, etc, (algum material mesmo usado que queira doar nossas crianças e adolescentes agradecem). Divulguem este e-mail, nos ajude a continuar de mãos dadas por uma boa causa.

A Capoeira não pode e não deve ser só a ginga, a beleza, a luta; ela tem que ser todo um conjunto de ações e pensamentos culturais e educacionais direcionados ao bem do próximo.

Um forte abraço,

Geovana (Mãe de aluno Capoeira)

¹- Parte extraída de uma conversa entre capoeiristas na roda on line (me corrija se eu estiver errada), não me recordo quem escreveu exatamente.

Geovana Jucelia Jorge – [email protected]

Aniversário de um ano do Cazuá em Bremen.

O Grupo de Capoeira Angola Irmãos Guerreiros tem há um ano o seu Cazuá em Bremen na Alemanha. Já vão 4 anos que o Contra-mestre Pernalonga partiu daqui para lá e agora nós vamos comemorar esse primeiro ano de aniversário porque temos uma outra casa, também nossa, na outra metade do globo terrestre.
Comemorar por toda nossa luta, trabalho, indas e vindas e por ser parte daquela humanidade que diariamente descobre formas inéditas de se esforçar para continuar vivendo.
 
Aqui a gente tem certeza que a Capoeira Angola é uma vida que pulsa a todo momento. E toda a vida que se inicia é resultado de movimentos. Foram e são muitos os que aconteceram para fazer essa festa ser ainda mais importante.
Aquela casa de lá não existiria se a casa daqui não tivesse sido guardada por quem ficou, mantendo o ritmo do núcleo Castilho. As guerreiras e guerreiros Moleza, Pecadinho, Cacau, Malvadeza, Fala Grossa, Sorriso, Ciganão e Ciganinho, Batata, os Professores Beto Branco, Soneca, Vagalume, os meninos e meninas, são quem levam e prosseguem com o trabalho que o Contra-mestre Perna construiu desde que entrou pra essa vida capoeirística.
A nova casa na Alemanha também não seria a mesma se o Prof. Cunhadinho não tivesse ido fortalecer as raízes, ajudando a firmar as paredes, deixando também outras saudades nesse ano que passou.
  
Temos que lembrar o quanto significou ter a presença do nosso Mestre Marrom no Cazuá, há quase um ano atrás, para apadrinhar nossa nova morada, mostrando aos olhos desconhecidos o sentido do trabalho, do reconhecimento de ser Mestre. E de agradecer também a chance de receber Mestre Roberval de Salvador e Mestre Cláudio de Feira de Santana.
A festa vai ser nos dias 13-16 de outubro, quando vamos ter a participação de Mura, um taboanense que também vive em Bremen há mais de 18 anos desenvolvendo a sua arte com dedicação e profissionalismo à dança afro, mostrando também seu companheirismo conosco e o quanto há de beleza nessa expressão. Outra ilustre presença que irá nos visitar diretamente de São Bernardo do Campo é o amigo e Mestre Pernalonga do Grupo Nova Geração de Angola, uma outra grande conquista para essa família que estamos formando.
Família que conta com pessoas abertas e dispostas a conhecer e se dedicar a uma realidade como a da comunidade que vive no Jardim Pirajussara, o Piracity, em Taboão da Serra, São Paulo, Brasil. Desde o começo de agosto recebemos a força e apoio e mostramos o tamanho da nossa batalha diária para o pessoal trazido pelo Perna: o Fogueira, a Tigreza, Mulher Grande, a Juju. Não são os primeiros e nem serão os últimos a levar muitas estórias desse lado de cá e nos deixar com uma baita saudade de suas presenças.
Com isso a gente vê o quanto o Brasil e a Alemanha estão ficando mais próximos, através de nós, do nosso trabalho e da nossa luta pela Capoeira Angola. Porque se trazemos os alemães para sentir a brasilidade aqui em nossa terra, lá no Cazuá o Brasil se faz tocando, cantando e mostrando sobre nós brasileiros.
O trabalho de intercâmbio cultural é dos dois lados do oceano. Deu para sentir essa harmonia no nosso encontro Vadiando entre Amigos que fizemos no final de Agosto. O pessoal da Alemanha e o pessoal do Piracity fizeram do salão uma expressão de todas as cores, imagens, gestos, movimentos e palavras que saem dessa troca. Foi lindo!
E o valor da troca, o que ela representa é que é o resultado dessa distância de 4 anos, do que ela gerou. È aquela velha estória: quando a semente é boa e a terra fecunda só nascem bons frutos. Nós somos a prova disso.
 
O nosso Cazuá é um ponto de apoio para a divulgação e valorização do Brasil e do que nós temos de melhor para oferecer ao mundo de hoje: nossa cultura. Será através desse caminho que o Brasil vai assumir o importante papel de reconhecer o quanto é precioso para a humanidade as manifestações culturais típicas de cada sociedade, especialmente dos que foram postos na margem dela. E nós já estamos lutando por isso.
Daí que além da capoeira, outros ritmos brasileiros são tocados e cantados, aprendidos e difundidos entre os alemães. Porque queremos mostrar que tem muita coisa boa aqui, de valor, principalmente porque quem está mostrando tudo isso lá é alguém que veio da periferia, desfazendo a mentira que da pobreza não sai encanto.
Queremos divulgar essa festa pra dizer que nós realmente somos a mudança que queremos ver no mundo e que, esquentando o frio da Alemanha com o calor de nossos corpos tropicais estamos mostrando isso a todos os camaradinhas que, como amigos, estão juntos conosco e nos querem ver crescer e aprender com nossa experiência.
 

       Manchinha – setembro 2005.

Capoeiragem em Horário Nobre Global

A Capoeira fez parte do cardápio da Rede Globo no dia 12 de Julho, quando por mais de dois minutos a Capoeira de Mestre João Kanoa, RJ, reinou soberana. Mestre Kanoa perdeu a visão há 8 anos, mas mesmo assim continua ensinando sua arte da malandragem à 120 alunos.
 
Milton Cezar Ribeiro
12/07/2005 " 23h30

A pouco recebo uma grata chamada telefônica. Mestre Damião, um dos raros mestres realmente formado por Mestre Bimba, sugeriu que sintonizasse no canal 5 (Rede Globo). Sintonizei.
Foram dois a três minutos contínuos em que a Capoeira esteve presente nas cenas da novela global "América". Na cena o Mestre Kanoa, do grupo de Capoeira Kunta-Kintê de Santa Tereza, Rio de Janeiro, comandava uma roda na rua, sendo que na mesma participavam ativamente diversos personagens da novela.
 
O Feitosa (Ailton Graça) deu sua volta ao mundo durante as cenas, mostrando que têm intimidade com nossa arte. O personagem Farinha (Antonio Carlos), que na novela vive o drama de um menino de rua, também deu sua contribuição com a ginga global de nossa Capoeiragem. Para finalizar as cenas, foi a vez ator Marcos Frota, que vive o cego Jatobá, fazer suas peripécias. Foi uma pena a atriz Paula Burlamaqui (Islene) não ter gingado com o elenco, pois ela também praticou capoeira durante algum tempo, na cidade São Paulo.