Blog

praia

Vendo Artigos etiquetados em: praia

Niterói vai ser palco do primeiro Intercâmbio Cultural Terranossa

De 26 a 31 de Agosto Niterói recebe mais um evento da Associação Terranossa de Capoeira. O Intercâmbio Cultural, que comemora os sete anos de existência do grupo, tem em sua programação palestras, cursos e troca de cordas.

“O evento irá possibilitar a integração entre os membros dos seis estados brasileiros e dos sete países do mundo. A ideia é garantir que o grupo todo fale a mesma língua, mesmo em continentes diferentes.”, explicou Mestre Cid, presidente do grupo e organizador do evento.

A programação terá início com aulas nos principais centros de treinamento do Rio de Janeiro. No dia 26 o Professor Naja recebe os integrantes do grupo para uma aula em sua academia, em Campo Grande. No dia 27 é a vez do Mestre Cid comandar o treino em Niterói. Para fechar o ciclo de aulas, Professor Minhoca ministra aula em Vicente de Carvalho no dia 28.

Na sexta-feira, dia 29, as atividades ficam concentradas em Niterói. Pela manhã Eco Terranossa, em Itacoatiara e a noite tem roda na Praia de Icaraí.

No sábado as atividades começam mais cedo para os integrantes do grupo, com a capacitação e os exames para as trocas de corda. Após o almoço haverá Seminário com Mestres convidados. Entre os já confirmados, Mestre Polaco, Mestre Genaro e Mestre Gegê. No fim da tarde é hora de receber os amigos para a formatura e troca de cordas.

São esperados cerca de 200 capoeiristas para o sábado 30/08, quando acontece a troca de cordas e a formatura, a partir das 17h. Mestre Cid pretende entregar cerca de 40 cordas, entre elas, cordas de Contramestre, Professor, instrutor e Monitor.

 

 

Programação:

 

26/08

19h – Treino em Campo Grande – Professor Naja

Academia Terranossa

Rua Seabra Filho, 377. Inhoaíba. Campo Grande. Rio de Janeiro/RJ

 

27/08

20h – Treino em Icaraí – Mestre Cid

Complexo Esportivo Caio Martins

Av. Roberto Silveira esquina com Rua Presidente Backer. Icaraí. Niterói/RJ.

 

28/08

19h – Treino em Vicente de Carvalho – Professor Minhoca

Colégio Isa

Rua Iere, 23. Vicente de Carvalho. Rio de Janeiro/RJ

 

29/08

Eco Terranossa

Praia de Itacoatiara

20h – Roda

Praia de Icaraí

 

30/08

8h – Cursos, Palestras e Exames

Complexo Esportivo Caio Martins

14h – Seminário com mestres convidados

Complexo Esportivo Caio Martins

17h – Formatura, Batizado e Troca de cordas

Complexo Esportivo Caio Martins

31/08

10h – Confraternização

Complexo Esportivo Caio Martins

Campanha busca redução da violência em Fortaleza

Campanha Capoeira pela Paz propõe ações para a redução da violência

Música, cultura, história e esporte. A capoeira possui diversos atributos capazes de transformar a vida de diversos jovens que engrossam as estatísticas da violência em Fortaleza. Há muito tempo essa arte vem atuando no combate à violência e atuando como agente de conscientização da população frente a este problema.

É com essa motivação social transformadora que os movimentos de capoeiristas de Fortaleza se organizaram na Rede de Desenvolvimento Sustentável da Capoeira do Ceará. E uma das ações da Rede é a campanha “Capoeira pela Paz”, que vai discutir as possíveis contribuições que a capoeira e outras manifestações culturais podem oferecer para a diminuição da criminalidade, em evento que deve contar com cerca de mil capoeiristas no próximo domingo (17 de novembro), às 16h, no aterro da Praia de Iracema. 

Também no domingo, será comemorado o mês da Consciência Negra e a Semana Municipal da Capoeira, evento anual que conta com o apoio da Prefeitura de Fortaleza. “A capoeira é um instrumento de cultura, esporte, de educação e também de disciplina. É uma importante ferramenta de socialização, bem como de formação de bons cidadãos. Todos devemos apoiar iniciativas como essas”, diz o vereador Evaldo Lima (PCdoB).

A Comissão Organizadora da Rede é formada por Mestre Ratto, Mestra Carla, Mestre Aramola, Mestre Piolho, Mestre Auricelio, Mestre Marrudo e Mestre Envergado. Segundo a Comissão, algumas das importantes consequências dessas ações é promover a revitalização de espaços públicos, a conscientização das comunidades e a recuperação de pessoas que se enquadrem na perspectiva de prática da violência.

Sobre a Rede

A Rede de Desenvolvimento Econômico da Capoeira Cearense é uma iniciativa coletiva que surgiu para discutir e promover ações de sustentabilidade econômica da capoeira em Fortaleza. Sempre em diálogo com grupos e capoeiristas da cidade, do país e do exterior, a organização da rede promove conversas sobre processos produtivos, financiamentos e construção de mercados e bens de serviços, produtos para empreendimentos e ações concretas incidentes sobre as cadeias produtivas contempladas pelo protagonismo da capoeira cearense.

Serviço

Capoeira pela Paz

Data: Dia 17 de novembro.
Horário: 16 horas.
Local: Aterro da Praia de Iracema

Fonte: Assessoria do vereador Evaldo Lima (PCdoB)


Facebook: https://www.facebook.com/pages/Rede-de-Desenvolvimento-Econ%C3%B4mico-e-Sustent%C3%A1vel-da-Capoeira-no-Cear%C3%A1/129248950566214

Tucumã Brasil: “Capoeira pede ajuda!!”

A capoeira pede ajuda!!

Talvez seja um fenômeno atual…Talvez venha de bastante tempo atrás…O fato é que cada vez mais pessoas e mestres preocupam-se mais com os seus “bolsos” do que com o desenvolvimento geral da capoeira.

Claro que é preciso viver de capoeira ao invés de “sobreviver”, mas devemos pensar: em que colaboramos com o desenvolvimento da capoeira em modo geral?
Vejo brigas por poder, escudos de grupos, federações, mestres e afins…

Já esta na hora de tudo isso mudar.

Esta na hora de lutarmos por melhorias dentro de nossa arte.

Esta na hora de fazermos mais pela capoeira…Esta na hora de deixar que camisas e bandeiras de grupos falem mais alto do que os interesses da capoeira em geral.

Esta na hora de gritarmos com todas as forças e sermos ouvidos!!!

Esta na hora de reivindicar o que é nosso por direito.

É a hora de mostrarmos do que somos capazes, se não morreremos na praia….

Nossos mestres precisam de nós, Nossos alunos precisam de nós, A sociedade precisa de educação, cultura, saúde e musicalidade, a capoeira tem tudo isso e muito mais…

Comece a fazer um pouco, para que o pouco se torne muito!!!

Muito axé!!!

Fonte:

TUCUMÃ BRASILhttp://www.tucumabrasil.com.br/

 

  • Veja também: www.coletivocapoeira.com


CAPOEIRA NA EDUCAÇÃO INFANTIL: TEORIA DE ENSINO E ATIVIDADES PRÁTICAS

Prezados Amigos,

Venho convidá-los a participarem do lançamento do meu livro, CAPOEIRA NA EDUCAÇÃO INFANTIL: TEORIA DE ENSINO E ATIVIDADES PRÁTICAS, será dia 20 de abril à partir das 19h30 no Colégio Ônis que fica na Rua: André Vidal de Negreiros, 36 – Ponta da Praia/Santos. Espero por você lá!

Att.

Kaled

 

Empresários da Praia do Forte mostram cultura local

Salvador – Passado o carnaval, cai o número de visitantes na Bahia. Os donos de pousadas e restaurantes do litoral norte escolheram as manifestações culturais da região como diferenciais para atrair turistas fora da temporada.

Rosa Clara Brandão, proprietária do Hotel Via dos Corais, diz que os empresários da Praia do Forte lançaram o projeto Arte na Vila, que apresenta manifestações culturais como sambas de roda, capoeira, bumba meu boi, cantores e artistas plásticos da região. “Além de oferecer um diferencial aos visitantes possibilitamos o resgate da cultura local que estava em risco de extinção”, destaca.

No próximo final de semana, a atração do projeto é o grupo de capoeira esporão. As apresentações acontecem nas praças da Alegria e da Música. “Queremos que o projeto Arte na Vila aconteça durante todo o ano. Para isso estamos buscando parcerias”, conta a gerente de marketing da Turisforte, Maria Betania Pananaguá.

O Sebrae tem sido parceiro dos empresários da Praia do Forte oferecendo capacitações, missões técnicas, formação de Central de Negócios e consultoria para a formatação de Plano de Marketing. Os empresários da região se uniram e criaram a Turisforte, que hoje reúne 108 empresários dos setores de hospedagem, restaurantes, lojas e serviços.

De acordo com a gestora de projetos de turismo do Sebrae na Bahia, Cristiane Serra, a Turisforte tem feito muitas inovações. “Os empresários estão sempre oferecendo música de qualidade e manifestações artísticas da região. O grupo também criou uma página no facebook, o Praia do Forte Oficial, que ajuda na divulgação da programação local ”, destaca a gestora.

Capacitação

De olho no mundial de 2014, o Sebrae, em parceria com a Secretaria Estadual para Assuntos da Copa do Mundo FIFA 2014 (Secopa) oferece o programa Moderniza, que tem como objetivo fortalecer a competitividade de 180 micro e pequenas empresas de Salvador e litoral Norte no ramo de hospedagem, alimentos e bebidas.

O Moderniza tem duração de oito meses e traz um conteúdo de capacitação empresarial nas áreas de gestão, serviços e infraestrutura. O programa atua por meio de ações de modernização e requalificação dos empreendimentos, para que as empresas possam atingir padrões internacionais de qualidade nos serviços e estarem aptas a receber o selo da Secopa.

Serviço:

Sebrae na Bahia (71) 3320.4558
www.ba.agenciasebrae.com.br
Agência Sebrae de Notícias: (61) 3243-7852/ 2107- 9104/3243-7851/ 9977-9529
Central de Relacionamento Sebrae: 0800 570 0800
www.agenciasebrae.com.br
www.twitter.com/sebrae
www.facebook.com/sebrae

3º ENCONTRO “PARA CONTAR CERTO, TEM QUE VER DE PERTO!”

Salvador/BA – De 15 a 31 de Jul 2011


Esta é a 3ª edição de um evento muito bacana, que integra capoeiristas de várias partes do mundo para vivenciar durante 15 dias, através de oficinas, palestras e visitações, a essência da Capoeira Angola de Salvador e arredores.
Neste ano, mais uma vez estaremos visitando Ilha de Maré e também a cidade de Santo Amaro, terra de grande capoeiristas e de Besouro Mangangá. É a oportunidade que você estava esperando para ir as rodas de grandes Mestres, passear pelos locais históricos da capoeiragem e ainda apreciar as belezas naturais da cidade, ao lado de um grupo de pessoas de alto astral.



PROGRAMAÇÃO:


Dia 15/07 – Sexta feira
18:00h – Credenciamento
19:00h – Abertura e boas vindas ao evento
19:30h – Roda de Capoeira Angola na ACANNE com apresentação dos mestres convidados
21:30h – Samba de Roda
22:00h – Confraternização (Mesa de frutas e Reggae Roots)
Dia 16 – Sábado (Itaparica)
08:00h – Saída para Ilha
10:00h – Vadiação na praça de Mar Grande
14:30h – Vivência de Capoeiragem (Mestre Lua Rasta)
18:00h – Roda de Capoeira Angola
21:00h – Luau com Samba de Roda
Dia 17 – Domingo (Barra Grande e Rio Vermelho)
08:00h – Berimbalada até Barra Grande
09:30h – Vivência de Capoeira Angola (Grupo Angoleiros do Mar)
13:00h – Almoço
14:00h – Samba de Roda (Grupo Angoleiros do Mar)
19:00h – Roda de Capoeira Angola no Rio Vermelho (Bando Tupinambás de Capoeira Angola)
Dia 18 – Segunda Feira (ACANNE)
10:00h – Praia do Porto da Barra
14:00h – Visitações a Praça da Sé, Terreiro de Jesus e Memorial das Baianas
17:00h – Vivência de Capoeira Angola (Contramestre Veó)
18:00h – Exibição de vídeo: (Eu nasci para Jogar, eu fui enviado.)
19:00h – Vivência de Capoeira Angola (Mestre Renê)
20:30h – Roda de Capoeira Angola
Dia 19 – Terça feira (ACANNE)
08:00h – Vivência de capoeira angola (Contramestre Gaguinho – Acanne/BA)
10:00h – Praia da Barra
14:00h – Visitações a Casa Jorge Amado, Atelier de Mestre Lua Rasta e Pelourinho
17:00h – Vivência de Capoeira Angola ( Lucimar – Acanne/BA)
18:00h – Exibição de Vídeo: (Faca de Ticum, Mestre Felipe)
19:00h – Vivência de Capoeira Angola (Mestre Renê)
21:00h – Festa da Bênção no Pelourinho
Dia 20 – Quarta feira
08:00h – Vivência de Capoeira Angola (Rafa – Acanne/RS)
10:00h – Praia da Ribeira, Praia da Boa Viagem
14:00h – Visitações a Igreja do Bonfim e Feira de São Joaquim
17:00h – Vivência de Capoeira Angola (Schimit – Acanne/RS)
18:00h – Exibição de vídeo: (O poder do Machado de Xangô)
19:00h – Vivência de Capoeira Angola (mestre Renê)
Dia 21 – Quinta feira (Instituto N’Zinga)
08:00h – Vivência de capoeira angola (Kong – Acanne/MG)
10:00h – Praia Jardim de Alá
14:00h – Passeio na Ladeira da Barroquinha
17:00h – Vivência de Capoeira Angola (Contramestre Gutinho)
19:00h –Visita ao Grupo N”zinga
Dia 22 – Sexta feira (ABCA e Terreiro de Jesus)
08:00h – Café cultural na Dona Euza
09:30h – Caminhada na Ladeira da Preguiça e pontos históricos do bairro 02 de Julho
12:00h – Almoço com Mestre Renê (comida típica da Bahia)
14:00h – Praia Porto da Barra
18:00h – Berimbalada até o Pelourinho passando no Monumento a Zumbi dos Palmares
19:00h – Roda de Capoeira Angola (ABCA – Associação Brasileira de Capoeira Angola)
21:00h – Homenagem a Mestre Pastinha (Entrada da Rocinha)
21:30h – Roda de Capoeira Angola no Terrreiro de Jesus
Dia 23 – Sábado (Santo Amaro/Barracão de Mestre Ivan)
06:00h – Saída para Santo Amaro
· Berimbalada no Centro Histórico
· Roda de Capoeira Angola na Feira
· Almoço com comida típica do local
· Aula de Capoeira Angola no Barracão de Mestre Ivan
19:00h – Retorno a Salvador
Dia 24 – Domingo (Academia de Mestre João Pequeno)
08:00h – Vivência de Capoeira Angola (Mestre Renê)
10:00h – Praia da Ribeira Almoço Samba de Roda
19:00h – Roda na Academia de Mestre João Pequeno

Dia 25 – Segunda Feira (ACANNE)

08:00h – Oficina de toques e berimbaus (Contramestre Veó)
10:00h – Praia da Preguiça e antiga Rampa do mercado
14:00h – Visitações ao Mercado Modelo e Baixa dos Sapateiros
17:00h – Vivência de Capoeira Angola (Contramestre Guto – Áfricanamente/RS)
18:00h – Exibição de Vídeo: (O sabor do saber ancestral – A feijoada da ACANNE)
19:00h – Vivência de Capoeira Angola (Mestre Renê)
20:30h – Roda de Capoeira Angola

 

Dia 26 – Terça feira (ACANNE)
08:00h – Vivência de Capoeira Angola (Instrutor Rogério -Áfricanamente/RS)
10:00h – Praia de Amaralina
14:00h – Visitação a Fundação Pierre Verger
17:00h – Vivência de Capoeira Angola (Lucimar – Acanne/BA)
18:00h – Oficina de Criação de Cânticos de capoeira (Contramestre Guto – Africanamente/RS)
19:00h – Vivência de Capoeira Angola (Mestre Renê)
20:30h – Palestra com Fred Abreu sobre o Barracão de Mestre Valdemar

Dia 27 – Quarta feira (Academia de Mestre Boca Rica)
8:00h – Vivência de Capoeira Angola (Contramestre Gutinho – Acanne/BA)
10:00h – Praia de Itapoã
17:00h – Vivência de Capoeira Angola (Rafa -Acanne/BA)
19:00h – Roda na Academia de Mestre Boca Rica (Mestre Boca Rica)

Dia 28 – Quinta feira (Mestre Virgilio/Acanne Fazenda Grande)
08:00h – Vivência de capoeira angola (Schmit – Acanne/BA)
10:00h – Praia de Humaitá 14:00h – Visita ao Bairro da Liberdade e ao Ilê Ayê
19:00h – Aula de Capoeira Angola na Fazenda Grande (Mestre Vírgilio)
20:30h – Roda de Capoeira Angola (Mestre Virgilio)

Dia 29 – Sexta feira (ACANNE)
08:00h – Vivência de capoeira angola ( Contramestre Guto – Áfricanamente/RS)
10:00h – Mercado Modelo
14:00h – Praia Porto da Barra (aula de frescobol)
19:00h – Roda de Capoeira Angola (Acanne)
21:00h – Forró na ACANNE

Dia 30 – Sábado (Ilha de Maré)
09:00h – Saída para Ilha de Maré
16:00h – Aula de Capoeira Angola a Beira Mar (Mestre Renê)
18:00h – Roda de Capoeira Angola na Beira Mar ao Pôr do Sol
21:00h – Jantar no quilombo Okê Arô (moqueca feita por Mestre Renê )
23:00h – Samba de Roda e Festa no quilombo Okê Arô

Dia 31 – Domingo (encerramento do evento)
10:00h – Roda de Capoeira Angola e Samba de Roda na comunidade de Ilha de Maré
12:00h – Almoço e confraternização
15:00h – Retorno a Salvador com roda dentro do barco
INVESTIMENTO:

R$ 400,00

(Neste valor está incluído todas as oficinas e a hospedagem coletiva)


Maiores informações:





Fones:
055 71 33217496 (Mestre Renê)
055 51 99659335 (contramestre Guto)

Atenção:
Você que já participou de outras edições deste evento poderá ter sua inscrição gratuíta.
Sabe como? É simples.
Basta inscrever 02 (duas) pessoas que nunca tenham participado do evento, assim que a inscrição delas for efetuada, você ganhará automaticamente isenção da sua inscrição e mais a camiseta do evento.

Mas, mexa-se capoeira. Pois as vagas são limitadas.


Abraços,
Mestre Renê
e
Contramestre Guto

Oferendas e cânticos marcam celebração ao dia de Iemanjá

Grupos se reúnem na Praia de Pajuçara para homenagear a rainha das águas

As batidas dos tambores marcaram o ritmo. Os colares em cores vibrantes adornaram as vestimentas. Os cânticos foram acompanhados com uma leve dança. Em cortejo, as cestas levaram flores bem decoradas, comidas e lembranças. Foram as oferendas a Iemanjá, a rainha das águas, homenageada todo oito de dezembro. Crianças e adolescentes também foram às areias da praia da Pajuçara para reverenciar a mãe de todos os orixás e pedir o fim do preconceito contra as religiões de matriz africana.

Os grupos de candomblé e umbanda, vindos de várias partes de Alagoas, festejaram o orixá dos Egbá na Pajuçara, em Maceió, durante todo o dia. A celebração, que pretendia chamar atenção para o preconceito histórico contra as manifestações afro-brasileiras, aconteceu também para agradecer por tudo o que foi alcançado em 2010.

Mãe Fátima de Oiá saiu de São Miguel dos Campos com seu grupo para homenagear aquela que ela considera ‘a mãe maior de todas as nações’. “Hoje o dia é de festa, felicidade e união de todos os candomblés e nações. Isso representa o renascimento da mãe mais caridosa e dedicada” – contou a mãe de santo, que mantém 38 filhos de santo dançando em seu grupo.

Há 15 anos como mãe de santo, Mãe Fátima explica que as oferendas preparadas para o orixá são levadas para alto mar, onde são, segundo a crença, conduzidas pelas águas até a Terra de Orucaia, conhecida como Terra de Iemanjá. “É um lugar feliz e radiante. A terra dos encantos”, diz ela.

 

Rodas de capoeira

Fazendo parte dos festejos, grupos de percussão e rodas de capoeira animaram o ambiente. “A capoeira tem ligação com o movimento afro-brasileiro, por esse motivo, fomos convidados e aqui estamos para fazer parte da comemoração”, diz o presidente do grupo Muzenza, Marcelo Cardoso, conhecido como Mestre Girafa.

Na praça Multieventos, a roda de capoeira chamava a atenção dos transeuntes, que paravam para apreciar o gingado. Grupos de percussão, de maracatu e orquestras de tambores estendem a programação até o final do dia.

 

Candomblé: tradição passada de geração a geração

Ela tem apenas sete anos de vida, mas já sabe entoar os cânticos que homenageiam Iemanjá, a rainha das águas. No dia em que as religiões de matriz africana reverenciam a mãe de todos os orixás, neste 8 de dezembro, seguidores do candomblé e da umbanda levam os filhos para também participa da festa de louvor.

A pequena Ieda Vitória da Silva, de 7 anos, canta, dança e segue os passos da mãe. Ela praticamente nasceu num terreiro de candomblé e, nos dias em que já movimentação é grande para levar à Iemanjá as oferendas que significam uma espécie de agradecimento por tudo o que ela teria feito pelos seus seguidores.

“Desde quando a Vitória era bebezinha que eu a levo para todas as atividades festivas da nossa religião. Ela sabe todas as músicas e os passos que marcam o ritmo das batidas dos nossos hinos”, disse a mãe Catiana da Conceição.

“Viemos de Rio Largo para prestar as nossas homenagens à mãe das águas”, lembrou a menina, que faz parte do Grupo Santuário de Iemanjá.

 

Tarde ainda com muitas oferendas

E a Pajuçara continua tomada por grupos de candomblé e umbanda. Todos cantam e dançam em dezenas de rodas formadas nas areias da praia. No meio do círculo, as oferendas que serão lançadas no mar: perfumes de alfazema, sabonetes, talcos, flores, champanhe, espelhos, bonecas e adereços.

Além do ritual religioso, a festa de Iemanjá também reúne outras expressões da cultura afro, a exemplo de sambas de roda, grupos de capoeira e blocos afros.

 

A lenda*

Com a lenda conta que Iemanjá, filha de Olokum, casou-se com Olofin-Odudua, em Ifé, na Nigéria, e teve dez filhos, todos orixás. Depois de amamentá-los, ela teria ficado com os seios enormes, o que lhe causara vergonha. Cansada de viver em Ifé, Iemanjá fugiu e, chegando a Abeokutá, casou-se novamente, dessa vez, com Okerê. Mas, Iemanjá impôs uma condição para o casamento: que o marido jamais a ridicularizasse por conta dos seios volumosos. Entretanto, numa briga, Okerê teria ofendido Iemanjá, que, furiosa, fugiu novamente, encontrando num presente do pai o caminho para as águas. Ela nunca mais teria voltado para a terra e se tornou, assim, a rainha do mar. Nas datas em que é homenageada, em 02 de fevereiro e 08 de dezembro (Imaculada Conceição, para o Catolicisco), seus filhos fazem oferendas para acalmá-la e agradá-la.

* Com informações do portal da Capoeira – www.portalcapoeira.com

 

Pajuçara vira palco de articulação pela cultura afro-brasileira

E, com o objetivo d pedir o fim do preconceito contra as religiões afro-brasileiras, reuniram-se, durante toda a tarde desta quarta-feira (08), vários grupos culturais na praia da Pajuçara. Cada um, mostrando as suas ações que são desenvolvidas no dia-a-dia, apresentou-se nas areias da orla marítima de Maceió e pediu o fim do preconceito.

“Estamos aqui num em prol da liberdade de crença e em favor do sincretismo religioso. A intolerância religiosa tem que ser combatida em todos os templos e lugares. O mais importante é que tenhamos fé, independentemente da religião a ser seguida”, defendeu Sirlene Gomes, coordenadora do Cepa Quilombo, grupo temático de discussão contra o preconceito.

Além dele, estiveram presentes o Quintal Cultural (grupo de educação, cultura e formação), Coletivo Afro Caetés (maracatu), Centro Espírita Santa Bárbara (Umbanda), Corte de Airá (maracatu) e o Núcleo Cultural da Zona Sul (capoeira e bumba-meu-boi).

O encontro foi denominado de ‘articulação pela cultura popular e afro-alagoana’ e seus organizadores prometem novas ações ao longo do próximo ano. Por enquanto, eles conseguiram abrigo provisório na Secretaria de Estado da Cultura.

 

Conscientização com crianças

O Centro Espírita Santa Bárbara, cuja sede fica no Conjunto Village Campestre, trabalha o tema da umbanda com crianças com idades entre 4 e 8 anos. Os integrantes da entidade alegam que, para poder desmistificar as religiões de matriz africana, a educação religiosa precisa ser ministrada desde os primeiros anos de vida.

E, para as homenagens à Iemanjá na praia, o Centro levou crianças e adolescentes para que eles pudessem entender e presenciar as reverências à rainha das águas.

 

Fonte: http://gazetaweb.globo.com

Gazetaweb – Janaina Ribeiro, Roberta Batista e Daniel Dabasi

Salvador: “Pra Contar Certo, Tem de Ver de Perto!”

O quê:
2ª Edição do evento “PRA CONTAR CERTO, TEM DE VER DE PERTO!” Circuito de Oficinas, Palestras e visitaçoes a Capoeira Angola de Salvador,

Quando:
de 16 a 31 de Julho de 2010

Onde:
Salvador, Ilha de Maré, Ilha de Itaparica, Santo Amaro – BA – Brasil

Realização:
ACANNE – Associação de Capoeira Angola Navio Negreiro
Áfricanamente Escola de Capoeira Angola

Objetivo:
Conhecer de perto e vivenciar de forma presente a arte da capoeira angola e seus protagonistas, através de um circuito de oficinas, palestras e visitações aos locais históricos e aos Mestres e Grupos que preservam esta cultura nas cidades de Salvador, Ilha de Maré, Ilha de Itaparica e Santo Amaro da Purificação. 

Justificativa:
É cada vez mais maior o número de pessoas que praticam a arte da capoeira angola em várias partes do mundo, que cantam e que ouvem histórias sobre os mestres e lugares importantes no desenvolvimento desta arte, mas que, no entanto, só conhecem estes locais através de fotos, videos ou através de relatos de capoeiristas mais velhos. 
Este evento propõe-se a oportunizar o acesso a este conhecimento, ou seja, vivenciar in loco a Capoeira Angola de Salvador, ir as rodas de grandes Mestres, passear pelos locais históricos da capoeiragem e ainda apreciar as belezas naturais da cidade, ao lado de um grupo de pessoas de alto astral.

Oficinas e Vivências com:
Mestre Boca Rica (Salvador/BA)
Mestre Renê (Salvador/BA)
Mestre Jaime de Mar Grande (Salvador/BA)
Mestre Felipe (Santo Amaro/BA)
Mestre Hugo (Santo Amaro/BA)
Mestre Adó (Santo Amaro/BA)
Contra Mestre Gaguinho (Salvador/BA)
Contra Mestre Gutinho (Salvador/BA)
Prof. Guto (Porto Alegre/RS)
Prof. Guaxini (Salvador/BA)
Prof. Budião (Salvador/BA)
Trenel Cris (Salvador/BA)
Trenel Veó (Salvador/BA)
Kong (Poços de Caldas/MG)
Eric ( Arizona/EUA)

Visitações e Palestras::
Forte da Capoeira
Pelourinho
Instituto N’Zinga
Atelier de Mestre Lua
Frede Abreu
Mercado Modelo
Igreja do Bom Fim
Ladeira da Barroquinha
Espaço Mandinga
Instituto Jair Moura
Casa Jorge Amado
Museu Afrobrasileiro
Ilê Axé Opô Afonjá

Rodas de Capoeira Angola:
ABCA – Associação Brasileira de Capoeira Angola
ACANNE – Associação de Capoeira Angola Navio Negreiro
Associação Paraguassú de Kapuêra Angola
Grupo de Capoeira Angola Angoleiros do Mar
FICA – Fundação Internacional de Capoeira Angola
Academia de Mestre João Pequeno de Pastinha
Academia de Mestre Boca Rica
Roda do Terreiro com Mestre Lua Rasta
Roda no Rio Vermelho (responsável Sapoti)
Ilha de Maré
Feira de Santo Amaro

PROGRAMAÇÃO OFICIAL

Dia 16 – Sexta feira
18:00h
– Credenciamento
19:00h – Abertura e boas vindas ao evento
19:30h – Roda de Capoeira Angola na ACANNE – Associação de Capoeira Angola Navio Negreiro

21:30h – Samba de Roda
22:00h – Confraternização

Dia 17 – Sábado
08:00h
– Saída para Mar Grande
10:00h – Aula de Capoeira Angola na Associação Paraguassu de Kapuêra Angola
(Mestre Jaime de Mar Grande e Prof. Budião)
14:30h – Aula de Capoeira Angola na Associação Paraguassu de Kapuêra Angola
(Mestre Jaime de Mar Grande e Prof. Budião)
16:00h – Praia
18:00h – Roda de Capoeira Angola
21:00h – Samba de Roda, Confraternização e Pousada na Associação Paraguassu de Kapuêra Angola

Dia 18 – Domingo
08:00h
– Saída para Barra Grande
10:00h – Roda de Capoeira Angola no Grupo Angoleiros do Mar
13:00h – Almoço
15:00h – Praia
17:00h – Retorno para Salvador
19:00h – Roda de Capoeira angola no Rio Vermelho (Sapoti – Bando Tupinambás de Capoeira Angola)
Dia 19 – Segunda Feira
10:00h
– Praia do Porto da Barra
14:00h – Visitações a Praça da Sé, Terreiro de Jesus, Memorial das Baianas e Museu de Arte Negra
18:00h – Mostra de Vídeo
19:00h – Aula de Capoeira Angola (Mestre Renê)
20:30h – Roda de Capoeira Angola

Dia 20 – Terça feira
08:00h –
Aula de capoeira angola (Prof. Guto)
10:00h – Praia da Barra
14:00h – Visitações a Casa Jorge Amado, Atelier de Mestre Lua Rasta, Pelourinho e Forte da Capoeira
18:00h – Aula de Capoeira Angola na Academia de Mestre Boca Rica
21:00h – Festa da Bênção no Terreiro de Jesus

Dia 21 – Quarta feira
08:00h –
Aula de berimbau Viola (Trenel Veó)
10:00h – Praia da Ribeira, Praia da Boa Viagem
14:00h – Visitações a Igreja do Bonfim e Feira de São Joaquim
18:00h – Mostra de Vídeos
19:00h – Aula de Capoeira Angola (Mestre Renê)
20:30h – Roda de Capoeira Angola

Dia 22 – Quinta feira
08:00h
– Aula de capoeira angola (Eric)
10:00h – Praia Jardim de Alá
14:00h – Visita a Escola Social do Ylê Aiyê
19:00h – Visita ao Cine Clube do Instituto Nzinga de Capoeira Angola

Dia 23 – Sexta feira
08:00h –
Café cultural na Dona Euza
09:30h – Caminhada com Mestre Renê nos pontos históricos do bairro 02 de Julho
12:00h – Almoço com Mestre Renê
14:00h – Praia da Ondina
18:00h – Berimbalada até o Pelourinho
19:00h – Roda de Capoeira Angola na ABCA – Associação Brasileira de Capoeira Angola
21:00h – Roda de Capoeira Angola no Terreiro de Jesus (Mestre Lua Rasta)

Dia 24 – Sábado
09:00h
– Roda de Capoeira Angola na FICA – Fundação Internacional de Capoeira Angola12:00h – Saída para Ilha de Maré
16:00h – Aula de Capoeira Angola a Beira Mar (Contra-mestre Gaguinho; Contra-mestre Gutinho e trenel Cris)
18:00h – Roda de Capoeira Angola na Beira Mar ao Pôr do Sol
21:00h – Jantar no quilombo Okê Arô (moqueca feita por Mestre Renê )
23:00h – Samba de Roda e Festa no quilombo Okê Arô

Dia 25 – Domingo
10:00h
– Roda de Capoeira Angola na comunidade de Ilha de Maré
12:00h – Samba de roda
14:00h – Almoço, praia e atividades esportivas (frescobol, futebol, voleibol)
17:00h – Retorno a Salvador com roda dentro do barco

Dia 26 – Segunda Feira
10:00h
– Praia da Preguiça
14:00h – Visitações ao Mercado Modelo, Baixa dos Sapateiros e Ladeira da Barroquinha
18:00h – Mostra de Vídeo
19:00h – Aula de Capoeira Angola (Mestre Renê)
20:30h – Roda de Capoeira Angola

Dia 27 – Terça feira
08:00h – Aula de Capoeira Angola (Kong)
10:00h – Praia de Amaralina
14:00h – Visita a Fundação Jair Moura e Espaço Mandinga (Frede Abreu)
18:00h – Roda na Academia de Mestre João Pequeno de Pastinha
21:00h – Festa da Bênção no Terreiro de Jesus

Dia 28 – Quarta feira
08:00h –
Aula de Capoeira Angola (Prof. Guto)
10:00h – Visita a Praia de Piatã, Itapuã e Lagoa do Abaeté
18:00h – Mostra de vídeos
19:00h – Aula de Capoeira Angola (Mestre Renê)
20:30h – Roda de Capoeira Angola

Dia 29 – Quinta feira
08:00h –
Aula de Capoeira Angola (Ludmila)
10:00h – Praia de Aleluia
14:00h – Visita ao Ylê Axé Opô Afonjá
19:00h – Aula de Capoeira Angola na Fazenda Grande do Retiro (Contra mestre Gutinho)20:30h – Roda de Capoeira Angola

Dia 30 – Sexta feira
08:00h –
Aula de Capoeira Angola (Mestre Renê)
10:00h – Atividade livre
19:00h – Roda de Capoeira Angola na ACANNE – Associação de Capoeira Angola Navio Negreiro21:00h – Samba de Roda e Confraternização

Dia 31 – Sábado
06:00h
– Saída para Santo Amaro
09:00h – Berimbalada e Visitações a cidade de Besouro
10:00h – Aula de Capoeira Angola com Mestre Felipe, Mestre Hugo e Mestre Adó
12:00h – Roda de Capoeira Angola no centro histórico
14:00h – Almoço16:00h – Vivência de Samba de Roda18:00h – Retorno a Salvador
21:00h – Jantar e Festa de Encerramento do Evento

acesse:

www.pracontarcertotemdeverdeperto.blogspot.com

e veja as fotos e os vídeos do evento passado.

 

Maiores informações:
mestrerene@yahoo.com

acannezion@hotmail.com

africanamente.poa@hotmail.com

 

VAGAS LIMITADAS!

Mestre Pelé, o Gogó de ouro da Bahia

“Iêêêêêêêê!” O chamado de Natalício Neves da Silva, o mestre Pelé, aliado aos primeiros acordes do berimbau, é experiência que, quem viveu, não esquece. Sua voz expressiva é capaz de nos conduzir por 500 anos de história e de nos conscientizar do poder libertador que a roda de capoeira representa.

Mestre Pelé nasceu em 1934. É do tempo em que se jogava capoeira nos finais de feira e nos dias de festa. Também fez parte de uma geração dividida entre a marginalizada capoeira de rua à institucionalizada capoeira nas academias.

Primeira roda – Na infância, Pelé ajudou o pai na luta pela sobrevivência. Fazia carvão, colhia mandioca e tratava a terra. Depois, vendia as mercadorias na capital baiana. Foi assim que chegou à rampa do Mercado Modelo, próxima à igreja Nossa Senhora da Conceição da Praia, onde encontrou a nata da capoeira. “Conheci a capoeira aos 12 anos de idade, quando ia às feiras e às festas populares do recôncavo baiano. Eu ia com meu pai a Muritiba, São Félix e Cachoeira vender carvão. No final do dia, chegavam os ‘senhores’ de toda a região e começavam a brincar para se divertir. Era o povo que dava para o capoeirista o título de mestre, que disputava o título ali no jogo, jogo duro”, lembra. Foi numa dessas rodas que Pelé diz ter conhecido o lendário Besouro Mangangá. E confirma a lenda: “Ele sumia quando queria”.

Lendários – Para o mestre, era entre a Igreja da Conceição e a rampa do Mercado que rolavam as melhores rodas de capoeira da época. Em sua memória estão personagens como Valdemar da Liberdade, Caiçara, Zacarias, Traíra, Angolinha, Avani, Bel e Del (irmãos), Onça Preta, Sete Mola, Cabelo Bom e Bom Cabelo (gêmeos) e Bugalho, que o teria encantado com sua agilidade. “Tinha muita gente importante, naquela época, além de Bimba e Pastinha. Os alunos deles não jogavam muito na rua. Eles evitavam por causa das brigas, não queriam ficar difamados. O pau quebrava e a polícia na cavalaria vivia ‘escarreirando’ os capoeiras; acabando com as rodas. Os capoeiristas, por sua vez, quebravam a polícia no cacete. Bimba e Pastinha queriam evoluir, acabar com essa imagem do capoeira”.

Capoeira de Rua – O aprendizado da maioria dos capoeiristas dessa época era mesmo nas grandes rodas na rampa do Mercado Modelo e nas chamadas festas de largo, que começavam na festa de Nossa Senhora da Conceição da Praia – coração da cidade baixa, próxima ao elevador Lacerda – no dia 1º de dezembro e se prolongavam até o dia 8 do mesmo mês. Depois, vinha a festa de Santa Luzia, freqüentada pelos estivadores (trabalhadores do cais do porto), muitos deles, capoeiristas. “Era o dia todo: banho de mar, samba de roda, samba de viola – que era uma tradição. Todos os ritmos vindos do recôncavo baiano. Nestas festas, reuniam-se os melhores mestres de capoeira e os melhores tocadores de berimbau. Foi num desses momentos que comecei a cantar e a tocar”, relembra.

Foi Bugalho, carregador de embarcações que, nas horas de descanso e nas noites de lua-cheia, ensinou o menino Natalício a gingar nas areia da Praia da Preguiça. “Segui a tradição do meu mestre, Bugalho, um grande tocador de berimbau. Ele era um dos melhores, tocava muito bem o São Bento Grande, principalmente quando era noite de lua. Sentávamos na areia da praia e, quando ele tocava, era possível ouvi-lo na cidade alta”.

Além das rodas da Liberdade nas tardes de domingo, em que o guarda civil Zacarias Boa Morte “tomava conta”, Pelé mostrava sua arte nas rodas de Valdemar da Liberdade, num galpão de palha de dendê, cercado de bambu. “Eu era ligeiro, tinha um sapateado que ajudava muito. Eles não me pagavam. E, quando eu chegava nas rodas da invasão do Corta Braço, no bairro de Pero Vaz, mestre Valdemar dizia: Lá vem Satanás!”

Experiência – Durante 25 anos Pelé deu aulas de capoeira  e, também, no V Batalhão da Polícia Militar. “Naquele tempo, era comum a polícia treinar capoeira”. Além dessas atividades, mestre Pelé participou, ao mesmo tempo, de importantes grupos folclóricos da Bahia como o Viva Bahia. Fez apresentações com o grupo de mestre Canjiquinha, no Belvedere da Praça da Sé, shows para turistas, onde mostrava a capoeira, o maculelê, a puxada de rede e o samba de roda.

Sorrindo muito, Pelé explica que “na capoeira, tudo sai da ginga. A ginga, o molejo e a flexibilidade são importantes para o capoeirista, tanto para defesa quanto para o ataque. Capoeira é uma dança também: a chamada capoeira de compasso, que tem a meia-lua de compasso, um movimento baixo, diferente do rabo de arraia (mais alto e rápido); a ponteira, movimento com a ponta do pé, de baixo para cima, até o queixo; o martelo, atingindo o ombro; a ponta de costela, que é um martelo mais baixo; a benção, que atinge o peito; o giratório – o capoeirista cai para trás e sai girando; o parafuso: giro no solo com a cabeça; caminhada de caranguejo, movimento para frente e para trás, de papo para o ar e com as pernas abertas; canivete – com uma das mãos no chão, encolhe-se o corpo todo na direção das mãos; relógio, gira-se sobre a queda de rim; o coice de burro, que é cair com as duas mãos para frente, levantando os dois pés etc.”.

Retorno – Mestre Pelé ficou longe da capoeira por vinte anos. Foi trazido de volta às rodas pelo projeto de resgate e valorização de mestres antigos, criado pela Associação Brasileira de Capoeira Angola (ABCA). Hoje, ele integra o Conselho de Mestres da associação e participa de eventos importantes. Recentemente, emocionou, com sua voz, quem esteve presente no enterro dos mestres Caiçara, Bom Cabrito e Zacarias Boa Morte, e na missa de sétimo dia de Caiçara.

Na ABCA, Pelé espera conseguir viabilizar o projeto de aposentadoria para mestres com mais de 65 anos de vida e 35 anos de capoeira. “O ministro da Previdência, Waldec Ornelas, já votou a aposentadoria das mães e pais de santo que, como os capoeiristas, também tiveram suas atividades proibidas e perseguidas. Além disso, também vamos conseguir provar que Capoeira Angola é cultura popular, e não arte marcial” finaliza o cantador.

 

Lucia Correia Lima – Jornalista e Diretora de Projetos e Comunicação Social da ABCA

 

Fonte: Revista Capoeira

Referências: http://abca.portalcapoeira.com/

Astro Jet Li filma no Brasil

O ator chinês Jet Li desembarcou no Galeão, aeroporto internacional do Rio de Janeiro, no sábado 18, por volta das 21h40. Escoltado por seguranças, ele seguiu direto para um hotel no bairro de Copacabana, onde ficará hospedado até o final de sua participação no filme Os Mercenários, de Sylvester Stallone.

O ator, que deve ficar no País por duas semanas, disse que está muito interessado em acompanhar lutas de capoeira.

Nas cenas, Jet Li deverá filmar em lugares como a praia de Mangaratiba e o Parque Lage, no Rio.

 

Fonte: http://www.terra.com.br/istoegente/edicoes/502/astro-jet-li-filma-no-brasil-132167-1.htm