Blog

quinta

Vendo Artigos etiquetados em: quinta

Aconteceu: III Congresso de Mulheres Capoeiristas: Protagonismo da mulher

Na perspectiva de promover a integração das mulheres de capoeira do Ceará de estados vizinhos, será realizado de 24 a 26 de maio o III Congresso de Mulheres Capoeiristas: Protagonismo da mulher. O evento que tem apoio da Prefeitura de Fortaleza, através da Secretaria de Esporte e Lazer (Secel), é uma promoção da Associação Zumbi de Capoeira e do Grupo Cordão de Ouro.


Durante três dias, serão realizadas palestras, feiras da cadeia produtiva da capoeira e oficinas ministradas por mestras e contramestras na área. No evento, haverá também espaço para recreação infantil, garantindo às mães a participação integral nas atividades do congresso. Toda a programação busca chamar a atenção da sociedade para a atuação das mulheres na valorização da cultura afrodescendente e discutir o espaço já conquistado por elas.

A abertura acontecerá no Cuca Che Guevara (Av. Presidente Castelo Branco, 6417) na quinta-feira (24), às 19h, com acolhida de instrutoras e professoras de grupos de capoeira de Fortaleza. Haverá ainda a formação de rodas abertas de capoeira e de samba. Na sexta-feira (25), também às 19h, no ginásio Paulo Sarasate (Rua Ildefonso Albano, 2050), será realizada a palestra “Protagonismo da Mulher”, que discutirá a evolução feminina na capoeira. A exposição será feita pela mestra Janja, de Salvador, pela professora Tina, da Paraíba, e pelas mestras Carla e Paulinha, ambas de Fortaleza. 

As oficinas, ministradas por mestras e contramestras, acontecerão no sábado (26), das 9h às 12h e das 14 às 17h, no Armazém da Capoeira (Av. José Bastos, 287). No final da tarde, haverá o encerramento com danças populares, como a ciranda, e com a apresentação do Movimento Feminino, que realiza rodas itinerantes em vários pontos de Fortaleza. A abertura e a palestra são gratuitas e abertas ao público. Já as oficinas terão investimento de R$ 20,00 e as inscrições serão feitas durante o congresso, nos locais das atividades. 

Serviço

III Congresso de Mulheres Capoeiristas

Data: De 24 a 26 de maio
Local: Cuca Che Guevara (quinta), ginásio Paulo Sarasate (sexta) e Armazém da Capoeira (Sábado)
Horário: 19h (quinta e sexta-feira) e das 9h às 17(sábado)
Contato: Mestra Carla – Coordenadora do Congresso (3105.1351) 

Fonte: Secel

Brasília: Capital da capoeira

Nos dias 1, 2, 3, 4 e 5 de novembro capoeiristas de todo o Brasil “invadem” o DF para participar do Encontro Nacional de Capoeira (Enca). Promovido por Mestre, do Instituto Ladainha, o ENCA está em sua 20ª. edição e é o mais democrático evento do gênero no país. Dele participam dezenas de grupos de capoeira regional e angola. A atração, como sempre, são os capoeiristas “mais vividos” que participam dos programas de Capoterapia nos estados do DF, GO, SP, MG e PI.

O Enca começa no dia 1, com o lançamento do livro “Minha Hístória Minha Vida”, coletânea de mini-biografias de cidadãos da terceira idade que fazem da capoterapia “um novo estilo de vida”. O lançamento acontece as 9 horas no Ginásio Paradão em Taguatinga Norte, quando tomam posses os integrantes da recém criada e criativa Academia de Letras da Capoterapia.

Durante o ENCA ocorre a 16ª. Edição do projeto 24 Horas de Capoeira, quando grupos de capoeira de vários de estados se revesa no Palco Ladainha, montado na Rodoviária do Plano Piloto.

 

Serviço: Informações com Mano Lima – assessor de imprensa do ENCA (9190 4256 e 8101 0915) e Mestre Gilvan (9962 2511)

 

Confira a programação do ENCA.

DATA

Dia/semana

Hs

ATIVIDADE

LOCAL

01/11

terça-feira

8:00 h

ABERTURA OFICIAL do 20º ENCA Oficina Vivencial de Capoterapia com participantes presentes

* Café da manhã;

* Posse dos Escritores da Academia de Letras da Capoterapia

 

 

Associação dos Idosos de Taguatinga / Paradão

01/11

terça-feira

14:00 h

Inscrições e Credenciamento dos participantes

Sede Ladainha, QNL 30 Cj. “A” Lote 31 Taguatinga / DF

01/11

terça-feira

15:00 h

Laboratório de Capoterapia

Hospital Regional de Ceilândia

02/11

quarta-feira

8:00 h

Vivência da Capoterapia

* Café da manhã;

 

Praça do Bicalho / Taguatinga

02/11

quarta-feira

14:00 h

 

Laboratório de capoterapia

 

Sede Ladainha, QNL 30 Cj. “A” Lote 31 Taguatinga / DF

03/11

quinta-feira

8:00 h

 

Vivência da Capoterapia

 

Sede Ladainha, QNL 30 Cj. “A” Lote 31 Taguatinga / DF

03/11

quinta-feira

14:00 h

Curso de Capoterapia

* práticas interativas

 

Sede Ladainha, QNL 30 Cj. “A” Lote 31 Taguatinga / DF

03/11

quinta-feira

18:00 h

Vivências de Capoterapia

Taguaparque / Pistão Norte

04/11

sexta-feira

11:30 h

Pronunciamento das Autoridades presentes

* Minuto de silêncio em homenagem aos capoeiristas mortos;

Palco Ladainha na Plataforma Inferior da Estação Rodoviária de Brasília.

04/11

sexta-feira

12:00 h

ABERTURA OFICIAL

16º 24 Horas de Capoeira de Brasília

 

Palco Ladainha na Plataforma Inferior da Estação Rodoviária de Brasília.

05/11

sábado

12:00 h

Encerramento do 16º 24 Horas de Capoeira

Plataforma Inferior da Estação Rodoviária de Brasília

06/11

domingo

8:00 h

* Entrega de lenços para alunos (as) da Capoterapia

* Posse de Sócio Benemérito;

* Entrega de Certificados;

* Roda de encerramento

 

 

 

Teatro da Praça (EIT) Taguatinga

Programação sujeita a ajustes. Brasília / DF AGOSTO de 2011

Informações (61) 3475-2511 / 9962-2511  capoterapiabrasil@gmail.com

 

Quinta edição do Tambor Falante discute “Censo 2010 e periferia”

Infelizmente, o racismo tem se escondido em discursos “sutis” e encontra-se presente em nosso cotidiano. É comum ouvirmos as pessoas chamarem negros de “moreninhos”, como se fosse mais “aceitável” ou menos “feio” para a pessoa. Além disso, ainda tem as piadinhas “inocentes” que só ajudam a consolidar uma cultura inconsequente e que acredita na “democracia racial”, ou seja, extremamente contrárias as ações que promovam o respeito e a garantia de direitos aos diferentes.


Os afrodescendentes (negros e pardos) são a maioria no país com 50,6% da população, mas tem muita gente espalhada por esse mundão que tem vergonha de suas origens, e o que ainda pior desconhece sua própria história. O Censo 2010 irá avaliar a realidade dos brasileiros, e em cada residência os entrevistados responderão um extenso questionário, inclusive, sobre a cor da pele, etnia, crença religiosa e opção sexual.


O Tambor Falante – ciclo de debates fortalece a reflexão crítica sobre a pesquisa demográfica que acontecerá em toda a América Latina, é uma iniciativa do Centro de Cultura e Estudos Étnicos Anajô em parceria com a Comissão de Jornalistas pela Igualdade Racial em Alagoas (Cojira-AL) e a Pastoral da Negritude da Igreja Batista do Pinheiro. Desta vez, abordará o tema “Censo 2010 – Negritude e Periferia”, e o local escolhido para a quinta edição do projeto foi a comunidade que vive ao lado do lixão de Maceió.


A concentração para o evento será às 14h na sede do Ponto de Cultura Guerreiros da Vila/Centro de Educação Ambiental São Bartolomeu (Ceasb), em seguida, os participantes seguirão em caminhada até o espaço cultural da Vila Emater II localizada no Sítio São Jorge onde serão executadas as trocas de opiniões, propostas e experiências. Mais informações sobre o evento: (82) 9119-5730 / 8893-9495 / 9999-1301.


O objetivo é ampliar a discussão junto com os diversos segmentos afros, além de garantir a conscientização sobre a importância dos dados coletados e contabilizados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que posteriormente podem servir de subsídio na elaboração de políticas públicas adequadas aos diversos segmentos sociais.


Os moradores das periferias são secularmente vítimas da marginalização, há locais que nem os agentes de endemias conseguem entrar, devido ao forte tráfico de drogas ou por puro preconceito. Será que os recenseadores conseguirão aplicar a pesquisa nesses locais? E as pessoas que moram nas tribos indígenas, comunidades quilombolas e assentamentos da reforma agrária estão esclarecidas sobre o censo e serão realmente ouvidas? E os que irão aplicar os questionários estão preparados?! Continuaremos pensando sobre o assunto e buscando novos avanços. Axé!


Fonte: Coluna Axé / Tribuna Independente – 26.01.10

Lançamento livro: Mestres e Capoeiras Famosos da Bahia

Amigos, convido a todos para o lançamento do livro “Mestres e Capoeiras Famosos da Bahia”, sobre a biografia dos grandes mestres de capoeira da Bahia já falecidos. Esse livro foi elaborado a partir de pesquisa coordenada por mim, que teve como participantes os pesquisadores do Grupo MEL – Midia, Memória, Educação e Lazer da Faculdade de Educação da UFBA.
 
O lançamento será no próximo dia 12 de março (quinta-feira) no Forte da Capoeira – no Largo de Santo Antonio além do Carmo, em Salvador, a partir das 19 horas.

Segue anexo o convite. Peço que ajudem na divulgação
 
Abraços
 
Pedro Abib
(71)8150-2882

Bailarinos do Axé são convidados da Quinta da Dança

Crianças e adolescentes que integram o Projeto Axé Capoeira, serão a próxima atração do Quinta da Dança, projeto semanal na programação permanente do Pelourinho Cultural. A apresentação será na quinta-feira, dia 13, às 20h, no Largo Pedro Archanjo, sob a direção de Ivete Ramos da Cia. de Dança Gicá do Projeto Axé.

Intitulado Da Rua para a Lua terá, o espetáculo que será mostrado conta com a participação da Orquestra de Berimbau, formada por membros do Axé Capoeira com a supervisão de Gui Alcântara e sob a regência de Sylvia Britto.

O coreógrafo Eduardo Vieira reservou, ainda, uma mostra performática com alunos do projeto e a participação criativa de bailarinos da Escola de Dança do Axé Capoeira. Também a Cia. de Dança Gicá do Projeto Axé, titular do espetáculo, preparou três coreografias exclusivas para o Projeto Quinta da Dança, realizado em parceria com a Fundação Cultural do Estado da Bahia.

A noite contará com as apresentações das coreografias de Ivete Ramos, Nordeste Derradeiro e Capoeira Bicho. Para o encerramento, será encenada a performance que dá nome ao espetáculo, Da Rua para a Lua, coreografia de Marcelo Moacir, adaptada por Ivete Ramos.

Fonte: http://www.atarde.com.br

Jogos “paraolímpicos” agitam a Serra

Distante do recente celeiro esportivo potencializado pelas olimpíadas de Pequim, na China, acontece a segunda edição dos "Jogos Paraolímpicos da Serra". Mais de 280 portadores de necessidades especiais se encontram para a disputa. O evento tem inicio nesta terça-feira (26) e vai até quinta-feira (28). As competições são realizadas na Associação Banestes de Vitória (ABV), no Bairro São Diogo, na Serra.

Os atletas ‘paraolímpicos’ participam dos jogos nas modalidades natação, futsal, atletismo, dança e capoeira. Nem todos são esportes olímpicos, mas a idéia é "democratizar as oportunidades de acesso para além do contexto dos jogos", diz a organizadora do evento Jovana Moreira.

Participam dos jogos representantes da Associação de Pais e Excepcionais (APAE) – da Serra, Vitória e Cariacia -, da Pestalozzi da Serra e de Vila Velha, da Escola Estadual de Educação Oral e Auditivo, escolas da rede municipal da Serra e União de Cegos Dom Pedro II (Unicep).

Além das atividades esportivas, a turma da Unicep também prepara uma apresentação especial. A partir desta terça-feira (26) iniciam-se as competições da natação e do futsal. Na quarta-feira (27) os ‘paraolímpicos’ disputam as provas do atletismo e na quinta (28) acontecem as apresentações de dança e capoeira.

Em todos os dias de competições os atletas também têm direito à refeições, com lanche e almoço. Bem alimentados, os esforços ficam voltados para o esporte. Superação e exemplo de vida marcam os Jogos Paraolímpicos da Serra.

Fonte: http://gazetaonline.globo.com/

Parnaíba: Participação de capoeirista renomados no Festival Arte Brasil

A Fundação Arte Brasil Capoeira iniciou nesta quinta-feira, 05, o I Festival de Capoeira Arte Brasil, segundo o coordenador do grupo em Parnaíba, Nataniel Ribeiro Santos (Contra-Mestre Montanha), o evento está sendo um sucesso tanto de público quanto pela presença dos mestres convidados e capoeirista de vários estados do norte e nordeste do país.

O criador da capoterapia, Mestre Gilvan, ministrou aulões de capoterapia para a terceira idade durante todo o dia, o presidente da Fundação Arte Brasil, Mestre Pedro, deve chegar à Parnaíba no sábado para particpar do evento de encerramento do festival, já o angoleiro do estado da Bahia, Mestre Jogo de Dentro, iniciou na noite desta quinta-feira o curso de capoeira angola.

O I Festival de Capoeira Arte Brasil encerrará no sábado, 07, com batizado e a troca de cordas na quadra do Sesc Beira-Rio. Na ocasião será lançada, também, a campanha: Capoeira que Tem Sangue na Veia. O festival de capoeira está sendo transmitido em tempo real pela internet, através do endereço – http://www.artebrasilcapoeira.net/

Fonte: http://www.tvcanal13.com.br

Francisco Brandão E-mail: rastajunior@hotmail.com

São José dos Campos: Luta Olímpica e Capoeira conquistam 10 medalhas

Jogos Abertos: Luta Olímpica e Capoeira conquistam 10 medalhas

A delegação joseense começou com o pé direito no primeiro dia de competições com a conquista de dez medalhas e dois troféus nas modalidades de luta olímpica e capoeira.

Destaque do primeiro dia foi a grande conquista de medalhas pela equipe de Luta Olímpica. Alem das nove medalhas, sendo uma de ouro, três de prata e cinco de bronze a equipe de luta olímpica masculina sagrou-se vice-campeã no geral masculina e quinta colocada no feminino.

A campeã da modalidade no masculino foi a cidade de São Bernardo do Campo com o total de 39,5 pontos e São José dos Campos ficando com o vice com o total de 39 pontos.

O ouro foi conquistado pelo atleta Cláudio Calasans Camargo Jr. (categoria 74 kg), as pratas por Roberto Abreu (120 kg) e Milton Carlos Nascimento (55 kg) e os bronzes com Alexandre Santos (96 kg) e Francisco Paulo (66 kg) no masculino. A equipe feminina garantiu uma prata com Márcia Evangelista (72 kg) e três bronzes com Mariana Campos (67 kg), Ana Paula Ribeiro (55 kg) e Aline Alkmin (51 kg).

Todas as finais disputadas foram contra adversários fortes no masculino. Cláudio Calasans foi o destaque por derrotar dois atletas que fizeram parte da seleção no Pan-americano do Rio. Ele derrotou Felipe Macedo na semifinal (medalha de bronze no Pan) e sagrou-se campeão contra Renato Roma (pentacampeão brasileiro e integrante da seleção no pan), detalhe que o atleta é judoca e não lutador. Já Roberto Abreu, enfrentou na final Diego Bolonha que também é integrante da seleção brasileira. No feminino Márcia não conseguiu superar Aline Ferreira da Silva que é apenas a vice-campeã mundial júnior da modalidade.

Capoeira – As competições de capoeira também terminaram ontem com a conquista de uma medalha para a equipe feminina, que conseguiu o terceiro lugar do pódio na classificação geral feminina. Daniela Pinto da Cunha, da categoria médio, conquistou a medalha de bronze. Já a equipe masculina, que ficou em oitavo lugar em 2006, subiu dois degraus com a sexta colocação no geral final.

Estréias – No coletivo, a equipe de basquete e handebol feminino mais a modalidade de damas venceram seus primeiros adversários. No basquete a vitória foi sobre Franca com o placar de 51 x 39, o handebol venceu Santo Antonio da Alegria por 41 x 11 e a dama venceu Mauá por 18 x 2. As competições de ginástica rítmica tiveram início hoje com as provas de cordas e mãos livres no individual, nesta quinta acontece à prova de conjunto três arcos e duas bolas para então serem conhecidas as campeãs da modalidade.

Nesta quinta-feira estréiam em Praia Grande as modalidades de ciclismo, bocha, judô, handebol e basquetebol masculino.

Acompanhe as notícias de São José nos Jogos Abertos, aqui:
http://www.sjc.sp.gov.br/sel/2007_jogosabertos

Festival Internacional de Curtas: A Capoeira na Grande tela

Depois de Mestre Bimba a Capoeira Iluminada do Diretor Luiz Fernando Goulart é a vez do Curta de Paola Barreto Leblanc: Maré Capoeira ser apresentado na grande tela!
 
É nossa capoeira sendo difundida pelos 7 mares através da 7ª Arte…
Sucesso e muito axé a toda equipe de Maré Capoeira!!!
Luciano Milani

O Festival Internacional de Curtas de Oberhausen inicia-se, nesta quinta-feira (04/05), com 136 filmes provenientes de 48 países. Em 2006, cinco curtas brasileiros foram selecionados.

Nesta quinta-feira (04/05), inicia-se a 52ª edição de um dos mais antigos e mais renomados festivais de curtas-metragens do mundo, promovido pela cidade de Oberhausen, na Renânia do Norte-Vestfália.

Dos 5768 trabalhados enviados, neste ano, foram selecionados 136 curtas provenientes de 48 países, concorrendo em quatro categorias: internacional, curta alemão, infanto-juvenil e clip musical alemão. No ano passado, o curta brasileiro Man.Road.River, do mineiro Marcellvs L., foi premiado na competição internacional com sete mil e quinhentos euros.

Em 2006, cinco curtas-metragens brasileiros foram selecionados para participar do festival de Oberhausen, três na competição internacional – Dormente, de Joel Pizzini, Jonas e a Baleia, de Felipe Bragança e Mestre Humberto, de Rodrigo Savastano, e dois na categoria infanto-juvenil – Maré Capoeira, de Paola Barreto Leblanc e Tudo o que é solido pode derreter, de Rafael Gomes.

Dormente

Estações ferroviárias, trilhos e linhas de transmissão de energia elétrica constituem o cenário noturno de Dormente. Formas infinitas, forças paralíticas, gestos que se repetem, lembranças, auto-retratos e a escuridão da nossa viagem diária nos são revelados no filme do carioca Joel Pizzini.
 
Jonas e a Baleia

Jonas possui uma arma, um par de sapatos e uma motocicleta. Um dia, ele se apaixona e mata um homem.
Jonas e a Baleia, curta do carioca Felipe Bragança filmado em 2006, será mostrado pela primeira vez ao público no Festival de Curtas de Oberhausen deste ano.
 
Mestre Humberto
 
O enredo de Mestre Humberto, do cineasta carioca Rodrigo Savastano, trata de um delicioso passeio pelo centro histórico do Rio de Janeiro e pela África.
O passeio é acompanhado dos amigos e das lembranças de um experiente observador da vida chamado Humberto de Souza.

Maré Capoeira
 
A também carioca Paola Barreto Leblanc traz para Oberhausen Maré Capoeira.
O curta conta a história de Maré, apelido de João, um garoto de dez anos de idade que sonha em ser mestre de capoeira como o pai, seguindo uma tradição de família.
Tudo o que é sólido pode derreter

Débora, aos 15 anos de idade, divide com Hamlet os mesmos medos e dúvidas de tornar-se adulta. Por ser capaz de sentir os medos do príncipe Hamlet, começa a analisar sua dor e aprende a se posicionar.
Tudo que é sólido pode se derreter é a contribuição do paulista Rafael Gomes para a competição infanto-juvenil de Oberhausen.


Forte presença latino-americana

 

Com curtas provenientes da Argentina, Brasil e Chile, a presença latino-americana na competição de curtas infanto-juvenis deste ano, em Oberhausen, é excepcionalmente forte, segundo ressaltou a organização do festival.

Uma outra novidade do festival é que será apresentada, pela primeira vez em Oberhausen, uma seleção de 12 das mais importantes associações de filmes experimentais e de arte. O Brasil está representado pela mostra da Associação Cultural Videobrasil, do Rio de Janeiro.

Obras de Alex Gabassi, Rafael França, Wagner Morales, Fabiana Werneck e Marco del Fiol farão parte da mostra Videobrasil a ser apresentada nesta quinta-feira (05/05), em Oberhausen.

O Festival de Curtas de Oberhausen vai até 09/05, quando serão anunciados os nomes dos curtas vencedores da competição internacional, alemã e infanto-juvenil.

Mercado dos Pinhões – Fortaleza: União pela capoeira

Capoeiristas de Fortaleza já têm destino certo na última quinta-feira de cada mês: o Mercado dos Pinhões. A intenção é reunir no local vários grupos para jogar capoeira, criando uma tradição que possa até atrair turistas no futuro
Grupos de capoeiristas escolheram a última quinta-feira de cada mês para se reunirem no Mercado dos Pinhões. O objetivo é a troca de informações sobre estilos e técnicas do esporte (Foto: NATINHO RODRIGUES)
  
Um novo ponto de encontro para a capoeira do estado do Ceará. É com essa intenção que capoeiristas dão novo ritmo a um cenário símbolo de Fortaleza: o Mercado dos Pinhões. Na última semana vários grupos se reuniram no local para compartilhar o que têm em comum – a paixão pelo esporte que mistura luta com dança – e aprender com as diferenças. Eles querem fazer com que a última quinta-feira de cada mês se torne tradicional como o Dia da Capoeira no Mercados dos Pinhões.
Segundo Fernando César Araújo, o professor Dingo, 42, já se tentou criar um ponto de encontro de capoeiristas na Praia de Iracema, no início dos anos 90. A tentativa sucumbiu junto à decadência daquela área da cidade. "Mas nada melhor do que este mercado, com essa estrutura, para se praticar capoeira e criar uma nova cultura", explicou, logo citando o Mercado Modelo, em Salvador (BA), como exemplo.
 
Há 30 anos na capoeira, professor Dingo, do grupo Capoeira Mundi, acompanhou a evolução do esporte no Ceará. "Quando comecei, quem jogava capoeira era visto como marginal. Hoje está tudo mais profissional, amadurecido. É hora de unir os grupos em algo comum, como essa quinta-feira no Mercado dos Pinhões", disse, acrescentando que a atividade também atrairá turistas para o estado.
 
Para Humberto Silva, o "Aramola", 33, do grupo Centro Cultural São Salvador, a Quinta da Capoeira servirá para reunir diferentes grupos, enriquecendo o esporte. "Estou há 20 anos na capoeira e um encontro como esse deve aparar arestas entre grupos. Todo mundo se unindo, o esporte crescerá, ficando mais forte", comentou.
Marcelo Roberto, 26, pratica o esporte há 10 anos. Ao de batizar no esporte, recebeu o apelido de "Testa" e ao longo do tempo foi fazendo amigos. Ele, que treina no Capoeira Brazil, não se imagina vivendo sem o som do berimbau e o encontro de rodas. "É necessário haver integração entre os grupos, coisa que não existia há alguns anos. Não pode haver segregação entre os grupos, apesar das divergências de pensamento e diferenças de estilo, Espero que esse encontro vire tradição", opinou.
SERVIÇO
Sobre o encontro de capoeira no Mercado dos pinhões:
www.capoeiramundi.com.br
Tel: 3221-1131
Saiba mais:
Mercados dos Pinhões
É um dos símbolo da Capital, sendo uma das duas partes do antigo Mercado de Ferro, inaugurado em 1896 no Centro e dividido em 1935. Tem como características a estrutura metálica e ladrilhos de origem Inglesa. Em 2000 passou a se chamar Mercado das Artes, depois de reinaugurado. É mantido pela Fundação Cearense de Cultura, Esporte e Turismo (Funcet).
Localização: Praça Visconde de Pelotas, entre as ruas Nogueira Accioly e Gonçalves Ledo