Blog

puxada

Vendo Artigos etiquetados em: puxada

Aconteceu: Balé Folclórico se apresenta no TCA em Salvador

Após a temporada de três meses nos Estados Unidos, onde foi visto por cerca de 100 mil pessoas, o Balé Folclórico da Bahia volta a Salvador, neste domingo (10), com o espetáculo “Herança Sagrada”, para comemorar o Dia da Dança. No palco, 25 bailarinos, cantores e músicos interpretam rituais e danças dos orixás, além das manifestações folclóricas da Bahia, como o Samba de Roda, a Capoeira e a Puxada de Rede.

 

A apresentação ocorreu na Sala Principal do Teatro Castro Alves, às 11h.

 

O espetáculo é dirigido por Walson Botelho e direção artística de Zebrinha. A montagem integra o projeto Domingo no TCA, com ingressos a R$ 1 e R$ 0,50.

A abertura ficou por conta do grupo Teatro Nu e seu espetáculo “O Pedido de Casamento”.

III Festival Nacional de Capoeira e Cultura Popular

III Festival Nacional de Capoeira e Cultura Popular será realizado em Paulínia

Entre Puxada de Rede, Maracatu, Hip-Hop e Batismos de Capoeira, a Secretaria de Cultura de Paulínia, unida a Associação Educacional e Cultural de Capoeira Rainha do Engenho e pelo Projeto Anastácia, promove a partir do próximo sábado o III Festival Nacional de Capoeira e Cultura Popular.

O evento contará com apresentações de mestres capoeiristas, reconhecidos internacionalmente, e artistas responsáveis por trabalhos culturais de referência em Paulínia e em cidades da Região Metropolitana de Campinas.

Projeto Anastácia

Por utilizar música, a capoeira se distingue de todos os outros tipos de artes marciais. Por isso, o projeto que surgiu a partir da necessidade de realizar atividades físicas, culturais e sócios educativas, utiliza o aprendizado dos jogos de Capoeira para ensinar as pessoas de todas as idades sem distinção de idade, raça, cor, religião, classe social e formação cultural, esse costume tão antigo.

Programação:

Data: 24 de Abril
Abertura “Conferência do Estado de São Paulo – Jogo de Capoeira
Local: Câmara Municipal de Paulínia
Horário: 8h30

Data: 08 de Maio
Curso de Capacitação de Capoeira Angola
Local: Parque Brasil 500 – Pavilhão de Eventos
Horário 09h00

Data: 09 de Maio
Aulão aberto a todos os praticantes de capoeira e pessoas que queiram iniciar.
Local: Em frente ao Theatro Municipal de Paulínia
Horário: 09h00

Data: 09 de Maio

Encerramento do III Festival com a apresentação Puxada de Rede, Maracatu, Hip-Hop, Batismo de Capoeira.
Homenagem ao Dia das Mães com Ana Perugini – Grupo de Pagode “Nossa Onda”.
Local: Theatro Municipal de Paulínia
Horário: 14h00‎

Fonte: http://portaldepaulinia.com.br/ – Portal de Paulínea

Aconteceu: Encontro lança Bloco Afro Capoeira nesta sexta

Tonho Matéria é um exímio capoeirista, com mais de 30 anos dedicados à arte. E, como mestre, há muito tempo vem alimentando o sonho de criar o primeiro bloco sobre o tema do mundo.
Amanhã, esse desejo começa a se tornar realidade com o lançamento do Bloco Afro Capoeira, que abrirá o Carnaval baiano de 2008.
O evento será realizado no Forte da Capoeira (Largo de Santo Antônio Além do Carmo), a partir das 14h.

“Há quatro anos venho tentando colocar a capoeira como tema do Carnaval. Contei com a parceria do (jornalista e produtor cultural) Badá, de Clarindo Silva, e do mestre Boa Gente, que ajudaram muito a conquistar esse espaço”, revela Matéria, que idealiza um megadesfile. “Se juntarmos todos os capoeiristas, cada um com sua própria fantasia colorindo a avenida, teremos 500 mil pessoas nos acompanhando. Só em Salvador são 50 mil praticantes catalogados pela Federação de Capoeira da Bahia (Fecaba)”, conta.

 
Nesta sexta-feira, 7, será lançado o Bloco Afro Capoeira, que abrirá o Carnaval de 2008. O evento acontecerá em um coquetel dentro da programação do VI Encontro Cultural & Intercâmbio Internacional de Capoeira Mangangá, no Forte da Capoeira (Largo de Santo Antonio Além do Carmo), a partir das 14h. O encontro não acontece apenas entre capoeiristas, ele é aberto ao público.
 
Farão parte da apresentação: o Afoxé Filhos de Gandhy, tocando clarins; o Coral da Unimed, executando músicas de capoeira, com o maestro Carlinhos; palestra sobre a importância do Forte da Capoeira; show da Orquestra Percussiva do Pelô com o mestre Bira Jackson; do Samba de Viola do Mestre Pelé da Bomba, com participação especial das Ganhadeiras de Itapuã; e de Tonho Matéria, que vai interpretar canções sobre a capoeira, como Paranaê, Ôsimsimsim e Vou dizer ao meu senhor que a manteiga derramou.
 
O jornalista paulista Mano Lima, colunista do Portal Capoeira e editor da revista Capoeira em Evidência, estará presente no coquetel, lançando o Dicionário de Capoeira (3a. edição revista e ampliada) e o livro infantil Eu, você e a capoeira. A equipe de Negra Jhô será responsável pelo receptivo do evento.
 
Ainda na sexta-feira, foi montada uma programação especial de capoeiristas. Dois ônibus só com mulheres praticantes da arte seguirão para a Costa do Sauípe às 17h, onde participaram de palestras, workshops, roda livre feminina e apresentação de Maculelê/Puxada de Rede com as Contra-Mestras Bia e Kaká.
 
No sábado, 8, o evento continua em Sauípe, com samba e aulão na Praia da Oca com os Mestres Val Boa Morte e Marcos Gytauna, às 11h. Pela tarde, a programação continua com o Workshop de Berimbau com Mestre Reginaldo (16h), palestra com o Mestre Máximo sobre Capoeira e os Zuavos (18h), Roda Livre com todos os Mestres, Contra-Mestres e professores organizada pelos Mestres Tonho Matéria e Boa Gente (19h) e show com a banda Olodum, às 21h30.

O encontro será encerrado no domingo, 9, às 9h, na Escola Linces (Jardim das Margaridas – Itinga), com o batizado e troca de cordas coordenados pela Associação de Capoeira Toques de Berimbaus (Mestre Reginaldo) e Associação Cultural de Capoeira Mangangá (Mestre Tonho Matéria), com roda de Mestres, Contra-Mestres, Professores e Formados, roda de alunos, apresentação de Maculelê, Puxada de Rede e capoeira-show.

 
Carnaval – Com o tema “Capoeira e suas Culturas Aparentadas” escolhido para o carnaval de 2008, o Bloco da Capoeira desfilará na quinta-feira, fazendo uma homenagem ao Bezouro Mangangá, ou Manoel Henrique Pereira, soldado do Exército nascido no século XIX, em Santo Amaro da Purificação, e capoeirista conhecido que, segundo a lenda, tinha poderes sobrenaturais. Para contar essa história e tantas outras, o Bloco da Capoeira trará diversas alas, dentre elas a das baianas, Zuavos, ciclistas (para lembrar daqueles que não têm dinheiro e vão para aula de bicicleta), Maculelê, Puxada de Rede, Caboclo e Orixás.
 
O Bloco da Capoeira não será comercializado. As inscrições começam no dia 7, com o lançamento do projeto, e poderão ser feitas através do site www.capoeiramanganga.com.br, ou do e-mail mmanganga@hotmail.com . Mais informações através dos telefones: 9919-7093 e 3256-9806.
 

“Um Dia de Capoeira” Mega evento do Grupo Cordão de Ouro

O Mestre Suassuna vai realizar um mega evento de capoeira chamado "Um Dia de Capoeira", no Anhembi em São Paulo, no dia 30 de outubro.
 
Com a participação de cerca de 100 Núcleos de ensino em todo o país e mundo e previsão para mais de 7000 pessoas, infra-estrutura para exposições de fotografia e artes, ações de cidadania(parceria com a Secretaria de Segurança do Estado de São Paulo) para confecção de documentos, coleta de alimentos e agasalhos, oficinas para crianças, gincana, 03 palcos, 02 telões, 20 estandes de produtos, praça de alimentação, camisetas, crachás, 100 banners, 15 outdoors, policiamento e unidade de saúde móvel.
 

Programação:
 
9h00 – 9h30 Abertura
 
9h30 – 10h00 Capoeira Especial do Grupo Cordão de Ouro Guaratinguetá/SP
com alunos especiais de vários núcleos de ensino.
 
10h00 – 11h30 Aulas de capoeira com Contra- Mestres Boca-Rica(SP),
Fuínha(BH), Koruja(SP), Selma(SP), Professores Biro(Campinas/SP),
Morena, Lú Pimenta(BH).
 
11h30 – 12h30 Previsão de 20 Rodas simultâneas de capoeira.
 
13h30 – 13h45 Berimbalada, orquestra regida pelos Mestres Tucano e
Sarará do Grupo Cordão de Ouro SP.
 
13h45 – 14h30 Puxada de Rede, Maculelê e Show Acrobático.
 
14h30 – 16h00 Dança Afro Contra-Mestre Pantera(BH), Maculelê Mestre
Suassuna e seus Contra-Mestres(SP).
 
16h00 – 17h30 Rodas de Capoeira, previsão de 20 rodas.
 
17h30 – 18h00 Entrega de Diplomas à Mestres, contra-Mestres e
professores.
 
18h00 – 19h00 Show Musical do Mestre Suassuna e Mestre Aparício Bolinha.
 
19h00 – 20h00 "Dança dos Quilombos" manifestações folclóricas como
Maculelê, Puxada de rede do Xaréu, Dança do Fogo, Dança Guerreira e
Capoeira Cordão de Ouro SP.
 
20h00 – 22h30 Show de Forró.
 
Apoio Escola de Samba Vai-Vai, Solom Tadeu Pereira e Anhembi Gestão
Caio Luis de Carvalho.
Os organizadores do evento estão receptivos à mais patrocínios.
Maiores informações Grupo Cordão de Ouro
Rua Jesuíno Pascoal, 44
Santa Cecília – Centro
São Paulo – SP
F:(011) 223 5357

O Berimbau Chamou 2005

O Berimbau Chamou 2005
 
Será o I Festival de Arte e Cultura que irá reunir em Fortaleza, na Praia de Iracema entre os dias 07, 08 e 09 de julho diversas manifestações do folclore brasileiro.
 
Serão realizados no Centro Cultural Dragão do Mar apresentações, mostras audiovisuais e palestras e em galpões da Próximos, serão oferecidas ao público oficinas de capoeira, dança-afro, maculelê, puxada de rede, coco, maracatu.
 
A Inscrição de R$ 2,00 da direito a todo o evento
 

Contramestre Macaco Apollones Email: mapollones@hotmail.com
URL: http://www.berimbauchamou.com.br 
 

II Festival Internacional de Capoeira Caia no Jogo

Vem ai mais um evento de peso!!!
 
Acontece entre os dias 21 e 24 de Julho, no SESC Vila Mariana em São Paulo, o II Festival Internacional de Capoeira Caia no Jogo, do Contra Mestre Boca Rica, sob supervisão do Mestre Suassuna.
 
Aulas, workshops, Maculelê, Capoeira, Dança, Puxada de rede do xaréu, batizado e troca de cordão dos alunos do Contra Mestre Boca Rica.
 
Maiores Informações acesse: www.bocaricacapoeira.com.br

Puxada de Rede

PUXADA DE REDE


O teatro folclórico que retrata a puxada de rede, conta a história de um pescador que ao sair para o mar em plena noite para fazer o sustento da família, despede-se de sua mulher que, em mau pressentimento, preocupa-se com a partida do marido e o assusta dizendo dos perigos de sair à noite, mas o pescador sai e deixa-a a chorar, e os filhos assustados.


O pescador sai para o mar e leva consigo uma imagem de Nossa Senhora dos Navegantes, seus companheiros de pesca e a bênção de Deus.


Muito antes do horário previsto para a volta dos pescadores, que seria às cinco horas da manhã, a mulher do pescador, que ficou na praia esperando a hora do arrasto, teve uma visão um tanto quanto estranha. Ela vê o barco voltando com todos à bordo muito tristes e alguns até chorando. Quando os pescadores desembarcam, ela dá pela falta do marido e os pescadores dizem a ela que ele caiu no mar por conta de um descuido e que devido à escuridão da noite, não foi possível encontrá-lo, ficando ele perdido na imensidão das águas.


Ao amanhecer, quando foram fazer o arrasto da rede que ficara no mar, os pescadores notaram que por ter sido aquela uma noite de pouca pesca, a rede estava pesada demais. Ao chegar todo o arrasto à praia, já com dia claro, todos viram no meio dos poucos peixes que vieram, o corpo do pescador desaparecido. A tristeza foi instantânea e o desepero tomou conta de todos alí presentes.


Prossegue-se então os rituais fúnebres do pescador sendo levado à sua morada eterna pelos amigos que estavam com ele no mar, sendo seu corpo carreagado nos ombros, pois a situação financeira não comportaria a compra de uma urna, o cortejo segue pela praia.





O ritual “Puxada de Rede”, executado artisticamente por diversos grupos de capoeira do Brasil, retrata e sintetiza a pesca com rede, do peixe conhecido como xaréu (peixe de carne escurecida abundante nas costas do Nordeste Brasileiro).

Trata-se de um episódio de trabalho árduo, de canseira, mas, como todo trabalho dos negros baianos, é temperado com muita poesia, religiosidade, música e festa. Todos os anos, a puxada de rede se repete com os mesmos cerimoniais, com os mesmos rituais dos tempos de outrora.

Uma tradição que não morre, mesmo porque dela depende a subsistência de centenas de famílias. Força, poder e vitalidade de corpos vão se mostrando com toda pujança no trabalho árduo da pescaria.

No entanto, o mesmo é embalado pelo canto, às vezes alegre, às vezes triste, que evocam entidades protetoras. Ritual também embalado pelas batidas dos atabaques, pelos corpos que, como num bailado, movimentam-se sincronicamente, realizando mais uma tarefa gratificante que mistura sacrifício, festa e prazer.

Mais Informações e Videos:

 

Trecho do filme “Barravento”, de Glauber Rocha (1962).

Os pescadores de uma comunidade da praia de Buraquinho (Itapoan, Salvador, Bahia) realizam a puxada de rede do xaréu.

 

 

Carolina Soares – Puxada De Rede