Blog

mutembua

Vendo Artigos etiquetados em: mutembua

Cia. de Dança Negra-Contemporânea Kina Mutembua & Espetáculo Berimbaus

Estreou mês passado no Rio de Janeiro o espetáculo Berimbaus, o mais novo trabalho da Cia. de Dança Negra-Contemporânea Kina Mutembua.

A iniciativa é patrocinada pela Shell e narra a chegada dos povos africanos ao território brasileiro e a construção de uma cultura marcada pela criatividade e pela resistência. A capoeira tem destaque no espetáculo, sendo apresentadas coreografias de Yuna e São Bento. 

O espetáculo também introduz a coreografia Intore, desenvolvida em cooperação com o Ballet Nacional de Ruanda e financiada pela Unidade Especial de Cooperação Sul-SUl do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) de Nova Iorque.

O espetáculo é dividido em três momentos:

  1. Pássaro: momento lírico onde o balé de duas aves é apresentado por meio dos movimentos da capoeira
  2. Pé de berimbau: celebrando os mestres de capoeira do presente e os ancestrais
  3. Berimbau: momento em que a força do tambor e da dança africana se expressa em sua plenitude

A Cia. de Dança-Negra Contemporânea Kina Mutembua  integra a Ong Ação Comunitária do Brasil do Rio de Janeiro fundada há 45 anos, e que atua na área de qualificação profissional e geração de renda através do estímulo ao trabalho associativo, ao fomento à produção solidária e ao desenvolvimento de formas alternativas de geração de renda para moradores de comunidades de baixa renda da cidade do Rio de Janeiro.

Agenda de outubro: Salvador

 

Fonte: http://www.minasdeideias.com.br/

Kina Mutembua e Orquestra de Berimbaus traz a África para o Brasil

Grupo apresenta espetáculo Intore baseado em dança tradicional dos guerreiros de Ruanda.

 

Em busca da valorização das raízes culturais do país, o grupo Kina Mutembua e Orquestra de Berimbaus da ONG Ação Comunitária do Brasil/RJ (ACB/RJ) mergulha na história e traz à cena o espetáculo Intore. A temporada de shows de dança e música afro-brasileira estréia dia 07 de maio às 19h no Teatro SESI da FIRJAN e fica em cartaz até o dia 21.

Intore, que significa “os escolhidos”, é uma dança tradicional que com movimentos fortes narra a vida de heróis e Reis de Ruanda, na África. Criada há séculos atrás, era originalmente apresentada por guerreiros apenas para a corte real. Nas tradições, os guerreiros intore são selecionados pela excepcional qualidade física e moral e são conhecidos por sua elegância, humildade e honradez.

Sob a direção artística do coreógrafo Charles Nelson, o espetáculo recria os elementos básicos da dança ancestral mantendo a tradição da utilização dos tambores rituais ingomas, vindos de Ruanda. O primeiro ato do espetáculo apresenta o cotidiano de uma tribo africana e suas tradições, retratando situações de caça, agradecimentos a divindades, rituais de modo geral e simboliza a força através da dança dos guerreiros. O grande destaque é a dança da guerra, onde movimentos fortes criam uma coreografia complexa com brutal agressividade.

Com o apoio da Petrobras, a montagem foi elaborada a partir dos resultados da Cooperação Sul Sul Brasil-África realizada com o apoio da ONU no final de 2006. O resultado mescla a tradição ruandesa com elementos da cultura popular brasileira. O intercâmbio com artistas do Ballet Nacional de Ruanda deu ao musical o tom da miscigenação cultural e étnica que orienta todos os trabalhos da Ação Comunitária. O resultado dessa cooperação foi destaque no relatório da UNCTAD sobre as experiências de destaque envolvendo o conceito de economia criativa no Brasil.

Kina Mutembua – Batizado com nome em dialeto banto que significa Dançando com o Vento, o grupo Kina Mutembua da ONG Ação Comunitária do Brasil/RJ caracteriza-se pela dança afro associada à capoeira e ao uso de músicas em dialeto banto em seus shows.

Composto por jovens com idade entre 10 e 30 anos, o grupo iniciou sua trajetória há quatro anos sob orientação de um corpo docente formado por professores de expressão corporal, artes cênicas, dança afro, canto e percussão. A partir dessa experiência, surgiu a Orquestra de Berimbaus que tem como base voz, berimbaus e instrumentos de percussão e efeito.

Coisas Nossas, o primeiro espetáculo do grupo, foi apresentado em espaços culturais tradicionais do país como Teatro Rival Petrobras, Centro Coreográfico do Rio de Janeiro, Teatro Municipal Raul Cortez, Teatro Francisco Nunes (Belo Horizonte), Teatro Nacional de Brasília, Conjunto Cultural da República, Teatro Odylo Costa Filho, Circo Voador e SESC Tijuca. O histórico de apresentações deste grupo ultrapassa as fronteiras do Brasil, o Kina Mutembua já soou seus tambores e mostrou as tradições da capoeira na festa de aniversário da cidade Rinconada de Los Andes (Chile) em 2004.

Ação Comunitária do Brasil/RJ – Fundada há 40 anos junto a comunidades de baixo desenvolvimento econômico, a Ação Comunitária do Brasil/RJ é uma das pioneiras na área de responsabilidade social no Brasil.

Com 40 anos de experiência, a ONG contribui com a definição de políticas e práticas de geração de trabalho e renda para moradores de comunidades de baixa renda. Funciona como incubadora de empreendimentos adotando os princípios da economia solidária e do comércio justo. Recentemente foi destacada pela ONU como um exemplo a ser seguido no combate ao racismo e escolhida, por esta organização, para a realização de experiências-piloto de cooperação Sul-Sul na área da economia criativa. | Site: www.acaocomunitaria.org.br

.Show Intore – grupo Kina Mutembua e Orquestra de Berimbaus, com temporada: 07/05, 13/05, 14/08 e 20/05, 21/05, às 19h30, no Teatro SESI – FIRJAN – Avenida Graça Aranha, 01. Centro – Rio de Janeiro. Ingresso: R$ 12 inteira – R$ 6 meia entrada.

Fonte: http://www.revistafator.com.br/ver_noticia.php?not=38429

Kina Mutembua faz sucesso com o grupo TEIA de Minas

Kina Mutembua encanta participantes da TEIA com oficina sobre a cultura afro Jovens e educadores uniram capoeira e dança afro em atividade interativa

Um espaço dedicado a cultura e raízes afro-brasileira. Mais do que uma oficina, o Espaço Vivências da Teia Cultural foi palco de uma verdadeira troca de experiências durante a atividade "Contos e Lendas Africanas" ministrada pelo Kina Mutembua, grupo cultural da Ação Comunitária do Brasil/RJ.

Para chamar a atenção para a atividade, o grupo improvisou uma roda de capoeira que contagiou o público presente na Serraria Souza Pinto. Com essa estratégia, a oficina reuniu mais de 50 pessoas em uma atividade interativa que incluiu contação de histórias africanas, dança afro e samba de roda.

Romildo dos Santos, professor de capoeira e integrante do Kina Mutembua, contou diversas lendas do universo da capoeira como por exemplo, o surgimento do berimbau. Os participantes da TEIA também conheceram os tipos de berimbaus e alguns dos fundamentos da capoeira. Para Romildo, o mais importante foi a presença de mestres de capoeira de diversas partes do Brasil.

– Tivemos a participação de capoeiristas da Bahia, Sergipe, Alagoas, Minas Gerais que participaram de todas as atividades e possibilitaram uma troca de experiência muito importante não só para os jovens que participam do grupo,mas de nós educadores – conclui o professor de capoeira.

Charles Nelson e Viviane Santos, educadores de dança afro da ACB/RJ, explicaram aos participantes da oficina a história dos orixás e seus movimentos característicos na dança afro. O entusiasmo foi grande e todos os presentes participaram de uma aula de dança afro, onde construíram uma coreografia em conjunto.

– Assim como o Kina, a oficina foi a junção perfeita da dança afro com a capoeira. Foi uma atividade muito interessante que com certeza foi uma experiência para todos que participaram – explica Charles Nelson.

Caio Rosa, integrante do Kina Mutembua e instrutor de capoeira, contribuiu para a atividade falando sobre a cultura do candomblé que despertou a curiosidade e estimulou a discussão. "Confesso que no início tive um pouco de medo de falar para pessoas tão diversas. Mas no final, foi uma experiência que nunca vou me esquecer. Por mim, faríamos outra oficina agora!"

Jeniffer Menezes, cantora do Kina Mutembua, terminou a oficina emocionada com a participação do público que encerrou a atividade com brincadeiras ao som de cantigas de capoeira de samba de roda.

– Foi uma verdadeira troca. Muitos terminaram querendo saber mais sobre o que contamos e só isso já teria valido a pena. O mais gratificante foi ouvir diversas pessoas dizendo que nos esperam ano que vem para uma nova oficina. Foi realmente emocionante – revela a cantora.

Revista Fator – São Paulo
http://www.revistafator.com.br

RJ: Kina Mutembua e Orquestra de Berimbaus faz show gratuito na UERJ

Espetáculo Coisas Nossas é apresentado para estudantes da rede pública do Rio.
 
A celebração da garra, ritmo e musicalidade afro-brasileira. Assim é o musical Coisas Nossas, apresentado pelo grupo Kina Mutembua e Orquestra de Berimbaus, da Ação Comunitária do Brasil/RJ (ACB/RJ). E a próxima apresentação do grupo será uma ação beneficente, pois no dia 17/08, às 14h, o espetáculo Coisas Nossas será apresentado gratuitamente no Teatro da UERJ Odylo Costa Filho para estudantes da rede pública do Rio.
 
Marcante pela sua interatividade, Coisas Nossas envolve a platéia em um rito de simbolismos e alegria. O show, criado durante o intercâmbio com artistas do Ballet Nacional de Ruanda em 2006, foi renovado e traz além de composições próprias do grupo, música em dialeto Banto, típico da África.
 
Todo o repertório é um resgate às perolas da música nacional como é o caso de Brasil Pandeiro de Assis Valente, um dos hinos do samba na década de 1940 e da famosa canção Alguém Me Avisou, de D. Ivone Lara. Ao lado destes sucessos, nomes como Ivan Lins e Clara Nunes. O detalhe está na interpretação das músicas que são levadas a toques de berimbau e percussão.
 
Sob a direção do coreógrafo Charles Nelson, autoridade em dança afro-brasileira, o espetáculo é composto por números que unem Dança Contemporânea, Capoeira, Maculelê e Samba de Roda. Coisas Nossas aposta na mistura de manifestações populares que deu origem ao povo brasileiro. Por toda essa brasilianidade, o espetáculo Coisas Nossas, criado a partir da experiência no Fórum Cultural Mundial 2006 marcou presença na primeira edição do Fashion Rio/2007.
 
Kina Mutembua e Orquestra de Berimbaus – Composto por jovens de 11 a 22 anos, o Kina Mutembua resulta do trabalho sócio-cultural da ACB/RJ, nas favelas da Maré e Cidade Alta, em Cordovil. Com um nome que significa "Dançando Com o Vento" na língua quicongo da etnia banto, o grupo conta no seu currículo com apresentações no exterior e em diversos eventos culturais. Além da geração de renda, o trabalho contribui para o amadurecimento profissional dos integrantes.
 
A partir dos resultados deste trabalho, surge a Orquestra de Berimbaus da ACB/RJ que tem como proposta mesclar o ritmo tradicional da capoeira com música popular brasileira e ritmos africanos. O grupo tem aprimorado suas técnicas com aulas de preparação musical com Mestre Berg (mestre de capoeira e doutorando em Cultura Popular), Luiza Marmelo (Jongo da Serrinha) preparadora vocal e de percussão com o músico Alexandre Pires.
 
Coisas Nossas na UERJ, dia 17/08/2007, às 14h, Teatro Odylo Costa Filho – UERJ, Rua São Francisco Xavier, 524, Maracanã – Rio de Janeiro (RJ).Preço: Entrada gratuita
 
Fonte: Revista Fator – Sao Paulo – http://www.revistafator.com.br